Sei sulla pagina 1di 23

OS MICRORGANISMOS

Definições,
características,importância e
prevenção

ÂNGELA APAREIDA GONÇALVES


Os microrganismos

o São também conhecidos por micróbios.


oGeralmente têm dimensões tão pequenas que só podem
ser vistos ao microscópio.
o São normalmente unicelulares.
Os microrganismos

Que tipos de Existem 4 tipos principais de


microrganismo microrganismos:
Os fungos
s existem? podem ser
Fungos unicelulares ou
São seres vivos pluricelulares e
Bactérias unicelulares, sem pertencem ao
núcleo e pertencem Reino Fungi.
ao Reino Monera; Temos como
São a forma de vida exemplo as
mais abundante e leveduras e os
existem no ar, na bolores.
terra e na água;
Podem viver isoladas
ou formar colónias.
São seres vivos
Protozoários unicelulares, e
São os microrganismos
pertencem ao Reino
mais pequenos que
Vírus existem. Não são
Protista;
Geralmente , vivem em
considerados
ambientes aquáticos,
verdadeiros seres vivos,
mas alguns podem ser
porque para se
parasitas de animais e de
reproduzirem, tem que
plantas.
invadir uma célula de
outro organismo.
Os microrganismos

Tipos de Bactérias
COCOS

As bactérias podem apresentar


diferentes formas e de acordo com a
forma são designadas por: BACILUS
cocos: de forma esférica
bacilus: em forma de bastonete
vibriões: em forma de vírgula
VIBRIÕES
espirilos: em forma de espiral

ESPIRILOS
Os microrganismos

100º a maioria das


bactérias morre
Os microrganismos
60º a maior parte das
para se bactérias não cresce, mas
desenvolverem têm existem algumas que
ainda resistem
de ter condições 37º as bactérias crescem
próprias, por muito depressa

exemplo: A
temperatura, a Entre 0 º e 4º as
humidade e os bactérias crescem
muito devagar
nutrientes.
- 12º as bactérias não
crescem
Os microrganismos

Alguns microrganismos são úteis e


necessários a outros seres vivos. Chamam-se
MICRORGANISMOS NÃO PATOGÉNICOS

Fabrico de Algumas leveduras que existem no fermento são usadas no fabrico


alimentos do pão, e outras são usadas para fazer cerveja. Algumas bactérias
coagulam o leite permitindo o fabrico do iogurte e do queijo.

Bactérias da flora intestinal que ajudam na digestão dos


alimentos e produzem algumas vitaminas. Digestão

Alguns microrganismos são usados para produzir antibióticos. O


Industria primeiro antibiótico foi a penicilina que foi obtida a partir do
farmacêutica fungo Penicillium.

Produção de
A produção de biogás é feita através da utilização de bactérias
energia
que decompõem os restos animais e vegetais.
Os microrganismos

Muitos microrganismos são prejudiciais


pois podem causar doenças e a morte a
animais e plantas. Chamam-se
MICRORGANISMOS PATOGÉNICOS

Vírus Fungos Bactérias Protozoários

Provocam as seguintes doenças nos seres Humanos

Sarampo Pneumonia
Rubéola Cólera
Gripe Pé de atleta Tuberculose Paludismo
Poliomielite Tinha Tétano Doença do sono
Herpes Meningite
Sida Cárie dentária
Os microrganismos

Defesas do organismo no
combate aos microrganismos Defesas não
O ser Humano encontra-se específicas
rodeado de microrganismos,
que se encontram no ar, na
águas, nos objetos em que
tocamos no dia a dia… para isso Barreiras Barreiras
o corpo humano conta com um externas internas
sistema de defesas que atuam
em várias fases contra os
Primeira barreira Segunda barreira
microrganismos.
de proteção contra de proteção contra
os microrganismos. os microrganismos.

Defesas específicas

Este mecanismo é específico de cada agente


infecioso e é muito complexo porque
envolve vários órgãos que constituem o
sistema imunitário.
Os microrganismos

Defesas não específicas

Barreiras externas Barreiras internas

Pele: é o orgão mais extenso do corpo humano e Reacção inflamatória Fagocitose


forma uma barreira à entrada de micróbios. Ele Quando a primeira barreira não é suficiente atuam os glóbulos
impede também p desenvolvimento dos microbios brancos.
por causa da sua acidez. Quando nos cortamos, por exemplo, os micróbios patogénicos
Mucosas: são tecidos que forram as cavidades e os encontram um ambiente favorável e multiplicam-se com muita
orifícios do corpo. Elas produzem secreções que rapidez. Aparece então uma reação inflamatória. Há um aumento
retém os microrganismos e que os destroem. Por do fluxo de sangue para a zona infectada e os glóbulos brancos
exemplo: saliva, cera dos ouvidos muco nasal e atravessam as paredes dos vasos capilares (DIAPEDESE) e
lágrimas. dirigem-se para o local infetado. De seguida os glóbulos brancos
Ácido do estômago: impede o desenvolvimento dos cercam os micróbios e destroem-nos e digerem-nos
micróbios que entram no tubo digestivo. (FAGOCITOSE)
Pestanas, sobrancelhas e cílios: impedem a entrada
de microrganismos e enviam-nos para fora.
Flora natural: são microrganismos que vivem no
nosso corpo sem provocar doenças e que impedem
que os microrganismos patogenicos se desenvolvam.
Os microrganismos

Recorda como os
microrganismos
entram no nosso
corpo.

CONTACTO
AR ALIMENTOS ÁGUA COM
OBJETOS
Os microrganismos

Como podemos prevenir as


doenças causadas por
microrganismos patogénicos?

Esterilização Desinfeção Vacinação

Utilização do
Permite destruir Permite que o
calor ou
os organismo adquira
substancias
microrganismos capacidade de se
químicas
recorrendo a defender de certas
(anticéticas ou
temperaturas doenças (imunidade)
desinfetantes)
elevadas ou As vacinas podem ser
que destoem ou
produtos constituídas pelos
dificultam o
químicos. microrganismos
desenvolvimento
patogénicos mortos ou
dos
enfraquecidos ou por
microrganismos.
produtos semelhantes
às toxinas que eles
produzem.
Os microrganismos

Através das técnicas de conservação, antissepsia,


desinfecção, sanitização é possível minimizar
significativamente as chances de contaminação
ausada pelos microorganismos. Mas, quando o
objetivo é a completa ausência de vida
(por morte ou inativação) dos indesejáveis seres
microscópicos, a técnica ideal é a esterilização.
Os microrganismos

ESTERILIZAÇÃO

História

Medicamentos Como a história nos mostra, há milhares de anos os pensadores perceberam que havia
de venda livre “entidades patogênicas” que infectavam alimentos e pessoas. Para os alimentos,
descobriu-se o poder conservante de alguns produtos, por exemplo, o sal para aumentar a
vida útil de carnes da caça ou rebanho. Os egípcios usavam antissépticos como o alcatrão e
produtos aromáticos para conservar cadáveres (mumificação). Já nos primórdios das
práticas médicas, percebeu-se que o fogo, água fervida e alguns componentes químicos,
como o álcool e enxofre, eram úteis na assepsia de feridas.

Hoje, felizmente, já se sabe que os micro-organismos são os causadores da maioria destes


processos e como podem ser combatidos em grande parte das situações.
Os microrganismos

ESTERILIZAÇÃO

QUÍMICA FÍSICA

Na esterilização física, dentre os principais processos, podemos


destacar:
Na esterilização química temos a possibilidade de uso de
produtos como óxido de etileno (ETO), formaldeído, Calor úmido (autoclave)
glutaraldeído, peróxido hidrogênio ou ácido peracético. Calor seco (estufa)
Alguns destes agentes também podem ser usados Radiação
apenas na desinfecção ou sanitização, quando se destroi Filtração
apenas agentes patogênicos
Os microrganismos

Princípios ativos mais comuns nos desinfetantes:

DESINFECÇÃO -Álcoois: Os álcoois utilizados para desinfecção são o álcool etílico


(etanol) 70% e álcool isopropílico

-Compostos clorados: são os mais utilizados na desinfecção geral na


forma de hipoclorito de sódio (água sanitária).

-Iodóforos: São compostos que apresentam Iodo + tenso-ativo (Um


tenso-ativo muito conhecido no dia a dia é o detergente comum de
louças).
Os microrganismos

HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS


Por que fazer?

As mãos constituem a principal via de transmissão de microrganismos durante a


assistência prestada aos pacientes, pois a pele é um possível reservatório de diversos
microrganismos, que podem se transferir de uma superfície para outra, por meio de
contato direto (pele com pele), ou indireto, através do contato com objetos e superfícies
contaminados.
DESINFECÇÃO DE ALIMENTOS

Os microrganismos

DESINFECÇÃO
Os microrganismos

CUIDANDO DO CORPO...
Os microrganismos

VACINAÇÃO
Assim como a higiene e o saneamento são necessários para a prevenção das doenças
infecciosas, as vacinas são importantes para proteger a saúde. “As vacinas permitem a
prevenção, o controle, a eliminação e a erradicação das doenças imunopreveníveis,
assim como a redução da morbimortalidade (índice de óbitos por uma doença específica)
por certos agravos”
PRINCIPAIS VACINAS

1. BCG
A vacina BCG protege contra formas GRAVES de tuberculose. Deve ser aplicada no primeiro mês de vida, no braço direito e a
reação ocorre nas semanas seguintes, devendo somente ter cuidados locais como a limpeza com água e sabão.

2. Hepatite B
A vacina é muito segura e eficaz, apresentando uma proteção de mais de 95%. Pode ser aplicada desde o primeiro dia de vida,
sendo recomendada nas primeiras 12 horas após o nascimento para evitar a transmissão do vírus de mãe para filho.
A vacina deve ser feita em três doses: as duas primeiras com um mês de intervalo e a terceira, seis meses após a primeira.

3. Hepatite A
A vacina contra hepatite A entrou no calendário básico de vacinação neste ano de 2017. É uma única dose, administrada em
crianças de 15 a 23 meses.

4. Penta/DTP
A vacina Penta/DTP oferece proteção contra cinco doenças:

difteria;
tétano;
coqueluche;
hepatite B;
infecções causadas pela bactéria Haemophilus influenzae tipo b.
Ela é dada aos 2, 4 e 6 meses de vida e tem reforço em duas ocasiões: aos 15 meses e aos 4 anos.
PRINCIPAIS VACINAS

5. VIP/VOP
A vacina VIP/VOP protege contra a poliomielite — paralisia infantil. É aplicada aos 2, 4 e 6 meses de vida.
Os reforços devem ser tomados aos 15 meses e aos 4 anos — e também durante as campanhas anuais de multivacinação.
As três primeiras doses são da Vacina Inativada Poliomielite (VIP), injetável. Os demais reforços, normalmente, são com o vírus
atenuado (VOP), em gotinhas.

6. Pneumocócica 10-valente
A pneumocócica 10-valente garante proteção contra dez subtipos da bactéria pneumococo. São duas doses: aos 2 e aos 4 meses.
O reforço é feito aos 12 meses.
No dr.consulta e em redes privadas a pneumocócica é 13-valente e protege contra mais três tipos de pneumococo, além daquelas
10 oferecidas pela rede pública, aumentando a proteção do bebê.

7. Rotavírus
A vacina contra o rotavírus é tomada em duas doses: aos 2 e aos 4 meses (Deve-se atentar para este período, pois a vacina não
pode ser realizada após esse prazo.)
O rotavírus provoca infecção gastrointestinal e é grave para os bebês, podendo levar à morte por desidratação.

8. Meningocócica C
A meningocócica C é aplicada aos 3 e aos 5 meses, com um reforço aos 12 meses.
Ela protege contra a meningite C — doença que pode causar surdez e lesões cerebrais permanentes.
BEIJOS!!!!!
PRINCIPAIS VACINAS

9. Febre Amarela
A vacina contra a febre amarela é tomada aos 9 meses, com dose única. Existia um reforço aos 10 anos, porém, houve uma
mudança no esquema vacinal e essa dose não é mais necessária, apenas para áreas de risco.

10. Tríplice Viral


A tríplice viral protege contra o sarampo, rubéola e caxumba. É a vacina de vírus disponibilizada na rede pública. Devem ser
aplicadas duas doses, a primeira aos 12 meses de vida, um reforço aos 15 meses e outro entre os 4 e 6 anos de idade.

11. Tetra Viral


A tetra viral não é disponibilizada pela rede pública e oferece proteção para mais um vírus. Além do sarampo, caxumba e
rubéola, protege também contra varicela (catapora). É aplicada aos 15 meses, no reforço da Tríplice viral.

12. Influenza
A vacina contra gripe (Influenza) deve ser tomada todos os anos por crianças de seis meses a cinco anos.

13. HPV
A vacina contra HPV é para meninas de 9 a 14 anos — e também para meninos de 12 a 13 anos.
O vírus do papiloma humano (HPV) é transmitido sexualmente e está relacionado ao câncer de colo de útero.
Por isso, o objetivo é imunizar as crianças bem antes do início da vida sexual, reduzindo, assim, os índices desse tipo de
câncer.