Sei sulla pagina 1di 3

Material de Apoio Sociologia Profª. Renata Esteves

Material de Apoio Sociologia Profª. Renata Esteves

INSTITUIÇÕES POLÍTICAS

FORMAS DE ESTADO Modelo Federado

• Criação de um Estado único a partir da união, cuja base jurídica é uma constituição de regras escrita e rígida.

• A federação criaria uma estrutura forte, uma unidade poderosa sem, todavia, destruir os particularismos e as peculiaridades próprias de seus membros.

• Agentes administrativos independentes.

• Visa a descentralização do poder: poder político é partilhado entre os governos federais, estaduais e municipais, cada um obtendo renda própria.

• Experiência Norte americana já no Século XVIII.

Modelo Unitário

• Unidade do sistema jurídico, excluindo qualquer pluralidade normativa e administrativa, pela centralização da execução das leis e da gestão dos serviços.

FORMAS DE GOVERNO República

• Aspiração democrática de governo

• Reivindicações populares

• Participação popular e limitação de poder

Características:

• Temporariedade: proibição de reeleições sucessivas

• Eletividade: o povo elege

• Responsabilidade: o chefe deve prestar contas de suas conduções políticas.

Monarquia

• Absolutista: Arábia Saudita, Catar, Vaticano.

• Constitucional: Reino Unido, Austrália, Canadá.

Características:

• Vitaliciedade: o chefe pode governar enquanto viver

Se liga nessa História – www.seliganessahistoria.com.br | página 1

Material de Apoio Sociologia Profª. Renata Esteves

Material de Apoio Sociologia Profª. Renata Esteves

• Hereditariedade: a escolha se faz pela linha de sucessão (não é o caso da monarquia presente no Vaticano)

• Irresponsabilidade: o monarca não presta conta de suas conduções políticas.

SISTEMAS DE GOVERNO Parlamentarismo Chefe de Governo (1ºministro ou chanceler) administra o país/poder executivo.

Chefe de Estado (rei ou presidente) representa o país no exterior.

• Eleição indireta: o chefe de governo é eleito pelos membros do poder legislativo que, por sua vez, são eleitos pelo povo.

• O parlamento pode remover o chefe de governo por meio do voto de desconfiança.

• O chefe pode pedir a dissolução do parlamento, que pode ser aprovada ou não e caso seja aprovada, ocorrem novas eleições.

• Sistema partidário forte: poucos partidos com disciplina partidária e ideologia clara. Presidencialismo

Presidente é, ao mesmo tempo, chefe de governo e chefe de Estado.

• Independência entre os dois poderes (executivo e legislativo) embora um necessite do apoio do outro.

• Votos separados.

• Chefe não pode dissolver o parlamento e este, não pode remover o chefe.

• Sistema partidário mais frágil, com maior número de partidos e pouca disciplina partidária. Ditaduras

• Alteração do regime em vigor: golpe ou revolução.

• Inconstitucional

• Não representa a vontade da população Totalitárias

• Propagação ideológica

• Terror: medos e incertezas

• Partido único

• Polícia secreta

Se liga nessa História – www.seliganessahistoria.com.br | página 2

Material de Apoio Sociologia Profª. Renata Esteves

Material de Apoio Sociologia Profª. Renata Esteves

• Personalização

Autoritárias

• Cerceia as liberdades individuais

• Poder vertical

• Manutenção da ordem

• Não possui ideologia específica

• Inimigos específicos

• Espionagem e violência contra opositores

• Tentativa de aparentar uma democracia.

DEMOCRACIA REPRESENTATIVA: PARTIDOS POLÍTICOS E SISTEMAS ELEITORAIS. Partidos políticos

• Agrupamento livre e estável de pessoas, reunidas em razção de um conjunto de ideias

compartilhadas, disposto a participar do jogo eleitoral com vistas à conquista do poder político para

a implementação de políticas próprias.

• Vínculo ideológico expresso em um programa partidário.

• O moderno modelo partidário se consolidou no final do século XIX.

Sistemas eleitorais Conjunto de regras para eleição de um representante. Majoritário: nesse sistema serão eleitos aqueles que angariar o maior número de votos. No Brasil são majoritárias as eleições para cargos executivos (prefeito, governado e presidente) e para o cargo legislativo de senador. Proporcional: originário da Bélgica no início do século XX, esse sistema considera a proporção entre o número de votos recebidos pelo partidos e o número de vagas eleitorais que ele obtém, sendo considerados eleitos os candidatos mais votados pertencentes aos seus quadros. No Brasil

adotamos esse sistema para eleição de deputados federais e estaduais e vereadores) Bibliografia BOBBIO, Norberto. Teoria geral da política, São Paulo: Campus, 2000. BOBBIO, Norberto. Dicionário de política, Brasília: Editora UNB, 2000. STRECK, Lenio Luís. MORAIS, José Luís Bolzan. Ciência Política e Teoria do Estado, Porto Alegre:

Livraria dos advogados, 2008.

Se liga nessa História – www.seliganessahistoria.com.br | página 3