Sei sulla pagina 1di 1

Argumentos a favor do evolucionismo

Azevedo, N., Esteves, T., Fernandes, D., Ferreira, D., Jaques, T.

Introdução Biologia Celular e Molecular Anatomia Comparada


Todos os seres vivos são Estruturas homólogas Estruturas análogas Órgãos vestigiais
Múltiplas áreas do conhecimento fundamentam e apoiam a teoria constituídos por células (Fig. 3,4),
evolucionista das espécies. Inicialmente, esta teoria baseou-se em dados • Estruturas • Estruturas • Órgãos que, por terem
todos possuem os mesmos tipos de fisiologicamente fisiologicamente distintas, atrofiado, não apresentam
fornecidos pela Anatomia Comparada, pela Paleontologia, pela Biogeografia biomoléculas, todos têm semelhantes, com a embora desempenhem a função aparente num certo
e pela Embriologia. Posteriormente, surgiram novos ramos da Biologia, mesma sequência mesma função; grupo de seres vivos, mas
mecanismos semelhantes de síntese embrionária; • Associada à evolução encontram-se bem
como consequência de vários avanços científicos, que produziram dados que proteica e o código genético é, • Associada à evolução divergente (pressões desenvolvidos num outro
Figura 4 – Célula vegetal grupo.
também vieram dar ênfase às teorias evolucionistas. Destes contributos divergente (ancestral seletivas semelhantes).
praticamente, universal. Esta comum).
destacam-se os da Citologia, da Biologia Molecular e da Genética. unidade estrutural e funcional do
Este trabalho tem como objetivo a compreensão dos argumentos dados por mundo vivo apoia uma origem
estas áreas do conhecimento, de que forma estes argumentos apoiam a teoria comum para todos os seres vivos e a
evolucionista das espécies e quais são as suas fragilidades e pontos fortes. sua diversificação por mecanismos
de evolução. Figura 3 – Célula Animal Figura 6 – Estruturas homólogas e análogas Figura 7 – Órgãos vestigiais

Artigo Científico Embriologia

Argumentos a favor do Evolucionismo


Atualmente, verifica-se que os dados em que estes argumentos se baseiam
Paleontologia
são frequentemente referenciados em artigos: Em certas situações, a

Biologia Celular e Molecular


homologia de estruturas não é
-Paleontologia: O registo fóssil deixa evidente a divergência das formas evidente nos adultos, mas é
representativas posteriores comparadas com as anteriores, em cada grupo de evidente durante o

Biogeografia
organismos (Papavero & Santos, 2014); Cuvier acreditava que o número de desenvolvimento embrionário.
espécies variou, efetivamente, ao longo do tempo como é demonstrado pelos Por exemplo, nas fases iniciais
achados de seres vivos fossilizados (Galera, 2016). do desenvolvimento

Anatomia Comparada
-Biologia Celular e Molecular: Os genótipos das plantas permitem-nas embrionário, todos os
adquirir certos fenótipos, dependendo do ambiente em que se encontram vertebrados apresentam cauda,
(Sultan, 1992). que depois não se desenvolve

Embriologia
nalguns grupos (Fig. 8).
Figura 8 – Embriologia comparada

Paleontologia Biogeografia Conclusão


A sucessão dos fósseis em estratos sedimentares permite acompanhar a As espécies tendem a ser mais relacionadas com outras espécies da Com este trabalho, foi possível concluir que os argumentos fornecidos são
história evolutiva de alguns grupos de organismos. Estes fósseis são mesma área geográfica do que com espécies que, embora ocupando o convincentes e válidos e que reforçam as teorias evolucionistas existentes. Estes
considerados fósseis de transição. mesmo nicho ecológico em ambientes semelhantes, vivem em áreas dados reforçam a ideia de que as espécies sofreram alterações ao longo do tempo.
geográficas diferentes. Espécies da mesma área geográfica, partilham com Além disso, foi possível observar que áreas como a paleontologia, a
Fósseis de Transição muito maior probabilidade, os mesmos ancestrais do que espécies de áreas anatomia comparada, a biologia celular e molecular, a biogeografia e a
• Apresentam características intermédias entre geográficas afastadas. A deriva continental (Fig. 5) deve também ser embriologia são fundamentais para que as teorias evolucionistas sejam
grupos de seres vivos atuais;
• Documentam as transformações sofridas
Figura 1 - Protosuchus considerada, pois, outrora, os continentes já estiveram todos unidos. aceites pela maioria da comunidade científica.
pelos seres vivos que estiveram na origem de
novas espécies. Bibliografia
Ex: -Galera, A. (2017). Journal of the History of Biology. The Impact of Lamarck's Theory of Evolution Before Darwin's
• Protosuchus (Fig. 1), proveniente da Theory.
transição entre tecodontes e crocodilos; -Papavero, N., & Santos, C. F. (2014). Revista Brasileira de História. Evolucionismo darwinista? Contribuições de Alfred
• Archaeopteryx (Fig. 2), proveniente da Russel Wallace to the theory of evolution, pp. 159-180.
transição entre répteis e aves -Sultan, S. E. (1992). Evolutionary Trends in Plants. What has survived of Darwin's theory?, pp. 61-71.
Figura 2 – Archaeopteryx Figura 5 – Deriva Continental -Martins, Perdo; Matias, Osório (2018). Biologia 11. Areal Editores, Maia.