Sei sulla pagina 1di 15

Atividade 4

“Será que estamos à beira


de um novo Taylorismo”

Henrique Luciano Pereira Nº35491

1
Índice:
Pág.3 - Introdução

Pág.4 -Funções do Gestor


• Henry Fayol
• Peter Drucker
Pág.5 - Funções do Gestor
• Henry Mintzberg
Pág.6 - Novas competências de um gestor
- Chaplin: Modern Times
Pág.7 - Teorias da Gestão
• Teoria Clássica
Pág.8
• Taylorismo
Pág.9
• Fayolismo
Pág.10
• Weberianismo
Pág.11 -Abordagem Humanista
• Teoria das Relações Humanas (Elton Mayo)
Pág.12
• Teoria Comportamentalista
• Teoria das Nessecidas (Maslow)
Pág.13 - Automatização da Gestão
Pág.14 - Será que estamos à beira de um novo Taylorismo?

2
Introdução:
A ideia de estarmos perto de um novo Taylorismo não é muito não é de todo
ilógica há sempre coisas a reter e a mudar…

Antes de mais devemos recordar que o propósito da Gestão é atingir as


metas/objetivos propostos através do planeamento, organização, direção e
controlo dos recursos disponíveis. São exatamente estes mesmo quatro
pilares fundamentais que deram aso a que vários economistas, gestores ou
estudiosos desenvolvessem teorias que simplificassem a administração e
gestão dos recursos nas Organizações.

Um gestor precisa de saber definir as metas a atingir, as interações internas


e externas que devem ocorrer, saber como liderar e comunicar com os seus
trabalhadores com vista a atingir o ponto máximo de produtividade (máxima
eficiência e eficácia na produção face os recursos disponíveis), negociar e
claro, analisar os resultados atingidos em relação aos propostos e efetuar as
devidas correções/falhas.

O objetivo último de uma organização é satisfazer uma necessidade humana


através do fornecimento de um produto ou serviço num determinado
mercado em determinada época, mas tem também de satisfazer as
necessidades dos stakeholders (clientes, trabalhadores, acionistas, credores,
fornecedores, Estado) que por sua vez são fundamentais para que essa
empresa consiga subsistir com o passar do tempo, cada um com o seu papel
a fazer com que o circuito económico se mantenha.

Com este trabalho, pretendo aprofundar os conhecimentos relativamente aos


diferentes modelos de gestão organizacional, as suas características,
semelhanças e diferenças, compará-las ao séc. XXI e ainda sobre qual será
a tendência de evolução dos modelos organizacionais no futuro.

3
Funções do Gestor:
Henry Fayol:
- Fundador da Teoria Clássica da Administração
- Um dos primeiros estudiosos a analisar a natureza da
atividade empresarial
- Um dos primeiros a formular uma teoria completa de gestão
- “Tudo na administração é questão de medida, de ponderação
e de bom senso”
Funções por Fayol: Planear, Organizar, Comandar, Coordenar
e Controlar

Vantagens:
- A teoria de Fayol mostrando-nos as vantagens da divisão de trabalho e
tarefas, a remuneração justa e garantida, centralização das decisões,
equidade e estabilidade
Desvantagens:
- A direção e a divisão do trabalho por funções faz com que o trabalhador
perca a motivação devido à falta de desafios no dia-a-dia, as condições
salariais eram melhores mas por vezes o ambiente de trabalho, as
condições de higiene e os sentimentos do trabalhador eram
desconsiderados

Peter Drucker:
- Importante e influente estudioso de gestão do mundo, Peter
Drucker foi uma lenda internacional e ícone dos negócios
- Administração por Objetivos
- Criou vários conceitos sobre os quais se construíram os
pilares da gestão moderna
- Inovador na forma de pensar e na forma de explorar a
história da Gestão
- “Gerir é tomar providências para que os resultados aconteçam”
Funções por Drucker: Determinar Objetivos, Organizar as Funções dos
trabalhadores, Garantir a Motivação e a Comunicação, Elaborar Normas de
Funcionamento, Treinar Recursos Humanos

Vantagens:
- Peter Drucker defendia que era necessário dar mais atenção aos
trabalhadores e ao modo como estes se relacionam, com o seu
desenvolvimento individual, alia os objetivos pessoais aos objetivos
globais, melhora a comunicação e a relação entre gerentes e restantes
trabalhadores

4
Desvantagens:
-Apesar de colocar objetivos mais desafiantes aos seus trabalhadores as
recompensas são baseadas na produtividade e o que nem sempre é
tranquilizante para o trabalhador e acabando por dar ênfase ao
individualismo, preferência por velocidade (eficiência) do que perfeição
(eficácia)

Henry Mintzberg:
- Professor e autor de diversos livros na área de Administração
- Conhecido principalmente pela sua tese em que defendia que para
além de Planear, Organizar, Dirigir e Controlar, o gestor tinha
muitas mais funções e responsabilidades para ser bem
sucedido
- Um dos primeiros a definir as bases de teorias relacionadas
com a importância das Decisões na gestão
- “75% do tempo dos gestores é despendida em atividades de
comunicação”
Funções por Mintzberg:

5
Novas Competências de um Gestor:
Tal como todas as restantes teorias das restantes ciências sociais, científicas
ou mesmo religiosas, a teoria da administração foi alvo da permanente
evolução humano vendo assim as suas teorias evoluírem para melhor se
adaptarem aos tempos atuais.
Assim sendo exige-se ao gestor novas competências tais como:
• Liderança Partilhada (Dividir funções de chefia, menos centralização)
• Delegação de Poderes (Menos carga de poderes, decisões tomadas em
conjunto)
• Construir Equipas (Motivar a que se trabalhe em equipa, maior união,
mais entreajuda na resolução de problemas do dia-a-dia)
• Aprendizagem (Na era da informação e da evolução científica é
importante que o gestor se mantenha atualizado e que possibilite
formações aos seus trabalhadores )
• Integração (homogeneização dos processos e políticas praticadas)
• Flexibilidade (saber trabalhar e ajudar em mais que uma área)
• Fixar Objetivos
• Prever Dificuldades/Problemas
• Saber Motivar Trabalhadores

Chaplin: Modern Times


Chaplin no filme Tempos Modernos interpreta um excelente papel de sátira
ao Fordismo, caracterizando assim um trabalhador duma linha de produção
fabril que nos mostra como os funcionários se assemelhavam a robôs que
desempenham apenas uma função e em que o principal objetivo seria a
produção em massa no menor tempo possível.
O processo de produção da Ford era bastante
semelhante ao mostrado tendo sido inovador na linha
de montagem por via de tapete rolante o que permitia
definir o tempo de produção e controlo por peça e
evitar deslocações dos funcionários que apenas
tinham de executar tarefas básicas
Chaplin crítica ainda em forma de comédia a
despreocupação do administrador pra com a
segurança e bem estar dos trabalhadores e que
acontecesse o que acontecesse se o tapete tivesse a
rolar o trabalhador não podia parar.
Na altura o Workflow utilizado para automação das tarefas era feito através
de máquinas hoje em dia podemos considerar o Workflow do início do século
XXI a maioria dos trabalhadores parados em frente a um computador a fazer
6
clicks para autorizar pagamentos, autorizar deslocações, ter reuniões,
comunicar com clientes e parceiros.. o que nos leva a pensar se a crítica
feita por Chaplin não se aplicará ainda nos dias de hoje na nossa
sociedade…
Vivemos numa sociedade que os líderes têm mais preocupações com as
pessoas que lideram mas por sua vez alguns valores sociais e éticos que se
acham garantidos e mais assentes na sociedade vão enfraquecendo entre a
população criando um falso sentimento de auto-realização como por ex: o
respeito por outro ser humano em relação à crescente preocupação com os
animais que infelizmente também se encontram em situações desfavoráveis,
o sentido de solidariedade com partilhas e likes nas redes sociais, o racismo
de que muitos imigrantes ou refugiados sofrem diariamente, etc…
Há sempre pontos a serem melhorados numa sociedade e este século não
será exceção com todas as mudanças e evoluções a que estamos
habituados diáriamente.
Hoje em dia os computadores e a programação assumiram-se capazes de
substituir quase qualquer profissional desde uma tarefa já quase
automatizada que está prevista deixar de existir nas próximas décadas como
é o caso de caixa de supermercado como ser uma máquina a fazer uma
operação de alto risco num ser humano… Não podemos prever o futuro mas
pelo menos podemos imaginar e sonhar com alguns aspetos positivos que
vamos vendo nos filmes de ficção científica.
Com certeza algumas mudanças tecnológicas irão mudar radicalmente o
mundo como é o caso da Internet mas o ser humano adapta-se e caso
alguns empregos se extingam novos irão surgir e novas teorias surgirão com
eles e assim constantemente…
Hoje podemos ter informação, dados e relatórios de tudo o que se passa à
distância de um clique daqui a 10 pode ser que nem do “click” precisemos.

Teorias de Gestão:
Teoria Clássica:
- Abordagem clássica apareceu com as empresa industriais e estruturas
públicas organizadas
- Técnicas de produção pouco desenvolvidas e condições de trabalho
precárias
- Humanos “transformados” em máquinas desenhadas para atingir objetivos
- Aumentar a Eficiência mecanizando a produção
- Três Vertentes:
• Gestão Científica
• Princípios Administrativos
• Organização Burocrática
7
Vantagens:
A teoria clássica revolucionou a maneira de pensar e produzir, aumentou
drasticamente a produção, criou o método de produção que se veio a
desenvolver até como o conhecemos hoje.

Desvantagens:
Apesar de todas as revoluções que implementou a falta de preocupação,
segurança e condições de higiene provou ser um fator crítico pela negativa
nesta teoria tal como a mecanização e falta de estímulos para com os
trabalhadores, ou seja, a principal falha desta teoria foi na gestão dos
recursos humanos.

Teoria de Taylor (Organização Científica do Trabalho):


-Permitiu identificar as funções básicas da gestão e desenvolveu princípios
de orientação e gestão, dando ênfase à especialização do trabalho com cada
trabalhador a executar uma ou poucas tarefas

Principais Características:
- Definir um método padronizado
- Especialização das tarefas e especificação do
tempo, custo de execução
- Trabalhadores selecionados de acordo com as
capacidades e tarefas
- Trabalho planeado para não haverem interrupções
- Atribuídos incentivos monetários por aumento da
produção
- Remuneração em função do desempenho

1. Parcelarização (Número restrito de tarefas e tarefas simples)


2. Especialização (Sempre a mesma tarefa)
3. Individualização (sem entreajuda e sem trabalho de equipa)
4. Tempo-padrão (ciclo operatório, ritmo e tempos de pausa calculados
previamente estabelecidos como norma)
5. Cargos e Funções Distribuídos (o quê, como é com quem o
trabalhador executa tarefas)
6. Controlo (quem executa, não controla ou avalia resultados)
7. Hierarquização (quem executa não faz mais nenhuma tarefa)
8. Incentivos Salariais (Prémios monetários e aumentos salariais aos
melhores desempenhos)
9. Condições de Trabalho (porque são essenciais para o aumento da
produtividade)

8
Vantagens:
O Taylorismo constituiu uma revolução no pensamento da gestão como por
exemplo a evolução das preocupações dos gestores/diretores com a
profissionalização e aumento drástico da produção, evolução do ciclo de
operações e introdução da maquinaria em massa no ramo industrial,
previsão de falhas e simplificação das tarefas para reduzir erros.

Desvantagens:
Como todas as teorias e processos evolutivos, nem tudo era um mar de
rosas, a teoria da organização científica do trabalho tinha as suas falhas
principalmente por tratar os trabalhadores como extensões das máquinas, a
despreocupação com o ambiente de trabalho dos funcionários, a
individualização que aumenta os níveis de stress e de infelicidade dos
trabalhadores e a falta de desafios apresentados no dia-a-dia constituem as
principais desvantagens.

Teoria Geral da Administração (Fayolismo):


- Sistematização do comportamento/ação dos gestores na organização
- Planeamento, Organização, Direção e Controlo
- Princípios da função gestão e princípios da função administrativa
Funções Estruturais Organizacionais:
• Técnica (produção de bens e serviços)
• Comercial (compra, venda - escoamento da produção)
• Financeira (investimentos, créditos)
• Segurança (proteção de pessoas e bens)
• Contabilística (informação de desempenho económico, inventários)
• Administrativa (Planeamento, organização, direção e controlo)

Princípios da Função Administrativa:


1. Divisão do Trabalho
2. Responsabilidade dos Gestores
3. Regras de Disciplina e Obdiência
4. Unidade de Comando
5. Unidade de Direção
6. Subordinação ao Interesse Geral
7. Remuneração
8. Centralização das Decisões
9. Hierarquia
10. Ordem (cada coisa no seu devido lugar)
11. Equidade (devoção, lealdade, igualdade e justiça na organização)
12. Iniciativa (inovar e incentivar trabalhadores por iniciativas próprias)
13. Espírito de Equipa

9
Vantagens:
Esta teoria tem como principais vantagens a apresentação das funções
estruturais duma organização e o ênfase dado às funções da administração:
Planear, Organizar, Dirigir e Controlar

Desvantagens:
Na época as únicas desvantagens verificadas foram as demoras nas linhas
de comunicação extensas dentro da organização, a possibilidade de se
perder informação entre departamentos, maiores custos com trabalhadores
por se exigir mais funções e mais capacidades e o menor grau de controlo da
alta administração

Teoria das Organizações Burocráticas (Weberianismo):


-Teoria regulamentarista
-Exercício de controlo com base no conhecimento era a principal
característica
-Tipos de autoridade legítima:
• Autoridade racional-legal (legalidade de regras normativas e
direitos dos que assumem o comando)
• Autoridade Tradicional (estatuto daqueles que exercem a
autoridade)
• Autoridade Carismática (Características pessoais do líder
através de devoção pelo carácter de quem assume o comando)

Princípios da Organização Burocrática:


1. Natureza da autoridade (capacidade profissional para avaliar códigos)
2. Procedimentos (regras e procedimentos escritos)
3. Relação de emprego (carreira de trabalho a tempo inteiro, separado da
vida privada
10
Ideias Principais Introduzidas:
• Estrutura Organizacional
• Sistema formal de relações
• Conceção mecanicista das organizações
• Autoridade delimitada pela função exercida
• Conhecimento técnico essencial para máxima eficiência
• Insensibilidade com necessidades dos trabalhadores

Vantagens:
As vantagens do Weberianismo são a evolução legal e profissional que
trouxe ao ramo da gestão através da precisão da definição dos cargos e
funções, rapidez nas decisões, uniformidade de rotinas e procedimentos,
subordinação dos mais novos aos mais antigos e a confiabilidade dos
procedimentos e nos altos cargos de gestão devido ás melhores
qualificações dos trabalhadores.

Desvantagens:
As únicas desvantagens que se podem verificar é o excesso de papel e
burocracias que se podem verificar nos procedimentos do dia-a-dia,
estagnação profissional de alguns de trabalhares com menores
qualificações, a fraca comunicação entre a administração e os trabalhadores
devido a uma hierarquia bem definida e estruturada que provoca
despreocupação com as necessidades dos trabalhadores

Abordagem Humanista:
- Surgiu no final do séc. XIX
- Surgiu para colmatar falta de preocupação com aspetos sociais e
psicológicos dos trabalhadores
- Foi assim dado ênfase à compreensão do comportamento, das
necessidades e das atitudes das pessoas da organização e não dar
apenas atenção ás tarefas laborais
- Objetivo aumentar a produtividade e o bem estar no seio da organização
- Organização mais informal, foca na motivação e liderança e também na
comunicação
- Teoria das Relações Humanas e Teoria Comportamentalista

Teoria das Relações Humanas (Elton Mayo):


- Movimento de oposição ao racionalíssimo
- Baseou-se na experiência realizada numa fábrica em Hawthrone, EUA
(1927)
- Integração social do indivíduo tornando os trabalhadores estão mais
dispostos a colaborar
- Organizações são compostas por diferentes grupos informais
11
Teoria Comportamentalista:
- Ênfase na motivação humana
- Importa aos gestores conhecer as necessidades humanas para
compreender o comportamento humano

Teoria das Necessidades de Maslow:


- Necessidades Humanas organizadas em hierarquia de importância e
influência
- Hierarquia das necessidades consiste numa pirâmide de necessidades
consoante a sua importância
- Na base da pirâmide estão necessidades básicas e essenciais
(fisiológicas) e no topo as necessidades de autorealização

Pressupostos Base:
• Só quando nível inferior de necessidades está satisfeito é que o nível
seguinte começa a ficar satisfeito
• Nem todas as pessoas chegam ao topo da pirâmide
• Quando as necessidades mais baixas estão razoavelmente satisfeitas é
que as necessidades mais elevadas começam a dominar o
comportamento, mas se uma necessidade mais baixa estiver insatisfeita,
esta volta a tornar-se prioritária
• Todas as pessoas possuem mais que uma motivação, as necessidades
estão interligadas pelo seu estado de motivação, quase como uma barra
de percentagem dos 0 aos 100%

12
• Qualquer frustração de uma necessita implica uma relação em cadeia das
restantes necessidades, baixando todos os seus níveis a nível global.
Automatização da Gestão (Workflow):
- A presença de sistemas de software de auxílio à gestão e de maquinaria
que facilite ou aumente a velocidade do processo produtivo são cada vez
mais recorrentes e assim será no futuro com a tecnologia a evoluir
diariamente e a uma velocidade extraordinária.
- Workflow corresponde á automatização do um determinado processo de
negócio de uma organização, agrega a tecnologia aos processos
operacionais diminuindo assim o trabalho e o esforço físico do trabalhador,
que consequentemente reduz os erros/falhas do trabalhador para quase
nulas
- A automatização da gestão tem diversas vantagens como facilitar as
comunicações entre trabalhadores, redução de custos na produção,
potência o crescimento do volume de negócios ou até mesmo da
organização, melhora o desempenho dos funcionários, aumenta a
segurança dentro da organização com uso de diversas tecnologias
- A principal desvantagem do workflow é que quanto mais se automatiza o
processo produtivo ou de administração mais prescindíveis se tornam os
trabalhadores humanos

13
Será que estamos à beira de um novo
Taylorismo?
Ao longo deste trabalho abordei as teorias clássicas desde o Taylorismo ao
Weberianismo e introduzindo ao início da abordagem Humanista que se
sucedeu ás teorias clássicas.
Após análise e estudo das teorias, a sua evolução no pensamento
administrativo e respectivos princípios, fundamentos, vantagens e
desvantagens posso abordar o tema do ponto de vista tecnológico da era em
que vivemos, do ponto de vista social e do ponto de vista económico/
administrativo.
O Taylorismo foi uma das primeiras teorias tendo sido quase pioneira, em
conjunto com o Fordismo em vários princípios como a organização e ordem
que passou a ser base para atingir os objetivos produtivos e também a
preocupar-se com os bónus de produção ou bónus salariais contudo,
também possuía os seus defeitos como as condições precárias de higiene e
de ambiente e a falta de desafios no dia-a-dia…
Os aspetos sociais ou a abordagem humana que existe hoje em dia são
fundamentais para manter o funcionário ou colaborador satisfeito com a
relação existente com superiores ou colegas e claro, continuar com o desejo
e motivação de sair da cama todos os dias para ir trabalhar…
Com base nestes dois pontos de vista e falando numa perspectiva futurista
tecnológica não acredito que estejamos perto do Taylorismo do séc XXI, a
inteligência artificial será a próxima grande revolução mas também ainda tem
um longo caminho a percorrer sendo que quando implementada para uso da
população em geral a grande maioria dos empregos como os conhecemos
deixará de existir, tendo em conta que tudo o que envolva estudos científicos
ou algoritmos ou cálculo avançado será realizado mais rapidamente pelas
máquinas do que pelos seres humanos, a única coisa que é certa é que o
contacto humano, os sentimentos e as trocas diretas por bens e serviços
essenciais sejam de que forma for para satisfazermos as nossas
necessidades ilimitadas, essas continuarão a existir por isso o mais certo
será o ser humano mais uma vez adaptar-se à evolução.
O ponto de vista social é que está a caminhar largamente para tornar os
humanos máquinas não só no trabalho como 24h por dia todo o ano pela
necessidade crescente e constante, que está a controlar esta década, que
temos em busca de “aprovação”dos outros, de comunicar, de mandar um
emoticon a sorrir em vez de sorrirmos ou até de estarmos tão globalizados
que expomos quase toda a nossa vida em público em busca de reações
positivas e likes que preencham a necessidade falsa de auto-realização sem
termos feito absolutamente nada e nesse aspecto o futuro pode ser um
pouco como o Taylorismo em que quase todas as relações que
estabelecemos são com base no estatuto da pessoa ou no que ela tem para
14
nos oferecer ou máquinas que não comunicam sem a extensão necessária
mas desta vez, em vez de sermos a extensão da máquina passa a ser a
máquina (ex: telemóvel) a nossa extensão para vivermos em sociedade.
Do ponto de vista económico/administrativo, tal como referi anteriormente
trocas diretas de algo por bens e serviços irá sempre ter de existir mas penso
que a nível das organizações o futuro continuará a ser com vista em atingir o
ponto máximo de produção e consequentemente de lucro, ao menor custo
por isso comparando à teoria de Taylor a remuneração com base no
desempenho e a seleção dos trabalhadores pelas suas capacidades irá
certamente estar presente no futuro mas com a componente da abordagem
humanista sempre em conta e cada vez com mais importância porque um
trabalhador satisfeito é um trabalhador que irá tentar contagiar os restantes
com a sua boa disposição e que irá dar a sua devoção e esforço à
organização tal como pretendido por Taylor com a introdução da
parcelarização e especialização.
Em conclusão, não penso que estejamos perto de um novo Taylorismo ou
de qualquer outra teoria administrativa. Cada uma delas trouxe algum útil ao
ramo e coisas que prevaleceram com o passar das décadas, adaptando-se
assim há evolução constante humana e no futuro não será diferente se
olharmos para a história todos os séculos estão repletos de evolução a nível
geográfico (descobrimentos), histórico (saber mais sobre o passado com
tecnologias do presente), científico (constantes descobertas, criações e
evoluções em diversas áreas específicas) e sociais (o ser humano cada vez
sabe mais sobre si mesmo e sobre o comportamento global que é nato),
acima de tudo tivemos desde sempre visionários e mentes brilhantes que
levaram o mundo para a frente e este século certamente não será diferente,
o que importa é estar atento ás oportunidades e ás necessidades que o
mercado apresenta para tentar inovar e ajudar a que a humanidade dê o
próximo grande passo e lutar para chegar ao topo da pirâmide das
necessidades ou como diria Chaplin “Cada segundo é tempo para mudar
tudo para sempre.”.

15