Sei sulla pagina 1di 8

JULGADOS REFERENTE HONORÁRIOS PERÍCIAIS

DECISÃO QUE HOMOLOGOU OS HONORÁRIOS DO


PERITO. VALOR JUSTIFICADO PELO EXPERT APÓS PONTUAR A NECESSIDADE
DE DILIGÊNCIA NO LOCAL E A ÓRGÃOS PÚBLICOS, COM ELABORAÇÃO DE
PLANTAS E MEDIÇÃO DAS BENFEITORIAS E DEMARCAÇÃO DAS
PROPRIEDADES OBJETO DO LITÍGIO E DAS ÁREAS CONFRONTANTES. GLEBAS
COM EDIFICAÇÃO. REGULAMENTO DE HONORÁRIOS. COMPLEXIDADE DO
TRABALHO QUE JUSTIFICAM A MANUTENÇÃO DO VALOR. 1- Agravo de
instrumento interposto em face da decisão
que homologou proposta de honorários periciais no valor de R$ 14.600,00 (quatorze
mil e seiscentos reais). 2- O expert indicou objetivamente os elementos que compõem
a sua proposta. Destacou a necessidade de diversas diligências, bem como a
necessidade de conhecimento técnico mais apurado (CREA/RJ e CNAI/COFECI) para
demarcar e identificar o que se pretende avaliar, restando demonstrada a complexidade
da perícia. 3- Os honorários periciais, no caso presente, devem levar em conta não
somente a área a ser periciada, mas também as áreas relativas aos terrenos
confrontantes, bem assim a situação econômica da agravante. 4- O Regulamento
de Honorários para Avaliações e Perícias de Engenharia para perícias em glebas sem
edificação com área de 50.001 a 100.000 m2, honorários de R$ 20.000,00 e, para
áreas superiores a 100.000 m2, os honorários serão calculados tendo como parcela o
montante estimado de horas técnicas. 5- Dita tabela recomenda, ainda, no caso de
glebas com edificação ¿ justamente o caso dos autos ¿ a utilização dos valores relativos
à avaliação pecuniária de bens imóveis prevista nas alíneas anteriores da mesma, o
que, em apreciação para efeitos do processo, sinaliza no sentido de prestígio
da proposta de honorários como apresentada. 6- Honorários fixados
em valor condizente com o grau de complexidade do trabalho a ser desenvolvido.
NEGATIVA DE PROVIMENTO AO RECURSO. TJ-RJ - AGRAVO DE INSTRUMENTO
AI 00397878020138190000 RJ 0039787-80.2013.8.19.0000 (TJ-RJ).

AGRAVO DE INSTRUMENTO 0706783-68.2018.8.07.0000 - Relator Desembargador


SEBASTIÃO COELHO - EMENTA:
PROCESSO CIVIL. LIQUIDAÇÃO DE SENTENÇA. PROVA PERICIAL. IMPUGNAÇÃO
AO VALOR DOS HONORÁRIOS PERICIAIS. AUSÊNCIA DE IMPUGNAÇÃO
ESPECÍFICA E DE COMPROVAÇÃO DE DESPROPORCIONALIDADE. DECISÃO
MANTIDA. 1. Inexistindo elementos probatórios que corroborem a tese de
desproporcionalidade da quantia fixada a título de honorários periciais, deve ser mantido
o valor apresentado pelo perito, não cabendo ao magistrado reduzi-lo arbitrariamente.
2. Recurso conhecido e desprovido. Acordam os Senhores Desembargadores do (a) 5ª
Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios, SEBASTIÃO
COELHO - Relator, SILVA LEMOS - 1º Vogal e ROBSON BARBOSA DE AZEVEDO -
2º Vogal, sob a Presidência do Senhor Desembargador SEBASTIÃO COELHO, em
proferir a seguinte decisão: CONHECER. NEGAR PROVIMENTO. UNÂNIME., de
acordo com a ata do julgamento e notas taquigráficas. Brasília (DF), 25 de Julho de
2018. RELATÓRIO - Cuida-se de Agravo de Instrumento interposto por GRUPO OK
CONSTRUÇÕES E INCORPORAÇÕES LTDA (autor) contra a decisão de ID 4067831,
proferida pelo Juízo da 11ª Vara Cível de Brasília, na Liquidação de Sentença nº
2015.01.1.015024-8, que fixou os honorários periciais em R$ 5.950,00, dando o
prazo de 10 dias para o agravante/exequente pagar tal quantia, tendo em vista que foi
quem pediu a prova e causou a anulação da primeira perícia. Em breve síntese do caso,
cuida-se de liquidação de sentença em que se faz necessária a realização de perícia
para avaliação do valor de locação do imóvel dos autos, pelo preço de mercado entre o
período de 03/12/1996 a 16/04/2013, com a resposta dos quesitos elaborados pelas
partes. Insurge-se o agravante/autor quanto ao valor dos honorários periciais, fixado em
R$ 5.950,00, pois considera excessivo, ante a ausência de complexidade do caso e a
existência de perícia anterior, que já respondeu os seus quesitos. Assim, ante a
ausência de elementos probatórios satisfatórios que corroborem a tese de
desproporcionalidade da importância fixada a título de honorários periciais, deve ser
mantido o valor apresentado pelo perito, pois estes se mostraram razoáveis ao caso.

TJ-RJ - AGRAVO DE INSTRUMENTO AI 498385820108190000 RJ 0049838-


58.2010.8.19.0000 (TJ-RJ) -Jurisprudência• Honorários Períciais - Arbitramento.
Seguro obrigatório. DPVAT . Perícia médica para apurar o grau de invalidez da parte
autora, resultante de acidente de trânsito. Decisão que homologou os honorários do
perito no valor de R$ 2.550,00. Valor elevado que deve ser reduzido, eis que não
apresenta maior grau de complexidade, consistindo em não mais que uma consulta
médica, exames simples, com avaliação das lesões verificadas e elaboração do laudo.
Inobstante a reconhecida qualificação técnica do Ilustre Perito, o valor proposto e
homologado a título de honorários periciais mostra-se em dissonância com a
jurisprudência. Redução dos honorários periciais ao patamar de R$ 1.500,00 (um mil e
quinhentos reais), revelando-se a medida mais consentânea com a lógica do razoável
e proporcional. Precedentes deste Tribunal. Parcial provimento ao recurso na forma do
artigo 557 , § 1º - A, do CPC

AGRAVO INTERNO NA AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0031165-41.2015.8.19.000.


Com efeito, na medida em que o recorrente não trouxe nenhum argumento apto a
ensejar a modificação da convicção exarada, impõe-se a manutenção do decisum,
lançado nos seguintes termos:
O recorrente insurge-se contra a decisão que homologou os honorários do perito
atuarial em R$14.80,00 (quatorze mil e oitocentos reais). No caso concreto, o culto
magistrado homologou a proposta apresentada pelo perito “considerando o grau de
especialização exigido e o tempo previsto para a realização da perícia, diante dos
quesitos formulados, estando o valor de acordo com a média para casos similares”
(grifei).É cediço que o arbitramento dos honorários periciais deve levar em conta a
natureza do trabalho a ser realizado pelo expert, ponderada a complexidade e o tempo
necessário para escorreito cumprimento do encargo.
O recorrente, inconformado, acusa o excesso do valor fixado a título de honorários sem
apresentar elementos mínimos à análise da compatibilidade do quantum com a
complexidade da perícia, eis que sequer os quesitos a serem abordados são de
conhecimento deste relator. Em verdade, dos parcos documentos que instruem o
recurso, depreendesse que se trata de ação de cobrança/resgate de contribuição
previdenciária, em fase de liquidação de sentença, movida por nada menos que 11
(onze) autores, hipótese distinta àquelas de que trataram os julgados acostados pelo
recorrente. Assim, ante a impossibilidade de análise da complexidade da perícia a ser
realizada, deve prevalecer o entendimento do culto magistrado a quo que, ponderando
os elementos dos autos, homologou os honorários periciais na quantia proposta.

TJ-RJ - AGRAVO DE INSTRUMENTO AI 00165436420098190000 RIO DE JANEIRO


JACAREPAGUA REGIONAL 4 VARA CIVEL (TJ-RJ).
IRRESIGNAÇÃO NO QUE TOCA AOS HONORÁRIOS PERICIAIS HOMOLOGADOS
POR DECISÃO DO JUÍZO DE PRIMEIRO GRAU (R$ 17.000,00) PARA REALIZAÇÃO
DE PERÍCIA EM MEDICAMENTO. PERÍCIA SIMILAR EM OUTROS AUTOS NOS
QUAIS OS HONORÁRIOS FORAM FIXADOS POR MENOS DA METADE DO VALOR
(R$ 8.250), CONSIDERANDO O NÚMERO ESTIMADO DE HORAS E A TABELA DO
INSTITUTO DE ENGENHARIA LEGAL. AUSÊNCIA DE PECULIARIDADE A
JUSTIFICAR TAMANHA DISCREPÂNCIA NOS VALORES. SEGUNDA PROPOSTA
QUE MERECE PRESTÍGIO EM RAZÃO DOS CRITÉRIOS ELEITOS PARA A SUA
ESTIPULAÇÃO. RECURSO CONHECIDO E PROVIDO PARA REDUZIR O VALOR DA
PERÍCIA PARA R$ 9.135,12 - RESULTADO DO VALOR DE REFERÊNCIA
CORRIGIDO MONETARIAMENTE.

Nº 2092429-59.2017.8.26.0000 - Processo Digital. Petições para juntada devem ser


apresentadas exclusivamente por meio eletrônico, nos termos do artigo 7º da Res.
551/2011 - Agravo de Instrumento - Santos - Agravante: Marimex Despachos,
Transportes e Serviços Ltda. - Agravado: BRASIL TERMINAL PORTUÁRIO S.A. -
Considerando o minucioso e aprofundado trabalho do perito na apuração dos dados da
liquidação de sentença e bem assim o expressivo valor da vantagem econômica
objetivada, de mais de quinze milhões de reais, fixo os honorários dele no montante
reivindicado de R$68.880,00. Intime-se para pagamento. - Magistrado (a) Sebastião
Flávio .

TRT-17 - AGRAVO DE PETIÇÃO AP 00063009119915170002 (TRT-17)


EMENTA- VALOR DOS HONORÁRIOS PERICIAIS. A decisão homologatória dos
cálculos fixou o valor dos honorários periciais complementares em R$500,00.
Irresignação do perito. Novo valor arbitrado em R$25.000,00. Agravo de petição da
executada. Conforme salientado pelo Juízo de Primeiro Grau, não estava preclusa a
oportunidade para o perito manifestar-se com relação aos honorários periciais, visto que
o Juízo de Origem não havia analisado a pretensão do expert de que lhe fossem
arbitrados honorários compatíveis com a complexidade da causa, não se acolhendo,
assim, a alegação da executada de que teria havido preclusão “pro judicato”. No tocante
à redução do valor dos honorários periciais, verifica-se que o perito realizou um trabalho
de grande complexidade, que se estendeu por alguns anos, posto que necessitou apurar
os valores devidos a duzentos e cinquenta e dois empregados substituídos. Assim,
considera-se que a qualidade e a complexidade do trabalho não podem ser retribuídas
com honorários periciais de somente R$1.000,00 (mil reais), como sustenta a
executada. Portanto, considera-se razoável o valor dos honorários periciais no
montante de R$25.000,00 (vinte e cinco mil reais), determinando-se, contudo, que
devem ser deduzidos os valores recebidos pelo perito a título de honorários prévios.
Agravo de Petição provido em parte para determinar que
do valor dos honorários periciais de R$25.000,00 (vinte e cinco mil reais), deverão
ser deduzidos os valores, devidamente corrigidos, recebidos pelo perito a título
de honorários prévios.

TJ-SP - Agravo de Instrumento AI 990102039757 SP (TJ-SP) - EMENTA


VALOR DOS HONORÁRIOS PERICIAIS. 1. Desapropriação. Laudo definitivo de
avaliação. Honorários periciais. Insurgência contra os honorários arbitrados para
pagamento do laudo pericial definitivo. 2. Valor dos honorários periciais que deve
seguir a regra determinada no art. 10 da Lei 9.289 /96. O arbitramento da remuneração
do perito é atribuição exclusiva do Juiz que levará em conta os princípios da
razoabilidade, proporcionalidade e modicidade. Valores sugeridos pelas partes que não
se mostram adequados. Honorários totais fixados em R$10.467,26, dos quais devem
ser deduzidos os valores já depositados provisoriamente. 3. RECURSO
PARCIALMENTE PROVIDO.

Agravo de Instrumento nº 2054943-69.2019.8.26.0000. EMENTA: VALOR DOS


HONORÁRIOS PERICIAIS. Taxatividade do artigo 1.015, do Código de Processo
Civil, mitigada. Incidência do entendimento firmado pelo C. Superior Tribunal de
Justiça. Não comprovado excesso no arbitramento dos honorários pelo profissional,
que atendeu aos critérios da razoabilidade e da proporcionalidade, não havendo
motivo para ser reduzido, notadamente em razão da complexidade da matéria.
Decisão mantida. RECURSO DESPROVIDO. Aduz, em síntese, que foi determinada
a realização de perícia para verificar a responsabilidade das rés pelos danos
apresentados na residência da autora, em razão das explosões necessárias para a
construção do Trecho Norte do Rodoanel Mário Covas. A aludida perícia tem por
finalidade a análise inicial, vistorias ao local, diligências e análise, elaboração,
verificação e montagem do laudo, tendo sido arbitrado o valor de R$ 21.240,00 pelo
perito, com o que não concorda o agravante. Sustenta que o valor foge da
razoabilidade, apresentando estimativas apresentadas por outros profissionais em
processos similares, não podendo o perito do juízo cobrar o valor que entende devido.
Requer a concessão de efeito suspensivo ao recurso e, ao final, o provimento da
insurgência para que seja reduzido o valor dos honorários. O recurso não comporta
provimento.

AGRAVO DE INSTRUMENTO. DECISÃO AGRAVADA QUE FIXOU O VALOR DOS


HONORÁRIOS PERICIAIS DE ENGENHARIA. Recurso interposto sob a égide do Novo
CPC. Conteúdo da decisão agravada que não foi contemplado no rol taxativo do
art. 1.015 do NCPC. Não conhecimento do recurso, em razão de manifesta
inadmissibilidade, na forma do art. 932,III do Novo CPC. RECURSO NÃO
CONHECIDO. Trata-se de Agravo de Instrumento interposto contra decisão proferida
pela MM. Juíza de Direito da 2ª Vara Cível da Regional da Barra da Tijuca que, nos
autos da ação de Obrigação de Fazer c/c Indenizatória por danos materiais com pedido
de antecipação de tutela, que tramita sob o nº 0033078-18.2012.8.19.0209, homologou
o valor dos honorários periciais em R$ 64.250,00, conforme termos a seguir: (index
85 do Anexo 1) Fls.685/687 - Considerando que estão presentes a razoabilidade e a
proporcionalidade entre o trabalho a ser realizado e o valor cobrado, e que o ilustre
Perito conforme se depreende de fl. 683 reduziu os honorários anteriormente arbitrados,
homologo os honorários do Sr. Perito na quantia de R$ 64.250,00, que deverá ser
adiantada pela parte autora. Comprove-se o depósito no prazo de 05 dias. 2)
Comprovado o depósito, dê-se vista ao Sr. Perito para que indique a data e o local para
o início da produção da prova, cientificando-se às partes e aos seus assistentes técnicos
porventura indicados (art. 431-A, do CPC), devendo o laudo ser entregue no prazo de
30 dias. 2) Fls.688/689 - Anote-se onde couber e certifique-se.
EMENTA – AGRAVO DE INSTRUMENTO – CUMPRIMENTO DE SENTENÇA –
VALORES COBRADOS INDEVIDAMENTE – SIMPLES CÁLCULO DO CREDOR –
POSSIBILIDADE – ART. 475-B DO CPC – CERCEAMENTO DE DEFESA – PERÍCIA
JUDICIAL – PREQUESTIONAMENTO – RECURSO DESPROVIDO. consoante
ressaltado pelo perito judicial, para se chegar ao valor devido será necessário o exame
de 18 (dezoito) cédulas de crédito rural, o que revela a complexidade e necessidade
de nomeação do expert. Confira-se: "Após a análise dos autos, constatamos que os
serviços a serem realizados, englobam: - Leitura dos autos; - Análise e estudo dos
documentos em questão; - Apurar o valor devido na presente ação, cálculo referente
a 18 cédulas de crédito, conforme determinação; - Planilhas demonstrativas; -
Elaboração de laudo pericial e resposta aos quesitos Do valor dos honorários
periciais: No que se refere ao valor dos honorários periciais, o perito requereu o
pagamento de R$ 30.000,00 (trinta mil reais), tendo o magistrado de primeiro
grau determinado que a instituição financeira proceda ao pagamento.
Considerando as peculiaridades do caso, entendo que o montante não deve ser
minorado, pois atende ao princípio da razoabilidade. Certifique-se

Agravo de Instrumento 2013 00 2 018332-8 AGI - Com efeito, cuida-se de perícia


necessária à liquidação das quotas dos sócios retirantes da sociedade Mainline
Móveis S/A Indústria e Comércio, razão pela qual deverá ser realizado balanço de
determinação tendo como data-base o último dia do exercício financeiro de 2003,
conforme consignado na sentença proferida no processo nº 46827-0. O experto afirma
que serão necessárias duzentas e cinquenta e oito (258) horas de trabalho,
postulando honorários de R$ 64.500,00 (sessenta e quatro mil e quinhentos
reais) (fls. 50/56).Os agravantes impugnam a proposta de honorários ao argumento
de que, segundo a atual convenção coletiva de trabalho dos contabilistas, reproduzida
às fls. 120, um contador máster aufere R$ 3.500,00 (três mil e quinhentos reais) por
duzentas e vinte (220) horas de trabalho, sendo excessivo o número de horas de
trabalho indicados na proposta de honorários, tendo em vista o pequeno número de
quesitos formulados pelas partes. Entretanto, como bem consignado pelo MM. Juiz a
quo, o trabalho do perito não pode ser equiparado ao do contador encarregado de
realizar a contabilidade da sociedade empresária, também não se limitando a resposta
dos quesitos formulados pelas partes. É o que se depreende da simples leitura do
plano de trabalho, detalhado pelo experto na proposta de honorários cuja cópia
encontra-se às fls. 50/56, in verbis:“. Apurar a composição do capital social da
empresa avaliada, identificando o percentual de participação dos Requerentes; .
Elaborar Balanço de Determinação procedendo aos devidos ajustes técnicos e
avaliatórios; Realizar inventário físico e detalhado contendo todos os itens e elementos
patrimoniais considerados no Balanço de Determinação sejam de ativo ou passivo,
sendo o ativo através da apuração do seu valor e o passivo devidamente auditado
para autenticar sua veracidade e valor; . Levantar e examinar os livros contábeis,
fiscais e os respectivos documentos com fulcro no art. 429 do CPC, relativos ao
período de 1998 a 2003;. Revisar e examinar a realidade econômico-financeira e
contábil da empresa Requerida para certificar se as demonstrações contábeis refletem
a sua realidade patrimonial;. Elaborar inventário físico e contábil de todos os
elementos patrimoniais, através da apuração do valor do ativo e passivo da sociedade;
Quantificar em moeda os haveres dos Requerentes, observando o balanço de
determinação a ser elaborado tendo como data-base o último dia do exercício
financeiro de 2003” Ademais, conforme explanado pelo experto, a perícia envolverá o
levantamento de informações relativas aos exercícios financeiros de 1998 a 2003, o
que evidencia a sua complexidade. Conclui-se, portanto, que os honorários propostos
pelo experto mostram-se razoáveis, tendo em vista a complexidade e a natureza da
prova técnica a ser realizada, além do tempo necessário à conclusão do trabalho. Ante
o exposto, nego provimento ao recurso, mantendo íntegra a decisão agravada.
AGRAVO DE INSTRUMENTO - AÇÃO DE COBRANÇA DE SEGURO DPVAT -
ALEGAÇÃO DE INVALIDEZ - PERÍCIA MÉDICA - FIXAÇÃO DO VALOR DOS
HONORÁRIOS PERICIAIS - REDUÇÃO INVIÁVEL - AGRAVO IMPROVIDO. Os
honorários periciais devem ser arbitrados pelo Julgador segundo a natureza, a
complexidade e o tempo exigido para a realização dos trabalhos, observando-se os
critérios da razoabilidade e da proporcionalidade. II - A fixação dos honorários do perito
é ato privativo do juiz, que não se submete ao tabelamento de entidades de classe ou
outros órgãos públicos, pois uma norma administrativa não tem o condão de limitar ou
inibir o princípio da liberdade jurisdicional. III- Deve ser mantido o valor dos honorários
médico-periciais quando fixados observando-se os critérios antes mencionados. De
outro lado, é notória a importância da prova pericial ao longo da instrução processual,
visto que o magistrado não possui conhecimentos ilimitados, necessitando
constantemente de auxílio de peritos de sua confiança para o exame de questões
técnicas, inclusive para aferir a suposta invalidez do periciado, permitindo-lhe que, na
formação de sua convicção, possa alcançar a verdade real. No caso em exame, o
magistrado de Primeira Instância, ao fixar os honorários pericias no valor de
R$2.500,00, quantia inferior a cinco salários mínimos, certamente, levou em
consideração a natureza da perícia médica a ser realizada, o tempo a ser despendido
para a realização do trabalho, a importância da prova e, principalmente, a dignidade
profissional do perito que foi nomeado. Mediante tal fundamentação, NEGO
PROVIMENTO ao recurso, para manter a decisão agravada por seus próprios
fundamentos.

AGRAVO INTERNO. AGRAVO DE INSTRUMENTO. HONORÁRIOS DE PERITO.


LIQUIDAÇÃO POR ARTIGOS DE SENTENÇA EM AÇÃO CIVIL PÚBLICA. DANOS
AMBIENTAIS CAUSADOS NO BAIRRO DE SANTA TERESA. VIOLAÇÕES ÀS
REGRAS DE TOMBAMENTO DOS BONDES. PERÍCIA DA ALTA COMPLEXIDADE
TÉCNICA.1. Manutenção da verba arbitrada em R$ 40.678,50, que não se demostra
excessiva.2. Manutenção da Decisão Monocrática. NEGATIVA DE PROVIMENTO AO
RECURSO.

AGRAVO DE INSTRUMENTO. HONORÁRIOS PERICIAIS. PERÍCIA DE


ENGENHARIA DE ALTA COMPLEXIDADE. HONORÁRIOS ARBITRADOS EM R$
400.000,00. RECURSO PROVIDO. REDUÇÃO PARA R$ 120.000,00. (..) Na decisão
saneadora do processo, o juiz de 1º grau entendeu ser necessária a realização de
prova pericial de engenharia, a fim de verificar se foram feitas as obras de acordo com
o contrato firmado e seus aditivos entre as partes, devendo o i. Perito informar o custo
das obras realizadas, incluindo os materiais comprados e não utilizados e quanto estas
representariam, percentualmente, em relação ao preço total do serviço contratado.¿
(indexador 68, anexo 1). AGRAVO DE INSTRUMENTO A QUE SE DÁ PROVIMENTO

AGRAVO DE INSTRUMENTO nº 0005364-94.2013.8.19.0000


Relator Desembargador José Carlos de Figueiredo. /AGRAVO DE INSTRUMENTO.
AÇÃO ANULATÓRIA DE DÉBITOS FISCAIS. PROVA PERICIAL. ANÁLISE
DE SUPOSTOS DÉBITOS FISCAIS DE ALTO VALOR. HONORÁRIOS DO PERITO.
FIXAÇÃO EM MONTANTE ADEQUADO E PROPORCIONAL, TOMANDO-SE
POR BASE A COMPLEXIDADE DA CAUSA E O VALOR DISCUTIDO NOS AUTOS.
MANUTENÇÃO. O valor fixado a título de honorários periciais deve
guardar proporção com o grau de dificuldade da perícia, a extensão da prova, o
tempo a ser consumido, além da possibilidade financeira das partes, tudo em
sintonia com o princípio da razoabilidade.
RELATÓRIO
Trata-se de Agravo de Instrumento interposto contra decisão (fls. 96) que acolheu
parcialmente a impugnação do Estado e homologou os honorários periciais no
valor de R$ 22.500,00, inferior ao estipulado inicialmente pelo expert.
Afirma o Agravante, em síntese, que o valor estabelecido se encontra em
descompasso com a natureza do trabalho pericial a ser realizado. Aduz que não será
necessária qualquer diligência ou ato complexo, capaz de gerar honorários daquela
órbita. Assevera que o valor de R$ 22.500,00 é desproporcional e injustificado. No
caso dos autos, a prova pericial contábil foi requerida pela parte Autora, ora Agravada,
que atribui à causa o valor de R$ 35.891.062,98 (trinta e cinco milhões, oitocentos e
noventa e um mil, sessenta e dois reais e noventa e oito centavos). Por óbvio, além
de observar os princípios da razoabilidade e da proporcionalidade, o valor fixado a
título de honorários periciais deve guardar proporção com o grau de dificuldade da
perícia, a extensão da prova, o tempo a ser consumido, além da possibilidade
financeira das partes. Com efeito, o valor fixado pelo i. Juízo mostra-se adequado e
proporcional, ao considerar o caso ventilado na presente demanda, que conta autos
de aproximadamente 7 (sete) volumes e envolve discussão acerca de vultosos débitos
fiscais.Face o exposto, NEGA-SE PROVIMENTO ao recurso, mantendo-se a decisão
nos moldes em que prolatada.

AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0072869-10.2013.8.26.0000

COMARCA : SÃO PAULO (5ª VARA CÍVEL CENTRAL DA CAPITAL)


AGRAVANTE : IPIRANGA PRODUTOS DE PETRÓLEO S/A
AGRAVADO : BRF BRASIL FOODS S/A
PERÍCIA JUDICIAL. HONORÁRIOS ESTIMADOS ANTES DA PROVA. PEDIDO DE
COMPLEMENTAÇÃO APÓS ENTREGA DO LAUDO. POSSIBILIDADE. ALTOS
VALORES. NECESSIDADE DE CONTROLE JUDICIAL. CONCESSÃO DE PRAZO
PARA QUE O PROFISSIONAL JUSTIFIQUE E COMPROVE O PEDIDO,
COM OITIVA DAS PARTES. RECURSO PARCIALMENTE PROVIDO.
A agravante impugnou a determinação judicial para complementação dos honorários
periciais. O perito estimou inicialmente seus honorários em R$ 198.000,00 (fls.
1.292 /1.294), mas após a entrega do laudo pericial (fls. 1.398/1.988) requereu a
complementação do valor dos trabalhos em R$ 130.000,00 (fls. 1.990/1.991), que
foi deferido de pronto pelo Magistrado (fls. 1.992).
O perito estimou a complementação de seus honorários em R$ 130.000,00, mas não
justificou e comprovou, como era de rigor, os motivos de seu pedido. O perito não
detalhou quantas viagens fez até os locais onde estão situados os imóveis, os gastos
que teve em cada viagem, as despesas com levantamento da documentação dos bens
assim como as despesas que teve com a avaliação dos bens móveis, as instalações
e os equipamentos.
É certo que a complementação dos honorários após a realização da perícia é
amplamente aceita, porquanto o profissional, auxiliar do Juízo, deve receber
remuneração condizente com o trabalho que exerceu e com os gastos que obteve com
a prova.

EMENTA
PERÍCIA DE ENGENHARIA. GÁS. HONORÁRIOS. MANUTENÇÃO. Determinação
de perícia técnica de engenharia para verificar eventual responsabilidade por danos
decorrentes de obras emergenciais realizadas pela CEG. Vazamento de água pela
tubulação de gás provocada por falha na instalação de aquecedor em uma das
unidades do condomínio, que afetou, inclusive, um supermercado localizado embaixo
do condomínio. Existência de perigo de rompimento, escapamento e explosão de gás.
Alegação de comprometimento da impermeabilização da quadra poliesportiva do
Condomínio. Impasse entre CEG e o condomínio quanto às obras a serem realizadas.
Decisão que determinou a realização de perícia de engenharia, arbitrando, de ofício,
os honorários periciais no valor de R$ 13.000,00 (treze mil reais). É notória
a alta complexidade do trabalho a ser desenvolvido, devendo ser observada a
necessária qualificação técnica do profissional para realizá-lo. Entendo que o valor de
R$ 13.000,00 (treze mil reais), no caso presente, é compatível com
a complexidade da perícia e atende aos princípios da razoabilidade e
proporcionalidade. O pedido de rateio dos honorários periciais não foi submetido ao
juízo a quo, mas diretamente a este Tribunal, o que não é possível, sob pena de
supressão de instância. Entender de forma diferente implicaria na violação ao Princípio
do Duplo Grau de Jurisdição, o qual garante às partes, através da possibilidade de
reexame da matéria por uma instância superior ou órgão colegiado, a legalidade e
justiça das decisões judiciais inerentes à garantia do acesso à justiça e ao devido
processo legal. Decisão mantida. DESPROVIMENTO DO RECURSO.