Sei sulla pagina 1di 9

Colégio João Paulo I

Disciplina: Redação Professora: Thamis


Turma: 2003
Caderno 2 Unidade 1
▪ Do Latim, Fábula significa “história, jogo ou narrativa”. Enquanto gênero
discursivo, é desenvolvida a partir dos elementos essenciais característicos
dos tipos de textos narrativos, como personagens (protagonista, antagonista
e coadjuvante), narrador (personagem, observador ou onisciente), foco
narrativo (1º ou 3º pessoa), tempo (cronológico ou psicológico)
e espaço (onde acontece a história).
▪ Com relação às características do gênero fábula, podemos dizer que se trata
de uma composição literária em prosa e, de maneira geral,
bastante breve. Os personagens das fábulas são animais que
se personificam, ou seja, adquirem características dos seres humanos.
▪ Exemplos de fábulas: A lebre e a tartaruga; O patinho feio; Os três porquinhos; A
cigarra e a formiga.
▪ São textos direcionados ao público infantil, tendo os animais falantes
como personagens principais. São histórias no sentido figurado, que
trazem lições de moral e ensinamentos ao longo da narrativa.

▪ Muitos estudiosos acreditam que as primeiras Fábulas tenham sido


criadas oralmente, no século 6 a.C., por um escravo da Grécia
Antiga chamado de Esopo. Grande parte das fábulas de Esopo é
conhecida, sobretudo, em virtude das contribuições de Jean de La
Fontaine, um escritor francês que se dedicou a passar para o papel
as histórias de Esopo, eternizando-as.
▪ Moral da história:
Ao final da história, sempre existe uma “lição de moral”. Ela serve para
ajudar as crianças a compreenderem os ensinamentos da narrativa de
forma mais prática, já que ainda estão em fase de desenvolvimento das
habilidades de interpretação. Essa moral pode vir em forma de parágrafo
curto ou frase final.
▪ Animais falantes:
O elemento principal das fábulas é conter animais que falam. Eles podem
conversar tanto entre si quanto com seres humanos e isso acontece de
forma natural, como se fosse “normal” ver animais dialogando por aí.
▪ Textos curtos:
Por serem direcionados ao público infantil, não devem ser muito
longos, ou corremos o risco de perder a atenção dos leitores ou
ouvintes. As histórias devem ser breves e não muito complexas para
que possam ser contadas rapidamente.
▪ Personagens tipo:
Na maior parte das histórias, os personagens representam um
comportamento coletivo, não individual. Suas características devem
espelhar um padrão: por exemplo, na história da lebre e da tartaruga,
a lebre representa os “preguiçosos, que gostam de vitórias fáceis”. Já
a tartaruga é o tipo “persistente e batalhadora”.
▪ O conto é um dos gêneros narrativos mais comuns na tradição
literária brasileira. Grandes autores, como Álvares de
Azevedo, Machado de Assis ou Mário de Andrade, são
reconhecidamente excelentes contistas. Em virtude da importância
do gênero, muitas faculdades e universidades solicitam aos
candidatos, em seus vestibulares, que produzam contos. Existem,
inclusive, alguns tipos ou subcategorias desse gênero, entre os quais
estão: o conto de fadas ou o conto fantástico.
▪ O gênero literário conto é estruturado como uma narrativa curta que
envolve apenas um conflito. Nessa perspectiva, o momento de maior
tensão do gênero é chamado de clímax. Além disso, embora não seja
uma regra, é comum que o conto apresente:
▪ poucos personagens;
▪ espaço ou cenário limitado;
▪ recorte temporal reduzido.
▪ O conto é estruturado com base na tipologia narrativa. Dessa forma, o
conto contém a presença de personagens, de um narrador, do tempo,
espaço, enredo e conflito.
▪ Uma subcategoria de conto, popularizada no século XX, é o microconto. Nele, em
uma ou duas frases, toda a estrutura do gênero aparece. Veja, a seguir, dois
microcontos de célebres autores da Modernidade:
“Vende-se: sapatinhos de bebê nunca usados.”

“Uma gaiola saiu à procura de um pássaro.”


▪ Nota-se que, em ambos os casos, há uma narrativa com conflito único. No primeiro
caso, o conflito, em seu clímax, é a venda de sapatinhos de bebê nunca usados.
Sugere-se, portanto, que as personagens envolvidas perderam um filho.
▪ No segundo exemplo, o clímax estaria na ação da personagem gaiola, que sai em
busca de um pássaro prisioneiro.