Sei sulla pagina 1di 8

MESTRADO EM DIRECÇÃO ESTRATÉGICA EM TECNOLOGIAS DA

INFORMAÇÃO

DISCIPLINA: TÉCNICA DE DIRECÇÃO E LIDERANÇA


ORGANIZACIONAL - TR024

CASOS PRÁTICOS

Aluno: Joaquim Afonso Mucuambi


B.I. Nº: 001435854NE034
Código de Usuário: AOMDETI 2023462
País: Angola; --------------- Província: Namibe; --------------- Cidade: Moçâmedes
Data de realização: 29 de Abril de 2020

Aluno: Joaquim Afonso Mucuambi Angola – Namibe


1

CASOS PRÁTICOS

CASO 1. “Frederico Azera S.A.”

1. QUESTÃO: Que tipo de estilo essa situação reflete?


RESPOSTA: Liderança Autocrática
Trata-se de um estilo de liderança em que o controle das decisões está nas
mãos de apenas um indivíduo, o líder, que raramente solicita ou acata as
opiniões e sugestões dos seus subordinados. Os líderes autocráticos,
assumem toda a responsabilidade pelas tomadas de decisões, seja de maneira
unilateral, e são levadas aos membros como ordens de cumprimento
obrigatório, propiciando pouca participação na definição das metas e tarefas.

Este estilo se baseia em ameaças e punições, razão pela qual desagrada aos
subordinados, chegando a criar temor. Esse estilo não é o melhor, mesmo que
permita tomar decisões rápidas. É mais sutil nos controles e também alcanca
uma maior produtividade.

2. QUESTÃO: Explique os pontos fortes e fracos desse estilo.


RESPOSTA: Pontos fortes e pontos fracos.

Pontos Fortes:
v Quando o trabalho do cargo requer clareza e precisão;
v Quando se é avaliado pelas próprias competências;
v Permite decisões rápidas;
v Recrutamento do pessoal menos qualificados;
v Garante segurança;
v É gratificante para o líder.

Pontos fracos:
v Desagrada os empregados por criar temor;
v Quando não desenvolve o potencial de seus subordinados;
v Quando não se é competente. 


Aluno: Joaquim Afonso Mucuambi Angola – Namibe


2

CASO 2. “Pío Pío”

1. QUESTÃO: Que tipo de estilo essa situação reflete?


RESPOSTA: Liderança Democrática.
A liderança democrática é aquela em que o gestor envolve os colaboradores
em quase todos os planos, discussões e procedimentos da empresa ou setor.
Nela, as responsabilidades são distribuídas por todos os membros da equipe,
que participam da tomada de decisões junto com o líder.
O gestor precisa saber compartilhar as tarefas com os colaboradores, bem
como ouvi-los.
Por outro lado, os membros da equipe também devem ser capacitados e
treinados de modo que possam contribuir de maneira adequada para o bom
andamento do trabalho.
O líder subordina suas decisões aos critérios adoptados pela maioria em
termos de decisão. Envolve ainda desvantagens porque o líder se desgasta
tratando de obter essa maioria e a consulta uma e outra vez, sem decidir –se a
atuar.

2. QUESTÃO: Explique os pontos fortes e fracos desse estilo.


RESPOSTA: Pontos fortes e pontos fracos.
Pontos Fortes:
v Quando o trabalho é coordenado e em equipe; 

v Quando o líder propicia uma sensação de participação a todos os

membros;
v Quando o líder conhece as aptidões de todos os membros e pode,

portanto, fazer o uso dos esforços do grupo para resolver problemas;
v Quando o líder consegue resultados integrando competências,
capacidades e, habilidades e conhecimento de cada membro de forma
tal que seus pontos de vista fortes se complementem e os fracos se
reduzam ao mínimo; o líder evita a formação de subgrupos

(“panelinhas”);
v Quando o líder evita se produzam situações a serem solucionadas
mediante votação.

Aluno: Joaquim Afonso Mucuambi Angola – Namibe


3

Pontos fracos:
v Quando não se pode organizar o grupo, devendo se ele
rigorosamente controlado;
v Gera alguns problemas; dá lugar, com frequência, a uma divisão de
áreas de trabalho;
v As soluções aos problemas suscitados por duas ou mais alternativas
não significam nenhuma solução;
v Havendo um grupo majoritário, sua opinião geralmente é adotada
passando-se por cima das objeções apresentada pela minoria. A
minoria quase nunca apoia as soluções adoptadas pela maioria. 


CASO 3. “Esperanza S.A.”

1. QUESTÃO: Que tipo de estilo essa situação reflete?


RESPOSTA: Liderança Laissez – Faire ( Do francês: Deixar Fazer).
Os lideres evadem-se do poder e da responsabilidade; dependem, em grande
medida, do grupo para estabelecer as metas e as soluções aos problemas; os
membros do grupo se encarregam de se superarem, proporcionando o líder
pouquíssimo contacto e apoio aos seguidores. Os membros, neste estilo de
liderança, devem ser altamente qualificados e capazes, para que esse enfoque
tenha um resultado final satisfatório.
O nome “Laissez-Faire” vem do francês, e significa “deixai fazer, deixai ir,
deixai passar”. Este é um estilo de liderança liberal, em que o líder não se
impõe aos seus liderados e dá total liberdade para que o grupo tome as
decisões e dívida tarefas. Neste modelo, o líder raramente se envolve em
discussões, e entende que sua equipe possui maturidade e dispensa
supervisão constante.

Aluno: Joaquim Afonso Mucuambi Angola – Namibe


4

2. QUESTÃO: Explique os pontos fortes e fracos desse estilo.
RESPOSTA: Pontos fortes e pontos fracos.

Pontos Fortes:
v No momento de avaliar o resultado de um processo de capacitação dos
subordinados;
v Para contribuir com o desenvolvimento da autoconfiança de seus
subordinados;
v Para avaliar a maturidade dos subordinados e a capacidade de
relacionamento 
interpessoal entre pares, principalmente em momentos
de conflito. 


Pontos fracos: 

v Falta de confiança dos colaboradores em seu líder. Isso acontece
porque, como o grupo pode agir livremente, todos aprendem e não
esperar do líder nada. 


CASO 4. “Julían Sánchez S.A.”

1. QUESTÃO: Que tipo de estilo essa situação reflete?


RESPOSTA: Liderança Paternalista 

Consiste em proteger o grupo, tolelar certas debilidades, aceitar certas
liberdades de modo a influencia-lo. É um estilo de liderança no qual as relações
de direcção podem se igualar aquelas entre pais e filhos.
Eles acabam se sentindo importantes e valorizados, e se apegando à
organização de tal forma, que passam a se sentir parte de uma família. Esse é
um ponto positivo porque reduz a rotatividade e faz com que os funcionários
realmente vistam a camisa da empresa. 
Como o líder tem uma postura mais
amigável, isso faz com que os funcionários se sintam mais à vontade para dar
feedbacks e levar sugestões que podem trazer melhorias importantes para a
empresa. Entretanto, não se pode esquecer que a decisão de acatar ou não
uma ideia vai ser sempre do gestor 


Aluno: Joaquim Afonso Mucuambi Angola – Namibe


5

2. QUESTÃO: Explique os pontos fortes e fracos desse estilo.
RESPOSTA: Pontos fortes e pontos fracos.
Pontos fortes:
v Reduz a resistência à autoridade e cria fortes compromissos por parte
dos subordinados para com os dirigentes. 

Pontos fracos: 

v Uma das principais desvantagens da liderança paternalista é o fato de
que, assim como em famílias tradicionais, o pai toma as decisões e seus
filhos apenas acatam; o que faz com que eles não tenham liberdade
para aprender sozinhos e se desenvolver. Isso acaba gerando uma
estagnação dentro da empresa, pois apenas o gestor tem o poder de
decisão.
v A falta de autonomia dos colaboradores na abordagem paternalista pode
ser fatal para o sucesso de uma empresa e levá-la à estagnação. Esse
estilo de liderança também tem os seus pontos positivos, por isso é
importante ter um equilíbrio para que os funcionários não se sintam
como crianças aguardando o pai agir, defendê-las e prover, sozinho, os
resultados. Líder, fique atento para não perder a mão e faça uma gestão
de pessoas mais eficiente e produtiva.
v Afecta também a criatividade dos funcionários jovens e a defesa, por
parte dos chefes, e trabalhadores incapazes.

CASO 5. “llusiones S.A.”

1. QUESTÕES: Explique esse caso recorrendo ás teorias de liderança que


conhece.
RESPOSTA: Uma das teorias de liderança que conheço pata este caso, será a
teoria normativa de V. VROOM e P. YETTON.
Aqui os autores centram-se no grau com que o líder estimula a participação de
seus subordinados na tomada de decisões ou na resolução de um problema
em particular.
Este modelo distinguiu cinco estilos de liderança ou processos de decisão,
levando em consideração o grau de oportunidade oferecido aos subordinados:

Aluno: Joaquim Afonso Mucuambi Angola – Namibe


6

Autoritárias I: Os lideres solucionam o problema ou tomam a decisão por si
mesmos, usando a informação disponível nesse momento.
Autoritárias II: Os lideres obtêm a informação necessária dos subordinados,
depois decidem por si mesmos qual a solução para o problema, e podem
explicar ou não a seus subordinados qual é o problema quando solicitam
informação.
Consecutivas I: Os lideres compartilham o problema com os subordinados
relevantes e de modo individual, escutando suas ideias e sugestões sem
considerá-los como um grupo.
Consecutivas II: Os lideres compartilham o problema com os subordinados,
como um grupo e obtêm, colectivamente, suas ideias e sugestões.
Participativas I: Por ultimo os lideres compartilham o problema com os
subordinados, com o grupo. Os lideres e subordinados, juntos, geram e
avaliam as alternativas e tentam chegar a um acordo em torno de uma solução.

2. QUESTÕES: Que vantagens e desvantagens apresenta este estilo?


RESPOSTA:
Vantagens.
v Precisa de informações de outras pessoas para resolver um problema;
v O engajamento dos membros da equipe para a decisão é importante;
v Tem tempo suficiente para gerir uma decisão do grupo;
v A equipe vai aceitar a sua decisão.

Desvantagens
v O líder pode possuir grande poder e autoridade, mas isso não garante
que suas decisões sejam aceitas ou implementadas pelos membros da
organização;
v A definição do problema não é clara;
v Tem mais conhecimentos sobre o assunto do que os outros;
v Está confiante agindo sozinho;
v Há pouco tempo disponível (não reúne nem atende os seus
subordinados).

Aluno: Joaquim Afonso Mucuambi Angola – Namibe


7

3. QUESTÃO: Que faria você nesta situação, assumindo a posição da
Senhora Rita?
RESPOSTA: Nesta situação assumindo a posição da Senhora Rita, para o
bem da empresa eu faria o seguinte:
v Reunia com os meus subordinados;
v Estimulava os meus subordinados, atendendo a facturação da empresa,
com formações em diversas áreas para houver rotatividade dos
mesmos;
v Escutar e analisar os projectos vindo dos subordinados, para que eles
também tomem as suas iniciativas e fazer as suas propostas;
v Antes de punir um subordinado elogiar que os erros existem para serem
superados;
v Resumindo ser mais comunicativo com os subordinados, não ocultando
as informações.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Material e textos de Apoio a Disciplina:

1. FUNIBER, Técnicas de Direcção e Liderança Organizacional – TR024.

Aluno: Joaquim Afonso Mucuambi Angola – Namibe


8