Sei sulla pagina 1di 106

Treinamento

Treinamento Básico de Selantes quinta-feira, 30 de novembro de 2017 Rev. 8/29/05

Básico

de

Selantes

Treinamento Básico de Selantes quinta-feira, 30 de novembro de 2017 Rev. 8/29/05
Treinamento Básico de Selantes quinta-feira, 30 de novembro de 2017 Rev. 8/29/05

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Treinamento Básico de Selantes quinta-feira, 30 de novembro de 2017 Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Objetivos do Treinamentos de Selantes

PartPartee II::

InformaçõesInformações BásicasBásicas sobresobre SelantesSelantes

PartPartee IIII::

PropPropriedadesriedades dosdos SelantesSelantes

PartPartee IIIIII::

AplicaçõesAplicações TípicasTípicas dosdos SelantesSelantes

PartPartee IIVV::

ManeiraManeira adequadaadequada dede preparaçãoepreparaçãoe ee limpezalimpeza

dede superfíciessuperfícies

PartPartee V:V:

PreparaPreparaçãoção dosdos SelantesSelantes

PartPartee VI:VI:

FontesFontes dede InformaçãoInformação TécnicaTécnica ConclusConclusãoão

PartPartee VIVIII::

TesteTeste

Informação Técnica Técnica – – Conclus Conclus ão ão Part Part e e VI VI I

Rev. 8/29/05

Parte I

Informação Básica sobre Selantes

Part e I Informação Básica sobre Selantes Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Selantes e Adesívos

Selantes

Materiais Poliméricos Proporcionam Isolamento de Ambiênte.

Adesivos

Materiais que proporcionam união entre duas superfícies, transferência de carga.

que proporcionam união entre duas superfícies, transferência de carga. Sem Vazamentos Sem quebras Rev. 8/29/05
Sem Vazamentos Sem quebras
Sem
Vazamentos
Sem
quebras

Rev. 8/29/05

Aplicações Típicas de Selantes

Inibidor de Corrosão Fluidez Aerodinâmica Condutivos Tanque de Combustível Portas de Accesso Parabrisas e Canopla
Inibidor de Corrosão
Fluidez Aerodinâmica
Condutivos
Tanque de Combustível
Portas de Accesso
Parabrisas e Canopla
AltaTemp.
Fluidez Aerodinâmica Condutivos Tanque de Combustível Portas de Accesso Parabrisas e Canopla AltaTemp. Rev. 8/29/05
Fluidez Aerodinâmica Condutivos Tanque de Combustível Portas de Accesso Parabrisas e Canopla AltaTemp. Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Propriedades de Performance Rev. 8/29/05
Propriedades de Performance Rev. 8/29/05

Propriedades

de

Performance

Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05
Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Aplicação* *Nem sempre se aplica à Materiais de Classe C. Rev. 8/29/05
Aplicação* *Nem sempre se aplica à Materiais de Classe C. Rev. 8/29/05
Aplicação* *Nem sempre se aplica à Materiais de Classe C. Rev. 8/29/05
Aplicação* *Nem sempre se aplica à Materiais de Classe C. Rev. 8/29/05
Aplicação* *Nem sempre se aplica à Materiais de Classe C. Rev. 8/29/05
Aplicação* *Nem sempre se aplica à Materiais de Classe C. Rev. 8/29/05

Aplicação*

*Nem sempre se aplica à Materiais de Classe C.

Aplicação* *Nem sempre se aplica à Materiais de Classe C. Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

3 Classes Básicas de Selantes

3 Classes Básicas de Selantes • Class Class e e A A • Class Class e

ClassClassee AA

3 Classes Básicas de Selantes • Class Class e e A A • Class Class e

ClassClassee BB

3 Classes Básicas de Selantes • Class Class e e A A • Class Class e

ClassClassee CC

3 Classes Básicas de Selantes • Class Class e e A A • Class Class e

Rev. 8/29/05

Aplicação de camada por Pincel

Substrato
Substrato

Classe A

Aplicação de camada por Pincel Substrato Classe A Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Aplicação de Filetes

Substrato
Substrato

Classe B

Aplicação de Filetes Substrato Classe B Rev. 8/29/05
Aplicação de Filetes Substrato Classe B Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Selagem de União de Superfícies Classe C

Side View of Wing Structure Stringer Fastener Wing Skin
Side View of Wing Structure
Stringer
Fastener
Wing Skin
Classe C Side View of Wing Structure Stringer Fastener Wing Skin União de Superfícies Class e

União de Superfícies Classe C

Rev. 8/29/05

3 Classes Básicas de Selantes

Selagem de Filetes Classe B

Classes Básicas de Selantes Selagem de Filet es Class e B União de Superfícies Class e
Classes Básicas de Selantes Selagem de Filet es Class e B União de Superfícies Class e

União de Superfícies Classe C

Aplicação por Pincél Classe A

Selantes Selagem de Filet es Class e B União de Superfícies Class e C Aplicação por

Rev. 8/29/05

Sealed “Wet Wing”

Integral Fuel Tanks “Wet Wing”
Integral Fuel Tanks
“Wet Wing”

Stringer

Fastener

Wing Skin

Side View of Wing Structure

Sealing of Structure Dome Seal, or Seal Cap Fillet Seal Fay Surface Seal Wet Sealed
Sealing of Structure
Dome Seal, or Seal Cap
Fillet Seal
Fay Surface Seal
Wet Sealed Fastener

Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05
Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Cor

AA BaseBase ee oo AceleradorAcelerador/Iniciador/Catalizador/Iniciador/Catalizador sãosão dede corescores diferentes,diferentes, oo queque assegura,assegura, oo queque aa misturamistura totaltotal dosdos componentescomponentes dodo selante,selante, possapossa serser determinadadeterminada visualmente.visualmente.

UmUm misturamistura nãonão apropriadaapropriada dosdos componentescomponentes dosdos selantesselantes resutaráresutará emem estriasestrias ouou sombrassombras apósapós misturados.misturados.

resutará resutará em em estrias estrias ou ou sombras sombras após após misturados. misturados. Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Mixing Ratio- Relação de Mistura

QuantidadeQuantidade dede AceleradorAcelerador ótimaótima adicionadaadicionada àà basebase parapara umauma misturamistura apropriadaapropriada dosdos componentes.componentes. – Tipicamente dada por peso. – Algumas vezes por volume.

apropriada dos dos componentes. componentes. – Tipicamente dada por peso. – Algumas vezes por volume. Rev.

Rev. 8/29/05

TermosTermos chaveschaves

ViscosiViscosidadedade::

– AA ViscosiViscosidadedade éé normalmentenormalmente medidamedida pelapela unidadeunidade ‘poise’.‘poise’.

– OO resultadoresultado medemede oo quantoquanto densodensoéé umum material.material.

– ResistResistêêncnciaia dede umum liquidliquidoo dede flfluiruir

– AltaAlta viscosidadeviscosidade == Denso/pastosoDenso/pastoso

– BaixaBaixa viscosidadeviscosidade == Fino/aguosoFino/aguoso

= = Denso/pastoso Denso/pastoso – Baixa Baixa viscosidade viscosidade = = Fino/aguoso Fino/aguoso Rev. 8/29/05
= = Denso/pastoso Denso/pastoso – Baixa Baixa viscosidade viscosidade = = Fino/aguoso Fino/aguoso Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Exemplos de viscosidades

Material

Viscosidade, (Poise)

Água (22ºC)

.001 - .005

Sangue

 

0.1

Óleo de Soja

 

.5 - 1

Caldo de Cana

1.5

- 2

Óleo Castrol

2.5

- 5

Glicerina

10

- 20

Mel

20

- 30

Cobertura de Chocolate

100 - 250

Catchup

500 - 700

Maionese

1,500 - 2, 500

Manteiga

10,000 - 20,000

100 - 250 Catchup 500 - 700 Maionese 1,500 - 2, 500 Manteiga 10,000 - 20,000

Rev. 8/29/05

Classe A

(Típica viscosidade para aplicação em tanques de combustível)

Método de Aplicação

Viscosidade

tanques de combustível) Método de Aplicação Viscosidade 100-400 Poise Pincél Uso Aplicação sobre as cabeças

100-400 Poise

Método de Aplicação Viscosidade 100-400 Poise Pincél Uso Aplicação sobre as cabeças dos parafusos
Método de Aplicação Viscosidade 100-400 Poise Pincél Uso Aplicação sobre as cabeças dos parafusos

Pincél

Uso

Aplicação sobre as cabeças dos parafusos ou demão para selagem de filetes.

Rev. 8/29/05

Classe B

(Típica viscosidade para aplicação em tanques de combustível )

Método de aplicação

Viscosidade

tanques de combustível ) Método de aplicação Viscosidade 8,000-16,000 Poise Semkit Pistola de Extrusão Uso Filetes

8,000-16,000 Poise

) Método de aplicação Viscosidade 8,000-16,000 Poise Semkit Pistola de Extrusão Uso Filetes & Selagem
) Método de aplicação Viscosidade 8,000-16,000 Poise Semkit Pistola de Extrusão Uso Filetes & Selagem
) Método de aplicação Viscosidade 8,000-16,000 Poise Semkit Pistola de Extrusão Uso Filetes & Selagem

Semkit Pistola de Extrusão

Uso Filetes & Selagem Vertical

Rev. 8/29/05

Classe C

(Typical for fuel tanks)

Método de Aplicação

Viscosidade

(Typical for fuel tanks) Método de Aplicação Viscosidade 1,000-4,000 Poise Rolo Uso Selagem de União de

1,000-4,000 Poise

fuel tanks) Método de Aplicação Viscosidade 1,000-4,000 Poise Rolo Uso Selagem de União de Superfícies Rev.
fuel tanks) Método de Aplicação Viscosidade 1,000-4,000 Poise Rolo Uso Selagem de União de Superfícies Rev.

Rolo

Uso

Selagem de União de Superfícies

Rev. 8/29/05

Classe A

100-400 Poise

Viscosidade

Classe C

1,000-4,000 Poise

Classe B

8,000-16,000 Poise

Denso/Pastoso Fino/Aguoso
Denso/Pastoso
Fino/Aguoso
A 100-400 Poise Viscosidade Classe C 1,000-4,000 Poise Classe B 8,000-16,000 Poise Denso/Pastoso Fino/Aguoso Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Termo Chave

Flow/SlumpFlow/Slump (“escorrimento(“escorrimento vertical”)vertical”) Distância que um selante percorre em uma superfície inclinada.

vertical”) vertical”) – Distância que um selante percorre em uma superfície inclinada. Rev. 8/29/05
vertical”) vertical”) – Distância que um selante percorre em uma superfície inclinada. Rev. 8/29/05
vertical”) vertical”) – Distância que um selante percorre em uma superfície inclinada. Rev. 8/29/05
vertical”) vertical”) – Distância que um selante percorre em uma superfície inclinada. Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

TermosTermos ChavesChaves

ApplicationApplication TimeTime (AT)(AT) TempoTempo dede aplicaçãoaplicação – Duração de tempo que o material pode ser utilizado para aplicação após misturado. Classe B.

– Duração de tempo que o material pode ser utilizado para aplicaç ão após misturado. Classe
– Duração de tempo que o material pode ser utilizado para aplicaç ão após misturado. Classe
– Duração de tempo que o material pode ser utilizado para aplicaç ão após misturado. Classe
– Duração de tempo que o material pode ser utilizado para aplicaç ão após misturado. Classe
– Duração de tempo que o material pode ser utilizado para aplicaç ão após misturado. Classe

Rev. 8/29/05

KeyKey TermTerm

AssemblyAssembly Time/SqueezeTime/Squeeze OutOut TempoTempo dede ManuseioManuseio

Máximo tempo para manusear partes após mistura.

F

F
F
Tempo Tempo de de Manuseio Manuseio – Máximo tempo para manusear partes após mistura. F F

Squeeze Out

Rev. 8/29/05

KeyKey TermTerm

ServiceableServiceable CureCure Time/FlyTime/Fly AwayAway CureCure TempoTempo dede curacura parapara manuseiomanuseio ee vôovôo dede areonavesareonaves

– Tempo requerido para que o selante atinja a dureza de 30-35 Durometer A.

de de areonaves areonaves – Tempo requerido para que o selante atinja a dureza de 30-35
de de areonaves areonaves – Tempo requerido para que o selante atinja a dureza de 30-35

Rev. 8/29/05

Exemplos de Dureza de Material

3030 DurometerDurometer AA

– Borracha p/ desenho

6060 DurometerDurometer AA

Borracha de Lápis

8080 DurometerDurometer AA

Sola de Borracha

Durometer Durometer A A – Borracha de Lápis • 80 80 Durometer Durometer A A –
Durometer Durometer A A – Borracha de Lápis • 80 80 Durometer Durometer A A –
Durometer Durometer A A – Borracha de Lápis • 80 80 Durometer Durometer A A –
Durometer Durometer A A – Borracha de Lápis • 80 80 Durometer Durometer A A –

Rev. 8/29/05

TermoTermo ChaveChave

TackTack FreeFree TimeTime (TFT)(TFT) ((TempoTempo dede livrelivre adesão)adesão) O selante não terá mais a propriedade de colar algo em sua superfície ( pegajosidade). Tempo que se pode furar qualquer superfìcie sem risco das farpas ficarem aderídas.

( pegajosidade). – Tempo que se pode furar qualquer superfìcie sem risco das farpas ficarem aderídas.

Rev. 8/29/05

Propriedades de Performace Rev. 8/29/05
Propriedades de Performace Rev. 8/29/05

Propriedades

de

Performace

Rev. 8/29/05

TermoTermo ChaveChave

SpecificSpecific GravityGravity (gravidade(gravidade especíespecífica/densidade)fica/densidade)

Densidade de uma substância em relação à densidade da água.

Quão pesado alguma substância é.

Densidade média dos selantes é de aprox. 1.65

PR-1824 B

1.00

PR-1776M B

1.29

Densidade média dos selantes é de aprox. 1.65 PR-1824 B 1.00 PR-1776M B 1.29 PR-2001 B

PR-2001 B

1.45

PR- 1764 B

2.15

Rev. 8/29/05

Termo Chave

Non-VolatileNon-Volatile ContentContent (( ConteúdoConteúdo NãoNão Volátil)Volátil) % de material após cura total. Por peso e por retreação.

Não Não Volátil) Volátil) – % de material após cura total. – Por peso e por
Não Não Volátil) Volátil) – % de material após cura total. – Por peso e por
Não Não Volátil) Volátil) – % de material após cura total. – Por peso e por

Curado

Rev. 8/29/05

TermoTermo ChaveChave

UltimateUltimate CureCure HardnessHardness (dureza(dureza apósapós curacura total)total) Dureza máxima atingida por um material após sua cura Total.

após após cura cura total) total) – Dureza máxima atingida por um material após sua cura

Rev. 8/29/05

Termos Chave

PeelPeel StrengthStrength ForçaForça dede desgarramentodesgarramento – Medida que contabiliza à força necessária para desgarrar/descascar um material de um substrato.

força necessária para desgarrar/descasca r um material de um substrato. F Diagram shows cohesive failure. Rev.

F

Diagram shows cohesive failure.

força necessária para desgarrar/descasca r um material de um substrato. F Diagram shows cohesive failure. Rev.

Rev. 8/29/05

TermoTermo ChaveChave

TensileTensile StrengthStrength (( resistênciaresistência àà tração)tração) Máxima forca que o selante pode resistir sem ruptura.

F
F
tração) – Máxima forca que o selante pode resistir sem ruptura. F 2 Measured in pounds/in

2

Measured in pounds/in (psi)

tração) – Máxima forca que o selante pode resistir sem ruptura. F 2 Measured in pounds/in
F
F
tração) – Máxima forca que o selante pode resistir sem ruptura. F 2 Measured in pounds/in

Rev. 8/29/05

Tensile Strength

Tensile Strength Rev. 8/29/05
Tensile Strength Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

TermoTermo ChaveChave

%% ElongatioElongation-n- (Elongação)(Elongação)

– % de mudança de comprimento em relação ao comprimento original antes de uma ruptura, quando alongado.

comprimento em relação ao comprimento original antes de uma ruptura, quando alongado. 100% 200% Failure Rev.

100%

comprimento em relação ao comprimento original antes de uma ruptura, quando alongado. 100% 200% Failure Rev.

200%

comprimento em relação ao comprimento original antes de uma ruptura, quando alongado. 100% 200% Failure Rev.
comprimento em relação ao comprimento original antes de uma ruptura, quando alongado. 100% 200% Failure Rev.

Failure

Rev. 8/29/05

% Elongation

% Elongation Rev. 8/29/05
% Elongation Rev. 8/29/05
% Elongation Rev. 8/29/05
% Elongation Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Part II

Propriedades dos Selantes

Part II Propriedades dos Selantes Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

As propiedades dos selantes podem ser agrupados em dua categorias principais.

Categoria I – Sem Cura Propiedades de aplicação

ViscosiViscosidadedade

FlFluidezuidez

TempoTempo dede aplicaçãoaplicação

TempoTempo dede curacura

aplicação aplicação • Tempo Tempo de de cura cura Categoria II – Cura Total Prop. de

Categoria II – Cura Total Prop. de Performance

AAdesãodesão

ForçaForça dede desgarramento/descadesgarramento/desca scamentoscamento

ResistênciaResistência àà açãoação dodo meiomeio ambiênteambiênte

ElongaElongaçãoção

ResistênciaResistência àà traçãotração

Rev. 8/29/05

Categoria I – Não Curados Propriedades de Aplicação

As propriedades de aplicação são influênciadas pelas condições do meio ambiênte

são influênciadas pelas condições do meio ambiênte Condições mais importantes Do meiro ambiênte: •Umidade

Condições mais importantes Do meiro ambiênte:

•Umidade

•Temperatura

Umidade pode afetar o tempo de cura de alguns selantes.

Produto

Base Química

Efeito

P/S 890

MnO 2 cured Polysulfide

Grande

PR-1422

Dichromate cured Polysulfide

Minimo

PR-1826

Epoxy Cured: Permapol P-3 Polythioether

Não

PR-2001

Epoxy Cured: Permapol P-3.1 Polythioether

Não

Cured: Permapol P-3 Polythioether Não PR-2001 Epoxy Cured: Permapol P-3.1 Polythioether Não Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Temperatura x Cura

Cura Total (50 Durometer) Cura para Vôo (30 Durometer A) 77˚F 100˚F 50˚F 25˚C 38˚C
Cura Total (50 Durometer)
Cura para Vôo (30 Durometer A)
77˚F
100˚F
50˚F
25˚C
38˚C
10˚C
Dureza (Durometer A)
para Vôo (30 Durometer A) 77˚F 100˚F 50˚F 25˚C 38˚C 10˚C Dureza (Durometer A) At 50%
para Vôo (30 Durometer A) 77˚F 100˚F 50˚F 25˚C 38˚C 10˚C Dureza (Durometer A) At 50%

At 50% RH.

Tempo

para Vôo (30 Durometer A) 77˚F 100˚F 50˚F 25˚C 38˚C 10˚C Dureza (Durometer A) At 50%

Rev. 8/29/05

Gráfico de Cura a 21°C

Hardness (Rex)

45

40

35

30

25

20

15

10

5

0

de Cura a 21°C Hardness (Rex) 45 40 35 30 25 20 15 10 5 0
de Cura a 21°C Hardness (Rex) 45 40 35 30 25 20 15 10 5 0
de Cura a 21°C Hardness (Rex) 45 40 35 30 25 20 15 10 5 0
de Cura a 21°C Hardness (Rex) 45 40 35 30 25 20 15 10 5 0
de Cura a 21°C Hardness (Rex) 45 40 35 30 25 20 15 10 5 0
de Cura a 21°C Hardness (Rex) 45 40 35 30 25 20 15 10 5 0

0

5

10

Hours

15

20

25

PR 1422 B1/2

Hardness (Rex) 45 40 35 30 25 20 15 10 5 0 0 5 10 Hours
Hardness (Rex) 45 40 35 30 25 20 15 10 5 0 0 5 10 Hours

PR 1829 B1/4

PR 1829 B 1/2

Rev. 8/29/05

Gráfico de Cura a 10°C

Hardness (Rex) 40 35 30 25 20 15 10 5 0 0 20 40 60
Hardness (Rex)
40
35
30
25
20
15
10
5
0
0
20
40
60
80
100
Hours
PR 1422 B1/2
PR 1829 B1/4
PR 1829 B 1/2
40 35 30 25 20 15 10 5 0 0 20 40 60 80 100 Hours

Rev. 8/29/05

Viscosidade x Temperatura

Espesso/Denso à 50% HR Fino/Ralo Viscosidade (Poise)
Espesso/Denso
à 50% HR
Fino/Ralo
Viscosidade (Poise)
Viscosidade x Temperatura Espesso/Denso à 50% HR Fino/Ralo Viscosidade (Poise) Temperatura Rev. 8/29/05

Temperatura

Temperatura
Viscosidade x Temperatura Espesso/Denso à 50% HR Fino/Ralo Viscosidade (Poise) Temperatura Rev. 8/29/05
Viscosidade x Temperatura Espesso/Denso à 50% HR Fino/Ralo Viscosidade (Poise) Temperatura Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Viscosidade em função da temperatura

Viscosity (Poise)

Temperature °C
Temperature °C
Viscosidade em função da temperatura Viscosity (Poise) Temperature °C Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Gerações de Selantes

GeneGeneraçãoração II CuraCura porpor aceleradoracelerador dede chumbochumbo

DDeescontinuscontinuadosados nono começocomeço dosdos anosanos 90s.90s.

PR-1201, PR-1221, PR-380

GeneraGeneraçãoção IIII PolysulfidesPolysulfides(( polisulfetos)polisulfetos)

Cura por Dicromato de K Cured: PR-1422, PR-1436G

Cura por MnO 2 Cured: PR-1440, PR-1750, PR-1776M

GenerationGeneration IIIIII PolythioethersPolythioethers (( politioleteres)politioleteres)

– Cura por Epoxy: PR-1826, PR-1829, PR-2001

Polythioethers ( ( politioleteres) politioleteres) – Cura por Epoxy: PR-1826, PR-1829, PR-2001 Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Generação 2:

Cura por MnO 2 Polisulfetos

ExExeemplmploos:s: PR-1440,PR-1440, PRPR-1750,-1750, PR-1776MPR-1776M

TempoTempo dede curacura afetadoafetado porpor::

Umidade

• Alta Umidade = rápida

• Baixa Umidade = longa

Tempo de Vida Útil

• Cura mais longa

Umidade • Alta Umidade = rápida • Baixa Umidade = longa – Tempo de Vida Útil
Umidade • Alta Umidade = rápida • Baixa Umidade = longa – Tempo de Vida Útil

Rev. 8/29/05

Generação 2:

Cura por MnO 2 Polisulfetos

NãoNão aceleraracelerar curacura acimaacima dede 51ºC.51ºC.

BaseBase (Part(Partee B)B)

– Sensìvel à Oxigênio

– Possível formação de película superficial.

– Aumento da Viscosidade com idade do produto.

AAceceleraleraddoror (Part(Partee A)A)

ATIVADOR DECANTA

PRECISA MISTURAR antes de usar!

ce ce lera lera d d or or (Part (Part e e A) A) – ATIVADOR
ce ce lera lera d d or or (Part (Part e e A) A) – ATIVADOR

Rev. 8/29/05

Generação 2:

Cura por Dicromato de Potássio Polisulfetos

ExExeemplmploos:s: PR-1422,PR-1422, PR-1436PR-1436 GG

TempoTempo dede curacura nãonão afetadoafetado porpor::

Umidade

• Alta Umidade = sem mudança

• Baixa Umidade = sem mudança

• Àgua é parte da composição

Tempo de Vida Útil

Cura é incrementada/aumenta

= sem mudança • Àgua é parte da composição – Tempo de Vida Útil • Cura
= sem mudança • Àgua é parte da composição – Tempo de Vida Útil • Cura

Rev. 8/29/05

Generação 2:

Cura por Dicromato de Potássio Polisulfetos

GeralmenteGeralmente curamcuram maismais rápidorápido queque seuseu equivalenteequivalente porpor curacura MnOMnO 22

NãoNão aceleraracelerar curacura acimaacima dede 51ºC.51ºC.

BaseBase (Part(Partee B)B)

Viscosidade aumenta com o tempo.

AceleraAceleraddoror (Part(Partee A)A)

Ativador flutua na superfìcie

PRECISA MISTURAR antes de usar!

d d or or (Part (Part e e A) A) – Ativador flutua na superfìcie –
d d or or (Part (Part e e A) A) – Ativador flutua na superfìcie –

Rev. 8/29/05

Generação 3: Cura por Epoxy Permapol P-3 Polythioether

Examples:Examples: PR-1826;PR-1826; PR-1828PR-1828

Cura Rápida

Não afetados pela umidade

Sensíveis à relação (A:B)

Requer uso de um agente promotor de adesão, quando usados sobre selantes a base de polisulfetos.

ÉÉ oo melhormelhor selanteselante parapara reparos.reparos.

a base de polisulfetos. • É É o o melhor melhor selante selante para para reparos.

Rev. 8/29/05

Generação 3: Cura por Epoxy Permapol P-3 Polythioether

ExExeemplmploos:s: PR-2001*,PR-2001*, PR-2200PR-2200

Cura Rápida

Não afetados por umidade

Baixo odor

Sensíveis à relação (A:B)

Requer uso de um agente promotor de adesão, quando usados sobre selantes a base de polisulfetos.*

*Promotor de adesão é necessário em reparos. Promotor de adesão, talvez não seja necessário sobre superficies virgens.

é necessário em reparos. Promotor de adesão, talvez não se ja necessário sobre superficies virgens. Rev.

Rev. 8/29/05

PR-2001PR-2001 FastFast CureCure IFTIFT SealantSealant

Typical Cure Profile, 77 o F (25 o C) 60 50 40  T =
Typical Cure Profile, 77 o F (25 o C)
60
50
40
 T = Down Time of Aircraft = $$$
30
20
10
0
0
5
10
15
20
Time, Hours
PR-2001 B-1/2 (Epoxy curing P-3.1 Polythioether)
P/S 890 B-1/2 (Manganese dioxide curing Polysulfide)
Hardness, Durometer A
curing P-3.1 Polythioether) P/S 890 B-1/2 (Manganese dioxide curing Polysulfide) Hardness, Durometer A Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Tendências da idade do Selante

GeGeralmenteralmente aa idadeidade afertaaferta::

Propriedades de Aplicação > Propriedades de Performace

GarantiaGarantia dada PRC-DeSotoPRC-DeSoto ExpiraExpira nana @@ DOEDOE (( DataData ofof Expiration)Expiration)

Reteste e Recertificação Possível

Custos e restrições são impostas.

Expiration) Expiration) – Reteste e Recertificação Possível – Custos e restrições são impostas. Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Part IV

Aplicações Típicas de Selantes

Part IV Aplicações Típicas de Selantes Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Aplicações Típicas de Selantes

Inibidor de Corrosão Fluidez Aerodinâmica Condutivos Tanque de Combustível Portas de Accesso Parabrisas e Canopla
Inibidor de Corrosão
Fluidez Aerodinâmica
Condutivos
Tanque de Combustível
Portas de Accesso
Parabrisas e Canopla
AltaTemp.
Fluidez Aerodinâmica Condutivos Tanque de Combustível Portas de Accesso Parabrisas e Canopla AltaTemp. Rev. 8/29/05
Fluidez Aerodinâmica Condutivos Tanque de Combustível Portas de Accesso Parabrisas e Canopla AltaTemp. Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Aplicações Típicas de Selantes

Aplicações Típicas de Selantes Rev. 8/29/05
Aplicações Típicas de Selantes Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Aplicações Típicas de Selantes Corrosion Inhibitive P/S 870 P/S 875 PR-1775
Aplicações Típicas de Selantes
Corrosion Inhibitive
P/S 870
P/S 875
PR-1775
Aplicações Típicas de Selantes Corrosion Inhibitive P/S 870 P/S 875 PR-1775 Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Corrosão é ruim!

Corrosão é ruim! Falha estrutural em 28 de abril de 1988, Boeing 737 c/ 19 anos

Falha estrutural em 28 de abril de 1988, Boeing 737 c/ 19 anos de idade

Corrosão é ruim! Falha estrutural em 28 de abril de 1988, Boeing 737 c/ 19 anos

Rev. 8/29/05

Aplicações Típicas de Selantes Aerodynamic Smoothing P/S 895 PR-1824 PR-2050
Aplicações Típicas de Selantes
Aerodynamic Smoothing
P/S 895
PR-1824
PR-2050
Aplicações Típicas de Selantes Aerodynamic Smoothing P/S 895 PR-1824 PR-2050 Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Aplicações Típicas de Selantes Integral Fuel Tank P/S 890 PR-1422 PR-1440 PR-1776M PR-1826 PR-2001
Aplicações Típicas de Selantes
Integral Fuel Tank
P/S 890
PR-1422
PR-1440
PR-1776M
PR-1826
PR-2001
Aplicações Típicas de Selantes Integral Fuel Tank P/S 890 PR-1422 PR-1440 PR-1776M PR-1826 PR-2001 Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Aplicações Típicas de Selantes Access Door PR-1428 PR-1773
Aplicações Típicas de Selantes
Access Door
PR-1428
PR-1773
Aplicações Típicas de Selantes Access Door PR-1428 PR-1773 Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Aplicações Típicas de Selantes High Temp P/S 700 PR-812
Aplicações Típicas de Selantes
High Temp
P/S 700
PR-812
Aplicações Típicas de Selantes High Temp P/S 700 PR-812 Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Aplicações Típicas de Selantes

Windshield and Canopy PR-1425 PR-1829
Windshield and Canopy
PR-1425
PR-1829
Aplicações Típicas de Selantes Windshield and Canopy PR-1425 PR-1829 Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Aplicações Típicas de Selantes

Aplicações Típicas de Selantes Conductive PR-1764 PR-2200 Rev. 8/29/05

Conductive

PR-1764

PR-2200

Aplicações Típicas de Selantes Conductive PR-1764 PR-2200 Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Aplicações Típicas de Selantes

Aplicações Típicas de Selantes Rev. 8/29/05
Aplicações Típicas de Selantes Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Parte IV

Limpeza adequada e Preparação de Superfícies P/ aplicação de Selantes

Part e IV Limpeza adequada e Preparação de Superfícies P/ aplicação de Selantes Rev. 8/29/05
Part e IV Limpeza adequada e Preparação de Superfícies P/ aplicação de Selantes Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Selantes não vão aderir à substratos sujos

Eles vão aderir somente a sujidade

à substratos sujos Eles vão aderir somente a sujidade Pó, poeira, Graxas, Silicones, Sabões, Óleos,

Pó, poeira, Graxas, Silicones, Sabões, Óleos, Impressões Digitais e outros contaminantes devem ser removidos.

poeira, Graxas, Silicones, Sabões, Óleos, Impressões Digitais e outros contaminantes devem ser removidos. Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Preparação adequada de superfície

UseUse solventessolventes dede limpezalimpeza agressivosagressivos

UseUse panospanos apropriadosapropriados parapara àà limpeza.limpeza.

NuncaNunca deixedeixe oo solventesolvente secarsecar nana superfície.superfície.

UseUse oo procedimentoprocedimento dede limpezalimpeza progressivaprogressiva

NuncaNunca toquetoque aa superfíciesuperfície comcom asas mãosmãos semsem usarusar luvas.luvas.

toque toque a a superfície superfície com com as as mãos mãos sem sem usar usar

Rev. 8/29/05

Solventes Recomendados

Outros Solventes

DesocleanDesoclean OO MelhorMelhor

MetMetiill EtEtiill CCetonetonaa BomBom sese disponíveldisponível

AcetonAcetonaa EvaporaEvapora muitomuito rápidorápido

ToluenToluenoo DeixaDeixa umum resíduoresíduo oleosooleoso

ÁÁlcoollcool IsopropílicoIsopropílico (IPA)(IPA) PoucoPouco poderpoder dede solvência.solvência.

SSabões/Detergentesabões/Detergentes PoucoPouco poderpoder dede solvência,solvência, deixamdeixam resíduos.resíduos.

ÁguaÁgua PoucoPouco poderpoder dede solvência.solvência.

resíduos. resíduos. • Água Água – – Pouco Pouco poder poder de de solvência. solvência. Rev.

Rev. 8/29/05

Panos adequados para a limpeza

Recomendado

QqQq panopano emem conformidadeconformidade comcom AMSAMS 38193819

– Clean Lint Free Cloth

CheeseCheese ClothCloth

– Clean Lint Free Cloth • Cheese Cheese Cloth Cloth Não Recomendado • Pano Pano de
– Clean Lint Free Cloth • Cheese Cheese Cloth Cloth Não Recomendado • Pano Pano de
– Clean Lint Free Cloth • Cheese Cheese Cloth Cloth Não Recomendado • Pano Pano de

Não Recomendado

PanoPano dede oficinasoficinas

PapelPapel ToalhaToalha

PanosPanos recicladosreciclados

PapelPapel HigiênicoHigiênico

Rev. 8/29/05

Método apropriado ou não apropriado de limpeza?

Método apropriado ou não apropriado de limpeza? Rev. 8/29/05
Método apropriado ou não apropriado de limpeza? Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Método Apropriado de Limpeza

Método Progressivo
Método Progressivo
Método Apropriado de Limpeza Método Progressivo Rev. 8/29/05
Método Apropriado de Limpeza Método Progressivo Rev. 8/29/05
Método Apropriado de Limpeza Método Progressivo Rev. 8/29/05
Método Apropriado de Limpeza Método Progressivo Rev. 8/29/05
Método Apropriado de Limpeza Método Progressivo Rev. 8/29/05
Método Apropriado de Limpeza Método Progressivo Rev. 8/29/05
Método Apropriado de Limpeza Método Progressivo Rev. 8/29/05
Método Apropriado de Limpeza Método Progressivo Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Se em dúvida, limpe a superfície de novo!

Se em dúvida, limpe a superfície de novo! Rev. 8/29/05
Se em dúvida, limpe a superfície de novo! Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Promotores de adesão

RecomendadoRecomendado emem áreasáreas dede difícildifícil acessoacesso ee difícildifícil dede

seremserem limpaslimpas

RecomendadosRecomendados parapara aplicaçãoaplicação dede ReparosReparos (Cheap(Cheap security!security!-- SegurançaSegurança àà baixobaixo custo!custo!))

RequeridoRequerido SempreSempre porpor osos selantesselantes aa basebase dede ppolythioethersolythioethers aplicadosaplicados sobresobre polysulfides.polysulfides.

base de de p p olythioethers olythioethers aplicados aplicados sobre sobre polysulfides. polysulfides. Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Promotores de Adesão

USE

• Aplique sobre áreas recentemente limpas.

Descartar se o produto conter partículas ou estar esbraquiçado.

• Aplique uma demão fina e uniforme.

• Armazene sempre na embalagem original.

ou estar esbraquiçado. • Aplique uma demão fina e uniforme. • Armazene sempre na embalagem original.

Rev. 8/29/05

Promotor de Adesão

NÃO USE

• Fora da data de validade

• Não secar em fornos ou estufa.

• Aplicar o selantes se o PA estiver molhado. – Normalmente seca em 30 Minutos

• Aplicar o selante se o tempo de secagem for excedido.

Relimpe e aplique novamente o primer se o tempo de secagem foi excedido.

se o tempo de secagem for excedido. Relimpe e aplique novamente o primer se o tempo

Rev. 8/29/05

Promotores de Adesão

Product

Features

Chemistry

Bonds

     

Glass

PR-142*

Non-crazing for Acrylic and Polycarbonate

Silane

Polycarbonate

Acrylic

PR-148

Cleaner and coupling agent

Titanate

Fuel Soaked sealant Aged paints and primers Stainless steel titanium

PR-182

VOC compliant Water based worker/environmentally friendly

Silane

PR-187

Coupling agent for polythioether to polysulfide applications

Epoxy

All Surfaces

to polysulfide applications Epoxy All Surfaces Polysulfide Adhesion Promoter Polythioether Adhesion
to polysulfide applications Epoxy All Surfaces Polysulfide Adhesion Promoter Polythioether Adhesion

Polysulfide Adhesion Promoter Polythioether Adhesion Promoter

*Note that PR-142 is used for some polythioether applications.

Promoter Polythioether Adhesion Promoter *Note that PR-142 is used for some polythioether applications. Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Adesão

Possíveis falhas em Selagem

Ad esão Possíveis falhas em Selagem Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Cohesive Failure

Material tears within itself

Cohesive Failure • Material tears within itself • Ideal case for most sealants • Surface was

Ideal case for most sealants Surface was properly prepared

Material is present on both surfaces

• Ideal case for most sealants • Surface was properly prepared • Material is present on
• Ideal case for most sealants • Surface was properly prepared • Material is present on
• Ideal case for most sealants • Surface was properly prepared • Material is present on

Rev. 8/29/05

Adhesive Failure

•Sealant pulls cleanly away from substrate Possible Causes

pulls cleanly away from substrate Possible Causes • Poor cleaning technique • Lack of adhesion promoter
pulls cleanly away from substrate Possible Causes • Poor cleaning technique • Lack of adhesion promoter

Poor cleaning technique Lack of adhesion promoter Not using adhesion promoter within activation time •Improper cure cycle of sealant Poor mixing of product Failure of sealant to wet surface •Adhesive incompatibility

of sealant • Poor mixing of product • Failure of sealant to wet surface •Adhesive incompatibility

Rev. 8/29/05

Primer Failure

Primer Failure • Sealant pulls coating from substrate Possible Causes • Poor cleaning technique • Poor
Primer Failure • Sealant pulls coating from substrate Possible Causes • Poor cleaning technique • Poor
Primer Failure • Sealant pulls coating from substrate Possible Causes • Poor cleaning technique • Poor
Primer Failure • Sealant pulls coating from substrate Possible Causes • Poor cleaning technique • Poor

Sealant pulls coating from substrate

Possible Causes

Poor cleaning technique

• Poor primer application

Sealant pulls coating from substrate Possible Causes • Poor cleaning technique • Poor primer application Rev.

Rev. 8/29/05

Air Pocket • Material fails due to air pocket Possible Causes • Improper mixing •
Air Pocket • Material fails due to air pocket Possible Causes • Improper mixing •

Air Pocket

• Material fails due to air pocket

Possible Causes

• Improper mixing

• Careless application technique

Rev. 8/29/05

Part V

Preparação dos Selantes

Part V Preparação dos Selantes Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Sealant Packaging

AdequateAdequate BetterBetter BestBest
AdequateAdequate
BetterBetter
BestBest

Can Kit

Packaging AdequateAdequate BetterBetter BestBest Can Kit Difficult to use Messy Personnel exposure Highest waste

Difficult to use

Messy

Personnel exposure Highest waste

Kit Difficult to use Messy Personnel exposure Highest waste Semkit Low waste Pre-Mixed Frozen Highest convenience
Kit Difficult to use Messy Personnel exposure Highest waste Semkit Low waste Pre-Mixed Frozen Highest convenience

Semkit

Low waste

Pre-Mixed Frozen

Highest convenience

Pre

measured

Best for high volume use

Mix

in container

Full

S/L

Best for repair

Short Shelf-life

Rev. 8/29/05

Misturando - Can Kits

Antes de misturar a base e o acelerador

Ler o Rótulo e verifique se:

•O Nº de Lote da base e do aceleradoer é o mesmo •Se o material esta dentro de sua Vida Útil •O material a ser usado é o apropriado para a tarefa

•O material a ser usado é o apropriado para a tarefa • Prepare as ferramentas •Espátula

Prepare as ferramentas

•Espátula de madeira e metal •Abridor de latas •Óculos de segurança •Luvas

•Misture o acelerador

Retire a base da tampa da lata •Mistura •Misture todo o conteúdo ( base e acelerador) •Raspe os lados da lata e espáturas freguentemente •Evite incorporação de ar Misture até obter uniformidade

da lata e espáturas freguentemente • Evite incorporação de ar • Misture até obter uniformidade •

Rev. 8/29/05

Can Kit Mix

Prepare as ferramentas

Verifque o Nº de lote A & B

 Misture primeiro a parte A Remova an borda da lata  Use as espátulas
Misture primeiro a parte A
Remova an borda da lata
 Use as espátulas
MISTURE toda a embalagem
Raspe as lata e espátulas
frequentemente!
Observe a uniformidade da mistura
Rev. 8/29/05

Mixing - Can Kits

NÃO

• Use selantes fora do prazo de validade

• Não brique em ser um Químico

• Ajuste a relação Iniciador - Base

selantes fora do prazo de validade • Não brique em ser um Químico • Ajuste a

Rev. 8/29/05

Nozzle

Nozzle D a s h e r Cartridge Plunger Dasher Rod Ram Rod Rev. 8/29/05

Dasher

Cartridge

Plunger

Dasher Rod

Ram Rod

Rev. 8/29/05

Misturando - Semkits

Antes de misturar

Ler o Rótulo e verifique se:

Se o material esta dentro de sua Vida Útil •O material a ser usado é o apropriado para a tarefa

•Injetar o acelerador em 3 secções

–Encima perto do êmbolo –Meio –Embaixo perto do nozzel

tarefa •Injetar o acelerador em 3 secções –Encima perto do êmbolo –Meio – Embaixo perto do

Rev. 8/29/05

Semkit Mix

Semkit Mix  Pull dasher rod from plunger  Injetar Parte A em 3 secções: •
Semkit Mix  Pull dasher rod from plunger  Injetar Parte A em 3 secções: •
Semkit Mix  Pull dasher rod from plunger  Injetar Parte A em 3 secções: •

Pull dasher rod from plunger

Injetar Parte A em 3 secções:

1/3rd @ cima (perto do êmbolo)

1/3rd @ meio

1/3rd @ embaixo (perto do nozzel)

• 1/3rd @ meio • 1/3rd @ embaixo (perto do nozzel) Plunger - Êmbolo Cartridge -

Plunger - Êmbolo Cartridge - cartucho Dasher Rod – haste do hélice

1/3rd @ embaixo (perto do nozzel) Plunger - Êmbolo Cartridge - cartucho Dasher Rod – haste

Rev. 8/29/05

Semkit Mix

Monitore:

Contar os movimentos verticais -( stock)

• Tempo de mistura

Após misturado

Remova a haste do acelerador

• •

Verifique se toda a parte A foi adicionada

Teste a uniformidade

o • Remova a haste do acelerador • • Verifique se toda a parte A foi

Rev. 8/29/05

Semkit Mixing Methods   Best   Better Adequate Manual 285 Mixer 388 Mixer Mix anywhere
Semkit Mixing Methods   Best   Better Adequate Manual 285 Mixer 388 Mixer Mix anywhere

Semkit Mixing Methods

 

Best

 

Better

Better
  Better

Adequate

  Best   Better Adequate Manual 285 Mixer 388 Mixer Mix anywhere Semi-Automatic Simple to Operate

Manual

285 Mixer

388 Mixer

Mix anywhere

Semi-Automatic Simple to Operate Uniform Mixing Light Weight

Complety automated Simple to Operate Uniform Mixing Automatic mix time

Worker Fatigue

Requires Manual labor

Limited Portability

Operate Uniform Mixing Automatic mix time Worker Fatigue Requires Manual labor Limited Portability Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Usar furadeira para misturar o selante é:

Usar furadeira para misturar o selante é: Perigoso – Imprevisível – NÃO Aceitável! Rev. 8/29/05
Usar furadeira para misturar o selante é: Perigoso – Imprevisível – NÃO Aceitável! Rev. 8/29/05
Usar furadeira para misturar o selante é: Perigoso – Imprevisível – NÃO Aceitável! Rev. 8/29/05
Usar furadeira para misturar o selante é: Perigoso – Imprevisível – NÃO Aceitável! Rev. 8/29/05
Usar furadeira para misturar o selante é: Perigoso – Imprevisível – NÃO Aceitável! Rev. 8/29/05

Perigoso – Imprevisível – NÃO Aceitável!

Usar furadeira para misturar o selante é: Perigoso – Imprevisível – NÃO Aceitável! Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Mixing - Semkits

Depois de misturado

•Remova a haste do acelerador •Verifique se todo acelerador foi injetado •Fixe o nozzle e extrude uma pequena porção •Examine a uniformidade da mistura

foi injetado •Fixe o nozzle e extrude uma pequena porção • Examine a uniform idade da

Rev. 8/29/05

and

and NEVER re-freeze! Rev. 8/29/05

NEVER re-freeze!

and NEVER re-freeze! Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Product Information Resources

• WebWeb Site:Site: www.prc-desoto.comwww.prc-desoto.com – Boletin dos Produtos – Guias de aplicação •
• WebWeb Site:Site: www.prc-desoto.comwww.prc-desoto.com
– Boletin dos Produtos
– Guias de aplicação
• PRC-DeSotoPRC-DeSoto AeroAero CDCD
• Eng.Eng. ServicesServices
– Sealants: Bob Hawrylo /Steve Bialecki
1 (818) 549-7819
– Coatings: Rod Garcia
1 (818) 549-7795
– Sealants: Bob Hawrylo /Steve Bialecki 1 (818) 549-7819 – Coatings: Rod Garcia 1 (818) 549-7795

Rev. 8/29/05

Part VII

Information Resources

GOTGOT E.I.D.?E.I.D.?

Part VII Information Resources GOT GOT E.I.D.? E.I.D.? Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Greetings from Engineering Services
Greetings from
Engineering Services
Greetings from Engineering Services Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

The End?

The End? Rev. 8/29/05
The End? Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05

Sealant Training Questions

Sealant Training Questions Presented by Engineering Services quinta-feira, 30 de novembro de 2017 Rev. 8/29/05

Presented by

Sealant Training Questions Presented by Engineering Services quinta-feira, 30 de novembro de 2017 Rev. 8/29/05
Sealant Training Questions Presented by Engineering Services quinta-feira, 30 de novembro de 2017 Rev. 8/29/05

Engineering Services

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Sealant Training Questions Presented by Engineering Services quinta-feira, 30 de novembro de 2017 Rev. 8/29/05

Rev. 8/29/05