Sei sulla pagina 1di 5

FILOSOFIA E ETICA

P: Com essa definição (da essência da filosofia), e das funções valorativas teóricas e práticas, tem-se um campo filosófico
sob três ângulos, ou dividido em três partes. Quais?
R: teoria da ciência, teoria do valor e teoria da visão de mundo

P: Do conceito de virtude deriva a formação do caráter, ou seja, dos “estados estáveis da alma” ou dos “hábitos arraigados”.
Virtude decorre de uma atualização de potencialidades e a única forma de atualizar é pelo cultivo de hábitos arraigados. O
caráter é formado, ou é uma espécie de produto de escolhas e hábitos de cada indivíduo. Essa conduta deve ser expressa
em linhas gerais por ser uma atuação contingente ou apenas baseada numa espécie de princípio
Aristotélico: “__________________________________” e é o atuar virtuosamente que vai constituir a felicidade
(eudaimonia).
R: “agir de acordo com a reta razão”

P: A vida política nesse sentido só pode ser entendida a partir do “direito natural”. Uma das preocupações nesse sentido é
pelo direito à propriedade que, segundo Locke, é natural, anterior à sociedade civil, não depende do estado, mas está
vinculado ao trabalho que por sua vez é a origem e o fundamento da propriedade. O acordo/ contrato que se dá após com a
instituição do estado civil é para preservar a vida, a liberdade e a propriedade. Locke nesse sentido é também visto como
____________ (na teoria do conhecimento), pois valoriza a experiência; na política é visto junto com Hobbes e outros como
um _________________, isso porque ele via como fundamento último das questões políticas e sociais a natureza do
homem. Escolha a sentença abaixo onde estão as palavras (na ordem correta) que completam a definição sobre John
Locke:
R: Empirista / Jusnaturalista.

P: Locke diz que os direitos de liberdade e igualdade estão no homem, na sua natureza. O indivíduo tem seus direitos de
forma individual e não mais participando de organizações, nação (polis) ou grupos. Surge, portanto, o questionamento se os
direitos naturais são inatos ou não? Hobbes ao falar dos direitos naturais diz que o homem é que detém os mesmos. O
homem de Hobbes vive num contexto em que ocorre um estado permanente de guerra de todos contra todos e por isso as
ações se darão por antecipação, ou seja, antes que o outro me ataque, me cause prejuízo eu o ataco até talvez a seu
extermínio. Isso apenas será resolvido com um contrato social ou um pacto social, ao menos o que será proposto mais
adiante. Continuando a questão da liberdade, Locke afirma que a realização se dá na propriedade, em que ser livre implica
responsabilidades. Em Aristóteles ser livre é “arcar” com as consequências das responsabilidades da polis e o indivíduo
participa do Estado somente após ser considerado cidadão, ou melhor, ter consciência e clareza dos direitos e deveres. O
estado de natureza é hipotético considerando-se alguns pensadores. Hobbes tem a liberdade como ausência de
impedimentos externos e é também fazer aquilo que o estado determina. Para a nova concepção do direito natural
(jusnaturalismo) temos as seguintes características:
Aponte a seguir a única alternativa ERRADA sobre esta concepção de direito natural:
R: O Estado tem o poder de definir quem tem direitos ou não.

P: Após assistir ao vídeo do professor Cortella, disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=2gVCs2fIILo. Marque a


opção que mostra como podemos ser ético no dia a dia.
R: Cuidando de seus valores éticos, respeitando os seus iguais e, ainda assim, viver com dignidade na sociedade e não
apenas sobrevivendo a ela

P: Escolha a alternativa que traz exemplos que descrevem o que vem a ser ética da convicção, segundo o texto a seguir:
ÉTICA DA CONVICÇÃO: Suas decisões decorrem da aplicação de uma tábua de valores preestabelecidos. Sua Máxima é:
“faça algo porque é um mandamento”! Suas duas vertentes são: Vertente do PRINCÍPIO, com a máxima: “respeite as
regras haja o que houver”, e Vertente da ESPERANÇA: com a máxima “o sonho antes de tudo”! Exemplos: Tratado dos
deveres (DEONTOLOGIA): cumpra suas obrigações, siga as prescrições, tudo ou nada, sim ou não, branco ou preto sem
meios-tons.
R: Contra o aborto, em quaisquer circunstâncias. Mãe tem o dever de cuidar dos filhos. Católicos e a “camisinha”. Voto
obrigatório e serviço militar. Empregado e a “camisa” da empresa. Regras de trânsito

P: No sentido profissional o papel da ética está em melhorar as organizações na qual o indivíduo participa, bem como
nortear relações entre empregadores, empregados e a responsabilidade social. Os Recursos Humanos (RH) são bens
preciosos em uma empresa qualquer, apesar disso, por ser uma área complexa, geralmente é o setor que mais há
problemas em relação às normatizações. Isso porque se vive num sistema capitalista, selvagem, ou então, pelos motivos
endógenos como a exigência de eficácia e eficiência na produção. Esses princípios são cada vez mais rígidos e os
relacionamentos pautados nessa competitividade, cada vez mais problemáticos no sentido ético e moral. Diz Aristóteles, em
seu livro A Política: “O homem, quando perfeito, é o melhor dos animais, mas é também o pior de todos quando afastado da
lei e da justiça, pois a injustiça é mais perniciosa quando armada, e o homem nasce dotado de armas para serem usadas
pela inteligência e pelo talento, mas pode sê-lo em sentido inteiramente oposto. Logo, quando destituído de qualidades
morais, o homem é o mais impiedoso e selvagem dos animais, e o pior em relação ao sexo e à gula”. Os pensamentos
desse filósofo (Aristóteles) é um dos mais importantes para a ética, e principalmente quando se pensa a ética nas empresas
e nos negócios. Afinal, o homem pode ser bom, quando justo, mas impiedoso ou selvagem, quando não segue esses
padrões morais e éticos estabelecidos socialmente. No exercício específico das profissões, cada uma em seu ramo, possui
seu próprio _______________________________, ou então, um a ser seguido. Esses precisam ser seguidos e são
fundamentais para os relacionamentos em diferentes níveis, seja para consigo mesmo (indivíduo e sua consciência), para
com os __________ (colegas, grupo de trabalho, público), ou para com a natureza (________________).
R: Código de Ética Profissional / outros / (meio ambiente).

P: Entendendo que os vínculos são basicamente: o afetivo, cultural e os motivos, Todorov (1995) propõe um esquema com
três eixos para o entendimento da realidade: a) Nas sociedades complexas sociedades, nossa visa social desenvolve-se em
diferentes âmbitos sociais (família, os grupos informais, o trabalho, as associações voluntárias, os movimentos sociais, a
cidade, as relações internacionais etc.). b) Nesses âmbitos diversos estabelecemos modalidades, maneiras diversas de se
comportar como seres sociais ou de desenvolver e exercer a sociabilidade inerente a condição humana (relações
amorosas, de colaboração e cooperação, políticas, culturais). c) Essas modalidades de relação fundamentam-se em
diferentes tipos de vínculos com os demais, que constituem os apegos essenciais da vida social (laços afetivos e culturais
podem servir de base conjuntamente para uma relação política, por exemplo).
R: As inter-relações desses eixos constituem as redes sociais.

P: Quer dizer, sujeitos mais instruídos ou mais competentes no sentido moral são aqueles que recorrem e dispõe de vários
argumentos a fim de poder optar pela alternativa que contempla com maior perspicácia o ponto de vista de todos, para
relembrar, que contemple talvez a Vontade Geral (Rousseau), evitando assim, de alguma forma, os efeitos colaterais. A
competência moral pode ser resumida da seguinte forma: 1) possibilidade de se colocar no lugar do outro o que culmina no
respeito ao outro; 2) a qualidade de saber orientar as ações por princípios universais (autonomia), se distinguindo de
sujeitos que não possuem critérios (anomia), ou daqueles cujos critérios são apenas externos (heteronomia). Portanto,
pressupõe um individuo imerso nas relações sociais, responsável; 3) maturidade moral ou discernimento, quando possui a
capacidade de agir e justificar a ação se utilizando de boas razões. De outra forma, retoma o item anterior no sentido de ter
capacidade poder optar ou escolher critérios que sejam sempre universais e não particulares; 4) possibilidade de resolver
os problemas, conflitos de forma racional, mediando o próprio agir com os demais indivíduos. Isso quer dizer que consegue
saber o que é correto e adequado, justo, e o que não é diante de qualquer problema de ordem moral
R: Portanto, reafirma-se aqui a necessidade de um agir pautado em princípios que sejam sempre universais

P: O conceito antropológico de homem deve estar presente na educação moral e ética como ideal normativo, ideia de
horizonte a ser traçado. Educação como ideia, um conceito racional necessário, que não tem um vínculo empírico direto.
Porque a humanidade tem de visar um estado futuro melhor? Para entender melhor é preciso retomar a conexão de que
somos morais, livres e racionais. A educação como ideia tem dois significados: de _________________ e de
_______________. No primeiro, tem diante de si a contribuição para o desenvolvimento da humanidade moral que já está
na criança em potencialidade. “Uma ideia não é outra coisa senão o conceito de uma perfeição que ainda não se encontra
na experiência” (KANT, 1999, p. 17). É um conceito ideal. Precisamos disso para que consigamos, psicologicamente, “tocar
a vida para frente”, é o que dá sentido para o agir humano e, por isso, não pode ser considerado apenas como sonho,
utopia (conforme concepção moderna) ou quimera. Quais são os dois significados da educação como ideia?
R: de humanidade e de moralidade.

P: O bem é um problema que ainda não foi resolvido, mas é uma condição para a ação em Platão, ou para a justiça.
Portanto, para Platão:
R: O bem é horizonte e tem por função dar a visão de totalidade

P: O professor Mário Sérgio Cortella, no Programa do Jô Soares (Março de 2010), explica o que é ética e o que é filosofia
de forma muito clara e simples para demonstrar como a ética influencia o nosso dia a dia. Disponível
em: https://www.youtube.com/watch?v=2gVCs2fIILo
Para Cortella, a filosofia é um conjunto de valores e princípios que a ética emprega para resolver as três grandes questões
da vida: querer, dever e poder. Há coisas que eu quero, mas não devo. Há coisas que eu devo, mas não posso. Há coisas
que eu posso, mas não quero. Com base nisto, aponte a alternativa correta abaixo:
R: A moral é a prática de uma ética. Se a ética tem o princípio de não roubar ela leva à prática moral de não roubar

P: Leia o texto “A ética, questão de vida ou morte” de Renato Janine Ribeiro, disponível
em: http://renatojanine.blogspot.com.br/2011/03/etica-questao-de-vida-ou-morte.html.
Após uma sucinta análise compreensiva da ética a partir da perspectiva profissional, analise o tema: "Por que a
preocupação com a ética cresceu tanto no Brasil?" (Leia o texto – link – para responder com base neste artigo). Aponte a
questão correta, segundo o texto de Renato Janine Ribeiro:
R: A preocupação ética cresceu muito nos últimos anos no Brasil e no estrangeiro, mas, sobretudo aqui. Penso que tem a
ver com o crescimento da sociedade brasileira, ou melhor, com o crescimento do que chamamos “a sociedade”
P: Um dos problemas aqui se refere ao processo de naturalização do social, ou seja, o processo pelo qual se acredita que
“[...] o aperfeiçoamento da sociedade depende basicamente do desenvolvimento da moralidade individual” (DUARTE, 2001,
p. 142). A naturalização não se refere somente a ausência de menção do social, ou negar que o homem viva em sociedade,
mas quando a socialização e, em especial. “[...] a sociedade é considerada resultante de atributos naturais e universais aos
seres humanos. A universalidade do ser humano, em vez de ser vista como resultante de um processo histórico, é vista
como o pressuposto da vida social, isto é, como características naturais, universais e eternas da condição humana”
(DUARTE, 2001, p. 130). Em Kant percebe-se isso no momento em que trata do a priori e do império da razão. Aqui a
concepção de que somente o embate com os outros indivíduos e a própria resistência que esses oferecem ao egoísmo
individual fará com que os indivíduos desenvolvam
R: As “disposições naturais” (Kant) ou a “consciência” (Piaget).

P: Em Platão a “arma” do processo dialético é a pergunta em que não se precisa saber dar a resposta, mas sim saber
perguntar corretamente, de maneira adequada, fazendo com que ocorra, aconteça a reminiscência. O mundo para Platão é
dividido entre as ideias das coisas perfeitas, de modo que só se conhece verdadeiramente quando a alma tem acesso às
“coisas perfeitas”, “____________________”. O homem também faz parte desta dicotomia sendo dividido entre
______________________. Qual alternativa completa estas frases corretamente?
R: “ideias perfeitas” / dividido entre alma e corpo.

P: Agir com total convicção é resultado de um caráter, de uma prática constante. A virtude se constitui no agir e o agir se dá
pela constituição da virtude. Resta em aberto apenas algumas questões sem pretensão de resposta que são: o que dizer
quando desejamos fazer algo e não conseguimos? Em que situação de discernimento se encontra o indivíduo que atua sob
a embriaguez ou cólera? Qual o justo meio do roubo, ou será possível em alguma circunstância? Se eu estou na guerra e
morrer é ruim para mim, porém, se morrer pela pátria é um ato nobre, como decidir? A virtude é um termo médio ou
extremo? Virtude está em oposição ao vício/deficiência? Para concluir tem-se que as artes apenas exigem um saber fazer
instrumental, conhecimento prático-poético. O fim é o produto e a tendência é aprimorar o produto na exigência do saber
fazer repetidamente, sendo, portanto, externo ao homem. Já as virtudes exigem o conhecimento prático deliberativo, a
escolha, o caráter, e reside dentro do homem/indivíduo, portanto, visa forjar o caráter, falquejar a alma, aprimorar o agente
pela prática habitual. Assim nobre é o fim da ________________:
R: virtude.

P: A educação leva o sujeito a ver o que é verdadeiro, perfeito e se dar conta de que o que ele via era reflexo de algo muito
mais complexo e perfeito. Para falar sobre isso, Platão fez uso de qual figura ou ilustração?
R: Alegoria da caverna

P: A partir da definição de filosofia, de Johannes Hessen (1999), como se pode trabalhar em busca de uma definição
essencial de filosofia?
R: Voltar-se para o “próprio fato histórico” e assim obter-se um conceito essencial de filosofia, conforme aponta Dilthey.

P: “ A DIFERENÇA DA ETICA ENQUANTO SABER PRATICO EM RELAÇÃO AOS DEMAIS SABERES.....


Quais afirmações representam o pensamento categórico de Kant sobre o agir humano e a ética?
R: SOMENTE A AFIRMATIVA I CONTEM INFORMAÇÕES CORRETAS, AS AFIRMATIVAS II E III POSSUEM
INFORMACOES ERRADAS.

P: Considere o trecho abaixo: O homem deve, antes de tudo, desenvolver as suas disposições, para o bem; a Providência
não as colocou nele prontas; são simples disposições, sem a marca distintiva da moral. Tornar-se melhor, educar-se e, se
se é mau, produzir em si a moralidade: eis o dever do homem (KANT, 1999, p. 19/20). Sobre o trecho em destaque, pode-
se afirmar que a concepção de homem implícita no texto:
R: O homem é um ser inacabado, o ser humano aparece como potencialidade

P: A definição da Vontade Geral encontra-se elaborada de forma mais explícita na obra de Rousseau. Alguns pressupostos
estão m “Discurso sobre a origem e os fundamentos da desigualdade entre os homens” (ROUSSEAU, 2003a). O
pressuposto é de que Rousseau pensa a sociedade civil como uma sociedade de iguais. A ____________ é pensada
enquanto igualdade social, ou seja, a sociedade civil é fruto de convenções e a igualdade ou desigualdade está expressa na
riqueza, no poder e no status. As diferenças dadas pela natureza não têm maior relevância, ou seja, não importa se o
indivíduo é preto ou branco, se tem mais ou menos força, se tem mais ou menos idade. Nesse sentido, a igualdade
pressupõe a superação das _____________________ entre rico e pobre (dada pela introdução da lei e do direito à
propriedade), entre poderoso e fraco (dada pela instituição da magistratura), e entre senhor e escravo (dada pela
transformação do poder legítimo em poder arbitrário).
R: Igualdade / desigualdades

P: Na verdade o trabalho é algo inerente à constituição do humano e é pelo trabalho que os diferentes membros da
sociedade se relacionam. Nesse caso, a escolha da profissão reflete a escolha pelo futuro, por uma perspectiva de vida.
São muitas as qualidades que o profissional precisa ter para conviver com os outros. A honestidade talvez seja a principal
das virtudes, para qualquer profissional e não se admite relatividade: ou se é honesto ou não se é. A vida na sociedade
mercantil às vezes naturaliza esse aspecto, como se fosse honesto obter vantagem sobre outrem. Por isso que em nosso
país, tipicamente capitalista, se vê (assiste) ou se lê (meios de comunicação impresso), inúmeros atos desonestos, de
corrupção em todos os níveis e profissões. Nesse sentido, destaque abaixo algumas características particulares, para além
dos interesses pessoais:
R: Honestidade, sigilo profissional, competência, marketing, zelo.

P: QUAL A MELHOR ALTERNATIVA PARA COMPLETAR A FRASE?


Concepção do eu ("Quem sou eu"): que tem por filosofia uma autorreflexão, sendo universal, do espírito, aparecendo
especialmente em __________. Dir-se-ia uma reflexão sobre o que eu construí do mundo, e passa a ter consciência
somente o indivíduo que incorporou a reflexão filosófica. Dentre os principais cita-se: __________, com sua frase, provérbio
popular, "conhece-te a ti mesmo", podendo ser traduzido por "nada em excesso". Isso nos interessa sobremaneira, pois
revela, para o agir humano, algo como: "equilíbrio no agir", "sensatez".
R: PLATAO / socrates

P: Decompondo o Imperativo Categórico do filósofo Kant, percebe-se que tem um verbo que ordena: \u201cage de tal
maneira\u201d. Tem-se assim que o objeto da ética são sempre os atos, ações humanas e como estas são efetivadas, a
maneira pela qual as ações são desenvolvidas. Considera-se também o uso de duas palavras chaves \u2013 máxima e
vontade \u2013 em que se destaca o uso da vontade e o objeto da ética que é a ocupação com o agir e/ou com o omitir-se
de fazer tal ação, e cuja orientação (da ação) é em princípio sempre uma máxima. Esta deve valer sempre. Tudo na
natureza é conforme leis. Apenas o homem age segundo representações. Mesmo assim a ação não pode ser arbitrária ou
guiada pela sensibilidade, ou seja, a vontade pode decidir entre guiar-se pela razão ou pela sensibilidade. Entretanto faz-se
necessário passar pelo critério de objetividade, ou seja, para a ação ser ética tende passar pelo \u201cteste de
validade\u201d, ou seja, a ação tende ser necessária, para sempre, valer sempre, e universal, valer para todos. Deste modo
toda ação é regida por uma máxima que para ser válida tende passar pelo teste (de necessidade e universalidade) e se
transformar em lei (Imperativo Categórico). O princípio deve ser uma legislação _______________, não pode ser subjetivo,
tem que ser _______________. Não pode estar na esfera do simples querer que é subjetivo, mas tende ser feito o
\u201cteste\u201d e ser elevado ao nível do poder querer. O que deve reinar é a objetividade, a boa vontade que é
orientada pela razão.
R: UMA LEGISLACAO UNIVERSAL/ TEM QUE SER UNIVERSAL

P: QUANDO SE PENSA EM RACIONALIDADE COMUNICATIVA VEM A MENTE o estudo de habernas


R: HABERNAS SUERA O PARADIGMA KANTIANO DA CONSCIENCIA COLOCANDO O O PARADIGMA DO AGIR
COMUNICATIVO

P: Para dizer que o direito é legítimo Habermas tende quebrar com o paradigma da consciência. A legitimidade está assim
em restabelecer a ordem ou ordenar juridicamente o estado para garantir a vida e a paz, enfim a sociabilidade. A lei positiva
é entendida como tentativa de garantir o direito natural conquistado pelos cidadãos. O que é então que legitima ou
fundamenta o Direito Positivo? Com Hobbes e Locke tem-se o contrato em que se delega ao soberano e/ou assembleia o
poder de “ordenar juridicamente” a vida social dos contratantes. Em Habermas é preciso compreender a forma como se
fundamenta e legitima a norma jurídica, essa lei positiva que é dura, que rege e ordena. O “Direito Positivo” tem um vínculo
com a moralidade, ou seja, o elemento moral serve como vínculo com o Direito Natural e a norma jurídica. Porém Habermas
quando pensa na modernidade vislumbra a autonomia de três diferentes esferas. Quais são estas três esferas?
R: ciência, moral e arte.

P: “O homem é uma espécie ameaçada, antes de tudo por ele próprio. O homem é o predador do homem. Um aprendiz de
feiticeiro, para a humanidade. Não é por ele ser bom que devemos defendê-lo, e, aliás, ele não é nada bom. É por ele ser
vivo. É por ele sofrer. É por ele ser mortal” (COMTE-SPONVILLE).
De acordo com a citação acima, podemos concluir:
R: necessária uma ética também em relação às pessoas que engloba a bioética, pois esta interfere na vida humana em
questões como aborto, por exemplo.

P: Se tomarmos as principais semelhanças que cabem aos diversos tipos de normas, assim como apontam Cortina e
Martinez (1996), vamos encontrar vários aspectos apontados abaixo.
Aponte o único aspecto INCORRETO:
R: Se você fez algo, a sociedade se torna responsável em seu lugar, por isso em vista dessa heteronomia ou ausência de
vontade própria

P: Kant parte de uma distinção rígida entre instintivo e racional, como capacidade de pensar e não pensar. No entanto, o
pensamento posterior mostrou que a problemática do tratamento da fronteira entre o instintivo e o racional é muito mais
complexa. Temos então, que todas as reações em prol da vida têm também suas vantagens, mas também tem seus limites.
A humanidade talvez esteja criando níveis cada vez mais aperfeiçoados de sobrevivência e essa distribuição é muito
diversificada desde a autopreservação numa concepção não civilizada, luta direta pela sobrevivência (selvagem), até outras
formas, que se caracterizam pela luta política, do poder, do dinheiro, e outras. Um dos indicativos para a solução da
problemática é:
R: não localizar a explicação num único fator, mas considerar como um processo dinâmico, que sofre a influência de vários
condicionantes.

P: Por um lado, agir ética e moralmente não significa, dentro das instituições, perder a liberdade, pois as ações do indivíduo
somente podem ser agencias, nas diferentes instituições, se predispuser de autonomia e liberdade. Isso significa, em última
instância, a capacidade de interação social. A liberdade aqui consiste em não dogmatizar as ações. Isso é perigoso. O
dogmatismo é a petrificação das normas, dos valores ou costumes, sem a possibilidade de rever os mesmos. O dogmático
não é um indivíduo que age eticamente, não é responsável em última instância, pois se furta de sua autonomia e liberdade,
perde o posto de indivíduo. O dogmatismo tem ainda outro problema, que é a possibilidade de fazer conviver num mesmo
indivíduo, em vista da petrificação de normas, posições éticas contraditórias. Por exemplo, vê como ruim a desonestidade
para os políticos, mas em suas ações particulares, no “jeitinho brasileiro” de resolver sua vida faz sem ter consciência, ou
considera válido. Tal situação beira ao senso comum, outro problema, pois faz a norma parecer apenas externa ao
indivíduo, não autonomamente refletida. Como isso pode ser chamado?
R: É o que poderia ser denominado de dupla moral brasileira

P: Nesta época há um rompimento com a tradição clássica e o surgimento do Iluminismo. Sua teoria parte do indivíduo, ao
invés do que ocorre em Aristóteles ou na polis grega que é o lugar da realização humana. Aqui o homem tem razão, mas
enquanto participa da lei eterna, pois o homem é superior aos seres e acaba se constituindo o centro do universo, tendo o
domínio sobre a natureza. O homem tem um lugar de destaque na hierarquia dos seres. (OLIVEIRA, Manfredo Araújo de.
Ética e sociabilidade. In: Locke: A emergência do “indivíduo livre” no horizonte do ético. São Paulo: Loyola, 1999): Qual a
alternativa abaixo melhor define John Locke em seu contexto?
R: Locke é considerado o pai da teoria política liberal ou liberalismo político.

P: conforme habernas, o projeto moderno clássico (dos mais diversos pensadores e/ou correntes) e tambem o diagnostico...
R: racionalidade comunicativa

P: os seres humanos são mutuamente dependentes, desse modo, ele é um ser inclinado por naturea, indexoralvemente....
R: afetivas, culturais, motivos

P: Para dizer que o direito é legitimo habernas tende a quebrar com o paradigma da consciência. A legitimdade esta assim..
R: ciencia, moral e arte

P: provavelmente, o nascimento do ramo da filosofia chamado etica se encontra no fato de os povos primitivos vislumbra...
R: juramento medico

P: da teoria da visão de mundo obtem-se a cosmologia e a teodiceia, como partes integrantes. Da teoria do valor obtem-se..
R: teoria do valor ou filosofia pratica

P: leia o texto abaixo, que trata do conceito ético de responsabilidade: devo ser considerado responsável por algo que não...
R: Hannah arendr adere a perspectiva moderna de uma etica da responsabilidade, pois se nenhum ato voluntario pode

P: assista ao vídeo “Maquiavel e o território da política”....


R: conforme a necessidade, pois é sábio agir em acordo com a circuntancias

P: em platao, Np texto da republica, encontra-se a questao pertinente asdiscussoes do problema da ética: quem pode gov...
R: aos filosofos

P:
R:

P:
R:

P:
R:

P:
R:

P:
R: