Sei sulla pagina 1di 17

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ – UTP

Psicologia, 2º Semestre, turma B


Ana Paula Campanelli Moreira

Psicologia Corporal (Reich) – 1º Bimestre


Professor Cairu Vieira Corrêa

14.08.19

Definição da Abordagem e Percurso Histórico de Wilhelm Reich


Psicologia Corporal:

 1998: Termo “Psicologia Corporal” - José Henrique Volpi e Sandra Mara Volpi - lançamento do primeiro
volume da Coleção da Revista Psicologia Corporal.
 União de todas as diferentes escolas psicorporais.
 Definição: Abordagem psicológica com ênfase no equilíbrio do ser humano em sua totalidade. Para isto,
intervêm:
 Objetivo Geral: Resgatar a capacidade da pessoa em regular seu patrimônio energético, seus pensamentos
e emoções (VOLPI & VOLPI, 2003), a partir dos seus próprios recursos.
 Clínica da expressividade:
o Racionalização:
 Perceber, expressar (canalizar) e organizar os pensamentos, emoções e sensações.
 Possibilitar o fluxo e descarga energética.

Mapa Corporal

Wilhelm Reich (1897-1957) – Histórico:


 Nasceu em 24 de março de 1897, numa aldeia da Galícia, Dobrzynica, que, então, fazia parte do antigo
império austro-húngaro.
 Graduou-se em medicina.
 Aluno e colaborador de Freud.
 Atuou como psicanalista.
(ALBERTINI, 2011)
 Reich, nos anos 20 já sentia a necessidade de “encurtar o caminho” para se chegar aos conflitos neuróticos
do paciente. E foi o manejo da técnica da análise das resistências que o encaminhou para a descoberta da
Análise do Caráter, favorecendo o insight e, consequentemente, reduzindo o tempo de análise.
 Três momentos:
o Análise do Caráter.
o Vegetoterapia Caracteroanalítica.
o Orgonoterapia.
 Análise do Caráter:
o Estabelece contato direto com o paciente, deixando de utilizar o divã.
o Valoriza a forma como o paciente expressa o seu conflito e não somente focaliza no seu sintoma.
o Elabora teoricamente os tipos de caráter.
(VOLPI & VOLPI, 2003)
o Percebe que o corpo contém registros da história de vida e emoções correspondentes à mesma.
 Vegetoterapia Caracteroanalítica
o Utiliza a observação como recurso clínico.
(VOLPI & VOLPI, 2003)
o Utilização da leitura corporal: gestos, expressões faciais, posturas, etc.
o Manipulação do corpo do paciente por meio de toques em diferentes áreas.
o Investigação das sensações e das lembranças do paciente.

Setembro/2019
UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ – UTP

Psicologia, 2º Semestre, turma B


Ana Paula Campanelli Moreira

o Promoção de ab-reações emocionais (conteúdos reprimidos).


(VOLPI & VOLPI, 2003; 2010)
o Elabora o conceito de couraça muscular.
o Foco na flexibilização das couraças (tensões) musculares.
o Integração entre aquilo que o paciente pensa, sente e expressa.
(VOLPI & VOLPI, 2003; 2010)
 Orgonomia
o Descoberta da Energia Orgone: Energia que circula no corpo humano e está presente no cosmos,
podendo se mostrar em quantidades e qualidades diferentes - Energia da vida.
o Orgonoterapia: Intervenção focalizada nos aspectos psíquico, corporal e energético do paciente.
o Nomenclatura atual: Análise Reichiana.
(VOLPI & VOLPI, 2003)
 Processos sociais:
o A neurose na:
 Gravidez e nascimento.
 Amamentação e primeiros meses de vida.
 Processo educacional: regras sociais, autonomia, sexualidade, etc.
 Relacionamentos “maduros”.
 Funcionamento da sociedade como um todo: pobreza, guerras, etc.
 Escolas Psicorporais:
o Convergência: Trabalho realizado de forma a integrar corpo, mente e energia.
o Divergências:
 Fundadores.
 Especificidades teóricas.
 Objetivos específicos.
 Metodologia clínica.

Setembro/2019
UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ – UTP

Psicologia, 2º Semestre, turma B


Ana Paula Campanelli Moreira

Alguns Preconceitos...
 Reich enquanto louco;
 Judeu pornográfico;
 Libertinagem sexual;
 Terapia do “toque”;
 Contrassensos ex. terapias alternativas;
 “Neurose” – o medo de estabelecer contato...

Diferencial, inovações...
 Nova perspectiva e atuação frente:
o Visão mecanicista acerca do ser humano.
o Cisão entre corpo e mente.
o A exigência de objetividade e mensuração – ciência moderna.
o Relação com o cliente – diferente da lógica médica.
o Determinismo e reducionismo...

21.08.19

 Aplicação de técnica da abordagem corporal

28.08.19

Análise do Caráter
 Caráter
o Charakter: Sinal gravado (JAPIASSU & MARCONDES, 2006, p 39)
o Conduta típica
o Modo específico de existir
o Características pessoais (REICH, 1998)
o Expressão da história de vida:
 "O mundo total da experiência passada incorpora-se ao presente sob a forma de atitudes de
caráter. O caráter de uma pessoa é a soma total funcional de todas as experiências passadas.”
(REICH, 1975, p.76)
o Expressão do temperamento e da personalidade por meio das atitudes
o Navarro (1995, p. 11) compreende o caráter como "[...] a maneira habitual de agir e reagir de um
indivíduo por intermédio do seu comportamento"
 Caráter Genital
o Caráter maduro
o Ausência de fixações nas etapas do desenvolvimento, couraças crônicas ou biopatias
o Características:
 Auto percepção
 Humilde
 Capacidade de livre entrega ao prazer
 Autossatisfação
o Contato interpessoal
 Satisfatório - age de forma congruente.
 Caráter Neurótico
o Fixação da libido/orgone (REICH, 1998)
o Desintegração: Percepção, movimento e sensação (BOADELLA, 1992)
o Enquanto o caráter genital possui uma homeostase, o neurótico possui uma fragmentação,
incongruência.
Setembro/2019
UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ – UTP

Psicologia, 2º Semestre, turma B


Ana Paula Campanelli Moreira

 Couraça do Caráter - defesa psíquica


o Cristalização do jeito de ser
o Padrões fixos de comportamento
o Registros emocionais
o "A estrutura do caráter do homem moderno, que refleti uma cultura patriarcal e autoritária de seis
mil anos, é tipificada por um encouraçamento do caráter contra a sua própria natureza interior e
contra a miséria social que o rodeia. Essa couraça do caráter é a base do isolamento, da indigência,
do desejo de autoridade, do medo à responsabilidade, do anseio místico, da miséria sexual e da
revolta neuroticamente impotente, assim como de uma condescendência patológica. O homem
alienou-se a si mesmo da vida, e cresceu hostil a ela. Essa alienação não é de origem biológica, mas
sócio-econômica.” (REICH, 1975, p.11)

 Etapas do desenvolvimento emocional e a formação do Caráter (VOLPI & VOLPI, 2008):


o Sustentação;
o Incorporação;
o Produção;
o Identificação;
o Formação do Caráter.

 Ressonância Somática:
o Movimento de sintonizar as reações emocionais.
o Clarear as experiências emocionais vividas em uma relação.
o Aprimoramento do vínculo entre duas pessoas.
o Ausência de resistência ao contato aprofundado.
o Congruência entre o que se sente, o que se percebe e o que se expressa.
(BOADELLA, 1983)

 Sustentação
o Período: Fecundação aos primeiros dias de vida.
o Investimento: Gestação.
o Campo Energético: Fusional.
o Unificação entre mãe e bebê.
o Energia do útero.
o Sentir-se aceito e seguro no corpo da mãe.
o Estresse: Tentativa de aborto, rejeição, abuso de substâncias.
o Repercussão emocional: Núcleo psicótico.
o Características: Falta de foco e de contato.
o Trauma (choque) do nascimento:
 Práticas agressivas e prejudiciais ao acolhimento do bebê no mundo externo ocorridas no
parto:
 Estresse materno;
 Tapa nas costas;
 Brusco afastamento da mãe;
 Baixa temperatura;
 Luzes ofuscantes;
 Barulhos em excesso.

11.09.19

 Repercussões: Influência negativa na capacidade do indivíduo de percepção e incorporação


do mundo externo. (REICH, 1983; BOADELLA,1992)
Setembro/2019
UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ – UTP

Psicologia, 2º Semestre, turma B


Ana Paula Campanelli Moreira

 Incorporação
o Período: Primeiros dias de vida ao desmame (9 meses).
o Investimento: Amamentação.
o Campo Energético: Simbiótico.
o Início da formação do “EU”.
o Energia materna.
o Sentir-se acolhido pela pessoa da mãe.
o Estresse: Desmame precoce ou tardio. Falta de qualidade no contato.
o Traço de caráter: Oral.
o Características: Imaturidade, dependência, afetiva, vazio interior.

 Produção
o Período: Do desmame aos 3/4 anos de idade.
o Investimento: Controle dos esfíncteres, autonomia, criatividade.
o Campo Energético: Familiar.
o Primeiras relações sociais.
o Energia dos membros da família.
o Sentir-se acolhido e pertencendo à família.
o Estresse: 1 - Humilhação e submissão / 2- Moralidade e ênfase em regras.
o Traço de caráter: 1- Masoquista. / 2- Obsessivo Compulsivo.
o Características: 1- Destrutividade, ruminação / 2- Perfeccionismo, ordem exagerada.

 Identificação
o Período: 4 aos 5 anos de idade.
o Investimento: Descoberta dos genitais e das diferenças sexuais.
o Campo Energético: Social.
o Maturidade cognitiva.
o Energia das relações interpessoais.
o Sentir-se acolhido e pertencendo aos grupos de amigos.
o Estresse: 1- Ambivalência na educação sexual; competitividade. / 2- Educação sexual castradora.
o Traço de caráter: 1- Fálico Narcisista. / 2- Histérico.
o Características:
 1- Arrogância, competitividade.
 2- Sedução, manipulação.

 Formação do Caráter
o Período: Início aos cinco anos de vida e se estende durante toda a puberdade, até o início da
adolescência.
o Investimento:
 Reconhecimento da individualidade e desenvolvimento da sexualidade.
 Organização de todas as defesas empregadas ao longo do desenvolvimento (traços de caráter).
o Campos Energéticos: Social e Cósmico.
 Energia da sociedade; natureza; universo; esfera transcendental.
 Sentir-se acolhido e pertencendo aos grupos de amigos, colegas de trabalho e à sociedade como
um todo.
 Sentir-se conectado com a sociedade e com o sentido da própria vida.
o Estresse: X.
o Tipo de caráter: Genital.
o Características: Maduro, autorregulado, equilibrado.

Setembro/2019
UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ – UTP

Psicologia, 2º Semestre, turma B


Ana Paula Campanelli Moreira

o Núcleo Psicótico:
 Características:
 Falta de foco;
 Confusão do pensamento;
 Fantasia;
 Racionalização.
 Contato interpessoal:
 Medo de estabelecer contato;
 Esquiva;
 Inadequação.
 Conflito básico: Contato X Esquiva (fuga da realidade).
 Registros no corpo (couraça):
 Segmento Ocular - Olhos, orelhas, nariz, pele e sistema nervoso.
 Biopatias:
 Erros de refração da visão (Astigmatismo, miopia, hipermetropia, presbiopia),
 Enxaqueca,
 Rinite,
 Labirintite,
 Psoríase,
 Anorexia,
 Dislexia,
 Epilepsia, etc.
 Aspectos positivos:
 Habilidades acadêmicas – racionalização.
 Habilidades artísticas – Fantasia.
o Oral:
 Características:
 Depressividade;
 Imaturidade/infantilidade;
Setembro/2019
UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ – UTP

Psicologia, 2º Semestre, turma B


Ana Paula Campanelli Moreira

 Dependência afetiva;
 Vazio interior.
 Contato interpessoal:
 Dependente;
 Imaturo;
 Inseguro.
 Conflito básico: Segurança/Satisfação X Depressividade/Raiva.
 Registro no corpo (couraça):
 Segmento Oral - Boca.
 Biopatias:
 Compulsão alimentar,
 Obesidade secundária,
 Bulimia,
 Alcoolismo,
 Tabagismo,
 Bruxismo, etc.
 Aspectos Positivos:
 Habilidades verbais – facilidade em atividades que envolvem comunicação.

o Masoquista:
 Características:
 Destrutividade – boicote;
 Ruminação/Culpa;
 Ansiedade.
 Contato interpessoal:
 Submissão e sadismo;
 Queixoso;
 Tímido.
 Conflito básico: Mobilidade/Relaxamento X Ruminação/Ansiedade.
 Registro no corpo (couraça): Segmento Diafragmático – Diafragma.
 Biopatias:
 Hipo e Hipertireoidismo,
 Tuberculose,
 Ejaculação precoce,
 Sintomas somáticos relacionados à angústia: sensação de constrição do coração,
cardiespasmo, taquicardias, peso no estômago, tensão na bexiga, alterações bruscas da
pressão arterial, crises de transpiração exageradas, diarreias, etc.
 Aspectos Positivos:
 Obediência.
 Prestativo (servil).
 Capacidade de “aguentar” estresses severos.

o Obsessivo Compulsivo:
 Características:
 Perfeccionismo;
 Ordem exagerada;
 Ânsia por “controle”.
 Contato interpessoal:
 Rigidez;
 Formalidade;
 Atitude controladora.
Setembro/2019
UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ – UTP

Psicologia, 2º Semestre, turma B


Ana Paula Campanelli Moreira

 Conflito Básico: Criatividade/Flexibilidade X Perfeccionismo/Compulsividade.


 Registros no corpo (couraça): Segmentos Cervical e Abdominal – Pescoço e abdômen.
 Biopatias:
 Torcicolo,
 Gastrite,
 Constipação,
 Doenças renais,
 Pancreatite, etc.
 Aspectos positivos:
 Capacidade de organização; de perceber detalhes e habilidade em controlar situações –
quando equilibradas podem ser muito favoráveis na vida profissional e pessoal.

o Fálico Narcisista:
 Características:
 Agressividade;
 Ânsia por poder;
 Percebe-se de forma engrandecida.
 Contato interpessoal:
 Arrogância;
 Competitividade;
 Ambivalência.
 Conflito básico: Entrega ao amor X Ambivalência/Performance.
 Registros no corpo (couraça): Segmentos Cervical e Peitoral - Pescoço, tórax.
 Biopatias:
 Torcicolo,
 Doenças cardíacas e pulmonares,
 Ejaculação retardada, etc.
 Aspectos Positivos:
 Liderança.
 Autoconfiança.
 Autoeficácia em situações-problema.

o Histérico:
 Características:
 Pseudo-sexualidade exacerbada.
 Inquietação.
 Contato interpessoal:
 Sedução;
 Necessidade de ser o centro das atenções;
 Manipulação;
 Encenação (teatralidade).
 Conflito básico: Entrega ao prazer X Sedução/Encenação.
 Registros no corpo (couraça): Segmento Pélvico - Pélvis, quadril, genitais, coxas, nádegas.
 Biopatias:
 Compulsão sexual,
 Miomas ovarianos e uterinos,
 Amenorreia,
 Hemorroidas,
 Tosse espasmódica e sensação crônica de sufocamento, etc.
 Aspectos positivos:
 Liderança.
Setembro/2019
UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ – UTP

Psicologia, 2º Semestre, turma B


Ana Paula Campanelli Moreira

 Comunicação.
 Habilidades estéticas: autocuidado, moda, design, etc.
 Caracterialidade:
 Conjunto dos traços caracteriais, relacionado aos diferentes bloqueios nos segmentos
do corpo, com a finalidade de proteção e para manter o equilíbrio psíquico
(NAVARRO, 1995).

Setembro/2019
UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ – UTP

Psicologia, 2º Semestre, turma B


Ana Paula Campanelli Moreira

Temas de Estudo Prova 1º Bimestre – Psicologia Corporal (Reich):

1. Psicologia Corporal – definição da abordagem.


 Definição: Abordagem psicológica com ênfase no equilíbrio do ser humano em sua totalidade. Para isto,
intervêm:
o Psique (emoções, sentimentos, conflitos, etc.);
o Corpo (somatizações, emoções inscritas no corpo, expressividade, etc.);
o Energia (patrimônio, qualidade e circulação energética).

2. Objetivo geral da Psicologia Corporal de acordo com Volpi e Volpi (2003).


 Objetivo Geral: Resgatar a capacidade da pessoa em regular seu patrimônio energético, seus
pensamentos e emoções (VOLPI & VOLPI, 2003), a partir dos seus próprios recursos.
 Clínica da expressividade:
o Racionalização:
 Perceber, expressar (canalizar) e organizar os pensamentos, emoções e sensações.
 Possibilitar o fluxo e descarga energética.

3. Wilhelm Reich – histórico pessoal e atuação profissional inicial.


 Nasceu em 24 de março de 1897, numa aldeia da Galícia, Dobrzynica, que, então, fazia parte do antigo
império austro-húngaro.
 Graduou-se em medicina.
 Aluno e colaborador de Freud.
 Atuou como psicanalista.
(ALBERTINI, 2011)
 Reich, nos anos 20 já sentia a necessidade de “encurtar o caminho” para se chegar aos conflitos
neuróticos do paciente. E foi o manejo da técnica da análise das resistências que o encaminhou para a
descoberta da Análise do Caráter, favorecendo o insight e, consequentemente, reduzindo o tempo de
análise.

4. Os distintos momentos da teoria de Wilhelm Reich – Análise do Caráter,


Vegetoterapia caracteroanalítica e Orgonomia.
 Análise do Caráter:
o Estabelece contato direto com o paciente, deixando de utilizar o divã.
o Valoriza a forma como o paciente expressa o seu conflito e não somente focaliza no seu sintoma.
o Elabora teoricamente os tipos de caráter.
(VOLPI & VOLPI, 2003)
o Percebe que o corpo contém registros da história de vida e emoções correspondentes à mesma.
 Vegetoterapia Caracteroanalítica
o Utiliza a observação como recurso clínico.
(VOLPI & VOLPI, 2003)
o Utilização da leitura corporal: gestos, expressões faciais, posturas, etc.
o Manipulação do corpo do paciente por meio de toques em diferentes áreas.
Setembro/2019
UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ – UTP

Psicologia, 2º Semestre, turma B


Ana Paula Campanelli Moreira

o Investigação das sensações e das lembranças do paciente.


o Promoção de ab-reações emocionais (conteúdos reprimidos).
(VOLPI & VOLPI, 2003; 2010)
o Elabora o conceito de couraça muscular.
o Foco na flexibilização das couraças (tensões) musculares.
o Integração entre aquilo que o paciente pensa, sente e expressa.
(VOLPI & VOLPI, 2003; 2010)
 Orgonomia
o Descoberta da Energia Orgone: Energia que circula no corpo humano e está presente no cosmos,
podendo se mostrar em quantidades e qualidades diferentes - Energia da vida.
o Orgonoterapia: Intervenção focalizada nos aspectos psíquico, corporal e energético do paciente.
o Nomenclatura atual: Análise Reichiana.
(VOLPI & VOLPI, 2003)

5. As especificidades das etapas do desenvolvimento emocional de acordo com a


perspectiva reichiana.
 Etapas do desenvolvimento emocional e a formação do Caráter (VOLPI & VOLPI, 2008):
o Sustentação;
o Incorporação;
o Produção;
o Identificação;
o Formação do Caráter.

 Sustentação
o Período: Fecundação aos primeiros dias de vida.
o Investimento: Gestação.
o Campo Energético: Fusional.
o Unificação entre mãe e bebê.
o Energia do útero.
o Sentir-se aceito e seguro no corpo da mãe.
o Estresse: Tentativa de aborto, rejeição, abuso de substâncias.
o Repercussão emocional: Núcleo psicótico.
o Características: Falta de foco e de contato.
o Trauma (choque) do nascimento:
 Práticas agressivas e prejudiciais ao acolhimento do bebê no mundo externo ocorridas no
parto:
 Estresse materno;
 Tapa nas costas;
 Brusco afastamento da mãe;
 Baixa temperatura;
 Luzes ofuscantes;
 Barulhos em excesso.

Setembro/2019
UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ – UTP

Psicologia, 2º Semestre, turma B


Ana Paula Campanelli Moreira

 Repercussões: Influência negativa na capacidade do indivíduo de percepção e incorporação


do mundo externo. (REICH, 1983; BOADELLA,1992)

 Incorporação
o Período: Primeiros dias de vida ao desmame (9 meses).
o Investimento: Amamentação.
o Campo Energético: Simbiótico.
o Início da formação do “EU”.
o Energia materna.
o Sentir-se acolhido pela pessoa da mãe.
o Estresse: Desmame precoce ou tardio. Falta de qualidade no contato.
o Traço de caráter: Oral.
o Características: Imaturidade, dependência, afetiva, vazio interior.

 Produção
o Período: Do desmame aos 3/4 anos de idade.
o Investimento: Controle dos esfíncteres, autonomia, criatividade.
o Campo Energético: Familiar.
o Primeiras relações sociais.
o Energia dos membros da família.
o Sentir-se acolhido e pertencendo à família.
o Estresse: 1 - Humilhação e submissão / 2- Moralidade e ênfase em regras.
o Traço de caráter: 1- Masoquista. / 2- Obsessivo Compulsivo.
o Características: 1- Destrutividade, ruminação / 2- Perfeccionismo, ordem exagerada.

 Identificação
o Período: 4 aos 5 anos de idade.
o Investimento: Descoberta dos genitais e das diferenças sexuais.
o Campo Energético: Social.
o Maturidade cognitiva.
o Energia das relações interpessoais.
o Sentir-se acolhido e pertencendo aos grupos de amigos.
o Estresse: 1- Ambivalência na educação sexual; competitividade. / 2- Educação sexual castradora.
o Traço de caráter: 1- Fálico Narcisista. / 2- Histérico.
o Características:
 1- Arrogância, competitividade.
 2- Sedução, manipulação.

 Formação do Caráter
o Período: Início aos cinco anos de vida e se estende durante toda a puberdade, até o início da
adolescência.
o Investimento:
 Reconhecimento da individualidade e desenvolvimento da sexualidade.
 Organização de todas as defesas empregadas ao longo do desenvolvimento (traços de caráter).

Setembro/2019
UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ – UTP

Psicologia, 2º Semestre, turma B


Ana Paula Campanelli Moreira

o Campos Energéticos: Social e Cósmico.


 Energia da sociedade; natureza; universo; esfera transcendental.
 Sentir-se acolhido e pertencendo aos grupos de amigos, colegas de trabalho e à sociedade como
um todo.
 Sentir-se conectado com a sociedade e com o sentido da própria vida.
o Estresse: X.
o Tipo de caráter: Genital.
o Características: Maduro, autorregulado, equilibrado.

6. Definição do conceito reichiano de “Caráter”.


 Caráter
o Charakter: Sinal gravado (JAPIASSU & MARCONDES, 2006, p 39)
o Conduta típica
o Modo específico de existir
o Características pessoais (REICH, 1998)
o Expressão da história de vida:
 "O mundo total da experiência passada incorpora-se ao presente sob a forma de atitudes de
caráter. O caráter de uma pessoa é a soma total funcional de todas as experiências passadas.”
(REICH, 1975, p.76)
o Expressão do temperamento e da personalidade por meio das atitudes
o Navarro (1995, p. 11) compreende o caráter como "[...] a maneira habitual de agir e reagir de um
indivíduo por intermédio do seu comportamento"

7. Definição do conceito reichiano de “Couraça do Caráter”.


 Couraça do Caráter - defesa psíquica
o Cristalização do jeito de ser
o Padrões fixos de comportamento
o Registros emocionais
o "A estrutura do caráter do homem moderno, que refleti uma cultura patriarcal e autoritária de
seis mil anos, é tipificada por um encouraçamento do caráter contra a sua própria natureza interior
e contra a miséria social que o rodeia. Essa couraça do caráter é a base do isolamento, da
indigência, do desejo de autoridade, do medo à responsabilidade, do anseio místico, da miséria
sexual e da revolta neuroticamente impotente, assim como de uma condescendência patológica.
O homem alienou-se a si mesmo da vida, e cresceu hostil a ela. Essa alienação não é de origem
biológica, mas sócio-econômica.” (REICH, 1975, p.11)

8. Os aspectos funcionais do Caráter Genital.


 Caráter Genital
o Caráter maduro
o Ausência de fixações nas etapas do desenvolvimento, couraças crônicas ou biopatias
o Características:
 Auto percepção
 Humilde
Setembro/2019
UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ – UTP

Psicologia, 2º Semestre, turma B


Ana Paula Campanelli Moreira

 Capacidade de livre entrega ao prazer


 Autossatisfação
o Contato interpessoal
 Satisfatório - age de forma congruente.

9. As principais características presentes em cada traço de caráter: Núcleo


psicótico, Oral, Masoquista, Obsessivo Compulsivo, Fálico Narcisista, Histérico.
o Núcleo Psicótico:
 Características:
 Falta de foco;
 Confusão do pensamento;
 Fantasia;
 Racionalização.
 Contato interpessoal:
 Medo de estabelecer contato;
 Esquiva;
 Inadequação.
 Conflito básico: Contato X Esquiva (fuga da realidade).
 Registros no corpo (couraça):
 Segmento Ocular - Olhos, orelhas, nariz, pele e sistema nervoso.
 Biopatias:
 Erros de refração da visão (Astigmatismo, miopia, hipermetropia, presbiopia),
 Enxaqueca,
 Rinite,
 Labirintite,
 Psoríase,
 Anorexia,
 Dislexia,
 Epilepsia, etc.
 Aspectos positivos:
 Habilidades acadêmicas – racionalização.
 Habilidades artísticas – Fantasia.
o Oral:
 Características:
 Depressividade;
 Imaturidade/infantilidade;
 Dependência afetiva;
 Vazio interior.
 Contato interpessoal:
 Dependente;
 Imaturo;
 Inseguro.
 Conflito básico: Segurança/Satisfação X Depressividade/Raiva.
 Registro no corpo (couraça):
Setembro/2019
UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ – UTP

Psicologia, 2º Semestre, turma B


Ana Paula Campanelli Moreira

 Segmento Oral - Boca.


 Biopatias:
 Compulsão alimentar,
 Obesidade secundária,
 Bulimia,
 Alcoolismo,
 Tabagismo,
 Bruxismo, etc.
 Aspectos Positivos:
 Habilidades verbais – facilidade em atividades que envolvem comunicação.

o Masoquista:
 Características:
 Destrutividade – boicote;
 Ruminação/Culpa;
 Ansiedade.
 Contato interpessoal:
 Submissão e sadismo;
 Queixoso;
 Tímido.
 Conflito básico: Mobilidade/Relaxamento X Ruminação/Ansiedade.
 Registro no corpo (couraça): Segmento Diafragmático – Diafragma.
 Biopatias:
 Hipo e Hipertireoidismo,
 Tuberculose,
 Ejaculação precoce,
 Sintomas somáticos relacionados à angústia: sensação de constrição do coração,
cardiespasmo, taquicardias, peso no estômago, tensão na bexiga, alterações bruscas da
pressão arterial, crises de transpiração exageradas, diarreias, etc.
 Aspectos Positivos:
 Obediência.
 Prestativo (servil).
 Capacidade de “aguentar” estresses severos.

o Obsessivo Compulsivo:
 Características:
 Perfeccionismo;
 Ordem exagerada;
 Ânsia por “controle”.
 Contato interpessoal:
 Rigidez;
 Formalidade;
 Atitude controladora.
 Conflito Básico: Criatividade/Flexibilidade X Perfeccionismo/Compulsividade.

Setembro/2019
UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ – UTP

Psicologia, 2º Semestre, turma B


Ana Paula Campanelli Moreira

 Registros no corpo (couraça): Segmentos Cervical e Abdominal – Pescoço e abdômen.


 Biopatias:
 Torcicolo,
 Gastrite,
 Constipação,
 Doenças renais,
 Pancreatite, etc.
 Aspectos positivos:
 Capacidade de organização; de perceber detalhes e habilidade em controlar situações –
quando equilibradas podem ser muito favoráveis na vida profissional e pessoal.

o Fálico Narcisista:
 Características:
 Agressividade;
 Ânsia por poder;
 Percebe-se de forma engrandecida.
 Contato interpessoal:
 Arrogância;
 Competitividade;
 Ambivalência.
 Conflito básico: Entrega ao amor X Ambivalência/Performance.
 Registros no corpo (couraça): Segmentos Cervical e Peitoral - Pescoço, tórax.
 Biopatias:
 Torcicolo,
 Doenças cardíacas e pulmonares,
 Ejaculação retardada, etc.
 Aspectos Positivos:
 Liderança.
 Autoconfiança.
 Autoeficácia em situações-problema.

o Histérico:
 Características:
 Pseudo-sexualidade exacerbada.
 Inquietação.
 Contato interpessoal:
 Sedução;
 Necessidade de ser o centro das atenções;
 Manipulação;
 Encenação (teatralidade).
 Conflito básico: Entrega ao prazer X Sedução/Encenação.
 Registros no corpo (couraça): Segmento Pélvico - Pélvis, quadril, genitais, coxas, nádegas.
 Biopatias:
 Compulsão sexual,

Setembro/2019
UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ – UTP

Psicologia, 2º Semestre, turma B


Ana Paula Campanelli Moreira

 Miomas ovarianos e uterinos,


 Amenorreia,
 Hemorroidas,
 Tosse espasmódica e sensação crônica de sufocamento, etc.
 Aspectos positivos:
 Liderança.
 Comunicação.
 Habilidades estéticas: autocuidado, moda, design, etc.

10.O significado de “Caracterialidade”.


 Conjunto dos traços caracteriais, relacionado aos diferentes bloqueios nos segmentos do corpo, com a
finalidade de proteção e para manter o equilíbrio psíquico (NAVARRO, 1995).

Setembro/2019