Sei sulla pagina 1di 1

Ao final dos anos 70 destacava-se a crise energética mundial, em decorrência

da crise do petróleo. Neste período tornou-se notável o quanto a economia


mundial era dependente da indústria petrolífera. Dessa forma, muitos países
iniciaram buscas por novas fontes de energia. No Brasil diversos estudos
tiveram como foco o potencial hidroelétrico, a fim de aproveitar a grande
quantidade de bacias hidrográficas do país. O processo de construção das
usinas hidroelétricas aconteceu de forma rápida. No entanto o rico estudo
sobre esse modelo de obtenção de energia, não incluía propostas dignas de
indenização para as inúmeras famílias que habitavam as áreas que foram
alagadas pelas barragens. Em consequência surgiu uma enorme insatisfação e
milhares de famílias sem abrigo, que passaram a reivindicar indenização justa,
que a garantisse o direito de continuarem suas atividades como agricultores, e
a se organizarem em comissões que viriam a resultar no que hoje conhecemos
como Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB). Entendendo as
necessidades das famílias atingidas em ter uma forma alternativa de produção
agrícola, diante do processo de perdas e reassentamentos precários aos quais
são submetidas, o MAB em parceria com o NASCer (Núcleo de Agricultura
Sustentável do Cerrado) e o Levante Popular da Juventude idealizaram o
presente projeto como medida facilitadora de garantir a melhoria de seus
sistemas e infraestrutura de produção. A proposta de se implantar unidades de
Produção Agroecológicas Integradas Sustentáveis (PAIS) será uma ferramenta
na busca pela soberania alimentar, autonomia produtiva, combate a pobreza e
contribuindo com a manutenção do trabalhador no campo em suas localidades.
Neste sentido, será feito uso de técnicas e princípios da agroecologia capazes
de propiciar aos agricultores e agricultoras, uma mudança radical nas formas
de relação, entre indivíduo e ambiente, promovendo ações socialmente justas,
ambientalmente corretas e economicamente viáveis, promovendo dessa forma
desenvolvimento socioeconômico e ambiental. A presente proposta se
relaciona com o projeto "PROMOÇÃO DA SOBERANIA ALIMENTAR EM
REGIÕES ATINGIDAS POR BARRAGENS ATRAVÉS DA TECNOLOGIA
SOCIAL PAIS E PLACAS SOLARES", aprovado junto ao Ministério do
Desenvolvimento Social, pela Associação Estadual de Defesa Ambiental e
Social (AEDAS), a qual auxilia mais de 100 mil famílias atingidas por barragens
no estado de Minas Gerais, o projeto prevê a construção de 65 unidades PAIS
na região Norte de Minas Gerais.