Sei sulla pagina 1di 11
Curso de Turismo Escola Superior de Turismo e Tecnologias do Mar - IPL SISTEMAS DE

Curso de Turismo

Escola Superior de Turismo e Tecnologias do Mar - IPL

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EM TURISMO

1º Trabalho Prático 2010/2011

EM TURISMO 1º Trabalho Prático – 2010/2011 Professor Orientador: João Vasconcelos Trabalho elaborado

Professor Orientador: João Vasconcelos

Trabalho elaborado por:

Nuno Pereira 4100164

Tiago Alcobia 4100162

Índice

Introdução

Página 3

Questão nº1

Página 4

Questão nº2

Páginas 5-6

Questão nº3

Página 7

Questão nº4

Página 8

Anexos

Página 9-10

Introdução

Com a elaboração deste trabalho prático, pretende-se realizar um relatório com base em informação estatística disponível baseado nas questões colocadas pelo docente. Tal informação estatística será retirada do Instituto Nacional de Estatística (INE) e analizada a partir de gráficos feitos de quadros retirados do INE.

Questão nº1:

A percentagem de hóspedes alemães em unidades hoteleiras (face o total de hóspedes) tem vindo sempre a aumentar desde a década de 90? Qual a nacionalidade que mais aumentou?

Percentagem de Hóspedes em unidades hoteleiras

100% 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% 1990 1991 1992 1993
100%
90%
80%
70%
60%
50%
40%
30%
20%
10%
0%
1990
1991
1992
1993
1994
1995
1996
1997
1998
1999
2000
2001
2002
2003
2004
2005
2006
2007
2008

E.U.A.1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 Reino Unido Países Baixos

Reino1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 E.U.A. Unido Países Baixos

Unido

Países1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 E.U.A. Reino Unido Baixos

Baixos

Itália1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 E.U.A. Reino Unido Países

França1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 E.U.A. Reino Unido Países

Espanha1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 E.U.A. Reino Unido Países

Fontes: Publicação: Anuário Estatístico de Portugal - 2008, (Capítulo III.12.6); www.ine.pt

No gráfico acima, estão representadas as percentagens de hóspedes de vários países

em unidades hoteleiras.

Após uma análise do gráfico, é perceptível que a percentagem de hóspedes alemães

em unidades hoteleiras não registou contínuos aumentos durante a década de 90, dado que a

partir do ano de 1997 houve um decréscimo seguido de um ligeiro aumento no ano de 1999

voltando a diminuir até ao ano de 2008.

Das nacionalidades acima representadas, a que mais aumentou foi a portuguesa.

Questão nº2:

Os diferentes tipos de estabelecimento em espaço rural no Arquipélago dos Açores

evoluíram de modo semelhante (durante o período 2006-2008)?

Estabelecimentos, quartos e capacidade de

alojamento no turismo em espaço rural nos Açores

90

80

70

60

50

40

30

20

10

0

em espaço rural nos Açores 90 80 70 60 50 40 30 20 10 0 2006
em espaço rural nos Açores 90 80 70 60 50 40 30 20 10 0 2006
em espaço rural nos Açores 90 80 70 60 50 40 30 20 10 0 2006
em espaço rural nos Açores 90 80 70 60 50 40 30 20 10 0 2006
em espaço rural nos Açores 90 80 70 60 50 40 30 20 10 0 2006
em espaço rural nos Açores 90 80 70 60 50 40 30 20 10 0 2006
em espaço rural nos Açores 90 80 70 60 50 40 30 20 10 0 2006
em espaço rural nos Açores 90 80 70 60 50 40 30 20 10 0 2006
em espaço rural nos Açores 90 80 70 60 50 40 30 20 10 0 2006

2006

TOTALespaço rural nos Açores 90 80 70 60 50 40 30 20 10 0 2006 Agroturismo

Agroturismorural nos Açores 90 80 70 60 50 40 30 20 10 0 2006 TOTAL Hotel

Hotel RuralAçores 90 80 70 60 50 40 30 20 10 0 2006 TOTAL Agroturismo 2007 Turismo

2007

Turismo Rural60 50 40 30 20 10 0 2006 TOTAL Agroturismo Hotel Rural 2007 Casas de Campo

Casas de Campo70 60 50 40 30 20 10 0 2006 TOTAL Agroturismo Hotel Rural 2007 Turismo Rural

2008

Turismo de Habitação90 80 70 60 50 40 30 20 10 0 2006 TOTAL Agroturismo Hotel Rural 2007

Turismo de Aldeia80 70 60 50 40 30 20 10 0 2006 TOTAL Agroturismo Hotel Rural 2007 Turismo

 

Estabelecimentos, quartos e capacidade de alojamento no turismo em espaço rural nos Açores

   

Turismo

Turismo de

 

Casas de

Turismo de

Hotel

TOTAL

Rural

Habitação

Agroturismo

Campo

Aldeia

Rural

2006

74

14

11

3

45

1 0

 

2007

82

19

14

3

45

1 0

 

2008

82

20

14

3

44

1 0

 

Fontes: Publicação: Anuário Estatístico da Região Centro - 2008, (Capítulo III.11.5); www.ine.pt

Através da análise do gráfico apresentado, é possível aferir que, no período de 2006- 2008, houve uma evolução no Turismo Rural sendo que o Turismo de Habitação apenas registou um aumento de 2006 para 2007, mantendo-se constante em 2008. Durante o período em estudo, o Agroturismo e o Turismo de Aldeia mantiveram-se constantes e o Hotel Rural nulo (sem estabelecimentos, quartos ou capacidade de alojamento). Relativamente às Casas de Campo, decresceram de 2007 para 2008 embora ainda seja o que regista o maior valor de estabelecimentos, quartos e capacidade de alojamento.

Questão nº3:

A percentagem de turistas de Portugal, da Alemanha, Espanha, França, Itália e Reino Unido (de acordo com as dormidas nos estabelecimentos hoteleiros) apresenta um padrão bastante diferente em Óbidos e Peniche.

Óbidos

4% 17% 4% 52% 11% 12%
4%
17%
4%
52%
11%
12%

PortugalÓbidos 4% 17% 4% 52% 11% 12% Alemanha Espanha França Itália Reino Unido

AlemanhaÓbidos 4% 17% 4% 52% 11% 12% Portugal Espanha França Itália Reino Unido

EspanhaÓbidos 4% 17% 4% 52% 11% 12% Portugal Alemanha França Itália Reino Unido

FrançaÓbidos 4% 17% 4% 52% 11% 12% Portugal Alemanha Espanha Itália Reino Unido

ItáliaÓbidos 4% 17% 4% 52% 11% 12% Portugal Alemanha Espanha França Reino Unido

ReinoÓbidos 4% 17% 4% 52% 11% 12% Portugal Alemanha Espanha França Itália Unido

Unido

Peniche

1% 1% 10% 24% 61%
1%
1%
10%
24%
61%

3%

PortugalPeniche 1% 1% 10% 24% 61% 3% Alemanha Espanha França Itália Reino Unido

AlemanhaPeniche 1% 1% 10% 24% 61% 3% Portugal Espanha França Itália Reino Unido

EspanhaPeniche 1% 1% 10% 24% 61% 3% Portugal Alemanha França Itália Reino Unido

FrançaPeniche 1% 1% 10% 24% 61% 3% Portugal Alemanha Espanha Itália Reino Unido

ItáliaPeniche 1% 1% 10% 24% 61% 3% Portugal Alemanha Espanha França Reino Unido

ReinoPeniche 1% 1% 10% 24% 61% 3% Portugal Alemanha Espanha França Itália Unido

Unido

Fontes: Publicação: Estatísticas dos Transportes 2008 (Quadro V.16) - www.ine.pt

Por observação do gráfico, é possível verificar que Óbidos e Peniche diferem bastante na percentagem de turistas (de Portugal, Alemanha, Espanha, França, Itália e Reino Unido) que recebem para dormidas nos estabelecimentos hoteleiros. Entre as duas localidades estudadas, as percentagens diferem mas é Portugal que apresenta, em ambas, a maior percentagem de turista sendo que Peniche (61%) recebe mais turistas portugueses que Óbidos (52%). Relativamente aos restantes países, os turistas do Reino Unido, Alemanha e Itália optam por Óbidos possivelmente pelas suas atrações como a Feira do Chocolate, a Vila Natal, a Semana Santa, a Feira Medieval, entre outros que ao longo dos anos se têm afirmado como atrações turísticas de Óbidos. Os turistas que preferem Peniche são provenientes de Espanha e França e, possivelmente, atraídos pelas estâncias balnerares, campeonatos de surf ou até mesmo a ilha das Berlengas.

Questão nº4:

Os três principais aeroportos nacionais têm a mesma relação entre o número de passageiros embarcados e desembarcados?

8 000 000 7 000 000 6 000 000 5 000 000 4 000 000
8
000 000
7
000 000
6
000 000
5
000 000
4
000 000
3
000 000
2
000 000
1
000 000
0
Lisboa
Porto
Faro

Embarcados7 000 000 6 000 000 5 000 000 4 000 000 3 000 000 2

Desembarcados000 7 000 000 6 000 000 5 000 000 4 000 000 3 000 000

Fontes: Publicação: Anuário Estatístico de Portugal 2008, (Capítulo III.12.7), Anuário Estatístico de 2007 (capítulo III.12.7) e Anuário Estatístico de 2006 (Capitulo III 11.7); www.ine.pt

No gráfico acima estão relacionados o número de passageiros embarcados e desembarcados nos aeroportos de Lisboa, Porto e Faro. Após um estudo aos dados apresentados, é notório que o aeroporto de Lisboa é o aeroporto com mais passageiros tanto embarcados como desembarcados. Tal deve-se ao facto de ser a capital portuguesa e onde se concentra um maior número de serviços.

Anexos:

Questão 1:

Anexos: Questão 1:

Questão 2:

Questão 2:

Questão 3:

Questão 3: Questão 4:

Questão 4:

Questão 3: Questão 4: