Sei sulla pagina 1di 3

Mineral e um corpo natural sólido e cristalino formado em resultado da interação de

processos físicos químicos em ambientes geológicos. cada mineral classificado e denominado


não apenas com base na sua composição química , mais também na estrutura cristalina dos
materiais que o compõem. Em resultado dessa distinção, materiais com a mesma composição
química podem constituir minerais totalmente distintos em resultados de meras diferenças
estruturais na forma como os seus átomos ou moléculas se arranjam espacialmente (como por
exemplo: o grafite e o diamante). Ate 28 de Maio de 2018 havia 5327 minerais sendo 208
produzidos por actividades humanas onde 29 são minerais carboníferos.

Os minerais variam na sua composição desde elementos químicos, em estado puro ou quase
puro, e sais simples a silicatos complexos com milhares de formas conhecidas. Embora em
sentido estrito o petróleo, o gás natural e outros compostos orgânicos formados em ambientes
geológicos sejam minerais, geralmente a maioria dos compostos orgânicos e excluída.
Também são excluídas as substancias, mesmo que idênticas em composição e estrutura ha
algum mineral, produzidas pela actividade humana ( como por exemplo os botões ou
diamantes artificiais . os estudo dos minerais constitui o objecto de mineralogia . um dos
pilares fundamentais do estudo dos minerais , e um dos elementos determinantes na sua
classificação , e a determinação da sua estrutura cristalina ( ou ausência dela), já que esse
factor determina, a par com a composição química, da generalidade das propriedades do
material e fornece indicações claras sobre os processos e ambiente geológicos que estiveram
na sua origem bem como o tipo de rochas que poderá fazer parte.

Neste contexto, a estrutura cristalina significa o arranjo especial de longo alcance em que se
encontra os átomos ou moléculas no mineral. Na natureza existem 14 arranjos básicos.

As propriedades físicas resultam da sua composição química e das suas características


estruturais. As propriedades físicas mais obvias e mais facilmente comparáveis são as mais
utilizadas na identificação de um mineral. A maioria da vezes, essas propriedades, e a
utilização de tabelas adequadas, são suficientes para uma correcta identificação. Quando tal
não e possível, ou quando um elevado grau ambiguidade persiste, como no caso de muitos
isomorfos similares a identificação e realizada a partir de analise química de estudos de
óptica ao microscópio petrografico ou por difracção de raio X ou de neutrões. São as
seguintes propriedades
Físicas microscópicas, isto e observável sem necessidade de equipamentos sofisticados (por
vezes designadas, por essa razão, por propriedades de campo).

Cor

E uma característica extremamente importantes dos minerais. Pode varia devido a impuresa
existente em minerais quartzo, e corindo, fluorite, a calcite e turmalina, entre outros. Em
outros casos, a superfície dos minerais pode estar alterada, não, mostrando a sua verdadeira
cor.

Dureza

Expressa a resistência de mineral a abrasão ou ao risco. Ela reflecte a forca de ligação dos
átomos iões ou moléculas que formam estrutura. A escala de dureza mais frequentemente
usada, apesar da variação da dureza nela não ser gradativa ou proporcional, e a escala de
Mohs que consta dos seguintes minerais de referencia (ordenados por dureza crescente);

1. Talco;
2. Gesso;
3. Calcite.
4. Fluorita;
5. Apatita;
6. Ortoclasio;
7. Quartzo;
8. Topázio;
9. Corindon;
10. Diamante.

Silicato

O grupo dos silicatos e o maior grupo de minerais, sendo compostos por silício e oxigénio
com a adição de catiões como o magnésio, o ferro e o cálcio. Alguns dos mais importantes
silicatos constituintes de rochas comuns são feldspato, e o quartzo, as olivinas as piroxenas,
as granadas e as micas.

Carbonatos
O grupo dos carbonatos e composto de minerais contendo o anião (C0₃)² ⁻ e inclui a calcite
( carbonatos de cálcio), a dolomita ( carbono de magnésio e cálcio) e siderita (carbonato de
ferro). Os carbonatos são geralmente depositados em ambientes marinhos pouco profundo
com aguas límpidas e quentes como por exemplo em mares tropicais e subtropicais. Os
carbonatos encontram se também em rochas formadas por evaporação de aguas poucas
profundas (os evaporitos, como por exemplo os existentes no Great Salt Lake, Utah) e em
ambientes de Karst, isto e regiões onde a dissolução e a precipitação do carbonatos conduziu
a formação de cavernas com estalactites e estalagmites. A classe dos carbonatos inclui ainda
os minerais de boratos e nitratos.

Sistema cristalino

A forma do cristal e muito importante na identificação do mineral, pois ela reflecte a


organização cristalina da estrutura dos minerais e da boas indicações sobre o sistema de
cristalização do mineral. Algumas vezes o cristal e tão simétrico e perfeito nas suas faces que
coloca em duvida a sua origem natural. Porem, os cristais perfeitos são muito raros, pelo que
a maioria dos cristais apenas desenvolve algumas de suas faces.

Tenacidade

Mede a coesão de um mineral, ou seja, a resistência a ser quebrado, dobrado ou esmagado. A


tenacidade não reflecte necessariamente a dureza, antes sendo dela geralmente independente:
o diamante, por exemplo, possui dureza muito elevada (e o termo mais alto da escala de
Mohs), mas tenacidade relativamente baixa, já que quebra facilmente se submetido a um
impacto. A tenacidade dos minerais e expressa em termos qualitativos, utilizando uma
linguagem padronizada.