Sei sulla pagina 1di 21

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS

GUSTAVO MARTINELE DE CARVALHO


MATEUS HENRIQUE LANA FERNANDES

Segundo TP de simulação de Eletrônica II

Área de Aplicação: Amplificadores Operacionais

Belo Horizonte
13/11/2018
Segundo TP de simulação de Eletrônica II

Análise da Resposta em Frequência de um Filtro Ativo Passa Faixa

Segundo trabalho de simulação da disciplina de


Eletrônica II apresentado à Pontifícia
Universidade Católica de Minas Gerais pelo
curso de Engenharia Elétrica

Professor: Paulo Cunha

Belo Horizonte
13/11/2018
LISTA DE FIGURAS

Figura 1. Circuito Proposto ........................................................................................................ 6

Figura 2. Filtro RC passa-baixa de primeira ordem ................................................................... 8

Figura 3. Filtro RC passa-alta de primeira ordem ...................................................................... 8

Figura 4. Diagrama do Circuito ................................................................................................ 10

Figura 5. Diagrama de Bode ....................................................................................................... 5

Figura 6. Frequência de 7Hz ...................................................................................................... 6

Figura 7. Frequência de 70Hz .................................................................................................... 7

Figura 8. Frequência da Banda de Passagem ............................................................................. 8

Figura 9. Frequência de 70kHz .................................................................................................. 9

Figura 10. Frequência de 700kHz ............................................................................................ 10


SUMÁRIO

1 - INTRODUÇÃO .................................................................................................................... 5
2 – METODOLOGIA ................................................................................................................. 6
2.1 – Análise da Proposta de Trabalho ....................................................................................... 6
2.2 – Base Teórica e Princípio de Funcionamento ................................................................. 7
2.2.1 – Filtro RC passa-baixa de primeira ordem. .............................................................. 7
2.2.2 – Filtro RC passa-alta de primeira ordem .................................................................. 8
2.3 – Memória de Cálculo....................................................................................................... 8
2.3.1 – Cálculo das Frequências .......................................................................................... 8
2.3.2 – Cálculo do Ganho .................................................................................................. 11
2.3.3 – Cálculo da Defasagem ........................................................................................... 11
2.3.4 – Cálculo da Faixa de Passagem (BW) .................................................................... 12
3 – SIMULAÇÃO NO SOFTWARE MULTISIM .................................................................... 5
3.1 – Resultados Gerais .......................................................................................................... 5
3.1.1 – Resultados Para F=0,1FL ........................................................................................ 6
3.1.2 - Resultados Para F= FL ............................................................................................. 7
3.1.3 - Resultados Para F=BW ............................................................................................ 8
3.1.4 - Resultados Para F=FH ............................................................................................. 9
3.1.5 - Resultados Para F=10FH ....................................................................................... 10
4 - CONCLUSÃO .................................................................................................................... 11
5 - REFERÊNCIAS .................................................................................................................. 12
5

1 - INTRODUÇÃO

O projeto de filtros ativos usando amplificadores operacionais exige um certo


conhecimento básico do princípio de funcionamento tanto de filtros passivos comuns como do
próprio amplificador operacional. Um filtro pode ser definido como um circuito capaz de se
comportar de maneira seletiva diante de sinais analógicos de determinadas frequências. Esses
filtros podem ser incluídos basicamente numa das três categorias: passa baixas, passa altas, ou
passa faixas, conforme deixem passar os sinais de baixas frequências, altas frequências ou uma
faixa definida de frequências. Será analisado nesse trabalho, um projeto de filtro passa-faixa.
Neste tipo de filtro temos a passagem de sinais numa determinada faixa ou banda de
frequência, rejeitando os sinais de todas as outras frequências. O equivalente passivo mais
comum faz uso de um indutor e um capacitor (LC). No entanto, nas baixas frequências o projeto
de um filtro deste tipo torna-se crítico devido à necessidade de se usar indutores de valores
muito altos. Utilizando um amplificador operacional temos a vantagem de poder implementar
um filtro deste tipo sem a necessidade de usar indutores.
Uma das maneiras possíveis de se caracterizar um sistema é pela sua resposta em
frequência, que é a resposta de regime permanente para excitação senoidal, quando a frequência
varia de zero a infinito. Para estudar a resposta em frequência, basta analisar o comportamento
da função de transferência, que relaciona a tensão de entrada (excitação) com a tensão de saída
(resposta). A resposta em frequência de um filtro é determinada pela sua função de transferência
H(s) e caracterizada pela faixa de passagem, frequência de corte, ganho e fator de qualidade Q.
Outra caracterização importante de um filtro é a sua ordem. Esta, é dada pelo número
de polos que o filtro possui e o número de polos, por sua vez, é definido pelo número de
elementos reativos no circuito, normalmente, capacitores.
Um filtro de primeira ordem possui uma curva característica que sempre tem o mesmo
aspecto, podendo variar apenas o módulo do ganho e a frequência de corte do filtro. Como o
filtro possui apenas um polo, a sua atenuação é de 20dB por década (ou 6dB/oitava). Porém,
um filtro de primeira ordem é uma aproximação muito pobre do filtro ideal, uma vez que o ideal
se comporta como um passa-ou-não passa na frequência de corte. Dessa forma, um filtro de
segunda ordem pode representar mais fielmente o filtro ideal.
Um filtro de segunda ordem atenuará, então, 40dB por década e além disso, há três
variáveis na equação do ganho: o módulo do ganho em frequências médias, a frequência de
corte e o coeficiente de amortecimento do filtro. Mesmo que a frequência tenda pra zero ou
6

para infinito o gráfico é sempre o mesmo, mas ao variar o coeficiente de amortecimento, irá
mudar os polos da equação característica, mudando o perfil da curva Ganho x Frequência.
Ao variar o coeficiente de amortecimento, pode-se obter dois polos reais distintos, dois
polos reais coincidentes ou dois polos complexos conjugados. Cada caso irá conduzir a um tipo
de curva com uma faixa de transição muito perceptível ou não.

2 – METODOLOGIA

2.1 – Análise da Proposta de Trabalho

O objetivo do trabalho é simular um filtro ativo de 4ª ordem de acordo com o diagrama


elétrico da Figura 1. O filtro possui dois polos coincidentes em baixas frequências e dois polos
coincidentes em altas frequências. O valor dos polos em baixas frequências deverá ser igual à
soma das letras do primeiro nome do componente do grupo com maior número de letras
multiplicado por 10 e utilizar valores de resistores com três casas decimais para maior precisão.
Os polos em altas frequências estarão três décadas distantes dos polos em baixas frequências,
o ganho em frequências médias será igual a 20dB, ovalor do resistor R3 deverá ser igual ao
número de letras do último nome de um dos componentes do grupo multiplicado por 1kΩ e o
valor do resistor R7 deverá ser igual ao número de letras do último nome do outro componente
do grupo multiplicado por 1kΩ.

Figura 1. Circuito Proposto

Fonte: Professor da disciplina.


7

De acordo com as instruções da proposta, o cálculo dos resistores deveria ser realizado
seguindo os seguintes critérios:

1. O valor dos polos em baixas frequências será a soma das letras do primeiro nome do
componente do grupo com maior número de letras multiplicado por 10, no caso
Gustavo → 𝐹𝐿 = 70𝐻𝑧.
2. Os polos em altas frequências estarão três décadas distantes dos polos em baixas
frequências → 𝐹𝐻 = 70𝑘𝐻𝑧
3. 𝑅3 igual ao número de letras do último nome de um dos integrantes multiplicado por
1𝑘Ω, no caso, Fernandes → 𝑅3 = 9𝑘Ω .
4. 𝑅7 igual ao número de letras do último nome do outro integrante multiplicado por 1𝑘Ω,
no caso, Carvalho → 𝑅7 = 8𝑘Ω .
5. O ganho em frequências médias será igual a 20dB.

2.2 – Base Teórica e Princípio de Funcionamento

A análise do circuito foi feita em cascata: há um amplificador operacional configurado


como não-inversor (U1) com filtros passa alta em sua entrada e saída, ambos com polo
coincidente. Conectado em sua saída há um seguidor (U2) a fim de isolar ambas as partes do
circuito. Por último há uma amplificador operacional configurado como não-inversor (U3) com
filtros passa baixa em sua entrada e saída, ambos com polo coincidente.
Sabendo qual o ganho em frequência médias, e que ele se dividirá igualmente entre os
dois amplificadores U1 e U3, é possível determinar os valores dos resistores que caracterizam
este ganho. É possível também encontrar os valores de resistências dos filtros com as
frequências dos polos.

2.2.1 – Filtro RC passa-baixa de primeira ordem.

É um filtro composto por um resistor em série com o sinal de entrada e um capacitor em


paralelo com o sinal de entrada. Esse circuito tem como característica o bloqueio da passagem
de tensão e corrente em altas frequências, uma vez que em altas frequências um capacitor
apresenta baixa reatância.
A tensão no capacitor é a tensão de saída desse circuito.
8

Figura 2. Filtro RC passa-baixa de primeira ordem

Fonte: Wikipédia

2.2.2 – Filtro RC passa-alta de primeira ordem

Um filtro passa-altas é um filtro que permite a passagem das frequências altas com
facilidade, porém atenua (ou reduz) a amplitude das frequências abaixo de frequência de corte.
A quantidade de atenuação para cada frequência varia de filtro para filtro. O filtro passa-altas
possui um princípio de funcionamento oposto ao do filtro passa-baixas. O filtro passa-altas
consiste de um capacitor em série com um resistor.

Figura 3. Filtro RC passa-alta de primeira ordem

Fonte: Wikipédia

2.3 – Memória de Cálculo

2.3.1 – Cálculo das Frequências

Sabe-se que 𝑹𝟑 = 𝟗𝒌Ω e 𝑹𝟕 = 𝟖𝒌Ω e que a frequência de corte nos filtros passa-
baixa é calculada a partir da seguinte fórmula,

1
𝐹𝐻 = 2×𝜋×𝑅×𝐶 (1)
9

atribuiu-se valores de 𝐹𝐻 = 70𝑘𝐻𝑧 e 𝐶 = 10𝑛𝐹 e foram calculados os valores de 𝑅5 e 𝑅8, que


são iguais e valem 𝑹𝟓 = 𝑹𝟖 = 𝟐𝟐𝟕, 𝟑𝟔𝟒Ω. Além disso, usando a fórmula de frequência de
corte para filtros passa alta a seguir,

1
𝐹𝐿 = 2×𝜋×𝑅×𝐶 (2)

também se atribuiu valores de 𝐹𝐿 = 70𝐻𝑧, 𝐶 = 1µ𝐹 e foram calculados os valores de 𝑅1 e 𝑅4,


que são iguais e valem 𝑹𝟏 = 𝑹𝟒 = 𝟐, 𝟐𝟕𝟒𝒌Ω.

Sabe-se que o ganho para frequências médias deve ser 20𝑑𝐵, portanto 10𝑑𝐵 para cada
amplificador. O ganho em dB é definido por:

𝐴𝑣𝑑𝐵 = 20 × log(𝐴𝑣) (3)

substituindo 𝐴𝑣𝑑𝐵 por 10, obtemos que 𝐴𝑣 = 3,162.

Tratando-se de amplificadores não inversores U1 e U3, os valores de R2 e R6 puderam


ser calculados da seguinte forma:

𝑅2
𝐴𝑣 = 1 + (4)
𝑅3
e
𝑅6
𝐴𝑣 = 1 + (5)
𝑅7

substituindo 𝐴𝑣 por 3,162 obtemos que 𝑹𝟐 = 𝟏𝟗, 𝟒𝟓𝟖 e 𝑹𝟔 = 𝟏𝟕, 𝟐𝟗𝟔.


10

Figura 4. Diagrama do Circuito

Fonte: O autor

Para calcular as frequências de corte, utiliza-se as fórmulas:

𝐹𝑙
𝐹𝑐𝑖 = (6) Fci: Frequência de corte inferior.
1
√ 𝑛
2 −1

1
𝐹𝑐𝑠 = 𝐹ℎ × √2𝑛 − 1 (7) Fcs: Frequência de corte superior.

n: Número de polos coincidentes.

𝐹𝑐𝑖 = 108,76𝐻𝑧.
𝐹𝑐𝑠 = 45.051,60𝐻𝑧.
11

2.3.2 – Cálculo do Ganho

Para o cálculo do módulo do ganho, utilizamos a equação abaixo para quatro polos.
√10 × √10 1 1 1
|𝐴𝑣| = × × × (8)
𝐹𝑙 𝐹𝑙2
√1 + ( 𝑓 )2 √1 + ( 𝑓 )2 √1 + ( )2 √1 + ( )2
𝐹ℎ 𝐹ℎ2 𝑓 𝑓
Como o circuito apresenta polos coincidentes, pode-se simplificar a equação na forma

10
|𝐴𝑣| = (9)
𝑓 𝐹𝑙
(1 + ( )2 )(1 + ( )2 )
𝐹ℎ 𝑓

2.3.3 – Cálculo da Defasagem

Para o cálculo do ângulo de defasagem, utiliza-se a fórmula:

𝐹𝑙 𝐹𝑙2 𝑓 𝑓
𝜃1 = 𝑎𝑟𝑐𝑡𝑔( 𝑓 ), 𝜃2 = 𝑎𝑟𝑐𝑡𝑔( 𝑓
), 𝜃3 = −𝑎𝑟𝑐𝑡𝑔 (𝐹ℎ), 𝜃4 = −𝑎𝑟𝑐𝑡𝑔 (𝐹ℎ2)

O ângulo de defasagem resultante, 𝜃𝑅 , é dado pela soma de todos os ângulos. Então:

𝐹𝑙 𝐹𝐿2 𝑓 𝑓
𝜃𝑅 = 𝑎𝑟𝑐𝑡𝑔 ( ) + 𝑎𝑟𝑐𝑡𝑔 ( ) − 𝑎𝑟𝑐𝑡𝑔 ( ) − 𝑎𝑟𝑐𝑡𝑔 ( )
𝑓 𝑓 𝐹ℎ 𝐹ℎ2

Como 𝐹𝑙 = 𝐹𝑙2 e 𝐹ℎ = 𝐹ℎ2,

𝐹𝑙 𝑓
𝜃𝑅 = 2𝑥 𝑎𝑟𝑐𝑡𝑔 ( ) − 2𝑥 𝑎𝑟𝑐𝑡𝑔 ( ) (10)
𝑓 𝐹ℎ
12

2.3.4 – Cálculo da Faixa de Passagem (BW)

Faixa de passagem compreende a região entre as frequências de corte superior e inferior.


Portanto, o cálculo é apenas a diferença entre ambas as frequências.

𝐵𝑊 = 𝐹𝑐𝑠 − 𝐹𝑐𝑖

𝐵𝑊 = 69930
14

3 – SIMULAÇÃO NO SOFTWARE MULTISIM

3.1 – Resultados Gerais Figura 5. Diagrama de Bode

Fonte: O Autor.
14

Foi possível observar que nas frequências de corte 𝐹𝑐𝑖 = 180𝐻𝑧 𝑒 𝐹𝑐𝑠 = 45.051𝐻𝑧 , o ganho foi
atenuado em 6dB, o que significa que cada um dos polos também foi responsável por 3dB de
atenuação.
15

3.1.1 – Resultados Para F=0,1FL

Figura 6. Frequência de 7Hz

Fonte: O Autor.

10
|𝐴𝑣| =
7 70
(1 + ( )2 )(1 + ( )2 )
70000 7

|𝐴𝑣| = 0,1

𝑉𝑖 = 2 𝑉𝑝𝑝
𝑉𝑜
Como |𝐴𝑣| = ,
𝑉𝑖
𝑉𝑜 = 0,2 𝑉𝑝𝑝

𝐹𝑙 7
𝜃𝑅 = 2𝑥 𝑎𝑟𝑐𝑡𝑔 ( ) − 2𝑥 𝑎𝑟𝑐𝑡𝑔 ( )
7 𝐹ℎ

𝜃𝑅 = 168,57∘
17

3.1.2 - Resultados Para F= FL

Figura 7. Frequência de 70Hz

Fonte: O Autor.
10
|𝐴𝑣| =
70 70
(1 + (70000)2 )(1 + (70)2 )

|𝐴𝑣| = 5

𝑉𝑖 = 2,0 𝑉𝑝𝑝
𝑉𝑜
Como |𝐴𝑣| = ,
𝑉𝑖
𝑉𝑜 = 10,0 𝑉𝑝𝑝

𝐹𝑙 70
𝜃𝑅 = 2𝑥 𝑎𝑟𝑐𝑡𝑔 ( ) − 2𝑥 𝑎𝑟𝑐𝑡𝑔 ( )
70 𝐹ℎ

𝜃𝑅 = 89,89∘
17

3.1.3 - Resultados Para F=BW

Figura 8. Frequência da Banda de Passagem

Fonte: O Autor.

10
|𝐴𝑣| =
69930 2 70
(1 + (70000) )(1 + (69930)2 )

|𝐴𝑣| = 5,0

𝑉𝑖 = 2,0 𝑉𝑝𝑝
𝑉𝑜
Como |𝐴𝑣| = ,
𝑉𝑖
𝑉𝑜 = 10,0 𝑉𝑝𝑝

𝐹𝑙 69.930
𝜃𝑅 = 2𝑥 𝑎𝑟𝑐𝑡𝑔 ( ) − 2𝑥 𝑎𝑟𝑐𝑡𝑔 ( )
69.930 𝐹ℎ

𝜃𝑅 = −89,83∘
18

3.1.4 - Resultados Para F=FH

Figura 9. Frequência de 70kHz

Fonte: O Autor.

10
|𝐴𝑣| =
70000 70
(1 + (70000)2 )(1 + (70000)2 )

|𝐴𝑣| = 5,0

𝑉𝑖 = 2,0 𝑉𝑝𝑝
𝑉𝑜
Como |𝐴𝑣| = ,
𝑉𝑖
𝑉𝑜 = 𝑉𝑝

𝐹𝑙 70.000
𝜃𝑅 = 2𝑥 𝑎𝑟𝑐𝑡𝑔 ( ) − 2𝑥 𝑎𝑟𝑐𝑡𝑔 ( )
70.000 𝐹ℎ

𝜃𝑅 = −89,89∘
19

3.1.5 - Resultados Para F=10FH

Figura 10. Frequência de 700kHz

Fonte: O Autor.

10
|𝐴𝑣| =
700000 70
(1 + ( 70000 )2 )(1 + (700000)2 )

|𝐴𝑣| = 0,1

𝑉𝑖 = 2,0 𝑉𝑝𝑝
𝑉𝑜
Como |𝐴𝑣| = ,
𝑉𝑖
𝑉𝑜 = 0,2 𝑉𝑝𝑝

𝐹𝑙 700.000
𝜃𝑅 = 2𝑥 𝑎𝑟𝑐𝑡𝑔 ( ) − 2𝑥 𝑎𝑟𝑐𝑡𝑔 ( )
700.000 𝐹ℎ

𝜃𝑅 = −168,57∘
20

4 - CONCLUSÃO

Através da realização desta simulação foi possível observar as formas de onda


correspondentes a cada valor de frequência aplicado no circuito. Valores que estavam na faixa
de passagem apresentaram ganho igual a 20dB por década, quanto os valores que estavam fora
da faixa de passagem sofreram atenuação. Como o ganho total de um amplificador é o produto
dos estágios que o compõe, o ganho total do circuito será o produto dos ganhos dos filtros pelo
ganho dos amplificadores. Além disso, pelos cursores dos gráficos dos diagramas de Bode, fica
visível a influência dos polos na atenuação da tensão de saída, caindo 3dB até as frequências
de corte.

Como esperado, os valores calculados foram bem próximos dos resultados da


simulação.
21

5 - REFERÊNCIAS

SILVA, Clodoaldo. Amplificadores operacionais I. Clube da eletrônica. São Paulo, out.


2012. Seção O Amplificador Operacional e Suas Principais Configurações. Disponível em
<http://www.clubedaeletronica.com.br/Eletronica/PDF/Amp-OP%20I%20-
%20conceitos%20basicos.pdf>. Acesso em: 10 nov. 2018.

BOYLESTAD, Robert L; NASHELSKY, Louis. Dispositivos eletrônicos e teoria de


circuitos. 8ª ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2004. 671p.

A. A. M Rozian. Orientações para elaboração de trabalhos técnicos científicos: projeto de


pesquisa, teses, dissertações, monografias, relatórios entre outros trabalhos científicos,
conforme a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Belo Horizonte, 2016.
Disponível em: http://biblioteca.fecap.br/wp-content/uploads/2012/08/Manual-ABNT-regras-
gerais-de-estilo-e-formata%C3%A7%C3%A3o-de-trabalhos-acad%C3%AAmicos.pdf.
Acesso em: 10 nov. 2018.

CUNHA, Paulo. 1º trabalho de simulação de Eletrônica II. PUC Minas. Belo Horizonte, ago.
2018. Disponível em:
http://webdav.sistemas.pucminas.br:8080/webdav/sistemas/sga/20182/1426689_1o%20TP%2
0ELT2%200218.pdf . Acesso em: 10 nov. 2018.

LOW PASS FILTER. Consulta de imagens de um acervo de conteúdo livre da Wikimedia


Foundation que pode ser utilizado por outros projetos. 19 de março de 2005. Disponível
em https://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Low_pass_filter.png. Acesso em 10 nov. 2018.

FILTRO PASSA ALTAS. Consulta de imagens de um acervo de conteúdo livre da


Wikimedia Foundation que pode ser utilizado por outros projetos. Maio de 2013.
Disponível em https://pt.wikipedia.org/wiki/Filtro_passa-altas. Acesso em 10 nov. 2018.