Sei sulla pagina 1di 5

Hera

Nome Científico: Glechoma hederacea; Hedera spp; Hedera helix L.


Família: Labiatae (Lamiaceae); Araliaceae.
Outros Nomes: "Erva São João"; Hera Européia, Coroa da Terra. Hera Terrestre.
Características: arbusto tipo trepadeira ou rasteira, com folhas verde-escuras brilhantes.
Muito usada como planta ornamental, possui frutos tóxicos. Planta trepadeira da família das
Araliáceas com duas variedades: Hedera Helix e Hedera helix vulgaris variegata (esta conhecida
como hera-malhada). Do latim hedera.
Habitat: proveniente da Europa, Norte da África, Ásia e Ilhas Canárias; desenvolve-se melhor
em lugares úmidos e com pouco sol.

Propriedades Energéticas:
Planeta: Saturno.
Elemento: Água.
Deuses: Baco, Dioniso, Osíris.
É uma planta histórica ligada a crenças gregas e egípcias. Nesses países, acreditava-se que a
hera escondia os duendes sob as folhagens. A planta era símbolo de felicidade e longevidade.
Guarda e protege a casa, de quem possui essa planta.
Usado nos rituais de fertilidade.
Bons em encantamentos de amor e para a saúde.
Não é boa a sua utilização por homens.

Hera – Por ser uma planta que se mantém sempre verde, simboliza a imortalidade, a amizade
duradoura, a fidelidade, o ardor sensual e a fragilidade feminina. A hera concede a arte do
encantamento somente pela contemplação. Contemple a hera e olhe para si mesmo, faça isso
muitas vezes; só um mergulho nas profundezas da alma pode nos revelar o seu segredo.

Sob ponto de vista antroposófico:


Quando a primavera desperta a vida do campo, vida essa que antes estava inibida pelo inverno
e que agora retorna à sua atividade; reparamos que uma das primeiras flores que surgem
pertencem à esta planta que cresce em locais que, mesmo no início da primavera, já estão
secos e ensolarados; tal planta também cresce junto às cercas vivas, aos muros e aos fossos, e
também sob as árvores frutíferas. Seus rizomas rasteiros, que não cessam de se enraizar,
geram hastes coroadas de flores azul violeta com dois lábios. Esta planta é a primeira a
transformar o aquecimento cósmico da terra em virtude calórica vegetal. Suas folhas são
redondas, com bordos sinuosos, moldados, pois pelas forças formatrizes aquosas. Mas estas
folhas vêm sendo impregnadas por um calor brando, mas apesar disso, um pouco apimentado.
Esta folhagem resiste ao frio do inverno. Após a floração, a planta continua a invadir o terreno,
graças aos seus rizomas. Eles pertencem a terra. A "hera terrestre” , como é chamada em
algumas regiões, cresce na região norte da Europa, nos países nórdicos e também na Sibéria.
Ela possui óleos essenciais, taninos e substâncias amargas que lhes conferem um sabor
aromático, mas terrestre, acre e amargo.

Propriedades Medicinais:
Partes usadas: folhas.
Expectorante, tosses, bronquites, úlceras varicosas, excitação nervosa, hemicrania,
menstruação difícil, emenagoga, asma, furúnculos, hidropisia, hipertensão, gota, antiulcerativa,
cicatrizante, analgésica, vasodilatadora, cicatrizante antiinflamatória e celulite.
Suas folhas apresentam substâncias antiinflamatórias e podem ser aplicadas como cataplasma
em queimaduras de sol e feridas. É indicada para casos de nefrite, nevralgia, bronquite, edema,
menstruação difícil, reumatismo, tosse e, aplicada na forma de chá, escurece os cabelos
brancos. Suas propriedades adstringentes foram utilizadas para reduzir sinusite, bronquite,
febre do feno e renite alérgica.
Seu componente (hederosaponina) permite ação contra fungos, hipofunção da glândula tireóide
(redução de glicose e triglicérides), problemas pulmonares e afecções reumáticas, bem como
ativar a vesícula biliar. Nos casos de nevralgias, há redução da sensibilidade dos nervos
periféricos, amenizando a dor, devido à ação da saponina.
Esta planta é empregada em uso externo e interno para estimular o metabolismo geral,
principalmente na primavera; na fraqueza da bexiga, nas obstruções do fígado e do baço, na
debilidade do trato digestivo, na insuficiência da gênese do sangue, nas perturbações de
origem tuberculosa dos órgãos respiratórios, na asma bronquial, na escrofulose, nos cálculos e
na icterícia; tais ações se aproximam às das Labiadas.
Ramos floridos, por infusão: Tônico do estômago, antiespasmódico, diurético, afecções das
vias respiratórias, anticatarral, afecções do aparelho genital feminino.
Modo de usar uso externo
Infusão - para queimaduras e úlceras varicosas: 10g de folhas de hera frescas para 2
litros de água fervente. Deixar amornar, coar, colocar numa gaze e aplicar na área afetada. O
líquido da infusão deve ser usado para lavar o ferimento causado pela queimadura.
Para escurecer cabelos brancos: chá por infusão com 1g de enxofre.
Óleo de hera ajuda a diminuir a celulite (veja o livro 50 Sucos Medicinais Campeões em
Saúde, do autor)
Uso interno
Infusão - para excitação nervosa, bronquites, tosses: 100 ml de água fervente para 6g
de folhas. Tampar por 10 minutos. Tomar 3 vezes ao dia.

Obs: não é recomendado aumentar a dosagem, pois outras partes da planta são venenosas,
especialmente os frutos.
Não é indicada para gestantes, lactantes e portadores de hipertireoidismo.

Propriedades químicas: saponinas (hederina, hederosaponina, hederagenina,


hederacosídeo), flavonóides (rutina e quercentina), ácidos clorogênico, terpênico, iodo e
princípio amargo (glechomina).

Fontes: www.planetaterra.com.br/saude
http://www.parana-online.com.br/noticias/colunista.php?op=ver&id=162797&caderno=20&colunista=112

Hera

Hedera helix L. - Araliaceae

A hera é uma planta originária da Europa e tida com grande estima pelos filósofos

antigos. Ela era usada nas coroas dos poetas e dedicada a


Baco, deus do vinho e das orgias, pelo seu poder de desintoxicar o corpo da ação do álcool. Hoje, a
hera é usada para eliminar gorduras localizadas e celulite.

Sinônimos: hera-inglesa e hera-verdadeira.

Outros Idiomas: hedera (latim), common ivy (inglês), hiedra (espanhol), lierre (francês), edera
(italiano) e gewöhnlicher efeu (alemão).
Descrição Botânica: A hera é uma planta trepadeira, de ciclo perene, que produz estolões e raízes
adventícias e fixadoras. O caule é filiforme. As folhas são persistentes, de coloração verde-escura,
de formato palmado ou trilobado, com pecíolo longo. As flores são de coloração branca, agrupadas
em inflorescências do tipo umbela. O fruto é uma baga, de coloração preta (outras vezes amarela) e
redondo como uma ervilha.

Composição Química: ácido clorogênico, ácido fórmico, ácido hederotônico, ácido shikímico,
ácidos terpênicos, hederacósido, hederina, hederosaponina, hederósido, hedrina, quercetina, rutina,
sais minerais (iodo), sapogeninas e taninos.

Partes Usadas: folhas.

Propriedades Medicinais: Analgésica, Antiespasmódica, Calmante, Cicatrizante, Estimulante,


Hidratante, Lipolítica e Vasodilatadora.

Usos
    culinária: não é usada.

    beleza: linhas de expressão e rugas, celulite, calos, pele irritada pós-sol e verrugas.

    saúde: úlceras, ferimentos e queimaduras, asma, bronquite, celulite, queimaduras, laringite,
hipertensão arterial, nevralgias, gota, escrofulose, ferimentos, reumatismo, neurites, feridas,
úlceras e calos.

Contra-Indicações: gestantes, lactantes, crianças e portadores de hipertireoidismo; aconselha-se


somente o uso interno somente com acompanhamento médico.

Efeitos Colaterais: diarréia e vômito.

Cultivo e Conservação

   clima: temperado ameno.

   exposição solar: meia-sombra e plena.

   propagação: estaquia de ramos novos.

   tipo de Solo: todos os tipos.

   adubação e correção: esterco de animal curtido, húmus ou matéria orgânica, incorporados a 30


centímetros de profundidade; adubação mineral com superfosfato; calagem em solos ácidos.

   necessidade de água: moderada.

Colheita

   folhas: são colhidas apenas as folhas novas.

Secagem

   folhas: recomenda-se usá-las frescas, porém pode-se secar ao ar livre, em local sombreado e
bem ventilado, ou em secador, com temperatura máxima de 35°C.
Acondicionamento

   folhas secas: em sacos de papel ou de pano.

Hedera canariensis

Também conhecida como Hera-da-algéria, ou simplesmente Hera, esta trepadeira pertence a


família das Araliáceas (Araliaceae).

Muito usada para forração e revestimentos de paredes e muros, alcançando quando adulta até
5 metros. Suas folhas em formato triangular, chegam a medir até 8 centímetros, e são muito
decorativas para jardins.

Gostam de clima ameno, sol pleno em locais de clima frio, e meia-sombra em locais mais
quentes. No outono, suas folhas apresentam a cor vermelha.
Não é uma planta muito exigente, gosta de solo arenoso, regas quinzenais na época de seca,
e adubação anual com torta de mamona, farinha de peixe ou de sangue, Salitre-do-Chile e
uréia.

Propaga-se por estaquia da ponta de ramos, e a melhor época é durante o outono.