Sei sulla pagina 1di 29

PROJETOS

INTERDISCIPLINARES
Guiões para o 6.º ano
26 propostas de trabalho interdisciplinar
Contributo de todas as disciplinas em todos os projetos
Elaborados no âmbito das Aprendizagens Essenciais
Pensados para desenvolver as Áreas de Competências
do Perfil dos Alunos
O que são os Projetos interdisciplinares?

Os Projetos interdisciplinares incluídos nesta publicação são sugestões de ativida-


des que os professores/as escolas podem adotar e desenvolver com os seus alunos
envolvendo as disciplinas de 6.º ano do 2.º ciclo do Ensino Básico, com uma duração
que pode ser tão longa quanto o ano letivo.

Ao definir os Projetos, foram tidos em consideração os seguintes aspetos:


articulação disciplinar, que se concretiza na existência de elos fortes entre dis-
• 
ciplinas que trabalham diretamente ou em simultâneo e em remissões para ou-
tras disciplinas (CD, CN, EF, EM, ET, EV, HGP, Ing, Mat, Port, TIC) quando existe
precedência de conhecimentos ou de procedimentos;
• trabalho colaborativo, espelhado no tipo de atividades apresentadas que po-
dem incluir trabalho entre pares de uma turma, de turmas diferentes da mesma
escola ou mesmo de turmas de escolas distintas;
valores de cidadania, reconhecidos nas orientações curriculares e que são
• 
muitas vezes o mote para a conceção das atividades, pela sua natureza transver-
sal e por conferirem um sentido especial às aprendizagens.

Consequentemente, todos os Projetos têm por base os Princípios, a Visão e os Va-


Título Projetos interdisciplinares – Guiões para o 6.º ano lores definidos no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, que se en-
6.º ano | 2.º Ciclo do Ensino Básico
contram representados no esquema conceptual abaixo.
Capa e design Raiz Editora

Junho | 2019 PRINCÍPIOS

DE COMPETÊN Ap
be
r
REAS CIA
S
re
Á

nd
a
•S
Linguagens

iza
e textos

ista

ge
Consciência
e domínio Informação e

m
comunicação

man
do corpo

• In
• Base hu

clusão •
Pensamento
Sensibilidade LORE
VALiberdade S
crítico e
estética e
artística pensamento
criativo
Responsabilidade
e integridade
Cidadania e participação

S u s te n

ade
Excelência e exigência
Bem-estar, Raciocínio e
Curiosidade, reflexão

b il i d
saúde e resolução de
ambiente e inovação problemas

tab

sta
ili d
Saber científico,

•E
Desenvolvimento
técnico e

ad
pessoal e
tecnológico
A Raiz Editora é uma marca

ia
autonomia

e
Relacionamento

ad
interpessoal
registada da Lisboa Editora, S. A.

•C
oe

us

nc e eo
Rua Professor Jorge da Silva Horta, 1 ia e ad
f l ex li d
1500-499 Lisboa i b il i d a d t a bi
Tel.: 21 843 09 10 e • Ad a p
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

LINHA DO PROFESSOR
In Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória
707 224488
apoioprof@raizeditora.pt
www.raizeditora.pt

3
Índice
A forma de orientar a ação educativa, preconizada neste documento, parte tam- 10 milhões de razões......................................................................... 6
bém da definição de Áreas de Competências – «combinações complexas de conheci-
mentos, capacidades e atitudes que permitem uma efetiva ação humana em contex- AnimaliaBlitz: maus-tratos, não!....................................................... 8
tos diversificados» – que se querem desenvolvidas nos alunos. Aprender com tecnologia................................................................... 10
As Áreas de Competências do Perfil dos Alunos trabalhadas em cada Projeto são Contos de mel e de fel........................................................................ 12
mencionadas sob a forma de letras, reproduzindo a nomenclatura usada nos docu-
Dias que importam........................................................................... 14
mentos curriculares:
Escola em movimento........................................................................ 16
Feira de sorrisos................................................................................ 18
Áreas de Competências do Perfil dos Alunos
Florestas: património vivo................................................................. 20
A   B   C   D   E   F   G   H   I   J Green Festival.................................................................................... 22
Há um plano de segurança!............................................................... 24
Memória: resgate aos brinquedos...................................................... 26
A Linguagens e textos F Desenvolvimento pessoal e autonomia
B Informação e comunicação G Bem-estar, saúde e ambiente Mobilidade não poluente................................................................... 28

C Raciocínio e resolução de problemas H Sensibilidade estética e artística Na minha escola há um livro............................................................. 30

D Pensamento crítico e pensamento criativo I Saber científico, técnico e tecnológico Nós é que pintamos a nossa vida....................................................... 32

E Relacionamento interpessoal J Consciência e domínio do corpo O dom da palavra............................................................................. 34


O lápis azul...................................................................................... 36

De uma forma geral, as propostas apresentadas permitem o desenvolvimento de O planeta em revista......................................................................... 38


todas as competências definidas no Perfil dos Alunos; porém, esse contributo pode ser O teu expoente máximo..................................................................... 40
mais ou menos significativo em função das opções metodológicas do(s) professor(es).
Os dias da Revolução........................................................................ 42
As Aprendizagens Essenciais para o 6.º ano de escolaridade foram tidas em conta
no desenho das atividades, possibilitando aos professores o cumprimento dos obje- Património nosso.............................................................................. 44
tivos do currículo em cenários de aprendizagem ativa e integrada, uma vez que são Poemas para a liberdade.................................................................... 46
explorados pontos de contacto entre as áreas de saber específico.
Procuro um abrigo............................................................................ 48
Procurou-se, assim, sugerir projetos abrangentes e flexíveis para que sejam adap-
táveis à realidade de cada escola, de cada turma e de cada grupo de professores Que cheiro é este?.............................................................................. 50
envolvido. Receitas recicláveis............................................................................ 52
Esperamos que esta publicação seja uma boa ferramenta para o seu trabalho letivo. Respira!............................................................................................ 54
Foi essa a nossa motivação.
Uma rádio à nossa medida................................................................ 56

A Raiz Editora
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

4 5
10 milhões de razões
Objetivos ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
 Tomar consciência das características do nosso país na atualidade DO PERFIL DOS ALUNOS
no que respeita a aspetos da geografia, da demografia, da comuni-
Produto final A B C D E
6. ano
o cação e transportes, da arte, da cultura, da literatura e da saúde.
 Realização de um ciclo de pequenas conferências ao ar livre  Partilhar ideias sobre a sociedade, em contextos comunicativos
sobre o Portugal atual. fora da sala de aula, com audiências reais. F G H I J

Ciências Naturais
Cidadania e Desenvolvimento Representar, com recurso a infografia, a
Conceber, planear e acompanhar o ciclo de Inglês evolução do acesso a cuidados de saúde
conferências sobre o retrato de Portugal atual:
História e Geografia de Portugal
em Portugal:
Representar cartograficamente Portugal e Recolher informação, junto de imigrantes
– definir locais e prever questões logísticas; – número de prestadores de cuidados de
associar indicadores demográficos, apli- de países de língua inglesa, sobre o acolhi-
– definir a programação tendo em conta o ho- saúde, hospitais;
cando os conceitos de censos, NUT, dis- mento dos portugueses aos cidadãos es-
rário dos alunos, professores acompanhan- – vacinação e avanços científicos na medi-
trito, população absoluta, crescimento na- trangeiros.
tes e indicações das autoridades locais. cina;
tural, saldo migratório, esperança de vida Participar na dramatização de CN, com a
– cuidados de saúde no momento do parto
Promover e moderar em cada evento uma à nascença, mortalidade infantil, envelhe- construção de personagens (pacientes)
e na primeira infância.
curta introdução e uma reflexão crítica cole- cimento da população, densidade popula- que se desloquem, por exemplo a uma
tiva sobre os temas abordados. cional, com base na informação disponível Dramatizar situações de prestação de cui-
unidade de cuidados de saúde. Mobilizar
em Pordata. dados de saúde (cuidados de enfermagem,
o vocabulário necessário à compreensão
consultas e exames médicos, cirurgias, es-
Incorporar a distribuição da população no mútua entre pacientes e técnicos de
pecialidades médicas…) aos quais a popula-
território nacional (áreas atrativas e áreas saúde.
ção portuguesa tem acesso na atualidade.
repulsivas) incluindo, de forma oportuna, a
Tecnologias de Informação informação trabalhada em Ing.

e Comunicação Conceber uma apresentação, comparando


a distribuição de alguns fenómenos/indi-
Aplicar as TIC e as TIG para localizar e co- Educação Musical
cadores demográficos, à escala nacional, e
nhecer as características e a distribuição
estabelecendo relações de causalidade Conceber, com o apoio de TIC, um medley
dos fenómenos demográficos e outros
e/ou de interdependência entre eles. de canções portuguesas que expresse a
dados relevantes na apresentação de HGP.
evolução musical do nosso país de mea- Educação Visual
Apoiar as apresentações das diferentes dos do século XX até à atualidade. Dinamizar um workshop para apreciação
disciplinas. de diversas obras artísticas portuguesas,
Construir, com o apoio de Port, um painel
com uma breve biografia dos artistas sele- refletindo sobre a linguagem das artes vi-
cionados. suais em diferentes contextos culturais.
Promover um momento de karaoke no Convidar um artista local para participar
ciclo de conferências. na reflexão coletiva final do evento.
Educação Tecnológica
Matemática
Pesquisar na internet sobre a evolução dos
Analisar, do ponto de vista das relações
meios de comunicação e transporte, sobre a
distância-tempo e distância-custo, a evolu-
sua importância e impacto nas atividades hu-
ção dos meios de comunicação e trans- Educação Física
manas em Portugal. Organizar a pesquisa de
porte e de como essa evolução tem in-
Português
forma cronológica. 
Organizar um painel atrativo que divulgue Selecionar excertos de obras literárias
fluenciado as atividades humanas em
Construir, com o apoio de TIC e HGP, um os melhores locais do país para momentos relevantes que sejam contemporâneas
Portugal.
friso sobre a evolução dos meios de comuni- de lazer e desportos ao ar livre, apresen- das obras de arte escolhidas em EV.
Incluir junto ao friso de ET tabelas que evi- tando-os à comunidade.
cação e transporte. Intercalar, durante o evento, momentos de
denciem essa evolução.
Preparar a conferência sobre os meios de co- 
Valorizar as valências da região envolvente leitura dos excertos com os momentos de
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

municação e transportes, em conjunto com e, sempre que possível, integrar fotogra- apreciação das obras de arte plástica.
Mat. fias de atividades realizadas pelos alunos
nesses locais.

6 Projetos interdisciplinares | 6.º ano Projetos interdisciplinares | 6.º ano 7


AnimaliaBlitz: Objetivos
maus-tratos, não!  Compreender a Humanidade como parte da Natureza e não servin-
do-se dela.
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
DO PERFIL DOS ALUNOS
 Refletir sobre resultados da interação entre os seres humanos e os
Produto final A B C D E
6. ano
o animais: os que estimamos e os que exploramos para nosso benefício.
 Campanha de alerta para o abuso e maus-tratos dos animais: produção  Envolver-se em causas e participar em campanhas, bem como em
de cartazes e mascote da escola, e instituição do Conselho de ética. ações de voluntariado. F G H I J

Português Ciências Naturais


Ler, individualmente, Sempre do teu lado, Investigar: O que é uma cobaia? Como
Tecnologias de Informação de Maria Teresa Maia Gonzalez, fazer a é que um animal chega a indivíduo usado
e Comunicação Cidadania e Desenvolvimento
ficha de leitura e discutir sobre o que se em testes? Será que sofre?
Promover um simpósio (no Dia Mundial do
Instituir o Conselho de ética da escola, com leu. Discutir sobre problemas que os animais
Animal ou no Dia Internacional do Voluntário)
participação de membros da comunidade Redigir a Declaração dos Deveres Huma- possam enfrentar: fazer o levantamento da
sobre:
escolar e não escolar e com o fim de anali- nos para com (todos) os Animais a partir fauna da região envolvente e dos casos em
– bem-estar animal;
sar questões e dinamizar iniciativas de das conclusões dos trabalhos feitos neste que os animais são usados em laboratório.
– perigos da extinção;
apoio aos animais. projeto e apresentar ao Conselho de ética.
– ação negativa do Homem sobre a Natu-
Construir um blogue para divulgação do reza. Preparar uma apresentação oral da Decla-
Conselho de ética, das suas iniciativas e dos ração, cativante e interativa, com recurso a
Convidar veterinários, responsáveis por asso-
trabalhos feitos neste projeto; criar um chat ferramentas multimédia, para o dia da ati-
ciações de apoio a animais ou de proteção
ou fórum para participação de todos: levan- vidade de EF, fundamentando as opiniões
da Natureza, bombeiros, ou outros elemen-
tar questões, dar opiniões, etc. com argumentos válidos e preparando a Inglês
tos da comunidade, para exporem os proble-
mas com que se confrontam no dia a dia. sua defesa, em caso de contra-argumenta- Descobrir os nomes em inglês e as principais
ção. características dos animais conhecidos em CN.
Propor, em articulação com todas as discipli-
nas, ações de alerta ou de resolução das si- Fazer cartazes «Wanted» desses animais com
tuações detetadas. Apresentá-las no Conse- a fotografia e uma descrição dos maus-tratos
lho de ética, instituído por TIC.  que sofrem. Divulgar no Conselho de ética.

Educação Física
Organizar um percurso na região envol-
vente da escola, utilizando técnicas de
Educação Visual
orientação e respeitando as regras de or-
Consultar «Animais de A a Z» (Jardim Zoo-
ganização e de preservação do ambiente.
lógico de Lisboa online) e, dos animais
Matemática Convidar a comunidade escolar e a não es- História e Geografia de Portugal
apresentados, eleger aquele que poderia
colar a participar e a trazer os seus animais Pesquisar profissões/atividades relacionadas
ser a mascote da escola, por melhor se re- Analisar o trabalho de EV identificando a
de estimação – caso possam participar –, com animais de estimação. Em que setor
lacionar com a região, com a localidade ou simetria no desenho da mascote. Usá-la
divulgando no Conselho de ética. económico se inserem? Esse setor é domi-
com a escola. para criar um friso para ser utilizado como
imagem do blogue do Conselho de ética. Criar paragens para dinamização de mo- nante na região? Apresentar as conclusões.
Criar a mascote, em desenho ou com outra
mentos lúdicos, de apresentação de habili- Procurar associações de apoio a animais
técnica, procurando transmitir as caracte- Apoiar ET na construção da mascote, do-
dades com os animais convidados, e de que precisem de voluntários e divulgá-las
rísticas do animal selecionado. cumentando todas as fases do projeto. Di-
momentos didáticos, de apresentação de no Conselho de ética.
vulgar no Conselho de ética.
informações sobre animais.

Educação Tecnológica
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

Educação Musical
Participar na produção da mascote, a partir do trabalho de EV. Selecionar materiais de acordo
com as suas características físicas e mecânicas, reutilizando alguns sempre que possível. Pesquisar músicas dedicadas a animais de estimação. Selecionar uma e analisá-la.

Manipular operadores tecnológicos para dar movimento à mascote criada. Escolher e gravar, com o apoio de TIC, sons da Natureza que faça sentido integrar na composição se-
lecionada. Integrando os sons gravados, produzir uma nova versão da composição e interpretá-la.

8 Projetos interdisciplinares | 6.º ano Projetos interdisciplinares | 6.º ano 9


Aprender com tecnologia
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
Objetivos DO PERFIL DOS ALUNOS
Produto final  Compreender a importância das tecnologias de informação e comu-
A B C D E
6. ano
o  Celebração do Dia Mundial da Internet, 17 de maio, com a realização de aulas nicação na sociedade atual, no ensino e na aprendizagem.
tecnológicas nas várias disciplinas e sua partilha através do site ou blogue da  Refletir e consciencializar sobre as potencialidades, oportunidades
escola. e riscos associados às novas tecnologias e ao uso da internet. F G H I J

Educação Musical
Cidadania e Desenvolvimento
Escolher criações musicais e organizar
Promover um debate, em sala de aula, com
duas playlists (uma para alunos de 6.º ano
apoio de TIC, para identificação e com- Tecnologias de Informação História e Geografia de Portugal
e outra para professores) tendo em conta
preensão de oportunidades, riscos e po- e Comunicação os gostos de cada geração. Analisar fenómenos relacionados com a
tencialidades do uso da internet. Desenvolver um formulário online para ve- população e com as tecnologias de infor-
Desenvolver, em grupos de trabalho, uma rificação dos conhecimentos dos alunos mação e comunicação em Pordata:
apresentação multimédia (em PowerPoint, de 6.º ano sobre: – percentagem de indivíduos que utilizam
Prezi ou outro programa) com as conclu- – regras de ergonomia; computador e internet por grupo etário,
sões obtidas para exibição aos colegas. – práticas seguras de utilização das aplica- nível de escolaridade e sexo;
ções digitais e de navegação na internet; – percentagem de empresas que utilizam
– direitos de autor e a necessidade de re- computador e internet por setor de ativi-
gistar as fontes. Ciências Naturais dade económica.
Gerir e partilhar as publicações das várias Desenvolver um Kahoot! sobre micro-or- Concluir sobre a importância das tecnolo-
disciplinas no site ou no blogue da escola. ganismos e sobre a importância da ciência gias de informação e comunicação para as
Matemática e da tecnologia na sua descoberta atividades económicas, com base nos re-
Organizar e tratar os dados recolhidos em sultados obtidos.
Realizar um torneio com todas as turmas
TIC. Produzir, em grupo, uma apresentação
de 6.º ano.
Criar gráficos de barras, de linhas e circula- multimédia (em PowerPoint, Prezi ou outro
res, utilizando um programa computacional programa) após análise das conclusões
específico (Excel ou outro) para apresenta- das duas atividades anteriores.
ção dos resultados e contribuir para a apre-
sentação de CD. Educação Visual
Pesquisar na internet sobre rosáceas, frisos, Criar um friso com diferentes materiais
e suportes para publicar como banner na Inglês
padrões e pavimentações, notando a im-
portância das palavras-chave usadas para página da escola, com base nas pesquisas Participar num WebQuest desenvolvido
localizar a informação, registar fontes e feitas em Mat. pelo professor sobre situações quotidianas
analisar criticamente a qualidade da infor- Organizar uma votação para eleição do dos alunos.
mação. friso vencedor. Analisar e debater, em sala de aula, as
Selecionar algumas das pesquisas anterio- Produzir uma banda desenhada sobre os principais potencialidades e obstáculos da Educação Tecnológica
res para trabalhar isometrias num pro- riscos da internet, aproveitando as ferra- utilização desta aplicação informática. Fotografar materiais que possam ser traba-
grama computacional (Geogebra ou outro). mentas online disponíveis e com o auxílio e lhados em sala de aula, como, por exemplo,
supervisão do professor de TIC. madeira, plástico, papel, têxteis e argila.
Desenvolver uma apresentação em
Thinglink, em parceria com TIC e em grupos
de trabalho, na qual cada grupo apresenta
Educação Física informações sobre um material, abordando o
Português processo de transformação, as propriedades
Organizar uma prova de corta-mato
Escrever os textos para a banda desenhada de EV. e as ferramentas e técnicas de trabalho.
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

interescolas definindo previamente todo


Refletir, com base no trabalho elaborado, sobre o modo como as TIC mudaram a nossa relação o trajeto através do Google Maps e anun-
com os outros, com o tempo e com o espaço e escrever um texto de opinião, utilizando um pro- ciando atempadamente a atividade e o
cessador de texto. percurso a toda a comunidade escolar.

10 Projetos interdisciplinares | 6.º ano Projetos interdisciplinares | 6.º ano 11


Contos de mel e de fel
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
Objetivos DO PERFIL DOS ALUNOS
 Dominar competências nucleares de compreensão e de expressão
Produto final A B C D E
6. ano
o na modalidade escrita.
 Compilação de contos à volta das palavras «mel» e «fel», em sentido literal  Compreender os processos próprios à experimentação, à improvisa-
e conotativo, num livro pop-up. ção e à criação na expressão artística. F G H I J

Português Educação Tecnológica Educação Física


Organizar uma coletânea de pequenos con- Construir um livro com efeito pop-up in- 
Investigar sobre substâncias úteis e preju- História e Geografia de Portugal
tos associados às palavras «mel» e «fel», a cluindo os contos elaborados em cada dis- diciais à saúde em contexto de exercício fí- Debater:
realizar nas diversas disciplinas, tendo como ciplina e organizados em Port. sico (alimentos, suplementos alimentares e – a melhoria das condições de vida da po-
exemplo o conto tradicional algarvio «O sa- doping). pulação na segunda metade do século
Selecionar o papel, segundo as suas pro-
patinho de cetim», in Contos tradicionais  XIX e o aparecimento de novos medica-
priedades, e as técnicas e ferramentas de Elaborar contos, relatando histórias reais
portugueses, de Teófilo Braga. mentos (antibióticos e vacinas);
trabalho mais adequadas à construção ou fictícias, que alertem para a importân-
Trabalhar o sentido literal e conotativo das deste tipo de livro. cia das escolhas saudáveis para o bem-es- – a substituição (total ou parcial) de proce-
duas palavras na mensagem da história. tar do organismo, com o apoio de CN. dimentos invulgares de medicina popu-
Dinamizar um torneio de palavras cruzadas lar (como os descritos em Animais de
para promover a criatividade e aumentar o companhia na História de Portugal, obra
vocabulário associado ao tema do projeto. coordenada por Isabel Drumont Braga e
Cidadania e Desenvolvimento Paulo Drumond Braga).
Planear a apresentação/sessão de leitura Dar a conhecer à turma mezinhas tradicio-
dos contos. nais com mel e fel (ou ingredientes muito
Dinamizar uma atividade introdutória com Ciências Naturais amargos) que ainda continuam a ser utili-
Realizar uma recolha de artigos e notícias zadas hoje.
os participantes da sessão de leitura, par-
Tecnologias de Informação tindo de provérbios tradicionais que con- sobre o mel e o fel no contexto dos siste- Recolher receitas de remédios caseiros
e Comunicação tenham as palavras «mel» e «fel», refle- mas do organismo (o mel como superali- junto de familiares mais velhos e partilhar
Que significado têm para ti as palavras tindo brevemente sobre a sua mensagem. mento e unguento e o fel como suco pro- oralmente com a turma, em círculo.
«mel» e «fel»? Lançar a questão num fórum Exemplos: duzido pelo fígado). Construir contos com História, usando a in-
a realizar através da aplicação digital mais – Lábios de mel, coração de fel. Debater, com HGP, a utilização das mezi- formação recolhida.
adequada e com o apoio do professor. – Quem come fel não pode cuspir mel. nhas, o aparecimento dos novos medica-
Constituir uma equipa que analise e me- – Nem sempre é pão com fel, nem sempre mentos e, numa perspetiva mais atual, a
deie os diálogos online, tendo em conside- é pão com mel. problemática da automedicação.
ração as regras de boa convivência em am- – Agora dá pão e mel, depois, dará pão e fel. Construir contos a partir do trabalho ela-
bientes digitais. – O que para uns é mel, para outros é fel. borado nos tópicos anteriores.
Tratar a informação recolhida e fornecê-la a – Apanham-se mais moscas com mel do
que com fel.
Port para que possa explorar a variedade
de significados destas palavras. Educação Visual
Elaborar, em articulação com Port, o
storyboard dos contos, definindo os ele-
mentos e personagens que farão parte
Educação Musical Matemática deles.
Inglês Desenvolver a musicalidade, com a sele- Estudar as propriedades geométricas de Ilustrar os contos, manifestando capacida-
Trabalhar, a partir da abordagem conotativa ção de elementos sonoro-musicais ade- um hexágono, relações entre os seus ele- des expressivas e criativas e conhecimen-
dos conceitos «mel» (honey) e «fel» (gall), rea- quados às diversas situações dos contos mentos e simetrias. tos adquiridos sobre os conceitos «mel» e
lizada em Port, os conceitos like e dislike. construídos nas várias disciplinas. Elaborar contos que incluam favos de mel «fel».
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

Elaborar uma lista de expressões idiomáticas Acompanhar a leitura dos contos em CD e linguagem matemática com ele relacio-
em inglês que contenham essas palavras. com os elementos selecionados, enfati- nada.
zando a sua mensagem.
Resumir cada conto da coletânea numa frase.

12 Projetos interdisciplinares | 6.º ano Projetos interdisciplinares | 6.º ano 13


Dias que importam
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
DO PERFIL DOS ALUNOS

Produto final Objetivo A B C D E


6. ano
o
 Construção do Mural dos Direitos Humanos que pode ser destinado  Conhecer e valorizar os Direitos Humanos em geral: o que são,
a comemorar o Dia dos Direitos Humanos, 10 de dezembro. porque existem e porque devemos protegê-los. F G H I J

Educação Tecnológica Matemática Português


Procurar na escola uma parede grande Pesquisar informação sobre: Pesquisar informação sobre:
com acesso fácil e em sítio visível para Educação Visual – Dia Internacional da Ciência e da Paz – Dia Internacional da Língua Não Materna
construir o Mural. Definir a estrutura e o design do Mural, em (11 de novembro); (21 de fevereiro);
Pensar na estrutura, no design e nos mate- colaboração com ET (poderá, por exem- – Dia Europeu da Igualdade Salarial – Dia Mundial da Poesia (21 de março);
riais a utilizar no Mural, em conjunto com EV. plo, apresentar-se sob a forma de um friso (segunda terça-feira de abril); – Dia Mundial do Livro e dos Direitos de
cronológico correspondente a um ano, ao – Dia Mundial do Comércio Justo Autoria (23 de abril);
Enriquecê-lo com informações sobre os
longo do qual vão sendo colocadas as (segundo sábado de maio). – Dia Mundial da Liberdade de Imprensa
dias comemorativos trabalhados em cada
datas, acompanhadas de breves informa- (3 de maio);
disciplina. Refletir sobre a informação pesquisada e
ções). – Dia Internacional da Literacia
selecionar aquela que se destina ao Mural,
Decidir a forma de colocar a informação (8 de setembro).
decidindo, em conjunto com EV, a melhor
no Mural (texto, desenho, banda dese- Refletir sobre a informação pesquisada e
forma de a integrar.
nhada, fotografia, colagem, pintura, etc.), selecionar aquela que se destina ao Mural,
em conjunto com cada disciplina, tendo decidindo, em conjunto com EV, a melhor
em conta a sua forma de apresentação. forma de a integrar.
Cidadania e Desenvolvimento Pesquisar informação sobre: Contribuir para a escrita correta dos textos a
Construir o calendário dos Direitos Huma- – Dia Internacional do Artista (25 de colocar no Mural.
nos que deve integrar: agosto). Educação Física
– dias comemorativos das Nações Unidas; Refletir sobre a informação pesquisada 
Pesquisar informação sobre:
– dias reconhecidos por Organizações (quem criou o dia, quando foi implemen- – Dia Mundial do Desafio (última quarta-
Não Governamentais; tado, porque foi criado, porque é que é -feira de maio);
– aniversários de eventos históricos rela- importante dar atenção a este assunto) e – Dia internacional do Ioga (21 de junho).
cionados com os Direitos Humanos. selecionar aquela que se destina ao Mural. Refletir sobre a informação pesquisada e Educação Musical
Assinalar os dias comemorativos no Mural. selecionar aquela que se destina ao Mural, Pesquisar informação sobre:
decidindo, em conjunto com EV, a melhor – Dia Mundial da Música (1 de outubro).
forma de a integrar.
Refletir sobre a informação pesquisada e
selecionar aquela que se destina ao Mural,
decidindo, em conjunto com EV, a melhor
Tecnologias de Informação forma de a integrar.
História e Geografia de Portugal
e Comunicação Pesquisar informação sobre: Ciências Naturais
Pesquisar informação sobre: – Dia Mundial da População (11 de julho);
Pesquisar informação sobre:
– Dia Mundial da Sociedade de Informação – Dia Internacional para a Abolição da Es-
– Dia Mundial da Água (22 de março);
(17 de maio); cravatura (2 de dezembro);
– Dia Mundial da Saúde (7 de abril);
– Dia da Internet Segura (5 de fevereiro). – Primeira votação com sufrágio universal Inglês
– Dia Mundial do Ambiente (5 de junho);
em Portugal (18 de março);
Refletir sobre a informação pesquisada e – Dia Mundial da Alimentação Traduzir os nomes dos dias comemorati-
– Dia Mundial para a Eliminação da Discri-
selecionar aquela que se destina ao Mural, (16 de outubro). vos.
minação Racial (21 de março).
decidindo, em conjunto com EV, a melhor Refletir sobre a informação pesquisada e Decidir, em conjunto com EV, a forma de
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

forma de a integrar. Refletir sobre a informação pesquisada e


selecionar aquela que se destina ao Mural, colocar esta informação no Mural.
selecionar aquela que se destina ao Mural,
Contribuir para as pesquisas nas diferentes decidindo, em conjunto com EV, a melhor
decidindo, em conjunto com EV, a melhor
disciplinas. forma de a integrar.
forma de a integrar.

14 Projetos interdisciplinares | 6.º ano Projetos interdisciplinares | 6.º ano 15


Escola em movimento
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
Objetivos DO PERFIL DOS ALUNOS
 Conhecer diferentes meios de transporte e adquirir estilos de vida
Produto final A B C D E
6. ano
o saudáveis.
 Celebração do Dia de dar uma volta, 22 de novembro, com a dinamização  Adotar comportamentos socialmente adequados e desenvolver
da «Semana de dar uma volta». sentido de entreajuda, tolerância e responsabilidade. F G H I J

Educação Física Ciências Naturais História e Geografia de Portugal


Organizar as atividades a desenvolver na Preparar a caminhada ou o passeio de bi- Organizar uma visita de estudo a um
«Semana de dar uma volta». cicleta ou de patins, em articulação com museu relacionado com os modos de
EF, tendo em conta a saúde da pele, esco- transporte (exs.: Museu Nacional dos Co-
Educação Tecnológica
Definir um percurso contíguo à escola e,
lhendo a hidratação e alimentação neces- ches, Museu da Carris, Museu de Marinha, Construir com o material adequado uma
em cada dia da semana, percorrê-lo num
sárias e a proteção dos participantes em Museu do Ar, Museu dos Transportes e maqueta do percurso definido em EF.
meio de transporte diferente.
relação ao Sol. Comunicações, Museu do Ciclismo, Museu Pesquisar sobre a evolução do barco, com
Discutir os benefícios pessoais, sociais e
Registar em tabelas, antes e depois da ati- do Automóvel, Museu do Carro Elétrico, o apoio de Port, após a leitura da obra de
ambientais de caminhar e de andar de bi-
vidade, as frequências cardíaca e respira- Museu Nacional Ferroviário). Daniel Defoe, e:
cicleta ou de patins, em conjunto com as
tória dos alunos. Criar cartazes, com o apoio de EV, sobre – organizar a pesquisa de forma cronoló-
disciplinas de CN e CD.
as vantagens e as desvantagens da utiliza- gica e construir um cartaz para exposi-
Escolher uma zona pedonal ou uma ciclo- Discutir os resultados no contexto da
ção dos diferentes modos de transporte ção na «Semana de dar uma volta»;
via nas proximidades da escola e organizar função cardiorrespiratória e debater a im-
em Portugal, relacionando com a distribui- – construir, em grupos de trabalho, pro-
uma caminhada ou um passeio de bicicleta portância dos estilos de vida para o bom
ção das redes de transporte e apontando movendo o espírito de entreajuda, uma
ou de patins para a comunidade escolar, a funcionamento do sistema cardiovascular.
os casos específicos dos alunos da escola. jangada, em escala reduzida, usando
decorrer na «Semana de dar uma volta». Produzir panfletos de sensibilização com madeira, e começando por fazer esbo-
as conclusões obtidas para distribuição ços e uma planificação do trabalho.
pela comunidade local.

Matemática
Colaborar com ET na construção da ma-
Inglês
queta do percurso de EF, dando apoio no Escrever um pequeno texto no qual se com-
Cidadania e Desenvolvimento Português âmbito dos conteúdos da disciplina. pare o modo como o aluno se desloca para
Debater em sala de aula sobre: Ler a obra Robinson Crusoé, de Daniel a escola, ou os transportes públicos que uti-
– comportamentos seguros, sentido de en- Defoe, e fazer o levantamento de excertos liza, com os meios de transporte dos alunos
treajuda, tolerância e responsabilidade do texto relacionados com meios/modos de escolas de países de língua inglesa.
enquanto peão, ciclista ou patinador; de transporte e com as dificuldades da via- Promover um passeio num autocarro turís-
– regras de condução de bicicletas; gem marítima. tico e interagir com turistas em língua in-
– locais seguros para andar a pé, de bici- glesa.
Escrever os diários do percurso definido
cleta ou de patins.
por EF.
Promover uma entrevista com o vereador
dos transportes da Câmara Municipal, com o
apoio de Port, para decorrer na «Semana de Educação Musical
dar uma volta», focando os seguintes aspe- Estudar a letra e a música Pica do 7, de An- Tecnologias de Informação
tos:
Educação Visual tónio Zambujo. e Comunicação
– melhorias na rede de transportes; Pesquisar no site do Metropolitano de Lis-
Pesquisar sobre o transporte público que Criar um diário digital, utilizando a aplica-
– sustentabilidade ambiental; boa, as obras de arte presentes nas esta-
serviu de tema à música e se contribui, ou ção multimédia mais apropriada, e publicar
– meios de transporte e estilos de vida sau- ções e debater, em sala de aula, a impor-
não, para a sustentabilidade ambiental. os diários escritos em Port, a banda dese-
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

dáveis. tância/função da arte nas estações.


Aprender a tocá-la e a cantá-la para apre- nhada criada em EV e fotografias do per-
Criar uma banda desenhada de resumo da curso organizado por EF, da visita de es-
sentação na «Semana de dar uma volta».
obra Robinson Crusoé, com Port. tudo de HGP e do passeio turístico de Ing.

16 Projetos interdisciplinares | 6.º ano Projetos interdisciplinares | 6.º ano 17


Feira de sorrisos
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
DO PERFIL DOS ALUNOS
Produto final Objetivos
 Sensibilizar para a desigualdade de oportunidades. A B C D E
6. ano
o  Organização de uma feira na escola onde se oferecem bens como roupa, calçado,
livros, móveis, … e tudo aquilo que os alunos conseguirem angariar em troca,  Fomentar a empatia com as pessoas desfavorecidas.
apenas, de um sorriso.  Ajudar a população escolar e/ou comunitária mais carenciada. F G H I J

Cidadania e Desenvolvimento História e Geografia de Portugal


Refletir sobre a problemática da pobreza e Pesquisar sobre o modo de vida do povo
dos pré-conceitos que se fazem dos «po- Português em contraste com o de outras classes so-
bres» a partir do conto estudado em Port. ciais, nomeadamente, a nobreza, o clero e
Ler e analisar o texto «Filémon e Báucis», da
Pesquisar a Declaração do Milénio das Na- obra Contos Gregos de António Sérgio, os membros da corte. Analisar as conse-
ções Unidas e apresentar na Feira a lista dos dando ênfase: ao modo como os Deuses quências da pobreza do povo e estabele-
seus objetivos, em forma de cartaz, com o foram recebidos pelo casal Filémon e Báucis cer um paralelo com a atualidade.
apoio de EV. e pelos outros habitantes da cidade, quando Pesquisar sobre o problema da pobreza
Organizar um peditório para recolher bens chegaram à Terra; aos indicadores de po- nas áreas rurais e urbanas de uma forma Matemática
que, não sendo novos, podem servir a outras breza na casa de Filémon e Báucis; à recom- geral, em conjunto com Mat.
Pesquisar e entender os conceitos de po-
pessoas. pensa dos Deuses ao casal pela sua bon- breza absoluta e pobreza relativa.
Organizar uma feira com todo o tipo de bens dade.
Entender o que representa o «limiar da po-
recolhidos com a campanha. Dividir os pro- Lançar as questões: Quais são os aspetos que breza» e conhecer as estatísticas sobre o
dutos e os objetos por categorias e organizar mais impressionaram nesta narrativa? Porque assunto, em Portugal.
pequenas barraquinhas onde fiquem visíveis. é que os Deuses, ao assumirem a figura hu-
Os visitantes precisam apenas de sorrir e mana, se mascararam de «pobretões»?
dizer qual o objeto que pretendem. Ciências Naturais
Discutir as causas e as consequências da po-
breza e tirar conclusões. De que forma a pobreza se manifesta ao
nível da saúde? Discutir o tema, inicial-
mente em trabalho de pares e depois com
toda a turma, com enfoque na saúde oral.
Educação Visual Colaborar com EF na criação de ementas
equilibradas. Tecnologias de Informação
Fazer a análise da pintura de David
Ryckaert, Filémon e Báucis dando hospitali- Escrever uma carta à Direção da escola, e Comunicação
dade a Júpiter e Mercúrio, utilizando os propondo a doação dos restos da cantina
Educação Musical à população escolar mais carenciada.
Divulgar o peditório, solicitando a partici-
conceitos específicos da comunicação vi- pação da comunidade e, depois, a Feira.
Selecionar instrumentos musicais para
sual (luz, cor, espaço, forma, movimento,
uma improvisação de ritmos e músicas Pesquisar entidades locais com as quais
ritmo, proporção, desproporção).
para animar a Feira. possam ser estabelecidas parcerias para
Criar um logótipo da Feira (que deverá in- fornecimento gratuito, ou a custo muito re-
Dinamizar um workshop na Feira em que
cluir um sorriso). duzido, de bens de primeira necessidade
se ensine a construir e a tocar estes instru-
Criar, em conjunto com Port, um folheto mentos. (por exemplo, restaurantes que possam
onde se explique o objetivo da Feira e in- Educação Física doar as sobras da comida a quem precisa
clua um apelo à solidariedade. 
Criar programas gratuitos para a prática em vez de as lançarem ao lixo).
desportiva, seja ela qual for, e elaborar um
workshop para apresentar na Feira com
Inglês demonstrações de atividades incluídas.
Traduzir o folheto criado em EV, com ajuda 
Criar ementas saudáveis e baratas, em
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

Educação Tecnológica do professor, e distribuir, depois, as duas conjunto com CN, que, a par com a prática
versões. desportiva, possam contribuir para uma
Construir com materiais reciclados os ins-
trumentos de EM. vida mais saudável.

18 Projetos interdisciplinares | 6.º ano Projetos interdisciplinares | 6.º ano 19


Florestas: património vivo
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
DO PERFIL DOS ALUNOS
Produto final Objetivo
A B C D E
6. ano
o  Criação de um Clube da Floresta, a desenvolver atividades de sensibilização  Promover o conhecimento e sensibilizar para o tema das florestas
sobre a preservação do património ambiental e de comemoração do Dia e a problemática dos incêndios, as suas causas e consequências,
Internacional das Florestas, 21 de março. bem como as suas formas de prevenção. F G H I J

Ciências Naturais Português


História e Geografia de Portugal Cidadania e Desenvolvimento
Discutir a importância das plantas para a Preparar dois alunos para anotarem todas
Pesquisar sobre o património ambiental Refletir sobre o conceito de a temática flo-
vida na Terra e medidas de conservação as falas dos participantes no jogo de EF.
em Portugal e sobre medidas de preserva- restal extravasar as fronteiras dos países
da floresta autóctone. Definir e caracterizar as personagens a
ção do mesmo, em conjunto com CN. pelo facto de o ambiente ser global.
Criar o Clube da Floresta e definir algumas partir do jogo e, com elas, criar um texto
Pesquisar sobre a função de sapador flo- Pesquisar sobre o património ambiental
atividades a realizar, por exemplo: (por exemplo sobre os sentimentos das ár-
restal e elaborar perguntas a colocar ao português classificado como Património
– jogo «Eu sou», a realizar em EF; vores perante ações humanas) a ser dra-
profissional que se deslocar à escola. Mundial pela UNESCO, com HGP.
– visita de um sapador florestal à escola; matizado nas comemorações do Dia Inter-
– comemoração do Dia Internacional das nacional das Florestas. Refletir sobre a função social da floresta
Florestas. Pesquisar e selecionar notícias sobre in- – passeios, bem-estar e tranquilidade,
cêndios com a finalidade de contribuir beleza e prazer.
Reunir os conhecimentos da disciplina e os
de HGP e ET, como preparação para o para o folheto de CD. Debater, em conjunto com CN, as conse-
jogo «Eu sou», de EF. Educação Tecnológica quências dos incêndios florestais, em Por-
Refletir sobre o facto de o desenvolvimento tugal e pelo mundo.
das sociedades humanas se fazer à custa Elaborar e distribuir um folheto de sensibi-
das florestas e, quantas vezes, contra as flo- lização para a defesa da floresta contra os
restas. incêndios.
Trabalhar conteúdos da disciplina a partir
Educação Física do jogo «Eu sou»: medir em metros e em
Dinamizar o jogo «Eu sou», com o apoio de
Educação Visual
passos o comprimento do fio usado no
CN (9 jogadores e 4 alunos para registar o Trabalhar a composição geométrica resul-
jogo; efetuar medições rigorosas do fio
decorrer do jogo): entre os vários jogadores. Fornecer estes
tante do jogo «Eu sou», identificando ele- Inglês
– Oito alunos sentam-se em círculo. Outro mentos geométricos. Elaborar uma versão simplificada do fo-
valores a Mat.
aluno segura um novelo de lã, a partir Personalizar (com eventuais alterações que lheto, em inglês, dirigida a cidadãos es-
Dar vida ao novelo usado no jogo, criando
do centro do círculo, e dá início ao jogo, o aluno deverá descrever em linguagem trangeiros.
a partir dele uma mascote para o Clube.
representando um humano que adquire apropriada e rigorosa) e pintar a composi-
um produto florestal. ção, de forma alusiva ao tema das florestas
– Cada aluno participa à vez (independen- e à sua preservação.
temente da sua posição no círculo), Decorar a escola com as composições fei-
apresentando-se como um «indivíduo» tas pelos alunos, no âmbito do Dia Interna-
relacionado com o «indivíduo» anterior. Matemática cional das Florestas.
Tecnologias de Informação
– O jogo termina quando todos os partici-
Preparar dois alunos para representar cor-
e Comunicação
pantes se apresentarem e estiverem uni- Recriar o esquema resultante do jogo «Eu
retamente o esquema do jogo «Eu sou» (a
dos pelo novelo (Exemplos: «Eu sou o sou» num ambiente de geometria dinâ-
circunferência, o centro, os 8 pontos que
Vasco e comprei este caderno na pape- mica, em colaboração com Mat.
os alunos representam e os segmentos
laria da escola.»; «Eu sou o Pinheiro e dei
correspondentes à passagem do novelo). Elaborar a versão digital do folheto desen-
origem a esse papel.»; «Eu sou a Fotos-
Trabalhar conteúdos de Geometria a partir volvido em CD, integrando as músicas se-
síntese que te mantém vivo»).
do esquema resultante do jogo «Eu sou». Educação Musical lecionadas em EM.
– Dois alunos registam o esquema do
Apoiar as pesquisas necessárias às discipli-
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

jogo, como combinado em Mat. Dois Analisar dados estatísticos sobre incêndios Compor uma peça musical sobre o tema
alunos registam as falas, como combi- e contribuir para a elaboração do folheto das florestas e a sua preservação. nas de HGP, CD, Port e ET.
nado em Port. de CD. Gravar a música e integrá-la no folheto di-
gital, a realizar em TIC.

20 Projetos interdisciplinares | 6.º ano Projetos interdisciplinares | 6.º ano 21


Green Festival
Objetivos ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
 Compreender que a as plantas são fundamentais para o nosso DO PERFIL DOS ALUNOS
Produto final bem-estar e para a nossa saúde.
A B C D E
6. ano
o  Organização de um festival com dinamização de atividades sobre ervas  Compreender o valor das plantas nativas no contexto português.
aromáticas, hortícolas, e outras plantas facilmente cultiváveis num jardim,  Compreender o direito e o dever de todas as pessoas de contribuir
e suas utilizações. para o desenvolvimento integral e sustentável das sociedades. F G H I J

Cidadania e Desenvolvimento Português


História e Geografia de Portugal
Organizar uma semana de atividades desig- Educação Tecnológica Recolher, junto de familiares e amigos,
Construir um painel informativo, para ex-
nada Green Festival: Construir um terrário e um jardim vertical receitas onde os ingredientes principais
posição no Festival sobre as plantas mais
– definir as equipas, as tarefas, a programa- para cultivo de ervas aromáticas na escola, sejam as hortaliças e as ervas aromáticas.
usadas na alimentação (especiarias e con-
ção e demais questões logísticas; sempre que possível com materiais reutili- Fotografar os pratos confecionados e, com
dimentos) e ornamentação (plantas de jar-
– acompanhar o trabalho das diversas disci- zados, aplicando técnicas de trabalho e fer- o apoio de TIC, organizar toda a informa-
dim) portuguesas, incluindo a influência
plinas, nos momentos pré-festival. ramentas adequadas. ção num livro.
de aspetos geográficos e climáticos (incluir
Promover reuniões de equipas no fim de Utilizar as plantas cultivadas na cantina e/ou Dinamizar a «Sala dos sabores», durante o
tudo o que já se conhece sobre produtos
cada dia de atividades, para refletir e avaliar dinamizar a sua venda durante o Festival. Festival, com apresentação do livro Um
trazidos por outros povos, como romanos,
o que foi feito e motivar para o dia seguinte. livro que sabe bem. Disponibilizá-lo em
árabes ou orientais). Se necessário, incluir
Definir no calendário a «Noite Verde», último informação em forma de mapa. formato digital aos participantes do
dia do Festival em que os alunos pernoitam evento.
Dinamizar a sessão de boas-vindas do Fes-
no recinto da escola em regime de acanto- Selecionar algumas receitas e fornecê-las à
tival, contextualizando o tema (com o
namento ou mesmo acampamento. cantina da escola para que possam ser
apoio do painel) e fornecendo indicações
Ciências Naturais confecionadas durante o Festival.
importantes para o bom funcionamento
Construir um herbário com plantas reco- do mesmo.
lhidas na caminhada de EF:
– fazer acompanhar cada espécie de um
Tecnologias de Informação bilhete de identidade com o seu nome
e Comunicação científico e algumas características (ori-
Apoiar CD com as ferramentas digitais ne- gem, tipo de solo, colheita, parte da
planta consumida, uso culinário/tera-
Matemática
cessárias à concretização dos diferentes mo-
pêutico); Realizar uma sondagem sobre a utilização de plantas pelas famílias,
mentos de preparação dos eventos.
– disponibilizar o herbário para consulta nomeadamente, plantas ornamentais, hortícolas ou aromáticas.
Dinamizar uma sessão de cinema ao ar livre Tratar os dados em forma de tabelas e gráficos e contribuir para o
durante o Festival.
no último dia do Festival. painel e sessão de boas-vindas de HGP.
Dinamizar na «Sala Vitamínica» um wor-
Registar, em vídeo, os melhores momentos Dinamizar um workshop sobre formas de contagem do tempo (ne-
kshop de chás e sumos naturais terapêuti-
do Green Festival. cessária com o surgimento da agricultura) e consequente constru-
cos.
ção de um relógio de Sol, com o apoio de ET.

Educação Física
Organizar, durante o Festival, uma manhã
Educação Musical Inglês
de caminhada que inclua a visita a hortas
comunitárias ou a quintas de produção de Interpretar a música O jardim, de Cláudia Educação Visual Pesquisar sobre a utilização das plantas/
ervas aromáticas e hortícolas da região. Pascoal. Dinamizar um workshop de origâmis de flores como símbolo de cada país do Reino
flores durante o Festival. Unido e escolher uma para ser o símbolo
Complementar a caminhada com peque- Dinamizar uma das paragens da cami-
Decorar os espaços comuns da escola de- do Green Festival.
nos pontos de paragem, observação, re- nhada de EF com a aprendizagem desta
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

gisto e reflexão, indicados num roteiro, pre- canção. finidos para o Festival com os trabalhos do Apoiar as atividades de CN e Port com a
viamente preparado com o apoio de Port. workshop. tradução dos nomes dos ingredientes utili-
zados e sugerir nomes para as receitas a
partir do vocabulário aprendido.

22 Projetos interdisciplinares | 6.º ano Projetos interdisciplinares | 6.º ano 23


Há um plano de segurança!
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
DO PERFIL DOS ALUNOS
Produto final Objetivo
A B C D E
6. ano
o  Dinamização de uma plataforma online, construção de folhetos para divulgação  Sensibilizar para a importância de fazer escolhas seguras e assumir
de comportamentos preventivos e criação de um happening subordinado ao comportamentos preventivos, no sentido de desenvolver uma
tema Segurança. cultura de segurança. F G H I J

História e Geografia de Portugal


Cidadania e Desenvolvimento Educação Tecnológica Identificar a segurança como um problema
Promover na turma o debate subordinado ao
Pesquisar sobre normas de higiene e segu- social atual, relacionando-a com proble-
tema Segurança, a partir do trabalho desen-
rança em locais de trabalho, de lazer e em mas da vida quotidiana que afetam as
volvido em ET:
casa (Associação para a Promoção da Se- áreas rurais e as áreas urbanas e com a
– O que entendemos por segurança?
gurança Infantil; Escola Segura; Centro de ocorrência de problemas sociais específi-
– Quanto valorizamos a nossa segurança e a
Informação Antivenenos). cos de cada uma dessas áreas.
Ciências Naturais
de quem nos rodeia? Reconhecer normas de higiene como pro-
Organizar um simulacro na escola, com Mat, Produzir folhetos com regras de segurança
Refletir sobre o facto de existir, ou não, uma cedimentos de segurança.
com algumas situações de emergência. em casa, em edifícios públicos e na rua, di-
cultura de segurança: Contribuir para os folhetos a produzir em
rigido a toda a comunidade e/ou particula-
– Em que é que se traduz? HGP, por exemplo, com informações acerca
rizando para os seus elementos mais vul-
– Que expressão tem? da importância das regras de higiene no
neráveis, incluindo técnicas básicas de
Conhecer o Plano de Segurança da Escola. defesa, com a colaboração de EF. equilíbrio do sistema respiratório ou na pre-
Compreender o que é e para que serve. venção do contágio de doenças infeciosas.
Distribuir os folhetos, via e-mail, à comuni-
Identificar riscos no espaço escolar e assumir Matemática dade escolar, com o apoio de TIC.
um papel interventivo, alertando a Direção da Analisar o plano de evacuação da escola e,
escola para os mesmos, de forma adequada. a partir da planta da escola e da observa-
Escrever uma carta aberta sobre aspetos da ção da sua escala, calcular as distâncias a
segurança de pessoas e bens e sobre a res- percorrer a partir de vários pontos.
ponsabilidade de cada um nesse contexto.
Educação Física
Contribuir para a organização do simula-
Contribuir para HGP com recomendações
cro de ET. Inglês para boa mobilidade física (alongamentos,
Organizar o passatempo «A question a day cuidados a levantar pesos, etc.).
keeps you safe anyway!», a divulgar online
Contribuir para a plataforma digital com
ou na rádio da escola, com o apoio de TIC.
questões relativas à segurança:
Educação Visual Elaborar para o passatempo perguntas – em práticas desportivas como a natação
Projetar e desenvolver um happening su- simples sobre segurança em situações do- e desportos de combate, onde técnicas
bordinado ao tema da segurança, com mésticas, na escola, nos transportes públi- fundamentais de controlo e desequilí-
base no trabalho desenvolvido em ET, EF e Educação Musical cos ou em viagem. brio têm de ser aplicadas com segu-
Port, a apresentar à comunidade escolar. Improvisar, compor ou selecionar peças Fomentar a participação dos alunos do 6.º rança (própria e do opositor);
musicais para o happening. ano e divulgar, em cada dia, o nome dos – em eventos de grande dimensão, como
participantes que acertaram, numa lista concertos e jogos de futebol.
online ou oralmente pela rádio da escola.

Português
Organizar o dia do happening, conjugando-o com a leitura expressiva da carta aberta.
Tecnologias de Informação e Comunicação
Contribuir para o folheto de HGP com:
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

Dinamizar uma plataforma digital com os trabalhos das várias disciplinas.


– a análise de notícia(s) sobre acidente(s) de trabalho: identificação das causas e consequências e
dos comportamentos adequados e inadequados; Divulgar: a carta aberta (CD); os aspetos mais importantes do Plano de Segurança da Escola (CD);
– a leitura do excerto da obra A Viúva e o Papagaio, de Virginia Wolf, em que a casa arde, e identifi- comportamentos preventivos de segurança em situações diversas (HGP, CN, EF); o passatempo
car causas e consequências dos incêndios assim como comportamentos adequados e de risco. «A question a day keeps you safe anyway!» (Ing); o simulacro (ET) e o happening (EV).

24 Projetos interdisciplinares | 6.º ano Projetos interdisciplinares | 6.º ano 25


Memória: resgate
aos brinquedos Objetivos
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
DO PERFIL DOS ALUNOS
 Sensibilizar para a importância de lembrar erros e conquistas do
A B C D E
6. ano
o passado, para reflexão no presente e construção ativa de um futuro
Produto final que se entenda melhor.
 Exposição alusiva ao tema Memória.  Valorizar memórias felizes e aprender a construí-las. F G H I J

Português Matemática Tecnologias de Informação


Ler a obra Rosa, minha irmã Rosa, de Alice Elaborar um inquérito com o objetivo de e Comunicação
Vieira, como uma partilha de memórias. recolher dados sobre memórias dos brin- Utilizar o computador para organizar e tra-
Debater a importância da memória como quedos antigos. tar os dados recolhidos no inquérito de
forma de manter vivo aquilo que, individual Cidadania e Desenvolvimento Selecionar avós e bisavós a quem aplicar o Mat e assim contribuir para a organização
ou coletivamente, escolhemos lembrar. Debater a importância da memória como inquérito, a partir da análise de uma árvore da exposição.
Organizar uma exposição subordinada ao forma de proteção dos Direitos Humanos. genealógica e de como o número de pes- Utilizar a internet para a investigação e a
tema «Memória: resgate aos brinquedos», Refletir, com HGP, sobre o que fazer para soas de cada geração é uma potência de pesquisa necessárias nas várias disciplinas,
com a contribuição das várias disciplinas. preservar na memória coletiva aconteci- 2, podendo definir-se a sequência de analisando criticamente a qualidade da in-
mentos onde houve violação dos Direitos termo geral 2n. formação.
Elaborar textos sobre as memórias da in-
fância dos alunos e dos seus brinquedos Humanos, ao longo da História. Aplicar o inquérito e fornecer os dados a Abordar a importância da memória tam-
preferidos. Lê-los no dia da exposição. Selecionar frases que mostrem o papel da TIC. bém para o funcionamento de um sistema
Preparar uma apresentação oral para inau- memória, para afixar na exposição (por informático.
gurar a exposição, com HGP. exemplo: «Um povo sem memória está em
perigo de perder a sua alma.» Ngugi wa
Thiong’o; «A memória é o que nos molda. Ciências Naturais
A memória é o que nos ensina. Devemos
Contribuir para Mat na elaboração do in-
entender que é onde está a nossa reden-
quérito, de modo a recolher dados que
ção.» Estelle Laughlin.) Educação Tecnológica
permitam refletir sobre o quanto valoriza-
História e Geografia de Portugal mos as nossas memórias e, em particular, Fazer bolas de trapos, para EF.
Refletir sobre a importância de ensinar ter uma boa memória. Reproduzir outros brinquedos antigos
História, enquanto forma de preservar a Pesquisar sobre alimentos que contribuem identificados nas respostas ao inquérito,
memória da humanidade, promover o en- para uma boa memória: Que nutrientes por exemplo carrinhos de rolamentos, bo-
tendimento mútuo e evitar que erros do Inglês têm uma ação importante e que função necas de trapo ou piões. Selecionar os ma-
passado se perpetuem ou se repitam. Fa- Refletir, com HGP, sobre o caráter destru- desempenham no corpo humano? teriais a usar de acordo com as suas carac-
zê-lo com Ing, evidenciando que esta é tivo da guerra e o impacto da participação terísticas físicas e mecânicas e
Contribuir com cartazes informativos para
uma necessidade de todos os países. inglesa nas invasões napoleónicas. relacionando-as com as técnicas específi-
a exposição.
Refletir sobre a importância de conhecer cas de materiais como a madeira, os fios
Identificar filmes que deem a conhecer
exemplos de violação de Direitos Huma- têxteis e as pastas.
casos de violação dos Direitos Humanos,
nos, como a escravatura e outros crimes como Esperança e glória, baseado em me- Incluir estes brinquedos na exposição.
da época colonial, e de como tal deverá mórias de infância do produtor britânico
significar plena consciência do sofrimento John Boorman.
causado nessas situações. Visionar excertos do filme, identificando
Educação Visual
brinquedos antigos. Comparar as duas Recolher os brinquedos antigos que exis-
realidades culturais, ao analisar os resulta- tam, junto dos destinatários do inquérito de Educação Física
dos do inquérito de Mat, nomeadamente, Mat, de modo a serem fotografados. 
Definir regras adequadas a um jogo de fu-
o número de respostas que identificaram Contribuir para a exposição com fotografias tebol com uma bola de trapos.
Educação Musical
os aviões de papel como um brinquedo da dos brinquedos recolhidos. Decidir sobre a 
Organizar um torneio de futebol com
Comparar criticamente o estilo de músicas
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

sua infância. melhor forma de fotografar os brinquedos, bolas de trapos, comemorativo da exposi-
infantis atuais e do passado, tendo em em função do que deles se pretende trans-
Fazer aviões de papel para decorar a ex- ção. No final, recolher a opinião dos joga-
conta os enquadramentos socioculturais. mitir na exposição.
posição, em colaboração com ET. dores, comparativamente ao jogo com
Elaborar uma playlist para a exposição. uma bola de futebol habitual.

26 Projetos interdisciplinares | 6.º ano Projetos interdisciplinares | 6.º ano 27


Mobilidade não poluente
Objetivos ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
 Sensibilizar para a poluição causada pelos meios de transporte e DO PERFIL DOS ALUNOS
para a necessidade de redução das emissões de CO2.
Produto final A B C D E
6. ano
o  Conhecer meios de transporte não poluentes ou com baixas emis-
 Realização do «Dia da mobilidade não poluente» e sua introdução no plano anual sões de CO2.
de atividades da escola.  Reduzir as emissões de CO2 no trajeto casa-escola-casa. F G H I J

Cidadania e Desenvolvimento História e Geografia de Portugal


Organizar o «Dia da mobilidade não po- Debater o desenvolvimento da produção
luente»: exposição, conferências, palestras Educação Física industrial, a introdução da energia a vapor Português
e incentivo à deslocação da comunidade e a expansão dos caminhos de ferro em Produzir panfletos sobre os fatores respon-
Sensibilizar a comunidade escolar para
escolar no trajeto casa-escola-casa através Portugal, na 2.ª metade do século XIX. sáveis por problemas ambientais em Por-
a importância de fazer caminhadas e de
de meios de transporte não poluentes ou utilizar meios de transporte não poluentes. Analisar a distribuição da rede de trans- tugal e formas de os combater, no segui-
com baixas emissões de CO2. portes nacional, utilizando diferentes for- mento da reflexão promovida em HGP.
Fazer o reconhecimento dos caminhos de
Promover uma conferência sobre os bene- mas de representação cartográfica, assina- Criar o jornal do «Dia da mobilidade não
acesso à escola, caracterizando-os de
fícios da utilização de meios de transporte lando com cores diferentes os transportes poluente», com recurso a notícias, entre-
modo a definir percursos adaptados a
não poluentes. mais poluentes e os menos poluentes, e vistas, anúncios publicitários e artigos de
meios de transporte alternativos indivi-
refletir sobre os fatores responsáveis por opinião escritos pelos alunos.
duais, como bicicletas, trotinetas, skates
problemas ambientais que afetam o terri-
ou patins.
tório nacional.
Organizar provas de bicicletas, de trotine-
tas, de carros de rolamentos, de patins,
de hoverboard, entre outros.
Educação Visual Educação Musical
Projetar trajetos de acesso à escola através
de meios de transporte alternativos indivi-
Ciências Naturais Pesquisar na internet, de forma segura,
Elaborar cartazes, com o apoio de EV, com sobre festivais considerados amigos do
duais, com base no reconhecimento feito
a identificação das principais doenças cau- ambiente. Perceber os motivos desta clas-
em EF e em parceria com ET.
sadas pela poluição atmosférica. sificação e analisar iniciativas das empre-
Construir um mural com a identificação dos Matemática sas de transportes públicos para os dias
trajetos dos transportes públicos que ser- Analisar e interpretar os resultados do Promover debates abordando temáticas
de festivais.
vem a escola. inquérito do Instituto Nacional de Estatís- como «A importância de implementar me-
didas que contribuam para a prevenção de Compor o hino do «Dia da mobilidade não
tica à mobilidade nas áreas metropolitanas poluente» para apresentar à comunidade
do Porto e de Lisboa. doenças associadas à poluição atmosfé-
rica» e «A importância do desenvolvi- escolar.
Realizar um inquérito do mesmo tipo refe-
mento tecnológico dos carros elétricos».
rente à forma de mobilidade da comuni-
dade escolar e conhecimentos sobre alter- Organizar e desenvolver palestras sobre
nativas de mobilidade não poluente ou como a mobilidade não poluente e os
com baixas emissões de CO2. modos de vida saudável podem influenciar
Educação Tecnológica a vida das gerações futuras.
Construir maquetas dos percursos desen- Recolher e tratar os dados estatísticos.
Tecnologias de Informação
volvidos em EV, utilizando diferentes mate- Organizar uma palestra para a comuni-
dade escolar para apresentação das con-
e Comunicação
riais.
clusões obtidas. Pesquisar na internet ferramentas de cál-
Pesquisar na internet sobre a evolução dos
Inglês culo das emissões de CO2 geradas a partir
meios de transporte e construir um cartaz
das principais atividades quotidianas, em
e/ou friso cronológico sobre essa evolução, Escrever um pequeno texto descritivo
português e em inglês (com Ing).
onde se percebam os últimos avanços tec- sobre as rotinas e a forma de deslocação
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

diária de cada aluno entre a sua casa e a Disponibilizar à comunidade escolar a fer-
nológicos associados à preocupação am-
escola, enriquecendo o texto com informa- ramenta de cálculo da emissão de CO2
biental.
ção sobre as emissões de CO2 associadas considerada de utilização mais simples.
(em parceria com TIC).

28 Projetos interdisciplinares | 6.º ano Projetos interdisciplinares | 6.º ano 29


Na minha escola
há um livro Objetivos
 Promover a educação literária, desenvolver competências de
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
DO PERFIL DOS ALUNOS
oralidade e criar hábitos de leitura através de experiências coletivas
Produto final A B C D E
6. ano
o em torno de livros de diferentes temas e géneros.
 Organização e dinamização de um Clube de Leitura na escola, com comunicação  Desenvolver a criatividade e a imaginação com a abordagem
através de um mural digital. das histórias, estabelecendo pontes com a vivência diária. F G H I J

Português
Organizar e dinamizar o Clube de Leitura
Matemática
História e Geografia de Portugal
«Livros e Aventuras». Dinamizar no Clube, em articulação com
Selecionar excertos das obras A guerra, de Port, o «Mês dos livros malditos», incluindo
Definir o número de participantes; a fre- José Jorge Letria (sobre a I Guerra Mun-
quência dos encontros; os locais das ses-
obras como O rapaz que tinha zero em Tecnologias de Informação
dial), Ada Byron Lovelace e a máquina pen- Matemática, de Luísa Ducla Soares, O diabo
sões e a programação da leitura dos livros, sadora, de Laurie Wallmark (sobre as trans- e Comunicação
dos números, de Hans Magnus Enzensber-
ou outro tipo de sessões, sugeridas em formações culturais e técnicas do século Gerir um mural digital (na ferramenta que
ger, e Falha de cálculo, de Margarida Fon-
cada disciplina. XIX), Sou o lince-ibérico – O felino mais se considerar mais adequada), incluindo re-
seca Santos, promovendo a leitura de
Classificar as obras trabalhadas no Clube ameaçado do mundo, de Maria João Frei- gularmente informações sobre os livros tra-
livros aparentemente assustadores,
de acordo com o género literário. Incluir tas (sobre o património e a proteção da balhados, sinopses, aspetos relevantes da
mas divertidos.
esta informação no mural digital, com a Natureza). discussão e críticas.
Recomendar a leitura destes livros, com a
colaboração de TIC. Dinamizar, no Clube, sessões de dramati- Enriquecer o mural com fotografias e ví-
publicação no mural digital de fotografias
Organizar uma batalha de livros, promo- zação dos excertos favoritos destas obras. deos das sessões de leitura, discussão, dra-
de momentos de leitura autónoma com ca-
vendo, ao longo do ano, uma votação para matização e outras atividades relacionadas.
ráter cómico.
cada livro analisado e encontrar, no final Construir booktrailers com toda a informa-
do ano, o livro vencedor. ção recolhida e promover a abertura de um
canal no YouTube.
Ciências Naturais
Selecionar livros que tenham referência ao Inglês
Educação Física corpo humano e/ou à alimentação, como: Fazer um breve sumário dos encontros do

Selecionar livros que tenham referência à – A máquina do corpo humano, de Robert Clube de Leitura e partilhar no mural digital.
atividade física, como, por exemplo, Mimi Winston; Escolher, dos textos analisados no Clube, al-
põe-se em forma – Quatro histórias mági- – Vamos conhecer os alimentos!, de Ma- guns mais simples para recontar a sua histó-
cas, de Laura Owen e Korky Paul. Analisá- riana Abecasis. ria. Enriquecer o mural e os booktrailers de
-los, cruzando informação com as leituras Partilhar no Clube citações favoritas, inte- TIC com este trabalho. Educação Musical
de CN, e partilhar a reflexão no Clube. ressantes ou curiosas destas obras que Organizar uma playlist de músicas de

Realizar eventos de desporto e bem-estar possam relacionar-se com as leituras de fundo adequadas aos momentos de leitura
que se relacionem com as leituras. EF. coletiva.
Discutir, no âmbito do Clube, referências à
música nos livros analisados.

Educação Tecnológica
Cidadania e Desenvolvimento Escolher um dia do Clube para, com EV,
Pesquisar sobre: analisar os livros do ponto de vista físico
– os aspetos (sociais, históricos, ambientais, desportivos, etc.) relevantes para a escola e para a região (como se produzem, elementos constituin-
envolvente, com apoio das diferentes disciplinas, refletindo sobre os motivos dessa singularidade; tes, etc.).
– os escritores da terra. Analisar e estudar o design, os materiais e Educação Visual
Promover, no Clube, momentos de discussão sobre locais, acontecimentos ou pessoas sobre os quais os tipos de letra utilizados nas capas e a Conceber uma capa alternativa para o livro
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

se gostaria um dia de escrever, relacionando, sempre que possível, com leituras já feitas. sua relação com o conteúdo dos livros. vencedor da batalha de livros de Port.
Convidar um dos escritores da terra a ir à escola ou, no caso de já terem falecido, dedicar-lhes um dia, Construir um cartaz de divulgação do livro
no âmbito das atividades do Clube. vencedor da batalha de livros, incluindo in-
formações relevantes no mural digital.

30 Projetos interdisciplinares | 6.º ano Projetos interdisciplinares | 6.º ano 31


Nós é que pintamos
a nossa vida Objetivos
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
DO PERFIL DOS ALUNOS
 Conhecer e compreender as atitudes e valores que ajudam a fazer
Produto final A B C D E
6. ano
o opções e a tomar decisões adequadas à saúde e ao bem-estar físico,
 Criação do Blogue «Nós é que pintamos a nossa vida» para divulgação de infor- social e mental e a refutar o risco.
mações em prol de uma vida saudável e responsável, sem riscos desnecessários.  Ser sensível ao uso da cor na arte e perceber a sua simbologia. F G H I J

Cidadania e Desenvolvimento Tecnologias de Informação Ciências Naturais


Debater a proteção da saúde e a prevenção e Comunicação Debater a expressão «Somos o que come-
do risco nas escolhas que fazemos. Questio- mos», referindo benefícios de uma alimen-
Educação Física
Criar e gerir, com CD, o Blogue para divul-
nar os alunos sobre: tação saudável, superalimentos e doenças 
Identificar:
gação de campanha de informação:
– as opções a tomar para serem adultos associadas a alimentação deficiente. – 
áreas de aptidão física;
– definir, com as restantes disciplinas, os
saudáveis e cidadãos responsáveis; – 
categorias de aptidão física e suas cores;
conteúdos a publicar e regras para quem Agrupar alimentos por cores: Como asso-
– os riscos associados a escolhas; – 
o que pode levar à categoria «Precisa de
visita, vota e comenta; ciar cores a tipos de alimentos?
– o dever da escola de informar. melhorar».
– ter em atenção a segurança e privaci- Dinamizar a divisão dos alunos por grupos,
Alargar o debate a toda a escola, produ- dade online e a responsabilidade na ges- 
Conhecer a zona de aptidão física de cada
segundo preferências alimentares. Cada
zindo, com Mat, um inquérito sobre o tema. tão dos conteúdos e comentários. um.
grupo terá de apresentar, defender e di-
Definir, com TIC, uma campanha de informa- Categorizar com cores as publicações: por vulgar (com o apoio de EV, ET e Port) 
Definir, em equipas divididas por cores,
ção a divulgar no Blogue «Nós é que pinta- exemplo, alimentação saudável, cor-de-la- como mais importantes os alimentos que estratégias, ações e hábitos para melhorar
mos a nossa vida». ranja, saber artístico, azul-escuro, atividade representa. a aptidão física; consultar a pirâmide da
física, lilás, etc.; colorir as votações das pu- atividade física, em FITescola.
blicações: verde, concordo totalmente,
amarelo, concordo em parte, vermelho, dis-
cordo. Premiar, em cada período letivo, as Educação Visual
Matemática publicações mais votadas. Identificar os sentimentos que cada cor
Aplicar o inquérito de CD aos alunos da Fazer o top dos alunos mais coloridos, pelas transmite e justificar. Discutir na turma.
escola da forma mais adequada. suas votações; divulgar e atualizar o top no Pesquisar trabalhos de dois pintores, por
Blogue.
Educação Tecnológica
Recolher, organizar, tratar e apresentar no exemplo, Caspar David Friedrich e Amadeo
de Souza-Cardoso, em que o uso da cor Representar os grupos de alimentos (a par-
Blogue os dados, recorrendo a gráficos e
seja fundamental. Analisar criticamente as tir de EV), escolhendo o melhor material –
esquemas.
obras quanto à utilização que se faz da cor. reutilizando, se possível – e utilizando as
Identificar, com base nas conclusões, os técnicas e utensílios mais adequados em
temas sobre os quais é necessário fornecer Participar na representação dos alimentos
função das cores e propriedades que se
informações. Contactar entidades ou asso- de CN: desenhar e pintar os alimentos, as-
pretende transmitir. Documentar todas as
ciações que possam auxiliar. sociando-os às cores e símbolos mais ade-
Português quados às suas propriedades principais.
fases do projeto.
Ler poemas selecionados do Primeiro livro
de poesia, de Sophia de Mello Breyner An-
dresen, e, em grupo, escolher um que
transmita, pela expressão de cores, senti-
Educação Musical mentos com que o grupo se identifique. História e Geografia de Portugal
Pesquisar, em grupo, músicas cuja letra re- Escrever um poema que complete ou se Conhecer os símbolos nacionais de Portu- Inglês
fira cores e selecionar duas preferidas ou relacione com o escolhido, procurando gal: cores da bandeira nacional e seu signifi- Pesquisar, em grupo, os símbolos nacio-
que transmitam os sentimentos preferidos: usar outras cores e expressar outros senti- cado e A Portuguesa. nais do Reino Unido.
alegria, esperança, etc. mentos. Pesquisar, em grupo, os símbolos nacionais Trabalhar com HGP, resumindo e tradu-
Compor músicas para os poemas escritos Ler expressivamente, atendendo aos senti- de um país à escolha de cada continente. zindo os conteúdos. Indicar quem fará, em
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

em Port para apoiar a leitura expressiva – mentos abordados, o poema escrito. Fazer uma apresentação com os símbolos cada tópico, a apresentação em inglês,
utilizar como base as composições selecio- nacionais portugueses, ingleses e dos paí- após a de português.
nadas, se traduzirem o sentimento pedido. ses pesquisados. Exemplificar usos adequa-
dos e inadequados dos símbolos e cores
nacionais e justificar.

32 Projetos interdisciplinares | 6.º ano Projetos interdisciplinares | 6.º ano 33


O dom da palavra Objetivos
 Desenvolver a capacidade de comunicar informação essencial ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
e opiniões fundamentadas. DO PERFIL DOS ALUNOS
 Criar notícias e reportagens, devidamente estruturadas, sobre
A B C D E
6. ano
o diferentes temas.
Produto final  Debater assuntos da atualidade e expressar opinião sobre os
 Criação de um telejornal escolar para partilhar com toda a comunidade escolar. mesmos. F G H I J

Português Educação Musical


Compor uma curta peça musical para o
Planificar e coordenar a realização do tele-
genérico do telejornal, utilizando fontes
jornal escolar: distribuir tarefas pelos alu-
sonoras convencionais e fontes sonoras
nos, definir a periodicidade e colaborar
Cidadania e Desenvolvimento não convencionais. Educação Tecnológica
com TIC para as gravações.
Discutir em sala de aula, aprendendo a de- Compor uma peça musical relacionada Criar a rubrica «Os nossos artistas», onde
Abordar, em sala de aula, o que significa
bater ideias, a defender pontos de vista e com o dom da palavra. sejam apresentadas notícias e/ou reporta-
«o dom da palavra» e técnicas para uma
comunicação eficaz: a argumentar, os seguintes temas: Interpretar, em grupo, a peça para ser gens sobre os trabalhos realizados nesta
– formas de captar e manter a atenção da – a importância da comunicação social na transmitida como notícia no telejornal. disciplina e em EV.
audiência; sociedade atual; Projetar e construir os cenários do telejor-
– a respiração e a dicção, com o apoio de – a influência da comunicação social na nal, recorrendo a materiais como, por
EM; forma como olhamos para o mundo; exemplo, a madeira, o metal, o papel ou a
– a postura e a descontração em frente à – as falsas notícias. argila.
câmara, com o apoio de EF. Entrevistar um jornalista a partir do guião
Ler, em grupos de trabalho, livros do Plano de entrevista criado em Port. Educação Visual
Nacional de Leitura e fazer breves notícias Criar um grafismo e um logótipo para o tí-
com sinopses e apreciações críticas. tulo do telejornal e usá-los no genérico,
Criar um guião de entrevista para a ativi- em articulação com EM.
dade de CD, abordando: Apoiar ET na rubrica «Os nossos artistas» Educação Física
– o conceito de informação; e na construção dos cenários.
Criar a rubrica «Saltar mais alto», onde
– o funcionamento e os departamentos de Inglês sejam apresentadas notícias e/ou reporta-
um jornal; gens sobre as provas desportivas realiza-
Criar a rubrica «True or false», para a qual
– o quotidiano de um jornalista. das na escola e sobre feitos relevantes do
os alunos devem pesquisar na internet no-
tícias em inglês sobre temas explorados desporto nacional e regional.
em aula e adivinhar se determinada notícia
é verdadeira ou fake news.

Matemática
Recolher, de avós ou amigos mais velhos,
História e Geografia de Portugal
ou pesquisar na internet, desafios mate-
Contribuir para a discussão de CD e de- máticos curtos e simples e resolvê-los.
senvolver uma breve reportagem sobre a
Tecnologias de Informação
comunicação social e a censura durante o
Ciências Naturais Preparar a rubrica «Desafios matemáticos», e Comunicação
Pesquisar na internet notícias sobre o para encerramento do telejornal, onde
Estado Novo, ouvindo, para isso, o relato Gravar as notícias de Port, a entrevista de
Plano Nacional de Vacinação. sejam lançados os desafios. Criar uma área
de familiares ou pessoas próximas que te- CD, as reportagens de HGP e de CN, as
na plataforma de partilha da escola onde
nham vivido nesse período. Discutir em sala de aula a importância das rubricas de Ing, ET e EV, EF e Mat e a in-
cada aluno possa dar as suas respostas.
Dramatizar uma cena de censura prévia à vacinas na sociedade atual. terpretação de EM.
comunicação social do Estado Novo re- Fazer uma reportagem no centro de saúde Tratar os vídeos em programa adequado,
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

criando, por exemplo, um momento em acompanhando a vacinação de uma de modo a produzir o telejornal escolar.
que alguém confronta o diretor do jornal criança e recolhendo o testemunho dos Partilhar o vídeo do telejornal escolar com
pelas partes censuradas da sua entrevista. pais, das crianças e dos enfermeiros antes toda a comunidade escolar, na plataforma
Integrar a dramatização na reportagem. e depois da vacinação. usada na escola.

34 Projetos interdisciplinares | 6.º ano Projetos interdisciplinares | 6.º ano 35


O lápis azul
Objetivos ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
 Conhecer as restrições à liberdade de expressão e de informação e a DO PERFIL DOS ALUNOS
repressão e censura durante o Estado Novo, em diferentes setores
Produto final A B C D E
6. ano
o da sociedade.
 Recriação de acontecimentos relevantes no contexto da ditadura do Estado  Compreender que um cidadão mais informado está mais preparado
Novo, com a organização de momentos informativos e recreativos na escola. para tomar decisões e para participar numa sociedade democrática. F G H I J

Cidadania e Desenvolvimento Educação Visual


História e Geografia de Portugal
Analisar e discutir, em articulação com HGP, Analisar criticamente narrativas visuais de
Procurar em arquivos online do Diário de
sobre as estratégias de censura e de propa- obras ligadas ao 25 de Abril e transformá-
Lisboa (ou de outros jornais), notícias de
ganda de Salazar, durante o Estado Novo. Educação Física -las, criando novos modos de interpretação.
eventos com importância histórica, antes,
durante e após o Estado Novo, tais como: Estabelecer relação com os princípios da Pesquisar sobre a valorização do desporto, Conceber um troféu em tons de azul, em
– Noite sangrenta publicidade hoje, nomeadamente a suges- durante o Estado Novo, pela melhoria da sinal de reconhecimento do direito à liber-
(19 de outubro de 1921); tão de uma ideia de felicidade e otimismo condição física e mental dos seus pratican- dade de expressão e de informação, para
– Golpe militar e, consequentemente, uma intenção sedu- tes e pela importância no controlo social. entregar aos vencedores do jogo de fute-
(28 de maio de 1926); tora e persuasiva, a partir de panfletos e bol organizado por Ing e EF.
Recriar, com o apoio de Ing, no final do
– Revolta contra a ditadura militar cartazes da época. Articular com Port para Publicar as novas narrativas visuais e todo o
ano letivo, o jogo entre Portugal e I ngla-
(3 de fevereiro de 1927); entender melhor as características do texto processo de construção do troféu no jornal
terra no mundial de 1966.
– A nova Constituição publicitário, neste contexto. digital da escola.
(11 de abril de 1933); Compreender o significado do «lápis azul»
– Revolução dos Cravos no contexto do regime ditatorial portu-
(25 de abril de 1974). guês.
Organizar as notícias para serem divulga- Definir a estratégia de comunicação do
das à escola, pelo jornal ou pela rádio, si- jornal e da rádio da escola, de forma a en- Inglês
mulando a vivência desses dias. quadrar os trabalhos de cada disciplina. Educação Tecnológica
Pesquisar sobre o Campeonato Mundial
Construir o troféu, concebido em EV,
de Futebol de 1966, em I nglaterra, e sobre
usando combinação de materiais diversos
as seleções portuguesa e inglesa da altura.
(papel, têxteis, madeiras…) em tons de
Planear, organizar e divulgar o evento de azul.
futebol, recriado por EF, no jornal e na
Tecnologias de Informação rádio da escola.
Ciências Naturais e Comunicação
Analisar as frases de propaganda: «Votar Conceber tecnicamente o jornal digital da
com Salazar é garantir a Paz e o Pão» e escola, em função das decisões tomadas
«Beber vinho é contribuir para o pão de em CD e apoiar a realização dos progra-
mas de rádio.
Educação Musical
um milhão de portugueses» e compreen-
Pesquisar e selecionar músicas de inter-
der a importância destes alimentos no Apoiar as pesquisas das várias disciplinas.
venção e trabalhar a sua letra, em conjunto
quotidiano dos Portugueses ao longo do
com Port, compreendendo a utilização de
século XX.
Português recursos estilísticos na construção das le-
Construir novos cartazes publicitários e tras, designadamente a comparação, a
novos slogans para estes dois alimentos, Analisar os poemas Porque, Esta gente e
25 de Abril, de Sophia de Mello Breyner onomatopeia, a anáfora e a metáfora, para
tendo em conta os conhecimentos sobre Matemática transmitir mensagens de forma indireta.
publicidade trabalhados em CD, não es- Andresen.
Recriar, no jornal da escola, a Gazeta de Musicar os poemas analisados em Port.
quecendo os conselhos da Pirâmide da Declamar os poemas à escola pela rádio,
Matemática, publicação originalmente Reproduzir as músicas selecionadas e os
Alimentação Mediterrânica. Fazer com em três momentos distintos do ano, em
criada por António Aniceto Monteiro e poemas musicados no jornal digital ou na
função das datas escolhidas em HGP.
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

eles anúncios divulgáveis pela rádio ou


Bento de Jesus Caraça em plena ditadura. rádio da escola.
pelo jornal da escola.
Analisar a evolução da capa desta publica-
ção ao longo dos anos, do ponto de vista da
comunicação visual, em conjunto com EV.

36 Projetos interdisciplinares | 6.º ano Projetos interdisciplinares | 6.º ano 37


O planeta em revista
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
DO PERFIL DOS ALUNOS

Produto final Objetivos A B C D E


6. ano
o
 Criar a revista digital «Vamos salvar o planeta», de sensibilização para a preserva-  Desenvolver o respeito pela Natureza e a preocupação ecológica.
ção do planeta.  Identificar problemas ambientais e propor ações para os resolver. F G H I J

Português Cidadania e Desenvolvimento História e Geografia de Portugal


Organizar e planificar a revista digital
Desenvolver um brainstorming sobre: Identificar os principais problemas ambien-
«Vamos salvar o planeta», pensando na
– as ações do ser humano que afetam o am- tais em Portugal e o modo como eles influen-
ordem de aparecimento dos trabalhos rea-
biente; ciam a qualidade de vida dos indivíduos.
lizados em todas as disciplinas no âmbito
– as formas de melhorar a qualidade de vida Analisar os Objetivos de Desenvolvimento
deste projeto, escrever a introdução e o ín-
e de proteger a Natureza e o ambiente. Sustentável (ODS), em conjunto com CD, e
dice e rever todos os textos antes de
serem editados. Elaborar questões para uma sondagem sobre propor ações empreendedoras para solu- Ciências Naturais
os conhecimentos dos alunos relativamente cionar os problemas identificados. Visualizar o filme de animação Lorax, com
Ler o livro, recomendado pelo Plano Na-
às alterações ambientais e suas consequên- Criar mapas conceptuais das ações propos- apoio de um guião orientado.
cional de Leitura, Vamos ajudar a Terra, da
cias para o planeta, partindo das conclusões tas, recorrendo a aplicações digitais e com Discutir a mensagem que o filme transmite
autoria de Julian Lennon e Bart Davis.
do brainstorming. apoio de TIC, para difusão na Revista. e escrever um artigo para a Revista relacio-
Escrever um texto de opinião sobre a obra
Realizar uma visita de estudo a uma das insta- nando a mensagem do filme com os ODS,
lida, num processador de texto, para publi-
lações da Valorsul ou fazer uma visita virtual em parceria com HGP.
cação na Revista.
através do site da empresa. Desenvolver um cartaz, para publicação na
Criar o diário da visita de estudo e enriquecê- Revista, enumerando medidas para a con-
-lo com imagens ilustrativas e com resumos servação da floresta autóctone.
escritos da visita para difusão na Revista. Educação Tecnológica
Educação Visual Planificar, em conjunto com Mat, e proje-
Refletir sobre a visita de estudo promovida tar um ecoponto para ser usado por toda a
por CD, de forma a expressar as principais comunidade escolar, tendo em conta o
ideias e sentimentos vivenciados num tra- local onde irá ser colocado e o material em
balho com técnica à escolha do aluno (pin- Educação Musical que será produzido.
tura, escultura, desenho, colagem ou outra). Ouvir e explorar a mensagem da música Construir o ecoponto em madeira, metal
Fotografar os melhores trabalhos para pu- «Quantas cores o vento tem» do filme ou noutro material à escolha da turma.
blicação na Revista. Pocahontas, interpretada por Susana Félix. Fotografar as fases de construção e o pro-
Cantar a música, evidenciando domínio duto final para publicação na Revista. Matemática
básico da técnica vocal. Trabalhar, em conjunto com ET, a planifica-
ção do ecoponto, fazendo cálculos da área
total do material necessário e do volume.
Educação Física Realizar a sondagem elaborada por CD.
Preparar e ensaiar uma coreografia com Recolher, organizar e representar os dados
expressividade para a música interpretada Inglês Tecnologias de Informação em tabelas e gráficos para interpretação
em EM. Fazer o reconhecimento de palavras da da informação representada e posterior
e Comunicação
Gravar a interpretação dos alunos em EM versão original da música «Quantas cores divulgação.
Desenvolver a Revista, utilizando a aplicação
e a coreografia para divulgação na Revista, o vento tem», com EM. digital mais adequada, e publicar os traba-
com apoio de TIC. Redigir um pequeno texto descritivo sobre lhos realizados no âmbito deste projeto.
a visita realizada em CD com a ajuda de tó- Partilhar a Revista com a comunidade es-
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

picos ou imagens, partindo da reflexão colar através do ambiente digital fechado


conduzida por EV e EM, e mensagens cur- utilizado na escola e solicitar à Câmara Mu-
tas sobre formas de proteção do planeta nicipal a partilha da Revista no seu site.
para divulgação na Revista.

38 Projetos interdisciplinares | 6.º ano Projetos interdisciplinares | 6.º ano 39


O teu expoente máximo
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
Produto final Objetivos DO PERFIL DOS ALUNOS
 Organização da exposição «Expoente máximo», sobre aquilo que valorizamos em  Desenvolver o conhecimento e a consciência de si próprio, das suas
A B C D E
6. ano
o cada domínio do conhecimento. forças e fraquezas.
 Apresentação de propostas à Direção da escola, com vista ao desenvolvimento  Refletir, reconhecer e divulgar à comunidade o papel de personalida-
do potencial humano dos alunos. des importantes de diversas áreas do saber. F G H I J

Tecnologias de Informação Educação Física


Português Educação Musical

Preparar uma sequência rítmica e expres-
e Comunicação Debater o significado de «expoente» e de
siva para dinamizar a apresentação das Selecionar, no contexto da disciplina, uma
Organizar a exposição «Expoente máximo» «expoente máximo», com CD e Mat.
forças e fraquezas na sessão plenária de personalidade que seja considerada o ex-
com o contribuito de cada uma das discipli- Fazer uma lista das forças e fraquezas, Port. poente máximo de um estilo musical.
nas que selecionará, no seu contexto, algo identificando no que se sentem bons e no 
Selecionar uma personalidade que seja 
Organizar a semana da exposição que lhe
ou alguém considerado um expoente que se sentem menos competentes. Valori-
considerada o expoente máximo de uma estiver designada.
máximo. Atribuir uma semana a cada zar umas e motivar para ultrapassar as ou-
ou várias modalidades desportivas abor- Preparar um ou vários momentos de inter-
disciplina e dar-lhe o apoio necessário. tras.
dadas na disciplina. pretação musical (cantar e/ou tocar instru-
Criar uma animação simbólica da exposição Estender a reflexão a todos os alunos da 
Organizar a semana da exposição que lhe mentos, por exemplo) a decorrer no
e divulgá-la nos ambientes digitais da escola. escola. Com CD, definir locais de partilha
estiver designada. mesmo espaço.
Apoiar as pesquisas das disciplinas. de forças e fraquezas que cada aluno iden-
tifica em si. Fornecer os dados a Mat.
Inaugurar a exposição, com CD e Mat, com
uma sessão plenária, para comunicar os
dados da partilha e as propostas à Direção
da escola. Ciências Naturais Inglês
Cidadania e Desenvolvimento 
Pesquisar sobre a evolução tecnológica Selecionar uma personalidade do mundo
Debater a importância da Educação no de- dos microscópios e o expoente máximo da música que possa ser considerada o
senvolvimento de cada ser humano a partir das suas potencialidades. expoente máximo da cultura inglesa.
do texto: 
Organizar a semana da exposição que lhe
Matemática 
Selecionar uma personalidade que seja
A educação é um dos fatores essenciais para
 considerada o expoente máximo na sua estiver designada.
o desenvolvimento e para o empoderamento Recolher, organizar, tratar os dados reco-
área, como, por exemplo, Louis Pasteur ou Preparar, com EM, um ou vários momen-
individual. A educação fornece conheci- lhidos em Port e fornecê-los a CD. Apre-
Alexander Fleming. tos de interpretação vocal ou instrumental
mento e informação, contribui também para sentar os resultados mais relevantes na

Organizar a semana da exposição que lhe de êxitos do artista escolhido, a decorrer
a construção da autoestima e da autocon- sessão plenária de Port.
estiver designada. durante essa semana, no espaço da expo-
fiança, levando assim à realização do poten- Usar ícones, criados por EV, na represen- sição.
cial de cada pessoa. tação gráfica das forças e fraquezas.
in Compass – Manual de Educação para os Direitos
Humanos com Jovens, pág. 486
Refletir sobre atividades a desenvolver na es-
cola que contribuam para potenciar as forças
e ultrapassar as fraquezas mais referidas, de Educação Tecnológica Educação Visual
entre as recolhidas em Port. Selecionar, no contexto da disciplina, uma Selecionar no contexto da disciplina, algo
Avaliar a viabilidade destas atividades, du- História e Geografia de Portugal personalidade que seja considerada o ex- (uma imagem publicitária, uma embala-
rante a sessão plenária de Port. Apresentá- Analisar do ponto de vista histórico, poente máximo na sua área, como, por gem, um cartaz, etc.) que seja considerado
-las formalmente à Direção da escola. exemplos de «expoentes máximos», exemplo, Siza Vieira na arquitetura. o expoente máximo da comunicação vi-
como o Convento de Mafra, expoente 
Organizar a semana da exposição que lhe sual.
máximo da arquitetura do reinado de estiver designada.
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA


Organizar a semana da exposição que lhe
D. João V.
estiver designada.
Organizar a semana da exposição que
lhe estiver designada.

40 Projetos interdisciplinares | 6.º ano Projetos interdisciplinares | 6.º ano 41


Os dias da Revolução Objetivos
 Reconhecer alguns dos aspetos mais relevantes da identidade ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
de Portugal: o 25 de Abril. DO PERFIL DOS ALUNOS
 Capacitar para o desempenho de um papel ativo na vida democráti-
Produto final A B C D E
6. ano
o ca e para a defesa dos direitos e deveres democráticos.
 Comemorar a Revolução dos Cravos na escola, com várias atividades inseridas na  Perceber o conceito de mudança e ser tolerante e aberto
semana «Os dias da Revolução». à evolução. F G H I J

História e Geografia de Portugal Educação Física


Selecionar um dos acontecimentos do friso
Debater a Revolução dos Cravos: Que im- Tecnologias de Informação Educação Musical
da Revolução e criar, a pares ou em grupo, se-
portância teve para os Portugueses? Pesquisar: O que é o cante alentejano? Por-
e Comunicação quências de movimentos que o retratem, co-
Fazer um friso cronológico da Revolução, reografando a música desenvolvida em EM. que é importante? Como se relaciona com o
Debater: No contexto das TIC, o que são
desde o dia 24 de abril de 1974 até ao dia 25 de Abril?
senhas? Por que outras palavras são co- Interpretar a coreografia na semana come-
1 de maio de 1974, utilizando as horas para Pesquisar as músicas da Revolução, por
nhecidas? Em 1974, também existiram se- morativa.
maior pormenor, e expor na semana come- exemplo, as senhas, para servirem como ins-
nhas para dar início à Revolução; quais?
morativa – usar também os contributos das piração na composição de uma peça musi-
entrevistas de Port. Conhecer as regras para criação e utiliza-
ção de palavras-chave seguras; definir se- cal.
nhas seguras. Pesquisar sobre o motivo Compor, individualmente ou em grupo, essa
pelo qual foram consideradas seguras as
Educação Tecnológica peça, combinando e manipulando os ele-
senhas usadas no 25 de Abril. Pesquisar: em 1974, havia objetos e equipa- mentos da música e utilizando recursos
mentos que hoje apenas encontramos em como voz, corpo, objetos sonoros, instru-
Português Utilizar os meios digitais de comunicação e
museus. Escolher dois desses objetos (par- mentos musicais ou software (se necessário
colaboração em ambientes digitais fecha-
Definir, na turma, uma entrevista a fazer a tindo do friso cronológico de HGP): com o apoio de TIC).
dos (como Google Docs ou One Drive) e
familiares ou outras pessoas que tenham vi- – um que ainda seja usado, descrevendo a Interpretar a peça na semana comemorativa.
partilhar os produtos desenvolvidos.
vido, de facto, a Revolução dos Cravos, sua evolução até hoje;
como os avós, com base nos conteúdos de – um que tenha deixado de se usar, expli-
HGP. Entrevistar as pessoas escolhidas e cando a sua utilidade e porque deixou de
convidá-las a ir à escola nas comemora- ser utilizado.
ções. Incluir estas informações no friso.
Analisar as respostas, selecionando excer- Inglês Imaginar o reaparecimento do objeto em Ciências Naturais
tos que possam ser usados para a peça Pesquisar, na imprensa inglesa da época, desuso, construindo um protótipo com ma-
musical de EM. Colorir cravos com as cores escolhidas em
disponível online ou na biblioteca, notícias teriais, ferramentas e técnicas de transfor-
EV, mobilizando os conhecimentos sobre a
Promover um brainstorming para progra- sobre o tema «Carnation Revolution». mação adequados.
circulação da seiva bruta nas plantas.
mar e organizar a semana «Os dias da Re- Contribuir para as comemorações com Desenvolver, com EF, cenários e/ou figuri-
volução»: apresentações, exposição dos Fazer outra «revolução dos cravos» distri-
uma exposição sobre a perspetiva desta nos que apoiem a coreografia.
trabalhos desenvolvidos, entrevistas e con- buindo os cravos coloridos pela comuni-
imprensa sobre a Revolução dos Cravos.
ferências, envolvendo a comunidade – para dade na semana comemorativa; utilizar al-
que seja uma autêntica «revolução»! guns para decoração de espaços
específicos da escola.

Educação Visual
Escolher cores a usar na semana comemora-
tiva, além do vermelho, que transmitam os
Cidadania e Desenvolvimento sentimentos experimentados nesse dia.
Relembrar e debater o conceito de Revolução em expressões como «O teu quarto está uma revolu- Pesquisar cartazes do 25 de Abril, produzi-
ção!», «Revolução dos Cravos» e «Sólidos de revolução», esta última com Mat.
Matemática
dos desde 1974 para comemorar os aniver- Pesquisar sobre o cilindro de revolução.
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

Debater o que se alterou em Portugal com o 25 de Abril: a democracia, o Estado de direito e, prin- sários da Revolução, analisá-los e apreciá-los.
cipalmente, os direitos e os deveres civis e políticos de cada um. Criar, com EV, cartazes «revolucionários»
Construir, individualmente ou em grupo, os sobre cilindros, e expô-los nas comemora-
Apoiar Port na definição do papel e responsabilidades de cada um nas comemorações da semana próprios cartazes do 25 de Abril, usando ções.
«Os dias da Revolução», bem como dos espaços da escola onde elas decorrerão. como referência os cartazes analisados.

42 Projetos interdisciplinares | 6.º ano Projetos interdisciplinares | 6.º ano 43


Património nosso
Objetivos ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
 Reconhecer o património enquanto objeto de proteção e valoriza- DO PERFIL DOS ALUNOS
ção.
Produto final A B C D E
6. ano
o  Incentivar e assegurar o acesso de todos aos bens materiais e
 Exposição e fotorreportagens sobre o património, celebrando, a 18 de abril, imateriais que constituem fragmentos estruturantes da identidade
o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios. portuguesa. F G H I J

Cidadania e Desenvolvimento História e Geografia de Portugal


Organizar a exposição: definir um espaço Construir um mapa de Portugal em grandes
na escola para a realização da exposição e dimensões para apresentação na exposição.
para a projeção das fotorreportagens e ca-
Localizar e assinalar no mapa construído,
lendarizar as suas apresentações.
Português com símbolos diferentes, consoante o tipo
Consultar a lista da UNESCO referente ao de património, e com uma legenda explica- Ciências Naturais
Debater, em sala de aula, a seguinte afir-
Património Mundial em Portugal e, em gru- tiva: Elaborar ementas equilibradas a partir da
mação: «A língua portuguesa é um ele-
pos de trabalho, pesquisar na internet, de – o Património Mundial da UNESCO (mate- dieta mediterrânica, considerada Patrimó-
mento essencial do património cultural
forma segura, informações sobre cada rial e imaterial); nio Cultural Imaterial pela UNESCO.
português.»
local ou monumento, selecionando ima- – as principais áreas de proteção ambiental. Expor as ementas e organizar uma fotorre-
gens ilustrativas. Escrever textos curtos que sirvam como le-
portagem dos pratos confecionados, em
genda das fotografias da visita de estudo
Visitar um dos locais ou monumentos, va- conjunto com TIC, para o dia comemora-
para elaboração de uma fotorreportagem,
lorizando esse património e pensando em tivo.
com apoio de TIC.
estratégias de conservação.
Redigir, com base na pesquisa efetuada
Fotografar e escrever notas sobre o sítio
em CD, uma breve apresentação de cada
Educação Tecnológica
escolhido para usar em Port e em TIC. Planear e conceber um monumento, em
local ou monumento.
três dimensões e em forma de pirâmide,
Desenvolver cartazes sobre cada local ou
monumento, para afixação na exposição,
representativo da alimentação mediterrâ- Educação Musical
nica, com a colaboração de CN, para colo- Criar duas playlists, uma de fado e outra
em parceria com EV, com os textos de
cação no espaço da exposição, funcio- de cante alentejano, ambos manifestações
Tecnologias de Informação apresentação e as imagens pesquisadas
nando como símbolo físico de um do património nacional considerados Patri-
e Comunicação em CD.
património imaterial. mónio Cultural Imaterial, e reproduzi-las
Escolher a aplicação digital mais ade- Construir, em parceria com EM, instrumen- como som ambiente da exposição.
quada à produção de fotorreportagens. tos musicais exemplificativos do patrimó- Tocar com flauta, em grupo, o hino nacio-
Usar as fotografias da visita de estudo, nio nacional (exs.: adufe, bombo). nal para apresentação no dia da inaugura-
promovida por CD, e os textos escritos em ção da exposição.
Port para desenvolver uma fotorreporta- Improvisar uma peça musical com os ins-
gem para ser exibida na exposição. Inglês
trumentos criados em ET.
Pesquisar sobre o Património Mundial no
Reino Unido. Matemática
Escolher alguns dos locais ou monumen- Fotografar padrões e formas geométricas
tos e construir uma apresentação multimé- presentes no património, por exemplo, em
Educação Visual
dia, juntamente com TIC, com imagens azulejos ou na calçada, durante a visita de
Identificar outras manifestações do patri- estudo promovida por CD.
ilustrativas e breves textos de apresenta- Educação Física
mónio nacional (exs.: pintura, escultura,
ção do património selecionado, para exibi- Analisar os padrões recolhidos e identifi-
design, arquitetura, artesanato). Pesquisar sobre as razões que levaram a
ção na exposição. car simetrias de rotação e de reflexão.
Fotografar essas manifestações ou pesqui- UNESCO a declarar o ioga Património Cul-
Criar uma fotorreportagem, com o contri- tural Imaterial.
sar na internet, de forma segura, informa-
buto de TIC, evidenciando a presença da
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

ções e imagens sobre elas. Promover uma aula de ioga, para toda a
geometria no património português.
Produzir folhetos com a informação reco- comunidade escolar, a realizar-se no dia da
Elaborar cartazes sobre o tema e dedicar inauguração da exposição.
lhida, com o apoio de Port, para entrega no
uma parte da exposição a «Um olhar geo-
dia da inauguração da exposição.
métrico sobre o património».

44 Projetos interdisciplinares | 6.º ano Projetos interdisciplinares | 6.º ano 45


Poemas para a liberdade
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
DO PERFIL DOS ALUNOS
Objetivos
Produto final A B C D E
6. ano
o  Sensibilizar os alunos para a importância dos direitos adquiridos
 Organização da «Semana da Poesia» para comemorar o 25 de Abril, a democra- com a revolução de 25 de Abril e com a democracia.
cia e a liberdade com elaboração de um concurso de poesia de intervenção.  Fomentar o gosto pela leitura e pela poesia. F G H I J

História e Geografia de Portugal Português Educação Visual


Sintetizar as principais características do Ler e analisar o poema:
Ilustrar os poemas escritos em Port para
Estado Novo (a ausência de liberdade indi- 25 de Abril participação no concurso, criando traba-
vidual, a existência da censura e de polícia Esta é a madrugada que eu esperava lhos expressivos e criativos, através da pin-
política, a repressão do movimento sindi- O dia inicial inteiro e limpo tura com técnica mista (por exemplo, cola-
cal e a existência de um partido único).
Educação Tecnológica
Onde emergimos da noite e do silêncio gem e pintura a guache).
Conceber e realizar a decoração do es-
Reconhecer algumas das mudanças opera- E livres habitamos a substância do tempo Construir um cartaz a divulgar a iniciativa paço onde vai decorrer a «Semana da Poe-
das com a revolução do 25 de Abril. Sophia de Mello Breyner Andresen, onde figure também o programa da se- sia», utilizando os materiais disponíveis na
Analisar a canção Grândola, Vila Morena e in O Nome das Coisas mana comemorativa. escola, como, por exemplo, papel, têxteis
refletir no seu significado, tendo em conta Organizar um concurso de ilustração para o
Escrever um poema sobre a liberdade. ou madeiras.
o contexto em que apareceu e a sua utili- poema vencedor do concurso realizado em
Organizar um concurso com os poemas Planificar, construir e decorar a urna para
zação como senha da revolução. Port.
escritos pelos alunos: os votos da escolha do melhor poema, em
– expor poemas e das ilustrações a realizar conjunto com Mat.
em EV;
– organizar, em articulação com Mat, uma
Cidadania e Desenvolvimento votação para escolher o melhor poema.
Organizar os eventos a decorrer durante a
Inglês
«Semana da poesia».
Pesquisar online, em articulação com TIC,
Organizar um espetáculo para fechar a se-
poemas escritos em inglês alusivos à liber-
mana comemorativa, onde serão anuncia- Matemática
Ciências Naturais dade.
dos os vencedores do concurso de poesia Apurar os resultados da votação organizada
(1.º, 2.º e 3.º lugares) de Port. Pesquisar, com o apoio de TIC, sobre ani- Selecionar um desses poemas (ou um ex-
em Port, contando os votos e identificando
mais em vias de extinção. certo) para declamar nas comemorações da
Pesquisar sobre a «liberdade de expres- os três poemas mais votados.
Elaborar um vídeo de sensibilização, em «Semana da Poesia»
são», um dos Direitos Humanos relaciona- Debater a liberdade de escolha e de como
dos com a ideia de democracia, e promo- conjunto com EM e com o apoio de TIC, Elaborar a versão em inglês do cartaz a
ela implica conhecimento e responsabili-
ver um debate. sobre o tema: Os animais não têm voz, mas anunciar a «Semana da Poesia», criado em
dade. Dar liberdade aos alunos de escolher
têm direitos! Este vídeo será o seu «grito EV.
a ordem pela qual fazem um conjunto de
de liberdade» e poderá incluir alguns dos
exercícios e incentivá-los a não seguir a
poemas escritos em Port.
ordem apresentada. No final da aula, devem
registar as suas opções e que consequên-
Tecnologias de Informação cias tiveram. Partilhar a experiência no de-
bate de CD.
e Comunicação
Divulgar na página oficial da escola o pro- Educação Musical Educação Física
grama para comemoração da «Semana da Pesquisar músicas que se adequem ao Organizar uma marcha para a liberdade,
Poesia». vídeo a elaborar em CN. utilizando os cartazes feitos em EV e ET e
cantando músicas de intervenção.
Conceber um boletim de voto para o con- Misturar, usando a ferramenta digital ade-
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

curso do melhor poema. quada, as músicas e alguns poemas e pro- Organizar o espetáculo de encerramento
duzir o som off do vídeo. da «Semana da Poesia», contribuindo com
uma coreografia de uma música de inter-
venção.

46 Projetos interdisciplinares | 6.º ano Projetos interdisciplinares | 6.º ano 47


Procuro um abrigo
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
DO PERFIL DOS ALUNOS
Produto final Objetivos
A B C D E
6. ano
o  Comemoração do Dia Mundial da Pessoa Refugiada (habitualmente comemorado  Sensibilizar para a realidade dos refugiados e para as dificuldades
a 20 de junho, mas que poderá ser antecipado) com a criação e montagem de que se lhes deparam.
uma instalação «Casa Abrigo».  Compreender a importância do bom acolhimento aos refugiados. F G H I J

Cidadania e Desenvolvimento Português


Visionar e refletir sobre o filme A viagem de Entender o significado das palavras: refugiado, migrante, emigrante, imigrante.
Malak, em fuga da guerra na Síria. Identificar Pesquisar, com ajuda de TIC, a Carta de Requerente de Asilo. Integrá-la, de alguma forma, na instalação.
os sentimentos daqueles que, dispostos a
Escrever, em grupo, a letra para uma música rap: os versos devem rimar dois a dois. Esta letra poderá
manter-se vivos, arriscam sair à pressa das suas
História e Geografia de Portugal ser musicada em conjunto com a disciplina de EM e apresentada no dia da comemoração.
casas para procurar abrigo noutros países.
Rever a localização de Portugal continental
Identificar as razões que levam as pessoas na
e insular, em relação a diferentes espaços
atualidade a mudar de país e estabelecer pa-
geográficos: Península Ibérica, Europa,
ralelo com as razões encontradas em HGP.
Mundo.
Identificar objetos que, de forma mais ou Educação Musical
Abordar os movimentos migratórios (co- Inglês
menos consensual, acompanham pessoas
mércio de escravos e migrações oitocen- Pesquisar melodias de músicas rap às
como as descritas no ponto anterior. Estes Escrever a letra para uma música rap
tistas), procurando as razões de fundo que quais se possam adaptar as letras produzi-
objetos deverão servir de inspiração à instala- sobre os refugiados e musicá-la com o
levam as pessoas a mudar de sítio (de um das em Port e em Ing.
ção a criar em conjunto com EV e ET. apoio de EM.
local para outro, de país ou de continente). Preparar as músicas para apresentar no dia
Identificar os países de onde são originários
Estabelecer paralelo com as conclusões comemorativo.
os grandes fluxos de refugiados.
das pesquisas feitas em CD.
Convidar uma Organização Não Governamen-
tal que trabalhe com pessoas refugiadas ou Matemática
mesmo um(a) refugiado(a) para ir à escola no
Pesquisar estatísticas sobre o número de
dia da comemoração dar o seu testemunho. Educação Física
refugiados e movimentos migratórios em
Portugal e outros países da Europa: Pesquisar, depois de identificados os paí-
– população estrangeira em percentagem ses de onde chegam grandes fluxos de re-
Educação Visual da população residente; fugiados (em CD), sobre danças tradicio-
– emigrantes por mil habitantes. nais desses países, como forma de
Educação Tecnológica Conhecer as obras do artista Agim Sulaj,
Partilhar com a comunidade os dados pes- valorizar as suas raízes culturais.
nomeadamente as relacionadas com mi-
Selecionar os materiais para a instalação Preparar, com base nestas danças, uma
gração. quisados e contribuir para a perceção da
da «Casa Abrigo». performance para o dia comemorativo.
Refletir sobre o trabalho deste artista de dimensão da situação ao nível global.
Executar a instalação com EV, cumprindo
modo a encontrar inspiração para delinear
o projeto e resolvendo os pequenos pro-
o projeto da instalação «Casa Abrigo».
blemas que vão surgindo, cumprindo sem-
pre com as regras de higiene e segurança.
Ciências Naturais
Debater, em grupos, a problemática da migração e:
– do abandono das raízes ou o desenraizamento em relação ao país de origem, fazendo
a analogia com a função das raízes nas plantas;
Tecnologias de Informação e Comunicação – da procura de melhores condições noutras regiões e da sobrevivência, relacionando com
a migração sazonal de populações animais e com a disseminação das sementes pelas plantas;
Pesquisar imagens fortes e impactantes sobre o tema e elaborar com elas um pequeno vídeo,
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

ao qual também se poderá juntar uma música de fundo ou uma voz off com uma mensagem. Elaborar, com base na reflexão, um guião com questões que possibilite a discussão entre
Apresentá-lo (ou projetá-lo) na instalação. os participantes e convidados no dia comemorativo.

Apoiar as pesquisas necessárias às várias disciplinas. Contribuir com ideias para a instalação a delinear em EV, a partir desta reflexão.

48 Projetos interdisciplinares | 6.º ano Projetos interdisciplinares | 6.º ano 49


Que cheiro é este?
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
Objetivos DO PERFIL DOS ALUNOS
 Sensibilizar para o meio envolvente através dos odores e conhecer a
A B C D E
6. ano
o sua origem e os seus significados.
Produto final  Dinamizar o espaço escolar através da troca de saberes e partilha de
 Organização do concurso «Que cheiro é este?». experiências. F G H I J

Tecnologias de Informação Educação Física


Cidadania e Desenvolvimento História e Geografia de Portugal
e Comunicação Selecionar odores como o do suor e o do
Organizar o concurso «Que cheiro é Pesquisar sobre o Império Português no sé-
Estabelecer parcerias que possam contribuir culo XVIII e os principais produtos alimenta- cloro para a «Banca desportiva».
este?». Os concorrentes:
com prémios a atribuir. res comercializados. Conhecer e aplicar cuidados de higiene pes-
– tentam identificar diferentes produtos
de olhos vendados, apenas pelo cheiro; Elaborar algoritmos para o desenvolvimento Selecionar alguns desses produtos para a soal e das instalações na prática desportiva,
– são eliminados à medida que erram; de uma plataforma de inscrições online. «Banca dos Quatro Cantos»: açúcar, cacau, em geral, e da natação, em particular.
– conhecem os produtos com antecedên- Apoiar as pesquisas necessárias em HGP, café, malagueta, gengibre, noz-moscada, Enriquecer a banca com cartazes informati-
cia, nas bancas de CN, HGP, Mat, ET, EF EF, Port, Ing, CN, Mat, ET e EV. canela… vos.
e Port. Enriquecer a banca com cartazes informati- Elaborar cartões com a descrição dos pro-
Elaborar o regulamento do Concurso, defi- vos. dutos para os apresentadores do Concurso.
nindo a data, o processo de inscrição, as Elaborar cartões com a descrição dos pro-
regras e os prémios. dutos para os apresentadores do Concurso.
Organizar as bancas das disciplinas a sua
Português
localização e calendarização. Selecionar flores para a «Banca floral», a partir
da análise de um excerto da obra Rosa, minha
Selecionar os apresentadores do Con-
irmã Rosa de Alice Vieira.
curso e prepará-los para conduzir as suas Educação Visual
várias etapas, em conjunto com Port. Identificar nas flores selecionadas os seus ór-
gãos constituintes, com o apoio de CN. Selecionar materiais, em conjunto com ET,

Enriquecer a banca com cartazes informativos.


Inglês para a «Banca artística»: barro, vime, carvão,
Conhecer o nome, em inglês, dos diversos papel, madeira, tinta, tijolo, couro, lã…
Elaborar cartões com a descrição dos produ-
produtos selecionados para o concurso e Identificar diferentes manifestações cultu-
tos, para os apresentadores do Concurso.
incluí-lo junto aos mesmos, nas bancas. rais do património local e global feitos com
Pesquisar livros, adequados à faixa etária dos os materiais selecionados.
Pesquisar músicas, em português e em in-
alunos, cujo título «tenha cheiro». Divulgá-los
glês, que falem, em sentido literal ou figu- Enriquecer a banca com cartazes informati-
Ciências Naturais na plataforma, com a ajuda de TIC.
rado, nestes produtos, em conjunto com vos e com artefactos feitos com os materiais
Selecionar produtos ou odores para a dina- EM. selecionados com o apoio de ET.
mização da «Banca aromática»: ervas aromá- Apoiar a elaboração dos cartazes das várias
ticas, terra, podre, vinagre, bafio… disciplinas.
Pesquisar sobre:
– propriedades, benefícios e utilização das Matemática
ervas aromáticas selecionadas; Reconhecer o papel dos agentes de polini- Educação Musical
– conservação de alimentos na prevenção zação (Port) e selecionar produtos para a Interpretar as músicas selecionadas em
de doenças devidas a micro-organismos. «Banca matemelática»: mel, pólen, cera… Ing. Educação Tecnológica
Enriquecer a banca com cartazes informati- Pesquisar curiosidades matemáticas sobre Cantar ou tocar algumas dessas músicas,
Identificar a origem dos produtos selecio-
vos. as abelhas. Porque terá o matemático grego no decorrer do Concurso, em momentos
nados com EV e pesquisar sobre as suas
Elaborar cartões com a descrição dos pro- Papus de Alexandria afirmado que as abe- de pausa para os concorrentes.
propriedades.
dutos para os apresentadores do Concurso. lhas sabem matemática? Selecionar a música para o momento de
Elaborar cartazes informativos para a
Enriquecer a banca com cartazes informativos. anunciar o vencedor.
«Banca artística».
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

Elaborar cartões com a descrição dos pro- Elaborar cartões com a descrição dos pro-
dutos, para os apresentadores no Concurso. dutos para os apresentadores do Con-
curso.

50 Projetos interdisciplinares | 6.º ano Projetos interdisciplinares | 6.º ano 51


Receitas recicláveis Objetivos
 Sensibilizar para a importância de uma alimentação mais saudável e,
por conseguinte, mais sustentável. ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
 Dar ênfase à dimensão individual da tomada de decisão ambiental- DO PERFIL DOS ALUNOS
Produto final mente responsável, nomeadamente na seleção de alimentos e nos
A B C D E
6. ano
o  Dinamização de um concurso de receitas e elaboração de um livro digital com processos de confeção de refeições.
sugestões gastronómicas baseadas em partes de alimentos que habitualmente  Desenvolver formas diversas de comunicar atitudes ambientalmente
desperdiçamos. responsáveis. F G H I J

Ciências Naturais
História e Geografia de Portugal Compilar as receitas apresentadas no con-
Procurar e explorar referências históricas curso de CD num livro digital, em articula- Português
gastronómicas locais, que sirvam de inspi- ção com Port. Redigir e/ou rever os textos das receitas
ração para as receitas do concurso de CD. Escrever a introdução do livro, com algu- compiladas em CN e das mensagens pu-
Construir uma infografia com a relação mas sugestões de opções alimentares sau- blicitárias de TIC.
Cidadania e Desenvolvimento dáveis, abordando aspetos da alimentação
entre os períodos de guerra e as modifica- Criar uma narrativa que «alimente» o livro
Visualizar o vídeo Reparar, reutilizar e reci- mediterrânea, incluindo um mapa de sazo- de receitas e explique o critério de organi-
ções na alimentação da população portu-
clar! e analisar a infografia Economia Circu- nalidade dos alimentos utilizados. Incluir, zação usado (por exemplo, tipo de prato,
guesa (inexistência de alguns alimentos, ra-
lar, promovidos pelo Parlamento Europeu. de forma adequada, a infografia de HGP. ingrediente principal, sazonalidade, nu-
cionamento) e fornecê-la a CN.
Definir os «Mandamentos da Sustentabili- triente mais abundante, etc.).
Apresentar no concurso de receitas duas
dade», a partir de uma reflexão coletiva
receitas de época, mantendo os requisitos
sobre o vídeo, e afixá-los em locais co-
do mesmo.
muns da escola.
Organizar um concurso de receitas, para Matemática
alunos e suas famílias, com apresentação Apresentar em cada receita do livro, as
de propostas de «receitas recicláveis», em quantidades de ingredientes necessárias
sintonia (em todas as fases do processo) Educação Física
para 4, 8 e 12 pessoas.
com os mandamentos enumerados. Promover uma gincana, num parque pró-
Contribuir para a introdução do livro de
Proporcionar uma refeição à comunidade ximo da região da escola, adequado ao
CN com a percentagem de receitas por
âmbito do projeto, que inclua diferentes
escolar, no final do ano, servindo o(s) pra- Educação Musical tipo:
to(s) vencedor(es) do concurso. atividades e percursos.
Criar um tema musical, para o concurso de – receitas de bacalhau;
– receitas com arroz; Conceber dinâmicas que permitam aos
receitas de CD, combinando os vários ele-
– receitas de carne; concorrentes conhecer e provar os princi-
mentos da música (altura, dinâmica, ritmo,
– receitas vegetarianas; pais alimentos/ingredientes utilizados nas
forma, timbres e texturas) no sentido da
– receitas com leguminosas. receitas do concurso de CD.
transmissão da mensagem do projeto.
Calcular o custo médio de cada receita, e
Educação Tecnológica apresentar à Direção da escola o orça-
mento para a refeição servida no final do
Conceber e construir um painel em azulejo
ano, organizada por CD.
para servir de cenário ao concurso de re-
ceitas de CD. Inglês
Definir ou construir a bancada onde se Tecnologias de Informação Traduzir os «Mandamentos da Sustentabili-
realizará o concurso, valorizando o painel e Comunicação dade» de CD.
que ficará na sua retaguarda.
Selecionar a ferramenta multimédia mais Construir uma listagem dos alimentos utili-
Educação Visual zados na confeção das receitas do livro de
apropriada para a conceção e paginação
Conceber o design do livro de receitas, o CN e apresentar uma descrição resumida
do livro digital.
seu título e os elementos de divulgação do de cada um. Incluí-la no livro digital.
Filmar o concurso de receitas de CD. projeto, em parceria com TIC, colocando
Utilizar a informação acima para conceber
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

Dar a conhecer o projeto à comunidade e em prática competências de perceção,


dinâmicas específicas da gincana de EF.
às entidades parceiras da região através sensibilidade estética e capacidade de co-
de uma rede social e de uma plataforma municação, bem como as aptidões técni-
de aprendizagem, ambas da escola. cas e manuais.

52 Projetos interdisciplinares | 6.º ano Projetos interdisciplinares | 6.º ano 53


Respira!
Objetivos ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
 Compreender a respiração como uma âncora à vida, transversal a DO PERFIL DOS ALUNOS
todos os seres vivos.
Produto final A B C D E
6. ano
o  Interiorizar (criando esse hábito) que uma boa respiração ajuda a ter
 Organização de uma exposição sobre a respiração e implementação da prática uma saúde melhor e ajuda em problemas pessoais/sociais (angústia,
de exercícios respiratórios no quotidiano da escola. stress, agitação, pressão, concentração). F G H I J

Ciências Naturais Educação Física


Cidadania e Desenvolvimento 
Refletir sobre o papel das atividades ao ar
Organizar uma exposição sobre a respira-
Pesquisar sobre o impacto positivo dos exercí- livre no equilíbrio do sistema respiratório.
ção abordando, por exemplo:
cios de respiração na capacidade de autocon- 
Iniciar as aulas com um exercício de 10 inspi-
– os órgãos do sistema respiratório hu- Educação Musical
trolo e concentração. rações e 10 expirações lentas, de olhos fe-
mano e as funções que desempenham,
Refletir sobre os benefícios de respirar de chados. Refletir sobre a importância da respira-
em colaboração com EV;
forma consciente, nomeadamente em mo- ção na música e no canto.
– as regras de higiene do sistema respira- 
Dinamizar uma atividade de orientação, com
tório, em colaboração com EF. mentos de stress ou de necessidade de muita paragens para exercícios de respiração. Conhecer técnicas de respiração usa-
concentração. das pelos cantores (sobretudo pelos
Convidar os visitantes da exposição a reali-
Realizar as seguintes dinâmicas, a pares, após cantores líricos) e pelos músicos (princi-
zar o exercício de empurrar uma mesa com
um exercício de respiração consciente: palmente no caso de instrumentos de
a barriga, como forma de identificar o dia-
– um colega abraça o outro e respiram pro- sopro).
fragma e esta forma de respiração.
fundamente, 10 vezes, de olhos fechados. Criar uma peça com instrumental Orff
– um colega coloca a mão sobre o peito do Tecnologias de Informação que transmita tranquilidade, para
outro e diz «Obrigado por partilhares este e Comunicação acompanhar os exercícios propostos
momento comigo», trocando de seguida. Apoiar as pesquisas de CN, CD e HGP. em CD e EF.
Debater a definição de saúde da Organização Criar, em colaboração com CN, um boletim
Educação Visual Mundial da Saúde e relacioná-la com os bene- digital para divulgar regras de boa higiene
fícios dos exercícios respiratórios. do sistema respiratório.
Desenhar, para a exposição, uma figura do
corpo humano em escala real e nela ilus- Elaborar cartazes para a exposição, com pro-
trar e legendar todo o processo da respira- postas de exercícios de respiração ilustrados,
com a colaboração de EV. Matemática
ção, em articulação com CN.
Durante um minuto, contar o número
de inspirações. Repetir este exercício
várias vezes ao dia e em diferentes cir-
História e Geografia de Portugal cunstâncias, por exemplo:
Inglês – ao acordar;
Caracterizar o setor primário em Portugal
Legendar, em inglês, a figura do corpo hu- – no trajeto do portão da escola à
no que respeita à pesca, em particular o
mano criada em EV para a exposição. porta da sala da primeira aula;
método de pesca denominado «Apanha»
– na aula de EF, logo após o exercício
que, por lei só é permitida desde que efe-
Português tuada em apneia.
de respiração e a meio da aula;
Imaginar e dramatizar um diálogo entre al- – no final do almoço na escola;
Pesquisar sobre apneia e que treino respi- – no final do jantar.
guns dos narizes criados em ET, no âmbito
ratório específico fazem os seus pratican-
da exposição. Recolher os dados de todos os alunos
Educação Tecnológica tes.
Ler o conto «Nariz-de-palmo-e-meio», dos da turma:
Reconhecer o nariz como uma forma natu- Contribuir para a exposição de CN com – calcular e interpretar o valor da
Irmãos Grimm. Analisá-lo do ponto de
ral e, com CN, pesquisar a sua função. cartazes informativos sobre este tema. média, da moda e da amplitude;
vista das desvantagens do desassossego
Decorar a exposição, elaborando traba- característico da personagem principal. – representá-los em gráficos circulares,
lhos em argila e usando as técnicas da in- agrupando-os em classes.
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

Escrever uma carta à personagem princi-


crustação, do engobe ou outra, inspirados Contribuir para a exposição com car-
pal deste conto, com algumas recomenda-
em narizes característicos, tais como o do tazes que incluam os gráficos elabora-
ções para viver mais feliz, a partir do traba-
Pinóquio, os dos palhaços e os das bruxas. dos.
lho desenvolvido em CD.

54 Projetos interdisciplinares | 6.º ano Projetos interdisciplinares | 6.º ano 55


Uma rádio à nossa medida
Objetivos ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
 Responsabilizar os alunos pela seleção de conteúdos das diferentes DO PERFIL DOS ALUNOS
disciplinas, conjugando os seus interesses com os da comunidade
Produto final A B C D E
6. ano
o escolar.
 Conceção e implementação de uma Rádio Escola, com transmissão regular ao  Criar um ambiente informal na escola, em que a música ajude os
longo do ano. alunos a descontrair e a motivar para as aprendizagens. F G H I J

Educação Tecnológica Tecnologias de Informação Educação Visual Ciências Naturais


Conceber e implementar a Rádio Escola, e Comunicação Criar um logótipo para a Rádio Escola e for- Criar a rubrica «Ter Saúde» para integrar a
em conjunto com TIC e EM, direcionada Conhecer e utilizar as normas relacionadas necê-lo a TIC para divulgação. programação da rádio.
aos interesses dos alunos. com os direitos de autor, no combate à Criar a rubrica «A arte de…», para divulga- Preparar uma apresentação radiofónica
Planear a programação integrando rubricas gravação e reprodução indevida das músi- ção de artistas plásticos (nomeadamente sobre temas relacionados com CN, mais
destinadas a divulgar conteúdos das várias cas. vida e obra) escolhidos pelos alunos. especificamente os conteúdos direta ou
disciplinas: «À Conversa com… »; «Em Por- Divulgar a Rádio Escola, através das plata- indiretamente relacionados com a saúde:
tuguês»; «Passado e Presente»; «Notícias do formas digitais utilizadas na escola, convi- – Os riscos e benefícios dos aditivos ali-
Desporto»; «Ter Saúde»; «Planeta Terra»; dando a comunidade a ouvir. mentares.
«Números na Vida»; «Do You Know?»; «A – A conservação de alimentos e a preven-
arte de…». ção de doenças.
Criar a rubrica «Notícias da Escola», alimen- Inglês – A importância das vacinas.
tada pelos alunos com acontecimentos re- Criar um passatempo radiofónico, com o tí- – A importância dos estilos de vida saudá-
levantes do espaço escolar. tulo «Do You Know?», em que os alunos te- veis no bom funcionamento do sistema

Decorar o espaço da Rádio, selecionando


Educação Musical nham de responder a perguntas básicas cardiovascular.

os materiais mais apropriados. Pesquisar músicas, em conjunto com TIC, e sobre os temas tratados no 6.º ano. Por
organizá-las em playlists de acordo com di- exemplo, adivinhar o nome de um objeto
versas necessidades, tais como relaxamento, de uso quotidiano a partir da sua descrição.
prática desportiva, concentração, etc. Procurar entidades com quem se possam
criar parcerias para atribuição de prémios. Educação Física
Criar a rubrica «Notícias do Desporto»
para integrar a programação da rádio.
História e Geografia de Portugal Fazer um levantamento dos acontecimen-
Criar a rubrica «Passado e Presente» para inte- tos desportivos da escola e da comuni-
grar a programação da Rádio. Cidadania e Desenvolvimento dade. Tratar essa informação e preparar as
Preparar apresentações radiofónicas sobre di- Criar, com o apoio de CN, a rubrica «Pla- Português notícias para apresentar na rádio, com o
versos temas, tais como: neta Terra» para integrar a programação Preparar a estrutura das entrevistas a efe- apoio de Port.
– A importância do legado africano nas socie- da rádio. tuar a diversas personalidades relaciona- Auxiliar CN na rubrica «Ter Saúde», com
dades portuguesa e brasileira. Preparar uma apresentação radiofónica das com as várias disciplinas, para a ru- programas físicos que contribuam para
– A abolição da escravatura e da pena de sobre temas relacionados com a Educação brica «À Conversa com…». uma boa saúde.
morte. Ambiental, tais como: Criar a rubrica «Em Português» para inte-
– A Revolução Republicana. – As funções da floresta (produção, con- grar a programação da rádio.
– O essencial do processo de democratização servação, suporte). Preparar uma apresentação radiofónica
entre 1975 e 1982. – A prevenção de incêndios florestais. sobre temas tais como:
– Processos de ignição, propagação e ex- – Biografias de autores estudados.
tinção do fogo.
Matemática
– Erros de português mais frequentes.
– A floresta como reguladora do clima a – Entrevistas a escritores. Criar a rubrica «Números na vida» para in-
tegrar a programação da rádio, pesqui-
PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 6.º ANO © RAIZ EDITORA

nível global. – Resumos de obras de leitura obrigatória,


apresentadas como histórias. sando, por exemplo em Pordata Kids,
exemplos da matemática no dia a dia.

56 Projetos interdisciplinares | 6.º ano Projetos interdisciplinares | 6.º ano 57