Sei sulla pagina 1di 28

SISTEMA

CIRCULATÓRIO
PROF.ª ENFª. LETICIA PEDROSO
ESPECIALISTA EM URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
SISTEMA CIRCULATÓRIO

• O sistema circulatório é composto pelo


coração, os vasos sanguíneos e o sangue.
• Função da circulação do sangue: levar material
nutritivo e oxigênio às células de vários órgãos.
O sangue também transporta resíduos do
metabolismo para que possam ser eliminados
do corpo.
O SANGUE

• O sangue é um tecido conjuntivo líquido que circula pelo


sistema vascular; de cor vermelho, é geralmente
produzido na medula óssea.
• Função: manutenção da vida do organismo, transporte
de nutrientes, excretas (metabólitos), oxigênio e gás
carbônico, hormônios, anticorpos.
• O sangue é formado por diversos tipos de células, que
constituem a parte "sólida" do sangue; essas imersas em
uma parte líquida chamada plasma.
COMPOSIÇÃO DO SANGUE

• → 34% de elementos figurados (células): Hemácias,


leucócitos e plaquetas.
• → 66% de plasma (Matriz extracelular).
• Hemácias → função: realizar a respiração celular,
ao transportar oxigênio e parte de gás carbônico
pela hemoglobina. São estocadas no baço, que por
sua vez tem duas funções: liberar hemácias sadias
(por ex., ao se fazer esforço físico) e destruir
hemácias velhas, reciclando a hemoglobina.
• Leucócitos → formam verdadeiros exércitos
contra os MO causadores de doenças e
qualquer partícula estranha que penetre no
organismo: vírus, bactérias, parasitas ou
proteínas diferentes das do corpo. Eles
também "limpam" o corpo destruindo
células mortas e restos de tecidos. →
função: imunológica ou de defesa do
organismo .
• Plaquetas → São fragmentos de células da medula óssea chamadas megacariócitos. →
função: realizar a coagulação sanguínea.

• Plasma → função: transporte de hemácias, leucócitos, plaquetas e outras substâncias


dissolvidas, como proteínas, nutrientes (glicose, aminoácidos, ácidos graxos); excretas
(uréia, ácidos úricos, amônia); hormônios (testosterona, adrenalina); anticorpos; sais/íons
(sódio, potássio); gases (na forma de ácido carbônico ou H2CO3). O plasma transporta
essas substâncias por todo organismo, permitindo às células a receber nutrientes e
excretar e/ou secretar substâncias geradas no metabolismo.
DIVISÃO DO SISTEMA
CIRCULATÓRIO

• a) Sistema sanguíneo: são os vasos condutores do


sangue (artérias, veias e capilares) e o coração (o
qual pode ser considerado como um vaso
modificado);
• b) Sistema linfático: formado pelos vasos
condutores da linfa e por órgãos linfóides
(linfonodos e tonsilas);
• c) Órgãos hematopoiéticos: representados pela
medula óssea e pelos órgãos linfoides: baço e Timo
(produz linfócitos).
OS VASOS SANGUÍNEOS

• O sangue é transportado pelas artérias (vasos que saem do coração), as veias


(chegam ao coração). Assim, tanto artérias quanto veias podem transportar
sangue rico em oxigênio (arterial) ou pobre nesse gás (venoso).
PRINCIPAIS
VEIAS DO
CORPO
HUMANO
PRINCIPAIS ARTÉRIAS DO CORPO
HUMANO
O CORAÇÃO

• É um órgão muscular, oco, que funciona como uma


bomba contrátil-propulsora.
• O tecido muscular é de tipo estriado cardíaco, mas é
de ação involuntária e se divide em 3 camadas:
camada média ou miocárdio. Forrando internamente
o miocárdio está o endocárdio. Externamente ao
miocárdio, há uma membrana que reveste o coração,
como um saco, denominada pericárdio.
O CORAÇÃO

• O coração fica situado na cavidade torácica,


atrás do esterno, acima do músculo diafragma
num espaço chamado de mediastino.
• A cavidade do coração é subdividida em 4
câmaras (2 átrios e 2 ventrículos) e entre átrios
e ventrículos existem orifícios com dispositivos
orientadores da corrente sanguínea – são as
valvas.
ARTÉRIAS CORONARIANAS - RAMIFICAÇÕES DA
AORTA
DIVIDE-SE O CORAÇÃO EM QUATRO PARTES:

• Átrio direito (AD) - a ele chegam: a veia cava


superior, a veia cava inferior e a veia
coronária, trazendo sangue venoso de todo
o organismo, inclusive do músculo cardíaco.
• Ventrículo direito (VD) - dele parte a artéria
pulmonar que se divide em direita e
esquerda, com sangue venoso proveniente
do AD.
DIVIDE-SE O CORAÇÃO EM QUATRO PARTES:

• Átrio esquerdo (AE): na sua cavidade


desembocam duas veias pulmonares direitas e
duas veias pulmonares esquerdas, com sangue
arterial (rico em O2).
• Ventrículo esquerdo (VE): recebe sangue
arterial do átrio esquerdo; desta cavidade
parte a artéria aorta. É a cavidade de
musculatura mais espessa.
VÁLVULAS DO CORAÇÃO

• Existe no coração uma estrutura denominada valva ou


válvula, composta por cúspides, presa aos músculos que
se projetam da cavidade cardíaca.
• Entre o AD e o VD há a valva tricúspide e entre o AE e o VE
há a valva mitral ou bicúspide.
• Entre o VD e a AP há a valva pulmonar e entre o VE e a AA
encontra-se a valva aórtica.
• A função dessas valvas: quando abertas, permitir a saída
de sangue e, quando fechadas, impedir o seu refluxo.
FISIOLOGIA CARDÍACA – 1º SISTEMA DE CIRCULAÇÃO
SANGUÍNEA

• Circulação pulmonar ou pequena circulação: o sangue venoso sai do ventrículo


direito pela artéria pulmonar, que se ramifica em direita e esquerda, indo cada
uma delas respectivamente para o pulmão direito e esquerdo. Os capilares
arteriais contendo sangue venoso envolvem os alvéolos pulmonares; é a nível
alveolar que ocorre a troca de gás carbônico por oxigênio. A junção de vários
capilares venosos contendo sangue arterial formará as quatro veias
pulmonares, duas de cada pulmão, que desembocam no átrio esquerdo.
Portanto a circulação pulmonar tem por função oxigenar o sangue através da
troca de gás carbônico por oxigênio = hematose.
CIRCULAÇÃO PULMONAR
CIRCULAÇÃO SISTÊMICA OU GRANDE CIRCULAÇÃO:

• Leva o sangue arterial do ventrículo


esquerdo para todo o organismo, a
fim de abastecer todas as células com
oxigênio e nutrientes; após receber o
gás carbônico e as excretas das
células do organismo, retorna ao átrio
direito com o sangue venoso pelas
veias cavas superior e inferior.
2º CICLO CARDÍACO

• Consiste em 2 períodos:
• Sístoles (contração): os ventrículos se contraem
forçando a passagem do sangue para os pulmões,
para oxigenação, e pela aorta, para os tecidos do
corpo.
• Diástoles (relaxamento): os átrios direito e
esquerdo se contraem forçando a passagem do
sangue para os ventrículos, que ainda estão
relaxados.
3º CONTROLE DO CORAÇÃO PELO SISTEMA NERVOSO

• O coração é inervado pelos nervos simpático e parassimpático, que


são antagônicos em sua função. Esses dois nervos afetam o coração,
alterando a frequência ou alterando a força contrátil do miocárdio:
• Simpático: acelera o batimento cardíaco, aumentando a força de
contração do miocárdio e, consequentemente, da quantidade de
sangue expulso pelo coração;
• Parassimpático: é de atuação inversa a do simpático, pois diminui o
batimento cardíaco através da diminuição da excitabilidade e da
transmissão de estímulos.
4º AUTOMATISMO
DO CORAÇÃO

• O coração trabalha automaticamente, sob controle do


sistema nervoso, mas o impulso da atividade cardíaca
origina-se no coração. Esse sistema é composto por:
• Nódulo (nó ou nodo) sinusal ou sinoatrial (SA): é o
ponto de origem de todos os estímulos; situa-se no AD
próximo à desembocadura da veia cava superior. Esses
estímulos gerados no nódulo sinusal são transmitidos
diretamente para as fibras musculares dos átrios e para
o nódulo atrioventricular.
4º AUTOMATISMO DO CORAÇÃO

• Nódulo atrioventricular (AV): situa-se próximo do septo


atrial, recebe os estímulos do nódulo sinoatrial e os
transmite com ligeira defasagem para musculatura
ventricular.
• Feixe de His: é a continuação do nódulo AV, recebe os
estímulos desse nódulo e os transmite para as fibras de
Purkinge.
• Fibras de Purkinge: os estímulos são distribuídos aos
ventrículos por meio de seus feixes direito e esquerdo.
5º O TRABALHO CARDÍACO

• Débito Cardíaco é a quantidade de sangue bombeado por qualquer um dos ventrículos


durante um determinado período de tempo. Cada ventrículo de um adulto expulsa em
média 70 ml/sangue para as artérias em cada batimento cardíaco. Sabemos que a FC adulto
é de +/- 70 bpm, então o volume minuto por ventrículo ou débito cardíaco é de 4.900 ml.
• A contração (sístole) do miocárdio determina uma pressão no sistema arterial, que está
ligado aos ventrículos. A pressão do sangue arterial, na grande circulação, medida no
momento da sístole (pressão sistótica), é de +/- 120 mmHg. Durante a dilatação (diástole), a
pressão cai para +/- 80 mmHg (pressão diastólica). Dizemos então que, em condições
normais, a pressão arterial deve ser de 120x80 mm Hg.
SISTEMA ABO

• Em 1902, o médico austríaco Karl Landsteiner e alguns cientistas classificaram


o sangue humano em 4 tipos: A, B, AB e O. Eles descobriram que alguns tipos
sanguíneos eram incompatíveis, e essa incompatibilidade devia-se a uma reação
imunológica entre substâncias dissolvidas no plasma sanguíneo e substâncias
presentes nas células do sangue, as hemácias.
• Dessa forma, é de extrema importância que, antes de se fazer uma transfusão
sanguínea, se saiba o tipo sanguíneo da pessoa.
SISTEMA ABO

Aglutinogênios Aglutininas
Grupo sanguíneo
(nas hemácias) (no plasma sanguíneo)
A A anti – B
B B anti – A
AB AB ---
O --- anti – A e anti – B

Grupo sanguíneo Pode receber sangue de: Pode doar sangue para:
A AeO A e AB
B BeO B e AB
AB A, B, AB e O AB
O O A, B, AB e O
SISTEMA RH DE GRUPOS SANGUÍNEOS

• O sistema Rh também foi descoberto por Karl Landsteiner e sua equipe, em uma
experiência com um macaco da espécie Rhesus. Observaram que quando injetavam o
sangue desse macaco em cobaias, as cobaias produziam anticorpos, que eles chamaram de
anti-Rh (abreviatura de anti-rhesus).
• Fazendo essa mesma experiência, mas com sangue humano, os pesquisadores observaram
que 85% das amostras de sangue humano testadas com o anticorpo Rh sofreram
aglutinação, o que sugere a presença de antígeno Rh no sangue. As pessoas que tiveram as
hemácias aglutinadas pelo anticorpo Rh foram chamadas Rh +. As hemácias dos 15%
restantes não se aglutinaram e por isso foram chamadas de Rh-.
DÚVIDAS???