Sei sulla pagina 1di 15

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DE BOAS PRÁTICAS

POP
ITAJUBA, MG - 2012

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO

POP

Endereço: Av. São Vicente de Paula, n. 33 – São Vicente

Itajubá, Minas Gerais

CNPJ. 42.846.493/0001-25

Responsável Técnico: Franklin Guilherme Barreto

CRF-MG 20983
ITAJUBA, MG - 2012
INTRODUCAO

No inicio das Ciências da Saúde, houve época que, na pessoa do sacerdote estavam
embutidos o medico, o farmacêutico e o psicólogo, entre outros.
Em 1240, a farmácia foi separada oficialmente da medicina por um edital de
Frederico II, imperador da Prússia, que estabeleceu na mesma época um código de ética
profissional.
Bem recente, há algumas, décadas, ainda existiam farmácias com seus
profissionais farmacêuticos habilitados, que formavam um vinculo de confiança na relação
médico-farmacêutico-paciente.
Com o advento da indústria, seguiu-se uma tática de separação entre estes dois
profissionais, fazendo com que hoje se sintam distantes entre si e até mesmo se desconheçam
profissionalmente.
A farmácia hoje tem por objetivo a promoção da saúde através da personalização
da relação de confiança entre médico-farmaceutico-balconista-paciente.
E é com muita certeza que as Drogarias Nazaré atende seus clientes e /ou pacientes
hoje com um tratamento altamente diferenciado na área da saúde e com isso cada vez mais se
fortalece o elo da drogaria junto ao médico com o seu paciente.
PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO – POP
POP N. 01
Emissor: Franklin Guilherme Barreto Emitido em: 06/03/2012
Revisado em: 10/02/2012
Aprovado em: 06/03/2012
Título: IDENTIFICAÇÃO E ESTRUTURA DA DROGARIA

1. Identificação do estabelecimento:

Razão Social: MARCONDES E SALGADO LTDA.


Drogaria São Vicente I

1.1 Responsável Técnico:

Franklin Guilherme Barreto CRF MG 20983

1.2 Objetivos do estabelecimento:

Venda de medicamentos, perfumarias e correlatos.

1.3 Objetivos do manual:

Regulamentar requisito para o funcionamento e o licenciamento deste estabelecimento.

1.4 Referência:

Brasil, Resolução n°328 de 22 de julho de 1999.


Brasil, Portaria n° 344 de 22 de maio de 1998.
Resolução ANVISA / RDC 44 – 18/08/2009.

1.5 Estrutura Física-Instalações

1.5.1 Teto, pisos e paredes:

Teto de concreto forrado com gesso branco, pisos de cerâmica e paredes pintadas.

1.5.2 Equipamentos, utensílios e acessórios:


A drogaria possui prateleiras, expositores, vitrines de vidro, gôndolas, 03 computadores para
vendas e 01 computador servidor.

1.5.3 Limpeza:

Escala de funcionários

1.5.4 Sanitização e controle integrado de pragas:

Realizado pela empresa D D LIMP.

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO – POP


POP N. 01
Emissor: Franklin Guilherme Barreto Emitido em: 06/03/2012
Revisado em: 10/02/2012
Aprovado em: 06/03/2012
Título: ORGANIZACIONAL

2. Estrutura Organizacional

2.1 Pessoal

2.2 Responsabilidades e atribuições

Gerente:

- Responsável pelo estabelecimento quanto à organização;


- Orientação da limpeza;
- Distribuição de tarefas para os demais funcionários;
- Orientação quanto ao lançamento das notas fiscais no sistema;
- Retirada do pedido de conveniência e perfumaria;
- Orientação quanto à arrumação dos medicamentos nas prateleiras;
- Fechamento do caixa.

Farmacêutico:

- Responsável técnico do estabelecimento;


- Controla os medicamentos sujeitos à retenção de receita de acordo com a portaria n°344, de
12 de maio de 1998;
- Mantém a guarda dos medicamentos sujeitos a controle especial;
- Avalia a prescrição médica;
- Assegura condições adequadas de conservação e dispensação dos produtos;
- Avia prescrições médicas, podendo substituí-la por genérico, quando não proibidas pelo
médico;
- Estabelece condições para o cumprimento da legislação pertinente;
- Mantém atualizada a escrituração;
- Presta assistência farmacêutica necessária ao consumidor;
- Está sempre informado com as determinações e mudanças junto ao Ministério da Saúde.

Balconista:

- Responsável em atender bem os clientes com atenção e respeito.


- Arruma medicamentos nas prateleiras;
- Verifica a validade de todos os produtos.

Operador de caixa:

- Responsável pelo registro de produtos;


- Recebimento do dinheiro.

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO – POP


POP N. 01
Emissor: Franklin Guilherme Barreto Emitido em: 06/03/2012
Revisado em: 10/02/2012
Aprovado em: 06/03/2012
Título: ARMAZENAMENTO E CONSERVAÇÃO DOS MEDICAMENTOS

3. AQUISIÇÃO E ARMAZENAGEM DOS MEDICAMENTOS:

A aquisição de medicamentos (éticos, genéricos e similares), perfumaria e


alimentos É realizado pelo gerente de compras.
Ao chegar à loja, os medicamentos e insumos são conferidos pelo gerente junto a
um balconista, comprovando a qualidade, validade e autenticidade do produto. Após
conferência a nota fiscal é lançada no sistema.
Não há estoque, somente uma área de apoio onde os medicamentos e perfumarias
são recebidos do fornecedor, conferidos e posteriormente acondicionados nos locais devidos
para venda.
Os medicamentos são acondicionados em prateleiras por ordem alfabética, em
ambientes adequados, obedecendo às condições necessárias de iluminação, temperatura. Seco
e arejados afastados de piso e teto.
Os medicamentos sujeitos a controle especial são acondicionados no armário com
chave de acordo com a portaria SVS/MS n° 344 de 12 maio de 1998, e em seguida por
princípio ativo.

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO – POP


POP N. 01
Emissor: Franklin Guilherme Barreto Emitido em: 06/03/2012
Revisado em: 10/02/2012
Aprovado em: 06/03/2012
Título: DISPENSAÇÃO DE MEDICAMENTOS SUJEITOS A CONTROLE
ESPECIAL

4. DISPENSAÇÃO DE MEDICAMENTOS:
A dispensação dos medicamentos em geral é realizada por balconistas, mediante
prescrição médica, e sempre que possível com assistência farmacêutica.

4.1 Dispensação de medicamentos sujeitos a controle especial

A dispensação de medicamentos sujeitos a controle especial é uma das rotinas


mais importantes dentro da drogaria. É através das Notificações de Receita e da Receita de
controle Especial, que a Vigilância Sanitária avalia o perfil de consumo de Entorpecentes,
Psicotrópicos, Retinóides, Imunossupressores, Anabolizantes e outros.
Este Procedimento é baseado no Regulamento Técnico sobre substâncias e
medicamentos sujeitos a controle especial, normatizado pela Portaria SVS/MS n°344 de 12
maio de 1998.

4.2 TIPOS DE NOTIFICAÇÃO DE RECEITA

4.2.1 NOTIFICAÇÃO DA RECEITA DE CONTROLE ESPECIAL

É exclusiva para medicamentos a base de substâncias constantes das listas “C1”


(outras substâncias sujeitas a controle especial), “C2” (retinóicas para uso tópico) e “C5”
(anabolizantes) deste Regulamento e de suas atualizações.
O formulário da Receita de Controle Especial válido em todo o Território
Nacional, deverá ser preenchido em 2 (duas) vias, manuscrito, datilografado ou
informatizado, apresentando, obrigatoriamente, em destaque em cada uma das vias os dizeres:
“1ª via - Retenção da Farmácia ou Drogaria” e “2 via – Orientação ao Paciente”.
A Receita de Controle Especial deverá estar escrita de forma legível, a quantidade
em algarismos arábicos e por extenso, sem emenda ou rasura e terá validade de 30 (trinta) dias
contados a partir da data de sua emissão.
4.2.2 Notificação de receita A: (AMARELA):

É exclusiva para a dispensação de entorpecentes, em conformidade com as listas


A1 e A2 da Portaria SVS/MS n°344 de 12 maio de 1998.
Válida por 30 (trinta dias), a partir da data de sua emissão em todo Território
Nacional, quando acompanhada da receita médica com justificativa de uso, para aquisição em
outra Unidade Federativa.
Pode conter no máximo 05 (cinco) Ampolas e para as demais formas
farmacêuticas, pode conter quantidade correspondente a 30 (trinta) dias de tratamento.

4.2.3Notificação de receita B (AZUL):

É exclusiva para a dispensação de psicotrópicos, em conformidade com as listas


A3, B1 e B2 da Portaria SVS/MS n°344 de 12 maio de 1998.
Válida por 30 (trinta) dias a partir da data de sua emissão, somente dentro da
Unidade Federativa que concedeu a numeração.
Pode conter no máximo 05 (cinco) Ampolas e para as demais formas
farmacêuticas, pode conter quantidade correspondente a 60 (sessenta) dias de tratamento.
Os psicotrópicos da lista B2, além da receita preenchida corretamente de acordo
com as normas à cima, é necessário o termo de responsabilidade assinado pelo médico e com
o carimbo do mesmo, além dos dados do paciente de acordo com a RDC/ANVISA nº
52/2011.
4.2.4 Notificação de Receita Especial (BRANCA):

É utilizada para a prescrição de medicamentos a base de substâncias constantes nas


listas C2 (Retinóides de uso sistêmico), em conformidade com a Portaria SVS/MS n°344 de
12 maio de 1998.
Válida por 30 (trinta) dias a partir da data de sua emissão, somente dentro da
Unidade Federativa que concedeu a numeração.
Pode conter no máximo 05 (cinco) Ampolas e para as demais formas
farmacêuticas, pode conter quantidade correspondente a 30 (trinta) dias de tratamento.
PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO – POP
POP N. 01
Emissor: Franklin Guilherme Barreto Emitido em: 06/03/2012
Revisado em: 10/02/2012
Aprovado em: 06/03/2012
Título: MANEJO, SEGREGAÇÃO E ACONDICIONAMENTO DE RESÍDUOS PARA
DESTINAÇÃO

5. DESCARTE DE MEDICAMENTOS:

Os medicamentos são retirados das prateleiras três meses antes do vencimento e


colocados em uma prateleira à parte, acondicionados por laboratório e mês do vencimento, os
que possuem selo de troca são trocados e colocados nas prateleiras centrais junto aos outros.
Os medicamentos sujeitos a controle especial meses antes do vencimento são
separados nas prateleiras dentro do próprio armário identificados com a validade colocados na
parte de baixo do armário. Quando vencidos é dado baixa no sistema.
Todos os medicamentos com prazo de validade expirado, tantos os gerais como os
sujeitos a controle especial, são mandados para Pró Ambiental, que se encarrega pela
destinação final.
CONCLUSÃO

A ação do farmacêutico deve pautar-se pelos princípios éticos que regem o seu
exercício profissional especialmente à propaganda, publicidade, promoção de medicamentos,
a relação com o paciente.
Cabe ao farmacêutico diretor técnico a garantia do cumprimento da legislação em
vigor, das normas étnicas dentro e fora da farmácia no estrito cumprimento dos atos inerentes
ao farmacêutico e com vista a adequar qualidade do serviço com as necessidades do paciente.
O farmacêutico que não prestar efetiva assistência farmacêutica aos
estabelecimentos sob suas responsabilidades técnicas fica sujeitos às penas previstas pela
legislação.

(BARRETO, Franklin G.).

ELABORADO POR:

Franklin Guilherme Barreto


Farmacêutico CRF MG 20983
Elaborado em: 06/03/2012