Sei sulla pagina 1di 33

1

PROPOSTA TÉCNICA

A. Carta de apresentação de Proposta Técnica.

B. Referências da empresa.

C. Comentários e sugestões da empresa a respeito dos Termos de Referência e dos serviços, dos
dados e instalações a serem fornecidos pela Entidade Contratante.

D. Documento de abordagem da metodologia e plano de trabalho para a execução dos Serviços.

E. Composição da equipa e tarefa (c) para cada membro da equipa.

F. Curriculum vitae dos profissionais propostos.

G. Cronograma para a equia tecnica.

H. Cronograma de actividades/tarefas.

I. Portifolio da Empresa
2

Maputo, 10 de Fevereiro de 2010

A Telecomunicações de Moçambique-TDM
Maputo, Moçambique

Exmos. Senhores,

A empresa infra-assinada oferece seus serviços de consultoria para Fiscalização de Empreitada


de Obra com vista a Reabilitação do Edifício da CTA da Beira de acordo com a nossa Proposta.

A Proposta compreende tanto a Proposta Técnica como a Proposta Financeira, lacradas, em envelopes
separados.

Estamos cientes de que V.Excias. não se obrigam a aceitar qualquer Proposta recebida.

Atenciosamente,

Assinatura Autorizada:____________________________
Nome: Marcos Chan Pan
Cargo do Signatário: Sócio Gerente
Nome da Empresa:TW-Arquitectos Associados, Lda
Endereço: Av. Samora Machel, n. 34, 5.andar
3

B. REFERÊNCIAS DA EMPRESA

Serviços Relevantes Prestados nos Últimos Cinco Anos


Que Melhor Ilustram as Qualificações

A TW-Arquitectos Associado é uma empresa de consultoria nas áreas de Arquitectura, Engenharia,


Planeamento Físico e Fiscalização,fundada em 2007 com sua sede em Maputo e representações em Sofala
e Nampula.

A empresa conta com um grupo de peritos moçambicanos em várias áreas ligadas ao Sector, tais como
Arquitectos, Engenheiros Civis, Engenheiros Electrotécnicos, Desenhadores AutoCad/ArchiCad,
Gestores de Tecnologia, etc,
4

Experiência com relevância para o trabalho proposto:

Nome do Serviço: País:


Fiscalização da Construção do Lote de 3 Casas T2 e Reabilitacao Mocambique
do Registo Civil do Notariado de Caia

Local no País: Equipa de Profissionais :


Provincia de Sofala – Distrito de Caia (01) Arqquitecto
(01) Tecnico Medio Civil
(01) Mestre de Obra
(01) Tecnico Medio de
Electricidade
Nome da Entidade Contratante: No de membros da Equipa:
4 Elementos
Governo Distrital de Caia
Endereço: No de Pessoal/mês; 4 por mes
Vila Sede do Distrito de Caia-Servicos Dfistritais de Planeamento duração do serviço:6 meses
e Infraestruturas

Data de Início (Mês/ano): Data de Conclusão (Mês/ano):


Valor aproximado dos
01/08/08 01/02/09 Serviços (em
USD/MZ):400.000, 00Mtn
Nome da (c) Consultora (c) Associada (c), se for o caso: No de Meses da Equipa
Técnica Fornecida pela
Hermenigildo Ferraz Arquitectos
Consultoras ou Consorcio:
4 Meses
Nome do Responsável (Director do projecto/Coordenador, Líder da Equipa) e funções
desempenhadas:
Hermenigildo Ferraz – Chefe da Equipa
Descrição dos Serviços Efectivamente Prestados pela sua Equipa:
Consultoria na Elaboração dos Projectos, Assistencia Tecnica no Concurso de Empreitada e
Fiscalização da Execução das Obras, incluindo controlo de qualidade dos trabalhos e orcamento

Nome do Serviço: País:


Fiscalização das Obras de Reabilitação de Edificios para Radio Mocambique
Comunitaria em Chemba
5

Local no País: Equipa de Profissionais :


Provincia de Sofala – Distrito de Chemba Um (01) Arqquitecto
Um Tecnico Medio Civil
Um Tecnico Medio de
Electricidade
Nome da Entidade Contratante: No de membros da Equipa:
3 Elementos
Cooperação Italiana- Delegacao de Sofala
Endereço: No de Pessoal/mês; 3 por mes
Rua Centro Comercial n.540 –Beira Macuti duração do serviço:4 meses

Data de Início (Mês/ano): Data de Conclusão (Mês/ano):


Valor aproximado dos
01/06/09 01/10/09 Serviços (em
USD/MZ):180.000, 00Mtn
Nome da (c) Consultora (c) Associada (c), se for o caso: No de Meses da Equipa
Hermenigildo Ferraz Arquitectos Técnica Fornecida pela
Consultoras ou Consorcio: 4
Meses
Nome do Responsável (Director do projecto/Coordenador, Líder da Equipa) e funções
desempenhadas:

Hermenigildo Ferraz – Chefe da Equipa


Descrição dos Serviços Efectivamente Prestados pela sua Equipa:

Consultoria na Elaboração dos Projectos e Fiscalização da Execução das Obras

Nome do Serviço: País:


Fiscalização da Construção das Obras de Reabilitação de Mocambique
Edificios para Radio Comunitaria em Gorongosa

Local no País: Equipa de Profissionais :


Provincia de Sofala – Distrito de Gorongosa Um (01) Arqquitecto
6

Um Tecnico Medio Civil


Um Tecnico Medio de
Electricidade
Nome da Entidade Contratante: No de membros da Equipa:
3 Elementos
Cooperação Italiana- Delegação de Sofala
Endereço: No de Pessoal/mês; 3 por mes
Rua Centro Comercial n.540 –Beira Macuti duração do serviço:4 meses

Data de Início (Mês/ano): Data de Conclusão (Mês/ano): Valor aproximado dos


01/06/09 01/10/09 Serviços (em
USD/MZ):180.000, 00Mtn
Nome da (c) Consultora (c) Associada (c), se for o caso: No de Meses da Equipa
Hermenigildo Ferraz Arquitectos Técnica Fornecida pela
Consultoras ou Consorcio: 4
Meses
Nome do Responsável (Director do projecto/Coordenador, Líder da Equipa) e funções
desempenhadas:

Hermenigildo Ferraz – Chefe da Equipa


Descrição dos Serviços Efectivamente Prestados pela sua Equipa:

Consultoria na Elaboração dos Projectos e Fiscalização da Execução das Obras

Nome do Serviço: País:


Fiscalização das Obras de Construção do Edificios para Mocambique
atendimento externo do Centro de Saude de Canxixe, incluindo
murro de vedação e anexos.

Local no País: Equipa de Profissionais :


Provincia de Sofala – Distrito de Marringue Um Arquitecto
7

Um Tecnico Medio Civil


Um Tecnico Medio de
Electricidade
Nome da Entidade Contratante: No de membros da Equipa:
3 Elementos
Cooperação Italiana- Delegacao de Sofala
Endereço: No de Pessoal/mês; 3 por mes
Rua Centro Comercial n.540 –Beira Macuti duração do serviço:5 meses

Data de Início (Mês/ano): Data de Conclusão (Mês/ano): Valor aproximado dos


15/08/08 01/12/09 Serviços (em
USD/MZ):300.000, 00Mtn
Nome da (c) Consultora (c) Associada (c), se for o caso: No de Meses da Equipa
Hermenigildo Ferraz Arquitectos Técnica Fornecida pela
Consultoras ou Consorcio: 5
Meses
Nome do Responsável (Director do projecto/Coordenador, Líder da Equipa) e funções
desempenhadas:

Hermenigildo Ferraz – Chefe da Equipa


Descrição dos Serviços Efectivamente Prestados pela sua Equipa:

Consultoria na Elaboração dos Projectos e Fiscalização da Execução das Obras

Nome do Serviço: País:


Fiscalização das Obras de Construção de um laboratorio Clinico Mocambique
Tipo 1, anexo ao Centro de Saude da Manga Mascarenha

Local no País: Equipa de Profissionais :


Provincia de Sofala – Cidade da Beira Um Arquitecto
Um Tecnico Medio de
Electricidade
8

Nome da Entidade Contratante: No de membros da Equipa:


2 Elementos
Cooperação Italiana- Delegação de Sofala
Endereço: No de Pessoal/mês; 2 por mes
Rua Centro Comercial n.540 –Beira Macuti duração do serviço:4 meses

Data de Início (Mês/ano): Data de Conclusão (Mês/ano): Valor aproximado dos


15/06/08 15/10/09 Serviços (em
USD/MZ):125.000, 00Mtn
Nome da (c) Consultora (c) Associada (c), se for o caso: No de Meses da Equipa
Hermenigildo Ferraz Arquitectos Técnica Fornecida pela
Consultoras ou Consorcio: 4
Meses
Nome do Responsável (Director do projecto/Coordenador, Líder da Equipa) e funções
desempenhadas:

Hermenigildo Ferraz – Chefe da Equipa


Descrição dos Serviços Efectivamente Prestados pela sua Equipa:

Consultoria na Elaboração dos Projectos e Fiscalização da Execução das Obras

C. COMENTÁRIOS E SUGESTÕES DA EMPRESA A RESPEITO DOS TERMOS DE


REFERÊNCIA E DOS SERVIÇOS, DOS DADOS E INSTALAÇÕES A SEREM FORNECIDOS
PELA ENTIDADE CONTRATANTE.

A TW-Arquitectos Associados, Lda analisou os Termos de Referencia e considera-os claros e bem


estruturados na generalidade, descrevendo a natureza e tipo dos servicos que o consultor devera executar.
9

Apenas um repara para a equipa do consultor, pois os quadro propostos, podem induzir a sobreposicao de
tarefas, por exiger quadros superiores da mesma especialidade para posicoes que podem ser aglutinadas
ou exercidas por tecnicos medios.

Um encontro entre as partes intervenientes (Representante do Dono da Obra, a Fiscalizacao e o


Empreiteiro) é fundamental antes do incio dos trabalhos, este enccontroi devera deixar claro o tipo de
coordenacao que devera existir entre as varias entidades, a responsabilidade de cada interveniente, o
trabalho a desenvolver por cada uma das partes, o programa dos trabalhos, as premissas basicas a cumprir
antes e no decorrer da obra

D. METODOLOGIA E PLANO DE TRABALHO RELATIVOS À EXECUÇÃO DO


SERVICO

Apresentamos neste capitulo a metodologia que pretendemos seguir na realizacao dos servicos de
Fiscalizacao solicitados.

Os trabalhos de Empreitada terao duração de seis meses, devendo ainda ser adicionado ainda um periodo
de 1 ano apos a elaboração do Auto de Recepcao Provisoria, ate a entrega definitiva da Obra e a
Elaboração do Auto de Entrega Definitiva da Obra.
10

D.1 Natureza dos Servicos


O servico de Fiscalizacao, planeamento, coordenacao e controle de obras tem por objectivo assegurar
qualidade de execução da Empreitada, dos materias empregues, do cumprimento dos planos de execução,
dos cronogramas financeiro, do projecto aprovado e suas alteracoes e/ou adaptacoes, representar o Dono
da Obra atraves de um acompanhamento diário de execução, tendo em atencao os contratos celebrados
entre as partes.

O exercicio de uma actividade normal de Fiscalização deve ser desenvolvida com base no conceito de
Fiscalização pro-activa visando que seja assegurada a optimização da execução do projecto como um
todo;

É sabido pela experiencia do passado, que o planeamento do Empreiteiro, em termos de execução de


projectos similares, pode ser insuficiente resultando numa perda de qualidade adequada de execução, ou em
atraso e possiveis agravamentos no custo da Empreitada.

Assim, e no sentido de prevenir tais dificuldades, e essencial que o Consultor desenvolva uma Fiscalização
do tipo pre-activa. Como tal, a Fiscalização devera pressionar o Empreiteiro a dar a maior importancia a
analise detalhada das actividades a serem desenvolvidas e aos metodos construtivos a serem usados, no
sentido de assegurar:

- um planeamento global;

- programas detalhados de trabalhos durante toda a fase de constnujao.

Assim, sera possivel orientar o progresso dos trabalhos de uma forma profissional, submeter atempadamente
todos os documentos a aprovar, controlar adequadamente o processo relativo ao transporte e
aprovisionamento de materiais e equipamentos necessarios para a obra.

Devera ser efectuada uma analise ao projecto geral, no sentido de se propor atempadamente ao Dono da
Obra as omissoes ou alteracoes que eventualmente se mostrarem necessarias.

Durante a fase preliminar, o Empreiteiro devera submeter um programa de trabalhos e de metodologia


suficientemente detalhado, especificando nao apenas como pretende desenvolver as varias partes da Obra,
mas tambem, fornecendo informação detalhada de processos relativos a encomenda, transporte e
aprovisionamento de materiais e principal equipamento a ser usado.

Reunioes regulares com periodicidade semanal, garantirao que o progresso da Obra sera confrontado
com o programa de trabalhos aprovado, o que facilitara a resolução de eventuais problemas que possam
surgir.

No sentido de se garantir que o programa da obra siga o programa de trabalhos aprovado, evitando-se
11

atrasos indesejaveis, o planeamento deve integrar todas as actividades da obra e funcionar como um
instrumento eficaz de gestao e controlo da Empreitada.

O controlo fisico da Empreitada, garantir::


a) controlo do aprovisionamento e disponibilidade atempada de equipamento e materials de
construção;
b) controlo da disponibilidade de recursos humanos;
c) controlo da disponibilidade das pecas essenciais do projecto;
d) controlo dos metodos de construção e das solucoes construtivas previstas ou propostas pelo
Empreiteiro.
Deve ainda ter-se em atenção a recolha, para posterior tratamento e analise, de elementos indicadores do
progresso das obras, citando-se:
a) datas reais de inicio e fim das actividades;
b) percentagem de avanco fisico por actividade;
c) quantidades de recursos consumidos.
Todas as informacoes relacionadas com o nao cumprimento dos documentos do contrato, atrasos ou praticas
prejudiciais a empreitada, serao prontamente analisadas pela Fiscalização residente na Obra e comunicadas ao
Coordenador da Fiscalização que recomendara o procedimento para a resolução do problema.
As informacoes mais relevantes serao levadas a consideração do Cliente, assim como propostas
recomendacoes em observancia as decisoes a serern tomadas. Contudo, e no cumprimento das boas regras
de arte, no que respeita a administração do contrato, o Consultor resolvera as dificuldades que surgirem,
sempre que for considerado conveniente, tendo sempre em mente a defesa dos interesses do Cliente.

D.2 Controlo de Qualidade e Seguranga da Empreitada

O Sistema de Controlo de Qualidade e Seguranca a implementar na empreitada pressupoe que o Empreiteiro


submeta, para aprovação previa pela TW, os respectivos Planos de Qualidade (PQ) e Seguranca (PS) . Quer
o PQ quer o PS tern por objectivo assegurar e evidenciar o autocontrolo da actividade do Empreiteiro em
materia de Qualidade e Seguranca, atraves de:
• procedimentos e rotinas de inspeccao
• auditoria do PQ e do PS
• certificacao de que os trabalhos efectuados pelo Empreiteiro foram feitos de acordo com a
Iegislacao em vigor, com o Contrato celebrado com o Dono da Obra, com o projecto
aprovado e com as normas e regulamentos aplicaveis.
12

D.3 Controlo Financeiro da Empreitada

O Consultor desenvolvera os procedimentos adequados a um rigoroso acompanhamento da situação


financeira:
i) Testar e verificar as medicoes e os calculos das quantidades de trabalho realizado, preparando o
auto de medicoes correspondente a situação mensal;
ii) Preparar mensalmente os autos de pagamento com base nas medicoes e quantidades registadas
mensalmente e nos precos unitarios do orcamento;
iii) Ter sempre actualizado o saldo de quantidades em termos do orcamento da empreitada;
iv) Analisar e verificar as revisoes de precos a apresentar pelo Empreiteiro, caso existam;
v) Confirmar os saldos das quantidades realmente a executar e elaborar o orcamento estimado da
Empreitada, para assegurar que os custos finais do projecto sejam mantidos dentro dos limites
do orcamento do contrato e/ou verificar os desvios aos saldos do orcamento da empreitada;
vi) Preparar a conta final da Empreitada, apos a conclusao dos trabalhos e recepcao provisoria da
Obra.

D.4 Assistencia ao Dono da Obra

Neste dominio o Consultor desenvolvera os seguintes procedimentos:


i) Analise e comentarios sobre eventuais reclamacoes do Empreiteiro e preparacao das necessarias
recomendacoes ao Dono de Obra;
ii) Analise e comentarios sobre eventuais reclamacoes do Empreiteiro relacionadas com
pagamentos adicionais ou prorrogacao do prazo contratual e preparacao das necessarias
recomendacoes ao Dono de Obra;
iii) Tratamento de qualquer reclamacao que possa implicar servos adicionais juridicos, resolvidos
por uma comissao arbitral ou tribunal. Nestas circunstancias, o Consultor esta preparada para
prestar servicos adicionais de assessoria ao Cliente;
iv) Diligenciar no desbloqueamento das questoes que possam contribuir para afectar o normal
funcionamento da obra, contactando com as autoridades locais respectivas e informando o Dono
da Obra sobre a situação;
v) Para situacoes complexas de reclamacoes, embora nao sendo expectaveis, podera, se o Cliente
assim o entender, ser requisitado os servicos de especialistas.

D.5 Servicos Pos-Contrato

O Consultor prestara assistencia ao Cliente, apos a conclusao dos trabalhos da Empreitada, nos seguintes
aspectos:
i) Colaborar na obtencao e verificacao das telas finais ("as-built") e dos manuals de operacao e
manutencao do equipamento, a elaborar pelo Empreiteiro;
ii) Elaboracao do relatorio final da Empreitada;
13

iii) Preparacao da vistoria para efeito de emissao de auto de recepcao definitiva e da conta final da
Empreitada, aconselhando o Cliente em eventuais disputas com o Empreiteiro resultantes de
opinioes diversas de interpretacao do contrato;
iv) Assessoria ao Cliente na resohicao adequada das reclamacoes do Empreiteiro; .

v) Assistencia e aconselhamento ao Cliente para o habilitar na emissao de arbitrios.

D.6 Rotinas e Circuitos

Os principals circuitos a observar no funcionamento da Fiscalização e a sua articulação com outras entidades
envolvidas no projecto sao os seguintes:
i) As actas de reunioes semanais de obra, serao enviados ao Empreiteiro para seguimento das
decisoes de obra e serao enviadas ao conhecimento do Cliente.
ii) Os relatorios mensais produzidos, serao enviados ao Cliente.
iii) Em termos praticos, compete a Fiscalização a elaboração dos autos de medição correspondente a
cada situação mensal em parceria com o empreiteiro .
iv) A Fiscalização devera ter conhecimento de toda a correspondencia trocada entre diferentes
entidades, interessadas na execução dos trabalhos, principio este que deve ser traduzido na pratica
com o envio de toda a correspondencia ao conhecimento da Fiscalização.

D.7 Relatorios e Documentos


O Consultor apresentara a seguinte sequencia de relatorios e documentos:

i) Um exemplar do Relatorio preliminar, uma semana apos a data de mobilização, sobre a


preparação dos trabalhos e quaisquer alteracoes previstas para o projecto e progresso dos trabalhos.

ii) Um exemplar da Acta da reuniao Semanal de Obra.

iii) Um exemplar do relatorio mensal de Progresso, ate ao dia 10 de cada mes,

iv) Um exemplar do Relatorio de Conclusao da Obra, ate um mes apos a Recepção Provisoria das
Obras.
v) Um exemplar do Relatorio Final, no final do periodo de garantia.

Adicionalmente, o Consultor fornecera:


14

i) Um diario das actividades de construcao, progresso de Obra, eventos e incidentes que resultam das
operacoes do contrato. Uma copia deste diario, designado por "Livro de Obra", sera fornecido ao
Cliente, apos a conclusao da Empreitada.
15
16
17
18
19
20
21

D.8 Acções De Fiscalização Por Etapa De Obra


Servicos Accao fiscalizadora
 Examinar o projeto do canteiro da obra;
 Examinar os projetos para utilização provisória de agua, luz;
 Verificar as condições para estocagem de materiais;
 Verificar o cumprimento das posturas municipais;
1- Trabalhos Preparatorios  Criar base de dados para verificar a entrada e saída do
canteiro de Obra;
 Diligenciar ara que a programação da execução seja
observada.
2- Relativo às alvenarias  Vigiar os processos de execução;

3- Relativo aos Pavimentos e  Verificar o emprego dos materiais de conformidade com o


tectos Projeto e Especificações;

4- Relativo a sistema de  Confrontar com o edificado antes da execucao;


drenagem  Verificar e corrigir possiveis erros e omissoes;
 Verificar o emprego dos materiais de conformidade com o
Projeto e Especificações;
 Verificar a execucao dos rasgos e furos para as tubulacoes;
 Verificar os Acabamentos;
 Efectuar testes finais de funcionamento;
5- Relativo a elementos de  Garantir a qualidade do betao empregue na Obra;
betão armado
6- Relativo a Instalações  Vigiar os processos de intervenção;

7- Relativo a patologias de  Inspencao dos materiais e equipamentos a remover;


utilização  Garantir a correcta correcao dos defeitos dos materiais e
equipamentos;
8- Relativo à instalação  Confrontar os Projetos de Instalações com os Projetos
eléctrica  de Arquitetura, Estrutura e Instalações Hidráulicas;
 Verificar o emprego dos materiais de conformidade com o
Projeto e Especificações;
 Verificar a execucao das caixas;
 Verificar os Acabamentos;
 Efectuar testes finais de funcionamento;
 Verificar e corrigir possiveis erros e omissoes;
9- Diversos  Acompanhamento da execução dos serviços de
conformidade com a programação;
 Determinar à Empresa Empreiteira a adoção de providências
para recuperar atrasos verificados;
 Verificar as medições dos trabalhos e verificar o estado do
avanço dos mesmos;

E. CONSTITUIÇÃO DA EQUIPA (PESSOAL) E TAREFAS DE CADA MEMBRO DA EQUIPA


22

Nome Posição Tarefa

 Coordenação e articula ção com a entidade contratante a nivel da


Sede sobre todos assuntos relativos ao contracto de consultoria ;
Marcos Chan Pan Gestor Senior do
 Coordenador da equipa tecnica alocada ao Local;
1 (Arquitectura e Planeador Contracto, Residente
 Promotor e coordenador das reunioes Bimensais de Obra;
Fisico) na Cidade de Maputo
 Elaboração do Relatório Final (Fecho da Obra);
 Visita bimensalmente a Obra;
 Elaboração de Relatórios Mensais de progresso ;
 Crontrolar a qualidade dos serviços da equipa de Fiscalização;
Edmundo D.J. Candido Coordenador da
 Coordenar a sincronização de todas as especialidades envolvidas;
2 Equipe de Fiscalização
(Arquitectura e Planeador  Manter o arquivo da obra organizado e actualizado;
na Cidade da Beira
Fisico)  Responsavel pela correspondencia com o Gestor do Contracto;
 Visita a Obra sempre que necessario;
 Verificação pontual dos trabalhos de caracter estrutural e
Responsável pela hidraulico e sanitarios;
Ibraimo
3 Estrutura e Hidráulica e  Verificação e analise dos métodos construtivos previstos para

(Engenharia Civil) Saneamento cada tipo de tarefa e certificar tecnologicamente se são os mais
adequados à execução das tarefas.

Victor Manuel Jorge Responsável pela  Verificação pontual dos trabalhos de Electricidade;
4 (Eléctrotecnico) especialidade de  Apoio na resolução de questoes pendentes de instalacoes
Electricidade electricas;

 Verificação pontual dos trabalhos, visita a obra 3 vezes por


semana e sempre que necessario;
Responsável pela  Prepara a acta de reunião de progresso semanal;
Hermenegildo Ferraz
especialidade de  Verifica todos autos de medição e facturação do empreiteiro;
5 (Arquitectura e Planeador
Arquitectura e controle  Verificação dos materiais previstos para cada tipo de tarefas e
Fisico)
de execução verificar se estes são os mais adequados às funções para os quais
foram projectados;
 Técnico operador de programas de desenho;
Nome Posição Tarefa

 Actua como fiscal permanente na Obra;


 Confere juntamente com o empreiteiro os autos de medição;
Armando Lopes
6 Fiscal Residente  Participa em todas reuniões de Obra;
(Tecnico Medio Civil)
 Deve garantir a implementacao dos planos de segurança e higiene
na Obra;
23

 Verificar e análisar quantitativa e qualitativa o mapa de medições


Boaventura Albino Medidor do projecto, com vista a detectar erros e omissões.
7
Orcamentista  Apoia na verificação de todos autos de medição e facturação do
empreiteiro;

F. CURRICULUM VITAE DOS PROFISSIONAIS PROPOSTOS.


25

G. CRONOGRAMA PARA A EQUIA TECNICA.

1. Equipa técnica

Nome Posição ou actividades Meses (na forma de um diagrama de barras)


1 2 3 4 5 6 Mes % Periodo de Garantia (1 ano) Pessoas/mes
Marcos Pan Gestor do Contracto 15% # # # # # # # # # # # #
0.64
Edmundo Coordenador da Equipe de Fiscalização 25% # # # # # # # # # # # #
Candido 0.96
Ibraimo Responsável pela Estrutura e Hidráulica 10%
e Saneamento 0.4
Hermenegildo Responsável pela especialidade de 50% #
Ferraz Arquitectura e controle de execução 1.96
Victor Manuel Responsável pela especialidade de 10%
Electricidade 0.4
Armando Lopes Fiscal Residente 100%
3.84
Boaventura Medidor Orçamentista 10%
Albino 0.4
8.60

Assinatura Autorizada:____________________________
Nome: Marcos Chan Pan
Cargo do Signatário: Sócio Gerente
Nome da Empresa:TW-Arquitectos Associados, Lda
Endereço: Av. Samora Machel, n. 34, 5.andar
H. CRONOGRAMA DE ACTIVIDADES/TAREFAS.

Posição ou actividades Meses


1 2 3 4 5 6 Data Periodo de Garantia (1 ano)
1 Exercicio da Actividade de acordo com os # # # # # # Todos Dias
pressupostos dos TDR
2 Medições e Verificações de Situação de Obra # # # # # # Dia 5
(Autos de Medição)
3 Relatorios Mensais # # # # # # Dia 10
4 Reunião de Obra Semanal # # # # # # 4 Feira
5 Reuniao de Obra Bimensal # # # Dia 5
6 Entrega Provisoria #
7 Relatório Entrega da Obra Provisoria # 10%
8 Inspeção Regular da Obra Dia 5 # # #
9 Relatorio Final Dia 25 #
.

Assinatura Autorizada:____________________________
Nome: Marcos Chan Pan
Cargo do Signatário: Sócio Gerente
Nome da Empresa:TW-Arquitectos Associados, Lda
Endereço: Av. Samora Machel, n. 34, 5.andar
PROPOSTA FINANCEIRA

A. Carta de apresentação de Proposta Técnica.

B. Sumário de Custos.

C. Discriminação do Preço por Actividade.

D. Discriminação dos Honorários por Actividade.

E. Despesas Reembolsáveis por Actividade


Maputo, 10 de Fevereiro de 2010

A Telecomunicações de Moçambique-TDM
Maputo, Moçambique

Exmos. Senhores,

A empresa infra-assinada oferece seus serviços de consultoria para Fiscalização de Empreitada


de Obra com vista a Reabilitação do Edifício da CTA da Beira e de acordo com a nossa Proposta.

Nossa Proposta financeira, em anexo, perfaz o montante de 902.400,00Mt (Nove Centos e dois
mil, quatrocentos meticais). Esse montante inclui impostos locais (IVA), os quais, segundo nossos
cálculos, totalizam o valor de 153.408,00 (Cento e Cinquenta e tres mil, quatrocentos e oito meticais) .

A nossa Proposta Financeira obriga-nos e está sujeita às modificações resultantes das negociações
do Contrato, até o fim do prazo de sua validade, i.e., 90 dias de calendário.

Estamos cientes de que V. Excias não se obrigam a aceitar qualquer Proposta recebida.

Atenciosamente,

Assinatura Autorizada:_________________________
Nome: Marcos Chan Pan
Cargo do Signatário: Sócio Gerente
Nome da Empresa: TW-Arquitectos Associados, Lda
Endereço: Av. Samora Machel, n. 34, 5.andar
B - SUMÁRIO DE CUSTOS

Custos Moeda Montante (Mt)

Sub-total Metical 748.992,00

IVA (Impostos Locais)


153.408,00

Montante total da Proposta Financeira


902.400,00
B - DISCRIMINAÇÃO DO PREÇO POR ACTIVIDADE

Custos Moeda Montante (Mt)

Honorarios Metical 680.192,00

Despesas Reembolsáveis
Metical 42.000,00

26.800.00
Despesas Diversas Metical

Total 748.992,00
C - DISCRIMINAÇÃO DOS HONORÁRIOS POR ACTIVIDADES

Nº Nomes Posição H/Mês Remuneração (Mt) Montante Total(Mt)

Marcos Pan Gestor do Contracto 172.500,00 110.400,00


1 0.64

Coordenador da Equipe de 154.895,00 148.700,00


Edmundo Candido
2 Fiscalização 0.96

Responsável pela Estrutura e 85.000,00


Adelson
Hidráulica e Saneamento 0.4
212.500,00
3

Responsável pela especialidade de 92.040,00 180.400,00


Hermenegildo Ferraz
4 Arquitectura e controle de execução 1.96

Responsável pela especialidade de 212.500,00 85.000,00


Victor Manuel
5 Electricidade 0.4

Armando Lopes Fiscal Residente 58.828,00 225.900,00


6 3.84

125.480,00
Boaventura Albino Medidor Orçamentista 50.192,00
7 0.4

Total 680.192,00
D - DESPESAS REEMBOLSÁVEIS POR ACTIVIDADE

Nº Descrição Unidade Quantidade Preço Unitário (Mt) Montante


Total(Mt)
Un 3 11.200.00 33.600,00
Passagens Aéreas de ida e volta a Maputo
1
Beira

Un 3 2.000,00 6.000,00
2 Alojamento

Un 3 1.000 3.000,00
3 Subsidio de Alimentacao

Total 42.000,00