Sei sulla pagina 1di 2

VALOR DAS PALAVRAS

(Prosa poética)

"Há palavras que fazem bater mais depressa o coração - todas as


palavras - umas mais do que outras, qualquer mais do que todas.
Conforme os lugares e as posições das palavras. Segundo o lado onde
se ouvem - do lado do Sol ou do lado onde não dá o Sol. Cada palavra
é um pedaço do Universo. Um pedaço que faz falta ao Universo.
Todas as palavras juntas formam o Universo. As palavras querem
estar nos seus lugares."

Almada Negreiros, A Invenção do Dia Claro

As palavras
São como um cristal,
as palavras.
Algumas, um punhal,
um incêndio.
Outras,
orvalho apenas.

Secretas vêm, cheias de memória.


Inseguras navegam:
barcos ou beijos,
as águas estremecem.

Desamparadas, inocentes,
leves.
Tecidas são de luz
e são a noite.
E mesmo pálidas
verdes paraísos lembram ainda.

Quem as escuta? Quem


as recolhe, assim,
cruéis, desfeitas,
nas suas conchas puras?

Eugénio de Andrade, Poemas


1. Para o poeta, as palavras são cristal, punhal, incêndio e orvalho.
1.1. Associa a cada palavra três sentidos possíveis e pertinentes,
conforme o modelo.

cristal transparência
punhal
Incêndio
orvalho

2. Lê o poema de Eugénio de Andrade e dá exemplos de:

• comparações,

• metáforas,

• adjectivos que caracterizem palavras

• uma antítese

3. “Quem as recolhe… nas suas conchas puras?” O que pretenderá o Poeta


significar ao referir-se à concha das palavras?

4. Completa a tabela com adjectivos equivalentes às comparações (três


adjectivos para cada comparação)

Comparação Adjectivos
como um incêndio… Vermelhas, escaldantes, sufocantes
como orvalho…
como um cristal…
como um punhal…

5. Na opinião de Almada Negreiros, todas as palavras fazem bater mais


depressa o coração, segundo o lado de onde se ouvem.

• O que significará “o lado do Sol”?


• E o lado onde não dá o Sol?