Sei sulla pagina 1di 9

 Referências Bibliográficas  Posição Crítica e motivação para a

Autor: Tiago Rebelo leitura da obra


Nome da Obra: Uma Noite em Nova Iorque Do meu ponto de vista, Uma Noite em Nova
Ano de Publicação: abril de 2011 Iorque é um livro que tem muitos aspetos que
Local de Edição: Lisboa devem ser melhorados, na medida em que achei a
Editora: ASA história pouco cativante ao olhar de futuros leitores.
Género: Prosa Por um lado, a escrita de Tiago Rebelo é bastante
acessível permitindo assim uma fácil compreensão
 Elementos Paratextuais da obra.
A capa do livro de Tiago Rebelo Uma Todavia, o que torna este livro pouco cativante
Noite em Nova Iorque começa por apresentar é o facto de que, na minha opinião, Tiago Rebelo
uma rapariga jovem que está na cidade que o limitou-se a fazer relatos superficiais dos momentos
próprio título indica, Nova Iorque. Temos que realmente são importantes, ou seja, em vez de
presentes, na capa, outros elementos como o dar ênfase a relatos essenciais para o
nome do escritor em letras num tamanho desenvolvimento da narrativa, limitou-se a criar
bastante chamativo ao público, assim como o histórias paralelas que contribuíram em nada para o
título da obra. suposto efeito.
Na contracapa, temos elementos como a Em suma, não aconselho este livro para quem
sinopse da trama de tom avermelhada. A quer conhecer o verdadeiro mundo de histórias do
lombada é da mesma cor da contracapa e nela escritor, pois este foi um livro que, comparado com
estão o nome do escritor e da obra. outros, não é o mais adequado para conhecer o
talento do autor.

 Informações sobre o autor


Nascido a 02/03/1964 em Lisboa, Tiago Rebelo, é
um jornalista, escritor e romancista português.
Escreve romances, como também, contos para
crianças tendo, atualmente, quatro livros infantis
publicados. Iniciou a sua carreira e atividade
profissional na Rádio Renascença em 1986 e tornou-
se um dos diretores executivos da TVI, onde trabalha
desde 1994. Para além de terem sido publicados em
Portugal, os seus livros e histórias, tiveram o
privilégio de ser editadas em Itália e na Argentina.
Escreveu livros como: O Tempo dos Amores Perfeitos
(2006) e O Homem que sonhava ser Hitler (2010).

 Obra Lida
Uma Noite em Nova Iorque é uma obra literária
que aborda histórias alusivas aos encontros,
desencontros e desilusões das personagens e apresenta
os dilemas das mesmas. Por exemplo: Catarina é uma
personagem que se sente fatigada devido ao seu
casamento, não sente mais felicidade com o seu marido
e, por isso, fica confusa e sem saber se deve deixá-lo
ou não por Jonas, um belo cantor que a cativa e a faz
sentir feliz, mas ao mesmo tempo perdida.
Em determinado momento, as vidas destas
personagens encontram-se e é através destes encontros
e desencontros que a narrativa é desenvolvida.
Posição Crítica

Uma Noite em Nova Iorque foi o livro que escolhi para começar as
minhas leituras deste novo ano letivo e, de certa forma, tornou-se uma
oportunidade para conhecer o trabalho deste escritor que nunca tinha ouvido
falar. Na minha opinião, esta obra, tem muitos aspetos negativas, que pretendo
abordar sem ser ofensiva ou detonar e denegrir a imagem e o trabalho de Tiago
Rebelo.
Para começar, a sinopse (que acaba por contar a história), só por si, já não
tornava atraente a ideia de ler a obra, mas pensei em dar-lhe uma oportunidade
para descobrir o que o seu conteúdo reservava.
Pesquisei algumas informações sobre o escritor, críticas e opiniões de
outros leitores que me remeteram, de imediato, para um livro “fora do normal”.
Não pude estar mais errada. Uma Noite em Nova Iorque foi um livro que li tão
frustradamente, na tentativa de terminá-lo o mais rápido possível de tão
insignificante que se tornara. Esta é uma daquelas histórias que, apesar dos
fazer pensar na vida, nada vem acrescentar, daí a sensação de ser um livro que
não muda o leitor, que o torna indiferente.
Existem ainda, sem congruência, histórias paralelas ao tema do livro, que
nada contribuem para o desenvolvimento da intriga. Por exemplo, o caso do
violador que marca um encontro com a jornalista. A história resume-se num e-
mail anónimo que é recebido por Patrícia onde, um desconhecido, marca um
encontro consigo e ela simplesmente vai.
Contudo, e concluindo, quero salientar que, ainda assim, se outro escritor
pegasse na base deste romance e o trabalhasse de forma mais detalhada e
adequada conseguir-se-ia um bom romance.
 Referências Bibliográficas  Posição Crítica e motivação para a
Autora: Ana Teresa Pereira leitura da obra
Nome da Obra: Karen Posso afirmar que Karen foi um dos
Ano de Publicação: julho de 2016 melhores livros que já li. O tipo de escrita de Ana
Local de Edição: Lisboa Teresa Pereira é acessível a todos aqueles que
Editora: Relógio D’Água desejam ler alguma das suas obras. Neste caso, o
Género: Prosa livro que li aborda um tema que, para mim, se
tornou bastante confuso, mas que no último
capítulo consegui obter as respostas às perguntas
 Informações sobre a escritora que tinha, com uma citação bastante relevante
Ana Teresa Pereira nasceu a 8 de outubro para o entendimento do romance.
de 1958 no Funchal, onde vive atualmente. O seu Aconselho vivamente a leitura deste livro,
primeiro livro foi publicado enquanto era pois é um daqueles típicos livros que nos deixa a
estudante, Matar a Imagem (1989), com o qual refletir sobre qual é a mensagem que o escritor
ganhou o Prémio Caminho Policial. Para além da nos quererá transmitir assim como qual poderá ser
obra anteriormente mencionada, escreveu ainda o fim para a protagonista.
outros livros que tiveram direito a distintos
prémios como, por exemplo: Se Nos
Encontrarmos de Novo (2004) com o Prémio do
PEN Clube Português na categoria de ficção; A
Neve (2006) com o Prémio Literário Edmundo
Bettencourt (Câmara Municipal do Funchal),
Prémio Máxima de Literatura e O Lago (2011)
com o grande Prémio de Romance e Novela da
Associação Portuguesa de Escritores.

 Elementos Paratextuais
À primeira vista, a capa da obra Karen remete-
nos para uma história sombria e peculiar. Nela são
predominantes os tons de azul do céu e os tons
esverdeados das árvores que nos dão a ilusão de se
agitarem. Temos ainda o título da obra destacado a
branco, o nome da escritora com um tom avermelhado
e o nome da editora no topo da capa. Na contracapa
temos, a acrescentar aos elementos mencionados
anteriormente, uma pequena sinopse da história que, a
meu ver, deixa o leitor entusiasmado à leitura da
mesma.
No entanto, apesar de a contracapa ter os
mesmos elementos que a capa, esta apresenta somente
a cor borgonha como fundo. Na lombada temos o nome
da escritora e do livro com a mesma cor da contracapa.

 Obra Lida
Karen é um livro que aborda um assunto
bastante peculiar, mas que em contrapartida, é
fascinante e cativa o leitor. Aborda a temática de uma
mulher que vive uma vida que não é a sua, neste caso, a
de Karen. Esta mulher que vive num corpo e uma vida
que não são os seus, tem de habituar-se à ideia de que é
necessário fingir ser aquilo que não é.
Apreciação crítica Karen
Ao contrário do que muitos pensam, há livros que mudam e impressionam
os seus leitores, levando-o a querer ler mais e mais para descobrir o tão
aguardado fim. Este é o caso da obra de Ana Teresa Pereira que, inclusive, foi
vencedora do Oceanos, Prémio de Literatura Portuguesa 2017, Karen.
Karen é um livro que conta a história de uma mulher que acorda, é
reconhecida e chamada de Karen. Mas, o que sabemos desta personagem?
Sabemos que era pintora, que amava o seu marido, Alan que casara consigo por
interesse e que vivia numa daquelas mansões isoladas típicas dos filmes de terror.
A mulher que tenta viver uma realidade que não é a sua, acaba por se tornar uma
intrusa dentro daquele corpo que não lhe pertence. Tentando viver disfarçada
naquela vida que não é a sua onde, a “alma”, (que assim designei) compreende
que Karen é uma mulher apaixonada pela beleza da vida, mas também magoada e
uma intrusa na sua própria vida.
Nesta obra, não apenas protagonistas se confundem. Ficções confundem-se.
Realidades confundem-se. Mas, apesar de a história ser confusa, a meu ver, torna-
se uma intriga forte e espetacular onde, por vezes, o horror torna-se belo. É um
livro que nos faz pensar nos mais diversos fins. Aconselho a leitura desta obra,
pois, leva-nos para um mundo onde tudo se torna possível.
Citação
Karen é aquele típico livro que, apesar do seu conteúdo ser estupendo, não
contém grandes citações que deixem o leitor a refletir sobre elas, mas existe uma,
em particular, que me ajudou na compreensão da obra e da protagonista, apesar
de ainda surgirem incertezas. «Em tempos pensava que todas as histórias eram
uma só, a luta entre o anjo bom e o anjo caído, e sempre à beira de um abismo.
Mas havia uma segunda história, a rapariga que se apaixonava por um homem
numa casa assombrada por outra mulher.»
Esta foi a citação que serviu de resposta a algumas das questões que tinha
em relação à vida de Karen e cheguei à conclusão que Karen podia realmente ter
uma vida vivenciada por outra pessoa que estava dentro de si, mas também a
própria Karen podia estar num conflito consigo própria, com os seus problemas
mais profundos.
Para complementar esta frase, decidi escolher um poema de Edgar Allan
Poe “The Raven” que inclusive serviu para o meu conto inspirado na obra, em
que Karen se transforma num corvo e Alan alimenta a sua tristeza através de um
último encontro. Descobri este poema através de uma música da minha banda
favorita, em que são citados alguns versos deste tão belo poema que me cativou e
remeteu para a obra estupenda de Ana Teresa Pereira.
Conto Inspirado
Naquela meia-noite glaciar, onde me encontrava sentado e desolado, e já
quase adormecia, ouvi o que parecia o som de alguém que batia lentamente no
vidro da minha janela. Sentira algo estranho, mas familiar. Sentia o horror das
trevas, o horror de uma vida desvanecida. O som aumentava gradualmente e,
naquele momento, eu só conseguia pensar: “É uma visita, nada mais.”.
Desviei os cortinados que me tapavam a visão para o outro lado. Abri a
vidraça, e eis que, com muito suspense, entrou na minha biblioteca, um corvo dos
tempos ancestrais. Mas, este nada de mal fizera. Entrou sumptuosamente.
Analisou o local e posou nas costas do meu cadeirão azul-escuro. O seu ar,
apesar de ancestral, era sereno, mas ao mesmo tempo obscuro.
Perguntara-lhe quem era ele, e ele respondera que era apenas a lembrança
de uma vida inacabada. Fintei-o nos olhos e conseguia ver, no meio da sua
escuridão interior, que vivera uma vida de emoções, de aventuras. Senti-me a
arrepiar porque sabia que aquele corvo era alguém que pertencera a minha vida
enquanto humano que fora e que não voltara a ser. O corvo fizera-me sinal de
aviso, como se algo estive prestes a acontecer e olho-me também nos olhos.
Fechei os meus. Todas as memórias de um homem feliz perseguiram-me e
sentira que não poderia viver mais naquele mundo onde, não viveria com ela.
Abri os olhos e do corvo mais nada restava a não ser as cinzas de que aquele
momento fora verdadeiro.
Aquela noite… Oh! Aquela noite… Lembro-me dela como se fosse hoje.
Neste meu universo paralelo lembro-me da vida que vivera feliz e, de hoje em
diante, viverei nas trevas da solidão e entregar-me-ei à vida eterna.
Relatório final de Leituras
Desde o ano letivo passado, achei a ideia de ter uma disciplina em que
poderia ler livros bastante atrativa, mas, como referira, há exatamente um ano,
não tinha aprovado a ideia de ser obrigatório ler livros de autoria portuguesa e,
por esse mesmo motivo, senti-me retirada da minha zona de conforto literária que
se baseava em apenas leituras estrangeiras.
Contudo, mais um ano letivo passou e sei que um dos grandes auxílios que
este projeto proporcionou-me foi ao nível dos meus gostos literários e o aumento
pelo gosto da escrita nacional. Se há uns anos abordassem-me e perguntassem se
gostava de ler livros portugueses, provavelmente, diria que não, mas nesta fase
da minha vida enquanto aluna e apreciadora de bons livros, vejo que a Tatiana
Literária que era modificou-se e para melhor.
Neste 1º período li duas obras. Uma que, em particular, adorei e outra que
não gostei tanto, mas que contribuíram ambas para a minha evolução enquanto
leitora, na medida em que cooperaram para o desenvolvimento das minhas
opiniões críticas e que, inclusive, contribuiu para um novo projeto que quero
partilhar com a turma no próximo período.
Quero realçar que este período não li tantos livros, mas que no 2º período
irei finalizar os cinco livros obrigatórios porque quero conhecer outros escritores
e outros tipos de escrita.

Boas Leituras!
Tatiana
Webgrafia
(20-10-2018)- https://planetamarcia.blogs.sapo.pt/442244.html
(20-10-2018)- https://www.portaldaliteratura.com/autores.php?autor=524
(15-11-2018)- https://www.poetryfoundation.org/poems/48860/the-raven
(18-11-2018)- https://pt.wikipedia.org/wiki/Ana_Teresa_Pereira