Sei sulla pagina 1di 3

Reflita sobre a importância do trabalho do coordenador

pedagógico e como este profissional pode ser um elo importante


entre o corpo docente, os alunos e a direção da Escola.

A Lei n.º 9.394, de 20 de dezembro de 1996,


que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, prevê
que o profissional que assume esse compromisso deve ser
formado em nível superior por meio do curso de Pedagogia ou
de Pósgraduação na área. Na prática, nas escolas públicas, nem
sempre isso acontece, pois este cargo pode , às vezes, ser um
cargo de confiança ou um cabide de indicações para pessoas que
nem sempre tem a melhor capacitação. Na instituições
particulares, o papel do coordenador pedagógico é estabelecido
de modo mais formal, ou melhor, suas atribuições, que não são
poucas, são melhor definidas.

As atividades docentes também compreendem participação


na organização e gestão de sistemas e instituições de ensino, englobando: I -
planejamento, execução, coordenação, acompanhamento e avaliação de
tarefas próprias do setor da Educação; II - planejamento, execução,
coordenação, acompanhamento e avaliação de projetos e experiências
educativas não-escolares; III - produção e difusão do conhecimento
científico-tecnológico do campo educacional, em contextos escolares e não-
escolares. (BRASIL, 2006)

O coordenador pedagógico é um ser que


transita e faz parte da gestão e ao mesmo tempo precisa trazer os
anseios dos alunos, dos professores, além de ter um olhar sob a
prática docente. Esse olhar, por vezes é confundido como uma
intromissão na práxis e autonomia do professor. Os
coordenadores , dentro desse contexto mais contemporâneo,
estão saindo do aspecto de avaliador e transitando mais no papel
de colaborador, de orientador , uma pessoa com um olhar
preparado e capacitado para trazer possibilidades para o docente.
Um grande diferencial é o papel desse
coordenador na formação continuada do docente, quer seja
através de propostas de novas metodologias, revisão de planos
de aula ou acompanhamentos pedagógicos em grupo e
individualizados. Infelizmente, a escola pública , por vezes, não
possui mão-de-obra suficiente e esse coordenador acaba sendo
um “tapa-buraco” e isso o afasta da sua real função.
Compreender o espaço que deve ser ocupado por este
profissional, a necessidade que este profissional esteja
preparado para exercer esta função e permitir que ele atue dentro
do seu escopo fará com que haja mudanças reais dentro processo
pedagógico nas escolas. Esse profissional quando lhe é
permitido atuar como tal, possibilita que haja um olhar diferente
sobre as práticas pedagógicas dentro da instituição. Ter um
bom coordenador é ter um agente transformador e que necessita
ser agregador e um elo entre as diferentes pontas do processo de
ensino-aprendizagem.
Referencias
BELLO, Isabel Melero; PENNA, Marieta Gouvêa de Oliveira.
O papel do coordenador pedagógico nas escolas públicas
paulistanas: entre as questões pedagógicas e o gerencialismo.
Educ. rev., Curitiba , n. spe.1, p. 69-86, June 2017 .
Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?
script=sci_arttext&pid=S0104-
40602017000500069&lng=en&nrm=iso>. access on 04 Dec.
2019. http://dx.doi.org/10.1590/0104-4060.49149.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução CNE/CP Nº 01,


de 15 de maio de 2006. Institui as Diretrizes Curriculares
Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia
Licenciatura. Brasília: Conselho Nacional de Educação -
Conselho Pleno, 2006. Disponível em: <Disponível
em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_06.pdf >.
Acesso em: 04 de dec. 2019