Sei sulla pagina 1di 20

ADMINISTRAÇÃO DE FÁRMACOS POR SONDA NASOGÁSTRICA

Ana Maria Bento Serrumbia

Endereço para Correspondência:


Drª. Ana Maria Bento Serrumbia
R. da Bolama, Lote 322, R/C
Cruz de Pau, 2845-071 Amora
INTRODUÇÃO
A sonda nasogástrica é um tubo estreito que é introduzido pelo nariz através do esófago até ao
estômago. Utiliza-se para a aspiração ou drenagem de sucos digestivos do estômago, quando a
passagem para o duodeno está impedida, quando o intestino não funciona adequadamente ou para
fornecer nutrição entérica (N.E.) a doentes que não conseguem comer.
Nos hospitais, é frequente um elevado número de doentes requererem a administração de
medicamentos por via nasogástrica. No entanto, os fármacos nem sempre estão disponíveis na
forma líquida e, consequentemente, recorre-se à trituração de formas sólidas.
A trituração de formas sólidas antes da sua administração pode apresentar vários
inconvenientes, principalmente quando isso implica uma alteração da fármacocinética e acção
farmacológica do medicamento.
Os medicamentos formulados para administração por via oral sofrem diferentes processos de
biotransformação:
- Libertação;
- Absorção;
- Distribuição;
- Metabolização;
- Excreção.
Ao modificar as formas farmacêuticas, (F.F.), sólidas orais de certos medicamentos podem
produzir–se alterações em qualquer um dos processos anteriores, podendo ser alterada a acção
inicial ou incrementar o risco de efeitos secundários ou o potencial de toxicidade.

OBJECTIVOS
Pretende-se com este trabalho:
- Fazer um estudo das interacções do fármaco em doentes com sonda nasogástrica;
- Descrever os principais mecanismos a tipos de interacções, fazendo-se referência à algumas atitudes a
tomar para minimizar a interacção fármaco/nutriente;
- Elaborar um guia de fármacos cuja F.F. não deve ser alterada; suas alternativas, formulas líquidas
comercializadas ou formulas líquidas extemporâneas que podem ser preparadas nos serviços
farmacêuticos a as recomendações nos casos em que as alternativas não existam.

TERAPÊUTICA ORAL A NUTRIÇÃO ENTÉRICA: ASPECTOS GALÉNICOS E


FARMACODINÂMIA

As diferentes formas medicamentosas administradas por via oral: aspectos galénicos


As formas líquidas:
- Xaropes;
- Poções;
- Emulsões e Suspensões;
- Ampolas bebíveis;
- Gotas bebíveis;
As formas sólidas:
- Comprimidos:
- revestidos;
- não revestidos;
- efervescentes;
- utilizados dentro da cavidade bocal;
- sublinguais;
- pastilhas;
- gastroresistentes;
- multicapsulados;
- de libertação modificada;
- matrizes;
- sistemas osmóticos orais (oros);
- Cápsulas:
- de envelope duro;
- de envelope mole;
- gastroresistentes;
- de libertação modificada;
A administração de terapêutica sólida oral por sonda nasogástrica não se deve realizar com a
abertura de cápsulas ou pulverização dos comprimidos (anexo 1). A formulação galénica dos
medicamentos pode-nos orientar para a possibilidade de abrir a cápsula ou de pulverizar um
comprimido. Contudo, outros tipos de interacções podem surgir pela administração de terapêutica pela
sonda de N.E.

AS DIFERENTES INCOMPATIBILIDADES RESULTANTES DA ADMINISTRAÇÃO DE


MEDICAMENTOS POR SONDA: ASPECTOS FARMACODINÂMICOS
Qualquer que seja o esquema de administração, (medicamentação dada em separado da N.E. ou em
simultâneo), torna-se necessário efectuar estudos para cada terapêutica, a fim de melhor identificar as
modificações da biodisponibilidade do princípio activo.
Seguidamente, passa-se a enumerar as diferentes modificações sofridas pelo medicamento quando
administrado por sonda.
Interacção fármaco-nutrientes
A interacção da N.E. com medicamentos pode tornar-se um problema muito sério, caso não sejam
tomadas certas precauções. Assim, deve prestar-se atenção ao seguinte:
- Quando a administração do medicamento com alimentos é contra-indicada no respectivo folheto
informativo, o mesmo não deve ser administrado com N.E.;
- Os medicamentos, ao serem misturados com alimentos, podem alterar a biodisponibilidade de certos
nutrientes ou o paladar de dietas orais. Podem também ocorrer intolerâncias gastrointestinais;
- O efeito terapêutico de certos medicamentos depende do rápido alcance dos altos níveis séricos. Se
forem combinados com dietas, interacções químicas com a mistura podem reduzir a quantidade
esperada do medicamento no plasma. Além disso, se a dieta for dada lentamente, a administração
concomitante do medicamento é prolongada: - demora mais tempo a atingir o pico sérico.

Interacção fármaco/sonda
Na administração de fármacos por sonda, o medicamento pode aderir à parede da sonda. Neste caso, a
quantidade de substância activa que atinge o estômago é superior à que atinge o compartimento sanguíneo, mas
inferior à dose administrada, podendo ser subterapêutica, a dose que atinge o compartimento sanguíneo.
As partículas que aderem à parede da sonda podem reagir com a N.E. e ocasionar a obstrução da sonda.
É comum os materiais não serem quimicamente inertes. Podem existir interacções entre os medicamentos
e as fibras de silicone ou PVC, razão pela qual a perfusão de certos fármacos não pode ser efectuada em balões
constituídos por estes materiais.

Interacção fármaco/fármaco
Quando vários fármacos têm que ser administrados por sonda de N.E., ou se administram os diferentes
medicamentos separadamente, ou faz-se um bólus único. Esta situação deve ser evitada, uma vez que podem
ocorrer interacções medicamento/medicamento. Logo, os medicamentos devem ser administrados
separadamente, e seguidos de 5 ml de água entre cada um deles.

Modificação da farmacocinética a da biodisponibilidade dos medicamentos após a


abertura da cápsula ou da pulverização de comprimidos
A quantidade de princípio activo a cada nível depende, a cada instante, da dinâmica das operações de
dissolução, absorção, distribuição dentro do organismo e eliminação É correspondente à farmacocinética,
que é representada pela concentração sanguínea em função do tempo (figura 1).
Figura 1. Representação da farmacocinética do medicamento

A biodisponibilidade corresponde à quantidade relativa de princípio activo, absorvido a partir da forma


farmacêutica que atinge a circulação sanguínea e, a rapidez a que este fenómeno é produzido. É apreciado
quantitativamente pela curva da figura 1, sendo esta considerada como referência.
A modificação da biodisponibilidade de um medicamento conduz a alterações que se podem expressar
em:
- Aparecimento do efeito terapêutico;
- A duração do efeito terapêutico;
- A intensidade do efeito terapêutico.
Um atraso no aparecimento do efeito, por exemplo, é dado por medicamentos administrados
habitualmente em dose única e, nestes, o aparecimento rápido da acção é procurado (ex.: analgésicos). Por outro
lado, em medicamentos administrados de forma crónica, (como é o caso dos hipertensores), o aparecimento
retardado do efeito é importante para a obtenção de níveis de equilíbrio.

Um certo número de factores influenciam a biodisponibilidade das formas farmacêuticas orais:


- Factores físico-químicos;
- superfície das partículas a serem degradadas;
- grau de compressão;
- hidro ou liposolubilidade do princípio activo;
- Factores fisiológicos;
- velocidade de esvaziamento do estômago;
- duração do trânsito intestinal;
- equilíbrio electrolítico
Os factores físico-químicos intervêm, sobretudo, na etapa de dissolução do medicamento dentro do trato
digestivo. A abertura da cápsula ou a trituração do comprimido modifica, portanto, os factores físico-químicos,
representados nas figuras 2 e 3: Não se efectua a etapa de dissolução da capa ou do revestimento do
comprimido e, a superfície de contacto princípio activo/suco gástrico é muito importante. Portanto, na
administração de fármacos por sonda nasogástrica, os factores físico-químicos são modificados, o que leva à
modificação de biodisponibilidade e terapêutica. É evidente a constatação da não equivalência terapêutica entre
formas medicamentosas contendo doses idênticas de princípio activo, (ex.: Metoclopramida), representadas pela
figura 4.
Cápsula

Cápsula

Penetração Penetração
Cápsula Cápsula Conteúdo disperso
parcialmente

Dissolução
Dissolução
Dissolução

Princípio

Absorção

Princípio activo no
sangue
Figura 2. Principais estádios de libertação do princípio activo a partir de uma cápsula (adaptado de
Doelker e Coll).
desintegração desagregação

Comprimido Grânulos
[FIGURA 3]
Partículas

dissolução dissolução dissolução

Princípio activo em solução

absorção

Princípio activo no sangue e nos


tecidos
Figura 3 - Sequência dos processos de desagregação, dissolução e absorção dos comprimidos (adaptado
de Wagner).
90 80

80 70

70 60
60
50

Conc. mg/ml

Conc. mg/ml
50
40
40
30
30

20 20

10 10

0 0
0 5 10 15 0 5 10 15
Horas Horas

80
70

70
60
60
50
50
Conc. mg/ml

Conc. mg/ml
40 40

30
30

20
20
10
10
0
0 5 10 15
0
Horas
0 5 10 15
Horas

Figura 4. Concentrações plasmáticas de metoclopramida em função do tempo após a administração da


droga.

PROTOCOLO DE ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS NOS PACIENTES COM


SONDA NASOGÁSTRICA (SUGESTÕES PARA MINIMIZAR A INTERACÇÃO
FÁRMACO/NUTRIENTE)

Para diminuir a probabilidade da interacção da N.E. com medicamentos em doentes sondados,


deve-se proceder do seguinte modo:
- Lavar a sonda com cerca de 50 ml de água morna, antes e depois da medicação;
- Se o paciente é capaz de tomar medicamentos por via oral, utilize-se essa via;
- As F.F. líquidas orais são as mais adequadas para a administração por sonda e procura-se
obter sempre formulações líquidas. Se estas não se encontram no mercado deve-se
consultar o farmacêutico sobre a possibilidade de preparar soluções extemporâneas em soro
fisiológico: solução de glucose a 5%, solução de Ringer, etc. 1 Nota: se o tubo digestivo está
intacto mas a deglutição é impossível, a via rectal é uma alternativa (exemplo: Diclofenac - a
escolha da via oral ou rectal é determinada pela comodidade de administração do produto);
- Sempre que possível, evitar juntar medicamentos com a N.E.. Se se o juntar, deve-se
observar a preparação com cuidado, para detectar eventuais precipitações, formação de
creme ou floculação. A medicação deve ser adicionada com cuidado, enquanto se agita a
mistura vigorosamente;
- Antes de pulverizar os comprimidos ou abrir as cápsulas, consulte a tabela constante do
anexo 2, sendo esta um guia de procedimentos na administração de medicamentos por
sonda nasogástrica;
- Cada medicamento deve ser administrado separadamente. Lavar a sonda com pelo menos 5
ml de água entre cada administração;
- Fármacos hipertónicos ou irritantes da mucosa gástrica devem ser diluídos com, pelo
menos, 30 ml de água, para evitar diarreia ou irritação gástrica. Grandes volumes devem
ser administrados de forma repartida;
- Evitar preparações oleosas. Quando se incorporarem preparações não aquosas, misturá-las
pouco a pouco, com agitação forte;
- O uso de medicamentos na forma injectável para substituição da via oral deve ser
considerada, pois em muitos casos obtêm-se resultados muito semelhantes;
- Em caso de dúvida consulte o farmacêutico.

CONCLUSÃO
A administração de uma terapêutica oral por sonda nasogástrica modifica a biodisponibilidade do
medicamento e um certo número de interacções poderão daí advir. É necessário conhecer e respeitar
cada terapêutica e o seu modo de administração.

Existem formas farmacêuticas sólidas orais que não devem, de forma alguma, ser trituradas. São
as que possuem:
- Revestimento gástrico e/ou entérico;
- Libertação controlada;
- Administração sublingual;
- Revestimento por mau sabor ou fármaco agressivo;
- Fármaco lábil à luz ou humidade;
- Potencial carcinogénico;
- Comprimidos efervescentes;
- Cápsulas gelatinosas moles com líquido no interior.

Para minimizar o efeito da administração por sonda deve-se:


- Sempre que possível, usar medicamentos líquidos ou pouco viscosos (atenção aos xaropes que na
sua composição tenham sorbitol e/ou sacarose, visto poderem agravar as diarreias associadas à
N.E.);
- Lavar de imediato a sonda após a administração da terapêutica;
- Cada medicamento deve ser administrado separadamente;
- Evitar preparações farmacêuticas oleosas;
- Uso de medicamentos na forma injectável para substituição da oral pode ser considerada, sendo
necessário obter mais informação nesse sentido

BIBLIOGRAFIA
1. Magalhães A, Almeida T. Nutrição entérica, interacção fármaco/nutriente.
Farmácia Portuguesa 1997; 107: 43-7
2. Hidalgo FJ et al. Guia de Admistracion de fármacos por sonda nasogástrica.
Farmácia Hospitalar 1995; 19: 251-8
3. Thomas JA. Drug nutrients interactions. Nutrition Reviews, 53: 271-82
4. Commun N et al. Nutrition entérale et médicaments. La Farmacie Hospitaliere
Francaise 1992; 102: 1947-54
5. Mitchell JF. Oral solide dosage forms that should not be crushed: 1996 revision.
Hospital Farmacie 1996, 21 27-37
6. Atbib A et al. Nutrition enterale par sonde: administration de medicaments
solides destinés à la voie orale. Farmacie Hospitaliere Francaise, 1996, 118, 187-96
7. Estivil Pallejà ME et al. Administración de fármacos por sonda nasogastrica:
formas farmaceuticas orales que no deberían ser trituradas antes de su
administración. Farm. Clin. 1988; 5, 324-38
ANEXO 1. Classificação das formas medicamentosas orais a administração por sonda
nasogástrica.

Formas medicamentosas orais e


administração por sonda entérica
Problema Sem problema
Formas Líquidas X
Comprimidos não revestidos X
Comprimidos revestidos:
- Para mascarar o sabor ou odor do P.A. X
- Para proteger o P.A. da luz ou de X
condições atmosféricas
- Para prevenir certas incompatibilidades X
Comprimidos especiais:
- Comprimidos efervescentes X
- Pastilhas X
- Sublinguais X
- Com revestimento gastro-resistente X
- Comprimidos duplos X
- Comprimidos de libertação modificada X
Cápsulas:
- Com envelope duro X
- Com envelope mole X
- Gastro-resistentes X
- Com libertação modificada X
Pós ou grânulos X
Micro grânulos X
Micro-cápsulas X
Matrizes X
Sistema OROS X
PA: Princípio activo
ANEXO 2. GUIA DE ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR SONDA
NASOGÁSTRICA

Fármaco Nome Comercial Forma Procedimento


Farmacológica

Acenocumarol Sintrom® Comprimido Não há alternativa. Não triturar*


Acetazolamida Lediamox® Comprimido Suspensão extemporânea,
Concentração 25 mg/mL

Aciclovir Zovirax© Comprimido Suspensão comercial (Zovirax©),


Concentração 80 mg/mL
Albendazol Zentel© Comprimido Pode-se triturar e misturar na
alimentação. Alternativa suspensão
comercial concentração 100mg/5ml.*
Alopurinol Zyloric© Comprimido Suspensão extemporânea,
Concentração 5 mg/mL a 10 mg/mL
Amiloride + Amiloride 5 + Comprimido Pode-se triturar. Administrar
Hidroclorotiazida Hidroclorotiazida Imediatamente*
Ratiopharm®

Amiodarona Miodrone® Comprimido Não há alternativa. Não triturar*


Amitriptilina Tryptizol® Comprimido Não há alternativa. Não triturar*
revestido
Amoxicilina Clamoxil® Cápsulas Suspensão comercia (Clamoxil®),
Concentração 25 mg/mL
Amoxicilina + Augmentin® Cápsulas Suspensão comercial, Concentração
Ácido Clavolamico 312,5 mg /5 ml

Atenolol Tenormin® Comprimido Não triturar *


Betametazona Celestone Comprimido Solução comercial em gotas,
(Celestone®). Concentração 0,5
mg/mL
Biperideno Akinoton® Comprimido Pode-se triturar. Administrar
imediatamente *
Bromazepam Bromalex© Comprimido Pode-se triturar. Administrar
imediatamente *
Buflomedil Loftyl© Comprimido Não triturar. Alternativa Loftyl®inj.
Concentração 50 mg/5ml
Buprenorfina Buprex® Comprimido Não triturar. Dissolvê-lo debaixo da
sublingual língua
Butilescopolamina Buscopan® Comprimido Pode-se triturar. Administrar
revestido imediatamente *. Alternativa: via rectal
(Buscopan® supositórios)

Cálcio, sais + Calcium Sandoz Comprimido Dissolver em água


vitamina C + Vit. C® efervescente
Cálcio, sais Calcium Sandoz Comprimido Dissolver em água
Forte efervescente
Calcitriol Rocaltrol Cápsulas Não há alternativa. Não triturar*
gelatinosas
Captopril Capoten® Comprimido Suspensão extemporânea,
Concentração 1 mg/mL
Carbamazepina Tegretol Comprimido Suspensão extemporânea
revestido Concentração 40 mg/mL
Cimetidina Tagamet® Comprimido Não triturar. Alternativa Tagamet
saquetas com pó doseadas a
400mg.
Ciprofloxacina Carmicina Comprimido Pode-se triturar. Administrar
imediatamente*
Cisapride Prepulside® Comprimido Suspensão comercial (Prepulside)
Concentração 1 mg/mL
Clindamicina Dalacin® Cápsulas Não há alternativa. Não abrir a cápsual
Clomipramina Anafranil® Comprimido Pode-se triturar. Administrar
revestido imediatamente*
Clonazepam Rivotril® Comprimido Solução comercial em gotas
(Rivotril®) Concentração 2,5 mg/mL
Clorambucilo Leukeran® Comprimido Suspensão extemporânea, Conc 2
mg/mL **
Cotrimoxazol Septrin® Comprimido Suspensão comercial (Septrin)
pediátrico). Concentração 40 - 8
mg/mL
Dantroleno Dantrium® Cápsulas Suspensão extemporânea,
Concentração 5 mg/mL
Dexametazona Decadron® Comprimido Pode-se triturar. Administrar
imediatamente*
Diazepan Valium® Comprimido Solução comercial em gotas, com 2
mg/mL
Diclofenac Voltaren® Comprimido Pode-se triturar mas perde-se o efeito
entérico protector da mucosa gástrica
Didanozina Videx® Comprimido Misturar ou dissolver em água
Digoxina Lanoxin® Comprimido Preparado comercial em gotas
(Lanacordin®) Concentração 0,25
mg/5 mL

Diltiazem Herbersser® Comprimido Suspensão extemporânea,


Concentração 1 mg/mL
Doxiciclina Vibracina® Cápsula Suspensão comercial (Vibracina®)
Concentração LO mg/mL
Enalapril Renitec® Comprimido Pode-se triturar. Administrar
imediatamente*
Enzimas Kreon Cápsulas com Não triturar. Abrir a cápsula e
pancreáticas microsferas administrar imediatamente.*
entéricas

Espironalactona Aldactone® Comprimido Suspensão extemporânea


concentração 1 mg/mL
Etambutol Turresis® Cápsula Pode-se triturar. Administrar
imediatamente*
Fenitoína Hidantina Comprimido Suspensão extemporânea,
concentração 20 mg/mL
Fenobarbital Luminal® e Comprimido Pode-se triturar. Administrar
Luminaletas® imediatamente*
Ferro, sulfato Ferro Gradumet Comprimidos de Preparado comercial em gotas
libertação (Glutaferro) Concentração 170
retardada mg/mL 3,5 mL ~ 1 comprimido

Fluconasol Diflucan® Cápsulas Suspensão comercial (Diflucan®)


Concentração 40 -10 mg/mL
Flucitocina Ancotil® Comprimido Suspensão extemporânea,
Concentração 10 mg/mL **
Flurazepam Morfex® Cápsulas Abrir a cápsula. Administrar
imediatamente*
Fólico, Ácido Folicil Comprimido Solução extemporânea, Concentração
1 mg/mL
Folinato cálcico Lederfoline® Comprimido Pode-se triturar. Administrar
Imediatamente*

Furosemida Lasix Comprimido Suspensão extemporânea


Concentração 8 mg/mL e 2 mg/mL
Glibenclamida Daonil Comprimido Pode-se triturar. Administrar
imediatamente.*
Hidralazina Apresolina Comprimido Suspensão extemporânea,
Concentração 2 mg/mL e 20 mg/mL
Hidroxizina Atarax Comprimido Solução comercial (Atarax),
Concentração 2 mg/mL
Hidroxiureia Hydrea Cápsulas Abrir a cápsula, dissolver em água e
administrar imediatamente.***
Indometacina Indocid Cápsulas Solução extemporânea, Concentração
2 mg/mL
Isossorbido, Isoket Comprimido Pode-se triturar. Administrar
dinitrato imediatamente.*
Isossorbido, Isoket Retard Comprimido de Não triturar. Administrar Isoket.
dinitrato libertação
retardada
Isossorbido, Monoket Comprimido Pode-se triturar. Administrar
mononitrato Imediatamente.*
Isossorbido, Monoket Retard Comprimido de Não triturar. Administrar Monoket
mononitrato libertação
retardada
Itraconazol Sporanox Cápsulas com Suspensão extemporânea,
revestimento Concentração 40 mg/mL
entérico
Loperamida Imodium Cápsulas Solução oral, (Imodium)
Concentração 0,2 mg/mL
Lorazepam Lorenim® Comprimido Pode-se triturar. Administrar
imediatamente*
Maprotilina Ludiomil® Comprimido Pode-se triturar. Administrar
imediatamente*
Mebendazol Pantelmin® Comprimido Suspensão oral (Pantelmin)
Conc 20 mg/mL
Metamizol Nolotil® Cápsulas As ampolas de Nolotil® podem-se
administrar através da sonda *
Metilprednisolona Medrol Comprimido Pode-se triturar. Administrar
imediatamente*
Metoclopramida Primperan® Comprimido Solução oral (Primperan),
Concentração 1 e 2,6 mg/mL
Metoprolol Lopresor® Comprimidos Pode-se triturar. Administrar
imediatamente*
Metotrexato Metotrexato® Tabletes Pode-se triturar. Administrar
imediatamente**
Metronidazol Flagyl Comprimido Pode-se triturar. Administrar
imediatamente*
Midazolam Dormicum® Comprimido Solução extemporânea, Concentração
2,5 mg/mL
Morfina MST® Comprimido de Não triturar. Alternativa: solução
libertação extemporânea de morfina
retardada Concentração l - 5 mg/mL.***

Nifedipina Adalat® Cápsulas Não triturar. Dissolver debaixo da


gelatinosas Língua
sublinguais

Norfloxacina Noroxin® Comprimido Pode-se triturar. Administrar


imediatamente*
Omeprazol Omezolam® Cápsulas com Não triturar. Abrir a cápsula e
microesferas administrar imediatamente.*
entéricas
Ondansetron Zofran® Comprimido Pode-se triturar. Administrar
revestido imediatamente *. Administrar as
ampolas por sonda.*

Paracetamol Ben-u-ron® Comprimido Preparado comercial em xarope (Ben-


u-ron). 1 colher medida = 200mg de
paracetamol.

Penicilamina Kelatine® Cápsulas Suspensão extemporânea,


Concentração 50 mg/mL
Pirazinamina Piraside® Comprimido Pode-se triturar. Administrar
imediatamente*
Pirimetamina Pirimetamina Lab. Cápsulas Suspensão extemporânea,
Militar® Concentração 2 mg/mL
Propanolol Inderal Comprimido Suspensão extemporânea,
Concentração 1 mg/mL
Ranitidina Gastritina® Comprimido Suspensão extemporânea,
revestido Concentração 15 mg/mL
Sulfasalazina Salazopirina EN Comprimido Suspensão extemporânea
revestido Concentração 50 mg/mL

Salbutamol Ventilan® Comprimido Xarope (Ventilan)


Concentração 2 mg/5 ml
Sulfadiazina Labdiazina® Comprimido Pode-se triturar. Administrar
imediatamente*
Teofilina Teovent® Cápsulas de Não triturar. Abrir a cápsula e
libertação administrar o conteúdo por sonda.
retardada Alternativa: solução de aminofilina
Concentração 20 mg/mL1, 00 mg
aminofilina ~ 81,8 mg de teofilina.
Ticlopidina Tiklyd® Comprimido Pode-se triturar, mas aumenta a
revestido incidência de efeitos gastrointestinais
adversos.

Tramadol Tramal® Cápsulas Abrir a cápsula a administrar


imediatamente Alternativa: solução
oral em gotas Concentração100
mg/mL.
Valproato de sódio Depakine® Chrono Comprimido Solução comercial (DepaKine)
revestido
Concentração 200 mg/mL
Vitamina Becozyme Forte® Cápsulas Preparado comercial (Becozyme®)
complexo B

Zalcitabina Hivid® Comprimidos Pode-se triturar. Administrar


imediatamente*
Zidovudina Retrovir® Cápsulas Suspensão comercial (Retrovir©)
Concentração 10 mg/mL
* informação oral do laboratório
** medicamento citostático, seguir as normas gerais de manipulação de citostáticos
* * * perde-se a libertação retardada