Sei sulla pagina 1di 9

Relação Interétnica e o

choque de
epistemologias:
estudantes indígenas no
ensino superior em
Garanhuns-PE

João Batista de Oliveira


EPISTEMOLOGIA
Teoria (ou filosofia) do
Conhecimento
É uma das principais áreas da filosofia,
compreende a possibilidade do conhecimento.
É possível o conhecimento?
Qual a origem do conhecimento – qual sua base e
estrutura?
Qual o valor do conhecimento – simbólico, utilitário?
É possível ao ser humano alcançar o conhecimento
total, genuíno, universal?
COSMOVISÃO
Universo e sua representações
Mundo Ocidental
O conhecimento (válido) se distingue da
opinião (ou senso comum) e é universal.
O que valida o conhecimento “válido”?
O método aplicado na sua construção.
Quais são os métodos reconhecidos que
validam o conhecimento:

Científico = Phisis – ciência experimental


empírica – Demonstração em laboratório –
Evidência – Gregos;
Teológico = Revelação – anúncio profético
simbólico/representativo trazido por uma
autoridade – Metafísico – Crença - Judeus;
Filosófico = Lógica – reflexão argumentativa –
Abstrato - Razão – Gregos.
Pressupostos originários que validam o
conhecimento construído:
Filosóficos: Empirismo, Racionalismo,
Existencialismo, Marxismo, Positivismo,
Idealismo...
Teológicos: Bíblia como Revelação, “sentido”
enquanto encontro metafísico/espiritual;
Científicos: Experimentação, Testes sob
condições controlada, Coerência...
Resumo Ocidental
Separa os elementos constitutivos do Universo
Ontológico (Ser na totalidade)

SER HUMANO
=
Deus – Espírito/”Sentido” (Teológico)
Homem – Reflexivo/”Razão” (Filosofia)
Mundo – Phisis – Natureza (Ciência)
Problematização
1. O sentido a vida, a revelação do espírito, a crença em valores,
as divindades... Não são iguais para diferentes povos;
2. As bases filosóficas do conhecimento nunca estão
nitidamente separadas;
3. As seleções dos elementos a serem experimentados, o valor
que lhes é dado nos contextos, a relevância e aplicação dos
resultados estão sempre vinculados a valores simbólicos;
4. As estratégias para a construção do conhecimento: escolas,
mídias, relações de poder, intenção subjetiva, definição de
objetivos... Pressupõe uma política de um mundo ideal de
determinados segmentos sociais...
ENFIM

Se o conhecimento é possível apenas sob


alguns domínios artificiais colocados pela
cultura ou condicionantes limitadoras, desde
o átomo que pode vir a ser qualquer
elemento, ou de qualquer elemento que ao
ser desmontado/desintegrado suas partes
ganham “autonomia” e se diferenciam do
todo, o que é mesmo isso que chamamos de
conhecimento e a que ou a quem ele serve?
Obrigado!!!

João Batista de Oliveira


jbatist7@yahoo.com.br