Sei sulla pagina 1di 7

26/01/2016

Módulo 13 Flexão Oblíqua e Flexão Composta Oblíqua Prof.Dr. José Luiz P. Melges Departamento de
Módulo 13
Flexão Oblíqua e Flexão Composta Oblíqua
Prof.Dr. José Luiz P. Melges
Departamento de Engenharia Civil
FEIS - UNESP
1.
Janeiro / 2016
Este material foi desenvolvido a partir de notas de aula elaboradas para os alunos da
Este material foi desenvolvido a partir de notas de aula elaboradas
para os
alunos da disciplina “Mecânica e Resistência dos Materiais”.
Foram utilizadas Notas de Aula compartilhadas pelos professores
Walter Libardi e José Sérgio Komatsu, da UFSCar.
Algumas figuras foram retiradas da página de busca “Google” e da
página
do Facebook “Civil Engineering Discoveries”.
Algumas figuras foram retiradas de emails pessoais, não sendo
possível definir as suas origens. Agradeço se alguém puder colaborar
na sua identificação.
2.

26/01/2016

1. Flexão Oblíqua Inicialmente  Estudar o caso de flexão pura: V = 0, N
1. Flexão Oblíqua
Inicialmente  Estudar o caso de flexão pura: V = 0, N = 0 e M  0
Convenção
de sinais: y  para baixo; z  para a esquerda.
Quando atuar um Momento em um plano inclinado em relação aos
eixos y e z, é possível projetá-lo em relação a esses eixos.
M z
z
y
M y
3.
Convenção de sinais (M y e M z ): M y : é positivo quando
Convenção
de sinais (M y e M z ):
M y : é positivo quando tracionar a face que está sendo “apontada” pelo sentido
positivo
do eixo z (“regra da mão direita”, associando o polegar à direção
do
vetor do Momento fletor)
M z : é
positivo quando tracionar a face que está sendo “apontada” pelo sentido
positivo do eixo y (“regra da mão direita”, associando o polegar à direção
do vetor do Momento fletor)

4.

Com isso, obtém-se a equação que relaciona os momentos fletores projetados e a tensão que
Com isso, obtém-se a equação que relaciona os momentos
fletores projetados e a tensão que eles provocam em cada ponto
da seção transversal!
M
M
z
y
. y
. z
(Eq. I)
I
I
z
y
tensão normal que atua na posição (y,z) da seção transversal
Obs.: quando Mz=0 ou My=0 , então teremos uma situação de:
a) Flexão Pura (se a cortante que atua na seção transversal for igual a
zero) ;
b) Flexão Simples (se a força cortante for diferente de zero).

26/01/2016

5.

Definição de LINHA NEUTRA (L.N.): A Linha Neutra (L.N.) a seção transversal em duas regiões:
Definição de LINHA NEUTRA (L.N.):
A
Linha Neutra (L.N.) a seção
transversal em duas regiões: uma
tracionada e a outra comprimida.
É
obtida fazendo-se  ser igual a
zero.
M
M
z
y
. y
.
z
0
I
I
z
y
 M
y
I
y
.
z
.
z
M
I
z
y
6.

26/01/2016

Os pontos da seção transversal mais solicitados são os que estão mais afastados da L.N.
Os pontos da seção transversal mais solicitados são os
que estão mais afastados da L.N.
Para determinar esses pontos, traçar linhas paralelas à
L.N., que sejam tangentes à seção transversal.
7.
2. Flexão Composta Oblíqua Neste caso: N e M são  0. Temos que somar
2. Flexão Composta Oblíqua
Neste caso: N e M são  0.
Temos que
somar o efeito da força normal aplicada no C.G. da
seção transversal.
M
M
N
 
z
y
. y
. z
I
I
A
z
y
Obs:
Força Normal (N)
 Tração sinal positivo
 Compressão sinal negativo
8.
Observações: traçar retas paralelas à L.N.
Observações:
traçar retas paralelas à L.N.

Pontos mais afastados da L.N. são os mais solicitados

Pontos mais afastados da L.N. são os mais solicitados  9 .     

9.

 

nula e

 9 .       nula e Observações: Dependendo dos valores de M

Observações:

Dependendo dos valores de M e de

N, a L.N. pode:

Cortar a seção transversal: nesse

caso, haverá tensões de sinais contrários na seção transversal

Tangenciar a seção transversal:

nesse caso, haverá pontos com tensão

outros com mesmo sinal

Não cortar a seção transversal: nesse caso, todos os pontos terão tensões de mesmo sinal



N

A

A tensão normal no C.G. (y=0, z=0) será igual a:

10.

26/01/2016

26/01/2016

3. Caso Especial de Flexão Composta Flexão  provocada por força normal (N) excêntrica: Flexo-tração,
3. Caso
Especial de Flexão Composta
Flexão 
provocada por força normal (N) excêntrica:
Flexo-tração, se N é positiva
Flexo-compressão, se N é negativa
e
y :
excentricidade paralela ao eixo y
e
z :
excentricidade paralela ao eixo z
11.
Tem-se que: Mz  My  N N . ey . ez Então: N .e
Tem-se
que:
Mz 
My  N
N . ey
. ez
Então:
N
.e
y
N .e
N
 
. y
z
. z
I
I
A
z
y
1
e
e z
 
N .
y . y
. z
A
I
z y
I 

12.

 

N .

  A

I

z

I

y

e

1

y

. y

e

z

. z

Obs.: quando ez=0 ou ey=0 , então teremos uma situação de Flexão Composta Normal.

1 e    y N . A . y   e 0
1 e
 
y
N .
A . y
e 0
z
. z
I
 
z
I y
I
I
e
y  
z
z
.
z
. z
A .e
I
e
y
y
y

Equação da Linha Neutra

13.

Linha Neutra (quando = 0) :

Sabemos que N 0, então:

26/01/2016

Exemplos Fim do Módulo 14. 2.
Exemplos
Fim do
Módulo
14.
2.