Sei sulla pagina 1di 7

Agressões no Local de Trabalho:

Uma realidade no mundo dos Enfermeiros - 2019

Agressões no Local de Trabalho: Uma realidade no mundo dos Enfermeiros - 2019

Para a criação de uma amostra representativa de uma população de 73912 Enfermeiros

Enfermeiros inscritos na Ordem em Dezembro de 2018 -

tatisticos_nacional.pdf ), com uma distribuição homogénea, com um nível de confiança de 95%, um erro amostral previsível de 5%, torna-se necessário obter uma amostra de pelo menos 246 respostas. Obteve-se uma amostra de 410 respostas, com uma margem de erro previsível de 4,83%.

(número

de

A violência no trabalho tem sido alvo de preocupação dos órgãos internacionais diante do

número crescente de episódios de violência relacionados com os trabalhadores da área da saúde, especialmente contra os enfermeiros. Estes apresentam índices maiores de agressões quando comparados com outros profissionais. Assim sendo, os riscos ocupacionais a que estes trabalhadores diariamente estão expostos (como a violência) levaram a que este problema tenha sido considerado como um grave problema de saúde pública (OMS, 2002). A violência provocada por doentes em serviços de saúde, geralmente, ocorre com maior frequência do que em outros ambientes de trabalho. Existe uma diversidade de estudos que aborda o tema da violência contra os Enfermeiros com efeitos

diretos na sua saúde. Esta pode ocorrer de diversas formas, mas principalmente ser de natureza física ou psicológica, verificando-se maioritariamente durante a prestação dos cuidados.

O Conselho Internacional de Enfermeiros (ICN) (2006) condena vivamente todas as formas

de abuso e violência contra os enfermeiros e defende que as repercussões da violência podem interferir na qualidade dos cuidados, revelando o impacto negativo na vida

profissional e pessoal do trabalhador, o que remete para a necessidade de discutir estratégias de redução da violência nos serviços de saúde.

Assim, e tendo em conta a premissa anteriormente referida, o primeiro passo deste estudo é compreender efetivamente se os Enfermeiros são agredidos no seu local de trabalho.

Optou-se desta forma por dividir estas mesmas agressões em físicas e verbais, colocando as seguintes 2 questões:

em físicas e verbais, colocando as seguintes 2 questões: Agressões no Local de Trabalho ​ :

Agressões no Local de Trabalho: Uma realidade no mundo dos Enfermeiros Autor:Eduardo Bernardino

Constatou-se que 60,2 % dos Enfermeiros já foram agredidos fisicamente no seu local de trabalho.

já foram agredidos fisicamente no seu local de trabalho. Constatou-se que 95,6% dos Enfermeiros já foram

Constatou-se que 95,6% dos Enfermeiros já foram agredidos verbalmente no seu local de trabalho.

Após se constatar as agressões físicas e verbais no local de trabalho, era também importante compreender por quem eram realizadas estas agressões para com os Enfermeiros. Assim, formulou-se a seguinte questão:

com os Enfermeiros. Assim, formulou-se a seguinte questão: Sabe-se através Observatório Nacional da Violência Contra

Sabe-se através Observatório Nacional da Violência Contra os Profissionais de Saúde no Local de Trabalho que do total de registo de incidentes de violência, em mais de metade das situações (55%) o agressor é o utente ou doente, havendo 20% em que são familiares e outros cerca de 20% em que o agressor é outro profissional de saúde.

Com este estudo, depressa se depreende que mais de 50% das agressões são provocadas pelo próprio utente e pelos familiares dos utentes (53,4%).

Agressões no Local de Trabalho: Uma realidade no mundo dos Enfermeiros Autor:Eduardo Bernardino

Parecia interessante também compreender em que ano os Enfermeiros foram vítimas de agressão, de forma a tentar apurar a tendência das agressões na profissão. Foi colocada a seguinte questão:

agressões na profissão. Foi colocada a seguinte questão: Com estas respostas, consegue-se compreender que ao longo

Com estas respostas, consegue-se compreender que ao longo dos últimos 5 anos tem-se vindo a evidenciar um crescimento exponencial das agressões na nossa classe profissional. Os Enfermeiros são cada vez mais agredidos no seu local de trabalho.

Estes dados encontram-se de acordo com os dados do Observatório Nacional da Violência Contra os Profissionais de Saúde no Local de Trabalho, que afirmam que em 2018 houve 953 notificações de casos de violência contra profissionais de saúde, em 2017, com 678 casos, que já acusava um acréscimo em relação a 2016. Segundo os dados anuais discriminados que a DGS tem publicado, em 2015 tinham sido registados 582 incidentes relativos a violência contra profissionais de saúde no local de trabalho.

Assim, e de acordo com os dados disponibilizados pela DGS, também se confirmou um aumento exponencial de casos de violência contra profissionais de saúde nos últimos 5 anos.

Finalmente, tornava-se importante compreender o que fazem os profissionais agredidos, perante estas agressões. Sabe-se que atualmente existe um dispositivo de notificações de violência contra os profissionais de Saúde, criado pela DGS, o Sistema Nacional de Notificação Online - NOTIFICA. Esta plataforma deve ser utilizada sempre que haja algum destes tipos de agressão. Torna-se assim importante saber se os Enfermeiros notificam as agressões a que são submetidos. Criou-se a seguinte questão:

Agressões no Local de Trabalho: Uma realidade no mundo dos Enfermeiros Autor:Eduardo Bernardino

Depressa se compreende que infelizmente a grande maioria dos Enfermeiros (cerca de 60%) não notifica

Depressa se compreende que infelizmente a grande maioria dos Enfermeiros (cerca de 60%) não notifica as situações de agressão a que são submetidos. Existe ainda um longo caminho a percorrer para melhorar esta situação. Pensa-se que esta plataforma da DGS está pouco divulgada, que existe necessidade de mais sensibilização sobre este assunto, bem como existe interesse da parte das administrações em que não haja conhecimento sobre esta matéria.

Agressões no Local de Trabalho: Uma realidade no mundo dos Enfermeiros Autor:Eduardo Bernardino

Conclusões / Síntese do Estudo

● 60,2 % dos Enfermeiros já foram agredidos fisicamente no seu local de trabalho;

● 95,6% dos Enfermeiros já foram agredidos verbalmente no seu local de trabalho;

● 53,4% das agressões são provocadas pelo próprio utente e pelos familiares dos utentes;

● Ao longo dos últimos 5 anos tem-se vindo a evidenciar um crescimento exponencial das agressões à nossa classe profissional, no seu local de trabalho. Os Enfermeiros são cada vez mais agredidos no seu local de trabalho;

● A grande maioria dos Enfermeiros (59,8%) não notifica as agressões a que são sujeitos

Agressões no Local de Trabalho: Uma realidade no mundo dos Enfermeiros Autor:Eduardo Bernardino

Referências Bibliográficas

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE - Informe mundial sobre la violência y la salud. Washington: Organização Mundial da Saúde, 2002

CONSELHO INTERNACIONAL DE ENFERMEIROS - Abuso e violência contra o pessoal de enfermagem – Tomada de posição, 2006. [consultado em 03-03-2015]. Disponível em www.ordemenfermeiros.pt/relacoesinternacionais/gri_documentacao/ICN_TomadasdePosic

Agressões no Local de Trabalho: Uma realidade no mundo dos Enfermeiros Autor:Eduardo Bernardino