Sei sulla pagina 1di 4

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA __ VARA DE FAMÍLIA

DE GUAIAQUI

(10 LINHAS)

Antônio Pedro xxx, nacionalidade, viúvo, profissão, inscrito sob CPF de nº xxx,
com endereço eletrônico xxx, residente e domiciliado na Rua xxx, nº xx, bairro xxx,
Daluz/UF – CEP: xxx, vem, respeitosamente, por meio de seu advogado que abaixo
assina, com escritório na Rua xxx, bairro xxx, Daluz/UF – CEP: xxx e endereço
eletrônico xxx, ambos onde recebe intimações e notificações, com fulcro na Lei
5.478/68, propor

AÇÃO DE ALIMENTOS C/C AÇÃO DE ALIMENTOS PROVISÓRIOS

Em face de ARLINDO, nacionalidade, estado civil, empresário, inscrito no CPF


sob nº xxx, residente e domiciliado na Rua xxx, nº xx, bairro, Italquis/UF – CEP XXX,
pelos fatos e fundamentos a seguir expostos:

1 PRELIMINARES

1.1 Rito Especial c/c prioridade de tramitação

Está demanda deverá ser de rito especial, como disposto no Art. 1º, da Lei
5.478/68.
Tratando-se de idoso cuja a idade está em 72 anos, este tem direito ao
benefício da prioridade na tramitação de procedimentos judiciais, nos termos do art.
1.048 do Código de Processo Civil e art. 71 do Estatuto do Idoso.
1.2 Da Justiça Gratuita

Desde já requer a concessão de justiça gratuita, tendo em vista que o autor é


financeiramente impossibilitado de arcar com as custas processuais e honorários
advocatícios sem o prejuízo de seu próprio sustento, como disposto no art. 1º, § 2º da
LEI Nº 5.478.

1.3 Alimentos provisórios

O autor encontra-se em situação financeira baixa, em que surge a necessidade


de ter que recorrer a ajuda de terceiros para conseguir se alimentar e até mesmo
cuidar de sua saúde; desta forma far-se-á de extrema importância que o
excelentíssimo fixe desde já o pagamento de alimentos, de forma provisória, ao réu
para que o autor possa se manter com o decorrer deste processo, com fulcro no art.
4º da Lei 5.478/68.

2 DOS FATOS

Antônio Pedro, morador da cidade Daluz (Comarca de Guaiaqui), foi casado


com Lourdes por mais de quatro décadas, tendo tido apenas um filho, Arlindo, morador
de Italquise (Comarca de Medeiros), dono de rede de hotelaria. Com o falecimento da
esposa, Antônio Pedro deixou de trabalhar em razão de grande tristeza que o
acometeu. Já com 72 anos, Antônio começou a passar por dificuldades financeiras,
sobrevivendo da ajuda de vizinhos e alguns parentes.

3 DOS DIREITOS

A alimentação é instituto importantíssimo para a garantia constitucional do


direito à vida e a dignidade da pessoa humana. Dado a isto, fica claro que o indivíduo
precisa ter para si a possibilidade de manter-se de forma digna. O autor, que é idoso
e encontra-se em situação precária, depende da ajuda de terceiros estranhos ao seio
familiar e alguns parentes para sua manutenção, pois com avançada idade já não
consegue trabalhar para manter-se.

A Carta Maior é específica em seu texto, quando no art. 229 diz que os filhos
maiores têm o dever de prestar assistência aos pais na velhice, carência ou
enfermidade; tendo o autor 72 anos completos, viúvo, sem trabalho, sem
aposentadoria, a constituição estabelece a obrigatoriedade do filho maior satisfazer
com as necessidades básicas do pai. Também faz-se saber que a Lei 5.478/68 institui
que:

Art. 2º. O credor, pessoalmente, ou por intermédio de advogado,


dirigir-se-á ao juiz competente, qualificando-se, e exporá suas necessidades,
provando, apenas o parentesco ou a obrigação de alimentar do devedor,
indicando seu nome e sobrenome, residência ou local de trabalho, profissão
e naturalidade, quanto ganha aproximadamente ou os recursos de que
dispõe.

Desta forma, com o documento de identificação/certidão de nascimento do


próprio réu já se faz a prova necessária quanto ao parentesco entre os envolvidos
desta demanda. Sendo o autor pai registrado, e estando este em clara necessidade
de auxílio alimentar, nasce ai a obrigação apresentada no art. 229 da CF quanto a
responsabilidade do réu.

DOS PEDIDOS

a) Citação do réu sob pena de revelia;


b) Intimação do Ministério Público;
c) Que seja deferida a Justiça Gratuita;
d) Que seja deferido o pedido de alimentos provisórios no valor de R$xxx;
e) A concessão da prioridade no tramite processual;
f) Seja julgado procedente o pedido para fixar os alimentos em R$xxx,
transformando os alimentos provisórios em definitivos;
g) Condenação do réu na sucumbência.

DAS PROVAS

Indica como provas a serem produzidas a de caráter documental, testemunhal e


depoimento pessoal, na amplitude do artigo 319 do CPC.

Valor de Causa R$XXX ( valor por extenso )

GUAIAQUI, data
ADV xxx
OAB xxx