Sei sulla pagina 1di 5

OBTENÇÃO DOS HIDROXIDOS DE METAIS ALCALINOS TERROSOS

Paulo Vidal Guanabara de Azevedo


Departamento de Química, Universidade Estadual da Paraíba, Campus I, Campina
Grande – PB.

INTRODUÇÃO efeito do aumento de carga na equação


Os metais alcalinos terrosos são de Born-Landé. Assim quando a energia
metais que apresentam no seu nível reticular descresse, favorece um
eletrônico mais externo dois aumento na solubilidade.1 Porém nos
elétrons,apresentando assim hidróxidos e fluoretos dos metais
propriedades específicas para o grupo.1 alcalinos terrosos a energia reticular
Os metais deste grupo também diminui mais rapidamente que a energia
apresentam alta reatividade e podem
formar cátions de carga 2+. Eles
também apresentam uma dureza maior e de hidratação, ocasionando um aumento
pontos de fusão e ebulição mais altos da solubilidade á medida que descemos
que os metais alcalinos pelo fato de no grupo.1
possuírem mais elétrons que podem
participar de ligações, apresentando
PARTE EXPERIMENTAL
assim energia de coesão mais forte.
Obtenção dos hidróxidos de magnésio
A energia de hidratação também
e cálcio.
é alta em comparação aos metais
alcalinos, pois os átomos são menores e Pesa - se 0,5g de óxido de
possuem uma carga maior, assim ela magnésio dentro de um béquer de 100
aumenta à medida que os átomos mL e adiciona - se ao béquer 3 mL de
diminuem, produzindo cargas água destilada e agita - se para se ver o
momentâneas polares, atraindo assim aspecto. Adiciona - se mais 25 mL de
mais moléculas de água.1 As energias água destilada dentro do béquer e agita -
reticulares também são maiores quando se mais uma vez para observar o
comparados aos alcalinos isso devido ao aspecto. Filtra - se a solução do béquer
até que fique completamente água destilada ao béquer que continha
transparente com papel filtro de tira MgO, pode – se observar que o óxido se
branca aderido a um funil e recolhe - se solubilizou facilmente, apresentando um
o filtrado em um béquer de 250 mL. O aspecto leitoso bem consistente, que
procedimento anterior é feito enfraqueceu com a adição dos 25 mL de
novamente, porém utilizando óxido de água, de acordo com a equação 1.
cálcio.
𝑀𝑔𝑂(𝑠) + 𝐻2 𝑂(𝑙) → 𝑀𝑔(𝑂𝐻)2 (Equação 1)
Determinação do Ph das soluções de
hidróxido de magnésio e do hidróxido Já com o CaO, observou – se a
de cálcio. dificuldade do óxido se solubilizar,
mesmo após as duas adições de água
Adiciona - se a 6 tubos de ensaio
destilada e de ter sido agitado com o
respectivamente: 2 mL da solução de
bastão de vidro, os grãos do óxido ainda
Mg(OH)2 e 2 gotas de fenolftaleína; 2
se faziam presentes dentro da solução,
mL da solução de Ca(OH)2 e 2 gotas de
na equação 2, podemos demonstrar o
fenolftaleína; 2 mL da solução de
que ocorreu durante a reação.
Ba(OH)2 e 2 gotas de fenolftaleína; 2
mL da solução de Mg(OH)2 e 2 gotas de 𝐶𝑎𝑂(𝑠) + 𝐻2 𝑂(𝑙) → 𝐶𝑎(𝑂𝐻)2 (Equação 2)

CuSO4; 2 mL da solução de Ca(OH)2 e


Uma solubilidade fora do
2 gotas deCuSO4; 2 mL da solução de
esperado tendo em vista que todos os
Ba(OH)2 e 2 gotas deCuSO4.
óxidos metálicos são insolúveis, com
Adiciona - se 2 gotas das exceção dos óxidos formados pelos
soluções de cada tubo em um vidro de metais alcalinos, e dos cátions de Ca2+,
relógio e determina - se o seus Sr2+ e Ba2+.2 Esse resultado pode ter
respectivos pH. sido alterado em hipótese devido à
validade dos reagentes em questão que
poderiam estar fora do prazo. Após
RESULTADOS E DISCUSSÕES obter as soluções de Mg(OH)2 e
Ca(OH)2 em cada béquer, elas foram
Durante o procedimento inicial,
filtradas utilizando um suporte para
pode se observar que os óxidos de
funis de madeira, um funil de vidro com
cálcio e magnésio apresentaram
papel filtro de faixa branca aderido a
diferentes tendências de solubilidades.
ele, e o filtrado foi recolhido em um
Quando foram adicionados os 3 mL da
béquer de 250 mL. Nesta etapa não foi CuSO4 Ba(OH)2 14
necessário realizar a filtração para cada (Tabela 1)
solução mais que uma vez, pois cada
filtrado obtido estava transparente
quando recolhidos, o que indica que o A fenolftaleína que é incolor
papel filtro foi bem aderido à parede do quando esta reservada ou em uma
funil. solução ácida, mudou a sua coloração
para roxa, indicando a formação de uma
Em seis tubos de ensaio foram
base.
adicionadas as soluções filtradas, sendo
que cada solução foi adicionada a dois Os valores de pH obtidos para o
tubos de ensaio diferentes, além disso, sulfato de cobre(II), estão no esperado
usamos uma solução de hidróxido de considerando que são soluções básicas,
bário na qual também foi dividida em porém, houve um resultado fora do
dois tubos. Após esse procedimento, padrão, pois o Mg(OH)2 apresentou um
separamos os tubos de ensaio de forma pH ácido, através da reação entre esses
a termos dois grupos, nos quais o grupo reagentes (equação 3), podemos observa
1 continha soluções de hidróxido de que houve a formação de um novo sal e
cálcio, hidróxido de magnésio e uma nova base, assim como o esperado.
hidróxido de bário e no grupo 2 as
𝑀𝑔(𝑂𝐻)2 + 𝐶𝑢𝑆𝑂4 → 𝐶𝑢(𝑂𝐻)2 + 𝑀𝑔𝑆𝑂4
mesma soluções. No grupo 1
(equação 3)
adicionamos o indicador de base, a
fenolftaleína e no grupo 2 o sulfato de Uma hipótese para tal resultado
cobre (II). Assim verificamos o pH de seria a de que o pH pode ter sido
cada solução utilizando o papel alterado por algum agente que interferiu
indicador tornassol, tendo os seguintes na reação, que poderia estar nas paredes
dados da tabela 1: do tubo de ensaio onde se encontrava a
solução de Mg(OH)2, mesmo sem ter
Indicador Solução pH
sido notada presença de tal agente nos
Fenolftaleína Mg(OH)2 9
demais tubos de ensaios do
Fenolftaleína Ca(OH)2 13
procedimento. As mesmas tendências
Fenolftaleína Ba(OH)2 14
de solubilidade e pH foram observadas
CuSO4 Mg(OH)2 5
nos resultados das demais duplas que
CuSO4 Ca(OH)2 11
realizaram o procedimento, o que pode
indicar que ocorreu alguma mudança reagentes usados, com exceção o
durante cada etapa que foi executada hidróxido de magnésio que é uma base
mutuamente, e nenhuma das etapas do fraca, pelo fato de ser pouco solúvel.
procedimento realizado dentro do Pois os metais alcalinos terrosos reagem
laboratório durante o experimento foi na forma de óxidos formando bases
executada fora do proposto, o que leva a fortes
se cogitar esta hipótese.

Nos demais tubos de ensaio a


CONCLUSÃO
verificação dos pH foi positiva em
relação aos reagentes e os produtos Os resultados relacionados à
formados como os das reações nas formação dos hidróxidos foram
equações 4 e 5: satisfatórios tendo em vista que foi
obtido em solução o esperado pela
Ba(OH)2 + CuSO4 → Cu(OH)2 + BaSO4
proposta do experimento, mesmo não se
(equação 4) observando a solubilidade esperada para
Ca(OH)2 + CuSO4 → Cu(OH)2 + CaSO4 cada óxido reagente em questão. Os
valores de pH observados remetem a
(equação 5)
característica de base no qual cada
Assim os dados experimentais hidróxido deveria apresentar quando
estão correlacionados com os teóricos, comparado com os seus valores
no qual um sal e uma base formam um teóricos, porém não se conseguiu
novo sal e uma nova base. observar este pH em um dos tubos de
ensaio do procedimento ao reagir com
Comparando novamente os
Cu(SO)4. Dentre mais observou a
dados da tabela 1, podemos verificar a
formação de bases através de óxidos de
diferenciação dos pH das bases quando
metais alcalinos terrosos, sendo elas
colocados na fenolftaleína e no sulfato
mais fortes à medida que os metais são
de cobre (II), podemos apresentar dois
maiores, isso devido as propriedades
fatores, um pode estar relacionado a
químicas dos mesmos.
influencia dos reagentes adicionados
pode provocar, e o outro fator é o erro REFERÊNCIAS
de leitura no indicador tornassol, porém
qualitativamente observamos bases
fortes, o que já era esperado devido aos
1.J. D. Lee. Química Inorgânica não
tão concisa. Editora Edgard Blucher
.Ltda.5ª. ed. 1999.

2.http://www.agracadaquimica.com.br/i
ndex.php?&ds=1&acao=quimica/ms2&
i=2&id=53, acessada em Setembro de
2014.