Sei sulla pagina 1di 23

TREINAMENTO • RECURSOS • ESTUDOS DE CASOS

PASSO A PASSO
2017 • EDIÇÃO 101 www.tearfund.org/tilz
ASSISTÊNCIA AOS ÓRFÃOS

LEIA NESTA EDIÇÃO


6 Apoio às famílias com órfãos 17 Reintegração de crianças em suas famílias
8 Infância em um centro de acolhimento 18 Família de acolhimento – um novo termo?
16 Arte como terapia 20 Em defesa dos direitos dos órfãos
LEIA NESTA EDIÇÃO
PASSO A PASSO
ASSISTÊNCIA AOS ÓRFÃOS

REPORTAGENS “Deus dá um lar aos solitários” (Salmo 68:6). Este versículo comovente
repete-se por toda esta edição da Passo a Passo. Por toda a Bíblia,
vemos a preocupação especial de Deus pelos órfãos, viúvas e
3 Primeiro a família: A melhor forma estrangeiros – todos aqueles que podem estar sozinhos e vulneráveis.
de abordar o desafio dos órfãos O desejo de Deus é que eles encontrem o amor e a proteção de uma
família. Esta mensagem continua sendo tão relevante na sociedade
6 Apoio às famílias com órfãos para atual quanto sempre foi.
que floresçam no Zimbábue
As pesquisas mostram que o melhor lugar para criar uma criança
10 Prontos para enfrentar o mundo é em um ambiente familiar, onde ela seja amada e nutrida. Esta
edição fala de muitos indivíduos, organizações e igrejas inspiradores,
14 O orfanato que virou do avesso que trabalham para oferecer famílias amorosas às crianças órfãs e
vulneráveis. No Zimbábue, a ZOE está ajudando igrejas a apoiar os
17 Reintegração de crianças em suas órfãos em suas comunidades (página 6). Em Uganda, a CRANE está
oferecendo apoio cuidadoso para reintegrar crianças em suas famílias
famílias
(página 17). A M’lup Russey está transformando a assistência aos órfãos
no Camboja, bem como ajudando-os a passar por uma boa transição
18 Quando “família de acolhimento” é
no momento de deixarem as instituições (páginas 10–11). Na China, a
um novo termo Care for Children está inspirando as famílias a oferecerem acolhimento
às crianças necessitadas, entre elas, muitas com deficiência (página 24).
20 Em defesa dos direitos dos órfãos
Esperamos que esta edição da Passo a Passo incentive as pessoas que
24 Nenhuma criança deixada para trás dirigem orfanatos convencionais a considerar formas de melhorar e
fortalecer a assistência que oferecem e talvez até fazer uma transição
para programas de fortalecimento de famílias e comunidades
(páginas 14–15).
SEÇÕES REGULARES
Você notará que a Passo a Passo está com um novo visual na sua 101ª
5 ESTUDO BÍBLICO: edição! Introduzimos algumas colunas permanentes, inclusive um
espaço infantil (página 19) e uma página comunitária (página 23).
Será que Deus odeia o Natal? Adoraríamos incluir suas ideias e os “problemas complicados” que você
está enfrentando, portanto, entre em contato.
8 ENTREVISTA: Minha infância em
um centro de acolhimento infantil Finalmente, você talvez tenha notado que meu sobrenome mudou.
Vários meses atrás, eu me casei e me mudei para o Quênia, onde meu
19 ESPAÇO INFANTIL marido trabalha. Estou entusiasmada por estar vivendo no mesmo país
em que tantos leitores da Passo a Passo vivem!
22 RECURSOS
23 COMUNIDADE

LEVE E USE Zoe Murton – Editora

12 PÔSTER: Famílias mais fortes


16 O uso da arte como terapia para P. S. Estamos fazendo uma liquidação! Gostaríamos de lhe oferecer
órfãos e crianças vulneráveis 50 por cento de desconto em todas as publicações da Tearfund até
31 de julho de 2017. É só visitar www.tearfund.org/publications e
usar o código FS50.

A foto da capa mostra uma criança acolhida por uma família na província de Chiang
Mai, Tailândia. Foto: Care for Children

2 PASSO A PASSO 101


Markus Köker

PRIMEIRO A FAMÍLIA:
A MELHOR FORMA DE
ABORDAR O DESAFIO Uma família amorosa e estável é o lugar ideal para
criar as crianças. Foto: Marcus Perkins/Tearfund

DOS ÓRFÃOS
A Bíblia frequentemente fala da ACOLHIMENTO RESIDENCIAL recebem os cuidados e atenção individuais
compaixão de Deus pelos “órfãos” e E A POBREZA de que precisam. Elas têm menos chances
seu desejo de colocar os solitários em de desenvolver as habilidades intelectuais,
famílias (Salmo 68:6). Uma boa família As instituições de acolhimento residencial físicas, sociais e emocionais adequadas à sua
é um lugar onde a criança é protegida, (entre elas, os orfanatos e os centros de idade. Elas têm menos chances de aprender
nutrida e sustentada. Em uma família acolhimento infantil) frequentemente são as habilidades para a vida de que precisarão
amorosa, a criança aprende habilidades vistas como a resposta para o desafio dos para viver de forma independente no futuro.
importantes para a vida e desenvolve um órfãos, e muitas foram abertas com as
senso de pertencimento. Crescer e viver melhores intenções. Entretanto, alguns •• Problemas afetivos: As crianças crescem
sem uma família aumenta muito nossa orfanatos são administrados como negócios, com frequentes mudanças de funcionários,
vulnerabilidade. onde as crianças são vistas como uma forma voluntários e visitantes. Assim, elas não
de ganhar dinheiro. Isso, às vezes, resulta no desenvolvem as relações fortes e duradouras
A Convenção das Nações Unidas sobre os tráfico de crianças para instituições. de que precisam.
Direitos da Criança diz:
Nos países em desenvolvimento, com •• Mentalidade de dependência: Nas
“A criança, para o pleno e harmonioso demasiada frequência, a pobreza é o instituições, há sempre alguém responsável
desenvolvimento de sua personalidade, deve motivo pelo qual as crianças acabam em por satisfazer as necessidades básicas das
crescer no seio da família, em um ambiente orfanatos. Os pais ou familiares podem crianças e tomar decisões por elas. As
de felicidade, amor e compreensão.” acreditar que o orfanato dará alimento, crianças geralmente não têm a oportunidade
abrigo e educação aos seus filhos, o que eles de assumir responsabilidade por si próprias
QUEM É O ÓRFÃO? próprios não têm condições de oferecer. com base em uma relação de confiança.
Esses chamados “fatores impulsionadores” Isso dificulta para elas viverem de forma
A Unicef define o órfão como uma criança aumentam o número de crianças colocadas independente depois de adultas.
que perdeu um ou ambos os pais. Conforme em instituições de acolhimento residencial
a Unicef, calcula-se que haja 140 milhões desnecessariamente. Por exemplo, embora o •• Tráfico e abuso: Muitas instituições
desses órfãos no mundo. Porém, essas número de crianças vulneráveis no Camboja não possuem políticas de proteção infantil
estatísticas subestimam o problema e tenha diminuído entre 2005 e 2010, o e podem não verificar os antecedentes
não incluem os “órfãos sociais”. Estes são número de orfanatos aumentou em 75 criminais dos visitantes e funcionários. Isso
crianças e jovens que perderam qualquer por cento. Porém, nenhum orfanato pode coloca as crianças em risco de tráfico e
conexão significativa com sua família. Os oferecer os cuidados e a criação que uma abuso físico e sexual.
órfãos sociais incluem crianças vulneráveis, família amorosa e solidária pode.
que podem viver nas ruas, crescer em •• Separação da sociedade: As crianças
orfanatos ou ser separadas de sua família COMPREENSÃO DOS EFEITOS colocadas em instituições de acolhimento
devido ao tráfico, conflito ou outras NEGATIVOS residencial geralmente crescem separadas
questões. de sua família e da comunidade e, assim,
As pesquisas mostram claramente que o frequentemente têm dificuldades para retornar
Na verdade, milhões de crianças chamadas acolhimento institucional de longo prazo à comunidade ao deixarem a instituição.
órfãs ainda têm um dos pais, um dos avós ou não é do melhor interesse das crianças. Ele
outro parente vivo. De acordo com a Save pode causar um impacto negativo em suas Os jovens são muito vulneráveis quando
the Children, pelo menos 80 por cento das vidas de várias formas diferentes: deixam o acolhimento residencial, e muitas
crianças que vivem em orfanatos ainda têm instituições não possuem estratégias para
pelo menos um dos pais vivo. •• Sérios atrasos no desenvolvimento apoiá-los ao longo desse processo. Um estudo
psicológico e social: As crianças não de longo prazo realizado na Rússia mostrou

PASSO A PASSO 101 3


PALAVRAS USADAS •• Famílias de acolhimento: As famílias de Without Orphans uniu cristãos, igrejas
NESTA EDIÇÃO acolhimento são famílias que acolhem uma
criança que não é biologicamente ligada
e organizações ao redor do mundo para
trabalharem juntos pelo acolhimento
Acolhimento alternativo é quando a elas. A família de acolhimento pode ser familiar. Com início na Ucrânia, ele lançou
alguém, que não um dos pais biológicos uma medida temporária, enquanto ainda movimentos nacionais em mais de 26
da criança, cuida dela, como, por exemplo, se está procurando reintegrar a criança em países. Como resultado de seu trabalho, o
um acolhimento por parentes, família sua família. Também pode ser uma opção número de crianças acolhidas em famílias
de acolhimento, adoção ou acolhimento de mais longo prazo. Em alguns países, ou localmente adotadas aumentou.
residencial. pode ser uma forma de oferecer uma família
permanente a uma criança. Há várias coisas que as pessoas, igrejas e
Acolhimento residencial significa cuidar organizações podem fazer para melhorar a
de uma criança fora de um ambiente •• Adoção: Quando não é possível assistência aos órfãos. As pessoas podem
familiar, como, por exemplo, um orfanato reintegrar a criança em sua família ou considerar a possibilidade de se tornarem
ou residências coletivas. na de parentes, a adoção pode ser uma famílias de acolhimento ou pais adotivos
opção. Adoção é quando os pais adotivos e incentivar outros a fazerem o mesmo.
Transição é quando um centro de concordam legalmente em cuidar As igrejas podem desenvolver programas
acolhimento residencial deixa de oferecer permanentemente de uma criança que não para fortalecer as famílias e apoiar os órfãos
acolhimento residencial e começa a ajudar é biologicamente sua. A adoção é mais fácil dentro de suas igrejas e comunidades.
o acolhimento das crianças em famílias e para a criança quando ocorre em seu próprio Os diretores de centros de acolhimento
na comunidade. país. A adoção internacional geralmente é residencial podem explorar formas de
uma opção mais desestabilizadora, assim, começar uma transição para os serviços de
a Convenção das Nações Unidas considera fortalecimento da família e da comunidade.
preferível a adoção ou uma família de Nós todos podemos reivindicar, junto ao
acolhimento local. nosso governo, políticas que priorizem
que um em cada cinco órfãos que saíam de o acolhimento familiar. Unindo-nos a
uma instituição voltava-se para o crime, um •• Às vezes, o acolhimento residencial outros que compartilhem da mesma visão,
em cada sete caía na prostituição e um em pode ser uma opção (por exemplo, ele pode podemos trabalhar visando a um mundo em
cada dez cometia suicídio (Judith Harwin, ser necessário para uma criança em crise, que todas as crianças tenham a chance de
Children of the Russian state 1917–1995). enquanto são investigadas outras opções). crescer dentro de uma família que as ame.
Porém, na maioria dos casos, esta opção deve
UMA FORMA MELHOR ser vista como último recurso e não como
uma solução de longo prazo. Se for necessário
A boa notícia é que, ao redor do mundo, as usar o acolhimento residencial por algum Markus Köker é o Gestor de Programas
pessoas estão começando a se dar conta tempo, ele deve ser o mais parecido possível Internacionais da Tearfund Irlanda.
de que há formas melhores de cuidar das com uma família e em pequenas residências
crianças órfãs e vulneráveis. Há uma série coletivas dentro da comunidade, ao invés de Site: www.tearfund.ie
de opções: em orfanatos grandes. E-mail: enquiries@tearfundireland.ie

•• Fortalecimento familiar: Podemos Os responsáveis pela assistência à criança World Without Orphans
fortalecer e apoiar as famílias para que elas devem estudar esta série de opções Site: www.worldwithoutorphans.org
não coloquem as crianças em orfanatos para alternativas de acolhimento para ver qual E-mail: info@worldwithoutorphans.org
começar. Isso pode ser feito através de aulas seria a melhor para ela.
para pais, creches e atividades de geração de
renda. É importante ajudar os pais a entender AS POLÍTICAS NACIONAIS
que a família é para a vida toda, e que eles ESTÃO MUDANDO
geralmente podem oferecer uma criação
melhor para seus filhos do que um orfanato. Um número cada vez maior de países agora
está colocando em prática estas ideias sobre
•• Reintegrar as crianças em suas famílias acolhimento alternativo e fazendo delas a
biológicas: Se for possível e seguro, a melhor sua política oficial. Por exemplo, em 2012, o
opção é reintegrar as crianças que vivem em Camboja anunciou uma nova política, com
instituições de acolhimento residencial em o objetivo de manter as crianças fora das
suas famílias. Isso envolve tentar abordar os instituições e preferindo um acolhimento
problemas que levaram à sua separação da familiar. Além de ser melhor para as crianças,
família sempre que possível. estes princípios fazem sentido em termos
financeiros. Em Uganda, por exemplo, um
•• Acolhimento por parentes: Se não estudo mostrou que custa até 14 vezes mais
for possível reintegrar as crianças em administrar um orfanato do que cuidar das
suas famílias biológicas, outra opção é o crianças dentro da comunidade (Unicef).
acolhimento por parentes. Muitos órfãos
têm outros familiares que estariam dispostos O QUE PODEMOS FAZER?
a cuidar deles – tias, tios, avós, um irmão
mais velho ou outro membro da família A igreja pode ajudar muito a mudar a
Nos países em desenvolvimento, a pobreza é
extensa. Muitas vezes é possível encontrar maneira como cuidamos dos órfãos e frequentemente o motivo pelo qual as famílias
parentes e ajudá-los a acolher a criança. crianças vulneráveis. O movimento World colocam crianças em orfanatos.

4 PASSO A PASSO 101


Deus dá um lar aos solitários.

Krish Kandiah

ESTUDO BÍBLICO
SERÁ QUE DEUS ODEIA O NATAL?

Como você se sentiria se eu lhe dissesse que (Isaías 1:16-17), ele claramente resume a Em todo o mundo, cada vez mais países
Deus odeia o Natal? Ou que ele se irrita adoração genuína em seis pontos principais: estão reconhecendo que o melhor lugar para
com o Advento, a Quaresma e a Páscoa? E que as crianças vulneráveis floresçam não é
1. Parem de fazer o mal.
se eu lhe dissesse que as reuniões de oração em instituições, como orfanatos ou aldeias
o deixam entediado, e a comunhão o deixa 2. Aprendam a fazer o bem. infantis, mas em famílias. Sabemos que Deus
frustrado? “dá um lar aos solitários” (Salmo 68:6) e
3. Busquem a justiça.
que “A religião que Deus, o nosso Pai, aceita
É mesmo? 4. Acabem com a opressão. como pura e imaculada é esta: cuidar dos
órfãos e das viúvas em suas dificuldades”
5. Lutem pelos direitos do órfão.
Bem, é isso que Deus parece dizer em (Tiago 1:27). A adoração familiar adquire
uma das passagens da Bíblia que mais me 6. Defendam a causa da viúva. um significado completamente novo
assustam: quando abrimos nossos lares para pessoas
Este é o tipo de adoração que Deus vulneráveis em resposta ao amor e à graça
“Parem de trazer ofertas inúteis! quer de seu povo. Deus preferiria que de Deus em nossas vidas.
O incenso de vocês é repugnante para mim. encerrássemos nossos cultos ao invés de
Luas novas, sábados e reuniões! realizá-los enquanto negligenciamos estes Claro que Deus não odeia o Natal. Não
Não consigo suportar suas assembleias seis pontos. esqueçamos que, na história do Natal, Deus
cheias de iniquidade. mostra seu coração de Pai para com nosso
Suas festas da lua nova e suas festas fixas, A maioria das igrejas são bem boas em mundo. Ele confia seu filho aos cuidados de
eu as odeio. ensinar o ponto número um: “Parem de Maria e José para poder abrir um caminho
Tornaram-se um fardo para mim; não as fazer o mal”. Algumas igrejas também não para nos adotar em sua família. Devemos
suporto mais! são ruins em ensinar o ponto número dois: dar a Deus a adoração que nosso evangelho
Quando vocês estenderem as mãos em “Aprendam a fazer o bem”. Porém, com exige. Devemos descobrir o que significa
oração, esconderei de vocês os meus olhos; frequência, os pontos de três a seis não abraçar a causa dos órfãos.
mesmo que multipliquem as suas orações, recebem muita atenção.
não as escutarei!
As suas mãos estão cheias de sangue!” Eu particularmente adoraria que a igreja
(Isaías 1:13–15) redescobrisse este tipo de adoração, O Dr. Krish Kandiah é o presidente do painel
abordando o ponto número cinco: “Lutem teológico da Tearfund. Ele é pai adotivo e
Será que Deus realmente pede ao seu povo pelos direitos do órfão”. Vivemos em um pai de acolhimento. Krish fundou a Home
para que encerrem seus cultos de adoração? mundo quebrado, onde há milhões de for Good, uma instituição beneficente que
Será que ele realmente diz que a oração não órfãos. Algumas destas crianças encontram- procura encontrar famílias de acolhimento
serve para nada? se em nossas próprias comunidades. Porém, e adoção para todas as crianças que as
os cristãos e as igrejas estão começando necessitam no Reino Unido.
Não é que Deus seja contra as ofertas: ele a descobrir a profundidade da verdadeira
as ordenou. Não é que Deus não tenha adoração, que é posta em prática quando Site: www.homeforgood.org.uk
interesse na oração: ele iniciou a conversa. obedecemos ao chamado de Deus para E-mail: info@homeforgood.org.uk
Não é que Deus não goste das festividades: defendermos a causa dos órfãos. Em meu
ele as inventou. trabalho para a instituição beneficente
Home for Good, ouço muitas histórias de
Porém, nenhuma dessas coisas está no cerne cristãos que oferecem um lar a uma criança
da adoração. Deus não complica as coisas. vulnerável – e descobrem que são eles
Na verdade, nos próximos dois versículos próprios os abençoados e transformados.

PASSO A PASSO 101 5


Denford Munemo e Qobolwakhe Khumalo

APOIO ÀS FAMÍLIAS
COM ÓRFÃOS PARA
QUE FLORESÇAM
NO ZIMBÁBUE A ZOE oferece às famílias com órfãos oportunidades para ganhar a vida, e
os voluntários das igrejas prestam apoio. Foto: Eleanor Bentall/Tearfund

Calcula-se que o Zimbábue abrigue cerca de congregações que se interessam pelos órfãos A construção de relacionamentos de apoio
720.000 órfãos, em parte como resultado para que se tornem voluntários. é central para o papel dos voluntários.
das mortes por doenças relacionadas com a Como parte de sua formação, eles são
AIDS. Tradicionalmente, a família extensa A ZOE, então, treina voluntários das incentivados a usar os recursos que lhes
cuidaria dos órfãos. No entanto, devido igrejas para visitar e apoiar famílias com foram dados por Deus para apoiar as
às difíceis condições econômicas e sociais órfãos (famílias que cuidam de órfãos). famílias com órfãos (veja a página ao lado).
no país, os parentes têm dificuldades para Cada voluntário é responsável por visitar
lidar com a situação. A ZOE (Zimbabwe regularmente quatro ou cinco famílias com MEIOS DE VIDA SUSTENTÁVEIS
Orphans through Extended Hands) acredita órfãos (ou menos, se alguma das famílias for
que as igrejas locais podem ajudar de chefiada por uma criança, uma vez que estas A ZOE também ajuda os órfãos e os
maneira vital. necessitam de um apoio maior). prestadores de cuidados a encontrar
maneiras de ganhar a vida. A organização
MOBILIZAÇÃO DE IGREJAS FORTALECIMENTO FAMILIAR fornece-lhes pequenos animais (por
exemplo: cabras, galinhas ou coelhos) e
A mobilização de igrejas é o cerne do Os voluntários das igrejas são treinados em treina os membros das famílias no manejo
trabalho da ZOE. As igrejas frequentemente competências parentais, orçamentação, de animais. Ela também treina as famílias
desejam cuidar dos órfãos, mas não sabem proteção infantil, apoio psicossocial, com órfãos a cultivar alimentos e oferece
como ajudar. É aí que a ZOE entra. desenvolvimento infantil e saúde sexual formação profissional aos órfãos em um
e reprodutiva, e eles, então, passam esse ofício de sua escolha, preparando-os para
A força do ministério está nas igrejas treinamento e conhecimento para as um futuro mais seguro.
trabalhando juntas. Quando um líder de igreja famílias que apoiam.
procura a ZOE para pedir ajuda para cuidar de
órfãos, a ZOE primeiro pede ao pastor para As igrejas e os membros da comunidade
reunir todos os líderes de igrejas da área. Os também são incentivados a defender Denford Munemo é o Diretor Nacional da
funcionários da ZOE, então, desenvolvem a os órfãos através da defesa e promoção ZOE, e Qobolwakhe Khumalo é o Gestor de
visão dos líderes juntos sobre a mensagem de direitos. Eles protegem os direitos de Programas da ZOE.
bíblica para cuidar dos órfãos. Os líderes herança dos órfãos e ajudam-nos a obter
voltam para suas igrejas e compartilham certidões de nascimento, necessárias para Site: www.zoezim.blogspot.co.uk
a visão. Eles pedem aos membros de suas acessar outros serviços. E-mail: info@zoezim.org

VIDAS MORTAS DE VOLTA À VIDA


O Pastor Bob Chimboo, do sudeste do agora têm emprego e podem sustentar suas famílias. Estamos
Zimbábue, conta sobre sua experiência de treinando famílias de órfãos em jardinagem, piscicultura,
trabalho com a ZOE. fabricação de velas, criação de cabras e fabricação de manteiga
de amendoim. Também temos combatido o casamento infantil
Com a ajuda da ZOE, entre 2003 e 2016, desenvolvemos e todas as formas de abuso infantil.
a visão de 135 igrejas em Masvingo para cuidar de órfãos.
Muitas vidas que pareciam mortas foram “ressuscitadas”. As O modelo da ZOE ajudou-nos, enquanto pastores de diferentes
igrejas encontraram muitas maneiras diferentes de satisfazer igrejas, a nos unirmos em prol dos órfãos. Reunimo-nos uma vez
as necessidades dos órfãos e das viúvas. Estas incluem o por mês para discutir as questões que os voluntários de nossas
pagamento das matrículas escolares e cursos de cabeleireiro, igrejas encontram durante suas visitas. Agora somos uma igreja
mecânica de automóveis e costura. Alguns destes órfãos relevante em nossas comunidades.

6 PASSO A PASSO 101


USO DO S R E C U R S O S D A D O S P O R D E U S
Os funcionários da ZOE usam estas ideias inspiradoras como parte de seu
treinamento para os voluntários das igrejas. Será que você poderia fazer uma
cópia deste folheto e usá-lo em sua igreja?
OLHOS
Para ver o cabelo macio e castanho
Deus criou-nos com um coração, olhos, ouvidos, boca, mãos e pés. Os
e as mãos e os pés inchados, que
voluntários das igrejas podem usar esses recursos dados por Deus para construir
mostram kwashiorkor (desnutrição
relacionamentos de apoio com as famílias de órfãos.
por falta de proteínas e outros
nutrientes)… Para olhar nos
olhos da criança e ver o “abuso”…
Para observar a casa – o buraco no
OUVIDOS telhado de palha, a falta de potes e
panelas, etc…
Para ouvir as crianças e
compreender sua dor… Para ouvir
o velho avô, que agora tem seis
crianças para cuidar e sabe que tem
mais quatro a caminho quando seu
próximo filho morrer… Para ouvir
quando nenhum parente perguntou:
“Como você está?” ou “Como estão BOCA
as crianças?”. Porém, agora esse
voluntário vem visitá-lo e pergunta: Para transmitir mensagens de
“De quantas crianças você está esperança da Bíblia e conselhos
cuidando? Como elas estão? Como sábios. Para que as famílias saibam
você está?”. Este voluntário diz que que há ajuda e serviços disponíveis
quer ajudar da maneira que puder na comunidade. Para falar e ser uma
e dá ao velho homem uma chance voz para os que não têm voz através
de falar pela primeira vez em meses. da defesa e promoção de direitos.
Então o voluntário pergunta se pode
voltar – e volta!

CORAÇÃO
Um coração cheio de amor por
causa da cruz de Jesus. Um coração
como o coração de Deus, o Pai, para
amar e cuidar de órfãos.
MÃOS
Para ajuda prática, como consertar o
telhado de palha, preparar o terreno
para o plantio, ensinar costura ou
carpintaria, etc.
Deus deu-nos essas habilidades
para cuidarmos uns dos outros
e revelarmos o amor de Jesus.
Eles são totalmente grátis! Os
membros da igreja podem usar
esses recursos para começar a
construir um ministério forte de
PÉS assistência aos órfãos.

Para levar mensagens, trazer


suprimentos, levar as crianças ao
posto de saúde, etc. – bem como
para esportes e jogos!

Ilustração: Lloyd Kinsley/Tearfund

PASSO A PASSO 101 7


ENTREVISTA
MINHA INFÂNCIA EM UM CENTRO DE
ACOLHIMENTO INFANTIL

A mãe de Peter Kamau Muthui morreu No início, quatro de meus irmãos estavam
quando ele tinha seis semanas de idade, em instituições diferentes da minha e da
e seu pai, um ano depois. Ele e seus cinco minha irmã mais nova. Finalmente fomos
irmãos mais velhos cresceram em uma transferidos para o mesmo centro de
instituição de acolhimento residencial no acolhimento infantil. Eu ansiava por ver
Quênia. Aqui, ele conta sobre o impacto que meus irmãos mais velhos, mas isso só era
isso teve em sua vida e como isso o levou a possível em eventos especiais e, às vezes,
iniciar a organização Child in Family Focus durante as refeições. Peter Kamau Muthui é o fundador da Child in
(Foco na Criança em Família) – Quênia. Family Focus – Quênia.

Eu ainda sinto o efeito dessa interação


Como foi para você crescer em um centro limitada com meus irmãos mais velhos. Não
de acolhimento infantil? há um vínculo estreito entre nós. O suicídio nenhuma escolha, e assim tive dificuldade
do meu irmão mais velho, em 2007, foi um em ter uma vida independente. Formar
Crescer em um centro de acolhimento grande golpe para a família. Isso mostra que relacionamentos, cozinhar e administrar
infantil teve altos e baixos. Eu gostava de muitos jovens que deixam as instituições minhas finanças foram difíceis para mim.
sair ocasionalmente para ver o mundo fora realmente acabam deprimidos e suicidas.
do centro e especialmente para ir à escola Devido à falta de interação positiva com
e à igreja. Tenho boas lembranças da minha Apesar dos desafios da minha criação, devo adultos no centro de acolhimento infantil,
primeira festa de aniversário, aos sete anos. ao centro de acolhimento infantil quem eu eu não tinha autoconfiança e habilidades
Minha professora do jardim de infância, sou hoje. Acredito firmemente que Deus me sociais essenciais, inclusive as habilidades
Mercy, fez um bolo grande para mim e levou permitiu passar por essa experiência por uma necessárias para iniciar uma família.
para a escola. A próxima vez que celebrei razão. Ela me preparou para que me tornasse
meu aniversário foi quando fiz 20 anos. um defensor da mudança. Apesar disso, acho que tive um “pouso
suave”. Logo depois de concluir meus
Eu era uma das 30 crianças sob os cuidados estudos, pediram-me para trabalhar no
de duas mães do centro, que trabalhavam DEUS NUNCA centro de acolhimento infantil. No começo,
em turnos. Assim, era difícil obter a atenção, eu era auxiliar de professor. Depois,
amor, cuidado e orientação de que eu D E S PE R D IÇ A tornei‑me auxiliar de assistente social,
precisava para uma infância saudável e enquanto concluía meu bacharelado. Mais
feliz. Nunca nos faltaram coisas materiais. A D O R , M AS tarde, trabalhei como Gestor de Programas
A maior falta era de amor e afeição.
PRODUZ BELEZA Sociais por nove anos.

Eu me acostumei com as rotinas e percebi as


duras consequências, se não as cumprisse.
E P R O P Ó SIT O Que percepções você adquiriu trabalhando
como Gestor de Programas Sociais no
Ajuda com a lição de casa era um problema.
Era difícil conseguir mesmo que fossem três
ATR AVÉ S D E L A centro?

minutos do tempo da mãe da casa para uma Primeiro, aprendi que ficar órfão não era a
pergunta de aritmética difícil. Você se sentia bem preparado para o principal razão pela qual as crianças eram
mundo exterior quando deixou o centro de colocadas em centros de acolhimento. A
Ver outras crianças, inclusive meus amigos, acolhimento infantil? maioria das crianças do centro tinha um
serem acolhidas em famílias e adotadas fazia ou ambos os pais vivos, bem como muitos
com que eu me perguntasse quando seria Não, eu estava mal preparado para a vida fora parentes capazes. A pobreza era a principal
minha vez. Cada vez que havia visitantes no do centro. Como aconteceu a muitos outros razão para colocá-las em instituições. As
centro, eu me comportava da melhor forma que haviam saído antes de mim, deixaram- pessoas erroneamente pensavam que o
possível. Eu queria aumentar minhas chances me sozinho para lidar com a situação. acolhimento residencial podia oferecer mais
de ser amado e levado para fazer parte de às crianças do que os parentes.
uma família. Eu havia passado anos seguindo uma
rotina estruturada, onde eu tinha pouca ou

8 PASSO A PASSO 101


Em segundo lugar, aprendi que até mesmo igreja. Também pertenço a uma associação, visão é que, no Quênia, o acolhimento
o acolhimento institucional de alta que se reúne semanalmente e inclui familiar para crianças órfãs e vulneráveis
qualidade não pode substituir as famílias! algumas pessoas que estiveram no centro seja a norma e não um privilégio. Em 2016,
As famílias proporcionam às crianças amor de acolhimento infantil comigo. Esta a organização desempenhou um papel
e um senso de pertencimento. Elas ensinam associação tornou-se minha família. fundamental na criação da Alternative
habilidades sociais e ajudam as crianças a se Care Alliance (Aliança de Acolhimento
conectarem com a comunidade em geral. GRUPOS DE APOIO – Faço uma parte da Alternativo) – Quênia. A aliança reúne
Depois de certa idade, as crianças deixam Kenya Society of Care Leavers (Sociedade indivíduos, ONGs e o governo para trabalhar
a instituição de acolhimento, mas isso não Queniana de Ex-acolhidos) e ainda na implementação das Diretrizes para
ocorre com as famílias. mantenho contato com meus irmãos e os o Acolhimento Familiar Alternativo de
amigos com quem cresci no centro. Isso Crianças no Quênia.
A maioria das crianças que deixavam me ajuda a lidar com os efeitos da minha
a instituição de acolhimento tinham criação. Que mensagem você gostaria de transmitir
dificuldade para serem aceitas de volta aos leitores da Passo a Passo?
na comunidade. Elas tinham uma grande É importante escolher perdoar e esquecer
probabilidade de acabarem envolvidas em o passado e concentrar-se no trabalho que Que Deus dá um lar aos solitários (Salmo
atividades criminosas, exploração sexual, Deus faz em nós e através de nós. 68:6). O plano de Deus para cuidar das
abuso de drogas e casamentos precoces. crianças é a família. É um plano muito
melhor do que cuidar delas em centros de
Aprendi que as opções de acolhimento O P L AN O D E D E U S acolhimento infantil – por mais bonitos e
familiar tinham grandes benefícios para as bem geridos que sejam.
crianças. Assim, começamos uma agência PA R A C U ID A R D E
de adoção e um programa de assistência Para aqueles que prestam apoio aos centros
que apoiava crianças dentro de suas próprias C R IA N Ç A S É A de acolhimento infantil, agora é o momento
famílias. Isso ajudou a fortalecer as famílias
e evitar a separação. Estes programas FA M ÍL IA para mudar de mentalidade. Desafie os
gestores dos orfanatos a transformá-los
continuam a ter um impacto positivo na vida em centros de apoio à comunidade. Esses
das crianças no Quênia. Você poderia nos contar sobre o trabalho centros podem fortalecer as famílias para
da Child in Family Focus – Quênia? que elas possam cuidar de seus próprios
O que o ajudou a lidar com os efeitos de filhos e parentes órfãos. Se o acolhimento
crescer em uma instituição de acolhimento Em 2011, senti que Deus me chamava para por parentes não for possível ou for
residencial e se recuperar? me juntar a ele na busca de uma nova inadequado, devemos apoiar outras formas
visão. Então, criei a Child in Family Focus de acolhimento alternativo, tais como as
A SALVAÇÃO E A PALAVRA DE DEUS – – Quênia para promover o acolhimento famílias de acolhimento e a adoção.
Continuo buscando um relacionamento familiar para crianças órfãs e vulneráveis
ainda mais profundo com Deus. Sua no Quênia. Fazemos isso através da Finalmente, Deus nunca desperdiça a dor,
palavra é cheia de grandes promessas, as defesa e promoção de direitos, ajudando a mas produz beleza e propósito através dela.
quais aplico em minha vida diariamente. desinstitucionalização (redução gradual de
Encontrei a salvação, cura, alegria, orfanatos) e monitorando a governança em
propósito e esperança nele. questões de acolhimento e proteção infantil.
Peter Kamau Muthui é sócio fundador e diretor
MINHA FAMÍLIA DA IGREJA – Faço parte Nossa missão é defender o direito de toda da Child in Family Focus – Quênia.
do ministério de louvor e adoração na a criança ao acolhimento familiar. Nossa
Site: www.childinfamilyfocus.or.ke
E-mail: peterk@childinfamilyfocus.or.ke

Peter faz parte do programa Inspired


Individuals (Indivíduos Inspirados) da
Tearfund, que apoia novos líderes que estão
transformando suas comunidades.

Site: www.tearfund.org/inspired

Dados para contato da Kenya Society


of Care Leavers:

Site: www.kesca.org
E-mail: info@kesca.org
Telefone: +254 721 612864

Peter (indicado com uma seta) com algumas das outras crianças no centro de acolhimento infantil.

PASSO A PASSO 101 9


precisarão para se manterem seguros e serem
independentes e socialmente incluídos quando
deixarem os centros.

CLUBES JUVENIS

A M’lup Russey ajuda os jovens a criar clubes


Sarah Chhin juvenis em seus centros. As atividades dos
clubes reforçam a autoconfiança, a liberdade

PRONTOS PARA
e a capacidade de viver com segurança em
uma comunidade no futuro. Os membros do
clube de jovens elegem seus próprios líderes e

ENFRENTAR O MUNDO decidem sua própria estrutura e horários. Os


clubes dão-lhes uma voz no centro. Eles ajudam
os jovens a se expressarem livremente e os
preparam para a independência.
A Organização M’lup Russey está transformando A M’lup Russey apoia as crianças enquanto
a assistência às crianças e aos jovens vulneráveis estão em centros de acolhimento residencial Tudo isso treina-os para serem líderes,
no Camboja. Temos um grande entusiasmo pela – mas nosso trabalho não termina aí. Fazemos facilitadores e membros de equipe responsáveis.
promoção de alternativas para o acolhimento tudo o que podemos para ajudar os jovens Melhora também suas habilidades de
institucional de crianças e trabalhamos muito a serem bem-sucedidos em sua volta à comunicação e trabalho e ajuda-os a se
nessa área. Mas também reconhecemos que leva comunidade quando deixam os centros. relacionarem bem com outros. Graças à M’lup
tempo para um orfanato fazer a transição e que Russey, centenas de jovens já foram membros
as crianças precisam de apoio enquanto ainda CONSTRUÇÃO DE RELACIONAMENTOS de clubes juvenis de orfanatos desde 2008!
estão em instituições.
Primeiro, a M’lup Russey constrói TREINAMENTO DE HABILIDADES
COM MEDO DO MUNDO EXTERIOR relacionamentos com os diretores dos centros PARA A VIDA
de acolhimento residencial. Nós os convidamos
Em 2007, os funcionários da M’lup Russey para eventos de treinamento para que eles A M’lup Russey também oferece treinamento
realizaram oficinas com mais de 500 jovens possam melhorar sua assistência às crianças. em habilidades para a vida e bolsas de
adultos que viviam em orfanatos. Todos falaram Nós também os ajudamos a entender e treinamento profissionalizante para os jovens
de seus medos quanto a deixar o orfanato. aplicar a política de acolhimento alternativo que vivem em centros. Estas oficinas são
Eles tinham medo de acabar discriminados, do governo, que vê o acolhimento familiar ministradas por profissionais e especialistas e
vitimados, desempregados e desabrigados. como um modelo melhor. Ao longo dos anos, abrangem tópicos mais aprofundados, como
Alguns tinham até medo de passar de fome. treinamos diretores de orfanatos em direitos da •• “conhecer a si próprio”;
Eles temiam não possuir mais as habilidades criança, proteção infantil, participação infantil,
para fazer parte de uma comunidade externa. gestão da raiva, processos adequados de •• habilidades de comunicação;
reintegração, gestão de centros, compreensão •• vida segura na comunidade;
Infelizmente, há boas razões para esses medos. das necessidades de crianças e jovens, •• gestão da raiva;
Sem uma preparação cuidadosa, os jovens habilidades de liderança e muito mais.
adultos que deixam os orfanatos no Camboja •• saúde reprodutiva;
têm dificuldade para se adaptarem à vida Depois de construir relacionamentos com •• conscientização sobre as drogas;
comunitária e familiar. Eles são extremamente os diretores, a M’lup Russey pode começar a •• finanças pessoais;
vulneráveis à exploração, abuso e tráfico. Os trabalhar com as crianças e os jovens sob seus
orfanatos não eliminam sua vulnerabilidade: cuidados. Oferecemos a eles a oportunidade de •• planejamento da vida;
apenas adiam seus efeitos. Em muitos casos, participar de grupos de apoio e de treinamento •• definição de objetivos.
essa vulnerabilidade aumenta por terem vivido de habilidades para a vida. Estes ajudam
em um orfanato. os jovens a aprender as habilidades de que

O treinamento em habilidades para a vida ajuda os jovens a aprender a viver de forma independente depois de deixarem o acolhimento residencial. Foto: Organização M’lup Russey
APOIO ADICIONAL

Estes serviços de apoio dão à M’lup Russey a


oportunidade de construir relacionamentos
fortes e de confiança com as crianças
e jovens em centros de acolhimento
residencial. A M’lup Russey pode, então,
oferecer-lhes outros serviços, tais como
aconselhamento e orientação jurídica, bem
como apoio quando eles, um dia, deixarem o
acolhimento residencial.

REDE DE EX-ACOLHIDOS

A M’lup Russey dirige uma Rede de Ex-


acolhidos para jovens que deixaram o
acolhimento residencial. Os ex-acolhidos
podem participar de um pequeno grupo de
jovens na mesma situação. Nas reuniões Jovens participam de treinamento de habilidades para a vida em gestão da raiva. Foto: Organização M’lup Russey
regulares dos pequenos grupos, eles podem
compartilhar suas histórias e experiências
da vida comunitária. para os ex-acolhidos cristãos, a M’lup Russey
dirige um grupo de estudo bíblico e oração.
São realizadas também reuniões com IDEIAS SOBRE COMO
grupos grandes, onde os grupos menores
USAR ESTE ARTIGO
se reúnem. Isso oferece aos ex-acolhidos
uma grande rede de pessoas com as quais Sarah Chhin é Assessora Técnica Estratégica da
eles podem formar boas relações. Através M’lup Russey. •• Em grupo, discutam o que vocês acham
desta rede, os ex-acolhidos ajudam-se uns que funciona bem na abordagem da M’lup
aos outros a se tornarem independentes e A M’lup Russey também oferece acolhimento Russey.
responsáveis por si mesmos. familiar de emergência e serviços de
reintegração familiar e ajuda os centros de •• Discutam como sua igreja, grupo ou
Os ex-acolhidos encontram-se em uma acolhimento residencial em sua transição. Eles organização poderia ajudar a apoiar as
posição única para ajudar outros que estão respondem aos pedidos de informações de crianças e os jovens depois que eles deixam
prestes a deixar os orfanatos. Eles visitam os qualquer pessoa interessada em saber mais ou o acolhimento residencial. Por exemplo,
orfanatos e compartilham suas experiências que queira fazer um trabalho semelhante. existem redes de ex-acolhidos na sua região
de vida na comunidade. Isso ajuda os jovens com as quais vocês poderiam ajudar os
adultos órfãos a encarar o futuro com Site: www.mluprussey.org.kh jovens a se conectarem?
mais confiança. A M’lup Russey também E-mail: info@mluprussey.org.kh
fornece treinamento profissionalizante aos
ex-acolhidos, permitindo-lhes ter uma vida
independente e bem-sucedida. Finalmente,

ESTUDO DE CASO A HISTÓRIA DE PITHOU

Pithou cresceu em um orfanato em Phnom Mas agora tive a oportunidade de expressar As crianças de orfanatos não têm esperança,
Penh, no Camboja. Aqui, ele fala o que meus sentimentos e fazer amizade com nem o amor de seus pais. O treinamento
pensa sobre aprender habilidades para a outras pessoas que vivem em orfanatos. em habilidades para a vida tem sido muito
vida no orfanato: Vi dois desses novos amigos lendo e importante para mim. Ele abriu meu coração
estudando muito. Então, comecei a me e minha mente. Ele me ensinou a ser
“O aprendizado de habilidades para a vida analisar atentamente e tomei a decisão de corajoso e dizer o que eu penso, o que eu não
mostrou-me uma nova maneira de viver. me comprometer a estudar mais para o meu era capaz de fazer antes, pois me sentia fraco
Antigamente, eu não me importava com próprio futuro e o futuro do meu país. Agora e amedrontado. Agora não sou mais uma rã
meu futuro, porque tinha arroz suficiente sei que todos nós temos um grande valor dentro de um poço.”
para comer e um lugar para morar. Eu para nossa comunidade, sociedade e país.
achava que não era bom nos estudos, e até
mesmo minha mãe dizia que eu era meio As pessoas acham que os orfanatos dão às
burrinho. crianças tudo o que necessitam, mas não.

PASSO A PASSO 101 11


FAMÍLIAS MAIS FORTES
APOIO AOS PAIS E MÃES
CRECHES GRATUITAS OU
ACONSELHAMENTO Ofereça treinamento aos pais, mães e
DE BAIXO CUSTO
cuidadores em tópicos como habilidades
O aconselhamento pode ajudar as famílias e parentais, orçamentação, boa nutrição,
Ofereça creches durante o dia. Isso permitirá que os pais
os pais que estão passando por dificuldades, desenvolvimento infantil e proteção à criança.
Fortalecimento familiar significa manter as crianças em suas ou cuidadores das crianças possam sair para trabalhar
como o rompimento do casamento ou Isso ajudará a fortalecer as famílias e aumentará
famílias e impedir que sejam colocadas em centros de acolhimento e sustentar suas famílias. Forneça às crianças refeições,
o abuso de substâncias. Verifique se há sua confiança para cuidar de crianças.
residencial. Diferentes famílias têm diferentes necessidades, e atividades estimulantes e tempo para brincar durante o dia.
alguém, na sua igreja ou comunidade,
Ofereça cuidados temporários para descanso às crianças
muitas necessitam de uma combinação de abordagens. qualificado e disposto a prestar este serviço.
com deficiência para ajudar seus pais a se renovarem e
Caso contrário, encontre um conselheiro
Quando um orfanato é gradualmente fechado, seus prédios e recuperarem sua energia.
em outro lugar, que possa vir à comunidade
recursos podem ser usados para prestar serviços à comunidade. regularmente e oferecer consultas.
Sua igreja ou grupo comunitário pode envolver-se e desempenhar um
papel importante no apoio às famílias. Aqui estão algumas ideias…

APOIO EDUCACIONAL PROGRAMAS DE


As famílias pobres frequentemente têm dificuldades ASSISTÊNCIA COMUNITÁRIA
para pagar os custos das matrículas escolares, livros
e uniformes. Elas podem achar que a criança terá Treine voluntários para visitar as famílias vulneráveis
uma melhor chance de educação em um centro de em casa e ofereça apoio adequado. Esse apoio pode
acolhimento residencial. Ajudar as famílias com esses incluir ajuda prática com a preparação de alimentos
custos pode fazer uma grande diferença. Procure negociar e tarefas domésticas, bem como apoio emocional e
com as escolas para que elas reduzam ou não cobrem espiritual.
as matrículas das crianças vulneráveis. Use seu centro
comunitário para dar aulas extras ou oportunidades de
aprendizagem às crianças que estão tendo dificuldades
na escola.

DEFESA E PROMOÇÃO
DE DIREITOS E ACESSO
ATIVIDADES DE GERAÇÃO AOS SERVIÇOS
DE RENDA Ajude os órfãos e seus cuidadores a obter acesso
ACESSO AOS CUIDADOS aos benefícios a que têm direito, tais como
A pobreza é frequentemente a principal razão pela
DE SAÚDE CLUBES DE MULHERES, DE subsídios e serviços governamentais. Às vezes,
qual as famílias colocam crianças em orfanatos. é preciso apenas informá-los sobre o que há
Ajudar as famílias a encontrar maneiras de ter
Através de seu centro comunitário, ajude as famílias
HOMENS E DE CRIANÇAS disponível. As crianças órfãs também podem
uma renda suficiente pode fazer uma enorme precisar de apoio para garantir seus direitos de
a obter acesso aos cuidados de saúde, inclusive aos
diferença. Considere a possibilidade de oferecer Os clubes de mulheres permitem que elas se reúnam e herança, obter acesso à escola ou tirar documentos
testes e aconselhamento de HIV. Treine voluntários
treinamento profissional, como costura, carpintaria, conversem sobre suas experiências e desafios. Os clubes de identidade. Nomeie representantes do seu
para prestarem cuidados domiciliares aos parentes
metalurgia, panificação, cabeleireiro ou informática. infantis ajudam as crianças a se apoiarem umas às outras grupo comunitário para falar das necessidades das
doentes das crianças para que elas possam frequentar
O treinamento deve ser relevante para as e a fazerem com que sua voz seja ouvida. Crie e facilite crianças vulneráveis nas reuniões da diretoria das
a escola. Preste apoio às pessoas com deficiência,
necessidades e oportunidades locais. Ofereça ajuda esses clubes – e considere a possibilidade de criar um escolas e nos conselhos locais.
como, por exemplo, acesso à fisioterapia, terapia
às pessoas para iniciarem pequenos negócios e grupo de homens, também, concentrando-se no que é
ocupacional e fonoaudiologia.
comece programas de poupança e crédito. preciso para ser um bom pai.

12 PASSO A PASSO 101 PASSO A PASSO 101 13


Rebecca Nhep

O ORFANATO QUE
VIROU DO AVESSO
A mensagem de que o acolhimento PERCEBER A NECESSIDADE DE MUDAR diretor, funcionários, líderes comunitários e
residencial a longo prazo não constitui funcionários do governo local.
o melhor interesse dos órfãos e das O Pastor Myint Nwe é o diretor da
crianças vulneráveis está se espalhando. Caring and Loving Children (CLC), uma `` PONTO A SALIENTAR: É importante
Como resultado, muitos orfanatos ao organização comunitária de Mianmar. educar todos os envolvidos sobre a
redor do mundo estão se transformando Ele já foi responsável por cinco centros necessidade de transição para o acolhimento
em centros que oferecem serviços de de acolhimento residencial espalhados familiar e como ela pode ser feita. Enfatizar
fortalecimento familiar e comunitário. pelo país. Muitas das crianças dos centros os benefícios para as crianças pode ajudar a
Esse processo é muitas vezes chamado de tinham parentes vivos, mas haviam sido convencer as pessoas.
“transição”. Rebecca Nhep, diretora da ACC encaminhadas à organização por motivos
International Relief, descreve como essa de pobreza extrema, morte de um ou DESENVOLVIMENTO DA CAPACIDADE
mudança pode ocorrer. ambos os pais ou outra situação de crise.
O próximo passo que o Kinnected tomou
MUDANÇA NA MANEIRA COMO Ao longo do tempo, o Pastor Myint viu que foi desenvolver e fortalecer a capacidade do
PRESTAMOS ASSISTÊNCIA o acolhimento residencial não é o ideal Pastor Myint como líder da CLC. Começando
para as crianças. Ele percebeu que, sempre em 2013, ele fez uma visita de campo para se
Se você apoia ou dirige um orfanato ou que possível, as crianças devem estar em encontrar com outro parceiro do Kinnected
centro de acolhimento infantil, a ideia de uma família. No entanto, ele não era um que fazia um trabalho de fortalecimento
fazer uma transição para um programa especialista e não possuía os conhecimentos familiar em um contexto semelhante. Isso o
familiar e comunitário pode ser muito necessários para guiar os centros pelo ajudou a perceber por si mesmo os benefícios
assustadora. Ela suscita muitas perguntas, processo de transição e reintegrar as de reunir as famílias, providenciar colocações
como: “Em que consiste uma transição?”, crianças na comunidade. Assim, o Kinnected em famílias de acolhimento ou com parentes
“Como posso ter certeza de que as crianças aceitou apoiar e orientar a CLC em sua e entrar para redes de pares.
estarão seguras e receberão bons cuidados transição para o acolhimento familiar.
em uma família?”, “O que acontecerá `` PONTO A SALIENTAR: É importante que
com a educação ou religião da criança?, `` PONTO A SALIENTAR: Estar convencido os líderes de orfanatos imaginem como
“O que meus doadores acharão?”, “O que da necessidade de mudança é essencial. seria a transição na sua comunidade. É
acontecerá com nosso prédio, se não provável que eles precisem de treinamento
houver crianças vivendo nele?” e “O que PREPARAÇÃO DOS adicional em tópicos como proteção infantil,
restará do meu ministério quando não PARTICIPANTES-CHAVE desenvolvimento infantil, gestão de casos,
formos mais um orfanato?” acolhimento familiar e monitoramento e
Primeiro, o Kinnected ajudou a CLC a pensar avaliação. Eles devem criar vínculos com
Às vezes, essas perguntas e preocupações em preparar participantes-chave antes departamentos governamentais e outras
parecem ser obstáculos que nos impedem de fazer mudanças significativas. Estes organizações que trabalham com o bem-estar
de mudar. No entanto, com um bom incluíam doadores, membros do conselho infantil para poderem trabalhar bem juntos.
planejamento, o apoio certo e processos
bem desenvolvidos, você pode garantir
que a transição seja eficaz e segura para Crianças em um programa para crianças com menos de cinco anos, em Mianmar. Os orfanatos podem fazer uma
transição para a prestação de serviços comunitários, como este. Foto: Alice Keen/Tearfund
as crianças. Além disso, na verdade, você
verá seu programa ou ministério crescer em
alcance e sucesso.

O programa Kinnected, da ACC


International Relief, ajuda organizações
locais e internacionais na transição de seus
programas de acolhimento residencial.
Ao longo dos últimos seis anos, trabalhamos
com mais de 60 centros de acolhimento
residencial, em 11 países diferentes.

A história do Pastor Myint Nwe mostra


alguns dos passos-chave da transição. Este
é apenas um exemplo de como o processo
pode funcionar.

14 PASSO A PASSO 101


“GOSTARIA QUE MEU ORFANATO
PLANEJAMENTO PARA A TRANSIÇÃO
FIZESSE A TRANSIÇÃO! E AGORA?”
Juntos, o Kinnected e a CLC desenvolveram
um plano para a transição da organização.
O plano incluía escrever sua missão, visão, A maioria dos orfanatos precisam do apoio técnico de uma organização como
pontos fortes, direção e metas futuras, o Kinnected para ajudá-los a fazer uma boa transição. Este apoio permite-lhes
resultados a serem medidos, atividades, estabelecer as estruturas adequadas para uma transição segura.
recursos e áreas onde a CLC precisava
aprender ou adquirir experiência. O Kinnected O Kinnected atende a pedidos de informação de orfanatos interessados em fazer a
treinou os funcionários da CLC para garantir transição (veja os dados para contato abaixo). O Kinnected, então, estuda o nível
que eles apoiariam o processo e teriam o de apoio que pode oferecer.
conhecimento e as habilidades certas.
Um recurso útil é o manual Transitioning to family care for children (Transição para o
acolhimento familiar para crianças) da Faith to Action. Visite www.faithtoaction.org/
`` PONTO A SALIENTAR: É vital desenvolver
resources para baixar um exemplar gratuito.
um plano de transição detalhado para
a instituição. É importante contratar
assistentes sociais e garantir que eles tenham
as habilidades certas. Os profissionais podem
precisar de treinamento em como trabalhar
com crianças vulneráveis e seus cuidadores. É desenvolvido um plano de assistência acolhimento temporário às crianças
Os tópicos podem incluir levantamento, com cada criança e para cada criança, abandonadas ou abusadas. Essas crianças
avaliação, localização de familiares (maneiras destacando o que precisa ser feito para são encaminhadas pela polícia local ou pelos
de encontrar os parentes das crianças) e prepará-la para o acolhimento. Depois líderes comunitários. O Pastor Myint e seu
mapeamento dos serviços disponíveis. disso, é criado um plano de apoio familiar. assistente social, então, iniciam o processo
O plano faz uma lista das mudanças e apoio de rastreamento familiar e avaliações. Eles
ETAPAS DA TRANSIÇÃO necessários para permitir que a criança e a procuram encontrar uma colocação familiar
família façam uma transição bem-sucedida. adequada e segura para a criança, através
Sempre que possível, o Pastor Myint de reintegração familiar, acolhimento por
rastreava os familiares das crianças sob seus O Pastor Myint e o assistente social da parentes ou famílias de acolhimento.
cuidados. Ele e sua equipe, então, analisavam CLC monitoram regularmente todas as
sua adequação e disposição para oferecer o crianças que foram colocadas em famílias. `` PONTO A SALIENTAR: Quando os
acolhimento adequado. O processo de monitoramento torna-se centros de acolhimento residencial
menos frequente ao longo do tempo nas fazem a transição, os prédios e recursos
O Pastor Myint sabia que a pobreza era colocações que estão funcionando bem, podem ser usados para prestar serviços de
o motivo pelo qual algumas das crianças até que o caso da criança seja encerrado. fortalecimento familiar e comunitário.
haviam sido colocadas nos centros de Este processo leva pelo menos 12 meses,
acolhimento institucional. Assim, ele ajudava às vezes, mais. O monitoramento é feito PARCERIAS
os familiares a iniciar pequenos negócios, pessoalmente, às vezes com telefonemas
como alfaiatarias, mercearias e criação de entre as visitas (especialmente no caso de O Pastor Myint agora é um defensor do
animais. As famílias também podiam ser crianças em áreas remotas). Se as visitas acolhimento familiar e compartilha suas
vinculadas a sistemas de apoio ou outros revelarem a necessidade de apoio adicional, experiências com outros diretores de
serviços comunitários. os assistentes sociais organizam a ajuda orfanatos. Ele faz parte do grupo de trabalho
necessária. de assistência alternativa em Mianmar.
O Pastor Myint começou com três orfanatos
onde a igreja doadora tinha grande interesse `` PONTO A SALIENTAR: Depois que as
em fazer a transição. Havia um total de 53 crianças são reintegradas em suas famílias,
crianças nestes centros. Até agora, ele já o monitoramento é vital para garantir que Rebecca Nhep é co-Diretora Executiva e Chefe
reintegrou duas crianças de volta em suas a colocação seja estável e a criança esteja de Programas Internacionais da ACCI Relief.
famílias biológicas e 22 com parentes. Dois segura.
outros adolescentes mais velhos passaram Site: www.kinnected.org.au
para uma a vida semi-independente. A CLC já fechou completamente seu primeiro E-mail: info@kinnected.org.au
orfanato. O orfanato fez uma transição Endereço: 5/2 Sarton Road, Clayton, Victoria
`` PONTO A SALIENTAR: É importante para clínica de saúde familiar e centro de 3168, Austrália
manter as crianças seguras ao longo aprendizagem comunitária. O centro oferece Telefone: +61 3 8516 9600
do processo. As famílias devem ser treinamento profissionalizante, que ajuda
devidamente avaliadas antes de receberem os membros da comunidade a encontrar Este artigo foi parcialmente adaptado a
uma criança. Reintegrar as crianças em emprego ou iniciar seus próprios pequenos partir do documento Replicable models
sua família original é o ideal, mas se isso negócios. Isso pode ajudar, antes de tudo, a for transition to family-based care
não for seguro ou adequado, devem-se prevenir o colapso da família. (Modelos replicáveis para a transição para o
explorar outras opções. Estas podem incluir acolhimento familiar) da CAFO. Veja
o acolhimento por parentes, famílias de O Pastor Myint também criou um serviço de www.cafo.org/resource/replicable-models-
acolhimento e adoção. emergência de acolhimento para oferecer for-transition-to-family-based-care

PASSO A PASSO 101 15


ANTES 
DE COMEÇA
Julie Hefti R
Encontre um
conselheiro
local treinado
que trabalhe

O USO DA ARTE COMO TERAPIA


com crianças
as crianças m . Se
ostrarem sina
angústia, inte is de
rrompa a at
conforte-as ividade,
PARA ÓRFÃOS E CRIANÇAS VULNERÁVEIS possibilidade
e considere
de marcar um
a
consulta para a
elas com
o conselheir
Criar arte e falar sobre ela pode ajudar as crianças a se O cuidador precisa ouvir bem, expressar o.
recuperarem de experiências difíceis. As atividades podem compreensão e mostrar plena aceitação e amor.
incluir desenho, pintura, modelagem, colagem e qualquer É importante perceber até que ponto a criança quer
outro tipo de arte. As atividades abaixo podem ajudar os compartilhar. A atmosfera deve ser descontraída e amigável,
órfãos e crianças vulneráveis a expressar suas emoções, e as crianças devem divertir-se enquanto fazem as atividades
crescer em autoestima e lidar com memórias difíceis. (por exemplo, usando diferentes cores e materiais).

IDEIA 1: O LUGAR SEGURO


Um bom lugar para começar com as crianças poderá acontecer com ela. Faça perguntas
que passaram por algo traumático é fazê-las para ajudá-la a criar uma imagem do lugar,
desenhar um “lugar seguro”. Esta atividade como: “Dê uma olhada ao redor. O que você
também é útil para as crianças que estão vê? Que cheiro você sente? O que você
ficando ansiosas. ouve? Você está muito feliz e seguro(a) …
O que você está fazendo?”. Pergunte “O que
Incentive a criança a fechar os olhos e mais?” para incentivar a criança a dar mais
imaginar um lugar onde ela se sinta muito detalhes. Quando a criança tiver terminado
segura. Este poderia ser um lugar real ou de imaginar o lugar, ela poderá desenhá-lo
imaginário. Dê-lhe bastante tempo para ou criá-lo com canetas coloridas, lápis, tintas
imaginar este lugar: isso pode ser difícil ou materiais diferentes. Incentive-a a se
para crianças recentemente traumatizadas. lembrar desse lugar e pensar nele quando
Diga-lhe que, neste lugar, só estarão as sentir medo ou estiver triste.
pessoas que ela quiser e que nada de ruim

IDEIA 2: SOU EU!


Esta atividade pode ajudar a fortalecer o Em seguida, crie uma trabalho de arte Esta pode fazer parte de um conjunto de
senso de identidade da criança e desenvolver com a criança sobre esse tema. Aqui estão atividades artísticas sobre temas como
sua autoestima. algumas ideias, mas você pode usar suas “De onde eu venho”, “Amizades” e “Minhas
próprias ideias. esperanças para o futuro”. As crianças podem
Peça à criança que se olhe no espelho. colocar esses trabalhos de arte em uma
•• Com tinta ou nanquim não tóxico, peça
Enquanto ela ainda estiver se olhando, faça pasta e decorar a capa.
à criança para fazer uma impressão da
as seguintes perguntas:
palma da mão no meio de uma folha
•• O que você vê? de papel. Alternativamente, a criança
•• Quem o(a) criou? pode desenhar o contorno da mão e
colori-lo por dentro.
•• Quantas pessoas no mundo se parecem
exatamente com você? (Saliente que •• Peça à criança para escrever sobre
Deus criou a criança de uma maneira a impressão ou em torno dela “Sou
única e especial. Diga-lhe que tudo que único(a)”.
vem das mãos de Deus é bom e bonito – •• Incentive a criança a escrever, em cada
inclusive a criança.) dedo da mão, as coisas de que gosta
•• Como é sua aparência? Você pode se em si mesma.
descrever? •• Meça a criança e escreva o resultado
•• Do que você gosta em si mesmo(a)? no papel, com a data.
O que é especial? •• Peça à criança para colar uma mecha
de seu cabelo no papel.

Ilustrações: Amy Levene/Wingfinger

Julie Hefti estudou recreação terapêutica e trabalhou com crianças colocadas em famílias de acolhimento. Ela também trabalhou no Quênia,
com meninas maasai traumatizadas, na Suíça, com usuários de drogas, e na Jordânia, em uma pré-escola para crianças refugiadas sírias.
E-mail: ps9213@googlemail.com

16 PASSO A PASSO 101


IDEIA 3: MUDAR A LEMBRANÇA
Esta atividade pode ajudar as crianças a lidar acontece que os tira do perigo. Talvez outra
com as coisas assustadoras que aconteceram pessoa ou animal apareça na história e,
em sua vida. assim, seu medo desaparece. (Um exemplo
da Bíblia é a história de Jesus acalmando a
Simplesmente permitir que as crianças tempestade quando os discípulos estavam
desenhem ou pintem o que quiserem e com medo.)
mostrar interesse no que elas criarem irá
ajudá-las a expressar seus pensamentos Volte para o desenho que a criança fez da
e sentimentos. Faça perguntas como: situação em que sentia medo. Pergunte‑lhe
“Conte‑me sobre seu desenho”, “Quem está o que a ajudou nessa situação e como
nele?” e “O que eles estão fazendo?”. Se isso seu medo foi embora. Se a criança não
revelar que a criança está com medo, você conseguir pensar em nada que a tenha
pode usar a seguinte atividade. ajudado, incentive-a a imaginar alguma coisa
perguntando: “O que o(a) teria ajudado?”
Conte à criança uma história sobre pessoas Peça à criança para acrescentar essa pessoa
ou animais que tinham muito medo de ou coisa que a ajudou ao desenho para
alguma coisa. Em meio a essa situação, algo mudar a lembrança.

Godfrey Turyatemba e Susan M. Otai

REINTEGRAÇÃO DE CRIANÇAS
EM SUAS FAMÍLIAS
Reintegração significa ajudar as crianças •• Plano de assistência: O plano de Estes incluem os agentes de saúde,
a retornarem para suas famílias e assistência deve incluir informações assistentes sociais e líderes comunitários
comunidades. sobre as necessidades da criança e como e religiosos.
a reintegração será realizada. Ele também
Tanto as crianças quanto as famílias traz informações sobre o prazo, a pessoa Depois que tudo isso foi feito, a criança
precisam de um apoio cuidadoso antes responsável, os custos envolvidos e as pode ser instalada na família. Depois
de poderem ser reintegradas. O processo etapas para concluir a reinstalação. É que a criança é colocada na família, um
exato que elas seguirão dependerá importante ajudar a criança a se preparar assistente social deve visitá-la dentro de
da sua situação única. É importante emocionalmente para a reintegração. sete dias para ver como ela e a família
não apressar o processo. No caso de estão indo. Um assistente social deve
crianças que passaram algum tempo na O trabalho com a família inclui: visitar a família regularmente até que a
rua ou em uma instituição, o processo criança esteja totalmente instalada. As
geralmente leva pelo menos seis meses. •• Localização de familiares: Os visitas geralmente ocorrem uma vez por
assistentes de apoio localizam a família mês durante os primeiros três meses e,
A criança segue este processo: biológica da criança ou encontram uma depois, uma vez a cada três meses, por
família de acolhimento. Eles visitam a até um ano, dependendo da situação
•• Resgate: A criança pode ser família e conversam sobre a criança. da família. A organização deve manter
encaminhada por hospitais, assistentes contato com a criança mesmo depois
sociais ou pela polícia. Às vezes são •• Levantamento e preparação: Os que ela tiver deixado o programa.
encontrados bebês em latas de lixo ou assistentes sociais fazem um levantamento
nas sarjetas. para ver se a família é capaz de cuidar da
criança sem colocá-la em risco.
•• Reabilitação: Os assistentes sociais A CRANE é uma rede de organizações cristãs
devem fazer um levantamento inicial •• Visitas à família: A criança visita a de Uganda e parceira da Viva. Eles trabalham
sobre a criança. Este levantamento família e começa a formar um vínculo para inspirar mudanças duradouras na vida
mostra como ela está em termos antes de ir morar permanentemente das crianças através da ação coletiva.
físicos, mentais, emocionais, médicos, com ela.
psicológicos e intelectuais. As Site: www.cranenetwork.org
necessidades imediatas são identificadas •• Construção de redes de apoio: São E-mail: administrator@cranenetwork.org
e tratadas antes de a criança ser organizadas visitas para vincular a família
reinstalada de volta na família. com os serviços de apoio da comunidade.

PASSO A PASSO 101 17


QUANDO
“FAMÍLIA DE
ACOLHIMENTO” É
UM NOVO TERMO Participantes de Honduras, Panamá, Costa Rica e República Dominicana
concluindo um curso de treinamento da Casa Viva. Foto: Casa Viva

A Casa Viva é a única organização que Após oito meses, a primeira criança foi DIVULGAÇÃO DA MENSAGEM
implementa ativamente o trabalho com colocada em uma família da igreja local.
famílias de acolhimento na Costa Rica. Desde então, mais de 400 crianças foram Mudar a mentalidade das pessoas pode ser
Trabalhando através da igreja local, eles recebidas por famílias de acolhimento através um grande desafio. A Casa Viva agora oferece
incentivam as famílias a oferecer um lar às do trabalho da Casa Viva. O departamento treinamento para igrejas, organizações
crianças necessitadas. de proteção infantil do governo agora e governos de outros países da América
encaminha crianças regularmente a eles. Latina. Philip e Jill respondem a pedidos de
Philip e Jill Aspegren começaram a Casa informações sobre seus cursos de treinamento,
Viva em 2003. Antes disso, eles dirigiram ESTRATÉGIAS os quais estão disponíveis em inglês e espanhol.
um centro de acolhimento infantil na
República Dominicana durante seis anos. A Casa Viva sempre começa organizando
Embora adorassem seu trabalho, eles uma colocação numa família de
queriam saber se havia alguma alternativa acolhimento de curta duração. Isso atende IDEIAS SOBRE COMO
melhor para o acolhimento residencial. às necessidades imediatas da criança, USAR ESTE ARTIGO
Em 2003, a organização Viva convidou os enquanto se busca uma solução de longo
Aspegrens para investigar essa questão na prazo. A primeira opção da Casa Viva é •• Em grupo, discutam se as famílias
América Central. sempre reintegrar as crianças em suas de acolhimento são comuns na região
famílias biológicas, com o apoio adequado. onde vocês moram. As pessoas da sua igreja
Philip e Jill escolheram a Costa Rica como sua Mas quando isso não é possível ou seguro, ou comunidade considerariam a possibilidade
sede. Quando começaram, o termo “família eles procuram uma colocação permanente de oferecer acolhimento a órfãos e crianças
de acolhimento” nem sequer era usado na através da adoção. Se nenhuma família vulneráveis? Em caso afirmativo, com quem
Costa Rica. estiver disposta a adotar, eles organizam vocês precisam estabelecer contato para
uma família de acolhimento de curto ou iniciar o processo?
PRIMEIROS PASSOS longo prazo.

Os Aspegrens começaram construindo A parceria com a igreja local é central no


relacionamentos com o governo local trabalho da Casa Viva. Eles descobriram que Com nossos agradecimentos a Philip e Jill
e nacional. Eles examinaram as leis e as igrejas se inspiram com a ideia bíblica de Aspegren. Este artigo foi compilado usando
políticas da Costa Rica para ver o que mostrar hospitalidade aos necessitados. As Replicable models for transition to family-
teriam permissão para fazer. A seguir, igrejas são responsáveis pelo recrutamento de based care (Modelos replicáveis de transição
eles começaram a compartilhar sua visão famílias de acolhimento, apoiando‑as depois para o acolhimento familiar) da CAFO.
com as igrejas. A Casa Viva contratou da colocação das crianças. Os profissionais Consulte www.cafo.org/resource/replicable-
profissionais, como assistentes sociais, e da Casa Viva realizam levantamentos para models-for-transition-to-family-based-care
desenvolveu um currículo de treinamento garantir que a colocação seja adequada e
para igrejas e famílias. ajudam a preparar e acompanhar a família. Site: www.casaviva.org
E-mail: cafecito@casaviva.org

ESTUDO DE CASO “UMA FAMÍLIA PARA MIM?”

Quando a mãe e a avó de Rosa* morreram, Um assistente social do governo deu a brincando com sua nova
não havia mais ninguém para cuidar dela. notícia a Rosa. A princípio, ela ficou tão “irmã” e expressando seus
Assim, ela foi levada para um orfanato do surpresa que não conseguia falar. Por fim, sentimentos através da arte.
governo, onde parecia que passaria o resto ela disse: “Uma família para mim? Para
de sua infância. mim, quando já estou tão velha?”. Crianças Naquela noite, quando Stefano e Marielos
de onze anos de idade em sua situação foram para a cama, encontraram o trabalho
Um ano depois, um casal chamado Stefano têm pouca chance de, algum dia, viver com de arte de Rosa (acima) enfiado debaixo dos
e Marielos ouviu a história de Rosa. Eles uma família. lençóis. Ela havia desenhado uma árvore
tinham sido treinados pela Casa Viva e genealógica, dando-se a si mesma um lugar
estavam dispostos a lhe oferecer um lar por No primeiro dia de Rosa com sua nova na nova família. Ela pertencia à família.
longo prazo. família, ela encontrou uma caixa de
*Os nomes foram mudados.
materiais artísticos. Ela passou algum tempo

18 PASSO A PASSO 101


TODOS NÓS
FAZEMOS PARTE DA
FAMÍLIA DE DEUS
Algumas crianças têm uma grande Você conhece alguma criança que possa estar se sentindo
família. Algumas têm uma família sozinha? Como você poderia ajudá-la a se sentir melhor?
pequena. Algumas crianças são órfãs. Escreva suas ideias abaixo.
Isso significa que sua mãe ou seu pai
morreu ou não cuida mais delas. Algumas
crianças estão esperando por uma família
para lhes dar um lar.
No entanto, a Bíblia diz que Deus quer
adotar a todos nós como seus filhos
especiais! Isso significa que nunca
precisamos nos sentir sozinhos. Podemos
sempre falar com Deus sobre qualquer
coisa que estivermos pensando e sentindo.
S J P E S R K I B N Á A
Você consegue encontrar estas
O G C X Q J F G I G M G
palavras ocultas no tabuleiro? I D I F E R E N T E S M
As palavras podem estar escritas de
cima para baixo, de baixo para cima, de
R S Y I N S R O D E U K
trás para frente, de frente para trás ou
diagonalmente.
Á S O D A Z I R O L A V
Não queremos que os órfãos se T G U R D A O A P L T S
sintam…
SOLITÁRIOS
I M K L U N X D I R O I
IGNORADOS
TRISTES DIFERENTES L I R W T G J O I Q S A
AMEDRONTADOS
O G C A Á B E S A R B M
Queremos que os órfãos se sintam…
AMADOS VALORIZADOS
S C D X J C T S T W X R
FELIZES NORMAIS L O D K S E Z I L E F O
SEGUROS
S L U K S A M A D O S N

DESAFIO DE MEMÓRIA SOBRE VERSÍCULO BÍBLICO!


Você consegue aprender este versículo bíblico de cor?
“E lhes serei Pai, e vocês serão meus filhos e minhas filhas, diz o Senhor
todo-poderoso.” (2 Coríntios 6:18)

PASSO A PASSO 101 19


Jude Collins

EM DEFESA DOS
DIREITOS DOS ÓRFÃOS
LIÇÕES DA ÁSIA CENTRAL
O colapso da União Soviética, em 1991, acesso a habitação, emprego, assistência fortes relações com o governo local e
causou o colapso familiar generalizado nos médica ou apoio jurídico e não poderão nacional. Sua perseverança foi finalmente
Estados da Ásia Central. Como resultado, um votar quando forem mais velhas. Muitas se recompensada. Em 2016, eles foram
grande número de crianças foram colocadas envolvem no crime ou na prostituição ou convidados a ajudar a desenvolver algumas
em orfanatos. acabam vivendo nas ruas. novas leis para proteger os direitos das
crianças que saem dos orfanatos.
Um amigo da Ásia Central explica: “Em uma UMA VOZ PARA OS QUE NÃO TÊM VOZ
semana, as pessoas perderam tudo. Fábricas INCENTIVO AO ACOLHIMENTO
fecharam, e não havia dinheiro para pagar A Genesis* foi a primeira organização nos FAMILIAR
salários. Muitos homens realmente tiveram Estados da Ásia Central a se concentrar
dificuldade para lidar com a situação. nas questões que esses jovens enfrentam. Outra organização, a Transform*, dirige um
Eles começaram a beber e usar drogas. As Trabalhando em estreita colaboração com centro de crise para crianças vulneráveis.
mulheres, de repente, tiveram que assumir as igrejas locais, eles ajudam os jovens a Este centro oferece acolhimento temporário
a responsabilidade pelo sustento de suas fazer parte da sociedade novamente. Eles para crianças antes que elas voltem para
famílias, e muitas foram para a Rússia em oferecem aconselhamento, treinamento, casa ou sejam colocadas em uma família de
busca de trabalho. As crianças ficaram com orientação profissional e apoio jurídico. acolhimento. Quando a Transform começou
parentes, vizinhos ou até estranhos. Muitas Também oferecem centros de transição até a fazer isso, as famílias de acolhimento
acabaram desabrigadas ou em orfanatos. os jovens encontrarem um lugar permanente. eram uma ideia nova nos Estados da Ásia
Agora, milhares de crianças vivem em Central. Muitas pessoas questionaram
orfanatos ou nas ruas. Porém, a Genesis não queria tratar apenas o que a Transform estava fazendo. Mas
os sintomas do problema e, assim, eles a organização tinha uma visão clara: ela
Quando completam de 16 anos, as crianças decidiram fazer lobby junto ao governo e queria que toda a criança que não pudesse
têm que deixar os orfanatos. No entanto, elas defender os direitos desses jovens (veja o viver com sua família biológica encontrasse
frequentemente não possuem habilidades quadro ao lado). um novo lugar em uma família de
essenciais para a vida e não têm para onde acolhimento. Eles sabiam que seu governo
ir. Isso as torna vulneráveis à exploração, A princípio, o governo desconfiou e havia assinado a Convenção das Nações
ao tráfico e aos vícios. Algumas não têm recusou‑se a ouvi-los. Mas ao longo de Unidas sobre os Direitos da Criança (veja a
documentos de identidade, assim, não têm seis anos, a Genesis fez lobby e criou página 3), o que tornava mais provável que
ele apoiasse uma nova lei nacional.

Muitas famílias nos Estados Centrais da Ásia vivem em condições muito básicas. A conquista foi alcançada quando um
Foto: Alice Keen/Tearfund assistente social colocou a Transform em
contato com o ministério do governo
nacional responsável pelas crianças e
famílias. A Transform, então, criou uma
rede com outras organizações interessadas
no acolhimento familiar. Juntas, elas
fizeram lobby junto ao ministério até
que fosse aprovada uma lei nacional que
regulamentasse tudo que tivesse a ver com
o acolhimento familiar.

Agora eles estão colocando a lei em prática,


garantindo que sempre seja encontrado um
lar adequado para as crianças de sua cidade.
Todas as famílias de acolhimento recebem
treinamento, apoio contínuo e um subsídio
financeiro por criança.

20 PASSO A PASSO 101


MANEIRAS CRIATIVAS DE FAZER LOBBY JUNTO AOS
TOMADORES DE DECISÃO
O que é lobby? Dramatização de papéis criativa: •• Os jovens desempenharam o papel de
um exemplo funcionários locais (da área médica, de
O lobby pode ser entendido como habitação, de empregos, etc.).
“contato direto com os tomadores Os funcionários da Genesis* foram
de decisão”. Seu principal objetivo é convidados a apresentar seu caso aos •• Os ministros falaram com os
influenciar os tomadores de decisão membros do parlamento. Assim, eles “funcionários locais” e seu acesso foi
para que façam mudanças nas leis, levaram consigo alguns jovens dos “negado” à maioria dos bens e serviços
políticas e práticas. centros de transição. Juntos, eles criaram que haviam solicitado, pois seus
esta dramatização de papéis muito personagens tinham fichas criminais ou
O lobby pode incluir: eficaz: não tinham dinheiro, instrução, carteiras
•• Escrever uma carta. de identidade, etc.
•• Cada ministro do governo recebeu
•• Dar um telefonema. um cartão. Cada cartão trazia escrita No final da dramatização de papéis,
•• Organizar uma visita ou reunião. uma situação típica que um jovem pode os ministros ficaram profundamente
enfrentar depois de sair de um orfanato. comovidos e formaram um grupo
•• Realizar uma visita ou uma reunião.
de trabalho para examinar mais
•• Providenciar o encontro de um •• Os ministros foram convidados a atentamente o problema.
tomador de decisão com uma desempenhar o papel desses jovens em
comunidade afetada pelo problema. uma dramatização de papéis.

Como resultado, nos últimos dez anos, PRINCIPAIS LIÇÕES APRENDIDAS o desenvolvimento de leis sobre crianças
nem uma única criança da cidade teve de vulneráveis tanto no âmbito local quanto
ir para um orfanato. Aplique os princípios bíblicos. A Genesis no nacional e podem ajudar a garantir que
e a Transform são motivadas pelo essas leis sejam postas em prática.
EM DEFESA DAS FAMÍLIAS princípio bíblico “Aprendam a fazer o
bem! Busquem a justiça, acabem com a
Juntamente com as igrejas locais, a opressão. Lutem pelos direitos do órfão,
Transform também trabalha com defendam a causa da viúva” (Isaías 1:17). IDEIAS SOBRE COMO
famílias vulneráveis para tentar, antes Seu desejo de compartilhar o amor de UTILIZAR ESTE ARTIGO
de tudo, evitar a ruptura familiar. Eles Deus com as pessoas mais vulneráveis
oferecem aconselhamento e treinamento motiva-as a continuar, mesmo em face à •• Em grupo, discutam as políticas que seus
profissionalizante, tornando as famílias oposição. tomadores de decisão locais e nacionais
mais estáveis. têm sobre a assistência aos órfãos. Vocês
Envolva a igreja local. Isso aumenta concordam com elas?
A defesa e promoção de direitos no âmbito muito o impacto que as pequenas
local é uma parte importante do trabalho organizações podem causar. Nos •• Vocês poderiam usar alguma das ideias
da Transform com as famílias. Eles as Estados da Ásia Central, muitas famílias deste artigo para fazer lobby junto aos
ajudam a recuperar documentos perdidos, cristãs acolhem crianças vulneráveis. tomadores de decisão sobre os direitos dos
como carteiras de identidade e títulos de Os membros das igrejas ensinam às órfãos?
imóveis. Eles também escrevem cartas às crianças dos centros de transição novas
autoridades locais em nome de crianças a habilidades, como cozinhar e costurar.
quem foi negado acesso à educação. Este Eles também oferecem apoio pastoral
problema pode surgir quando as crianças e aconselhamento. Os advogados Visite www.tearfund.org/advocacy_toolkit
não têm documentos de identidade da igreja oferecem seu tempo e seus para obter recursos gratuitos de defesa e
adequados, ensino pré-escolar, roupas ou conhecimentos gratuitamente para ajudar promoção de direitos.
sapatos, ou devido ao preconceito contra a recuperar os documentos de identidade
as famílias pobres. Às vezes, essas cartas e fazer lobby pelos direitos das crianças. Jude Collins é a Coordenadora de Informações
obtêm resultados, e as autoridades locais de Projetos da Tearfund. Ela possui experiência
asseguram que as escolas aceitem essas Persevere! Levou muitos anos para que prévia em desenvolvimento comunitário no
crianças vulneráveis. a Genesis e a Transform convencessem Nepal e Honduras.
o governo e outras organizações de que
As organizações governamentais agora havia um problema e também de que E-mail: jude.collins@tearfund.org
cooperam com a Transform quando ficam eles estavam falando sério sobre fazer
sabendo de crianças vulneráveis. Eles parte da solução. No final, entretanto, seu *Os nomes foram mudados.
consideram a Transform profissional e de trabalho árduo e integridade alcançaram
confiança. resultados. Elas agora podem influenciar

PASSO A PASSO 101 21


R E C U R SOS  LIVROS • SITES • M AT E R I A I S D E T R E I N A M E N TO

EDIÇÕES ANTERIORES DA ORPHAN CALLING


PASSO A PASSO (APELO PELOS ÓRFÃOS)
•• PASSO A PASSO 98: HIV Jessica Johnson SITES ÚTEIS
•• PASSO A PASSO 72: Vida familiar Um recurso on-line que examina a
•• PASSO A PASSO 55: Famílias sob pressão assistência aos órfãos de um ponto de vista
bíblico e prático. Este pequeno livro examina Estes sites estão disponíveis apenas
•• PASSO A PASSO 38: Participação de em inglês, salvo indicação em
crianças tópicos como “O que a Bíblia diz?” e “Se não
forem orfanatos, então o quê?”. Disponível contrário.
•• PASSO A PASSO 28: Crianças de rua apenas em inglês. Você pode procurar
este livro on-line usando qualquer bom www.kinnected.org.au
Visite tilz.tearfund.org/footsteps para baixar Recursos úteis para fortalecer as
mecanismo de pesquisa.
uma cópia gratuita ou entre em contato famílias e ajudar a transição dos
conosco para encomendar exemplares orfanatos. Consulte a página de
impressos. “Resources” (recursos) deles para
obter uma lista de perguntas
frequentes e o pacote de
informações do Kinnected.
FROM FAITH TO ACTION
(DA FÉ À AÇÃO) www.worldwithoutorphans.org
Segunda edição Um movimento cristão que trabalha
em prol do acolhimento familiar.
Uma introdução ao acolhimento familiar O site contém informações, notícias,
e comunitário para órfãos e crianças recursos e vídeos.
vulneráveis. Este livro destaca as principais
estratégias para ajudar as crianças a perma­ www.faithtoaction.org
necerem em famílias. Disponível apenas em DIRETRIZES PARA A A iniciativa Faith to Action ajuda os
inglês. Para baixar uma cópia gratuita, visite REINTEGRAÇÃO DE CRIANÇAS cristãos a responder às necessidades
www.faithtoaction.org/resources. dos órfãos e das crianças vulneráveis.
Diretrizes detalhadas sobre como ajudar Seu site contém relatórios de
as crianças a se reintegrarem em suas pesquisa, estudos bíblicos, histórias
famílias e comunidades. Visite e muito mais.
www.familyforeverychild.org/report/
guidelines-childrens-reintegration para www.bettercarenetwork.org
baixar uma cópia. Disponível em português, A Better Care Network é um grupo
inglês, francês, espanhol, árabe e russo. de organizações que apoia crianças
que não possuem os cuidados
familiares adequados. Os recursos
incluem um kit de ferramentas para
CHILDREN, ORPHANAGES profissionais. Disponível em inglês,
AND FAMILIES (CRIANÇAS, com seções em francês e espanhol.
ORFANATOS E FAMÍLIAS)
Publicado pela Faith to Action www.cafo.org
HOME: A CAMBODIAN A Christian Alliance for Orphans
Initiative
STORY (LAR: UMA HISTÓRIA (CAFO) inspira e prepara os cristãos
CAMBOJANA) para cuidarem de órfãos e crianças
Uma visão geral da pesquisa sobre
Andy Gray e Sao Sreymao o acolhimento de órfãos e crianças vulneráveis.
vulneráveis, com exemplos de países
Uma história comovente, contada em específicos. Baixe uma cópia gratuita em www.childreninemergencies.org
forma de história quadrinhos, da jornada www.faithtoaction.org/resources em Um kit de ferramentas para
de uma criança para casa depois de viver inglês, francês ou espanhol. ajudar crianças em situações de
em um orfanato. Apenas em inglês. Visite emergência.
www.worldwithoutorphans.org/search e
digite “Home” para baixar uma cópia.

WWW.TEARFUND.ORG/TILZ
As publicações internacionais da Tearfund podem ser baixadas gratuitamente em
nosso site. Pesquise qualquer tópico para ajudá-lo em seu trabalho.
PASSO A PASSO
ISSN 1353 9868
A Passo a Passo é uma publicação que aproxima
pessoas envolvidas na área de saúde e
desenvolvimento em todo o mundo. A revista é

C O M U N I D ADE N OT Í C I A S • O P I N I Õ E S • C A RTA S uma maneira de encorajar os cristãos de todas


as nações em seu trabalho conjunto na busca de
plenitude em suas comunidades.
A Passo a Passo é gratuita para os agentes de
desenvolvimento de base e líderes de igrejas.
As pessoas que puderem pagar podem fazer uma
assinatura entrando em contato com a Editora.
Isto permite que continuemos fornecendo
exemplares gratuitos às pessoas que mais precisam.
Os leitores são convidados a contribuir com suas
COMBATE AO ESTIGMA opiniões, artigos, cartas e fotografias.
A Passo a Passo também está disponível em inglês,
CONTRA AS CRIANÇAS com o título de Footsteps, em francês, com o título
de Pas à Pas, e em espanhol, com o título de Paso a
Paso. A revista também está disponível em hindi.
A Passo a Passo 86, sobre o estigma, causou
Editora: Zoe Burden
um grande impacto em meu povoado.
Tearfund, 100 Church Road, Teddington,
Tínhamos crianças surdas, mudas, mancas TW11 8QE, Reino Unido
e soropositivas, bem como duas meninas Tel: +44 20 8977 9144
AJUDA PARA OS ÓRFÃOS jovens que quase foram estupradas. As Fax: +44 20 8943 3594
SOCIAIS E-mail: publications@tearfund.org
pessoas zombavam dessas crianças, e elas Site: www.tearfund.org/tilz
não podiam ir à escola e brincar com seus Editora de Línguas Estrangeiras: Helen Machin
Ficamos felizes em saber que vocês estão amigos. Até os pais trancavam-nas em casa, Nossos agradecimentos especiais a Markus
produzindo uma edição da Passo a Passo sobre com medo de passarem vergonha. Köker e à Tearfund Irlanda. A Tearfund Irlanda
generosamente forneceu orientações técnicas e
a assistência aos órfãos. Há muitos “órfãos apoio financeiro para esta edição.
sociais” nas Filipinas, que são negligenciados Visitei essas crianças com a ajuda de comitês Comitê Editorial: Barbara Almond, Mike Clifford,
ou abandonados por seus pais. Alguns são de chefes de povoados. Conversamos com Jude Collins, Steve Collins, Paul Dean, Helen Gaw,
seus pais e guardiões sobre como Jesus Alice Keen, Ted Lankester, Melissa Lawson, Liu Liu,
vítimas da pobreza extrema, catástrofes Roland Lubett, Ildephonse Nzabahimana, Amos
naturais ou conflitos armados. Às vezes, as amava as crianças, os mancos, os cegos Oumounabidji, Naomi Sosa, Shannon Thomson,
crianças com quem trabalhamos acabam e todas as pessoas. Depois de dois meses Rebecca Weaver-Boyes, Joy Wright
convencendo-os, eles permitiram que seus Design: Wingfinger Graphics, Leeds
nas ruas, apesar de todos os nossos esforços.
Ilustrações: Salvo indicação em contrário, as
Isso é desanimador e frustrante. Nossos filhos começassem a se misturar com os ilustrações são de Petra Röhr-Rouendaal, Where
assistentes comunitários choram durante as amigos. Tivemos também uma conversa there is no artist (segunda edição)
orações no escritório por estas crianças. com os amigos dessas crianças e pedimos- As citações bíblicas foram retiradas da Bíblia
Sagrada, Nova Versão Internacional®, NVI®
lhes para se imaginarem no lugar delas e © Copyright Biblica, Inc.® 1993, 2000, 2011.
Com o alto risco de desastres nas Filipinas, como se sentiriam. Começamos, então, Usado com permissão. Todos os direitos
mais crianças correm o risco de se tornarem uma escola comunitária do povoado e um reservados mundialmente.
Impresso em papel 100 por cento reciclado
órfãs sociais. Esperamos que a Tearfund clube desportivo. Depois de ouvir sobre o certificado pelo FSC, através de processos que não
possa fornecer ferramentas concretas para amor, as pessoas mudaram sua atitude e prejudicam o meio ambiente.
abordar esta questão de forma sustentável. comportamento em relação aos órfãos e Tradução: B Clark, I Deane-Williams, P Gáñez,
E Gusmão, M Machado, W de Mattos Jr, M
crianças deficientes e vulneráveis. Sariego, S Tharp
LINGAP (TEAR NETHERLANDS PARTNER)
Assinatura: Escreva para o endereço ou e-mail
SAMSON, ZÂMBIA acima fornecendo algumas informações sobre o seu
trabalho e dizendo que idioma prefere (português,
francês, inglês ou espanhol). Alternativamente, siga
as instruções abaixo para assinar a e-Passo a Passo
e assinale para receber exemplares impressos.
e-Passo a Passo: Para receber a Passo a Passo por
PROBLEMA COMPLICADO comunidade real e na sociedade em geral. e-mail, registre-se no site TILZ (acima). Siga o link
Isso afeta as crianças quando elas deixam o “Cadastre-se para receber a revista Passo a Passo”.
Pergunta: “Se um orfanato for administrado orfanato. Os orfanatos cuidam de um grande Mudança de endereço: Quando informar uma
mudança de endereço, favor fornecer o número
como se fosse uma família, ele ainda pode número de crianças ao longo dos anos. Eles de referência que se encontra na sua etiqueta de
causar dificuldades para as crianças?” não podem atuar como pais de todas essas endereço.
crianças, em todas as fases da sua vida. Direitos autorais © Tearfund 2017. Todos os
direitos reservados. É permitida a reprodução do
Resposta: Alguns orfanatos procuram texto da Passo a Passo para fins de treinamento,
oferecer cuidados “familiares”. Eles podem Os efeitos negativos de crescer em uma contanto que os materiais sejam distribuídos
cuidar de apenas um pequeno número de instituição podem ser reduzidos através de gratuitamente, e que seja dado crédito à Tearfund.
Para qualquer outra utilização, favor entrar em
crianças. Ou eles podem colocar as crianças ambientes semelhantes ao de uma família, contato com publications@tearfund.org para
em “grupos familiares”, onde elas ficam sob os mas não necessariamente eliminados. obter permissão por escrito.
cuidados de um cuidador em lares menores, Portanto, embora o acolhimento residencial As opiniões e os pontos de vista expressos nas
cartas e artigos não refletem necessariamente
dentro de um complexo. Embora esse tipo de semelhante à família seja melhor do que o os pontos de vista da Editora ou da Tearfund. As
orfanato seja muito melhor do que as grandes acolhimento institucional de grande porte, informações técnicas fornecidas na Passo a Passo
esta ainda não é a melhor opção, se for são verificadas o mais meticulosamente possível,
instituições, ele ainda não substitui uma porém não podemos aceitar a responsabilidade
família no seu verdadeiro sentido. possível encontrar acolhimento familiar ou caso haja algum problema.
comunitário adequado. A Tearfund é uma agência cristã de
Mesmo os pequenos orfanatos semelhantes desenvolvimento e assistência em situações de
desastres que está formando uma rede mundial de
a famílias têm mudanças de funcionários Resposta adaptada do documento de perguntas igrejas locais para ajudar a erradicar a pobreza.
e regras e rotinas mais fixas do que uma frequentes do programa Kinnected, da ACCI. Publicado pela Tearfund, uma companhia limitada
família. Os orfanatos que se organizam por garantia, registrada na Inglaterra sob o
como pequenos lares em um complexo Entre em contato conosco se tiver algum nº 994339.
problema complicado e quiser que a Instituição Beneficente nº 265464
ainda assim criam sua própria comunidade. (Inglaterra e País de Gales)
Eles não colocam uma criança em uma comunidade da Passo a Passo o ajude . Instituição Beneficente nº SC037624 (Escócia)

Escreva para: The Editor, Footsteps, 100 Church Road, Teddington, TW11 8QE, Reino Unido
publications@tearfund.org  www.facebook.com/tearfundlearn  www.twitter.com/tearfundlearn
PASSO A PASSO 101 23
NENHUMA CRIANÇA
DEIXADA PARA TRÁS
As crianças com deficiência estão entre •• Na China, a família e a comunidade são
aquelas em maior risco de serem colocadas muito importantes. Até recentemente, o
em orfanatos. Muitos pais não sabem como governo chinês tinha uma política de um só
lidar com uma criança com deficiência, filho, o que significava que muitos casais só
Xiao Long nasceu com lábio leporino e foi abandonado
e frequentemente há muito pouco apoio tinham permissão para ter um filho biológico por seus pais biológicos. Porém, através do apoio da
comunitário disponível. A Care for Children está (embora houvesse exceções). Porém, os pais Care for Children, ele agora tem uma nova família de
acolhimento, que o ama e incentiva.
mudando esta realidade para as crianças com querem cuidar de mais crianças. Foto: Care for Children
deficiência na China, com resultados incríveis.
•• Muitas das famílias de acolhimento são
Em 1998, o governo chinês pediu ao fundador cristãs, e sua fé motiva-as a mostrar amor pelos
da Care for Children, Robert Glover, que iniciasse necessitados. Depois que as crianças passam do orfanato
um projeto experimental que tirasse as crianças para famílias, a Care for Children ajuda a
dos orfanatos e as colocasse em famílias. Em •• O governo chinês ajudou a espalhar a instituição a se transformar em um centro
parceria com a Tearfund, Robert mudou-se com mensagem sobre o acolhimento familiar. de apoio comunitário. Estes centros podem
sua família para Xangai. Nessa época, não havia Eles honram as famílias que receberam uma incluir programas de apoio a crianças com
sequer um termo para “famílias de acolhimento” criança, colocando uma placa do lado de fora necessidades especiais, tais como serviços de
na língua oficial da China, mandarim (semelhante de suas casas. fisioterapia. A Care for Children retreina os
à história da Casa Viva, na página 18). No funcionários do orfanato para se tornarem
entanto, dentro de três anos, 500 crianças ACOLHIMENTO FAMILIAR PARA assistentes de apoio familiar, cada um deles
haviam sido colocadas em famílias locais. CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA trabalhando com 20 famílias. Isso torna muito
mais fácil para as famílias de acolhimento
Dezoito anos mais tarde, a Care for Children A Care for Children ajuda a encontrar novas cuidar de uma criança com deficiência.
havia ajudado 300.000 crianças a se mudarem famílias tanto para crianças não deficientes
para lares familiares amorosos. A organização quanto para crianças com deficiência. Muitas
agora também está trabalhando na Tailândia e, pessoas presumem que seja muito difícil
em 2017, começará no Vietnã e na Malásia. Sua encontrar famílias de acolhimento para crianças Com nossos agradecimentos a Robert Glover.
visão é tirar 1 milhão de crianças de instituições com deficiência. Porém, na experiência da Care Para assistir a um vídeo do trabalho da Care for
e colocá-las em famílias. for Children, muitas famílias na China e Tailândia Children, visite http://youtu.be/r5Q-AmcrHag
têm prazer em acolher crianças com deficiência.
Robert diz que há várias razões pelas quais as Isso se deve, em parte, ao modelo da Care for Site: www.careforchildren.com
pessoas querem muito oferecer um acolhimento Children e ao apoio específico que a organização E-mail: info@careforchildren.com
de longo prazo em suas famílias na China: presta às famílias de crianças com deficiência.

ESTUDO DE CASO UM POVOADO NOTÁVEL PERTO DE KUNMING

Yang Jia é um pequeno povoado nas às crianças. Elas amam as crianças e apoiam-se eles. As alegrias superam os desafios.” Com
montanhas perto de Kunming, na China. mutuamente.” o amor e os cuidados de suas novas famílias,
Ele pode parecer um povoado normal, mas as crianças começam a se desenvolver e sorrir
fez algo notável. Cinquenta e três famílias A Care for Children primeiro passou algum novamente.
desta comunidade receberam 166 crianças tempo no orfanato de Kunming, treinando
de um orfanato próximo. Mais de 90 por os pais e preparando as crianças. Depois que “Nós realmente amamos estas crianças”,
cento dessas crianças têm graves deficiências as crianças foram colocadas em suas novas acrescenta uma mãe de acolhimento. “Nós as
mentais ou físicas. famílias, os assistentes treinados pela Care for amamos como se fossem nossos próprios filhos,
Children ofereceram monitoramento e apoio e elas nos amam como se fôssemos seus pais.”
“Este é um projeto muito especial”, diz Sun contínuos.
Yuan Jie, Gestor de Projetos na China da Care Os pais em Yang Jia dizem que seu momento
for Children. “As pessoas aqui dão seu coração “Claro que há desafios”, diz um pai de mais feliz nos últimos dez anos foi quando
acolhimento de Yang Jia. “Mas lidamos com ouviram as crianças começarem a chamá-los de
“mãe” e “pai” pela primeira vez.

Publicado pela: Tearfund, 100 Church Road, Teddington, TW11 8QE, Reino Unido
www.tearfund.org/tilz
publications@tearfund.org
www.twitter.com/tearfundlearn
XXXXXXX
www.facebook.com/tearfundlearn

Instituição Beneficente nº 265464 (Inglaterra e País de Gales)  Instituição Beneficente nº SC037624 (Escócia) 31730-P (0517)