Sei sulla pagina 1di 3

GESTÃO DE PESSOAS

Motivação no Contexto das Organizações


Viu algum erro neste material? Contate-nos em: degravacoes@grancursosonline.com.br

MOTIVAÇÃO NO CONTEXTO DAS ORGANIZAÇÕES

CONCEITOS INICIAIS

Com o avançar das teorias administrativas, houve o surgimento da Escola


das Relações Humanas. É nesse momento que também surge uma preocupação
organizacional com as pessoas. Isso a partir dos experimentos de Hawthorne rea-
lizados por Elton Mayo (Teoria das Relações Humanas). Além dessa preocupação
com as pessoas, surge também uma preocupação com o seu grau de motivação.
Expansão da análise a partir da Teoria Comportamental: essa teoria passa
a considerar não somente a organização informal, mas também a organização
formal. Assim, o indivíduo passa a ser avaliado sob vários aspectos, tanto no
individual quanto no coletivo. É nesse contexto que os estudos em motivação
passam a se aprofundar dentro da abordagem comportamental de administração
e o conceito de sinergia ou equilíbrio organizacional passa a ser considerado.
A sinergia ou equilíbrio organizacional é a união das organizações formal e
informal no alcance dos objetivos organizacionais e dos objetivos individuais dos
empregados, tudo isso ao mesmo tempo.
Fortemente influenciada pela psicologia e pelo behaviorismo, a teoria com-
portamental representa uma nova tentativa de síntese da teoria da organização
formal com o enfoque das relações humanas. Portanto, um de seus objetos fun-
damentais é a motivação humana.
Autores de relevo contribuíram com teorias motivacionais que, ainda hoje, são
estudadas e aplicadas no contexto organizacional. Os principais representan-
tes da teoria são: Herbert Simon, Kurt Lewin, Douglas McGregor, Rensis Likert,
Chris Argyris, Abraham Maslow e Frederick Herzberg.

CONCEITO DE MOTIVAÇÃO

A motivação pode ser considerada como o desejo de exercer um alto nível de


esforço direcionado a objetivos organizacionais, condicionados pela habilidade do
esforço em satisfazer alguma necessidade individual. Contudo, o nível de motiva-
ção varia entre as pessoas e dentro de uma mesma pessoa através do tempo.
ANOTAÇÕES

Produção: Equipe Pedagógica Gran Cursos Online


1
www.grancursosonline.com.br
GESTÃO DE PESSOAS
Motivação no Contexto das Organizações
Viu algum erro neste material? Contate-nos em: degravacoes@grancursosonline.com.br

 Obs.: Nesse sentido, a motivação no contexto organizacional terá um sentido


ou direção, que é o alcance de objetivos, que podem ser tanto individuais
como de ordem institucional ou motivacional. Para isso, o indivíduo reali-
za um determinado esforço para atingir um resultado. Vale destacar que
a motivação não é a mesma para todo mundo, pois varia de pessoa para
pessoa e até mesmo em uma mesma pessoa ao longo do tempo.

A motivação, segundo Maximiano, precisa de certo sentido ou direção: as


pessoas movem-se rumo ao alcance de alguma realização que julgam ser pos-
sível alcançar, como uma espécie de estímulo. Esse estímulo deve ter a inten-
sidade suficiente para fazer com que a ação humana seja condizente com o
alcance de resultado, o que deve ter um efeito duradouro. Logo, motivação
compõe-se de direção, intensidade e permanência.
A motivação (do latim movere, que quer dizer “mover-se”) varia de indiví-
duo para indivíduo e no mesmo indivíduo ao longo do tempo. Alguns têm a dire-
ção e sabem o que querem alcançar, motivam-se com grande intensidade, mas
perdem a permanência da vontade. Logo, a motivação compõe-se dos vetores:
• Direção;
• Intenção de se mover para buscar o resultado;
• Intensidade da vontade de buscar resultados pela ação;
• Permanência da vontade de exercer desempenho que traga o resultado de valor.

CICLO MOTIVACIONAL

As pessoas possuem um equilíbrio interno, que pode ser rompido a qualquer


momento, seja por um estímulo ou incentivo (externo ou interno) ou porque algo
não está como o esperado. Assim, de uma situação de estímulo ou necessidade
ocorre um desequilíbrio.
Essa necessidade cria nas pessoas um estado de tensão, que fará com que
elas se movam no sentido de exercer um certo comportamento ou ação. Esse
comportamento visa a satisfação dessa necessidade, que, uma vez satisfeita,
fará com que o indivíduo entre novamente em um estado de equilíbrio.
ANOTAÇÕES

Produção: Equipe Pedagógica Gran Cursos Online


2
www.grancursosonline.com.br
GESTÃO DE PESSOAS
Motivação no Contexto das Organizações
Viu algum erro neste material? Contate-nos em: degravacoes@grancursosonline.com.br

TEORIAS SOBRE MOTIVAÇÃO

Obs.:
 Os autores defendem que a motivação pode ser tanto intrínseca quanto
extrínseca. Assim, para fins de prova, é importante fazer uma análise do caso
concreto para verificar a origem da motivação do indivíduo apresentado.

Quanto maior a tensão, maior o nível de esforço. Se o esforço é direcionado


e bem-sucedido, ele conduz à satisfação da necessidade e a tensão é reduzida.
As teorias motivacionais podem ser classificadas em duas abordagens dis-
tintas. De um lado, as teorias de conteúdo (dentro do indivíduo ou do ambiente
que o envolve), sendo estáticas e descritivas. De outro, as teorias de processo
(compreensão dos processos cognitivos ou de pensamento das pessoas, que
influenciam seu comportamento), sendo mais dinâmicas.
O estudo das teorias motivacionais deve sempre levar em conta o que diz
determinado teórico, considerando que, na comparação entre eles, alguns con-
ceitos podem se contrapor, ainda que integrem o mesmo bloco de teorias, de
conteúdo ou de fluxo/processo. Portanto, é preciso “dar nomes aos bois” e devi-
damente associar os postulados a seu respectivo teórico.

�Este material foi elaborado pela equipe pedagógica do Gran Cursos Online, de acordo com a
aula preparada e ministrada pelo professor Renato Lacerda.
A presente degravação tem como objetivo auxiliar no acompanhamento e na revisão do con-
teúdo ministrado na videoaula. Não recomendamos a substituição do estudo em vídeo pela
leitura exclusiva deste material.
ANOTAÇÕES

Produção: Equipe Pedagógica Gran Cursos Online


3
www.grancursosonline.com.br