Sei sulla pagina 1di 9

Introdução

O presente projecto de pesquisa intitulados A compreensão da abordagem da temática


do Género Gramatical por professores da Escola Secundaria da Manga. Com o tema
pretende-se compreender ate que ponto os professores dessa escola utilizam o género
masculino versus feminino gramatical nas suas abordagens dentro da sala de aula.
Sabe-se que a linguagem da abordagem gramatical tradicional apresenta incoerências e
imprecisões advindas especialmente de sua origem e evolução. No que diz respeito à
categoria de gênero, especificamente, não é raro encontrarmos incoerências conceituais
em seu tratamento, tanto nas gramáticas normativas quanto nas escolas, nos livros
didácticos, entre outras fontes.

Justificativa
A escolha do tema deve-se ao facto da autora verificar que a categoria de gênero
caracteriza-se, de modo geral, como responsável pela divisão dos nomes em “classes”.
Na língua portuguesa, essa perspectiva classificatória faz com que todos os nomes
estejam agrupados na dicotomia masculino/feminino; porém, é possível encontrar
imprecisões na maneira como ele é trabalhado, especialmente porque se costuma
associar semanticamente a categoria de gênero ao sexo dos seres, gerando imprecisão e
até mesmo confusão conceitual.
Isso nos foi desvelado, especialmente, pela dificuldade em aliar, na compreensão do
gênero, os diversos conhecimentos que o envolvem, já que acreditamos que saber “usar
a língua”, no caso do gênero gramatical, implica não apenas em não se confundir qual
artigo utilizar antes de determinada palavra, mas sim em compreender o fenômeno em
sua totalidade, verificando, inclusive, as limitações da divisão tradicionalmente
apresentada em várias gramáticas e em vários livros didáticos, entre palavras de gênero
“sobrecomum”, “comum-de-dois” ou “epicenos” (BIDERMAN, 1974).
Em uma perspectiva teórica sobre a compreensão conceitual, tem-se destacado a
importância de que um conceito seja entendido como um elemento constitutivo da teoria
na qual está inserido. De acordo com essa visão, os conceitos não se constituem
entidades mentais isoladas, mas elementos organizados em algum tipo de todo
estruturado, sistemas complexos de inter-relações (OLIVEIRA, 1999).
No caso do conceito de gênero ele está diretamente relacionado a diversos tipos de
conhecimentos, dentre os quais os morfológicos, os semânticos, os sintáticos e os
lexicais.
Problematização
Os problemas relacionados a essa categoria se devem não somente à sua complexidade
especialmente por envolver critérios morfológicos, sintáticos e semânticos, mas também
porque se costuma associá-la ao sexo dos seres, ou seja, há uma tendência a se pensar
no gênero apenas por meio da diferença entre o sexo masculino e feminino, o que, às
vezes, causa confusão conceitual.
A identificação das dificuldades referentes à categoria de gênero entre alunos foram
observadas em manuais didácticos da língua portuguesa, no que fez verificar os
elementos essenciais do processo de ensino aprendizagem. Na busca de verificar a base
conceitual que eles possuem sobre o conteúdo, os dados nos revelaram, de modo geral,
a imprecisão conceitual desses sujeitos no trato com o tema.
Como é que os Professores da disciplina de Português abordam a temática do
Género Gramatical na Escola Secundaria da Manga.

Objectivo geral:
 Analisar o tratamento dos conteúdos sobre Género Gramatical por parte dos
professores da Escola Secundaria da Manga.
Objectivos Específicos:
 Identificar o problema da falta de tratamento sobre o Género Gramatical por
parte dos professores da Escola Secundaria da Manga;
 Explicar a temática do Género Gramatical aos Professores da Escola Secundaria
da Manga;
 Mencionar as categorias do Género Gramatical usados pelos professores de
Português na Escola Secundaria da Manga.

Hipóteses
Hipótese é o que se pretende demonstrar e não o que já se tem demonstrado evidente,
desde o ponto de partida. Muitas vezes, ocorre esta confusão, ao se tomar como hipótese
proposições já evidentes no âmbito referencial teórico ou da metodologia adotados. E,
nestes casos, não há mais nada a demonstrar, e não se chegará a nenhuma conquista e o
conhecimento não avança (SEVERINO, 2002, p. 161).
Metodologia de Pesquisa
A metodologia de pesquisa num planeamento deve ser entendida como o conjunto
detalhado e sequencial de métodos e técnicas científicas a serem executados ao longo da
pesquisa, de tal modo que se consiga atingir os objectivos inicialmente propostos e, ao
mesmo tempo, atender aos critérios de menor custo, maior rapidez, maior eficácia e
mais confiabilidade de informação (BARRETO; HONORATO, 1998).

Tipo de pesquisa
Pesquisa descritiva: Pesquisa descritiva tem por premissa buscar a resolução de
problemas melhorando as práticas por meio da observação, análise e descrições
objectivas, através de entrevistas com peritos para a padronização de técnicas e
validação de conteúdo. GIL (1991.p.18)

Nas pesquisas descritivas, os fatos são observados, registados, analisados, classificados


e interpretados, sem que o pesquisador interfira sobre eles, ou seja, os fenómenos do
mundo físico e humano são estudados, mas não são manipulados pelo pesquisador.
Incluem-se, entre as pesquisas descritivas, a maioria daquelas desenvolvidas nas
ciências humanas e sociais, como as pesquisas de opinião, metodológicas, os
levantamentos socioeconómicos e psicossociais.

Pesquisa Qualitativa: De acordo com Bogdan e Biklen (1997), a pesquisa qualitativa


envolve a obtenção de dados descritivos, captados no contacto directo do pesquisador
com a situação estudada, além de enfatizar mais o processo que o produto e se
preocupar em retratar a perspectiva dos participantes. O ambiente natural é a fonte
directa para colecta de dados, e o pesquisador é o instrumento-chave. (GIL, 2006). A
pesquisa qualitativa utiliza várias técnicas de dados, como a observação participante,
história ou relato de vida, entrevista e outros. (COLLIS; HUSSEY, 2005).
Esta trata-se de uma pesquisa qualitativa porque a interpretação dos fenómenos e
atribuição de significados foram basicamente processados de forma a adquirir a
qualidade de aprendizagem dos alunos nas aulas de Portugues a partir de actividade
teatral apresentada.

Estudo de Campo: De acordo com GIL (2008) o estudo de campo é aquele que procura
o aprofundamento de uma realidade específica. É basicamente realizada por meio de
observação directa das actividades do problema estudado e de entrevistas com
informantes para captar as explicações e interpretações do que ocorrem naquela
realidade.
Durante o estudo de campo a autora ira ao terreno para vivenciar o factos a observar
durante a leccionacao das aulas de Portugues e vera os problemas que os professores
tem na abordagem da tematica genero gramatical.

Métodos de Pesquisa
Método Bibliográfico: é desenvolvida com base em material já elaborado, constituído
principalmente de livros e artigos científicos. Este método é relevante visto que
permitirá o autor na busca de algumas informações que possam sustentar a pesquisa.
THIOLLENT (1986 p.91). Entretanto a revisão bibliográfica consistira na recolha,
selecção e consulta de várias obras literárias que serviram de suporte teórico para a
abordagem do tema e para construir a fundamentação teórica.

Método de observação: é um dos mais utilizados nas ciências sociais e apresenta


alguns aspectos interessantes. “Por um lado, pode ser considerado como o mais
primitivo e, consequentemente, o mais impreciso. Mas, por outro lado, pode ser tido
como um dos mais modernos, visto ser o que possibilita o mais elevado grau de
precisão nas ciências sociais.” (GIL, 2008, p. 16)

Este metodo vai permitir com que a autora posso observar a lacunas deixadas pelos
professores acerca do genero gramatical durante as aulas.

Instrumentos de colecta de dados


Questionário: Segundo THIOLLENT (1986 p.91) Questionário é uma técnica de
investigação composta por um número grande ou pequeno de questões apresentadas por
escrito que tem por objectivo propiciar determinado conhecimento ao pesquisador.
Sera aplicado o questionario com algumas perguntas de natureza multipla escolha aos
professores da Escola Secundaria da Manga de modo a responder as perguntas.

Entrevista
A entrevista compreende o desenvolvimento de uma interação de significados em que as
características pessoais do entrevistador e do entrevistado influenciam decisivamente
em seu curso: “A entrevista nasce da necessidade que o investigador tem de conhecer o
sentido que os sujeitos dão aos seus atos e o acesso a esse conhecimento profundo e
complexo é proporcionado pelos discursos enunciados pelos sujeitos.” (AIRES, 2015, p.
29).

Entrevistas Quantitativas: São entrevistas padronizadas ou estruturadas, que usam


questões fechadas em que o entrevistado tem um protocolo de entrevista que é aplicado
a todos os participantes. Nesse caso, o protocolo de entrevista é muito semelhante a um
questionário, sendo que a principal diferença é que as questões são lidas pelo
entrevistador (típico nas entrevistas presenciais ou telefônicas).
 
Entrevista Qualitativa: São entrevistas baseadas em perguntas abertas, podendo estas
dividirem-se em 3 tipos: conversação informal (mais ou menos estruturada), guia de
entrevista/semi-estruturada (inclui um protocolo, que não tem de ser aplicado de forma
ordenada), aberta padronizada, em que a formulação das questões pode ser alterada,
bastando para tanto que se extraia as visões e as opiniões dos participantes. Ou seja, não
se trata de um simples registro de falas já que “o papel do entrevistador deve ser
reflexivo, pois a renegociação permanente das regras implícitas ao longo da interacção
conduz à produção de um discurso polifónico.” (AIRES, 2015, p. 32).

Técnicas de análises dos dados


Para a análise dos resultados, as respostas dos questionários foram organizadas
separadamente em forma de gráficos contendo os percentuais de respostas, sendo
utilizado o programa Microsoft Excel® (2013).
Resultados esperados
MICHAEL:2005, salienta que os resultados são situações que o autor de um trabalho
espera que ocorram caso seus objectivos sejam atingidos, podendo ser notáveis logo
após a conclusão do trabalho ou passado um longo tempo, de acordo com a situação em
estudo.
Após a realização do presente projecto, espera-se que os professores da Escola
Secundária da Manga tenham consciência naquilo que diz respeito ao género gramatical
e expliquem a aula a principal diferença entre o género usado nas palavras ao distingui-
los.
Cronograma das actividades

Meses 2020

Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro


Actividades
Identificação do problema
Levantamento bibliográfico
Trabalho de campo
Recolha de dados
Análise e discussão de dados
Revisão da Monografia
Entrega da Monografia

5.Orçamento

Designação Quantidade Valor unitário Valor total


Folhas A4 Uma de régima 150Mt 150 Mt
Esferográfica 2 esferográfica 10Mt 20Mt
Recorder (gravador) 1 800Mt 800 Mt

Modem 1Moden 900mt 900mt


Cartolina 3 cartolinas 60Mt 180 Mt
Transporte 10viagens 250Mt 2,500mt
Copias 300 Copias 1.5 Mt 450 Mt
TOTAL 5.380 Mts

Bibliografia
AIRES, L. Paradigma qualitativo e práticas de investigação educacional. Lisboa:
Universidade Aberta, 2015
GIL, António Carlos, Como elaborar projectos de pesquisas. 4ª Edição, São Paulo:
Atlas 2008.
GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

MICHAEL, Johnson, Técnicas de recolha de dados numa pesquisa, 2 ed, Gren Editora,
2005.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 22. ed. rev. e ampl.
de acordo com a ABNT. São Paulo: Cortez, 2002.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da pesquisa -acção. 2a. ed. São Paulo: Cortez,
1986.