Sei sulla pagina 1di 86
PONTO A PONTO - CERS - AULA 1 ACENTUAÇÃO REGRA 1 Acentuam-se as OXÍTONAS terminadas

PONTO A PONTO - CERS - AULA 1 ACENTUAÇÃO

REGRA 1
REGRA 1

Acentuam-se as OXÍTONAS terminadas em A(S) , E(S) , O(S) , EM , ENS. EX.: compôs, também , revês , sofá , ninguém , intervéns , atrás , até

REGRA 2

Acentuam-se as PAROXÍTONAS terminadas em : R , N , L

, X , I(S) , U(S) , UM(S) , ON(S) ,Ã(S), PS , DITONGOS.

EX.:éter , pólen , móvel , tórax , júri , bônus

, nêutrons, mídia

REGRA 3

Acentuam-se todas as PROPAROXÍTONAS. Ex.: página , tímido , médico , trânsito , córrego , pedíssemos

, tímido , médico , trânsito , córrego , pedíssemos REGRA 4 os MONOSSÍLABOS TÔNICOS terminados

REGRA 4

os MONOSSÍLABOS TÔNICOS terminados em : A(S) , E(S) , O(S). EX.: Sós , nós , vês , lá , pás , nó , prós

REGRA 5

os DITONGOS ABERTOS ÉI(S) , ÓI(S) , ÉU(S) , quando na sílaba tônica de uma oxítona. Ex.: carretéis , troféu , lençóis , papéis , destrói ATENÇÃO!!! Quando esses ditongos abertos estão na sílaba tônica de uma paroxítona, NÃO mais apresentarão acento! VEJA! Ideia , apoio(verbo) , joia , apneia , assembleia , boia

REGRA 6

Acentuam-se o I e o U ,quando TÔNICOS ,

formando hiato com a vogal anterior, sozinhos na sílaba ou seguidos de S e tão

somente de S.

LÍNGUA PORTUGUESA PONTO A PONTO Língua Portuguesa Maria Augusta

ATENÇÃO! Quando seguidos de NH, não recebem acento! Ex.: saída , moído , prejuízo , cairmos ,

faísca , saúde , baú , caju , caindo , moinho

, bainha ,egoísta

ATENÇÃO

Os hiatos EEM

acento! Escreva enjoo , magoo , abençoo , veem , leem , creem.

não recebem mais

E

OO

E não temos mais o trema!!!

Mantiveram-se os acentos diferenciais:

PÔR ( verbo) X PÔDE ( pretérito)

X

POR (preposição)

PODE (presente)

E atenção aos verbos TER e VIR:

ELE TEM

- DERIVADOS DE TER E DE VIR:

ELE OBTÉM

ELE INTERVÉM

ELE VEM

ELES TÊM

ELES VÊM

-

-

ELES OBTÊM ELES INTERVÊM

-

ORTOGRAFIA

1-Usaremos “X” após ditongos. EXEMPLOS : caiXa , feiXe , trouXa , peiXe , queiXo , baiXo EXCEÇÕES : recauchutar e caucho

2-Usaremos “X” em palavras iniciadas por “EN”. EXEMPLOS : enXame , enXada , enXaqueca

, enXoval , enXugar

EXCEÇÕES : encher , enchova , encharcar ,

enchapelar, enchumbar

3-Usaremos “X” em palavras iniciadas por “ME”. EXEMPLOS : mexerica , mexilhão , México , mexer EXCEÇÃO : mecha ( substantivo)

4-Usaremos “X” em palavras de origem indígena ou africana. EXEMPLOS : faxina , roxo , xenofobia , xereta , bexiga , laxante , caxumba , xícara

5- Usaremos “G” em substantivos terminados em “agem” , “igem” , “ugem”. EXEMPLOS : folhagem

5-Usaremos

“G”

em

substantivos

terminados em “agem” , “igem” , “ugem”. EXEMPLOS : folhagem , plumagem , fuligem , coragem , moagem , barragem , garagem , viagem EXCEÇÕES : pajem e lambujem

“SS” em substantivos

“SS”

em

substantivos

6-Usaremos

derivados de verbos ( 2ª e 3ª conj)

com

“CED” , “GRED” , “MIT” , “PRIM” no

radical. EXEMPLOS :

Ceder cessão suceder - sucessão Omitir omissão emitir - emissão Agredir agressão progredir - progressão Oprimir opressão imprimir impressão

7-Usaremos

“S”

em

substantivos

e

adjetivos que definem origem , profissão , nacionalidade, títulos etc. EXEMPLOS : francês , holandês , inglês , marquesa , duquesa

8-Usaremos

“Z”

em

substantivos

derivados de adjetivos. EXEMPLOS : clareza (claro) , beleza (belo) , aspereza (áspero) , boniteza (bonito) , rigidez (rígido)

9-Usaremos “S” em expressões femininas.

LÍNGUA PORTUGUESA PONTO A PONTO Língua Portuguesa Maria Augusta

Paralisia paralisar Análise - analisar Improviso improvisar

Z -----------------Z Vez revezar Cicatriz cicatrizar Raiz enraizar Capuz encapuzar Menosprezo menosprezar E quando não temos “S” nem “Z”? Use “Z”. Veja:

Padrão padronizar Região regionalizar Legal legalizar Aval avalizar Frágil fragilizar Cristal - cristalizar Atenção , entretanto, aos verbos abaixo ! Catequese catequizar Ênfase enfatizar Síntese sintetizar Parabéns parabenizar Hipnose hipnotizar Batismo batizar Exorcismo exorcizar

QUESTÕES

ORTOGRAFIA / ACENTUAÇÃO Agora é hora de exercitar os pontos de hoje! Vamos às questões!

EXEMPLOS

:

poetisa

,

pitonisa

,

sacerdotisa

 

1- Assinale a palavra que tenha sido acentuada seguindo a mesma regra que distribuídos :

10-Usaremos

 

“S”

em

substantivos

derivados de verbos com “RT” , “ND” , “RG”, “PEL” no radical.

(A)

sócio

EXEMPLOS :

(B)

sofrê-lo

Reverter reversão

(C)

lúcidos

Inverter inversão

(D)

daí

Pretender pretensão

(E)

órfãos

Emergir emersão Expelir expulsão 11- Atenção aos verbos com terminação “isar” , aos verbos com terminação “izar”

2- Assinale a alternativa com ortografia e acentuação corretas.

etc.

(A)

Descobri o fascínio do facebook, por meio

S -------------S Pesquisa pesquisar Liso alisar

de compartilhamentos de opiniões. Vi-me submissa à tela. É uma relação inescapável.

(B) Descobri o facínio do facebook, por meio de compartilhamentos de opiniões. Vi-me subimissa à

(B) Descobri o facínio do facebook, por meio

de compartilhamentos de opiniões. Vi-me

subimissa à tela. É uma relação inescapavel.

(C) Descobri o facínio do facebook, por meio

de compartilhiamentos de opiniões. Vi-me

submiça à tela. É uma relação inescapavel.

(D) Descobri o fascinio do facebook, por meio

de compartilhiamentos de opiniões. Vi-me

submissa à tela. É uma relação inescapavel.

(E) Descobri o facinio do facebook, por meio

de compartilhamentos de opiniões. Vi-me submisa à tela. É uma relação inescapável.

3- Assinale a alternativa com ortografia e acentuação corretas.

(A) Os cientistas são unanimes: fazem uma

advertência aos voluntários quanto aos impactos causados pelo uso ininterrupto das plataformas digitais.

LÍNGUA PORTUGUESA PONTO A PONTO Língua Portuguesa Maria Augusta

(A)obséquio, juz , maciço , dicente (B)obcessão , esitante , exitoso , prevalescer (C)obcecado , ojeriza , herege , monge (D)extorção , primasia , deslise , maçante (E)cazulo , anciosa, pretensão , paralização

6- Assinale a sequência de verbos com substantivos derivados grafados de forma idêntica.

A)Conceder absorver prevenir moer. B)Enfrentar apoiar revestir reverter. C)Executar elidir omitir intentar. D)Aspergir ascender converter apreender. E)Banir coalizar recrudescer urgir.

7- Assinale a alternativa que indica os vocábulos que não são acentuados pela mesma regra de acentuação gráfica.

(B)

Os cientistas são unânimes: fazem uma

advertência aos voluntários quanto aos

(A)

após / só

impactos causados pelo uso ininterrupto das

(B)

Petrópolis / óbitos

plataformas digitais.

(C)

possuíam / constituídas

(C)

Os cientistas são unânemes: fazem uma

(D)

através / também

advertência aos voluntários quanto aos impactos causados pelo uso ininterrupito das

(E)

vácuo / municípios

plataformas digitais.

(D) Os cientistas são unânimes: fazem uma

advertência aos voluntários quanto aos impactos causados pelo uso inenterrupto das plataformas digitais.

(E) Os cientistas são unânimes: fazem uma

advertência aos voluntários quanto aos impactos causados pelo uso ininterrupto das plataformas digitais.

4-

vocábulos

Assinale a alternativa que apresenta

à

acentuados

em obediência

mesma regra:

(A)Mártir, prócer, lírio, rapé (B)sério, móvel, córtex , éter (C)até, lá, só , ipê (D)mágico, crânio, lápis, médio (E)pó, daí, cá, véu

5- Assinale a alternativa que apresenta vocábulos corretamente grafados:

8-( ) As palavras “público”, “créditos”, “dióxido” e “domésticas” exigem acento gráfico com base na mesma regra gramatical.

9- ( )Os vocábulos “seminários”, “Colégio”, “notários” e “área” são acentuados pela mesma regra.

10- Quanto à ortografia, há INCORREÇÕES na frase:

(A) O crescimento da classe C tem tido uma

importância incomensurável para o comércio,

mas vem ocasionando também uma elevação

na taxa de inadimplência, o que é perturbador.

(B) Milhões de pessoas têm sido beneficiadas

com o crescimento econômico que se vê no país, saltando da classe D para a C, algo que

há poucos anos não pareceria factível.

(C) Alguns especialistas vêm disseminando a

teoria de que, a partir da distribuição de

riqueza por meio da geração de milhões de novos empregos, a classe E deixe de

riqueza por meio da geração de milhões de novos empregos, a classe E deixe de existir. (D) Os “consumidores emergentes”, como vêm sendo chamados os novos integrantes da classe C, ainda têm dificuldade em poupar e adquirem grande parcela de produtos a crédito.

(E) Sabe-se que a ascenção da classe D tem

proporcionado um aumento expresivo do consumo de bens duráveis, o que pode

acelerar sobremaneira esse mercado.

11- As palavras estão corretamente grafadas na seguinte frase:

(A) Que eles viajem sempre é muito bom, mas

não é boa a ansiedade com que enfrentam o

excesso de passageiros nos aeroportos.

(B) Comete muitos deslises, talvez por sua

espontaneidade, mas nada que ponha em

cheque sua reputação de pessoa cortês.

(C) Ele era rabugento e tinha ojeriza ao hábito

do sócio de descançar após o almoço sob a frondoza árvore do pátio.

(D) Não sei se isso influe, mas a persistência

dessa mágoa pode estar sendo o grande impecilho na superação dessa sua crise.

(E) O diretor exitou ao aprovar a retenção

dessa alta quantia, mas não quiz ser taxado de

conivente na concessão de privilégios ilegítimos.

12- NÃO há erros de ortografia em:

(A) Carbohidratos são importantes aliados

para manter estável o nivel de energia do

organismo.

(B) Sabe-se que uma substancia encontrada

no guaraná pode estimular a função cerebral e

auxiliar na concentrasão. (C)Consumir alimentos ricos em vitaminas e minerais pode ajudar a reduzir os efeitos negativos do estresse.

(D) O consumo de proteínas e gorduras em

exceço pode ser nossivo para o processo digestivo.

(E) Manter o organismo mau hidratado pode

prejudicar a eliminação de toxínas e provocar sérios problemas de saúde.

LÍNGUA PORTUGUESA PONTO A PONTO Língua Portuguesa Maria Augusta

13- Estão grafadas corretamente todas as palavras da frase:

(A) O mercado mais atraente é necessáriamente aquele que possue mais produtos disponíveis.

(B) Com o adivento da internet, deparamos

com uma imença cidade virtual, onde há os melhores preços do mercado.

(C) A escacês de mercadorias no campo foi

determinante para explicar o porque dos homens se agruparem nas cidades.

(D) As empresas virtuais vêm se tornando

concorrentes desleais das que se encontram

no mundo físico.

(E) O mercado de relacionamentos virtuais

assistiu a um avanço discomunal com a

consolidassão da internet.

14- As palavras estão corretamente grafadas na frase:

(A) Que eles viajem sempre é muito bom, mas não é boa a ansiedade com que enfrentam o excesso de passageiros nos aeroportos.

(B) Comete muitos deslises, talvez por sua

espontaneidade, mas nada que ponha em

cheque sua reputação de pessoa cortês.

(C) Ele era rabugento e tinha ojeriza ao hábito

do sócio de descançar após o almoço sob a frondoza árvore do pátio.

(D) Não sei se isso influe, mas a persistência

dessa mágoa pode estar sendo o grande impecilho na superação dessa sua crise.

(E) O diretor exitou ao aprovar a retenção

dessa alta quantia, mas não quiz ser taxado de

conivente na concessão de privilégios ilegítimos.

15-A frase em que há palavras escritas de modo INCORRETO é:

(A)Alguns estudiosos reagem com sensatez às recentes explicações, considerando se o papel da bomba biótica é realmente crucial na circulação do ar.

(B) Se for comprovada a correção da nova

teoria, a preservação das florestas torna-se essencial para garantir a qualidade de vida em

todo o planeta.

(C) O desmatamento indescriminado, que reduz os índices de chuvas e altera o ciclo das

(C) O desmatamento indescriminado, que

reduz os índices de chuvas e altera o ciclo das

águas, pode transformar um continente em um estenso e inabitável deserto. (D)A aridez que sempre caracterizou as paisagens do Nordeste brasileiro aparece agora, para assombro de todos, na região Sul, comprometendo a safra de grãos. (E)Com ventos mais próximos ao mar, o ar úmido resultante da evaporação da água do oceano é puxado para o continente, distribuindo a chuva ao redor do planeta.

16- A frase em que a grafia respeita totalmente o padrão culto escrito é:

(A) À exceção dos que se abstiveram de opinar

sobre a qualidade dos serviços, os participantes da pesquisa puderam usufruir gratuitamente de um dia de lazer no hotel.

(B) A escursão prometida não ocorreu, pois o

número de interessados foi excessivo; mas até

isso colaborou para o explendor da viagem, pois o desconto oferecido surpreendeu.

(C) Casualmente encontraram-se no saguão;

ela parecia advinhar o que ele tinha a lhe dizer, por isso não lhe deu oportunidade de ser posta

em cheque.

(D) Considerou ultrage o comentário adivindo

do seu sucessor, mas, para preservar-se, abdicou de dar-lhe resposta à altura.

(E) Com a dispensa abarrotada de produtos

nobres, não exitou um minuto ao negar um jantar aos participantes do programa de inclusão social.

17- É adequado o emprego e correta a grafia de todas as palavras da frase:

(A) É prazeroso o reconhecimento de uma pessoa que, surgindo longínqua, parece então mais próxima que nunca - paradoxo pleno de poesia.

(B) A abstensão da proximidade de alguém

não impede, segundo o cronista, que nossa afetividade aflore e haja para promover uma

aproximação.

(C) Nenhuma distância dilui o afeto, pelo

contrário: o reconhecimento da amada longeva

LÍNGUA PORTUGUESA PONTO A PONTO Língua Portuguesa Maria Augusta

avisinha-a de nós, fá-la mais próxima que nunca. (D) O cronista ratifica o que diz um velho provérbio: a distância que os olhos acusam não exclue a proximidade que o nosso coração promove. (E) Os poetas românticos eram obsecados por imagens que, figurando a distância, expressavam com ela a gososa inatingibilidade de um ideal.

GABARITO : 1-E 2-A 3-B 4-B 5-C 6-D 7-A 8-C 9-C 10-E 11-A 12-C 13-D

GABARITO:

1-E

2-A

3-B

4-B

5-C

6-D

7-A

8-C

9-C

10-E

11-A 12-C

13-D

14-A

15-C

16-A

17-A

 

LÍNGUA PORTUGUESA PONTO A PONTO Língua Portuguesa Maria Augusta

Atenção: Considere o texto abaixo para responder às questões de números 1 a 4. DEPOIMENTO

Atenção: Considere o texto abaixo para responder às questões de números 1 a 4. DEPOIMENTO

Morais

(jornalista)

Fernando

O que mais me surpreendia, na Ouro Preto da infância, não era o ouro dos altares das igrejas. Nem o casario português

PONTO A PONTO LÍNGUA PORTUGUESA MARIA AUGUSTA

(coord.). Niemeyer 90 anos: poemas testemunhos cartas. São Paulo: Fundação Memorial da América Latina, 1998. p. 29)

1. O sentido das palavras surpreendia e

espantoso (ambas do primeiro parágrafo) é posteriormente retomado no texto pela

palavra:

recortado contra a montanha. Isso eu tinha de

(A)

suspeita.

sobra na minha própria cidade, Mariana, a

(B)

vetusta.

uma légua dali.

(C)

suavemente.

O

espantoso em Ouro Preto era o Grande

(D)

memória.

Hotel − um prédio limpo, reto, liso, um monólito branco que contrastava com o

(E)

alumbramento.

 

barroco sem violentá-lo. Era “o Hotel do

2.

No contexto do texto, o autor utiliza os

Niemeyer”, diziam. Deslumbrado com a

pronomes seu (no primeiro parágrafo) e

construção, eu acreditava que seu criador

sua

(no

último)

para

se referir,

(que supunha chamar-se “Nei Maia”) fosse mineiro − um marianense, quem sabe?

respectivamente, a:

A suspeita aumentou quando, ainda de

(A)

Nei Maia e Oscar Niemeyer.

 

calças curtas, mudei-me para Belo Horizonte.

(B)

Grande Hotel e Oscar Niemeyer.

Era tanto Niemeyer que ele só podia mesmo

(C)

Ouro Preto e Hotel do Nei Maia.

ser mineiro. No bairro de Santo Antônio ficava

(D)

Mariana e Rua Passos Manuel.

o Colégio Estadual (a caixa d’água era o

(E)

Hotel do Niemeyer e Rio de Janeiro.

 

lápis, o prédio das classes tinha a forma de uma régua, o auditório era um mataborrão).

3.

A afirmação do último parágrafo E não

Numa das pontas da vetusta Praça da

parei de ver Niemeyer, no contexto do

Liberdade, Niemeyer fez pousar suavemente

texto,

permite

a

pressuposição

de

que

uma escultura de vinte andares de discos brancos superpostos, um edifício de

autor

 

apartamentos cujo nome não me vem à memória. E, claro, tinha a Pampulha: o cassino, a casa do baile, mas principalmente

a

Com o tempo cresceram as calças e a barba,

e saí batendo perna pelo mundo. E não parei

de ver Niemeyer. Vi na França, na Itália, em

Israel, na Argélia, nos Estados Unidos, na Alemanha. Tanto Niemeyer espalhado pelo planeta aumentou minha confusão sobre sua verdadeira origem. E hoje, quase meio século depois do alumbramento produzido pela visão do “Hotel do Nei Maia”, continuo sem saber

onde ele nasceu. Mesmo tendo visto um papel que prova que

igreja.

(A) manteve contato pessoal com o arquiteto

no exterior.

(B) revisitou o hotel construído pelo arquiteto

em Mariana.

(C) encontrou diversas obras do arquiteto em

suas viagens.

(D) comprovou em documentos a origem

mineira do arquiteto.

(E) divulgou a beleza da obra do arquiteto no

exterior.

4. No último parágrafo, as aspas são utilizadas para destacar o

(A) nome indevido que na infância o jornalista

foi

na Rua Passos Manuel número 26, no Rio

atribuía ao criador do prédio.

de

Janeiro, estou convencido de que lá pode

(B)

apelido com que o arquiteto era conhecido

ter nascido o corpo dele. A alma de Oscar Niemeyer, não tenham dúvidas, é mineira. (Adaptado de: MORAIS, Fernando. Depoimento. In: SCHARLACH, Cecília

de: MORAIS, Fernando. Depoimento. In: SCHARLACH, Cecília em sua terra de origem. (C) modo correto de

em sua terra de origem. (C) modo correto de se pronunciar o sobrenome do arquiteto.

(D) título do papel que prova o local de

nascimento do jornalista.

1

www.cers.com.br

(E) jeito correto de escrever o nome do hotel cinquenta anos antes. Atenção: Considere o

(E) jeito correto de escrever o nome do hotel cinquenta anos antes.

Atenção: Considere o texto abaixo para responder às questões de números 5 a 8.

O LIVRO

PONTO A PONTO LÍNGUA PORTUGUESA MARIA AUGUSTA

5. No terceiro parágrafo, Borges justifica e

reforça o motivo que o levou a dizer cada

um, em vez de todos. No contexto, a diferença entre as duas expressões (cada um e todos) reside no contraste de sentido, respectivamente, entre:

 

Jorge

Luis

Borges

(A)

totalidade inclusiva e totalidade exclusiva.

(escritor)

 

(B)

negação e afirmação.

 

Dos diversos instrumentos utilizados pelo

(C)

particularização e generalização.

 

homem, o mais espetacular é, sem dúvida, o

(D)

omissão

de

pessoa

e

presença

de

livro. Os demais são extensões de seu corpo.

pessoa.

 

O

microscópio, o telescópio, são extensões

(E)

nenhuma coisa e alguma coisa.

 

de

sua visão; o telefone é a extensão de sua

 

voz; em seguida, temos o arado e a espada, extensões de seu braço. O livro, porém, é outra coisa: o livro é uma extensão da memória e da imaginação. Dediquei parte de minha vida às letras, e creio que uma forma de felicidade é a leitura. Outra forma de felicidade − menor − é a criação poética, ou o que chamamos de criação, mistura de esquecimento e lembrança do que lemos.

6. No período É possível que eu o diga de

um modo que provavelmente pareça patético, o autor utiliza os verbos dizer e

parecer no presente do subjuntivo. Encontram-se estes mesmos tempo e modo verbais em:

(A) é a criação poética, ou o que chamamos

de criação.

(B) mistura de esquecimento e lembrança do

Devemos tanto às letras. Sempre reli mais do

que lemos.

que li. Creio que reler é mais importante do

(C)

quero que seja uma confidência.

que ler, embora para se reler seja necessário

(D)

com uma letra gótica que não posso ler.

haver lido. Tenho esse culto pelo livro. É

(E)

uma felicidade de que dispomos.

possível que eu o diga de um modo que provavelmente pareça patético. E não quero que seja patético; quero que seja uma confidência que faço a cada um de vocês; não a todos, mas a cada um, porque “todos” é uma abstração, enquanto “cada um” é algo verdadeiro. Continuo imaginando não ser cego; continuo comprando livros; continuo enchendo minha casa de livros. Há poucos dias fui presenteado com uma edição de 1966 da Enciclopédia Brockhaus. Senti sua presença em minha casa − eu a senti como uma espécie de felicidade. Ali estavam os vinte e tantos volumes com uma letra gótica que não posso ler, com mapas e gravuras que não posso ver. E, no entanto, o livro estava ali. Eu sentia como que uma gravitação amistosa partindo do livro. Penso que o livro é uma felicidade de que dispomos, nós, os homens. (Adaptado de: BORGES, Jorge Luis. Cinco visões pessoais. 4. ed. Trad. de Maria Rosinda R. da Silva. Brasília: UnB, 2002. p. 13 e 19)

Maria Rosinda R. da Silva. Brasília: UnB, 2002. p. 13 e 19) 7. Nos trechos O

7. Nos trechos O livro, porém, é outra coisa (do primeiro parágrafo) e reler é mais importante do que ler, embora para se reler seja necessário já haver lido (do terceiro), as conjunções, no contexto dos parágrafos, estabelecem, respectivamente, relação de

(A)

causa e condição.

(B)

consequência e finalidade.

(C)

adição e temporalidade.

(D)

oposição e concessão.

(E)

proporção e contraste

Atenção: Considere o texto abaixo para responder às questões de números 8 a 10.

QUANDO A CRASE MUDA O SENTIDO Muitos deixariam de ver a crase como bicho-papão se pensassem nela como uma ferramenta para evitar ambiguidade nas frases. Luiz Costa Pereira Junior

2

www.cers.com.br

O emprego da crase costuma desconcertar muita gente. A ponto de ter gerado um balaio

O emprego da crase costuma desconcertar

muita gente. A ponto de ter gerado um balaio

de frases inflamadas ou espirituosas de uma

turma renomada. O poeta Ferreira Gullar, por

exemplo, é autor da sentença “A crase não foi feita para humilhar ninguém”, marco da tolerância gramatical ao acento gráfico.

O escritor Moacyr Scliar discorda, em uma

deliciosa crônica “Tropeçando nos acentos”, e

afirma que a crase foi feita, sim, para humilhar as pessoas; e o humorista Millôr Fernandes, de forma irônica e jocosa, é taxativo: “ela não existe no Brasil”.

O assunto é tão candente que, em 2005, o

PONTO A PONTO LÍNGUA PORTUGUESA MARIA AUGUSTA

Revista Língua portuguesa, ano 4, n. 48. São Paulo: Segmento, outubro de 2009. p. 36-38)

8. Logo na abertura do texto, o autor

destaca a importância da crase como uma ferramenta para evitar ambiguidade nas frases. Ideia semelhante é reafirmada no

trecho:

(A) O emprego da crase costuma desconcertar muita gente.

(B) sinal obsoleto, que o povo já fez morrer.

(C) crase é, antes de mais nada, um imperativo de clareza.

deputado João Herrmann Neto propôs abolir

(D)

só o contexto resolve o impasse.

esse acento do português do Brasil por meio

(E)

A falta de clareza, por vezes, ocorre na

do projeto de lei 5.154, pois o considerava “sinal obsoleto, que o povo já fez morrer”.

fala.

Bombardeado, na ocasião, por gramáticos e

9.

Acerca dos exemplos utilizados nos

linguistas que o acusavam de querer abolir um fato sintático como quem revoga a lei da gravidade, Herrmann logo desistiu do projeto. A grande utilidade do acento de crase no a,

dois últimos parágrafos para ilustrar o papel da crase na clareza e na organização das ideias de um texto, é correto afirmar:

entretanto, que faz com que seja descabida a

(A)

quando se escreve cheirar a gasolina, o

proposta de sua extinção por decreto ou falta de uso, é: crase é, antes de mais nada, um imperativo de clareza. Não raro, a ambiguidade se dissolve com a crase − em outras, só o contexto resolve o impasse. Exemplos de casos em que a crase retira a dúvida de sentido de uma frase, lembrados por Celso Pedro Luft no hoje clássico Decifrando a crase: cheirar a gasolina X cheirar à gasolina; a moça correu as cortinas X a moça correu às cortinas; o homem pinta a máquina X o homem pinta à máquina; referia-

sentido do verbo é de “feder” ou “ter cheiro de”.

(B) em a polícia recebeu a bala, afirma-se que

a polícia foi vitimada pelo tiro.

(C) na frase À noite chegou, “noite” assume

função de sujeito do verbo chegar.

(D) no trecho a moça correu as cortinas, o

verbo assume o sentido de “seguir em direção a”.

(E) em o homem pinta à máquina, diz-se que

o objeto que está sendo pintado é a máquina.

se

a outra mulher X referia-se à outra mulher.

10. A melhor explicação para o uso da

O

de esclarecer a mensagem; um usuário do idioma mais atento intui um acento necessário, garantido pelo contexto em que a mensagem se insere. A falta de clareza, por

contexto até se encarregaria, diz o autor,

“A noite chegou”; “ela cheira a rosa”; “a polícia

vírgula, na frase do último parágrafo “Nesse sentido, a crase pode ser antes um problema de leitura do que prioritariamente de escrita”, é:

vezes, ocorre na fala, não tanto na escrita.

(A)

“As orações coordenadas aditivas ligadas

Exemplos de dúvida fonética, sugeridos por Francisco Platão Savioli:

recebeu a bala”. Sem o sinal diacrítico,

pela conjunção e devem ser separadas por

vírgula se os sujeitos forem diferentes. Se o sujeito for o mesmo, não há o uso da vírgula, presume-se”.

construções como essas serão sempre

(B)

“As orações adverbiais, desenvolvidas ou

ambíguas. Nesse sentido, a crase pode ser antes um problema de leitura do que prioritariamente de escrita. (Adaptado de: PEREIRA Jr., Luiz Costa.

reduzidas, podem iniciar o período, findá-lo ou interpor-se na oração principal. Quase sempre aparecem separadas ou isoladas por vírgula”.

ou interpor-se na oração principal. Quase sempre aparecem separadas ou isoladas por vírgula”. www.cers.com.br 3

www.cers.com.br

3

PONTO A PONTO LÍNGUA PORTUGUESA MARIA AUGUSTA (C) “O vocativo é um termo relacionado com

PONTO A PONTO LÍNGUA PORTUGUESA MARIA AUGUSTA

(C) “O vocativo é um termo relacionado com a função fática da linguagem; como regra, isola- se por vírgula”. (D) “A datação que se segue a nomes de documentos, periódicos, atos normativos, locais etc., como regra geral, separa-se ou isola-se por vírgula”. (E) “É comum vir isolado por vírgula o vocábulo ou expressão com valor retificativo ou explanatório, embora, às vezes, possa aparecer sem esse sinal de pontuação”.

Atenção: Considere o texto abaixo para responder às questões de números 11 e

12.

ANTES QUE O CÉU CAIA Líder indígena brasileiro mais conhecido no mundo, o ianomâmi Davi Kopenawa lança livro e participa da FLIP enquanto relata o medo dos efeitos das mudanças climáticas sobre a Terra.

Leão Serva Davi Kopenawa está triste. “A cobra grande está devorando o mundo”, ele diz. Em todo lugar, os homens semeiam destruição, esquentam o planeta e mudam o clima: até mesmo o lugar onde vive, a Terra Indígena Yanomâmi, que ocupa 96 km2 em Roraima e no Amazonas, na fronteira entre Brasil e Venezuela, vem sofrendo sinais estranhos. O céu pode cair a qualquer momento. Será o fim. Por isso, nem as muitas homenagens que recebe em todo o mundo aplacam sua angústia. Ele decidiu escrever um livro para contar a sabedoria dos xamãs de seu povo, a criação do mundo, seus elementos e espíritos. Gravou 15 fitas em que narrou também sua própria trajetória. “Não adianta só os brancos escreverem os livros deles. Eu queria escrever para os não indígenas não acharem que índio não sabe nada.” A obra foi lançada em 2010, na França (ed. Plon), e no ano passado, nos EUA, pela editora da universidade Harvard. Com o nome “A Queda do Céu”, está sendo traduzido para o português pela Companhia das Letras. No fim de julho, Davi vai participar da Feira Literária de Paraty/FLIP, mas a versão em português ainda não estará pronta. O

mas a versão em português ainda não estará pronta. O lançamento está previsto para o ano

lançamento está previsto para o ano que vem.

O livro explica os espíritos chamados

“xapiris”, que os ianomâmis creem serem os únicos capazes de cuidar das pessoas e das coisas. “Xapiri é o médico do índio. E também ajuda quando tem muita chuva ou está quente. O branco está preocupado que não chove mais em alguns lugares e em outros tem muita chuva. Ele ajuda a nossa terra a

não ficar triste.”

Nascido em 1956, Davi logo cedo foi identificado como um possível xamã, pois seus sonhos eram frequentados por espíritos. Xamã, ou pajé, é a referência espiritual de uma sociedade tribal. Os ianomâmis acreditam que os xamãs recebem dos espíritos chamados “xapiris” a capacidade de cura dos doentes. Davi descreve assim sua vocação: “Quando eu era pequeno, costumava ver em sonhos seres assustadores. Não sabia o que me atrapalhava o sono, mas já eram os xapiris que vinham a mim”. Quando jovem, recebeu a formação tradicional de pajé.

Com cerca de 40 mil pessoas (entre Brasil e Venezuela),

em todo o mundo os ianomâmis são o povo

indígena mais populoso a viver de forma tradicional em floresta. Poucos falam português. Davi logo se tornou seu porta-voz. (Adaptado de: SERVA, Leão. Revista Serafina. Número 75. São Paulo: Folha de S. Paulo, julho de 2014, p. 18-19)

11. Sobre a flexão de alguns verbos utilizados no texto são feitas as seguintes afirmações:

I. Em Os ianomâmis acreditam que os xamãs

recebem dos espíritos chamados xapiris, o verbo “receber” está no plural porque concorda com o sujeito cujos núcleos são “ianomâmis” e “xamãs”.

II. Em E também ajuda quando tem muita

chuva ou está quente, o verbo “ajudar” concorda com o sujeito elíptico “xapiri”.

III. Em O céu pode cair a qualquer momento,

o verbo “poder” concorda em número com

“céu”, sujeito simples no singular.

Está correto o que se afirma APENAS em

(A)

(B)

II e III. I e III.

4

www.cers.com.br

PONTO A PONTO LÍNGUA PORTUGUESA MARIA AUGUSTA (C) I e II. os povos indígenas. governamentais.

PONTO A PONTO LÍNGUA PORTUGUESA MARIA AUGUSTA

(C)

I e II.

os povos indígenas.

governamentais.

Somam-se a este universo de agentes não

(D)

I.

Numa segunda distinção, encontramos outros

(E)

III.

segmentos que interagem com os povos

12. No período O livro explica os espíritos chamados ‘xapiris’, que os ianomâmis creem serem os únicos capazes de cuidar das pessoas e das coisas (quarto parágrafo), a palavra grifada tem a função de pronome relativo, retomando um termo anterior. Do mesmo modo como ocorre em:

indígenas e que também, como eles, têm aumentado sua participação na formulação e execução de políticas indigenistas, antes atribuídas exclusivamente ao Estado brasileiro. Nesse conjunto encontramos principalmente as organizações não

indígenas as organizações religiosas que se relacionam com os povos indígenas em

(A)

Os ianomâmis acreditam que os xamãs

diversos campos de atuação.

recebem dos espíritos chamados “xapiris” a capacidade de cura.

Contemporaneamente, portanto, temos um quadro complexo no qual a política indigenista

(B)

Eu queria escrever para os não indígenas

oficial (formulada e executada pelo Estado)

não acharem que índio não sabe nada.

tem sido formulada e implementada a partir

(C)

O branco está preocupado que não chove

de parcerias formais estabelecidas entre

mais em alguns lugares.

setores governamentais, organizações

(D)

Gravou 15 fitas em que narrou também

indígenas, organizações não governamentais

sua própria trajetória.

e missões religiosas.

(E)

Não sabia o que me atrapalhava o sono.

(Disponível em: pib.socioambiental.org.

Atenção: Considere o texto abaixo para responder às questões de números 1 a .

Acesso em 03/10/14. Com adaptações)

A expressão “política indigenista” foi utilizada por muito tempo como sinônimo de toda e qualquer ação política governamental que tivesse as populações indígenas como

1. Mantendo-se a correção, o verbo que pode ser flexionado no singular, sem que nenhuma outra alteração seja feita na frase, está sublinhado em

objeto.

(A)

com

os

povos

As diversas mudanças no campo do

indígenas

que interagem (3o parágrafo)

 

indigenismo nos últimos anos, no entanto,

(B)

As diversas mudanças no campo do

exigem que estabeleçamos uma definição

indigenismo [ exigem que estabeleçamos

]

mais precisa e menos ambígua do que seja a

uma definição mais precisa

(1o parágrafo)

política indigenista.

(C)

boa

parte das organizações e lideranças

Primeiramente temos como agentes principais

indígenas

vêm aumentando sua

os próprios povos indígenas, seus

participação

(2o parágrafo)

 

representantes e organizações. O

(D)

têm

amadurecimento progressivo do movimento

formulação

aumentado sua participação na (3o parágrafo)

indígena desde a década de 1970, e o

(E)

Somam-se a este universo de agentes

consequente crescimento no número e diversidade de organizações nativas, dirigidas

não indígenas as organizações religiosas (3o parágrafo)

pelos próprios índios, sugere uma primeira distinção no campo indigenista: a “política indígena”,

2. Considere as afirmações:

 

aquela protagonizada pelos próprios índios,

I.

O

pronome

destacado

em

e

que

não se confunde com a política indigenista e

também

(3o parágrafo) refere-se a outros

nem a ela está submetida. Entretanto, boa

segmentos.

 

parte das organizações e lideranças

II.

Ambos os pronomes aquela e ela (2o

indígenas vêm aumentando sua participação

parágrafo) referem-se à expressão “política

na formulação e execução das políticas para

indígena”.

 
expressão “política na formulação e execução das políticas para indígena”.   www.cers.com.br 5

www.cers.com.br

5

III. O pronome destacado em como eles , PONTO A PONTO LÍNGUA PORTUGUESA MARIA AUGUSTA

III. O pronome destacado em

como

eles,

PONTO A PONTO LÍNGUA PORTUGUESA MARIA AUGUSTA

(A) Entretanto, boa parte das organizações, e

têm aumentado povos indígenas.

(3o parágrafo) refere-se a

lideranças indígenas vêm aumentando sua participação na formulação e execução das

Está correto o que se afirma APENAS em

políticas para os povos indígenas. (B) A expressão “política indigenista” foi utilizada, por muito tempo, como sinônimo de

(A)

II.

toda e qualquer ação política governamental,

(B)

I e III.

que tivesse as populações indígenas como

(C)

I e II.

objeto.

(D)

II e III.

(C) Nesse conjunto, encontramos,

(E)

III.

principalmente as organizações não governamentais.

3. A expressão “política indigenista” foi utilizada por muito tempo como sinônimo de toda e qualquer ação política governamental que Transpondo-se a frase acima para a voz passiva sintética, a forma verbal resultante será

(D) Somam-se a este universo de agentes não indígenas, as organizações religiosas que se relacionam com os povos indígenas, em diversos campos de atuação.

(E) Primeiramente, temos como agentes

principais os próprios povos indígenas, seus representantes e organizações.

(A)

utilizaram-se.

Questões avulsas:

(B)

utiliza-se.

(C)

utilizaram.

1-Ocorrem adequada transposição de voz

(D)

utilizou-se.

verbal e perfeita correlação entre tempos e

(E)

utilizamos.

modos na seguinte passagem:

4. Mantendo-se a correção e o sentido, sem que nenhuma outra modificação seja feita na frase, substitui-se corretamente

(A) “Entretanto” por “Embora” em Entretanto,

boa parte das organizações e lideranças

indígenas vêm

(B) “no entanto” por “todavia” em As diversas

mudanças no campo do indigenismo nos últimos anos, no entanto, exigem que

estabeleçamos

(C) “portanto” por “por certo” em

Contemporaneamente, portanto, temos

(4o

(2o parágrafo)

(1o parágrafo)

I. A vaidade, uma vez justificável, deixa de ser um vício abominável. = Se a justificarmos, a vaidade já não seria um vício abominável. II. Ele toleraria a vaidade, desde que pudesse justificá-la. = A vaidade seria tolerada, desde que ela pudesse ser justificada por ele. III. Ele não vê como poderia justificar a vaidade que eventualmente o assalta. = A vaidade não é vista justificada por ele, quando eventualmente é por ela assaltado.

Está correto o que consta APENAS em

parágrafo)

(A)

I.

(D)

“no qual” por “cuja” em temos um quadro

(B)

II.

complexo no qual a política indigenista

(C)

III.

oficial

(4o parágrafo)

(D)

I e II.

(E)

“a partir de” por “acerca de” em a partir de

(E)

II e III.

parcerias formais estabelecidas entre setores governamentais, organizações indígenas (4o parágrafo)

5. A frase que se mantém correta após a inserção de uma ou mais vírgulas, sem prejuízo do sentido original, está em:

mais vírgulas, sem prejuízo do sentido original, está em: 2-O verbo indicado entre parênteses deverá flexionar-se

2-O verbo indicado entre parênteses deverá flexionar-se de modo a concordar em número com o elemento sublinhado na frase:

(A) Vaidades, (haver) muitas delas pelo

mundo; poucas são, no entanto, as que se justificam.

6

www.cers.com.br

(B) Todo aquele que (abominar) as fraquezas humanas deveria buscar discerni-las e qualificá-las, antes de

(B) Todo aquele que (abominar) as fraquezas

humanas deveria buscar discerni-las e

qualificá-las, antes de as julgar.

(C) Aos avanços tecnológicos (poder) seguir-

se uma sensata parceria com outras atividades de que o homem é capaz.

(D) Em que (consistir), em nossa época,

PONTO A PONTO LÍNGUA PORTUGUESA MARIA AUGUSTA

5-As lacunas da frase Um prefácio nossa inteira atenção esteja voltada

força é

impossível resistir preenchem-se adequadamente, na ordem dada, pelos seguintes elementos:

certamente conterá qualidades

práticas efetivamente humanistas, que nos

(A)

para o qual − a cuja

definam pelo que essencialmente somos?

(B)

ao qual − de cuja a

(E)

A quantos outros vícios não se (curvar)

(C)

com o qual − por cuja

quem costuma julgar a vaidade como o mais

(D)

aonde − de que a

abominável de todos?

(E)

por onde − das quais a

3-O verbo indicado entre parênteses deverá flexionar-se, obrigatoriamente, em uma forma do plural para preencher de modo adequado a lacuna da frase:

(A) A situação de vulnerabilidade social que a

tantos

plenamente superada por programas como o

PET.

(B) Aos desafios de criar, desenvolver e

ser

jovens

(constranger)

pode

6- Nas empresas

"enxugamento", algumas secretárias, trabalhos auxiliavam seus superiores,

a

houve

foram demitidas. Elas corrigiam

redação dos textos, encaminhando para assinatura e remetiam as

correspondências para

As lacunas são, correta e respectivamente,

preenchidas com:

destinatários.

sobretudo manter um programa de reinserção

(A)

onde - da qual - nos - lhes - seus

 

social

(corresponder), felizmente, um

(B)

que - cujo os - lhe - os - seus

número expressivo de conquistas.

(C)

em que - cujos os - neles - lhe - seu

(C) Durante mais de dez anos só

(vir) a

(D)

que - cujos - nos - lhes - seu

crescer a convicção de que as medidas adotadas pelo PET eram bastante eficazes.

(E)

em que - cujos - lhes - os seus

(D)

A muitos daqueles que torceram o nariz

7-

A frase

em

que

se

emprega

a

voz

para as iniciativas do PET não

(ocorrer)

reflexiva é:

 

que tais medidas afirmativas poderiam ser tão eficazes.

(E) A um projeto como o “Virando a página” (dever) emprestar todo o apoio os

agentes envolvidos na reabilitação dos menores infratores.

4-Ambos os elementos sublinhados são exemplos de uma mesma função sintática na frase:

(A) Aprende-se no dia a dia do trabalho, por

meio das situações e problemas que surgem.

(B) Assim nos desenvolvemos enquanto

trabalhamos e buscamos atualizações.

(C) Reflexões contínuas e autoavaliação são

atitudes que devem ser desenvolvidas.

(D) Trata-se de uma busca e isso implica tirar

o melhor proveito das experiências.

(E) Pense se a relação com seu superior é

(A)

Muitos desacreditaram de tais iniciativas.

produtiva, se o clima com os colegas é colaborativo.

(B)

São atendidos jovens com idade entre 16

e 21 anos.

(C) Recebem atendimento multidisciplinar e

acompanhamento jurídico.

(D) Vários jovens já concluíram os estudos e

reorganizaram a vida.

(E) “Virando a página” é uma iniciativa que

deveria ser imitada por outras associações.

8-

corretamente a lacuna da frase:

A

expressão

de

que

preenche

(A) As três morais

final do texto fazem pensar no Brasil.

(B) As responsabilidades

assumir ficam sempre num segundo plano.

(C) A indignação

é, na verdade, inconsequente.

o autor enuncia ao

deveríamos

o motorista está tomado

A indignação é, na verdade, inconsequente. o autor enuncia ao deveríamos o motorista está tomado 7

7

www.cers.com.br

(D) As acusações sonegadores também o incriminam. (E) A sugestão de que o nosso liberalismo

(D) As acusações

sonegadores também o incriminam.

(E) A sugestão

de que o nosso liberalismo é hipócrita.

o motorista lança aos

o texto nos transmite é a

9- No entanto, não se pode esquecer de que preservar o que foi conquistado é tão importante quanto conquistar algo novo. Mantendo-se a correção e a lógica, o elemento grifado pode ser substituído APENAS por:

(A) Visto que

(B) Ainda que

PONTO A PONTO LÍNGUA PORTUGUESA MARIA AUGUSTA

modo que o da frase acima encontra-se sublinhado em:

(A) Poucos deixariam de reconhecer na

imagem

(B) Poucas divindades da mitologia grega

sobreviveram tanto tempo.

(C)

homem.

(D) para se materializarem

(E)

guerra, Ares.

que enfrentava no Olimpo o deus da

e converte-se em um atributo do próprio

13. Sem que nenhuma outra alteração seja

(C)

Conquanto

feita na frase, o sinal indicativo de crase

(D)

Embora

deverá ser mantido caso se substitua o

(E)

Contudo

elemento sublinhado pelo que se encontra entre parênteses em:

10- das varandas pendiam colchas,

toalhas bordadas e outros adereços.

O segmento grifado exerce na frase acima

a função de

(A) O justo não é mais correspondente à

função

(atividades exercidas)

designada

no

corpo

social

 

(B) À

lei igual para

todos

incorpora-se o

(A)

sujeito.

princípio de que

(integra-se)

(B)

objeto direto.

(C)

e

o direito à resistência. (resistir)

(C)

objeto indireto.

(D)

e

do acesso à justiça

(tribunais)

(D)

adjunto adverbial.

(E)

Para terminar,

volto à deusa Têmis

(E)

adjunto adnominal.

(evoco)

 

11.

Identifica-se uma causa e seu efeito,

14.

que

enfrentava no Olimpo o deus da

respectivamente, nos segmentos que se

encontram em:

(A) A crença de que os direitos do homem

correspondiam a uma qualidade intrínseca ao próprio homem / implicou enquadrar a justiça

em um novo paradigma.

(B) Embora a aspiração por justiça seja tão

antiga quanto os primeiros agrupamentos

guerra

questionar

indivíduos

a

desigualdade

entre

os

um

símbolo atravessou os séculos

Fazendo-se as alterações necessárias, os segmentos sublinhados acima foram corretamente substituídos por um pronome, na ordem dada, em:

sociais / seu significado sofreu profundas

(D)

À lei igual para todos / incorpora-se o

(A)

o

enfrentava

questionar-lhe

alterações no decorrer da história.

atravessou-lhes

 

(C) Apesar das mudanças / um símbolo

(B)

enfrentava-lhe

a

questionar

os

atravessou os séculos − a deusa Têmis

atravessou (C) lhe enfrentava −

a questionar − lhes

princípio de que desiguais devem ser tratados de forma desigual.

(E) para cumprir suas funções / deve ser

desigual para indivíduos

atravessou (D) o enfrentava − questioná-la − atravessou- os

(E) enfrentava-lhe

os

atravessou

questioná-la

12. Tal doutrina se contrapunha a uma

concepção orgânica

O verbo flexionado nos mesmos tempo e

15. A desigualdade e o poder ilimitado deixam, pois, de ser justificados como decorrentes da ordem natural das coisas.

e o poder ilimitado deixam, pois , de ser justificados como decorrentes da ordem natural das

8

www.cers.com.br

PONTO A PONTO LÍNGUA PORTUGUESA MARIA AUGUSTA O item sublinhado acima estabelece no contexto noção

PONTO A PONTO LÍNGUA PORTUGUESA MARIA AUGUSTA

O item sublinhado acima estabelece no contexto noção de

(D) Concebido nos séculos XVII e XVIII, a doutrina dos direitos dos homens amalga-se à

(A)

conclusão.

declaração de independência dos Estados Unidos.

(B)

finalidade.

(E) Os direitos sociais tem por objetivo um

(C)

causa.

padrão mínimo de igualdade no que se

(D)

temporalidade.

referem ao usufruto dos bens coletivos.

(E)

concessão.

)

da

força do Judiciário O verbo que possui, no contexto, o mesmo tipo de complemento que o sublinhado

16.

dependem, para se materializarem,

os

supostos

da

modernidade

(

acima está empregado em:

(A) os

na realidade concreta.

(B) carregando

balança

(C) O justo não é mais correspondente à

função

preceitos da igualdade prevaleçam

em uma das mãos uma

(D)

e vive da desigualdade

(E)

que ocorreram da Antiguidade grega

até nossos dias.

17. Identifica-se ideia de comparação no

segmento que se encontra em:

(A)

Assim, os supostos da modernidade

(B)

não só a liberdade, mas também as

possibilidades de

(C) Embora a aspiração por justiça seja tão

antiga quanto os primeiros agrupamentos

(D) A persistência da representação esconde,

contudo, importantes mudanças

(E) para indivíduos que são desiguais na

vida real.

18. Está correta a redação do comentário

que se encontra em

(A) Historicamente, o processo de ampliação

dos direitos que compõe a cidadania

representou uma redução nos níveis de exclusão social.

(B) Perante a lei, todos usufruem de igual

direito à segurança, à propriedade, à não ser

condenado sem o devido processo legal etc. (C) Um dos mais importantes efeitos da incorporação de direitos na sociedade é a redução da distância entre indivíduos.

GABARITO

da incorporação de direitos na sociedade é a redução da distância entre indivíduos. GABARITO www.cers.com.br 9

www.cers.com.br

9

Prova 1 : 1-E 2-B 3-C 4-A 5-C 6-C 7-D 8-C 9-B 10-E 11-A 12-D

Prova 1:

1-E

2-B

3-C

4-A

5-C

6-C

7-D

8-C

9-B

10-E

11-A

12-D

Prova 2:

1-C

2-B

3-D

4-B

5-E

Questões avulsas:

1-B

2-D

3-E

4-D

5-A

6-E

7-B

8-C

9-E

10-A

11-A

12-E

13-A

14-D

15-A

16-D

17-C

18-C

PONTO A PONTO LÍNGUA PORTUGUESA MARIA AUGUSTA

7-B 8-C 9-E 10-A 11-A 12-E 13-A 14-D 15-A 16-D 17-C 18-C PONTO A PONTO LÍNGUA

www.cers.com.br

10

AULA 03 REGÊNCIA NOMINAL Regência Nominal é a relação existente entre um nome – substantivo,

AULA 03

REGÊNCIA NOMINAL

Regência Nominal é a relação existente entre um nome substantivo, adjetivo ou advérbio- e seu complemento.

Vejamos a regência de alguns nomes:

1-acessível a, para 2-adequado a , para , com 3-agradável a , para , de 4-alheio a , de 5-análogo a 6-ansioso por , de , para 7-apto a , para 8-atento a , para , em 9-aversão a , em , para , por 10-avesso a , de , em 11-ávido de , por 12-benéfico para , a 13-bom de , para , a , para com 14-capaz de , para 15-compatível com , a 16-comum a , com , de , em , entre , para 17-conforme a , com , em , para 18-conivente com , em 19-contente em , de , com , por 20-contíguo a , com 21-contrário a , de , em , por 22-cruel a , com , de , para , para com 23-curioso de , em , para , por 24-descontente com , de 25-desleal a , com , em , para com 26-devoção a , para com , por 27-difícil a , para , de 28-ditoso de , com , em , por 29-diverso de , em 30-escasso de , em 31-essencial a , de , em , para 32-estranho a , para , de 33-fértil de , em 34-fiel a , em , para com 35-franco a , com , em , sobre 36-grato a , para , por 37-hábil em , para 38-habituado a , com , em 39-impotente a , ante , contra , diante de , por

LÍNGUA PORTUGUESA PONTO A PONTO Língua Portuguesa Maria Augusta

40-impróprio a , para , de 41-imune a , de 42-incapaz de , em , para 43-indiferente a , com , para , para com , por 44-inerente a , em 45-insensível a , ante , para 46-intolerante a , com , em , para , para com 47-leal a , com , em , para , para com 48-liberal com , de , em , para com 49-natural de , a , em , para 50-necessário a , em , para 51-negligente em 52-nobre de , em , por 53-nocivo a , para 54-odioso a , para , por 55-oneroso a , para 56-orgulhoso de , com , em , por 57-parco de , com , em 58-parecido com , a , em 59-passível de 60-peculiar a , de 61-pernicioso a , para 62-pertinaz em 63-prestes a , em , para 64-pronto a , em , para 65-propício a , para 66-próprio a , de , para 67-proveitoso a , para 68-querido a , de , em , por 69-rente a , com , de , por 70-respeito a , com , de , em , entre , para com , por 71-sensível a , para 72-sito em , entre 73-soberbo com , de 74-solícito com , de , em , para , para com , por 75-suspeito a , de 76-temeroso de , a , em 77-triste com , de , em , para , por 78-último a , de , em 79-união a , com , de , entre 80-único a , em , entre , sobre 81-usual a , entre 82-vaidoso de , em 83-vedado a , por 84-velado a , de , em , por 85-veneração a , de , para com , por 86-vestido a , com , de , para , por 87-veto a , contra

88-vinculado a , com , por 89-vizinho a , de , com 90-vulgar a ,

88-vinculado a , com , por 89-vizinho a , de , com 90-vulgar a , em , entre

REGÊNCIA

VERBAL

Vejamos abaixo a regência de alguns verbos e suas particularidades:

1-ABRAÇAR: é transitivo direto quando usado

no sentido de “apertar com os braços, adotar, seguir.Ex.: O médico abraçou o filho . / O médico abraçou a causa daquela gente humilde.

forma

Obs.: Quando usado

pronominal, é transitivo indireto. Ex.: A filha abraçou-se à mãe./ O atleta abraçou-se ao técnico e comemorou.

em

sua

LÍNGUA PORTUGUESA PONTO A PONTO Língua Portuguesa Maria Augusta

c) caber, ser do direito: Estes bens assistem a eles. d) morar, residir: Eles assistem em São Paulo há dez anos.

6-ATENDER: aceita as duas formas :

Ex.: Ele atendeu os pedidos dos alunos. / Ele atendeu aos pedidos dos amigos.

7-CUSTAR: é transitivo direto no sentido de “ter custo,ter preço”. Ex.: Aquele imóvel custou R$ 500.000,00. No sentido de “ser difícil, ser custoso”,é transitivo indireto.

aos

Ex.: Aceitar a perda do título custou

atletas./ Custou a eles aceitar a perda do título./ Custou-lhes aceitar a perda do título.

2-AGRADAR: é transitivo direto no sentido de acarinhar ,fazer carinhos”. Ex.: A mãe agradava o filho, afagando-lhe a cabeça. É transitivo indireto quando usado no sentido de “ser agradável”. Ex.: A violência no estádio não agradou aos turistas.

8-ESQUECER/

LEMBRAR:são

transitivos

diretos.

 

Ex.:

Ela

lembrou

a

data

da

festa.

/

Ela

esqueceu a data da festa. Obs.: Quando usados na forma pronominal, são transitivos indiretos. Ex.: Ela se lembrou da data da festa. / Ela se esqueceu da data da festa.

3-AJUDAR: é transitivo direto.

Ex.: Ele ajudou os amigos durante as obras. Obs.: Se seguido de verbo no infinitivo, é precedido de preposição “a”.

os

Ex.:

jogadores.

Eu

ajudei

o

mestre

a

escolher

4-ASPIRAR:é transitivo direto no sentido de cheirar, inalar”.

aquela

essência forte. É transitivo indireto quando usado no sentido de “desejar, almejar”.

Ex.: Ele aspirava

Ex.:

Ele

espirrou

porque

aspirou

aos lucros vultosos do

concorrente. Nós aspirávamos ao sucesso da peça.

5-ASSISTIR: admite vários sentidos na língua:

a) ver, presenciar: Ele assistiu ao torneio pela TV. b) ajudar, dar assistência: A população local assistiu as vítimas. OU A população assistiu às vítimas.

9-IMPLICAR: admite vários sentidos:

a) ter implicância:

Ex.: Ele implica com a irmã.

b) gerar, acarretar, causar:

implicaram

discussões acaloradas.

c) envolver-se:

Ex.: Apesar das advertências do pai, ele implicou-se em falcatruas.

Ex.:

As

atitudes

precipitadas

10-PAGAR

e

PERDOAR: são transitivos

diretos de OBJETO e indiretos de PESSOA.

Ex.: Ele perdoou todas as injustiças sofridas.

Ele

perdoou

aos

amigos

que

não

acreditaram nele. Ele pagou todas as contas da família. Ele pagou a todos os credores.

11-PROCEDER: admite vários sentidos:

a) vir, origem:

Ex: Este vinho procede da fábrica do Sul.

b) agir:

Ex.: Os diretores procederam com lisura.

c) dar início, iniciar : Ex.: O juiz procedeu ao interrogatório. d) ter fundamento :

c) dar início, iniciar:

Ex.: O juiz procedeu ao interrogatório.

d) ter fundamento:

Ex.: Suas queixas não procedem.

12-QUERER:admite dois sentidos:

a) desejar :

Ex.: Elas querem aquelas roupas caras. b) ter amor, ter estima:

Ex.:

verdadeiros amigos. 13-SUCEDER: admite dois sentidos:

a) ocorrer, acontecer:

Ex.: Durante o jogo , muitas brigas sucederam

no estádio.

nossos

Nós

queremos

muito

a

b) seguir-se, vir depois:

Ex.: Pedro sucedeu a Roberto na direção da

empresa.

LÍNGUA PORTUGUESA PONTO A PONTO Língua Portuguesa Maria Augusta

Vejamos a dupla possibilidade de construção:

Informei os alunos do teste. alunos o teste. Alertei o jovem da punição cabível. ao jovem a punição cabível. Participei os clientes da greve. aos clientes a greve. Notifico os pais da reunião. pais a reunião.

Aviso ao time

Notifico aos

Participei

Alertei

Informei aos

/

/

/

/

Aviso o time dos treinos. o treino.

/

QUESTÕES

USO de À QUAL , ÀS QUAIS , A QUE REGÊNCIA VERBAL E NOMINAL

1-Em 1992, a indústria cinematográfica do

 

país entrou numa crise

só começou a

14-VISAR: admite vários sentidos na língua:

 

se recuperar na segunda metade da década de 1990. (Adaptado de Eduardo Bueno, op.cit.) Preenche corretamente a lacuna da frase acima:

a)

mirar, olhar:

 

Ex.: O atirador visava o alvo.

 

b)

dar o visto, abonar, rubricar:

 

Ex.:

A

diretora

visou

os

diplomas

dos

formandos.

c)

desejar, almejar:

(A)

a qual

Ex.: Os sócios visavam a lucros grandiosos.

(B)

a que

(C)

na qual

15-ACEDER: é transitivo indireto.

(D)

onde

Ex.: Os diretores acederam àqueles projetos.

(E)

da qual

16-ANUIR: é transitivo indireto. Ex.: Os diretores anuíram àquelas reformas.

17-INSURGIR-SE: é transitivo indireto. Ex.: A Igreja se insurge contra pesquisas genéticas.

18-PRESCINDIR: é transitivo indireto. Ex.: Aquelas crianças não poderiam prescindir da ajuda do governo.

originalidade da

obra de Glauber Rocha o êxito do movimento denominado Cinema Novo.

ela se

mostrou favorável exigiam que ela saísse

de sua cidade. A campanha de saúde

a população

tanto fizera elogios foi realmente efetiva e

teve ótimos resultados. Preenchem corretamente as lacunas da frase acima, na ordem dada:

Todas as propostas de emprego

2-Costuma-se atribuir

19-IMISCUIR-SE: é transitivo indireto. Ex.: A polícia se imiscuiu na favela.

(A)

à às quais à que

Ele se imiscui em todas as decisões do

(B)

a as quais

− a que

irmão.

(C)

a às quais

− à que

20-Os verbos abaixo apresentam idêntica

(D)

à às quais a que

possibilidade de construção. São eles: informar , alertar , notificar , avisar , certificar , cientificar , participar .

(E)

a a que

à que

LÍNGUA PORTUGUESA – PONTO A PONTO Língua Portuguesa Maria Augusta 3-Aquilo de que o nosso

LÍNGUA PORTUGUESA PONTO A PONTO Língua Portuguesa Maria Augusta

3-Aquilo de que o nosso aparelho

(A)

às − as − à

perceptivo nos faz cientes…

(B)

as − as − à

O

elemento sublinhado na frase acima

(C)

as − às − à

preenche correta mente a lacuna da frase

(D)

às − às − a

(E)

as − às – a

os objetos refletem leva

cerca de oito minutos e dezoito segundos para

atingir a superfície da Terra.

(B) A correnteza ligeira do tempo nos dá a

estamos em contato com o

mundo em tempo real.

chamamos presente depende

do lugar que ocupamos no espaço.

(D) As sensações

experimentam advêm de sua percepção do mundo exterior.

os seres humanos

(C)

impressão

(A) A luz do sol

Aquilo

(E) A memória faz

possibilidade de estabelecer relações de causa e efeito entre eventos do passado.

tenhamos a

4-Há quem faça canções com acurado

o trato

de harmonias complexas concilia-se com o

gosto popular. Há outros que trabalham

apenas com um violão

mais do que dois ou três acordes. No entanto, como a canção popular é campo

fértil para as relações entre o sofisticado e

o elementar, soluções muito simples

dispõem às vezes de uma força criativa genuína. Preenchem corretamente as lacunas da frase acima, na ordem dada:

não dominam

conhecimento de causa musical,

6-A expressão com o qual completa corretamente a lacuna da frase:

(A) A avaliação do que seja ou não uma

discriminação racista é um desses casos

polêmicos

(B) A iniciativa de se fotografar os candidatos

faz parte de um sistema

manifestou discordância.

se

analisou neste texto, vem dividindo a opinião

pública. (D) O sistema anunciado pela UnB,

é repelido pela Folha, é tido

como racista e inconsistente.

(E) A UnB já anunciou seu sistema de

identificação racial,

nem mesmo alguns

muita gente já

é difícil haver unanimidade.

(C) O sistema de cotas raciais,

critério

interessados na questão chegam a concordar.

7-Quando se dizia "livro", todos entendiam um objeto de peso e volume, composto de folhas encadernadas, protegidas por papelão ou couro, nas quais se gravavam a tinta palavras ou imagens.

A expressão acima destacada é equivalente

à sublinhada na seguinte frase:

(A) O livro de onde retirei a citação está

(A)

na qual − a que

emprestado.

(B)

nas quais − do qual

(B)

As janelas sob as quais foram gravadas as

(C)

às quais − que

cenas eram pintadas de verde.

(D)

a qual − de que

(C)

As folhas rubricadas, as quais entreguei à

(E)

as quais onde

secretária, foram anexadas ao prontuário.

5-No trabalho em equipe, respeito

diretrizes é essencial, mas muitos

profissionais decidem ignorar

tomam decisões de acordo com o que

acham melhor. A resistência em aceitar

adoção

de novos procedimentos e sistemas.

Preenchem corretamente as lacunas da

frase acima, na ordem dada:

regras e

regras geralmente está ligada

(D) As urnas em que foram depositados os

votos foram lacradas pela diretoria do clube.

(E) Os rapazes de quem foram gravados os

depoimentos foram entrevistados ontem.

8-Observada

seguinte frase:

a

regência,

está

correta

a

(A) Medeio, sim, seu encontro com esse

advogado mais experiente, pois sei como você

LÍNGUA PORTUGUESA – PONTO A PONTO Língua Portuguesa Maria Augusta está temeroso pelo poder de

LÍNGUA PORTUGUESA PONTO A PONTO Língua Portuguesa Maria Augusta

está temeroso pelo poder de argumentação do

(C)

A tolerância é uma virtude na qual não

promotor.

podem prescindir os que se dizem homens de

(B)

Ressentiu-se, com razão, da oposição da

fé.

prima, e pensou que, se expusesse com calma

(D)

O ateu desperta a ira dos fanáticos, a

seus motivos, poderia obter sua concordância.

despeito de nada fazer que possa injuriá-los ou

(C) A casa que, na época, nos instalamos era

a que podíamos pagar, mas tínhamos um

pacto: se todos se mantivessem firmes em seus empregos, moraríamos melhor.

(D) Aborreceu-se de tanta conferência de

abaixo-assinados e requereu transferência para outro setor da administração.

(E) Dizem que é ele que obstrui a discussão,

por isso, para defender-se, aludiu o nome do

responsável pelo atraso.

9-A construção da frase “Eu pressuponho esse futuro com o qual nada me autoriza a contar “ permanecerá correta caso se substitua o elemento sublinhado por

desrespeitá-los.

(E) Respeito os homens de fé, a menos que

deixem de fazer o mesmo com aqueles que não a têm.

meios

essenciais à busca da felicidade O segmento grifado acima preenche corretamente a lacuna da frase:

12-

a

menção

de

que

são

(A) Os anseios da população,

seus representantes, seriam atendidos por

meio das medidas que estavam sendo tomadas naquele momento.

(B) Eram escassos os argumentos

se referiam

(A)

em cujo nada posso desconfiar.

dispunham os defensores da proposta apresentada para chegar à sua aprovação

(B)

de cujo pouco posso prever.

pela maioria.

 

(C)

por quem nada posso antecipar.

(C)

Os meios

contavam aqueles que se

(D)

do qual nada me é dado esperar.

dispuseram a defender novas ideias nem

(E)

perante o qual não sei avaliar.

sempre lhes permitiram superar o conservadorismo da época.

10-“A consequência se reflete no aumento de colesterol, de triglicérides e das taxas de glicose, que se acumulam nos vasos, aumentando as chances de obstruí-los”. A alternativa que apresenta um verbo com a mesma regência do verbo refletir :

A) acarretar.

B) intervir.

C) implicar.

D) lembrar.

E) visar.

11-Está inadequado o emprego do elemento sublinhado na seguinte frase:

(A) Sou ateu e peço que me deem tratamento

similar ao que dispenso aos homens religiosos.

(B) A intolerância religiosa baseia-se em

preconceitos de que deveriam desviar-se todos os homens verdadeiramente virtuosos.

(D) A vitória naquele torneio,

sentimentos de bem-estar aos torcedores,

transformou-se em objetivo prioritário para os dirigentes.

traria

(E) Seria necessário garantir a qualidade na

prestação dos serviços públicos população se sentisse feliz.

toda a

13-O elemento sublinhado constitui uma falha de redação na frase:

(A) O espírito de competição pelo qual se deixa

empolgar acabará levando-o à loucura.

(B) Trata-se de um artista de cujas qualidades

ninguém deixa de acreditar.

(C) Parecia-lhe preferível perder a competição

com dignidade a ganhá-la com desonra.

(D) Manuel Bandeira, cuja poesia logo me

encantou, foi um lírico originalíssimo.

(E) Durante a competição, a vitória da qual ele

estava confiante escapou-lhe inteiramente das mãos.

14- ( )A retirada da preposição “ de ” em “A afirmação de que tudo

14-( )A retirada da preposição “de” em “A afirmação de que tudo se deu como previsto fê-los ficar satisfeitos” desrespeita as regras de regência do padrão culto da língua e prejudica a coerência textual.

)“Os bancos colocaram os

computadores no cotidiano de amplas camadas da população e estão induzindo os menos carentes a comprar seu computador a perder de vista e a usá-lo no relacionamento com o próprio banco”.

O emprego de preposição imediatamente

antes de “comprar” e de “usá-lo” justifica-

se pela regência do verbo induzir.

15-(

16-( ) Mantêm-se a correção gramatical do período e as informações ao se eliminar a palavra sublinhada em “Sentimo-nos mais perto do que nunca um do outro, ainda que a quilômetros de distância”.

LÍNGUA PORTUGUESA PONTO A PONTO Língua Portuguesa Maria Augusta

GABARITO : 1-E 2-D 3-B 4-B 5-A 6-E 7-D 8-B 9-D 10-B 11-C 12-B 13-B

GABARITO:

1-E

2-D

3-B

4-B

5-A

6-E

7-D 8-B 9-D

10-B

11-C

12-B 13-B

14-C

15-C

16-C

LÍNGUA PORTUGUESA PONTO A PONTO Língua Portuguesa Maria Augusta

LÍNGUA PORTUGUESA Profª Maria Augusta G. Almeida COLOCAÇÃO PRONOMINAL 1-CESGRANRIO 2011 - Petrobrás - Técnico

LÍNGUA PORTUGUESA Profª Maria Augusta G. Almeida

COLOCAÇÃO PRONOMINAL

frases abaixo:

Leia

as

I - Convém que entregue o relatório o mais

rápido

(me)

II- Amanhã, anunciarei as novas rotinas do

possível.

LÍNGUA PORTUGUESA PONTO A PONTO Língua Portuguesa Maria Augusta

ERRADO ( )

4- Assinale a frase com erro de colocação pronominal:

a) Tudo se acaba com a morte, menos a

saudade.

b) Com muito prazer, se soubesse, explicaria-

lhe tudo.

c) João tem-se interessado por suas novas

atividades.

d) Ele estava preparando-se para o vestibular

setor.

 

(lhes)

de Direito.

III-

Sentindo

ofendido,

retirou-se

do

plenário.

 

(se)

5- Assinale a frase com erro de colocação

IV

Quem

informará

as

suas

novas

pronominal:

designações?

 

(lhe)

A exigência da próclise ocorre APENAS nas frases:

a) I e II.

b) I e III.

c) I e IV.

d) II e III.

e) III e IV

2- CESGRANRIO 2010 - EPE - Advogado Dentre as sentenças abaixo, aquela em que a forma alternativa de colocação do pronome oblíquo está de acordo com o registro culto e formal da língua é

a) Antes do Kindle, qualquer um podia pegar

um livro e lê-lo. - e o ler.

b) Hoje se consegue com a leitura muito mais

do que conhecimento. - Hoje consegue-se.

c) Acredito que não se precisa de nada para

ler, apenas um par de óculos. - não precisa-se

d) Se eu ganhasse um livro eletrônico, nunca

iria folheá-lo. - nunca iria o folhear.

e) Muito se tem falado sobre os livros eletrônicos. - Muito tem falado-se.

a) Tudo me era completamente indiferente.

b) Ela não me deixou concluir a frase.

c) Este casamento não deve realizar-se.

d) Ninguém havia lembrado-me de fazer as

reservas.

6- (TTN) Assinale a frase em que a colocação do pronome pessoal oblíquo não obedece às normas do português padrão:

a. Essas vitórias pouco importam; alcançaram-

nas os que tinham mais dinheiro.

b. Entregaram-me a encomenda ontem, resta

agora a vocês oferecerem-na ao chefe.

c. Ele me evitava constantemente!

iam falado a meu respeito? d. Estamos nos sentido desolados: temos

Ter-lhe-

prevenido-o várias vezes e ele não nos escuta.

e. O Presidente cumprimentou o Vice dizendo:

- Fostes incumbido de difícil missão, mas cumpriste-la com denodo e eficiência.

7- (FTU) A frase em que a colocação do pronome átono está em desacordo com as normas vigentes no português padrão do Brasil é:

3-CESPE 2010 - MPU - Técnico Administrativo No trecho, o deslocamento do pronome "se" para imediatamente após a forma verbal "concretizar" - não deverá concretizar-se - não prejudicaria a correção gramatical do texto.

CERTO ( )

a) A ferrovia integrar-se-á nos demais sistemas viários.

b) A ferrovia deveria-se integrar nos demais

sistemas viários.

c) A ferrovia não tem se integrado nos demais

sistemas viários.

d) A ferrovia estaria integrando-se nos demais

sistemas viários.

nos demais sistemas viários. d) A ferrovia estaria integrando-se nos demais sistemas viários. 1 www.cers.com.br
1
1

www.cers.com.br

e) A ferrovia não consegue integrar-se nos demais sistemas viários. LÍNGUA PORTUGUESA – PONTO A

e) A ferrovia não consegue integrar-se nos demais sistemas viários.

LÍNGUA PORTUGUESA PONTO A PONTO Língua Portuguesa Maria Augusta

d) Tem certeza de que ele saiu-se bem no

concurso?

e) O diretor resolveu criticar-se na frente dos

8- (UFSE) “Os projetos que

estão

colegas.

em ordem;

,

ainda hoje, conforme

 

”.

12- (MM) A frase em que há erro de

a)

enviaram-me - devolvê-los-ei - lhes prometi.

colocação pronominal é:

b) enviaram-me - os devolverei - lhes prometi.

c) enviaram-me - os devolverei prometi-lhes.

d) me enviaram - os devolverei prometi-lhes.

e) me enviaram devolvê-los-ei - lhes prometi.

nossos escritores

filiaram- se ao naturalismo”. A colocação do pronome átono empregada com a forma verbal destacada acima tornou-se incorreta em:

9-