Sei sulla pagina 1di 72

ENTOMOLOGIA

GERAL – LEA 322

Insetos detritívoros

Ordem Coleoptera

Prof. Marcoandre Savaris


savaris@usp.br
21 outubro 2019
Roteiro da aula

Insetos detritívoros

Ordem Coleoptera

❖ Relação com os demais representantes de Insecta;

❖ Aspectos morfológicos;

❖ Aspectos biológicos;

❖ Classificação de Coleoptera.
Classificação dos seres vivos

• Produzem o seu próprio alimento


Autótrofos • Fotossintetizantes
• Quimiossintetizantes
(produtores) Ex. plantas, algas, bactérias...

• Não produzem o seu próprio alimento


• Herbívoros
• Carnívoros
Heterótrofos • Onívoros
(Consumidores) • Detritívoros
• Decompositores
Ex. animais, fungos, bactérias, protozoários
Cadeias alimentares
Produtores

Consumidores
primários

Consumidores
secundários...

Detritívoros

Decompositores
Heterótrofos – subdivisões
➔ Consumidores primários: alimentam-se diretamente dos
produtores (herbívoros e onívoros);

➔ Consumidores secundários, terciários... alimentam-se de


outros consumidores (predadores e onívoros);

➔ Detritívoros: alimentam-se de tecidos orgânicos mortos;

➔ Decompositores: alimentam-se de tecidos orgânicos


mortos, no entanto, liberam matéria inorgânica pelo consumo
de matéria orgânica, que são reutilizadas pelos produtores.
Insetos na cadeia alimentar
➔ Consumidores

✓ Herbívoros;
✓ Onívoros;
✓ Carnívoros;
✓ Detritívoros.

❖ Interações benéficas
Homem
❖ Interações maléficas
Insetos detritívoros
➔ Interações benéficas
✓ Auxiliam na reciclagem de nutrientes;
✓ Decompõem ½ da biomassa animal florestas
tropicais;

✓ 99% dos resíduos de humanos e outros animais;

✓ US$ 3 trilhões/ano.
Insetos detritívoros
➔ Interações maléficas
✓ Pragas de interesse agrícola, florestal e médico-
veterinário;
✓ Causam danos diretos e indiretos.

broca-da-mangueira broca-do-bambu
Insetos detritívoros
➔ Principais ordens
✓ Diptera (moscas);

✓ Coleoptera (besouros);

✓ Blattaria (baratas e cupins);

✓ Hymenoptera (formigas, vespas e parasitoides).

Xilófagos
➔ Insetos detritívoros Coprófagos

Necrófagos
Insetos detritívoros
➔ Xilófagos
✓ Alimentam-se de madeira/celulose
• Ordens Blattaria e Coleoptera

➔ Coprófagos
✓ Alimentam-se de fezes
• Ordens Coleoptera e Diptera

➔ Necrófagos
✓ Alimentam-se de cadáveres
• Ordens Coleoptera, Diptera e Hymenoptera
Insetos detritívoros
➔ Xilófagos
✓ Ordem: Blattaria – cupins

Os insetos contém protozoários vivendo em simbiose no


intestino capazes de produzir celulase para digestão do
tecidos vegetais.
Insetos detritívoros
➔ Xilófagos
✓ Ordem: Coleoptera – besouros

Os insetos transportam fungos que infectam a madeira


(tecido vivo ou morto) promovendo a digestão prévia
externa da madeira que servem como alimento para o
inseto.

Gnathotrichus materiarius (Fitch) Platypus cylindrus (Fabricius, 1792)


Coleoptera: Curculionidae: Scolytinae Coleoptera: Platypodidae
Insetos detritívoros
➔ Xilófagos
Famílias: Curculionidae (Scolytinae), Platypodidae e Passalidae

Curculionidae (Scolytinae)

Gnathotrichus materiarius (Fitch)


Insetos detritívoros
➔ Coprófagos
✓ Ordens: Coleoptera, Diptera...
➢ Coleoptera: Scarabaeidae
• Desestruturação e decomposição das fezes no solo;
• Melhoria na fertilidade e estrutura do solo;
• Controle de parasitos dos bovinos.
Insetos detritívoros
➔ Besouro coprófago
➢ Biologia
Insetos detritívoros
➔ Besouro coprófago

Adultos e larvas consomem fezes.

➢ Desestruturação e incorporação das fezes no solo


• Melhoria das condições físicas, químicas e biológicas.

➢ Competição com organismos maléficos


• Consumo das fezes;
• Modificação do ambiente (perda de umidade);
• Disseminação de inimigos naturais.
Insetos detritívoros
➔ Besouro coprófago
Coleoptera: Scarabaeidae

• Espécie introduzida no Brasil para enterrio/incorporação


das fezes bovinas no solo.

Onthophagus gazella (Fabr.)


Insetos detritívoros
➔ Bovinos
• Defecam = 10 a 12 vezes ao dia;
• Área ao redor das fezes → não é consumida por 1 ano;
• Prejuízos na produção de leite e carne.
Insetos detritívoros
➔ Coleópteros coprófagos
Desestruturação das fezes

➢ Efeito direto → Controla a mosca-dos-chifres e vermes;

➢ Efeito indireto → Dissemina ácaros predadores de ovos e


larvas de moscas – forésia;
➢ Enterrio → em 48 h controle de 96% das
larvas de moscas;
➢ Aumenta o teor de N, P e K no solo;

➢ Melhora o crescimento do capim.


Insetos detritívoros
➔ Coprófagos
➢ Diptera: Scathofagidae, Muscidae, Faniidae e
Calliphoridae.

Mosca-do-chifre Mosca-doméstica
Haematobia irritans Musca domestica
Insetos detritívoros
➔ Necrófagos
✓ Ordens: Coleoptera, Diptera e Hymenoptera...
- Hymenoptera: Formigas, vespas e parasitoides.
Insetos detritívoros
➔ Necrófagos
✓ Ordens: Coleoptera, Diptera e Hymenoptera...
- Coleoptera: Staphylinidae, Silphidae, Histeridae e
Dermestidae.

Staphylinidae Histeridae Dermestidae


Insetos detritívoros
➔ Necrófagos
✓ Ordens: Coleoptera, Diptera e Hymenoptera...
- Diptera: Calliphoridae, Muscidae e Sarcophagidae.

Sarcophagidae Calliphoridae Muscidae


Insetos detritívoros: necrófagos
ENTOMOLOGIA FORENSE

Ciência que usa os insetos para descobrir


circunstâncias de interesse legal, frequentemente
relacionada a um crime.
Insetos detritívoros: necrófagos
➔ Entomologia Forense

• É comumente associada a investigações de morte,


ajudando a determinar local e tempo dos incidentes de
acordo com a fauna encontrada no cadáver e o estágio de
desenvolvimento dos insetos;

• A prova (inseto) é coletada, preservada e examinada por


entomologista forense;

• A hora da morte pode ser determinada por meio dos


insetos coletados no cadáver ou nas proximidades.
Insetos detritívoros: necrófagos
➔ Entomologia Forense

➢ Histórico

▪ Primeiro caso de insetos utilizados na resolução


de crime;
▪ Crime cometido com foice;

▪ Foice atraiu moscas “acusando” o assassino.

▪ Livro chinês – 1235.


Insetos detritívoros: necrófagos
➔ Entomologia Forense

❑ Auxilia no esclarecimento da causa da morte;


❑ Idade das larvas indica hora da morte - IPM;
❑ Vítima morta no local ou não;
❑ Corpo mexido ou não;

❑ Vítima com substâncias químicas.

* Estudos prévios revelam a sequência de


infestação dos insetos e o tempo de
desenvolvimento em um cadáver, assim
como as espécies oriundas de cada região
ou habitat.
Insetos detritívoros: necrófagos
➔ Padrão da sucessão de artrópodes
CADÁVER

moscas e formigas (fase inicial)

larvas (decomposição, corpo perde peso)


aparecem os besouros

traças, ácaros, dermestídeos, abelhas...

ácaros, besouros
(fase final de decomposição)
Insetos detritívoros: necrófagos
➔ Padrão da sucessão de artrópodes
Insetos detritívoros: necrófagos
➔ Padrão da sucessão de artrópodes
Ordem Coleoptera
➢ Literatura Recomendada
 Gallo et al., 2002.
ENTOMOLOGIA AGRÍCOLA

Ordem Coleoptera
p. 67 - 75
Relações com os outros grupos de Insecta
NEUROPTEROIDEA
Neuropterida
Raphidioptera

Megaloptera

Neuroptera

holometabola Coleopterida

Coleoptera

Strepsiptera
QUEM SÃO OS COLEOPTERA?
QUEM SÃO OS COLEOPTERA?
✓ Besouros, bicudos, gorgulhos, carunchos, potós,
escaravelhos, rola-bosta, joaninhas, serra-pau,
vagalumes, pirilampos, vaquinhas, brocas...
Coleoptera Linnaeus, 1758
(Coleus = caixinha, estojo; ptera = asas)
Diversidade

COLEOPTERA

✓ Maior ordem;
✓ 173 famílias;
✓ 25 mil gêneros;
✓ 350 mil espécies;
✓ 21% dos animais;
✓ 38% dos insetos.

Grimaldi & Engel (2005). Evolution of the Insects


Aspectos morfológicos
❖ Tamanho variável;
❖ A maioria das espécies mede entre 1 e 10 mm;
❖ Os menores medem 0,3 mm (Ptilidae);
❖ Os maiores 200 mm (Scarabaeidae).

Ptenidium sp.

Dynastes sp.
Aspectos morfológicos
❖ Adultos
✓ Asas anteriores rígidas e esclerotinizadas (élitros) que
protegem as asas posteriores e o restante do corpo;
✓ Corpo compacto – facilitando a exploração do ambiente;
✓ Espiráculos protegidos pelos élitros – preda de H2O.
✓ Ocelos ausentes
Aspectos morfológicos
❖ Aparelho bucal mastigador; mandíbulas desenvolvidas
frequentemente com dentes.
Larvas
Adultos
Aspectos morfológicos
❖ Tipos de antenas

Lamelada

Filiforme Clavada Capitada Serrada

Composta
Aspectos morfológicos
❖ Asas
▪ Anteriores élitros
▪ Posteriores membranosas com venação reduzida

Anterior

Posterior
Aspectos morfológicos
❖ Asas
Braquípteros

anterior

posterior Asas fundidas e não


funcionais
Aspectos morfológicos
Fossorial ou
❖ Tipos de pernas cavadoras
▪ Geralmente ambulatórias

Natatórias e
adesivas
Aspectos morfológicos
❖ Morfologia da perna

Tarsômeros
Aspectos morfológicos
❖ Tarsos
➔ Homômeros: mesmo número de tarsômeros nos 3 pares de
pernas.
5
• Monômeros;
• Dímeros;
Formula tarsal
• Trímeros; 5-5-5
• Tetrâmeros
• Pentâmeros
• Criptotetrâmeros 5
• Criptopentâmeros
5
Aspectos morfológicos
❖ Tarsos criptotetrâmeros
3
Aparentemente 3-3-3 1
2 4
“3”

“3”

“3”
4
Aspectos morfológicos
❖ Tarsos criptopetâmeros

Aparentemente 4-4-4 4 1
2
“4” 5 3

“4”

} “4”
Aspectos morfológicos
❖ Tarsos
➔ Heterômeros: diferente número de tarsômeros nos 3 pares
de pernas.

Fórmulas tarsais
• 3-5-5
• 4-5-5
• 5-4-4
• 5-5-4
Aspectos morfológicos
❖ Abdome
▪ Séssil
Aspectos morfológicos
❖ Abdome
▪ Bioluminescência – produção de luz

Elateridae
Dois pontos no pronoto
Aspectos morfológicos
❖ Abdome
▪ Bioluminescência – produção de luz
Lampyridae
Últimos segmentos
abdominais luminescentes
Desenvolvimento
❑ Holometábolo (metamorfose completa)
Reprodução
▪ Normalmente sexuada;

▪ Geralmente são ovíparos;

▪ Pode ocorrer espécies ovovivíparas e vivíparas;

▪ Raramente por partenogênese telítoca (Chrysomelidae).


Reprodução
▪ Dimorfismo sexual pouco acentuado;

Oviposição

▪ No solo;
▪ Na água;
▪ Fezes de animais;
▪ Sobre cascas de árvores;
▪ Folhas;
▪ Trancos mortos;
▪ Ração para animais;
▪ Grãos armazenados...
Hábito alimentar

➔ FITÓFAGOS

▪ Rizófagos;

▪ Xilófagos;

▪ Polinífagos;

▪ Carpófagos

▪ Filófagos.
Hábito alimentar
➔ Detritívoros

▪ Xilófagos;

▪ Necrófagos;

▪ Coprófagos;

➔Predadores e parasitas
(Controle biológico)

➔ Micófagos

➔ Hematofagia - ausente
Principais tipos de larvas
➢ CURCULIONIFORME
❖ Larva ápoda, recurvada, cabeça
diferenciada e quitinizada, larva de
coloração banco-leitosa;

➢ ESCARABEIFORME
❖ Larva forma de “C”, três longos pares
de pernas torácicas, coloração branco-
leitosa, muitas dobras no tegumento,
último segmento abdominal bastante
desenvolvido.
Principais tipos de larvas
➢ CAMPODEIFORME
❖ Larva ágil e predadora com três pares de pernas
torácicas alongadas;

➢ CERAMBICIFORME
❖ Larva com segmentação mais nítida, parte anterior do
corpo pouco destacada.
Principais tipos de larvas
➢ ELATERIFORME
❖ Larva alongada, levemente achatada, corpo bastante
quitinizado, três pares de pernas torácicas curtas;

➢ CARABIFORME
❖ Larva alongada com três pares de pernas torácicas
curtas; predadora.
Pupa
➔ EXARADA OU LIVRE

➢ Pupa com os apêndices (antenas e pernas) visíveis e


afastados do corpo.
Importância agrícola
➔ Numero de pragas no Brasil
Insetos e ácaros

Zucchi & Silveira Neto (2012)


Importância agrícola
➔ Grandes culturas Cerotoma sp.
Bicudo-do-algodoeiro

Broca-do-café
Importância agrícola
➔ Fruticultura Coleobrocas – Macropophora accentifer

Moleque-da-bananeira

Conotrachelus psidii
Importância agrícola
➔ Pragas florestais
Trachyderes succinctus succinctus
Heilipus draco
Importância agrícola
➔ Grãos armazenados

Sitophilus zeamais
Acanthoscelides obtectus
Sitophilus oryzae
Importância agrícola
Controle biológico
➔ Predadores
Classificação
QUATRO SUBORDENS

❑ Archostemata

❑ Myxophaga

❑ Adephaga

❑ Polyphaga
Subordem Archostemata

✓ Antenas filiformes;

✓ Mandíbulas sem dentes


articulados;
✓ Tamanho entre 7 e 17 mm;
✓ 2 famílias;
✓ 26 espécies.
Subordem Myxophaga

✓ Antenas clavadas;

✓ Mandíbula esquerda com


1 dente articulado;
✓ Asas posteriores franjadas;

✓ 4 famílias;

✓ 22 espécies.
Subordem Adephaga

✓ Sutura notopleural presente;

✓ Primeiro esterno abdominal dividido


pelas coxas posteriores;
✓ Tarsos pentâmeros;
✓ Em geral predadores.
Subordem Polyphaga

✓ Sutura notopleural ausente;

✓ Primeiro esterno abdominal


não é dividido pelas coxas
posteriores;
✓ Mais diversificada com 90%
das espécies conhecidas.