Sei sulla pagina 1di 7

PRESIDÊNCIA

É com bastante orgulho que depois de sete meses de trabalho e dedicação nos é
finalmente possível apresentar este projeto à comunidade estudantil.

Somos um projeto jovem e dinâmico que se pretende afirmar demonstrando perante


todos que uma Associação de Estudantes pode alcançar mais do que tem conseguido.

Neste sentido, propomo-nos a conciliar a totalidade dos projetos que têm vindo a ser
desenvolvidos com um conjunto de ideias inovadoras que surgem como soluções
diretas às necessidades dos alunos.

Temos objetivos ambiciosos e projetos que trarão melhorias significativas à vida dos
estudantes da Escola de Direito, os quais pretendemos realizar de forma viável e
economicamente sustentável, através da rede de contactos e dos apoios em que temos
trabalhado nos últimos meses.

Na mesma linha, queremos trazer até aos estudantes um ambiente académico


diferente, com um novo espírito e uma nova imagem, o que passará necessariamente
por uma estratégia de renovação e melhoria do espaço académico destinado aos
estudantes.

Somos um projeto aberto, queremos representar a vontade real dos estudantes. A


equipa está inteiramente motivada para prestar um acompanhamento presente, efetivo
e proativo aos nossos associados. O nosso principal objetivo é sermos a vossa voz.

Queremos ser uma associação de estudantes para estudantes.

Queremos que os alunos tenham resposta quando lhes perguntam: o quê é que a tua
associação já fez por ti? E queremos que essa resposta seja imediata: fez Muito, fez
Mais, fez Melhor.

Política Educativa

O departamento de política educativa visa assegurar a representação dos estudantes,


não só interna como também externa, no sentido de defender os seus interesses,
evitandoofensas aos seus direitos e tentando negociar a obtenção de vantagens para a
comunidade estudantil.

Desta forma, a nossa equipa irá assegurar a participação e representação da


comunidade de estudantes de Direito da Católica no Conselho Nacional de Estudantes
de Direito, no Encontro Nacional de Direções De Associações de Estudantes e nos
restantes eventos e assembleias organizadas pela Federação Académica do Porto.
Acreditamos que esta componente de representação externa é de grande importância,
e, nesse sentido e na medida do possível, comprometemo-nos também a averiguar
qual a opinião dos estudantes a respeito das decisões tomadas ou a tomar nestes
eventos.

A nível de representação interna pretendemos reforçar o diálogo estabelecido com a


Direção da Escola de Direito e com o Conselho Pedagógico, no sentido de dar a
conhecer ao corpo diretivo quais as preocupações dos alunos, quais as áreas em que
sentem que pode haver melhorias e as formas concretas que essas mesmas melhorias
devem apresentar. Isto inclui, não só, mas necessariamente, a discussão acerca de
tópicos como:

- elaboração de um calendário de exames que consiga conjugar e harmonizar os


diversos interesses levantados na sua marcação;

- a questão do incumprimento de prazos e suas consequências quer para corpo


docente, quer para estudantes;

- a âmbito e possibilidade de alargamento do regime das épocas especiais.

O departamento de política educativa visa também apoiar os estudantes,


nomeadamente, através da disponibilização de diversos materiais que facilitem o
estudo.

Assim, iremos desenvolver o trabalho já iniciado pela AEFDUCP no que toca à criação
de coletâneas de exames, pugnando pela sua atualização.

Mais ainda, além das perguntas de preparação, pretendemos oferecer as soluções que
os alunos procuram, através da compilação de exercícios resolvidos em cooperação
com o corpo docente.

Pretendemos também dar resposta à necessidade de se estabelecer um contacto mais


direto com os grupos de alunos que se encontram tendencialmente mais afastados da
comunidade estudantil.

Para tal, propomo-nos a criar um sistema representativo, em que, mediante um


processo de candidatura, serão formados dois órgãos de representação, um do pós-
laboral e um do mestrado.

No mesmo âmbito, pretendemos ainda criar um grupo de apoio a alunos do primeiro


ano, onde possam, num contexto informal, ser colocadas questões a estudantes mais
velhos, de forma a que possa a integração académica destes alunos ser facilitada.

Os vogais de política educativa,


Ana de Lucas e João Freitas

Comunicação

O departamento de comunicação visa estabelecer uma ponte de ligação com a


comunidade através divulgação de todas os eventos e atividades relacionados com o
interesse dos alunos.

A nossa equipa tem como objetivo assegurar o funcionamento pleno e eficiente dos
diversificados meios de comunicação à disposição da AEFDUCP, para que possa a
informação ser levada até aos estudantes.

A nossa política consiste em investir na divulgação por correio eletrónico, redes sociais
e, sobretudo, direta, cara-a-cara no átrio da faculdade. Através destes meios, mostrar-
nos-emos também disponíveis para dar resposta em tempo útil a qualquer questão ou
problema que surja aos nossos associados.

Outros dos nossos objetivos consistem no lançamento do novo site da AEFDUCP, cuja
conceção já foi iniciada, bem como na promoção da sua atualização regular.

A nossa equipa pretende também, com o apoio da Direção da Escola de Direito, visitar
instituições de ensino secundário com o intuito de apresentar a faculdade e divulgar os
contactos da AEFDUCP, como forma de proporcionar um apoio aos futuros alunos
desde o início e até durante o seu processo de candidatura.

Por fim, salientamos a necessidade de consciencializar os alunos para a importância e


impacto das decisões coletivas.

Consequentemente, um dos pontos impreteríveis do nosso projeto será a promoção da


realização mais regular de Assembleias Gerais em que serão decididas, abertamente e
sem tabus, as orientações a seguir pela AEFDUCP.

Os vogais de comunicação,

Mafalda Domingues e Ali Kemper

Desportivo
Reconhecendo a importância da prática desportiva como componente essencial de
uma vida equilibrada, a nossa equipa pretende incentivar os estudantes a conjugar a
sua vida académica com a prática de desporto.

Deste modo, queremos desde logo dar mais visibilidade e uma nova dinâmica ao
torneio de futebol interno da Católica Porto, atividade que acreditamos que pode ter
bastante mais adesão por parte dos estudantes, bem como averiguar a possibilidade
de organização de torneios de outras modalidades.

Assim, e para começar, propomo-nos também à realização de um torneio de Paintball


durante o semestre de Verão do presente ano letivo, o qual terá um custo acessível
graças ao apoio dos nossos parceiros.

No que concerne às equipas Católica Porto, pretendemos dar continuidade ao trabalho


que tem vindo a ser desenvolvido em colaboração com a AEFEG - UCP.

Sem descurar a importância da manutenção das parcerias estabelecidas neste


contexto, deixamos patente o desejo de estabelecer algumas outras quer a nível de
patrocínios, de treinadores ou da restante equipa técnica, caso se revele necessário.

Por fim, a nossa equipa pretende acrescentar valor à componente desportiva na vida
académica e, para isso, irá trabalhar no sentido de estabelecer um diálogo
compreensivo com a Direção da Escola de Direito, visando a procura de facilidades
que possam ser conferidas aos estudantes que dispuserem do seu tempo em
representação da Católica Portonas competições universitárias.

Os vogais do desportivo,

Gonçalo Bravo, Luísa Macedo e Francisco Santos

Recreativo

O departamento recreativo é um departamento que marca o percurso académico de


grande parte dos estudantes. Visa, essencialmente, proporcionar aos estudantes uma
série de atividades de caráter lúdico.

Assim, o trabalho deste departamento tem passado pela organização das festas da
Direito da Católica, do Baile de Finalistas, e por assegurar o funcionamento da Barraca
da Queima das Fitas.
Este trabalho merece ser continuado, e, para isso, contamos com os conhecimentos e
experiência dos membros da nossa equipa, competências que acreditamos serem de
grande importância, em função das especificidades do meio.

Consideramos, no entanto, que o departamento recreativo pode ser dinamizado


através da realização de atividades complementares às que têm vindo a ser
desenvolvidas, designadamente, um churrasco e os tão aguardados jantares de curso,
que possibilitem aos estudantes importantes momentos de convívio.

Outro dos nossos projetos, e um dos mais inovadores, é o de proporcionar aos


estudantes um sistema de transporte em dias festivos, estabelecido através de uma
parceria com uma rede de autocarros, de modo a que possam ver assegurada a
deslocação entre a Universidade e o local dos eventos de forma fácil e segura, para
usufruir em pleno das atividades organizadas pela nossa equipa.

O nosso projeto passa também por avaliar possibilidades de alteração dos moldes e da
frequência em que são realizadas atualmente as festas de Direito da Católica. Nesse
sentido, temos contactado com entidades tendo em vista a obtenção de propostas que
se afigurem atraentes.

Em suma, propomo-nos a ampliar o âmbito de intervenção do departamento recreativo


pautando-o pela diversidade de iniciativas, com o objetivo de permitir aos estudantes
uma verdadeira integração no espírito académico da Católica Porto.

O vogal do recreativo,

Álvaro Couto Pereira

Valorização e Reconhecimento

O departamento de valorização e reconhecimento é um departamento de grande


importância porque visa proporcionar aos estudantes instrumentos de enriquecimento
curricular diferenciadores.

O nosso projeto tem uma tónica acentuada de abertura e contacto com os estudantes,
e uma das suas grandes novidades é a criação de oportunidades de valorização
curricular através da participação ativa nos eventos desenvolvidos pela AEFDUCP.

Propomo-nos, desde logo, a implementar um sistema que permita aos estudantes


participar na organização de projetos, mediante um processo de candidatura em que
será aceite qualquer estudante que se mostre interessado e revele as competências
adequadas, na medida em que tal sistema não se revele de logisticamente impossível
aplicação.

A nossa equipa tem como objetivo a realização de conferências e seminários de


diversos conteúdos, procurando sempre obter a opinião dos estudantes no que toca
aos temas que gostariam de abordar.

Outra das atividades que pretendemos promover será a realização de ações solidárias
que darão oportunidade aos estudantes de participar em primeira mão na distribuição
de alimentos pelos sem-abrigo do Porto.

Serão também organizadas visitas institucionais a firmas de advocacia, empresas e


estabelecimentos prisionais, que permitam aos estudantes obter uma melhor
perspetiva da realidade do mercado de trabalho nas várias áreas do Direito.

Na mesma linha, é também nosso objetivo a realização de uma “Jobshop”, que facilite
o contacto direto com potenciais futuros empregadores.

Por fim, iremos promover, em parceria com outras entidades, a realização de uma
“Summer School” na Católica Porto, o que permitirá aos alunos participarem num
programa formativo extracurricular durante o período de férias de Verão, com um tema
em voga no mundo jurídico.

A vogal de Valorização e Reconhecimento,

Leonor Furtado

Secretaria Geral e Tesouraria

O departamento de Secretaria Geral irá trabalhar no sentido de permitir uma


comunicação intra e extra direção eficiente e organizada.

Assim, os alunos podem esperar um departamento de secretaria geral mais proativo, e,


fundamentalmente, mais aberto e contactável.

O departamento de Tesouraria está, claro, encarregue da gestão financeira e de


recursos da AEFDUCP, sempre tendo em atenção o conceito de sustentabilidade.
Temos a perfeita consciência de que os nossos projetos são ambiciosos, ainda assim,
acreditamos que com uma gestão responsável, transparente, e com as parcerias certas
nada será impossível.
A Secretária Geral, O Tesoureiro,

Claudia Canhoto e Júlio Oliveira Ferreira