Sei sulla pagina 1di 48

RACIOCÍNIO LÓGICO

MATEMÁTICO
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
Números opostos ou simétricos
Professora Sonia Maria Pontelli Tamoyo
São números com o mesmo valor absoluto e sinais contrá-
Graduada em Matemática; Complementação Pedagógica; rios.
Atividade no Estado e Escolas particulares por 25 anos Ex: +4 e -4 são números opostos ou simétricos.

Adição e subtração de números inteiros

NÚMEROS INTEIROS E RACIONAIS: Para juntar números com sinais iguais, adicionamos os valo-
OPERAÇÕES (ADIÇÃO, SUBTRAÇÃO, res absolutos e conservamos o sinal
MULTIPLICAÇÃO, DIVISÃO, POTENCIA- Quando os números tem sinais diferentes, subtraímos os va-
lores absolutos e conservamos o sinal do maior.
ÇÃO); EXPRESSÕES NUMÉRICAS;
Ex: +5+7 = +12
MÚLTIPLOS E DIVISORES DE NÚMEROS -5 -7 = -12
NATURAIS; PROBLEMAS. FRAÇÕES +5 –7 = -2
E OPERAÇÕES COM FRAÇÕES. -5 +7 = +2

Multiplicação e divisão de números inteiros

Conjunto dos Números Inteiros: z Para multiplicar ou dividir números inteiros efetuamos a ope-
ração indicada e usamos a regra de sinais abaixo:
É o conjunto formado pelos números inteiros positivos, zero + + = + Sinais iguais, resultado positivo
- - = +
e números inteiros negativos. O conjunto Z é uma ampliação do
+ - = - Sinais diferentes, resultado negativo
conjunto N. - + = -
Z= {... -3, -2, -1, 0, 1, 2, 3...}
Ex: (+4) . (+5) = +20 (+30) : (+6 ) = +5
Os subconjuntos de Z são: (-3) . (-6 ) = +18 (- 20) : (-5 ) = +4

Z = {... -3, -2, -1, 1, 2, 3...} (+8) . (-3 ) = -24 (+18) : (-3 ) = -6

= excluir o zero do conjunto. (-6 ) . (+5 ) = -30 ( - 15) : (+5) = -3
Z + = {0, 1, 2, 3, 4...}
Potenciação e radiciação de números inteiros
Z _ = {... -3, -2, -1, 0}

Z + = {1, 2, 3, 4...} Potenciação é uma multiplicação de fatores iguais.
∗ 3
Z _ = {..., -3, -2, -1} Ex: 2 = 2.2.2=8
2 é a base, 3 é o expoente e 8 é a potência
Relação de ordem nos números inteiros Estamos trabalhando com números inteiros, portanto pode
aparecer base negativa e positiva.
2
Quando estabelecemos uma relação de ordem entre dois nú- Ex: (+3) = (+3) . (+3) = +9
3
(+2 ) = (+2) . (+2) . (+2) = +8
meros, estamos identificando se eles são iguais, ou qual deles é o 2
(-2 ) = (-2 ) . (-2 ) = +4
maior. Observe a reta numérica. 3
(-2 ) = (-2 ) . (-2 ) . (-2) = -8
Se a base é positiva o resultado é sempre positivo.
Se a base é negativa e o expoente é par o resultado é positi-
vo[.
Se a base é negativa e o expoente é impar o resultado é ne-
gativo
Dados dois números inteiros, o maior é o que estiver à di-
Importante: Todo número elevado a zero é sempre igual a 1
reita.
Raiz quadrada de um número quadrado perfeito é um número
positivo cujo quadrado é igual ao número dado.
Ex: -1 é maior que -3 , 4 é maior que zero
Ex: 25 =5 , pois 5 2 =25
Módulo ou valor absoluto
OBS:
É o número sem considerar o seu sinal. Para indicar módulo
escrevemos o número entre barras. 1. Para multiplicar 3 ou mais números inteiros, multiplicamos
os valores absolutos de todos os números e contamos os sinais ne-
gativos. Se o números de negativos for impar e resultado terá sinal
Ex: −3 =3 +5 =5 negativo , se for par o resultado será positivo.

Didatismo e Conhecimento 1
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
Ex: (-3).(-5).(+2).(-1) = -30 → 3 negativos(impar), resultado Exercícios
negativo.
(-2).(-3).(+6).(-1).( -2) = +72 → 4 negativos(par), resul- 1. Quais são os números inteiros;
tado positivo. a) de -1 a -5, incluindo esses dois números?
b) de -4 a 3, íncluíndo, esses dois números?
2. Para eliminar parênteses usamos a mesma regra de sinais da
multiplicação e da divisão. 2. Qual é:
Ex: -(+4) = -4 a) o valor absoluto de 7?
-(-5) = +5 b) o valor absoluto de -9?

Expressões Numéricas em Z 3. Verifique se estes números são opostos


a) +15 e -15 
Para resolver uma expressão numérica devemos obedecer a b) +9 e -9
seguinte ordem: c) -14 e +14
1º) Resolver as potenciações e radiciações na ordem em que d) -4 e +2
aparecem
2º) Resolver as multiplicações e divisões na ordem em que 4. Qual é  o valor das expressões:
elas aparecem
3 2 3
3º) Resolver as adições e subtrações na ordem em elas apa- a) 25 -[(-3) +6]-[-(-4) .3+5.(-2) ]
recem
Há expressões em que aparecem os sinais de associação que
2
devem ser eliminados na seguinte ordem: b)(+3) −(−2) 0 + (−4)1
1º) ( ) parênteses
2º) [ ] colchetes c) (-6) 2 .(−4) − (−10) 3 : (+5) 2 + (−35) 0
3º) { } chaves
5. Descubra que número é:
Exercícios Resolvidos a) -(-15)
b) -(+3)
1. calcule as operações indicadas: c) -(-2 001)
d) -(+217)
a) (+8) + (-6) – (-3) – (-2)
Resolução 6. Dê três exemplos de:
+8 -6 +3 +2 = +13 - 6 = +7 a) números menores que +1.
b) números menores que -10.
b) -(-3) . (-5) + (-4) c) números negativos maiores que -10
Resolução
+3. (-5)-4 = -15 – 4 = -19 7. Qual é o número maior
a) +44 ou -100?
c) (+55) : (-5) + (-5) . ( -2) b) -20 ou +8?
Resolução c) -17 ou -10?
-11+(+10) = -11+10 = -1 d) -5 ou 0?
2. Quais são os números inteiros entre -2 e 1 incluindo esses 8. Encontre o valor da expressões:
dois? a) -9-(-23+12-1)-(21-9)
Resolução b) -5.(-2) + (-3+5).(-1)
-2,-1,0,1 c) (-16) : 4 . (-2) + (-2)
d) 6 : (-3) + 2(-1) -20 : (-4)
3. Calcule as potências e resolva as operações:
1 5 379 2
(-5) - [(-2) :4-7] + (-1) . (-5) 9. Considere as afirmações:
I. Qualquer número negativo é menor que zero.
Resolução
II. Qualquer número positivo é maior que zero.
-5-[-32:4-7]+(-1).(+25)
III. Qualquer número negativo é menor que um número po-
-5-[-8-7]+(-25)
sitivo.
-5-[-15]-25
Quais dessas afirmações são verdadeiras?
-5+15-25
+10-25
10. Descubra o número que deve ser adicionado a +25 para
-15
que a soma seja +20.

Didatismo e Conhecimento 2
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
Respostas b) 8
c) 6
1. d) 1
a) -5,-4,-3,-2,-1
b) -4, -3, -2, -1, 0, 1, 2,3 9. Todas

2. 10. -5
a) 7
b) 9
Conjunto dos Números Racionais :Q
3.
a) sim O conjunto dos números racionais é um conjunto que englo-
b) sim ba os números inteiros (Z), números decimais finitos (por exem-
c) sim plo, 743,8432 ) e os números decimais infinitos periódicos (que
d) não repete uma sequência de algarismos da parte decimal infinitamen-
te), como “12,050505…”, são também conhecidas como dízimas
4. periódicas.
3 2 3
a) 25 -[(-3) +6]-[-(-4) . 3+5. (-2) ] Os racionais são representados pela letra Q.
5 – [ -27 +6] – [ - (+16) . 3 + 5 . (-8)] Todo número racional pode ser escrito na forma a , com a
5 – [-21 ] – [-16 . 3 + 5 . (-8)] ∈ Z,b ∈ Z e b ≠ 0 b
5 – [-21 ] – [ -48 -40]
5 + 21 – [-88] Um mesmo número racional pode ser representado por dife-
5 + 21 + 88 rentes frações, todas equivalentes entre si.
114
2 0 Ex:
b) (+3) −( −2) + (−4)1
+9 – ( +1) + (-4 )
+9 -1 – 4
Um número racional pode ser representado por um número
+4
decimal exato ou periódico.
c) (-6) 1
= 0,5 −3 1
36 . (-4) – (-1000) : (+25) + (+1) Ex: 2
= −0,7575 = 0,333... (dízima periódica)
4 3
-144 – (-40) + 1
-144 + 40 + 1 Todos os números inteiros pertencem aos racionais.
-144 + 41
-103 Reta Numérica Racional

5.
a) +15
b) -3
c) +2001
d) -217

6. Adição e subtração com números fracionários


a) zero e todos os nº negativos
b) -11, -12, -13, ... Para adicionar ou subtrair números racionais na forma de fra-
c) -9, -8, -7
ção devemos observar os seus denominadores. Se os denomina-
dores são iguais, efetuamos as operações e conservamos o mesmo
7.
a) +44 denominador. Se os denominadores são diferentes, reduzimos ao
b) +8 mesmo denominador usando o mmc e depois procedemos como
c) -10 no caso anterior.
d) 0
−1 8 7
8. Ex: 1. + =
a) -9-(-23+12-1)-(21-9) 3 3 3
-9-(-24+12)-(12)
-9-(-12)-12 6 3 24 15 9
-9+12-12 2. − = − = ( o mmc entre 5 e 4 é 20)
-9 5 4 20 20 20

Didatismo e Conhecimento 3
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
Multiplicação e divisão com números fracionários Expressões Numéricas em Q

Para multiplicar números racionais na forma de fração, deve- Para resolver uma expressão numérica devemos obedecer a
mos multiplicar os numeradores , multiplicar os denominadores , seguinte ordem:
usar a regra de sinais quando necessário e quando possível fazer a 1º) Resolver as multiplicações e divisões na ordem em que
simplificação. elas aparecem
2º) Resolver as adições e subtrações na ordem em elas
− 4 3 − 12 aparecem
.
Ex: 5 7 = 35 (nesse caso o resultado é uma fração
irredutível, pois não pode ser simplificada) Há expressões em que aparecem os sinais de associação que
devem ser eliminados na seguinte ordem:
7 5 2 1 1º) ( ) parênteses
− = 2º) [ ] colchetes
4 4 4 = 2 (nesse caso o resultado foi simplificado di- 3º) { } chaves
vidindo o numerador e o denominador por 2)

Para dividir números racionais na forma de fração, devemos Problemas


multiplicar a primeira fração pelo inverso da segunda, usando
também a regra de sinais e a simplificação do resultado quando 1.Calcule o valor de cada expressão a seguir:
possível. 2 2
 5   −1
a)   − 
3 2 3 3 9 3  6 
Ex: : = . =
5 3 5 2 10 3 2
b) (-0,6) + (-1,5)

− 5 3 − 5 2 − 10 − 5
: = . = = 2 3
c)  − 3  . − 8  −  1  :  − 3 
4 2 4 3 12 6
 2   27   2   16 
Números decimais
3 3
d) (1,1) .2-(-0,2) +3
Os números decimais exatos e as dízimas periódicas também
pertencem ao conjunto Q . 2. Uma garota, caminhando rapidamente, desenvolveu uma
velocidade de aproximadamente 5,2 km/h. Nessas condições, se
Adição e subtração com decimais caminhar 18,72 quilômetros, ela demorará quantos horas?
Na adição ou subtração com decimais devemos escrever as 3. O número racional
parcela colocando vírgula embaixo de vírgula, e resolver a ope- X = (-0,62) : (-3,1) . (-1,2) + 0,4 – 2
ração. Está compreendido entre dois números inteiros a e b consecu-
Ex: tivos. Determine os números a e b
4,879 + 13,14 → Parcelas
13 , 140 → Acrescentamos o zero para completar casas de- 4. Encontre o valor dos radicais:
cimais.
+4 , 879
18 , 019 → Soma total 81
a)
121
Multiplicação e divisão com decimais
225
Na multiplicação de números decimais, multiplicamos os nú- b) -
meros sem considerar a vírgula e colocamos a vírgula no resultado 196
contando as casas decimais dos dois fatores
Ex: 2,35 x 4,3 = 10,105 (no resultado temos 3 casas decimais 5. Encontre o valor das expressões:
pois são 2 casas no fator 2,35 e uma casa no fator 4,3)
 − 2  −5 1
Na divisão igualamos as casas decimais, cortamos as vírgulas a)  : . − 2
e resolvemos a divisão .  3   6 5
Ex: 1,4 : 0,05
Igualamos as casas decimais 1,40 : 0,05 1  − 3    − 7 
Cortamos as vírgulas 140:5 b)  3 . 4  − 2. 6 
Resolvemos a divisão 140:5 = 28     

Didatismo e Conhecimento 4
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
6. A cidade de Peixoto de Azevedo tem aproximadamente 3. x = (-0,62) : (-3,1) . (-1,2) + 0,4 – 2
19.224 habitantes. X = 0,2 . (-1,2) + 0,4 – 2
Se um terço da população é composta de jovens, pode-se X= -0,24 + 0,4 – 2
dizer que: X= -2,24 + 0,4
a.) o número de jovens é superior a 7.000 X= -1,84 é um n° que está entre -1 e -2
b.) o número de jovens é igual a 648 x = -1,84 os números a e b são -2 e -1
c.) o número de jovens está entre 6.000 e 7000 9
d ) o número de jovens é inferior a 5.000 4. a)
e.) o número de jovens é igual a 6.480 11
− 15
Respostas b)
14
2 2
 5   −1
1. a)   −  5.
 −a)2   − 5  1
3  6   : . . − 2
 25   1   3   6 5
 −   − 2 −6 1
 9   36   . . − 2
 3  5  5
25 1
− 12
9 36 −2
75
100 − 1
12 − 150
36
99 75
36 − 138
11 75
− 46
4
25
3 2
b) (-0,6) + (-1,5)
1  − 3    − 7 
- 0,216 + 2,25 b)  .  − 2. 
2,034 3  4    6 
− 3 −7
 12 − 2. 6 
2 3
 − 3  −8  1   − 3  
c)   . −  : 
 2   27   2   16   − 3 − 24 −7
 12 . 6 
9  −8 1  − 3  − 27   − 7 
. − : 
4  27   8   16   12 . 6 
− 72  1   − 16 
−  .  189
108  8   3  simplificando por 9
72
− 72 16
+
108 24 21
− 144 144 8
+
216 216 6. 1/3 de 19224
1/3. 19224 = 6408 Alternativa C
3 3
d) (1,1) .2-(-0,2) +3 Múltiplos de um número natural:
1,331 . 2 – ( -0,008) + 3
1,331.2+0,008+3 São todos os números que são originados pela multiplicação
2,662+0,008+3 do próprio número por um número natural.
5,67 Se quisermos determinar os múltiplos de um número natural,
devemos multiplicar esse número pela sucessão dos números na-
2.18,72 : 5,2 = 3,6 turais. Como a sucessão dos números naturais é infinita, os múlti-
Resp: 3,6 horas ou 3 horas e 36 minutos plos de um número natural também formam uma sucessão infinita.

Didatismo e Conhecimento 5
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
Ex: O múltiplos de 5 são: 0, 5, 10, 15, 20, 25.....
Indicamos: M (5) = { 0, 5, 10, 15, 20, 15, 30 ,...}
Podemos constatar que o conjunto dos múltiplos de um núme-
ro é um conjunto infinito. Devido a este fato, não podemos repre-
sentar todo o conjunto em extensão. Deste modo, coloca-se as re-
ticências no fim do conjunto, para simbolizar os outros múltiplos.

Divisores de um numero natural Temos então que 200 fatorado é igual a 23 . 52.


O número 200 decomposto possui dois fatores primos. Um
Divisores de um número natural são todos os números natu- com expoente 3 (23) e outro com expoente 2 (52). A multiplicação
rais que ao dividirem tal número, resultarão em uma divisão exata, destes expoentes adicionados em uma unidade cada um deles, irá
isto é, com resto igual a zero. nos fornecer a informação procurada:
O conjunto dos divisores de um número é um conjunto finito, (3 + 1) . (2 + 1) = 12
mas como determinar quantos divisores um número natural pos- Portanto o número natural 200 possui um total de 12 divisores
sui? naturais.
Tanto para a identificação da quantidade de divisores de um
número, assim como para que possamos encontrar tais divisores, Problemas
iremos recorrer à fatoração ou decomposição em fatores primos.
1. Quantos elementos possui e como é escrito o conjunto dos
Na prática determinamos todos os divisores de um número múltiplos de zero?
utilizando os seus fatores primos.
Vamos determinar, por exemplo, os divisores de 90: 2. Obtenha o conjunto dos divisores de cada um dos números:
13, 18, 25, 32

1º) decompomos o número em 3. Qual é o elemento dos números naturais que é divisor de


fatores primos; todos os números?
2º) traçamos uma linha e
escrevemos o 1 no alto, por- 4. O n° 5 é divisor do n° 16? Justifique sua resposta.
que ele é divisor de qualquer
número; 5. Quantos divisores tem o n° 20? Quais são eles.

6. Escreva o conjunto dos 5 primeiros múltiplos de:


a) 6
b) 10
3º) multiplicamos sucessiva-
7. O número cuja fatoração completa é igual a 2 x 3 x 5 é
mente cada fator primo pelos
divisível pelo números abaixo, exceto :
divisores já obtidos e escreve-
a) 2
mos esses produtos ao lado de
b) 6
cada fator primo;
c)15
d)18

8. O n° de divisores positivos do n° 40 é:
a) 8
b) 6
4º) os divisores já obtidos não c) 4
precisam ser repetidos. d) 2
e) 20

Respostas:

Portanto os divisores de 90 são 1, 2, 3, 5, 6, 9, 10, 15, 18, 30, 1. M(0) = { 0 } pois, M(0) = { 0x0, 0x1, 0x2, 0x3, 0x4, ...}
45, 90
2. D (13) = { 1, 13 }, D (18) = { 1, 2, 3, 6, 9, 18 }, D (25) =
Para calcular o número de divisores de um número natural { 1, 5, 25 }
procedemos da seguinte maneira: D (32) = { 1, 2, 4, 8, 16, 32 }
Vamos calcular o número de divisores de 200:
Primeiramente iremos decompor o número 200 em fatores 3. O número 1, pois se dividirmos um número natural n por 1
primos: obteremos o próprio n.

Didatismo e Conhecimento 6
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
4. Não porque não existe qualquer n° natural que multiplicado t = tempo
por 5 seja igual a 16.

5. Fatorando o n° 20 temos: 2² . 5. Vm =
Multiplicamos os expoentes acrescidos de 1 temos: (2+1) .
(1+1) = 3 . 2 = 6 2. Escala: uma das aplicações da razão entre duas grandezas
São 6 divisores se encontra na escala de redução ou escala de ampliação , conheci-
D (20) = { 1, 2, 4, 5, 10, 20 } das simplesmente por escala. Chamamos de escala de um desenho
6. a) { 0, 6, 12, 18, 24 } b) { 0, 10, 20, 30, 40 } a razão entre o comprimento considerado no desenho e o com-
primento real correspondente ,ambos medidos na mesma unidade.
7. 2x3x5= 30 que não é divisível por 18. Alternativa d Usamos escala quando queremos representar um esboço gráfi-
co de objetos como móveis, plantas de uma casa ou de uma cidade,
8. Decompondo 40 em fatores primos temos: 40 = 2³ . 5 fachadas de prédios, mapas, maquetes, etc.
Adicionando 1 a cada expoente e efetuando a multiplicação
temos:
(3+1) . (1+1) = 4 . 2 = 8
Alternativa a
3. Densidade demográfica: o cálculo da densidade demográfi-
ca , também chamada de população relativa de uma região e consi-
derada uma aplicação de razão entre duas grandezas. Ela expressa
NÚMEROS E GRANDEZAS PROPORCIO- a razão entre o número de habitantes e a área ocupada em certa
NAIS: RAZÕES E PROPORÇÕES; DIVISÃO região.
EM PARTES PROPORCIONAIS

OBS: π (Pi), uma razão muito famosa. Os egípcios trabalha-


Números e grandezas proporcionais vam muito com certas razões e descobriram a razão entre o com-
primento de uma circunferência e seu diâmetro. Este é um fato
Podemos definir grandeza como tudo aquilo que pode ser me- fundamental pois esta razão é a mesma para toda circunferência.
dido. O número de pessoas em um elevador, o seu peso e a sua O nome desta razão é π (Pi) e seu valor é aproximadamente 3,14
altura são exemplos de grandezas. Se C é o comprimento da circunferência e D a medida do diâ-
Medir é comparar duas grandezas, utilizando uma delas como metro da circunferência, temos uma razão notável:
modelo ou padrão. Uma costureira, por exemplo, para obter as
medidas de uma pessoa utiliza uma fita métrica, que lhe permi- = π = 3,1415926535...
te comparar as medidas da pessoa com as da fita métrica, que se
baseia no metro como unidade de medida. Ela então irá desenhar
um molde e o irá utilizar como padrão para o corte do tecido. As Logo C = π . d ou C = 2.π.r
medidas deste molde serão então uma grandeza que será utilizada
para fazer a roupa nas mesmas proporções da pessoa. Problemas

Razão entre dois números não nulos a e b é o quociente entre 1. Moacir fez o percurso Rio - São Paulo (450 km) em 5 horas.
esses dois números. Em uma razão do tipo a , o primeiro termo , Qual foi a sua velocidade média?
b
o a, é o antecedente , e o segundo termo, o b, é chamado conse- 2. O estado do Ceará no último censo teve uma população
quente. avaliada em 6 701 924 habitantes. Sua área é de 145 694 km².
Ex: Numa pesquisa indica que no Rio de Janeiro há 12 gatos Qual é a densidade demográfica desse estado?
para cada 10 ratos.
3. Num mapa, 1,5 cm representam 7,5 km. As localidades A
Indica-se : onde 12 é o antecedente e 10 é o consequente. e B distam em linha reta 20 km. Qual é a escala do mapa?

Existem algumas razões especiais muito utilizadas em nosso Respostas


cotidiano:
1. Vm =
1.Velocidade media: A ‘’velocidade media’’ ,em geral , e uma
grandeza obtida pela razão entre uma distancia percorrida ( expres- Vm = = 90 km/h
sa em quilômetros ou metros ) e um tempo por ele gasto (expresso
em horas , minutos e segundos)  R: A velocidade média foi de 90 km/h
Vm = velocidade média
d = distância 2. Densidade Demográfica = número de habitantes / área total

Didatismo e Conhecimento 7
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
Densidade Demográfica = 6 701 924 hab / 145 694 km²  Problemas resolvidos
Densidade Demográfica = 46 hab / km² 
15
R: A densidade demográfica desse estado é de 46 hab/ km². 1. A razão da idade de Paulo para a idade de Ana é de , e a
14
soma das duas idades é 58. Quais são as idades?
3. 7,5 km= 750000 cm P 15
Resolução: = e P + A = 58
Escala = A 14
P + A 15 + 14 58 29
Pela 2ª propriedade temos: = ⇒ =
⇒ 29.A=58.14 A 14 A 14
1,5 x = 1 . 750000
812
X= A= ⇒ A = 28
29
X = 500000 P + A = 58 ⇒ P + 28 = 58 ⇒ P = 30

R: A escala é 1:500000 Resposta: Paulo tem 30 ano e Ana tem 28 anos.


Proporção é uma igualdade entre duas razões.
a c 2. Determine as medidas dos ângulos internos de um triângulo
A proporção = é lida como “a está para b assim como sabendo que elas são proporcionais aos números 10, 12 e 14 e que
c está para d” b d a soma dos ângulos internos de qualquer triângulo é 180.
a b c 180
Os termos a e d são os extremos e b e c são os meios. Resolução: = = = =5
10 12 14 36
Propriedades das proporções
a
1ª propriedade (propriedade fundamental): = 5 ⇒ a = 50
Em uma proporção o produto dos meios é igual ao produto
10
dos extremos. b
= 5 ⇒ b = 60
8 2 12
Ex: = ⇒ 8 . 3 = 2 . 12
12 3
c
= 5 ⇒ c = 70
2ª propriedade: Em toda proporção, a somaou diferençados 14
dois primeiros termos está para o primeiro(ou para o segundo) ter-
mo, assim como a soma ou diferença dos dois últimos está para o Resposta: Os ângulos medem 50º , 60º e 70º
terceiro(ou para o quarto) termo.
Problemas
a c a+b c+d a+b c+d
= ⇒ = ou = 1. Aplicando as propriedades das proporções, vamos determi-
b d a c b d nar os números a e b de acordo com a seguintes condições:

a c a−b c−d a−b c−d a 5 a b


= ⇒ = ou = a) = com a + b = 108 c) = com a + b = 80
b d a c b d b 4 9 7
3ª propriedade: Em toda proporção, a soma(ou diferença) do-
santecedentes está para a soma(ou diferença) dos consequentes, a 10 a b
assim como cada antecedenteestápara o seu consequente .
b) = com a – b = 54 d) = coma – b = 55
b 7 11 6
a c a+c a a+c c 2. Numa sala de aula há 21 alunos entre homens e mulheres. A
= ⇒ = ou =
b d b+d b b+d d razão do nº de homens para o nº de mulheres é de 3 para 4. Quantos
homens e quantas mulheres há nessa sala?

a c a−c a a−c c 3. A diferença entre as quantias que Karina e Cristina têm é


= ⇒ = ou =
b d b−d b b−d d de 200 reais. Sabendo que a razão entre a quantia de Karina e a
quantia de Cristina é de 7 para 5. Calcule as duas quantias.

Didatismo e Conhecimento 8
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
4. Em uma quitanda o nº de maçãs está para 5 assim como o
nº de bananas está para 3. Sabendo que entre maçãs e bananas são
120, determine quantas são as maçãs e as bananas.

5. Para fazer uma limonada, misturamos suco de limão com


água na razão de 2 para 5. Quantos litros de suco de limão e quan-
tos litros de água serão necessários para fazer 42 litros de limo-
nada?

6. Sabendo que a massa do cubo está para 5 assim como a


massa da esfera está para 4 e que as duas juntas pesam 36 gramas,
calcule quantos gramas tem cada um.

7. Um time de basquete disputou em um campeonato 81 parti-


das, entre as quais o nº de vitórias está para o nº de derrotas assim
como 7 está para 2. Quantas partidas esse time venceu no cam-
peonato?
8. (Concurso DETRAN/SP 2013-Oficial Est. De Transito-
-VUNESP) O semáforo para travessia de pedestres na rua Aurora
é programado para ficar fechado para automóveis por 50 segun-
dos e aberto por 2 minutos e meio. O semáforo da rua Glória, que
conserva a mesma razão entre o tempo aberto e o tempo fechado
do semáforo da rua Aurora, é programado para ficar fechado para
automóveis por 35 segundos e aberto por
(A) 1min 10s.
(B) 1min 30s.
(C) 1min 05s.
(D) 1min 55s.
(E) 1min 45s.
Respostas

Didatismo e Conhecimento 9
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO

Divisão proporcional

A divisão proporcional é muito usada em situações relacio-


nadas à matemática financeira, contabilidade, administração, na
divisão de lucros e prejuízos proporcionais a valores investidos.
Ex: 1. Manuela, Jose e Alberto resolveram formar uma so-
ciedade e abriram uma empresa que, ao fim de um ano deu lucro
de R$ 660 000,00. Para abrir a empresa Manuela investiu R$ 40
000,00, José R$ 50 000,00 e Alberto R$ 30 000,00. Como esse
lucro deverá ser dividido entre os sócios para que cada um receba
uma quantia proporcional ao investimento inicial?
Resolução: M, J e A são as quantias que os sócios devem re-
ceber .

M J A M +J+A 660000
= = = = = 5,5
40000 50000 30000 40000 + 50000 + 30000 120000

M
= 5,5 , logo M=R$ 220 000,00
40000

J
= 5,5 logo J=R$ 275 000,00
50000

A
= 5,5 logo A=R$ 165 000,00
30000

Resposta: Manuela receberá R$ 220 000,00: Jose receberá R$


275 000,00 e Alberto receberá R$ 165 000,00

Ex: 2. Um professor tem 171 figurinhas para distribuir aos


quatro alunos que menos faltaram durante o semestre. Para ser jus-
to, a divisão deverá ser feita de forma inversamente proporcional
ao número de faltas de cada um. João faltou 4 vezes, Ana faltou 3,
Marcos faltou 2 e Cintia faltou 2. Quanto deve receber cada aluno?
Resolução: Sejam J, A, M e C as quantias que cada um deve
receber.

Didatismo e Conhecimento 10
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO

4J=3A=2M=2C=108
4J=108
J=27
3A=108
A=36 Resposta: João recebeu 27 figurinhas, Ana recebeu 36, Marcos recebeu
2M=108 54 e Cintia 54.
M=54
2C=108
C=54

Problemas

1. Decidi dividir R$ 247,00 entre meus dois filhos de modo proporcional às suas idades. O mais velho tem onze anos e o mais novo tem
oito. Quantos reais devo dar a cada um?

2. Três profissionais com a mesma capacidade de trabalho, devem executar uma tarefa por R$ 1800,00. O primeiro deles, porém, tra-
balhou apenas três dias, o segundo, quatro, e o terceiro trabalhou 5 dias. Para que o pagamento seja justo quanto deverá receber cada um?

3. Três trabalhadores devem dividir 1200 reais referentes ao pagamento de um serviço realizado. Eles trabalharam 2, 3 e 5 dias respec-
tivamente e devem receber uma quantia diretamente proporcional ao número de dias trabalhados. Quanto deverá receber cada um?

4. Dois ambulantes obtiveram R$ 1560,00 pela venda de certas mercadorias. Esta quantia deve ser dividida entre eles em partes direta-
mente proporcionais a 5 e 7 respectivamente. Quanto irá receber cada um?

5. Os três jogadores mais disciplinados de um campeonato de futebol amador irão receber um prêmio de R$ 3340,00 rateados em partes
inversamente proporcionais ao número de faltas cometidas em todo o campeonato. Os jogadores cometeram 5, 7 e 11 faltas. Qual a premia-
ção referente a cada um deles respectivamente?

6. Para estimular a frequência às aulas, um professor resolveu distribuir a título de premio aos alunos, 60 CD’s para suas 3 classes,
repartidas em partes inversamente proporcionais ao número de faltas ocorridas durante o mês em cada uma das classe. Após esse período,
ele constatou que houve 8, 12 e 24 faltas totais respectivamente nas classes A, B e C. Quantos CD’s devem ser entregues para cada classe?

Respostas

1. 143 reais para o mais velho e 104 reais para o mais novo.

2. O primeiro receberá 450 reais, o segundo 600 reais e o terceiro 750 reais

3. O que trabalhou 2 dias recebeu 240 reais, 3 dias recebeu 360 reais e por 5 dias 600 reais

4. 910 proporcional a 7 e 650 proporcional a 5

5A=7B=11C=7700
5A=7700

A= ⇒ A = 1540

7B=7700

Didatismo e Conhecimento 11
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
2. Um avião à velocidade de 800 km por hora, leva 42 mi-
B= ⇒ B = 1100 nutos para ir de São Paulo a Belo Horizonte. Se a velocidade do
avião fosse 600 km por hora, em quanto tempo iria fazer a mesma
11C=7700
viagem?
C= ⇒ C = 700 Resolução: As grandezas envolvidas são velocidade e
tempo(minuto). A 800 km/h o tempo gasto é 42 minutos, dimi-
5 faltas recebeu 1540 reais, 7 faltas recebeu 1100 reais e 11 nuindo a velocidade o tempo gasto deverá aumentar. Quando uma
faltas 700 reais. grandeza diminui e a outra aumenta na mesma proporção a regra
de três é inversa . Nesse caso as flechas são em sentidos contrários.
6. Classe A 30 CD’s, classe B 20 CD’s e classe C 10 CD’s
4
Velocidade tempo
3 800 ↓ 42
600 x
REGRA DE TRÊS; PORCENTAGEM
E PROBLEMAS.
Invertemos uma das flechas e procedemos como no caso an-
terior.

Velocidade tempo
Regra de três simples
↑ 800 ↑x
600 42
Regra de três simples é um processo prático para resolver
600.x = 800.42
problemas que envolvam quatro valores dos quais conhecemos 600.x = 33600
três deles. Devemos, portanto, determinar um valor a partir dos
três já conhecidos. 33600
x= = 56
600
Como resolver uma regra de três simples: Resposta: 56 minutos

1º) Construir uma tabela, agrupando as grandezas da mesma Problemas


espécie em colunas e mantendo na mesma linha as grandezas de
espécies diferentes em correspondência. 1. Um trem, deslocando-se a uma velocidade média de
400Km/h, faz um determinado percurso em 3 horas. Em quanto
tempo faria esse mesmo percurso, se a velocidade utilizada fosse
2º)  Identificar se as grandezas são diretamente ou inversa-
de 480km/h?
mente proporcionais.
2. Uma equipe de operários, trabalhando 8 horas por dia, reali-
3º) Montar a proporção e resolver a equação. zou determinada obra em 20 dias. Se o número de horas de serviço
Ex: 1. Uma roda dá 80 voltas em 20 minutos. Quantas voltas for reduzido para 5 horas, em que prazo essa equipe fará o mesmo
dará em 28 minutos? trabalho?
Resolução: as grandezas envolvidas são número de voltas 3. Quatro trabalhadores constroem uma casa em 8 dias. Em
e tempo(minutos). Se em 20 minutos dá 80 voltas, aumentando o quanto tempo, dois trabalhadores constroem uma casa?
tempo, aumenta o número de voltas. Quando as duas grandezas au-
mentam ou diminuem na mesma proporção a regra de três é direta. 4. Um certo homem percorre uma via de determinada distân-
voltas minutos cia com uma bicicleta. Sabendo-se que com a velocidade de 05
↑ 80 2
20 Km/h, ele demora 06 horas, quanto tempo este homem gastará
X 28 com sua bicicleta para percorrer esta mesma distância com uma
velocidade 03 Km/h.
5. Um carro, à velocidade de 60km/h, faz certo percurso em 4
Quando a regra de três é direta indicamos com flechas no
horas. Se a velocidade do carro fosse de 80km/h, em quantas horas
mesmo sentido e resolvemos multiplicando em cruz.
seria feito o mesmo percurso?
20.x= 80.28
20.x = 2240 6. Para transportar um certo volume de areia para uma cons-
3
2240 trução foram utilizados 30 caminhões, carregados com 4 m de
x= = 112 areia cada um. Adquirindo-se caminhões com capacidade para 12
20 3
m de areia, quantos caminhões seriam necessários para fazer o
Resposta: 112 voltas serviço?

Didatismo e Conhecimento 12
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
7. Uma fabrica engarrafa 3000 refrigerantes em 6 horas. Vamos agora inverter a flecha dos dias e resolver multiplican-
Quantas horas levará para engarrafar 4000 refrigerantes? do em cruz as duas primeiras grandezas , seguindo reto nas outras
grandezas.
8. Com 14 litros de tinta podemos pintar uma parede de 35 Porcos farelo(kg) dias
2
m². Quantos litros são necessários para pintar 15 m de parede?
↑ 12 ↑ 400 ↑ 24
9. Para se obterem 28 kg de farinha, são necessários 40 kg de X 600 20
trigo. Quantos quilogramas do mesmo trigo são necessários
para se obterem 7 kg de farinha? 400 . 24 . x = 12 . 600 . 20
9600 x = 144000
10. Se 3 torneiras conseguem encher um tanque em 2 horas,
quanto tempo demorará para esse tanque encher quando uma das
torneiras não for aberta? 144000
X= = 15 Resposta : 15 porcos
9600
11. Para fazer três bolos, um confeiteiro usa 750 g de farinha Regra de três composta
de trigo. Quantos bolos iguais aos anteriores podem ser feitos com
3 kg de farinha? A regra de três composta é utilizada em problemas com mais
de duas grandezas, direta ou inversamente proporcionais
Respostas
Ex: Para alimentar 12 porcos durante 20 dias são necessários
1. 2,5 horas 400 kg de farelo. Quantos porcos podem ser alimentados com 600
2. 32 dias kg de farelo durante 24 dias?
3. 16 dias Resolução: As grandezas são porcos, farelo e dias. Organiza-
4. 10 hora mos os dados de modo que a pergunta fique sempre na primeira
5. 3 horas coluna e comparamos a coluna da pergunta com cada uma das ou-
6. 10 caminhões tras grandezas, uma cada vez.
7. 8 horas Porcos farelo(kg) dias
8. 6 litros
9. 10 kg ↑ 12 ↑ 400 ↓ 20
10. 3 horas X 600 24
11. 12 bolos Comparando porcos com farelo: Se 400 kg alimentam 12
porcos, mais farelo alimenta mais porcos, logo as grandezas são
Regra de três composta diretamente proporcionais
Comparando porcos e dias: se a quantidade de farelo é su-
A regra de três composta é utilizada em problemas com mais ficiente para alimentar durante 20 dias 12 porcos, aumentando os
de duas grandezas, direta ou inversamente proporcionais dias o mesmo farelo alimentará menos porcos, logo as grandezas
são inversamente proporcionais.
Ex: Para alimentar 12 porcos durante 20 dias são necessários Vamos agora inverter a flecha dos dias e resolver multi-
400 kg de farelo. Quantos porcos podem ser alimentados com 600 plicando em cruz as duas primeiras grandezas , seguindo reto nas
kg de farelo durante 24 dias? outras grandezas.
Resolução: As grandezas são porcos, farelo e dias. Organiza- Porcos farelo(kg) dias
mos os dados de modo que a pergunta fique sempre na primeira
coluna e comparamos a coluna da pergunta com cada uma das ou- ↑ 12 ↑ 400 ↑ 24
tras grandezas, uma cada vez. X 600 20
400 . 24 . x = 12 . 600 . 20
Porcos farelo(kg) dias 9600 x = 144000
↑ 12 ↑ 400 ↓ 20 144000
X 600 24 X= = 15 Resposta : 15 porcos
9600
Comparando porcos com farelo: Se 400 kg alimentam 12
porcos, mais farelo alimenta mais porcos, logo as grandezas são
diretamente proporcionais Problemas
Comparando porcos e dias: se a quantidade de farelo é su- 1. Em uma empresa, 10 funcionários produzem 3 000 peças,
ficiente para alimentar durante 20 dias 12 porcos, aumentando os trabalhando 8 horas por dia durante 5 dias. O número de funcioná-
dias o mesmo farelo alimentará menos porcos, logo as grandezas rios necessários para que essa empresa produza 7 000 peças em 15
são inversamente proporcionais. dias, trabalhando 4 horas por dia, será de:

Didatismo e Conhecimento 13
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
2. Doze operários, em 90 dias, trabalhando 8 horas por dia,
fazem 36 m de certo tecido. Podemos afirmar que, para fazer 12 m
do mesmo tecido, com o dobro da largura, 15 operários, trabalhan- 207360
do 6 horas por dia levarão: X=
3240
3. Em 18 dias, 12 homens, trabalhando 8 horas por dia, fabri-
cam 9 máquinas. X = 64 dias
Em quantos dias 8 homens, trabalhando 6 horas por dia, fabri-
cariam 15 máquinas? 3.
dias homens horas maq.
4. Uma família composta de 6 pessoas consome em 2 dias 3 18 ↓ 12 ↑ 8↑ 9↓
kg de pão. Quantos quilos de pão serão necessários para alimentá- X 8 6 15
-la durante 5 dias, estando ausentes 2 pessoas?
X ↑ 12 ↑ 8↑ 15 ↑
5. Dois pedreiros levam 9 dias para construir um muro com 18 8 6 9
2m de altura. Trabalhando 3 pedreiros e aumentando a altura para
4m, qual será o tempo necessário para completar esse muro? X=

6. Vinte operários, trabalhando 8 horas por dia, gastam 18 dias 25920


para construir um muro de 300m. Quanto tempo levará uma turma X=
de 16 operários, trabalhando 9 horas por dia, para construir um 432
muro de 225m? X = 60 dias

7. Um caminhoneiro entrega uma carga em um mês, viajando 4.


8 horas por dia, a uma velocidade média de 50 km/h. Quantas ho- kg pessoas dias
ras por dia ele deveria viajar para entregar essa carga em 20 dias, a 3↑ 6↑ 2↑
uma velocidade média de 60 km/h? X 4 5
3. 4. 5
Respostas X=
6.2
1.Func. Peças horas dias
10 ↑ 3000 ↑ 8 ↓ 5 ↓ X=
X 7000 4 15
X = 5 kg
10 ↑ 3000 ↑ 4 ↑ 15 ↑ 5.
X 7000 8 5
dias pedreiros alt.(m)
9 ↓ 2↑ 2↓
X 3 4
X= 9↓ 3↓ 2↓
X 2 4
2800000 9.2.4
X= X=
180000 3.2
X = 15,5 72
X=
X = 16 funcionários 6
X = 12 dias
2.
dias horas metros oper. Larg. 6.
dias oper. Horas metros
90 ↓ 8 ↑ 36 ↓ 12 ↑ 1↓ 18 ↓ 20 ↑ 8↑ 300 ↓
X 6 12 15 2 X 16 9 225
90 6 36 15 1
X 8 12 12 2 18 ↓ 16 ↓ 9↓ 300 ↓
X 20 8 225

X=

Didatismo e Conhecimento 14
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
Se há um acréscimo de 10% a um determinado valor, podemos
calcular o novo valor apenas multiplicando esse valor por 1,10,
X= que é o fator de multiplicação. Se o acréscimo for de 30%, multi-
plicamos por 1,30, e assim por diante. Veja:
648000 Acréscimo Fator de Multiplicação
X= 11% 1,11
43200
15% 1,15
7. 20% 1,20
Horas dias veloc. 65% 1,65
8↓ 30 ↑ 50 ↑ 87% 1,87
X 20 60
Ex:  Aumentando 10% no valor de R$10,00 temos:  10 .
X↑ 30 ↑ 50 ↑ 1,10 = R$ 11,00
8 20 60
No caso de haver um decréscimo, o fator de multiplicação
será:
X = Fator de Multiplicação =  1 - taxa de desconto (na forma de-
cimal). Veja :

12000 Desconto Fator de Multiplicação


X=
1200 12% 0,88
26% 0,74
X = 10 horas por dia 36% 0,64
60% 0,40
14. 2025 metros
90% 0,10
Porcentagem

Diariamente jornais, TV, revistas apresentam notícias que Ex:  Descontando 10% no valor de R$10,00 temos:  10 .
envolvem porcentagem; em um passeio pelo comércio de nossa 0,90 = R$ 9,00
cidade vemos cartazes anunciando mercadorias com desconto e
em boletos bancários também nos deparamos com porcentagens. Você deve lembrar que em matemática a palavra de indica
A porcentagem é de grande utilidade no mercado financeiro, uma multiplicação, logo para calcularmos 12% de R$ 540,00 de-
pois é utilizada para capitalizar empréstimos e aplicações, expres- vemos proceder da seguinte forma:
sar índices inflacionários e deflacionários, descontos, aumentos,
taxas de juros, entre outros. No campo da Estatística possui parti- 12 6480
cipação ativa na apresentação de dados comparativos e organiza- 12% de 540 = . 540 = = 64,8 ; logo 12% de R$
540,00 é R$ 64,80 100 100
cionais.
É frequente o uso de expressões que refletem acréscimos ou
Ou
reduções em preços, números ou quantidades, sempre tomando
por base 100 unidades. Alguns exemplos:
0,12 de 540 = 0,12 . 540 = 64,8 (nos dois métodos encontra-
A gasolina teve um aumento de 15%
mos o mesmo resultado)
Significa que em cada R$100 houve um acréscimo de R$15,00
O funcionário recebeu um aumento de 10% em seu salário.
Utilizaremos nosso conhecimento com porcentagem pra a re-
Significa que em cada R$100 foi dado um aumento de R$10,00
solução de problemas.
As expressões 7%, 16% e 125% são chamadas taxas centesi-
mais ou taxas percentuais Ex: 1. Sabe-se que 20% do número de pessoas de minha sala
Porcentagem é o valor obtido ao aplicarmos uma taxa percen- de aula são do sexo masculino. Sabendo que na sala existem 32
tual a um determinado valor. É representado por uma fração de meninas, determine o número de meninos.
denominador 100 ou em número decimal.
25 = 0,25 = 1 (fração irredutível) Resolução: se 20% são homens então 80% são mulheres e x
Ex: 25% = representa o nº total de alunos, logo: 80% de x = 32 ⇒ 0,80 . x
100 4 = 32 ⇒ x = 40
Importante:  Fator de Multiplicação. Resp: são 32 meninas e 8 meninos

Didatismo e Conhecimento 15
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
2. Em uma fabrica com 52 funcionários, 13 utilizam bicicle- 7. Numa sorveteria, 30% dos 250 sorvetes vendidos por dia
tas como transporte. Expresse em porcentagem a quantidade de são de sabor morango. Quantos sorvetes de morango são vendidos
funcionários que utilizam bicicleta. por dia nessa sorveteria?
Resolução: Podemos utilizar uma regra de três simples.
52 funcionários .............................100% 8. Numa eleição, 65000 pessoas votaram. O candidato que
13 funcionários ............................. x% venceu recebeu 55% do total dos votos. O outro candidato recebeu
52.x = 13.100 60% dos votos do candidato que venceu. Os demais foram votos
52x = 1300 brancos ou nulos. Quantos votos brancos ou nulos existiram nessa
x= 1300/52 eleição?
x = 25% 
9. O professor André trabalha 150 horas por mês e ganha R$
Portanto, 25% dos funcionários utilizam bicicletas.  20,00 (vinte reais) por hora trabalhada. No mês que vem, ele vai
ter um aumento de 25% sobre o valor da hora trabalhada. Quanto
Podemos também resolver de maneira direta dividindo o nº de o professor André vai passar a receber em um ano de trabalho com
funcionários que utilizam bicicleta pelo total de funcionários ⇒ o seu novo salario?
13 : 52 = 0,25 = 25%
10. Tiago, André e Gustavo foram premiados em um ”bolão”
do Campeonato Brasileiro. Tiago vai ficar com 40% do valor total
Problemas
do premio enquanto André e Gustavo vão dividir o restante igual-
mente entre dois. Se Gustavo vai receber R$ 600,00, então qual é
1. (Concurso de Agente Fiscal Sanitário-Prefeitura de In- o premio total?
daiatuba-SP-2013) Ao comprar um eletrodoméstico em uma loja
que estava dando 20% de desconto, o cliente ganhou um desconto Respostas
de R$500,00. Qual era o preço do eletrodoméstico e quanto foi
pago por ele respectivamente. 1. Para resolver usamos uma regra de Três simples e direta
a) R$2.720,00 e R$2.240,00 valor %
b) R$1.900,00 e R$1.400,00 500 20
c) R$2.500,00 e R$2.000,00 X 100
d) R$3.500,00 e R$3.000,00
Multiplicando em Cruz temos
2. (Concurso de Agente Fiscal Sanitário-Prefeitura de 20 x = 500 . 100
Indaiatuba-SP-2013) Todo mês vem descontado na folha de pa- 20 x = 50000
gamento de um trabalhador o valor de 280,00 reais. Sabendo que X = 50000/20
o salário bruto deste trabalhador é de R$1.400,00, este desconto X = 2500
equivale a quantos por cento do salário do trabalhador?
O preço do eletrodoméstico era 2500 reais e o valor pago foi
a) 5%
2000 reais
b) 20%
Resp: Alternativa C
c) 2%
d) 25% 2. Para saber a porcentagem do desconto de maneira rápida
dividimos o desconto pelo salário bruto
3. O preço de uma  casa sofreu um  aumento de 20%, pas- 280 : 1400 = 0,20 = 20%
sando a ser vendida por 35 000 reais. Qual era o preço desta casa Resp: Alternativa B
antes deste aumento?
3. 35000 representa 120% que é o valor da casa(100%) mais
4. Um celular foi comprado por R$ 300,00 e revendido poste- 20% que foi o aumento . Se queremos saber o valor da casa antes
riormente por R$ 340,00, qual a taxa percentual de lucro ? do aumento, então vamos procurar o valor de 100%.
Montamos uma regra de três
5. Um aluno teve 30 aulas de uma determinada matéria. Qual % valor em real
o número máximo de faltas que este aluno pode ter sabendo que 120 35000
ele será reprovado, caso tenha faltado a 30% das aulas ? 100 x

6.  Um comerciante que não possuía conhecimentos de mate- Multiplicando em cruz teremos:
mática, comprou uma mercadoria por R$200,00. Acresceu a esse 120.x = 35000 . 100
120.x = 3500000
valor, 50% de lucro. Certo dia, um freguês pediu um desconto, e o
X = 3500000/120
comerciante deu um desconto de 40% sobre o novo preço, pensan-
X = 29166,67 reais
do que, assim, teria um lucro de 10%. O comerciante teve lucro ou
Resp: O valor da casa era 29.166,67 reais.
prejuízo? Qual foi esse valor?

Didatismo e Conhecimento 16
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
4. 40 : 300 = 0,13333... = 13,33% Amostra: subconjunto de elementos de uma população, que
são representativos para estudar a característica de interesse da po-
5. 30% de 30 representa 9 faltas. Então o aluno poderá faltar pulação. A seleção dos elementos que irão compor a amostra pode
no máximo 8 aulas. ser feita de várias maneiras e irá depender do conhecimento que se
6. Preço de custo:  200 tem da população e da quantidade de recursos disponíveis. ´
Preço de venda:  200 . 1,50 = 300  (1,50 representa  preço de O estudo das possibilidades Matemáticas está ligado à análise
custo +  50% ) combinatória, que tem grande aplicabilidade no cotidiano, abor-
Preço com  desconto :  300 . 0,60 = 180 (0,60 represen- dando diversos campos de estudo, como a programação de compu-
ta  60% do valor porque o desconto foi de 40%) tadores, realização de experiências, biologia molecular, economia,
Resposta:  20 reais de prejuízo estatística, para o bom funcionamento de uma empresa.
Usamos as possibilidades (probabilidades) dentro da estatís-
 
tica em diversos ramos do cotidiano
7. 250 . 0,30 = 75 sorvetes
Distribuição de frequência
8. Candidato que venceu:  65000 . 0,55 = 35750 votos
Outro candidato:  60% de 55% = 0,60 . 0,55 = 0.33 = 33% do A distribuição de frequência nos mostra um agrupamento de
total = 65000 . 0,33 = 21450 votos dados resumidos, dividida em classes e o número de ocorrências
Os votos do candidato vencedor +outro candidato = 35750 de uma classe. É uma forma de mostrar, por exemplo, os resultados
+ 21450 = 57200 de uma eleição, a renda de pessoas para uma determinada região,
Votos brancos e nulos:  65000 – 57200 = 7800 as vendas de um produto dentro de um determinado período, etc.
Resp:   7800 votos brancos e nulos Alguns dos gráficos que podem ser usados ​​com as distribuições
de frequência podem ser: histograma, gráfico de linha, gráfico de
9. 150 . 20 = 3000 reais barras e gráfico de setores.
Com 25% de aumento : 3000 . 1,25 = 3750 reais por mês
Em um ano : 3750 . 12 = 45000 reais Média

A média aritmética simples é a mais utilizada no nosso dia-a-


10. Se Tiago vai ficar com 40% então André e Gustavo fica-
-dia. A média aritmética simples de dois ou mais termos é o quo-
rão com 30% cada um
ciente da soma dos números dados pela quantidade de números
Sabemos que Gustavo recebeu 600 reais que representa 30% somados.
do premio Ex: Encontre a média em matemática de um aluno que teve
600: 3 = 200 que é 10% do premio nota 6 na 1ª prova, nota 8 na 2ª prova e nota 10 no trabalho.
200 . 10 = 2000 reais que é o total do premio.
6 + 8 + 10 24
Resolução: M = = =8
3 3
ESTATÍSTICA DESCRITIVA; DISTRIBUIÇÃO
DE PROBABILIDADE DISCRETA. Resp: A média do aluno é 8.
JUROS SIMPLES E COMPOSTOS: CAPITA-
LIZAÇÃO E DESCONTOS. A média aritmética é a mais conhecida e a mais utilizada, mas
ela não é a única. Além dela, temos a média aritmética ponderada,
a média geométrica e a média harmônica.
Moda
Estatística
A moda (Mo) é o valor que mais se repete, ou seja, o valor
A Estatística é um conjunto de técnicas e métodos de pesquisa mais provável a ser escolhido. É a única medida de dispersão que
que entre outros tópicos envolve o planejamento do experimento pode ter mais de um valor, podendo ser o conjunto amodal, mo-
a ser realizado, a coleta qualificada dos dados, o processamento, a nomodal, bimodal…
análise e a disseminação das informações. Exemplos:
Na estatística trabalhamos com dados, os quais podem ser ob- O conjunto de dados 1, 2, 3, 4, 5 não possui moda porque
tidos por meio de uma amostra da população em estudo. Concei- nenhum de seus valores se repete. Neste caso, dizemos que ele é
tos básicos: amodal.
O conjunto de dados 2, 3, 3, 3, 4, 5, 5, 6 tem moda 3, pois esse
valor repete-se três vezes. Ele é monomodal.
População: conjunto de elementos que tem pelo menos uma
O conjunto de dados 1, 2, 2, 3, 4, 5, 5, 6 tem moda 2 e 5 pois
característica em comum. Esta característica deve delimitar corre-
ambos os valores se repetem duas vezes sendo ele, portanto, bi-
tamente quais são os elementos da população.
modal

Didatismo e Conhecimento 17
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
Mediana Desvio padrão: Chama-se desvio padrão (DP) de uma distri-
buição a raiz quadrada da variância
A mediana (Me) é o valor que separa o conjunto em dois sub-
conjuntos de mesmo tamanho. DP =
Para se calcular corretamente o valor da mediana, os elemen-
tos do conjunto devem estar em ordem do menor para o maior. No exemplo em análise, temos a variância 10,8; portanto o
Além disso, cabe perceber que a mediana não precisa, necessaria- desvio padrão será:
mente, fazer parte do conjunto de dados. DP =
Exemplo: DP = 3,28
O conjunto 1, 2, 5, 6, 7 possui um número ímpar de elementos.
A mediana é 5. Probabilidade
O conjunto 3, 3, 7, 7 tem um número de elementos par. A me- O estudo da probabilidade vem da necessidade de em certas
diana é a média entre os elementos centrais 3 e 7, que é 5. situações, prevermos a possibilidade de ocorrência de determina-
dos fatos.
Desvio médio, variância, desvio padrão A história da teoria das probabilidades, teve início com os jo-
gos de cartas, dados e de roleta. Esse é o motivo da grande exis-
Considere a seguinte distribuição numérica: tência de exemplos de jogos de azar no estudo da probabilidade.
1, 6, 4, 10, 9 A teoria da probabilidade permite que se calcule a chance de ocor-
rência de um número em um experimento aleatório.
A média aritmética dessa distribuição é :
MA = = 6
Experimento Aleatório
Desvio médio é a média aritmética dos valores absolutos da
diferença entre cada valor e a média. É aquele experimento que quando repetido em iguais
Encontra-se o desvio de cada valor calculando-se a diferença condições, podem fornecer resultados diferentes, ou seja, são
entre esses valores e a média aritmética desses valores. resultados explicados ao acaso. Quando se fala de tempo e
Temos: possibilidades de ganho na loteria, a abordagem envolve cálculo
Desvio de 1 é 1 – 6 = -5 de experimento aleatório.
Desvio de 6 é 6 – 6 = 0 Se lançarmos uma moeda ao chão para observarmos a face
Desvio de 4 é 4 – 6 = -2 que ficou para cima, o resultado é imprevisível, pois tanto pode dar
Desvio de 10 é 10 – 6 = 4 cara, quanto pode dar coroa.
Desvio de 9 é 9 – 6 = 3 Se ao invés de uma moeda, o objeto a ser lançado for um dado,
o resultado será mais imprevisível ainda, pois aumentamos o nú-
O desvio médio será: mero de possibilidades de resultado.
A experimentos como estes, ocorrendo nas mesmas condições
DM = ou em condições semelhantes, que podem apresentar resultados
diferentes a cada ocorrência, damos o nome de experimentos alea-
DM =
tórios.
DM = Espaço Amostral

Ao lançarmos uma moeda não sabemos qual será a face que


DM = 2,8 ficará para cima, no entanto podemos afirmar com toda certeza que
ou será cara, ou será coroa, pois uma moeda só possui estas duas
O desvio médio é 2,8 faces. Neste exemplo, ao conjunto 
{ cara, coroa } damos o nome de espaço amostral, pois ele
Variância: chama-se variância (V) de uma distribuição a mé- é o conjunto de todos os resultados possíveis de ocorrer neste
dia aritmética dos quadrados dos desvios dessa distribuição. experimento.
Na situação em análise, os desvios são -5, 0, -2, 4 e 3, logo a Representamos um espaço amostral, ou espaço amostral
variância será:
universal como também é chamado, pela letra S. No caso da
moeda representamos o seu espaço amostral por:
V= S = { cara, coroa }
Se novamente ao invés de uma moeda, o objeto a ser lançado
V= for um dado, o espaço amostral será:
S = { 1, 2, 3, 4, 5, 6 }
V=
Evento
V = 10,8
Quando lançamos um dado ou uma moeda, chamamos a
A variância é 10,8 ocorrência deste fato de evento. Qualquer subconjunto de um es-
paço amostral é um evento.

Didatismo e Conhecimento 18
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
Em relação ao espaço amostral do lançamento de um dado,
veja o conjunto a seguir:
A = { 2, 3, 5 }
Note que    ( A está contido em S, A é um sub-
conjunto de S ). O conjunto A  é a representação do evento do
lançamento de um dado, quando temos a face para cima igual a
um número primo.

Classificação de Eventos

Podemos classificar os eventos por vários tipos. Vejamos al- Verificação: 


guns deles:
O Número de elementos de A U B é igual à soma do número de
Evento Simples elementos de A com o número de elementos de B, menos uma vez o
número de elementos de A ∩ B que foi contado duas vezes (uma em
Classificamos assim os eventos que são formados por um A e outra em B). Assim temos: 
único elemento do espaço amostral.
A = { 5 } é a representação de um evento simples do lança- n(AUB) = n(A) + n(B) – n(A∩B) 
mento de um dado cuja face para cima é divisível por5. Nenhuma
das outras possibilidades são divisíveis por 5. Dividindo por n(S) [S ≠  ] resulta 

Evento Certo

Ao lançarmos um dado é certo que a face que ficará para


cima, terá um n° divisor de 720. Este é um evento certo, pois 72
0 = 6! = 6 . 5 . 4 . 3 . 2 . 1, obviamente qualquer um dos números P(AUB) = P(A) + P(B) – P(A∩B) 
da face de um dado é um divisor de 720, pois 720 é o produto de  
todos eles. Ex: Numa urna existem 10 bolas numeradas de 1 a 10. Retirando
O conjunto A = { 2, 3, 5, 6, 4, 1 } representa um evento certo
uma bola ao acaso, qual a probabilidade de ocorrer múltiplos de 2 ou
pois ele possui todos os elementos do espaço amostral S = { 1,
múltiplos de 3? 
2, 3, 4, 5, 6 }.

Evento Impossível

No lançamento conjunto de dois dados qual é a possibilidade


de a soma dos números contidos nas duas faces para cima, ser
igual a 15?
Este é um evento impossível, pois o valor máximo que pode-
mos obter é igual a doze. Podemos representá-lo por 
, ou ainda por A = {}.

Conceito de probabilidade

Se em um fenômeno aleatório as possibilidades são igual-


mente prováveis, então a probabilidade de ocorrer um evento A
é: A é o evento “múltiplo de 2”. 

B é o evento “múltiplo de 3”. 

P(AUB) = P(A) + P(B) – P(A∩B) = + - = = 70%

Por, exemplo, no lançamento de um dado, um número par Probabilidade da intersecção de dois eventos
pode ocorrer de 3 maneiras diferentes dentre 6 igualmente prová-
veis, portanto, P = 3/6= 1/2 = 50% A probabilidade da intersecção de dois eventos ou probabilidade
de eventos sucessivos determina a chance, a possibilidade, de dois
Probabilidade da União de dois Eventos eventos ocorrerem simultânea ou sucessivamente. Para o cálculo des-
se tipo de probabilidade devemos interpretar muito bem os problemas,
Dados dois eventos A e B de um espaço amostral S a probabi- lendo com atenção e fazendo o uso da seguinte fórmula:
lidade de ocorrer A ou B é dada por:  Sejam A e B dois eventos de um espaço amostral S. A probabi-
P(A U B) = P(A) + P(B) – P(A ∩ B)  lidade de

Didatismo e Conhecimento 19
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
A ∩ B é dada por: Evento A: sair um número par = {2, 4, 6, 8, 10, 12, 14, 16,
18, 20}
Evento B: sair um múltiplo de 5 = {5, 10, 15, 20}
Espaço amostral: S = {1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12, 13,
Onde 14, 15, 16, 17, 18, 19, 20}

p(A∩B)  → é a probabilidade da ocorrência simultânea de A e B Como as duas bolinhas foram retiradas uma após a outra e
p(A) → é a probabilidade de ocorrer o evento A não houve reposição, ou seja, não foram devolvidas à urna, a
p(B│A)  → é a probabilidade de ocorrer o evento B sabendo da
ocorrência do evento A interfere na ocorrência do B, pois ha-
ocorrência de A (probabilidade condicional)
verá na urna somente 19 bolinhas após a retirada da primeira.
Se os eventos A e B forem independentes (ou seja, se a ocor-
Assim, temos que:
rência de um não interferir na probabilidade de ocorrer outro),
a fórmula para o cálculo da probabilidade da intersecção será
dada por:

Vejamos alguns exemplos de aplicação.

Ex. 1. Em dois lançamentos sucessivos de um mesmo dado,


qual a probabilidade de sair um número ímpar e o número 4?
Resolução: O que determina a utilização da fórmula da
intersecção para resolução desse problema é a palavra “e” na
frase “a probabilidade de sair um número ímpar e o número Após a retirada da primeira bola, ficamos com 19 bolinhas
4”. Lembre-se que na matemática “e” representa intersecção, na urna. Logo, teremos:
enquanto “ou” representa união.
Note que a ocorrência de um dos eventos não interfere na
ocorrência do outro. Temos, então, dois eventos independentes.
Vamos identificar cada um dos eventos.
Evento A: sair um número ímpar = {1, 3, 5}
Evento B: sair o número 4 = {4}
Espaço Amostral: S = {1, 2, 3, 4, 5, 6}

Temos que:

Problemas

1. três irmãos Pedro, João e Luís foram brincar na rua.


Supondo-se que as condições de retorno para casa são as mes-
Assim, teremos: mas para cada um deles, qual é a probabilidade de Luís voltar
para casa primeiro?

2. Um dado é lançado. Qual é a probabilidade de obtermos


um número divisor de 6?

Ex. 2. Numa urna há 20 bolinhas numeradas de 1 a 20. 3. Uma bola será retirada de uma sacola contendo 5 bolas
Retiram-se duas bolinhas dessa urna, uma após a outra, sem verdes e 7 amarelas. Qual a probabilidade dessa bola ser verde?
reposição. Qual a probabilidade de ter saído um número par e
um múltiplo de 5? 4. Em uma empresa, o risco de alguém se acidentar é dado
Solução: Primeiro passo é identificar os eventos e o espaço pela razão 1 em 30. Determine a probabilidade de ocorrer nessa
amostral. empresa as seguintes situações relacionadas a 3 funcionários:

Didatismo e Conhecimento 20
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
a) a probabilidade de todos se acidentarem Para os acidentados temos a probabilidade de 1 em 30. Nesse
b) a probabilidade de nenhum se acidentar caso para os não acidentados temos a probabilidade de 29 em 30.
Então:
5. Um casal planeja ter 5 filhos. Qual a probabilidade de
nascerem 3 meninos e 2 meninas?

Respostas

1. Como 3 é o número total de irmãos, então Luís tem 1 chan-


ce em 3 de voltar para casa primeiro, por isto a probabilida-
de de Luís voltar para casa antes dos seus irmãos é igual a 1/3.
2. Como vimos acima, o espaço amostral do lançamento de
um dado é: S = { 1, 2, 3, 4, 5, 6 } 5. Primeiramente, devemos observar que não importa a ordem
Como estamos interessados apenas nos resultados diviso- de nascimento, assim, temos 6 opções:
res de 6, o evento E é representado por: - 5 meninos
E = { 1, 2, 3, 6 } - 4 meninos e 1 menina
- 3 meninos e 2 meninas
- 2 meninos e 3 meninas
- 1 menino e 4 meninas
- 5 meninas

Então n(E) = 4 e n(S) = 6, portanto: Logo, a probabilidade de nascerem 3 meninos e 2 meninas é:

P = 1/6 = 0,1666 = 16,66%


Obs: A distribuição discreta descreve quantidades aleatórias
(dados de interesse) que podem assumir valores particulares e os
valores são finitos. Por exemplo, a ocorrência de tempestades de
A probabilidade de se obter um número divisor de 6 é  2/3  ou granizo.
66,67%.
Juros Simples
3. Neste exercício o espaço amostral possui 12 elementos,
que é o número total de bolas, portanto a probabilidade de ser reti- Podemos definir juros como o rendimento de uma aplicação
rada uma bola verde está na razão de 5 para 12. financeira, valor referente ao atraso no pagamento de uma pres-
Sendo S o espaço amostral e E o evento da retirada de uma tação ou a quantia paga pelo empréstimo de um capital. Atual-
bola verde, matematicamente podemos representar a resolução as- mente, o sistema financeiro utiliza o regime de juros compostos,
sim: por ser mais lucrativo. Mas vamos entender como funciona a
capitalização no sistema de juros simples.
No sistema de capitalização simples, os juros são calcula-
dos baseados no valor da dívida ou da aplicação. Dessa forma,
o valor dos juros é igual no período de aplicação ou compo-
A probabilidade desta bola ser verde é 5/12 sição da dívida.
A expressão matemática utilizada para o cálculo das situa-
4. a) Probabilidade de todos se acidentarem
ções envolvendo juros simples é a seguinte:
J = C . i . t, onde
Como o risco é de 1 em 30 temos que:
J = juros
C = capital
i = taxa de juros ( na forma decimal)
= tempo de aplicação (mês, bimestre, trimestre, semestre,
ano...)
M=C+J
M = montante final
C = capital
J = juros

Ex: 1. Qual o valor do montante produzido por um capital


b) Probabilidade de nenhum se acidentar de R$ 1.200,00, aplicado no regime de juros simples a uma
taxa mensal de 2%, durante 10 meses?

Didatismo e Conhecimento 21
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
Capital: 1200 7. ( Concurso Detran/SP 2013-Oficial Est. De Transito-
i = 2% = 2/100 = 0,02 ao mês (a.m.) -VUNESP) Pedro vendeu seu carro por R$ 50.000,00 e aplicou
t = 10 meses desse valor em um investimento de juros simples, à taxa de 2% ao
J=C.i.t mês. Para resgatar um montante de valor igual ao da venda do seu
J = 1200 . 0,02 . 10 carro, o dinheiro deverá ficar aplicado, no mínimo, por
J = 240 (A) 12 anos e 5 meses.
M=C+j (B) 11 anos e 6 meses.
M = 1200 + 240 (C) 12 anos e 6 meses.
M = 1440 (D) 11 anos e 5 meses.
Resp: O montante produzido será de R$ 1.440,00. (E) 11 anos e 4 meses

2. Determine o valor do capital que aplicado durante 14 me- Respostas


ses, a uma taxa de 6%, rendeu juros de R$ 2.688,00.
1. Alternativa C
J=C.i.t
J=C.i.t
2. 160 reais de juros e 1160 reais no total
2688 = C . 0,06 . 14
2688 = C . 0,84 3. 5000 reais

2688 4. Se o capital deve triplicar, então o montante deverá ser igual


C= a 3 vezes o capital aplicado.
0,84 M = 3. C
M = C (1 + i.t)
C = 3200 3C = C ( 1 + i . 5) cancelando C nos dois membros
3 = 1 + i.5
Resp: O valor do capital é de R$ 3.200,00. 1 + i.5 = 3
i. 5 = 3 – 1
Problemas i = 2/5
i = 0,40
1. Qual a taxa anual que R$ 13.000,00 esteve aplicado por 2 i = 40%
anos e rendeu R$5.980,00 de juros simples? Resp. Para triplicar o capital a taxa deverá ser de 40% a.a.
a) 17%. Alternativa B
b) 12%.
c) 23%. 5. 720 reais
d) 32%.
6. 4% ao mês
2. Temos uma dívida de R$ 1 000,00 que deve ser paga com
juros de 8% a.m. pelo regime de juros simples e devemos pagá-la 7. M = C ( 1 + it)
em 2 meses. Quanto pagaremos de juros, e quanto pagaremos no 50000 = 12500 . ( 1 + 0,02.t)
total (montante)?
= 1 + 0,02 t
3. Calcular os juros simples produzidos por R$40.000,00,
1 + 0,02 t = 4
aplicados à taxa de 36% a.a., durante 125 dias.
0,02 t = 4 – 1
T=
4. Um capital aplicado a juros simples, triplicará em 5 anos
T = 150 meses
se a taxa anual for de : T = 12 anos e 6 meses
a) 30% Resp: Alternativa C
b) 40%
c) 50% Juros compostos
d) 75%
e) 100% O regime de juros compostos é o mais comum no sistema
financeiro .Os juros gerados a cada período são incorporados ao
5. Qual o valor do juro simples sobre R$ 6000,00 que foram principal para o cálculo dos juros do período seguinte.
aplicados por 4 meses a uma taxa de 3% ao mês? Juros compostos são muito usados no comércio, como
por exemplo, nos bancos. Os juros compostos  são utilizados
6. Uma TV que custava R$ 4000,00 foi vendida em três pres- na remuneração das cadernetas de poupança, pois oferecem
tações mensais e iguais, e o comprador pagou no total R$ 4480,00. uma  melhor  remuneração. Popularmente o juro composto 
Qual foi a taxa mensal de juros simples aplicada? é conhecido como “juro sobre juro”.

Didatismo e Conhecimento 22
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
Para calcular juros compostos utilizamos as fórmulas abaixo: 2. M = 15237,43
M = C . (1 + i)t M=c(1+i)
J=M-C
Claudio empresta o capital inicial de R$ 4000,00 (quatro mil
reais) para Pedro cobrando juros compostos de 4% ao mês. Pedro
prometeu pagar tudo após 5 meses. Qual será o valor que ele terá
que pagar?
Para resolvermos esse problema de juros compostos usamos
a seguinte fórmula:
M = C . (1 + i)t C=
M = Montante
C = Capital Inicial
i = Taxa de juros C = 12500
t = Tempo
Usando a fórmula para o problema de juro composto acima 4
3. M = 6800 . (1 + 0,038)
teremos: M = 6800 . ( 1,038)
4
M = ? (é o valor que queremos saber) M = 6800 . 1,1608854
C = R$ 4000,00
M = 7894
i = 4% /100 = 0,04
t=5 4
M = 4000 . (1 + 0,04)5 4. M = 6000. ( 1 + 0,025)
4
M= 4000 . (1,04)5 M = 6000 . ( 1,025)
M= 4000 . 1,2165 M = 6000 . 1,1038128
M= 4866 M = 662
Subtraindo o capital inicial do montante temos:
J = 4866 – 4000 = 866 Capitalização
Portanto, Pedro terá que devolver o valor de R$ 4866 (quatro
mil, oitocentos e sessenta e seis reais) para Fernando. Sendo R$ Certamente, muitos de nós, alguma vez, nos envolvemos em
866 de juros. uma das seguintes situações:
-Compra de bem de consumo a crédito;
Problemas -Investimento em poupança programada;
-Compra de imóvel pelo Sistema Financeiro da Habitação.
1. Determine o capital aplicado a juros compostos de 3,5% A ação de investirmos periodicamente uma quantia fixa, com
a.m., sabendo que após 8 meses rendeu um montante de R$
taxa de juros fixos, com vistas a compor um determinado capital
19752,00.
final, chamamos de capitalização.
Podemos também adquirir um título de capitalização que é
2. Calcule o valor do capital que, aplicado a uma taxa de 2%
uma forma de economizar dinheiro de maneira programada, com
ao mês,no regime de juro composto, rendeu em 10 meses a quan-
tia de R$ 15.237,43? prazos e taxa de juros previamente determinados. Os depósitos,
que podem ser frequentes ou únicos, recebem rendimentos e,
3. Qual o montante produzido pelo capital de R$ 6.800, em dependendo do tipo de capitalização, dão direito a prêmios.
regime de juro composto, aplicado durante 4 meses, à taxa de 3,8% Geralmente, os sorteios são baseados na extração da Loteria
ao mês? Federal.
O título de capitalização só pode ser comercializado pelas So-
4. Calcule o valor atual, à taxa de 2,5% ao mês, do capital de ciedades de Capitalização (casas lotéricas, bancos, dentre outras)
R$ 6.000 disponível no fim de 4 meses. devidamente autorizadas a funcionar pela Superintendência de
Seguros Privados (Susep), órgão que também é responsável pela
Respostas: fiscalização das operações do setor no País.
Ao final do plano (cuja vigência é igual ou superior a 12 me-
1.M = 19752 ses), o contratante tem o direito de resgatar parte dos valores depo-
t
M=c(1+i) sitados (75%) ou o total corrigidos conforme porcentagem prevista
8
19752 = C . ( 1 + 0,035) contratualmente, que varia de 20% a 100% da taxa de juros da
8
19752 = C . ( 1,035) poupança.
19752 = C . 1,3168088 Do montante pago, uma parte destina-se a custear os sorteios
e o restante é destinado às chamadas cotas de carregamento, que
19752 visam cobrir as despesas administrativas e operacionais das em-
C= presas que comercializam o produto.
1,3168088 Há quatro modalidades de títulos de capitalização disponíveis
no mercado. São elas:
C = aproximadamente 15000

Didatismo e Conhecimento 23
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
Tradicional – Restitui ao contratante o valor total dos paga- 2) Desconto racional ou por dentro
mentos efetuados ao final do prazo de vigência, desde que tenham Considera como capital o valor atual. Assim a taxa de des-
sido realizados nas datas programadas. conto incide sobre o valor atual. Para calcular o desconto racional
Compra programada – Caracteriza-se pela opção do contra- usamos as fórmulas:
tante de, no momento do resgate, receber um produto ou serviço,
em vez de dinheiro.
Modalidade popular – Consiste no título de capitalização que
possibilita a participação em sorteios, sem que haja a devolução
integral do valor pago.
Modalidade incentivo – Muito utilizado em eventos promo-
cionais, caracteriza-se pela cessão total ou parcial, por parte da
empresa que compra o título de capitalização, dá direito ao sorteio
aos consumidores de um produto ou serviço.
Problemas
A capitalização não permite resgate imediato. Em caso de
desistência, alguns títulos preveem prazo de carência, isto é, um
1. Um título no valor nominal de 25000 reais é descontado 2
período inicial em que o capital fica indisponível ao titular.
meses antes do seu vencimento, à taxa de juro simples de 2,5% ao
Se o resgate for solicitado durante o período de carência ou se
mês. Qual o desconto racional?
o título for cancelado, o contratante só poderá receber o dinheiro
após o encerramento do período previsto e a Sociedade de Capita-
2. Um título no valor nominal de 25000 reais é descontado 2
lização pode aplicar uma penalidade de até 10% do capital consti-
meses antes do seu vencimento, à taxa de juro simples de 2,5% ao
tuído. Há casos, porém, de títulos que preveem o resgate parcial.
mês. Qual o desconto bancário?
Todas essas informações constam dos títulos de capitalização
no item Condições Gerais, assim como os percentuais a que o ti-
3. Qual a taxa mensal simples de desconto utilizada numas
tular terá direito em função do número de pagamentos realizados
operação a 120 dias cujo valor nominal é de 1000 reais e o valor
até a desistência.
líquido de 880 reais?
Apesar das semelhanças entre título de capitalização e pou-
pança, é importante destacar que mesmo com a participação em
4. Calcular o valor atual de um título no valor nominal de
sorteios e a obrigação de poupar para não atrasar os pagamentos,
1000 reais que sofreu um desconto comercial a uma taxa de 3%
uma vez que os títulos com pagamento em atraso não concorrem
a.m. em 108 dias antes do vencimento.
aos sorteios, o capital formado é inferior se comparado ao que se-
ria obtido com a caderneta de poupança.
5. Um título de crédito de valor nominal de 1600 reais sofre
Fontes: http://www.brasil.gov.br/economia-e-empre-
um desconto racional simples à taxa de 1,5% a.m., 75 dias antes do
go/2012/04/titulo-de-capitalizacao
seu vencimento. Calcule o desconto e o valor atual.
Desconto Simples
Respostas:
São muitas as situações em que podemos observar aplicações
1. N = 25000
de descontos. Nos bancos ou no comércio em geral esse conheci-
i = 2,5% = 0,025
mento é útil e indispensável numa transação financeira.
n=2
Ao comprarmos um produto e paga-lo à vista, geralmente ob-
Como se trata de desconto racional usaremos a fórmula:
teremos um desconto.
No sistema financeiro, as operações de empréstimo são muito
utilizadas pelas pessoas que assumem o compromisso de quitar

uma dívida em uma data de vencimento pré-determinada, mas o

devedor tem o direito de antecipar o pagamento mediante um aba-
timento chamado de desconto.
D= = 1190,48
Tipos de desconto simples:
1) Desconto comercial, por fora ou bancário
Resp: O desconto será de 1190,48 reais
Considera como capital o valor nominal. Assim a taxa de des-
conto simples incide sobre o valor nominal. Para calcular o des-
2. Como se trata de desconto bancário, usamos a formula:
conto comercial usamos as fórmulas:
D = N . i. n
D = N . i. n,
D = 25000. 0,025.2
A=N–D
D = 1250
A = N (1 – i.n)
Resp: O desconto será de 1250 reais
A – valor atual ( é o valor com desconto que será pago ante-
cipadamente)
3. D = N – A
D – valor do desconto
D = 1000 – 880 = 120
N – valor nominal do título ( valor a ser pago no dia do ven-
n = 120 dias = 4 meses
cimento)
N = 1000
i – taxa do desconto
D = N.i.n
n – tempo (antecipação do desconto)
120 = 1000.i.4
O valor atual pode ser chamado de valor presente ou líquido

Didatismo e Conhecimento 24
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
120 = 4000 . i Taxa Nominal
i = 120/4000 A taxa nominal de juros relativa a uma operação financeira
i = 0,03 = 3% pode ser calculada pela expressão:
Resp: A taxa será de 3% ao mês Taxa nominal = Juros pagos / Valor nominal do empréstimo

4. N = 1000 Assim, por exemplo, se um empréstimo de $100.000,00,


i= 3% a.m. = 0,03 a.m. = 0,001 ao dia deve ser quitado ao final de um ano, pelo valor monetário de
n=108 dias $150.000,00, a taxa de juros nominal será dada por:
A = N (1-i.n) Juros pagos = Jp = $150.000 – $100.000 = $50.000,00
A = 1000 ( 1 – 0,001.108) Taxa nominal = in = $50.000 / $100.000 = 0,50 = 50%
A = 1000 (1 – 0,108)
A = 1000 (0,892) Sem dúvida, se tem um assunto que gera muita confusão na
A = 892 Matemática Financeira são os conceitos de taxa nominal, taxa efe-
Resp: O valor atual será de 892 reais. tiva e taxa equivalente. Até na esfera judicial esses assuntos geram
muitas dúvidas nos cálculos de empréstimos, financiamentos, con-
5. N = 1600 sórcios  e etc.
i = 1,5% a.m. Vamos tentar esclarecer esses conceitos, que na maioria das
n= 75 dias = 2,5 meses vezes nos livros e apostilas disponíveis no mercado, não são apre-
sentados de uma maneira clara.
D= Temos a chamada taxa de juros nominal, quando esta não
é realmente a taxa utilizada para o cálculo dos juros (é uma taxa
“sem efeito”). A capitalização (o prazo de formação e incorpora-
D: ção de juros ao capital inicial) será dada através de outra  taxa, 
numa unidade de tempo diferente, taxa efetiva.
Como calcular a taxa que realmente vai ser utilizada; isto é, a
D= taxa efetiva?
Vamos acompanhar através do exemplo
A = 1600 – 57,83
A = 1542,17 Taxa Efetiva
Resp: O desconto será de 57,83 reais e o valor atual de Calcular o montante de um capital de R$ 1.000,00 (mil reais),
1542,17 reais. aplicados durante 18 (dezoito) meses, capitalizados mensalmen-
te, a uma taxa de 12% a.a. Explicando o que é taxa Nominal, efe-
tiva mensal e equivalente mensal:
Professor José Rubens Antoniazzi Silva
Respostas e soluções:
Licenciatura em Matemática pelas Faculdades Adamanti- 1) A taxa Nominal é 12% a.a; pois o capital não vai ser capita-
nenses Integras e em Pedagogia lizado com a taxa anual.
pela Universidade Nove de Julho. Professor titular de mate- 2) A taxa efetiva mensal a ser utilizada depende de duas con-
mática na rede pública venções: taxa proporcional mensal ou taxa equivalente mensal.
de ensino do Estado de São Paulo e professor coordenador a) Taxa proporcional mensal (divide-se a taxa anual por 12):
de núcleo pedagógico da 12%/12 = 1% a.m.
Diretoria de Ensino Região de Tupã. b) Taxa equivalente mensal (é aquela que aplicado aos R$
1.000,00, rende os mesmos juros que a taxa anual aplicada nesse
mesmo capital).
 
TAXAS DE JUROS: NOMINAL, EFETIVA, Cálculo da taxa equivalente mensal:
EQUIVALENTES, PROPORCIONAIS, REAL
E APARENTE.
 

onde:
Podemos definir a taxa nominal como aquela em que a unida- iq : taxa equivalente para o prazo que eu quero
de de referência do seu tempo não coincide com a unidade de tem- it : taxa para o prazo que eu tenho
q : prazo que eu quero
po dos períodos de capitalização. É usada no mercado financeiro,
t : prazo que eu tenho
mas para cálculo deve-se encontrar a taxa efetiva. Por exemplo, a
taxa nominal de 12% ao ano, capitalizada mensalmente, resultará
em uma taxa mensal de 1% ao mês. Entretanto, quando esta taxa
é capitalizada pelo regime de juros compostos, teremos uma taxa  
efetiva de 12,68% ao ano. iq = 0,009489 a.m  ou  iq = 0,949 % a.m.

Didatismo e Conhecimento 25
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
3) Cálculo do montante pedido, utilizando a taxa efetiva men- A taxa anual de juros equivalente a 2% ao mês é de 26,82%. 
sal
As pessoas desatentas poderiam pensar que a taxa anual nesse
a) pela convenção da taxa proporcional: caso seria calculada da seguinte forma: 2% x 12 = 24% ao ano.
M = c (1 + i)n Como vimos, esse tipo de cálculo não procede, pois a taxa anual
M = 1000 (1 + 0,01) 18 = 1.000 x  1,196147 foi calculada de forma correta e corresponde a 26,82% ao ano, essa
M = 1.196,15 variação ocorre porque temos que levar em conta o andamento dos
  juros compostos (juros sobre juros). 
b) pela convenção da taxa equivalente:
Taxa Real
M = c (1 + i)n A taxa real expurga o efeito da inflação. Um aspecto interes-
M = 1000 (1 + 0,009489) 18 = 1.000 x  1,185296 sante sobre as taxas reais de juros, é que elas podem ser inclusive,
M = 1.185,29 negativas.
 
Vamos encontrar uma relação entre as taxas de juros nomi-
NOTA: Para comprovar que a taxa de 0,948% a.m é equiva-
nal e real. Para isto, vamos supor que um determinado capital P é
lente a taxa de 12% a.a, basta calcular o montante utilizando a taxa
anual, neste caso  teremos que transformar 18 (dezoito) meses em aplicado por um período de tempo unitário, a certa taxa nominal in
anos para fazer o cálculo, ou seja : 18: 12 = 1,5 ano. Assim: O montante S1 ao final do período será dado por S1 = P(1 + in).
M = c (1 + i)n Consideremos agora que durante o mesmo período, a taxa de
M = 1000 (1 + 0,12) 1,5 = 1.000 x  1,185297 inflação (desvalorização da moeda) foi igual a j. O capital corrigi-
M = 1.185,29 do por esta taxa acarretaria um montante S2 = P (1 + j).
  A taxa real de juros, indicada por r, será aquela aplicada ao
Conclusões: montante S2, produzirá o montante S1. Poderemos então escrever:
S1 = S2 (1 + r)
- A taxa nominal é 12% a.a, pois não foi aplicada no cálculo
Substituindo S1 e S2 , vem:
do montante. Normalmente a taxa nominal vem sempre ao ano!
- A taxa efetiva mensal, como o próprio nome diz, é aque- P(1 + in) = (1+r). P (1 + j)
la que foi utilizado para cálculo do montante. Pode ser uma taxa Daí então, vem que:
proporcional mensal (1 % a.m.) ou uma taxa equivalente mensal (1 + in) = (1+r). (1 + j), onde:
(0,949 % a.m.). in = taxa de juros nominal
- Qual a taxa efetiva mensal que devemos utilizar? Em se tra- j = taxa de inflação no período
tando de concursos públicos, a grande maioria das bancas exami- r = taxa real de juros
nadoras utilizam a convenção da taxa proporcional. Em se tratando Observe que se a taxa de inflação for nula no período, isto é, j = 0,
do mercado financeiro, utiliza-se a convenção de taxa equivalente. teremos que as taxas nominal e real são coincidentes.
Taxa Equivalente
Taxas Equivalentes são taxas que quando aplicadas ao mes- Exemplo
mo capital, num mesmo intervalo de tempo, produzem montantes Numa operação financeira com taxas pré-fixadas, um banco
iguais. Essas taxas devem ser observadas com muita atenção, em empresta $120.000,00 para ser pago em um ano com $150.000,00.
alguns financiamentos de longo prazo, somos apenas informados Sendo a inflação durante o período do empréstimo igual a 10%,
da taxa mensal de juros e não tomamos conhecimento da taxa pede-se calcular as taxas nominal e real deste empréstimo.
anual ou dentro do período estabelecido, trimestre, semestre entre Teremos que a taxa nominal será igual a:
outros. Uma expressão matemática básica e de fácil manuseio que in = (150.000 – 120.000)/120.000 = 30.000/120.000 = 0,25 = 25%
nos fornece a equivalência de duas taxas é:  Portanto in = 25%
1 + ia = (1 + ip)n, onde: 
Como a taxa de inflação no período é igual a j = 10% = 0,10,
ia = taxa anual 
ip = taxa período substituindo na fórmula anterior, vem:
n: número de períodos  (1 + in) = (1+r). (1 + j)
(1 + 0,25) = (1 + r).(1 + 0,10)
Observe alguns cálculos:  1,25 = (1 + r).1,10
1 + r = 1,25/1,10 = 1,1364
Exemplo 1 Portanto, r = 1,1364 – 1 = 0,1364 = 13,64%
Qual a taxa anual de juros equivalente a 2% ao mês?  Se a taxa de inflação no período fosse igual a 30%, teríamos
Temos que: 2% = 2/100 = 0,02  para a taxa real de juros:
1 + ia = (1 + 0,02)12 
(1 + 0,25) = (1 + r).(1 + 0,30)
1 + ia = 1,0212
1,25 = (1 + r).1,30
1 + ia = 1,2682 
ia = 1,2682 – 1  1 + r = 1,25/1,30 = 0,9615
ia = 0,2682  Portanto, r = 0,9615 – 1 = -,0385 = -3,85% e, portanto tería-
ia = 26,82%  mos uma taxa real de juros negativa.

Didatismo e Conhecimento 26
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
Exemplo 1,32/1,21 = 1 + ir
$100.000,00 foi emprestado para ser quitado por $150.000,00 1,09 = 1 + ir
ao final de um ano. Se a inflação no período foi de 20%, qual a taxa ir = 1,0909 – 1
real do empréstimo? ir = 0,0909
Resposta: 25% ir = 9,09%
A taxa real anual foi equivalente a 9,09%.
Taxa Aparente
Os rendimentos financeiros são responsáveis pela correção de Exemplo 2
capitais investidos perante uma determinada taxa de juros. As ta- Uma instituição financeira cobra uma taxa real aparente de
xas de juros são corrigidas pelo governo de acordo com os índices 20% ano, com a intenção de ter um retorno real de 8% ao ano. Qual
inflacionários referentes a um período. Isso ocorre, no intuito de deve ser a taxa de inflação?
corrigir a desvalorização dos capitais aplicados durante uma cres- Taxa aparente = 20% = 0,2
cente alta da inflação. Taxa real = 8% = 0,08
Entendemos por taxa aparente, o índice responsável pelas 1 + 0,2 = (1 + 0,08) * (1 + I)
operações correntes. Dizemos que a taxa real e a aparente são as 1,2 = 1,08 * (1 + I)
mesmas quando não há a incidência de índices inflacionários no 1,2 / 1,08 = 1 + I
período. Mas quando existe inflação, a taxa aparente será formada 1,11 = 1 + I
por dois componentes: um ligado à inflação e outro, ao juro real. 1,11 – 1 = I
I = 0,11
Exemplo I = 11%
Um banco oferece uma aplicação na qual a taxa de juros efe-
tiva corresponde a 12% ao ano. Considerando-se que no mesmo A taxa de inflação deve ser igual a 11%.
período fora registrada uma inflação de 5%, podemos afirmar que
a taxa de 12% oferecida pelo banco não foi a taxa real de remune- Exemplo 3
ração do capital, mas sim uma taxa aparente, pois os preços nesse Qual deve ser a taxa aparente que equivale a uma taxa real de
período foram reajustados. 1,2% ao mês e uma inflação de 15% no período?
Para descobrirmos a taxa de juros real, devemos aplicar o ca- Taxa real = 1,2% = 0,012
pital à taxa de 12% e corrigir monetariamente o mesmo capital Inflação = 15% = 0,15
usando o índice inflacionário do período. Feitos esses cálculos 1 + ia = (1 + 0,012) * (1 + 0,15)
basta realizar a comparação entre os valores obtendo a taxa real 1 + ia = 1,012 * 1,15
de rendimento. 1 + ia = 1,1638
Supondo um capital de R$ 150,00, determine a taxa real de ia = 1,1638 – 1
acordo com as condições demonstradas. ia = 0,1638
Montante da aplicação referente à taxa de juros de 12% ia = 16,38%
150 * 1,12 = 168
Montante da correção do índice inflacionário correspondente Taxa Aparente
a 5% Os rendimentos financeiros são responsáveis pela correção de
150 * 1,05 = 157,5 capitais investidos perante uma determinada taxa de juros. As ta-
Observe que o ganho real foi de R$ 10,50 em relação ao valor xas de juros são corrigidas pelo governo de acordo com os índices
corrigido de acordo com o índice inflacionário. Portanto, a taxa inflacionários referentes a um período. Isso ocorre, no intuito de
real pode ser dada pela seguinte divisão: corrigir a desvalorização dos capitais aplicados durante uma cres-
10,5 / 157,5 = 0,066 = 6,6% cente alta da inflação.
A taxa real foi de 6,6%. Entendemos por taxa aparente o índice responsável pelas
Podemos determinar a taxa real, a taxa aparente e a inflação de operações correntes. Dizemos que a taxa real e a aparente são as
uma forma simples, utilizando a seguinte expressão matemática: mesmas quando não há a incidência de índices inflacionários no
1 + ia = ( 1 + ir ) * ( 1 + I ) período. Mas quando existe inflação, a taxa aparente será formada
Onde: por dois componentes: um ligado à inflação e outro, ao juro real.
ia = taxa aparente Exemplo
ir = taxa real Um banco oferece uma aplicação na qual a taxa de juros efe-
I = inflação tiva corresponde a 12% ao ano. Considerando-se que no mesmo
período fora registrada uma inflação de 5%, podemos afirmar que
Exemplo 1 a taxa de 12% oferecida pelo banco não foi a taxa real de remune-
Um empréstimo foi realizado a uma taxa de 32% ao ano. Con- ração do capital, mas sim uma taxa aparente, pois os preços nesse
siderando-se que a inflação do período foi de 21%, determine a período foram reajustados.
taxa real anual. Para descobrirmos a taxa de juros real, devemos aplicar o ca-
Taxa aparente = 32% = 0,32 pital à taxa de 12% e corrigir monetariamente o mesmo capital
Inflação = 21% = 0,21 usando o índice inflacionário do período. Feitos esses cálculos
1 + 0,32 = (1 + ir) * (1 + 0,21) basta realizar a comparação entre os valores obtendo a taxa real
1,32 = (1 + ir) * 1,21 de rendimento.

Didatismo e Conhecimento 27
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
Supondo um capital de R$ 150,00, determine a taxa real de 2)
acordo com as condições demonstradas. Taxa real: ir = [(1+ ie ) / (1 + f)] - 1
Montante da aplicação referente à taxa de juros de 12% ir = [(1+ 0,018 ) / (1 + 0,011)] - 1
150 * 1,12 = 168 ir = ( 1,018 / 1,011 ) – 1 = 1,0069 = 0,0069 ou 0,69%
Montante da correção do índice inflacionário correspondente
a 5% Resposta: letra “a”.
150 * 1,05 = 157,5
Observe que o ganho real foi de R$ 10,50 em relação ao valor 3) Taxa real: ir = [(1+ ie ) / (1 + f)] - 1
corrigido de acordo com o índice inflacionário. Portanto, a taxa ir = [(1+ 0,009 ) / (1 + 0,007)] - 1
real pode ser dada pela seguinte divisão: ir = ( 1,009 / 1,007 ) – 1 = 1,001986 = 0,001986 ou 0,1986%
10,5 / 157,5 = 0,066 = 6,6%
A taxa real foi de 6,6%. Resposta: letra “a”.
Podemos determinar a taxa real, a taxa aparente e a inflação de
uma forma simples, utilizando a seguinte expressão matemática:
1 + ia = ( 1 + ir ) * ( 1 + I )
Onde: PLANOS OU SISTEMAS DE AMORTIZAÇÃO
ia = taxa aparente DE EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS.
ir = taxa real
I = inflação

Questões É a maneira como uma dívida evolui, por meio de pagamen-


tos periódicos. A soma das prestações corresponderá ao reembolso
1)[TCU] Uma financeira pretende ganhar 12% a.a. de juros em dos juros e do capital.
cada financiamento. Supondo que a inflação anual seja de 2.300%,
a financeira deverá cobrar, a título de taxa de juros nominal anual: Prestação = amortização + juros

A. 2.358% Há diferentes formas de amortização, conforme descritas a


B. 2.588% seguir.
C. 2.858%
D. 2.868% Para os exemplos numéricos descritos nas tabelas, em todas
E. 2.888% as diferentes formas de amortização, utilizaremos o mesmo exercí-
cio: uma dívida de valor inicial de R$ 100 mil, prazo de três meses
2)[Cespe-UNB, CEF Gerente Junior 2000] Um capital foi e juros de 3% ao mês.
aplicado por 30 dias à taxa mensal de 1,8%. Se a inflação no pe-
ríodo foi de 1,1%, a taxa real de juros foi de, aproximadamente: Pagamento único

A. 0,69% a.m. É a quitação de toda a dívida (amortização + juros) em um


B. 0,75% a.m. único pagamento, ao final do período. Utilizamos a mesma fórmu-
C. 1,64% a.m. la do montante:
D. 1,87% a.m.
E. 2,90% a.m. Nos juros simples:

3)[Vunesp, Banco Central ] Sabendo-se que a taxa efetiva é de M = C (1 + i×n)


0,9% e que a taxa de inflação é 0,7% no mês, o valor da taxa real M = montante
nesse mês é de: C = capital inicial
i = taxa de juros
A. 0,1986% n = período
B. 0,2136%
C. 0,1532% Nos juros compostos:
D. 0,4523%
E. 0,1642% M = C (1+i)n
M = montante
Resolução C = capital inicial
i = taxa de juros
1)Busca-se a taxa aparente, dada por: iap = [(1+ ir ) x (1 + f)]-1 n = período
iap = [(1+ 23 ) x (1 + 0,12)]-1
iap = 26,88 – 1 = 25,88 ou 2.588%

Resposta: letra “b”.

Didatismo e Conhecimento 28
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
Nos juros simples:

n Juros Amortização Prestação Saldo devedor


0 - - - 100.000,00
1 3.000,00 - - 103.000,00
2 3.000,00 - - 106.000,00
3 3.000,00 100.000,00 109.000,00 -

Nos juros compostos:

n Juros Amortização Prestação Saldo devedor


0 - - - 100.000,00
1 3.000,00 - - 103.000,00
2 3.090,00 - - 106.090,00
3 3.182,70 100.000,00 109.272,70 -

Sistema Price (Sistema Francês)

Foi elaborado para apresentar pagamentos iguais ao longo do período do desembolso das prestações. A fórmula para encontrarmos a
prestação é dada a seguir:

PMT = VP . _i.(1+i)n_
(1+i)n -1

PMT = valor da prestação


VP = valor inicial do empréstimo
i = taxa de juros
n = período

A fórmula foi desenvolvida, considerando-se apenas a capitalização por juros compostos. O resultado é listado a seguir:

n Juros Amortização Prestação Saldo devedor


0 - - - 100.000,00
1 3.000,00 32.353,04 35.353,04 67.646,96
2 2.029,41 33.323,63 35.353,04 34.323,33
3 1.029,71 34.323,33 35.353,04 -

Sistema de Amortização Misto (SAM)

É a média aritmética das prestações calculadas nas duas formas anteriores (SAC e Price). É encontrado pela fórmula:

PMTSAM = (PTMSAC + PMTPRICE) / 2

n Juros Amortização Prestação Saldo devedor


0 - - - 100.000,00
1 3.000,00 32.843,19 35.843,19 67.156,81
2 2.014,70 33.328,49 35.343,19 33.828,32
3 1.014,87 33.828,32 34.843,19 -

Sistema de Amortização Crescente (SACRE)


Este sistema, criado pela Caixa Econômica Federal (CEF), é uma das formas utilizadas para o cálculo das prestações dos financiamentos
imobiliários. Usa-se, para o cálculo do valor das prestações, a metodologia do sistema de amortização constante (SAC) anual, desconside-
rando-se o valor da Taxa Referencial de Juros (TR). Esta é incluída posteriormente, resultando em uma amortização variável. Chamar de
“amortização crescente” parece-nos inadequado, pois pode resultar em amortizações decrescentes, dependendo da ocorrência de TR com
valor muito baixo.

Didatismo e Conhecimento 29
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
Sistema Alemão

Neste caso, a dívida é liquidada também em prestações iguais, exceto a primeira, onde no ato do empréstimo (momento “zero”) já é
feita uma cobrança dos juros da operação. As prestações, a primeira amortização e as seguintes são definidas pelas três seguintes fórmulas:

PMT = _ Vp.i _
1- (1+i)n
PMT = valor da prestação
VP = valor inicial do empréstimo
i = taxa de juros
n = período

A1 = PMT . (1- i)n-1


A1 = primeira amortização
PMT = valor da prestação
i = taxa de juros
n = período

An = An-1 _
(1- i)
An = amortizações posteriores (2º, 3º, 4º, ...)
An-1 = amortização anterior
i = taxa de juros
n = período

n Juros Amortização Prestação Saldo devedor


0 3.000,00 - 3.000,00 100.000,00
1 2.030,30 32.323,34 34.353,64 67.676,66
2 1.030,61 33.323,03 34.353,64 34.353,63
3 - 34.353,64 34.353,64 (0,01)

OBS: os resíduos em centavos, como saldo devedor final na tabela anterior, são resultados de arredondamento do cálculo e serão des-
considerados.

Sistema de Amortização Constante – SAC

Consiste em um sistema de amortização de uma dívida em prestações periódicas, sucessivas e decrescentes em progressão aritmética,
em que o valor da prestação é composto por uma parcela de juros uniformemente decrescente e outra de amortização que permanece cons-
tante.
Sistema de Amortização Constante (SAC) é uma forma de amortização de um empréstimo por prestações que incluem os juros, amor-
tizando assim partes iguais do valor total do empréstimo.
Neste sistema o saldo devedor é reembolsado em valores de amortização iguais. Desta forma, no sistema SAC o valor das prestações é
decrescente, já que os juros diminuem a cada prestação. O valor da amortização é calculado dividindo-se o valor do principal pelo número
de períodos de pagamento, ou seja, de parcelas.
O SAC é um dos tipos de sistema de amortização utilizados em financiamentos imobiliários. A principal característica do SAC é que ele
amortiza um percentual fixo do saldo devedor desde o início do financiamento. Esse percentual de amortização é sempre o mesmo, o que faz
com que a parcela de amortização da dívida seja maior no início do financiamento, fazendo com que o saldo devedor caia mais rapidamente
do que em outros mecanismos de amortização.

Exemplo:
Um empréstimo de R$ 120.000,00 (cento e vinte mil reais) a ser pago em 12 meses, a uma taxa de juros de 1% ao mês (em juros sim-
ples). Aplicando a fórmula para obtenção do valor da amortização, iremos obter um valor igual a R$ 10.000,00 (dez mil reais). Essa fórmula
é o valor do empréstimo solicitado divido pelo período, sendo nesse caso: R$ 120.000,00 / 12 meses = R$ 10.000,00. Logo, a tabela SAC
fica:

Didatismo e Conhecimento 30
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO

Saldo De-
Nº Prestação Prestação Juros Amortização
vedor
0 120000
1 11200 1200 10000 110000
2 11100 1100 10000 100000
3 11000 1000 10000 90000
4 10900 900 10000 80000
5 10800 800 10000 70000
6 10700 700 10000 60000
7 10600 600 10000 50000
8 10500 500 10000 40000
9 10400 400 10000 30000
10 10300 300 10000 20000
11 10200 200 10000 10000
12 10100 100 10000 0

Note que o juro é sempre 10% do saldo devedor do mês anterior, já a prestação é a soma da amortização e o juro. Sendo assim, o juro
é decrescente e diminui sempre na mesma quantidade, R$ 100,00. O mesmo comportamento tem as prestações. A soma das prestações é de
R$ 127.800,00, gerando juros de R$ 7.800,00.
Outra coisa a se observar é que as parcelas e juros diminuem em progressão aritmética (PA) de r=100.

Sistema Americano

O tomador do empréstimo paga os juros mensalmente e o principal, em um único pagamento final.

Considera-se apenas o regime de juros compostos:

n Juros Amortização Prestação Saldo devedor


0 - - - 100.000,00
1 3.000,00 - 3.000,00 100.000,00
2 3.000,00 - 3.000,00 100.000,00
3 3.000,00 100.000,00 103.000,00 -

Sistema de Amortização Constante (SAC) ou Sistema Hamburguês

O tomador do empréstimo amortiza o saldo devedor em valores iguais e constantes ao longo do período.

Considera-se apenas o regime de juros compostos:

n Juros Amortização Prestação Saldo devedor


0 - - - 100.000,00
1 3.000,00 33.333,33 36.333,33 66.666,67
2 2.000,00 33.333,33 35.333,33 33.333,34
3 1.000,00 33.333,34 34.333,34 -

Qual a melhor forma de amortização?

A tabela abaixo lista o fluxo de caixa nos diversos sistemas de amortização discutidos nos itens anteriores.

Didatismo e Conhecimento 31
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
N Pgto único (jrs comp.) Sistema Americano SAC PRICE SAM Alemão
0 100.000,00 100.000,00 100.000,00 100.000,00 100.000,00 97.000,00
1 - (3.000,00) (36.333,33) (35.353,04) (35.843,19) (34.353,64)
2 - (3.000,00) (35.333,33) (35.353,04) (35.343,19) (34.353,64)
3 (109.272,70) (103.000,00) (34.333,34) (35.353,04) (34.843,19) (34.353,64)

As várias formas de amortização utilizadas pelo mercado brasileiro, em sua maioria, consideram o regime de capitalização por juros
compostos. A comparação entre estas, por meio do VPL (vide item 6.2), demonstra que o custo entre elas se equivale. Vejam: no nosso
exemplo, todos, exceto no sistema alemão, os juros efetivos cobrados foram de 3% ao mês (regime de juros compostos) ou 9,27% no acu-
mulado dos três meses.

n Pgto único (jrs comp.) Sistema Americano SAC PRICE SAM Alemão
0 100.000,00 100.000,00 100.000,00 100.000,00 100.000,00 97.000,00
1 - (2.912,62) (35.275,08) (34.323,34) (34.799,21) (33.353,04)
2 - (2.827,79) (33.305,05) (33.323,63) (33.314,35) (32.381,60)
3 (100.000,00) (94.259,59) (31.419,87) (32.353,04) (31.886,45) (31.438,44)
VPL - - - - - (173,09)

OBS: tabela com as prestações dos sistemas anteriores, descontada da taxa (juros compostos) de 3% ao mês.

Considerando o custo de oportunidade de 2% ao mês, isto é, abaixo do valor do empréstimo, teríamos a tabela abaixo. Isso seria uma
situação mais comum: juros do empréstimo mais caro que uma aplicação no mercado. Neste caso, quanto menor (em módulo) o VPL, me-
lhor para o tomador do empréstimo, ou seja, o sistema SAC seria o melhor sob o ponto de vista financeiro.

n Pgto único (jrs comp.) Sistema Americano SAC PRICE SAM Alemão
0 100.000,00 100.000,00 100.000,00 100.000,00 100.000,00 97.000,00
1 - (2.941,18) (35.620,91) (34.659,84) (35.140,38) (33.680,04)
2 - (2.883,51) (33.961,29) (33.980,24) (33.970,77) (33.019,64)
3 (102.970,11) (97.059,20) (32.353,07) (33.313,96) (32.833,52) (32.372,20)
VPL (2.970,11) (2.883,88) (1.935,28) (1.954,04) (1.944,67) (2.071,88)

OBS: tabela com as prestações dos sistemas anteriores, descontada da taxa (juros compostos) de 2% ao mês.

Outra situação seria considerarmos um empréstimo com taxa de juros abaixo do mercado. Neste exemplo a seguir, teremos como custo
de oportunidade a taxa de 4% ao mês. Isso, na vida real, não será comum: juros do empréstimo mais barato do que uma aplicação no merca-
do. Assim, como no exemplo anterior, quanto maior o VPL, melhor para o tomador do empréstimo, ou seja, o sistema de pagamento único,
sob o ponto de vista financeiro, é o melhor, como no caso abaixo.

n Pgto único (jrs comp.) Sistema Americano SAC PRICE SAM Alemão
0 100.000,00 100.000,00 100.000,00 100.000,00 100.000,00 97.000,00
1 - (2.884,62) (34.935,89) (33.993,31) (34.464,61) (33.032,34)
2 - (2.773,67) (32.667,65) (32.685,87) (32.676,77) (31.761,87)
3 (97.143,03) (91.566,62) (30.522,21) (31.428,72) (30.975,47) (30.540,26)
VPL 2.856,97 2.775,09 1.874,24 1.892,10 1.883,16 1.665,53

OBS: tabela com as prestações dos sistemas anteriores, descontada da taxa (juros compostos) de 4% ao mês.

Didatismo e Conhecimento 32
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
Referências (A) 77% ≤ S < 78%
(B) 78% ≤ S < 79%
Passei Direto. Disponível em: https://www.passeidireto.com/ (C) 79% ≤ S < 80%
arquivo/1599335/exercicios_matematica_finaceiraexercicios_ma- (D) 80% ≤ S < 81%
tematica_finaceira (E) 81% ≤ S < 82%
Questões
Resolução
1)[Quadrix, CRM-GO 2004, Técnico em Contabilidade (ní-
vel médio)] Qual dos sistemas de amortização abaixo propõe o 1)
valor constante (fixo) para a prestação de um empréstimo? Das opções acima, a única que propõe prestação uniforme é o
SAF ou “tabela price’.
SAC – Sistema de Amortização Constante
SAM – Sistema de Amortização Misto.
Resposta: letra “d”.
SAD – Sistema de Amortização Decrescente.
SAF – Sistema de Amortização Francês “Price”
Qualquer das anteriores com os juros mensais constantes. 2)
A. ERRADO. SAF ou sistema price ou “tabela price” tem
prestações iguais.
2)[Quadrix, CREF4-SP 2004 (nível superior)] Sobre os sis- B. CERTO. Tem prestações decrescentes.
temas de amortização de empréstimo e financiamentos, pode-se
C. ERRADO. O sistema utilizado não define a taxa a ser
afirmar que (considere SAC – Sistema de Amortização Constante
e SAF – Sistema de Amortização Francês “Price”): praticada.
D. ERRADO. Vide resposta letra “a”.
A. SAC e SAF sempre têm prestações iguais. E. ERRADO. A letra “b” está correta.
B. SAC tem prestações decrescentes.
C. Os juros sempre são maiores no SAC. Resposta: letra “b”.
D. O SAF tem prestações crescentes.
E. Nenhuma das alternativas acima está correta.
3)
A. CERTO. SAF ou sistema price ou “tabela price” tem
3)[Quadrix, CREF4-SP 2004 (nível superior)] Ainda conside- prestações iguais.
rando o item anterior, qual das alternativas abaixo é falsa? B. CERTO. As amortizações (vide fórmula) são crescentes.
C. CERTO. No SAC, as amortizações são constantes e as
A. O SAF caracteriza-se por prestações iguais. prestações decrescentes.
B. No SAF as amortizações são crescentes.
D. ERRADO. A taxa implícita é a mesma em cada um.
C. No SAC as amortizações são constantes.
D. O SAF sempre terá juros implícitos maiores que o SAC. E. CERTO. Vide fórmula.
E. No SAC, o valor da amortização é obtido pela divisão do
capital emprestado pelo número de prestações. Resposta: letra “d”.

4))[Cesp-UnB, CEF-Gerente Junior 2000] Um capital de R$ 4)


36.000,00 foi financiado através do Sistema SAC (Sistema de
Amortização Constante) em 12 prestações mensais, vencendo a
A amortização é dada pela divisão : 36.000/12 = 3.000,00
primeira 30 dias após a assinatura do contrato. Considerando uma
taxa de 5% a.m., o valor da sexta prestação foi igual a: Os juros por: saldo devedor x i = 36.000 x 0,05 = 1.800,00
A prestação é a soma das anteriores.
a) R$ 4.500,00
b) R$ 4.350,00   juros amort PMT sd devedor
c) R$ 4.200,00
d) R$ 4.100,00 0 36.000,00
e) R$ 4.050,00 1 1.800,00 3.000,00 4.800,00 33.000,00
5) (BB-2010-FCC) Um empréstimo no valor de R$ 80.000,00 2 1.650,00 3.000,00 4.650,00 30.000,00
deverá ser pago por meio de 5 prestações mensais, iguais e conse- 3 1.500,00 3.000,00 4.500,00 27.000,00
cutivas, vencendo a primeira um mês após a data da concessão do 4 1.350,00 3.000,00 4.350,00 24.000,00
empréstimo. Sabe-se que foi utilizado o Sistema Francês de Amor-
tização (Tabela Price) com uma taxa de juros compostos de 3% ao 5 1.200,00 3.000,00 4.200,00 21.000,00
mês, encontrando-se R$ 17.468,00 para o valor de cada prestação. 6 1.050,00 3.000,00 4.050,00 18.000,00
Imediatamente após o pagamento da primeira prestação, se S re-
presenta o percentual do saldo devedor com relação ao valor do Resposta: letra “e”.
empréstimo, então

Didatismo e Conhecimento 33
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
5) 2) - Nas operações de câmbio destinadas ao cumprimento de
obrigações de administradoras de cartão de crédito ou de bancos
Resolução: comerciais ou múltiplos na qualidade de emissores de cartão de
crédito decorrentes de aquisição de bens e serviços do exterior efe-
Valor da primeira amortização: tuada por seus usuários: 6,38%;
Am = prestação – juros 3) - Nas operações de câmbio relativas ao pagamento de im-
Am = 17468 – 3% de 80000 portação de serviços: 0,38%;
Am = 17468 – 2400 = 15068
o saldo devedor ficou: Imposto Sobre Operações de Seguro
80000 – 15068 = 64932
logo, o percentual do saldo devedor com
relação ao valor do empréstimo será: Alíquota: 25%
S = 64932/80000 = 0,81165 = 81,165% Alíquotas reduzidas vigentes:
Nas operações de resseguro, de seguro obrigatório vincula-
Alternativa E do a financiamento de imóvel habitacional, realizado por agente
do Sistema Financeiro de Habitação, de seguro de crédito à ex-
portação e de transporte internacional de mercadorias, de seguro
CÁLCULO FINANCEIRO: CUSTO REAL aeronáutico e de seguro de responsabilidade civil pagos por trans-
EFETIVO DE OPERAÇÕES DE FINANCIA- portador aéreo e nas operações em que o valor dos prêmios seja
MENTO, EMPRÉSTIMO E INVESTIMENTO. destinado ao custeio dos planos de seguro de vida com cobertura
por sobrevivência: zero;
Nas operações de seguro de vida e congêneres, de acidentes
pessoais e do trabalho, incluídos os seguros obrigatórios de danos
pessoais causados por veículos automotores de vias terrestres e por
Alíquotas do Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio embarcações, ou por sua carga, a pessoas transportadas ou não:
e Seguros - IOF 0,38%;
Imposto Sobre Operações de Crédito Nas operações de seguros privados de assistência à saúde:
2,38%;
Alíquota: máxima de 1,5% ao dia sobre o valor das operações Nas demais operações: 7,38%;
de crédito.
Alíquota reduzida vigente:
Incidente sobre operações contratadas por  Pessoas Jurídicas: Imposto Sobre Operações Relativas a Títulos ou Valores
a) 0,00137% ao dia para Pessoas Jurídicas optantes pelo Sim- Mobiliários
ples Nacional, em operações iguais ou inferiores a R$ 30.000,00;
b) 0,0041% ao dia para os demais casos; Alíquota: máxima de 1,5% ao dia.
Incidente sobre operações contratadas por  Pessoas Físicas:
0,0082%  ao dia; Nas aplicações feitas por investidores estrangeiros em quotas
de Fundo Mútuo de Investimento em Empresas Emergentes e em
Alíquota adicional vigente: Incide 0,38% sobre as operações quotas de Fundo de Investimento Imobiliário, alíquota de 1,5% ao
de crédito, independentemente do prazo das operações contratadas dia, limitada a 5% para fundos regulares em até um ano da data do
por  pessoas físicas ou jurídicas;
Há casos com incidência de alíquota zero. Vide art. 8º do Dec. registro das quotas na CVM e limitada a 10% para os fundos sem
Nº 6.306, de 14 de dezembro de 2007. funcionamento regular.
No resgate, cessão ou repactuação de operações com títulos
Imposto Sobre Operações de Câmbio ou valores mobiliários: alíquota de 1% ao dia, limitado ao rendi-
Alíquota máxima: 25%. mento da operação, em função do prazo, de acordo com Tabela
A alíquota foi reduzida a 0,38%, excetuadas as hipóteses pre- anexa ao Decreto n. 6.306, de 2007. Nos resgates realizados depois
vistas nos incisos do Art. 15- A do Dec. nº 6.306, de 2007. de 30 dias a alíquota fica reduzida a zero.
No resgate de quotas de fundos de investimento antes de com-
Exemplificando:
pletado o prazo de carência para crédito de rendimentos: alíquota
1) - Nas liquidações de operações de câmbio contratadas a de 0,5% ao dia.
partir de 7 de abril de 2011, para ingresso de recursos no País, in- Na cessão de ações que sejam admitidas à negociação em bol-
clusive por meio de operações simultâneas, referente a empréstimo sa de valores localizada no Brasil, com o fim específico de lastrear
externo, sujeito a registro no Banco Central do Brasil, contratado a emissão de depositary receipts negociados no exterior, a alíquota
de forma direta ou mediante emissão de títulos no mercado inter-
nacional com prazo médio mínimo de até setecentos e vinte dias: é de 1,5%.
seis por cento. (Redação dada pelo Decreto nº 7.457, de 6 de abril Imposto Sobre Operações com Ouro Ativo Financeiro ou Ins-
de 2011). trumento Cambial: alíquota de 1%.

Didatismo e Conhecimento 34
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
Todos os rendimentos, provenientes de aplicações financeiras Inflacionamento
em Fundos de Investimentos sem prazo de carência, são tributa-
dos pelo Imposto sobre Operações Financeiras - IOF, conforme A indexação, em economia, é um sistema de reajuste de pre-
determinação legal da Portaria 264, do Ministério da Fazenda. A ços, inclusive salários e aluguéis, de acordo com índices oficiais
alíquota é de 1% ao dia, limitado ao rendimento da operação, de de variação dos preços. Em conjunturas inflacionárias, a indexação
acordo com a tabela abaixo, decrescente em função do prazo. Isto permite corrigir o valor real dos salários, aluguéis e demais preços
significa que quanto mais tempo o investidor deixar o dinheiro da economia, reajustando-os com base na inflação passada. No en-
tanto, a indexação automática pode realimentar a inflação futura.
aplicado, menos IOF vai pagar, aumentando a sua rentabilidade.
A partir de 30 dias de aplicação, o Imposto deixa de ser cobrado. Experiência brasileira
Confira abaixo a tabela do IOF cobrado de acordo com os dias de
investimento. Em 1994, a inflação anual no Brasil era de quase 5.000%, e
os preços subiam quase diariamente. Os salários, a fim de acompa-
nhar os preços, também eram reajustados através do chamado “ga-
Número de Dias % Limite do Rendimento tilho” inflacionário – que determinava uma correção automática
01 96 dos valores assim que a inflação atingisse um determinado nível.
No Brasil, o Plano Real, implantado em julho de 1994, deu
02 93
início à estabilidade econômica, reduzindo a inflação anual para
03 90 cerca de 4%. No entanto, ainda permanece alguma indexação na
04 86 economia, embora não automática. Os reajustes anuais de salários,
por exemplo, ainda são negociados com base no índice inflacioná-
05 83
rio do ano anterior.
06 80 Dada a conjuntura atual de estabilidade monetária, a corre-
07 76 ção automática de contratos, via indexação, foi desaparecendo do
cenário econômico brasileiro. Os preços não são mais reajustados
08 73
com base na variação mensal dos índices de preços do IBGE. A
09 70 inflação, medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Am-
10 66 plo), baixou em junho de 2006 para 4,03%. Os preços adminis-
trados, ou seja, os monitorados pelo Governo Federal – tais como
11 63
gasolina, energia elétrica, telefonia, planos de saúde, remédios, gás
12 60 de cozinha, passagens aéreas e transporte público – os quais em
13 56 1999 aumentaram 20,9%, em 2006 aumentaram somente 4,4%. Os
preços administrados eram apontados como os responsáveis pelo
14 53
aumento contínuo da inflação. Também, os índices de serviços
15 50 não-comercializáveis (cabeleireiro, escola, aluguéis etc), os quais
16 46 de 2001 a 2005, que aumentaram entre 6 e 7%, tiveram aumento
17 43 menor (4,4%) entre julho de 2005 e junho de 2006.
A inflação em queda possibilitou a desindexação de grande
18 40 parte da economia brasileira. No entanto, é senso comum entre os
19 36 economistas que uma desindexação total não é possível. Há alguns
20 33 “vilões” que eventualmente provocam aumentos de preços.
Além dos preços administrados acima mencionados, há tam-
21 30 bém o setor da telefonia, cujos índices de serviços aumentou, desde
22 26 julho de 1994 (início do Plano Real), em 662,21%, contra o IPCA
23 23 de 200,29% no mesmo período. Ocorre que as tarifas telefônicas
sofriam correções através dos IGPs (Índices Gerais de Preços),
24 20 da Fundação Getúlio Vargas (FGV), cujas taxas eram influencia-
25 16 das pelo dólar, em baixa em 2006. Por conseguinte, com as crises
26 13 cambais em 1999 e em 2002, os serviços de telefonia tiveram um
aumento bem superior ao nível da inflação. Hoje, a telefonia segue
27 10 uma combinação dos índices IPCA e IGP, com o que são suavi-
28 06 zados os impactos de eventuais crises de câmbio. Ademais, basta
29 03 notar que em 2005 o IGP beirou 1%, e o IPCA, como afirmado
anteriormente, ficou em 4,03%. E com o surgimento da tecnologia
30 00 Voip, as taxas de telefonia tenderão a cair ainda mais, segundo se
comenta, em percentuais entre 50 a 80% em relação aos níveis
atuais. Outro vilão são as escolas, as quais ainda são reajustadas
em níveis acima da inflação.

Didatismo e Conhecimento 35
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
A consequência da estabilidade dos preços é boa, tanto para poderiam aumentar ou reduzir o saldo a ser tributado pelo imposto
os fornecedores de serviços, quanto para os clientes: os primeiros de renda. Esse sistema foi criado pelo DL 1.598/77, em função
aumentam sua clientela, enquanto que os segundos não sofrem no da preocupação com o acréscimo ao lucro de valores tido como
bolso os efeitos corrosivos da inflação. No Brasil, a tendência é não-financeiros (ajustes decorrentes da inflação), o que poderia re-
continuar a vigorar a livre negociação dos contratos. sultar em impostos a pagar sem que as empresas tivessem de fato
o numerário em caixa. Tal entendimento não era majoritário entre
Atualização Monetária os acadêmicos da classe contábil, mas continuou durante muitos
anos como um dos principais “incentivos tributários” às empresas
Atualização Monetária (AO 1945: Atualização Monetária) é brasileiras com vultosos ativos imobilizados (indústrias, principal-
o nome que se dá no Brasil para os ajustes contábeis e financeiros, mente).
realizados com o intuito de se demonstrar os preços de aquisição
em moeda em circulação no país (atualmente o Real), em relação Princípios Contábeis
ao valor de outras moedas (ajuste cambial) ou índices de inflação
ou cotação do mercado financeiro (atualização monetária propria- Em função das características da Economia brasileira, e da
mente dita). doutrina da essência econômica utilizada para o estudo das Ciên-
Em Economia é também chamado de “Correção Monetária”, cias Contábeis no Brasil, a Atualização Monetária é considerada
ou seja, um ajuste feito periodicamente de certos valores na econo- pelo CFC - Conselho Federal de Contabilidade, um Princípio Fun-
damental de Contabilidade. Antes denominado de “Princípio da
mia tendo em base o valor da inflação de um período, objetivando
Correção Monetária”, ele atualmente é denominado “Princípio da
compensar a perda de valor da moeda.
Atualização Monetária”. Com o fim da hiperinflação, os ajustes
Em termos de contabilidade tributária, a atualização monetá-
dessa natureza nas Demonstrações Financeiras brasileiras são efe-
ria pode ser uma receita (denomina-se variação monetária ativa), tuados em razão das altas taxas de juros praticadas pelas institui-
ou uma despesa (variação monetária passiva). ções financeiras; e em decorrência do regime de “Câmbio Flutuan-
Exemplo de cálculo de uma variação monetária passiva: te”, que periodicamente provoca grandes oscilações na cotação do
- Empréstimo em dólar = US$ 100,00 Dólar americano em relação ao Real.
- Cotação Cambial na data do empréstimo: 2,00
- Cotação Cambial na data do vencimento da amortização: Processos Inflacionários
4,00
Os processos inflacionários podem ser classificados, segundo
Valor a ser contabilizado na data do recebimento do emprésti- algumas características como:
mo: Obrigação a Pagar = US$ 100,00 x 2,00 = R$ 200,00 - Inflação prematura - processo inflacionário gerado pelo au-
Valor a ser contabilizado na data do vencimento da amorti- mento dos preços sem que o pleno emprego seja atendido.
zação: Ajuste da variação monetária passiva = R$ 400,00 (US$ - Inflação reprimida - processo inflacionário gerado pelo con-
100,00 x 4,00) (-) valor principal (R$ 200,00) = R$ 200,00 gelamento dos preços por parte do governo.
Existe uma controvérsia em relação aos juros: Se o juros for - Inflação de custo - processo inflacionário gerado pelo au-
de 10% ao mês, a ser pago junto com a amortização, alguns dizem mento dos custos de produção.
que o valor deve ser integralmente contabilizado como despesas de
juros (R$ 40,00 ou 10% de R$ 400,00) enquanto outros afirmam Por causa de uma redução na oferta de fatores de produção,
que a despesa de juros é R$ 20,00 e os outros R$ 20,00 seriam o seu preço aumenta. Com o custo dos fatores de produção mais
variação monetária passiva. altos, a produção se reduz e ocorre uma redução na oferta dos bens
Embora atualmente a questão não tenha implicações em ter- de consumo, aumentando seu preço. A inflação de custo ocorre
mos de contabilidade tributária, uma vez que ambos são “Despe- ceteris paribus quando a produção se reduz.
sas”, a questão se torna relevante tendo em vista uma conversão de - Inflação de demanda - processo inflacionário gerado pelo
um balanço em reais para um balanço em dolar, por exemplo. Na aumento do consumo com a economia em pleno emprego. Ou seja,
primeira hipótese, o balanço em dólar apresentaria a despesa de os preços sobem por que há aumento geral da demanda sem um
acompanhamento no crescimento da oferta.
juros de US$ 10,00 (40,00 / 4,00), enquanto na segunda, a despesa
a ser demonstrada seria de US$ 5,00 (20,00 / 4,00), considerando-
Esse tipo de inflação é causada também pela emissão elevada
-se o critério de eliminações dos ajustes cambiais contábeis para
de moeda e aumento nos níveis de investimento, pois, ceteris pa-
fins da referida conversão. ribus, passa a haver muito dinheiro à cata de poucas mercadorias.
Uma das formas utilizadas para o controle de uma crise de inflação
Correção Monetária de Balanços de demanda é uma redução na oferta de moeda, que gera uma re-
dução no crédito, e conseqüente desaceleração econômica. Outras
Até 1994, em função da hiperinflação, no Brasil os Balanços alternativas são os aumentos de tributos, elevação da taxa de juros
eram demonstrados com os ajustes denominados de “Correção e das restrições de crédito.
Monetária de Balanços” (Lei 6.404/76). Para fins de contabilida- Há ainda aqueles que discutem a chamada inflação (por ra-
de tributária, os itens permanentes do Balanço (basicamente Ativo zão) estrutural, proposta pela CEPAL, que tem a ver com algu-
Permanente e Patrimônio Líquido) eram ajustados em função de ma questão específica de um determinado mercado, como pressão
um coeficiente fornecido pelo governo (com base em algum índice de sindicatos, tabelamento de preços acima do valor de mercado
de inflação). Nesse caso, havendo saldo credor da correção mone- (caso do salário mínimo), imperfeições técnicas no mecanismo de
tária, o valor era ainda ajustado pelas variações monetárias, que compra e venda.

Didatismo e Conhecimento 36
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
Outro tipo de inflação, também muito danosa, é a Inflação 3) (Banco do Brasil- 2006-FCC)Um empréstimo foi liquidado
Inercial, onde há um círculo vicioso de elevação de preços, taxas através de pagamentos de prestações, a uma taxa de juros positiva,
e contratos, com base em índices de inflação passados. Quase na corrigidas pela taxa de inflação desde a data da realização do refe-
mesma linha, podemos citar ainda a Inflação de Expectativas, con- rido empréstimo. Verificou-se que o custo efetivo da operação foi
sequência de um aumento de preços provocados pelas projeções de 44% e a taxa de inflação acumulada no período foi de 25%. O
dos agentes sobre a inflação. custo real efetivo referente a este empréstimo foi de
A. 14,4%.1
Questões B. 5,2%.
C. 18,4%.
1) (Cesgranrio-Analista Admnistrativo 2008) A DT D. 19%.
E. 20%.
Indústria S.A. produz dois tipos de válvula de segurança: DT1 e Resposta B
DT2. Para motivar as vendas no varejo das duas válvulas, a empre-
sa oferece 10% do preço de venda de comissão, para cada unidade 4) (Banco do Brasil- 2006-FCC)Um financiamento foi contra-
vendida. Dados selecionados para os dois produtos, para o último tado, em uma determinada data, consistindo de pagamentos a uma
mês, são apresentados a seguir.  taxa de juros positiva e ainda corrigidos pela taxa de inflação desde
a data da realização do compromisso. O custo efetivo desta opera-
ção foi de 44% e o custo real efetivo de 12,5%. Tem-se, então, que
a taxa de inflação acumulada no período foi de
A. 16%.
B. 20%.
C. 24%.
D. 28%.
E. 30%

TAXAS DE RETORNO.

A taxa interna de retorno (TIR) é a taxa de desconto que,


quando aplicada a uma série de fluxos de caixa, gera um resultado
igual ao valor presente da operação. A idéia básica por trás da TIR
é a de que se procura calcular um único número que sintetize os
méritos de um projeto.
As despesas de vendas fixas mensais de R$80.000,00 são
rateadas, igualmente, aos dois produtos. Nesta situação, as Vp = ___F1___+__Fn____
rentabilidades unitárias do produto DT1 e do produto DT2, res- (1+TIR)1 (1+TIR)n
pectivamente, em reais, são: Vp = valor presente (início)
A. - 2,00 e 1,00. Fn = fluxo (entrada/saída) no período n
B. 0 e 4,00. TIR = taxa interna de retorno
C. 6,00 e 6,00. n = período
D. - 0,15 e 0,15.
E. 0,15 e - 0,15. Definição técnica ANDIMA: “a Taxa Interna de Retorno é
a taxa de juros recebida para um investimento que consiste em
pagamentos (valores negativos) e receitas (valores positivos), que
Resposta A ocorrem em períodos regulares, ou seja, a taxa que torna o VPL
igual a zero em t0”.
2) (Banco do Brsil-FCC-2006) Se uma empresa optar por um A TIR nos dá a taxa de retorno de um projeto ou investimento.
investimento, na data de hoje, receberá no final de 2 anos o valor Isso, exclusivamente, pode não ser um instrumento para a tomada
de R$ 14 520,00. Considerando a taxa mínima de atratividade de de decisão. Dizer que um projeto ou investimento, que renderá
10% ao ano (capitalização anual), o valor atual correspondente a 15% ou 18% ao ano é bom, depende de qual será o retorno de
outros investimentos e projetos alternativos.
este investimento é Outra limitação da TIR é o pressuposto de que as entradas e
A. R$ 13 200,00. saídas do fluxo de caixa são, respectivamente, reinvestidas e fi-
B. R$ 13 000,00. nanciadas com rendimentos baseados na taxa encontrada. Isso sig-
C. R$ 12 500,00. nifica que, por exemplo, em um projeto com investimento inicial
D. R$ 12 000,00. de R$ 1 milhão, recebimento mensal, por doze meses, de R$ 100
E. R$ 11 500,00. mil, nos dá uma TIR de 2,92% ao mês. O cálculo pressupõe que
a receita mensal de R$ 100 mil também será reinvestida à taxa de
Resposta D 2,92% ao mês.

Didatismo e Conhecimento 37
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
A TIR, até um fluxo de caixa de três períodos, pode ser calculada com uma equação de segundo grau (exemplo: x2 + 3x + 2 = 0). Para
períodos maiores, entretanto, não é um taxa facilmente calculada. A forma mais fácil continua sendo a utilização de calculadora financeira
ou o uso de planilha eletrônica. Até mesmo estes instrumentos utilizam o método de tentativa e erro em seus cálculos.
A TIR pode ser utilizada para auferir, por exemplo, a taxa de juros de um título. Basta saber o seu valor de compra, o fluxo projetado
para o pagamento de juros e o valor do seu resgate.
A TIR modificada ou MIRR (Modified Internal Rate of Return) é uma técnica mais avançada e incorpora as taxas de reinvestimento e
de empréstimo estipulada pelo usuário. Esse método busca uma apuração mais eficaz do retorno de um projeto, eliminando as limitações da
TIR citadas no 2º parágrafo do item 8.3.
Neste caso, calcula-se separadamente o VPL do fluxo negativo (com a taxa de empréstimo ou taxa mínima para o projeto) e o fluxo
positivo (com a taxa de reinvestimento).

Exercícios

1)[Quadrix, CREF4-SP 2004 (nível superior)] Sobre a TIR – Taxa Interna de Retorno, pode-se afirmar:
a)é a taxa de juros (desconto) que iguala, em determinado momento do tempo, o valor presente das entradas (recebimentos) com o das
saídas (pagamentos) previstas de caixa.
b)só pode ser obtida considerando-se juros simples.
c)é a taxa de juros (desconto) que diminui, em determinado momento do tempo, o valor presente das entradas (recebimentos) com o das
saídas (pagamentos) previstas de caixa.
d)é a taxa de juros (desconto) que aumenta, em determinado momento do tempo, o valor presente das entradas (recebimentos) com o das
saídas (pagamentos) previstas de caixa.

Resolução:
a) CERTO. Esta é a definição da TIR.
b) ERRADO. É comumente utilizada para juros compostos.
c) ERRADO. Não “diminui”, mas iguala.
ERRADO. Não “aumenta”, mas iguala.
d) ERRADO. A resposta “a” está correta.

Resposta: letra “a”.

2)Sobre a TIRM – Taxa Interna de Retorno Modificada, pode-se afirmar:


a)é o mesmo que a TIR - Taxa Interna de Retorno.
b)é aplicada somente em juros simples.
c)calcula-se o fluxo positivo por juros simples e o negativo por juros compostos.
d)calcula-se o fluxo positivo por juros compostos e o negativo por juros simples.
e)calcula-se separadamente o VPL do fluxo negativo (com a taxa de empréstimo ou taxa mínima para o projeto) e o fluxo positivo (com
a taxa de reinvestimento).

Resposta: letra “e.


3.(BB-2010-FCC) Uma máquina com vida útil de 3 anos é adquirida hoje (data 0)
produzindo os respectivos retornos: R$ 0,00 no final do primeiro ano, R$ 51.480,00 no final do segundo ano e R$ 62.208,00 no final do
terceiro ano. O correspondente valor para a taxa interna de retorno encontrado foi de 20% ao ano. Então, o preço de aquisição da máquina
na data 0 é de
(A) R$ 71.250,00.
(B) R$ 71.500,00.
(C) R$ 71.750,00.
(D) R$ 78.950,00.
(E) R$ 86.100,00.

Resolução:

Didatismo e Conhecimento 38
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
4. (CESGRANRIO – 2012 – CEF) Um projeto de investimento, cujo aporte de capital inicial é de R$ 20.000,00, irá gerar, após um
período, retorno de R$ 35.000,00. A Taxa Interna de Retorno (TIR) desse investimento é:
a)10%
b)15%
c)25%
d)45%
e) 75%
Resolução:

5) (CESPE – 2011 – BRB) Considerando que o investimento de R$ 4.000,00 tenha rendido o pagamento de R$ 3.000,00 ao final do
primeiro mês e R$ 3.000,00 ao final do segundo mês, e que 7,55 seja o valor aproximado para √57 então a taxa interna de retorno desse
investimento foi superior a 35% ao mês. Julgue esta informação.
Resolução

6) (CESPE – 2013 – SEGER ) Um representante comercial instala ordenhas mecânicas em fazendas da região, dando a seus proprie-
tários 120 dias para pagarem esse equipamento. Sabe-se que o equipamento pode ser comprado à vista por R$ 7.500,00 ou em três parcelas
fixas, vencendo em 30, 60 e 90 dias, à taxa mensal de juros compostos de 5%.
Considere que o representante comercial tenha adquirido o equipamento à vista e, no mesmo dia, fez a instalação na fazenda de um
cliente, cobrando R$ 3.000,00 pelo serviço. Se o valor pago pelo cliente, em 120 dias, ao representante comercial confere a este uma taxa
interna de retorno (TIR) mensal de 7% e se 1,31 é o valor aproximado de 1,074, é correto afirmar que o representante comercial receberá

a) mais de R$ 13.500,00.
b) menos de R$ 12.000,00.
c) mais de R$ 12.000,00 e menos de R$ 12.500,00.
d) de R$ 12.500,00 e menos de R$ 13.000,00.
e) mais de R$ 13.000,00 e menos de R$ 13.500,00.

Resolução:

Alternativa A

Didatismo e Conhecimento 39
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO
7) (Casa da Moeda do Brasil 2012 - CESGRANRIO) –
Uma microempresa planeja efetuar um projeto de investimento de ANOTAÇÕES
R$ 50.000,00 e obter o retorno da aplicação em apenas 1 ano. Con-
siderando que, ao fim desse período, o fluxo de caixa obtido seja
de R$ 55.000,00, a taxa interna de retorno do investimento é de:
(A) 0,9%
(B) 1,1%
(C) 5% —————————————————————————
(D) 10% —————————————————————————
(E) 15%
—————————————————————————
Resolução
O primeiro passo é anotar os dados da questão. —————————————————————————
VP = 0 (é sempre zero)
—————————————————————————
capital = 50000 (não esquecer de colocar o sinal negativo)
n=1 —————————————————————————
—————————————————————————
—————————————————————————
—————————————————————————
—————————————————————————
—————————————————————————
—————————————————————————
—————————————————————————
—————————————————————————
—————————————————————————
—————————————————————————
—————————————————————————
—————————————————————————
Resposta 10
—————————————————————————
ANOTAÇÕES —————————————————————————
—————————————————————————
—————————————————————————

————————————————————————— —————————————————————————

————————————————————————— —————————————————————————

————————————————————————— —————————————————————————

————————————————————————— —————————————————————————

————————————————————————— —————————————————————————

————————————————————————— —————————————————————————

————————————————————————— —————————————————————————

————————————————————————— —————————————————————————

————————————————————————— —————————————————————————

Didatismo e Conhecimento 40
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO

ANOTAÇÕES

————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
———————————————————————————————————————————————————
———————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————

Didatismo e Conhecimento 41
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO

ANOTAÇÕES

————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
———————————————————————————————————————————————————
———————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————

Didatismo e Conhecimento 42
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO

ANOTAÇÕES

————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
———————————————————————————————————————————————————
———————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————

Didatismo e Conhecimento 43
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO

ANOTAÇÕES

————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
———————————————————————————————————————————————————
———————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————

Didatismo e Conhecimento 44
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO

ANOTAÇÕES

————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
———————————————————————————————————————————————————
———————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————

Didatismo e Conhecimento 45
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO

ANOTAÇÕES

————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
———————————————————————————————————————————————————
———————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————
————————————————————————————————————————————————————

Didatismo e Conhecimento 46