Sei sulla pagina 1di 19

1 - A Bíblia – A Palavra de Deus como

Instrumento de Amadurecimento
A Bíblia é um livro cheio de instruções para uma vida bem sucedida, mas há muitos
livros que oferecem conselho semelhante. O que torna a Bíblia diferente ou distinta, entre
tais livros? A Bíblia proclama ser a Palavra de Deus, uma revelação divina!

A Bíblia tem tido uma enorme influência na História do homem. Ela continua sendo o
livro mais freqüentemente traduzido. É inquestionável que a Bíblia seja amplamente
acreditada como sendo a Palavra de Deus, um livro divinamente inspirado. Mas qual
evidência existe para apoiar esta crença? Seria sem fundamento esta fé? O que podemos
oferecer à pessoa que tem dúvidas sobre a inspiração da Bíblia?

A inspiração é a influência do Espírito Santo sobre os escritores da Bíblia, para que as


coisas que eles escreveram sejam exatamente o que Deus desejou revelar ao homem. A
Bíblia declara ser o produto da inspiração. Paulo escreveu, "Toda a Escritura é inspirada
por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na
justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para
toda boa obra" (2 Timóteo 3:16-17). Aos Coríntios, ele escreveu que o Espírito Santo
revelou as verdadeiras palavras que ele e outros usaram para ensinar a Palavra de Deus (1
Coríntios 2:10-13). Pedro afirmou que os profetas do Velho Testamento também falaram
como foram levados pelo Espírito Santo (1 Pedro 1:11-12; 2 Pedro 1:20-21). Os próprios
profetas declararam que estavam falando as palavras de Deus (por exemplo, Jeremias 1:2,
4, 9).

A questão da inspiração da Bíblia é fundamental. Se a Bíblia é simplesmente um


produto dos homens, então ela não tem mais autoridade do que qualquer outro padrão moral
que o homem possa inventar. Por outro lado, se ela é na verdade a Palavra de Deus, então
o padrão moral que ela apresenta é a expressão da autoridade de Deus.

1 - O Poder da Palavra de Deus


Tudo o que Deus faz, ele o faz por meio de Sua Palavra. Tudo que existe veio
a existência por meio da Palavra de Deus. Sempre que você tomar a Palavra viva de
Deus, algumas coisas não existentes vêm à existência. Isto é realmente tremendo!
Nunca diga que você é fraco, pois quanto mais você disser, mais fraco se tornará.
Mas se você tomar a

Palavra de Deus e disser: “eu sou forte segundo a Palavra de Deus! Aleluia!” Então
você verá o poder de Deus se manifestando.

Se você estiver com alguma enfermidade, não fique conformado com ela, olhe
para Palavra de Deus que diz: “pelas suas pisaduras eu fui sarado!” Pela Palavra de
Deus você pode, então, declarar: “sou uma pessoa saudável!”

Podemos confiar plenamente na fidelidade de Deus, se Ele falou é certo que se


fará, pois Deus não pode mentir, (Números 23:19).

2 – DEUS E SUA PALAVRA SÃO “UM”

Quando a Palavra sai da boca de Deus e nós a recebemos, estamos


recebendo o próprio Deus dentro de nós. (João 1:1)
Se Deus e Sua Palavra são um, então eu devo conhecer a Deus, conhecendo
Sua Palavra. Amar a Deus é amar Sua Palavra, crer em Deus é crer em Sua Palavra,
conhecer a Deus é conhecer a Sua Palavra. Se Deus e Sua Palavra são um, então,
eu me encho de Deus à medida que me encho da Sua Palavra.

Em Efésios 5:18-19 encontramos uma forma de sermos cheios do Espírito


Santo: falando. Mas não é um falar qualquer, é falar a Palavra de Deus.

3 – A PALARA GERA FÉ

(Romanos 10:17) Não precisamos pedir fé a Deus, precisamos apenas ouvir


Sua Palavra e praticá-la e a fé naturalmente se manifestará.

Crer na Palavra é praticá-la, não somente praticar os mandamentos, mas agir


de acordo com o que a Palavra de Deus diz. Por exemplo, se a Palavra de Deus diz
que eu estou assentado nos lugares
celestiais com Cristo, acima de todo principado e potestade, então é nessa posição
que eu me vejo e entro nessa realidade. Isso é praticar a Palavra. Se um demônio
aparecer na minha frente, baseado nesse fato eu direi: “eu estou acima de você, pois
estou com Cristo assentado nos lugares celestiais”.

Não importa qual seja o problema, a Palavra de Deus tem algo a dizer a
respeito. Descubra o que a Palavra diz e aja a altura.

4 – A PALAVRA É UMA ARMA

(II Coríntios 10:4; Efésios 6:17;) Você está numa guerra espiritual. A sua arma
é a Palavra de Deus. A Palavra é uma arma que não funciona na mão, funciona
apenas na boca.

Mateus 4:1-11 – Jesus usou apenas a Palavra. Ele sabia do seu poder tanto
para atacar como para se defender.

Apocalipse 12:11 – A sua própria força é insuficiente para derrotar o inimigo.


Você precisa do poder da Palavra de Deus.

Lembre-se de que a Palavra de Deus é a verdade. A verdade não é o que você


vê, nem o que você sente, a verdade é o que a Palavra de Deus diz. Ainda que você
não veja, nem sinta, ainda assim confesse a Palavra de Deus de todo coração.
Confesse aquilo que Deus diz que Ele é, que Deus diz que Ele faz, que Deus diz que
tem, aquilo que Deus diz que você é, e que você faz, e que você tem. Brevemente
você colherá resultados tremendos!

5 – A PALAVRA É ALIMENTO

(Mateus 4:4) Quando um bebê nasce a sua necessidade mais imediata é tomar
leite para se alimentar.

Você não deve ir a Bíblia somente para aprender “a letra mata” (II Coríntios
3:6) Nunca pegue a Palavra como um livro de letras, mas um livro de vida.
(Jeremias 15:16) – Comer alguma coisa não é simplesmente recebê-la, mas
absorvê-la – fazer disso parte de você mesmo.

6 – A PALAVRA NOS TRANSFORMA

A salvação no nível do espírito já aconteceu, é o que chamamos de Novo


Nascimento. Mas em nível de alma é um processo que chamamos de transformação.
Essa transformação acontece pela Palavra que é semeada em nós.

Romanos 12:2 diz que devemos ser transformados pela renovação da nossa
mente. E como podemos renovar a nossa mente? Através da Palavra de Deus.
Precisamos comer a Palavra até que a nossa mente seja renovada. Os velhos
padrões de pensamentos e opiniões devem ser agora conformados, ou seja,
colocados na forma da Palavra.

7 – TROQUE SUAS PALAVRAS PELAS PALAVRAS DE DEUS

Nunca mais direi eu não posso, pois tudo posso naquele que me fortalece,
(Filipenses 4:13).

Nunca mais direi que sou fraco, pois o Senhor é a fortaleza da minha vida,
(Salmos 27:1).

Nunca mais direi que estou derrotado, porque Deus, em Cristo, sempre me
conduz em triunfo, (II Coríntios 2:14).

Nunca mais direi que não tenho sabedoria, pois tenho a mente de Cristo, (I
Coríntios 2:16).

Nunca mais direi que estou preocupado ou frustrado, pois lanço sobre Ele
toda a minha ansiedade, porque Ele tem cuidado de mim,

(I Pedro 5:7).
2 – O TSD (Tempo Sozinho com Deus) como
Instrumento de Amadurecimento
Você não está desejoso de desenvolver uma intimidade gostosa com o Pai?
Como você percebe isso não acontecerá automaticamente, é necessário separar
tempo todos os dias para estar a sós com o Senhor.

Naturalmente isso não é uma lei. O amor de Deus por você não vai mudar só
porque você não tem conseguido separar esse tempo, mas sua intimidade com Ele
ficará comprometida. Sem esse tempo você terá dificuldade de conhecer Sua voz e
entender Sua vontade.

Seu tempo a sós com o Senhor deve ter prioridade máxima em sua vida por
que:

a) Você foi criado para ter comunhão com Deus;

b) Esse tempo é o segredo do poder espiritual na sua vida;

c) Você precisa comer o pão espiritual todos os dias, para ser saudável e até
continuar vivo espiritualmente.

Lembre-se: Os vencedores fazem diariamente aquilo que os outros fazem


apenas ocasionalmente. O sucesso de sua vida depende daquilo que você
faz diariamente.

1. COMO INICIAR O TEMPO COM DEUS

a) Escolha uma hora apropriada:


Você pode separar um tempo para Deus a qualquer hora do dia, mas a parte da
manhã é o melhor momento. Há muitas razões para isso:


Davi foi um homem segundo o coração de Deus, e ele orava pela manhã, (Salmos
143:8).

O exemplo de Jesus “tendo se  levantado alta madruga, saiu, e foi para um lugar
deserto e ali orava”, (Marcos 1:35).

A melhor hora para se afinar um instrumento é antes do concerto e não depois,
não é mesmo?
 No seu tempo a sós com Deus você se prepara para enfrentar o
seu dia.

O início da manhã é o momento quando você está mais tranqüilo, tem a mente
sobrecarregada e o seu corpo está descansado. Isso facilita receber mais do
Senhor.

Você dá a Deus a melhor parte do seu dia.

b) O tempo apropriado:
Esse é um caso em que qualidade é mais importante que a quantidade. Todavia,
tenha o propósito de ir gradualmente, aumentando seu tempo com Deus.

Comece com 15 minutos e vá aumentando progressivamente.


Não fique olhando para o relógio.


Lembre-se: não é uma obrigação, mas um privilégio estar com o Senhor.

c) Um lugar apropriado:

d) Encontre um lugar onde você possa ter privacidade e onde as pessoas não o
interrompam.

Há dois inimigos que se levantarão para impedir o seu tempo com Deus: o seu
corpo e o diabo:

a) Procure dormir mais cedo para estar desperto no seu tempo com Deus.

b) Não tenha seu tempo com Deus deitado na cama (para evitar sonolência).

c) O segundo inimigo a ser vencido é o diabo. Ele vai tentar usar todo tipo de coisas
para distrair sua mente, por isso esteja alerta contra ele.

d) Não faça de forma apressada. A pressa é sinal de que o inimigo conseguiu laçar
você com as preocupações do dia-a-dia.

e) A última tática do inimigo será minar sua perseverança e constância na disciplina


– esse é o maior problema.

2. O QUE FAZER NO SEU TEMPO COM DEUS?

Antes de tudo lembre-se que o objetivo não é estudar sobre Jesus, mas
desfrutá-lo. Não adianta nada saber tudo sobre laranja, como sua cor, composição
química, valor nutricional, como plantá-la, como colhê-la, e ainda assim nunca ter
chupado uma. Saber tudo sobre laranja não me encherá de vitamina C. Mas se você
tomá-la vai recebê-la dentro de si.

Mais importante que aprender sobre Jesus é tomá-Lo e desfrutá-Lo a cada dia.

O tempo sozinho com Deus deveria ter os seguintes momentos: confissão,


gratidão, adoração, intercessão e leitura da Palavra. É apenas uma sugestão, não
uma lei. Tanto a seqüência, como o conteúdo podem ser mudados de acordo com o
dia e as circunstâncias.
3 – A Certeza da Salvação
Você já se arrependeu de seus pecados? Já recebeu Jesus como seu Salvador e Senhor? Se for
assim, então você pode e deve mesmo ter certeza da sua salvação.
Antes mesmo de o Universo ter sido criado, nós já havíamos sido eleitos por Deus para usufruir
plenamente da salvação. Leia também 1 Pe 1. 2.
Eleitos segundo a presciência de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e
aspersão do sangue de Jesus Cristo: Graça e paz vos sejam multiplicadas.
1 Pedro 1:2

A Bíblia afirma que fomos não somente eleitos, mas igualmente predestinados à vida eterna (Ef 1.5).
Isto não significa, porém, que Deus tenha amado apenas uma parte da raça humana; amou-a por
completo.
“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo
aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” Jo 3:16

“O céu e a terra tomo hoje por testemunhas contra ti de que te pus diante de ti a vida e a
morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência”
Dt 30:19

“Porque a graça de Deus se manifestou, trazendo salvação a todos os homens” Tt 2:11

“O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; porém é
longânimo para convosco, nãoquerendo que ninguém se perca, senão que todos venham a
arrepender-se”. II Pe 3:9

“Exorto, pois, antes de tudo que se façam súplicas, orações, intercessões, e ações de graças
por todos os homens, pelos reis, e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos
uma vida tranqüila e sossegada, em toda a piedade e honestidade. Pois isto é bom e
agradável diante de Deus nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos e
cheguem ao pleno conhecimento da verdade.” I Tm 2:1-4

Em sua presciência, Deus elegeu, em seu Filho, aqueles que, aceitando o Evangelho, experimentam
o milagre da regeneração.

A salvação é por meio da fé em Cristo Jesus (a ponte que nos liga a Deus).
1. A salvação não depende de suas emoções, mas sim, do que diz a Palavra de Deus. “Aquele
que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida” João
3:36.

2. Porém você ainda não é perfeito em todas as suas ações. Só Jesus é perfeito em todas as suas
ações. Será que mesmo assim você pode ter certeza de sua salvação?

3. Jesus nos salva não com base na nossa perfeição, mas com base na Sua graça. “Porque pela
graça sois salvos, por meio da fé, e isso não vem de vós; é dom de Deus. Não vem pelas
obras, para que ninguém se glorie. Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus
para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas.” (Efésios 2:8-10)

Você é salvo pela graça de Deus mediante a fé em Jesus. Quando tiver a verdadeira fé, as obras
vêm automaticamente. (Romanos 3:20-24; Romanos 4:1-4)
4 - Tendo a certeza da salvação você tem mais força para resistir à tentação e vencer as tribulações.
A alegria em saber que é salvo supera o poder da tentação e vence a tristeza da tribulação.
“Amados agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifestado o que havemos de ser. Mas
sabemos que, quando Ele se manifestar, seremos semelhantes a Ele; porque assim como é o
veremos. “E qualquer que nele tem esta esperança purifica-se a si mesmo, como também Ele
é puro”, (I João 3:2-3).

5. Se você não souber nadar, não pode salvar aquele que está se afogando. Você também não pode
ganhar almas para Jesus se não tiver a certeza da sua salvação. Uma vez que você é salvo, vai
querer a salvação dos outros. (João 1:40-42)
4 – As Duas Ordenanças: O Batismo nas
Águas e a Ceia do Senhor
O batismo e a ceia do Senhor são as duas ordenanças da igreja estabelecidas pelo próprio Jesus
Cristo, sendo ambas de natureza simbólica. (Mateus 28:19 e I Coríntios 11: 23)

O batismo é um testemunho perante os homens da sua salvação completa deste mundo perdido
(Atos 2:40-41) – Um exemplo que ajuda a entender o batismo nas águas:
“Duas pessoas se casam, aí depois usam a aliança demonstrando ao mundo que estão casadas.
Assim, também você faz de Jesus o Rei de sua vida, e aí depois é batizado, demonstrando ao
mundo que você é um servo do Rei Jesus e uma Nova pessoa. O batismo então é um símbolo da
sua união com Jesus. Primeiro vem a união com Jesus, depois segue o símbolo dessa união.

Se Jesus for o Rei e Senhor de sua vida, você já é uma nova pessoa ( II Coríntios 5:17), mas você
precisa se apropriar disso pela fé.(Hebreus 11:6). O batismo então torna-se um contato de fé, aonde
você se apropria, daquele instante em diante, ainda mais dessa maravilhosa realidade que você é
uma nova criatura em Jesus. Não é o batismo que lhe faz uma nova criatura. É preciso ser nova
criatura antes de batizar. O batismo porém, é um meio pelo qual você pode se apropriar pela fé
daquilo que você já é – Uma Nova Criatura!

Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na sua
morte? De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo
foi ressuscitado dentre os mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em
novidade de vida. Porque, se fomos plantados juntamente com ele na semelhança da sua
morte, também o seremos na da sua ressurreição; Sabendo isto, que o nosso homem velho
foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos
mais ao pecado. (Romanos 6:3-6)

A ceia do Senhor é uma cerimônia da igreja reunida, comemorativa e proclamadora da morte do


Senhor Jesus Cristo, simbolizada por meio dos elementos utilizados: O pão e o vinho. Neste
memorial o pão representa seu corpo dado por nós no Calvário e o vinho simboliza seu sangue
derramado. A ceia do Senhor deve ser celebrada pelas igrejas até a volta de Cristo e sua celebração
pressupõe a fé em Jesus como Salvador e o cuidadoso exame íntimo dos participantes.
Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei: que o Senhor Jesus, na noite em que
foi traído, tomou o pão;
E, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por
vós; fazei isto em memória de mim.
Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo
testamento no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim.
Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do
Senhor, até que venha.
Portanto, qualquer que comer este pão, ou beber o cálice do Senhor indignamente, será
culpado do corpo e do sangue do Senhor.
Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma deste pão e beba deste cálice.
Porque o que come e bebe indignamente, come e bebe para sua própria condenação, não
discernindo o corpo do Senhor.
Por causa disto há entre vós muitos fracos e doentes, e muitos que dormem.
(I Coríntios 11:23-30)
5- O Batismo no Espírito Santo
O seguidor de Jesus já recebeu o Espírito Santo quando recebeu a Jesus Cristo como seu Senhor e
Salvador (Romanos 8:9, Efésios 1:13). É uma coisa, contudo, receber o Espírito Santo, porém, é
outra coisa ser batizado no Espírito Santo (Atos 1:5 e 2:4) – Batizado no Espírito Santo é receber a
plenitude do Espírito Santo, ser cheio!

Por que a igreja primitiva ansiava pelo Batismo no Espírito Santo como uma prioridade?

Jesus gerou uma crise. Ele ordenou: Ide (Mt 28:18) logo depois Ele disse: Não saiam sem o batismo
no Espírito Santo – “E, comendo com eles, determinou-lhes que não se ausentassem de
Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, a qual, disse ele, de mim ouvistes. 5
Porque João, na verdade, batizou com {com; ou em} água, mas vós sereis batizados com
{com; ou em} o Espírito Santo, não muito depois destes dias. 8 mas recebereis poder, ao
descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em
toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra”. (Atos 1:4,5,8)

A Igreja primitiva tinha a consciência que o poder para ganharem almas viria depois do
Batismo no Espírito Santo.

QUAIS AS EVIDÊNCIA DO BATISMO?

- O poder da revelação de Deus - E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar
noutras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.
E em Jerusalém estavam habitando judeus, homens religiosos, de todas as nações que estão
debaixo do céu.
E, quando aquele som ocorreu, ajuntou-se uma multidão, e estava confusa, porque cada um
os ouvia falar na sua própria língua.
E todos pasmavam e se maravilhavam, dizendo uns aos outros: Pois quê! não são galileus
todos esses homens que estão falando?
Como, pois, os ouvimos, cada um, na nossa própria língua em que somos nascidos?
Partos e medos, elamitas e os que habitam na Mesopotâmia, Judéia, Capadócia, Ponto e Asia,
E Frígia e Panfília, Egito e partes da Líbia, junto a Cirene, e forasteiros romanos, tanto judeus
como prosélitos,
Cretenses e árabes, todos nós temos ouvido em nossas próprias línguas falar das grandezas
de Deus.
Atos 2:4-11

- O falar em novas Línguas


Pedro na casa de Cornélio
E, dizendo Pedro ainda estas palavras, caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a
palavra.
E os fiéis que eram da circuncisão, todos quantos tinham vindo com Pedro, maravilharam-se
de que o dom do Espírito Santo se derramasse também sobre os gentios.
Porque os ouviam falar línguas, e magnificar a Deus.
Atos 10:44-46

Atos 19: 6 E, impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo; e tanto falavam em
línguas como profetizavam.

4- PRA QUEM É O BATISMO?

 Não é por merecimento, más pela graça de Deus - At 2:39 Pois para vós outros é a
promessa, para vossos filhos e para todos os que ainda estão longe, isto é, para
quantos o Senhor, nosso Deus, chamar.
6- COMO RECEBER?

 Pela fé - Mc 16:17 Estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome,
expelirão demônios; falarão novas línguas...
6 - O Discipulado um a um
Leia Mateus 28: 19
Depois que recebemos Jesus como Senhor da nossa vida, temos a tarefa e o santo privilégio
de fazer discípulos.

Note que neste texto há um mandamento central que é: fazer discípulos. Para fazer um discípulo,
portanto é preciso seguir alguns passos práticos, que estão inseridos explicitamente no texto e
podem ser resumidos nos três seguintes verbos:

Ir – Evangelismo

Fala da atividade de evangelizar, ir atrás do pecador, buscar o perdido com a mensagem de


salvação, é dar a oportunidade de alguém ouvir o evangelho e poder decidir se quer ou não Jesus
em sua vida. Mas isto não é tudo, pois fazer discípulo envolve muito mais, significa formar vidas
parecidas com Jesus.

Batizar – Integrar

Fala de integração de compromisso de levar a pessoa a fazer um pacto, uma aliança, com a
igreja local e integrar no corpo de Cristo e na família da fé uma confissão pública, como
demonstração da sua transformação de vida e da sua decisão de seguir e servir Jesus para
sempre.

Ensinar – Mentoriar, acompanhar, treinar e pastorear.

Ensinar a guardar - é mais do que apenas transmitir algumas informações, é demonstrar com
nosso próprio exemplo e estilo de vida como é que se deve fazer, falar, agir, proceder, reagir, de
acordo com que Jesus ensinou.

É providenciar cuidado e ensinamentos básicos de como aquele discípulo devem se conduzir


em seu novo estilo de vida, afim de que ele se firme e amadureça espiritualmente de tal maneira, que
se torne uma testemunha eficaz e um fazedor de outros discípulos.

O QUE É FAZER DISCIPULO OU DISCIPULAR NO DIA A DIA?

Fazer discípulos é mais que evangelizar ou ganhar alguém para Jesus, é cuidar e acompanhar
espiritualmente os filhos espirituais que geramos , é levá-los a se firmarem em sua decisão por Jesus
de maneira que cresçam e experimentem uma genuína mudança em suas vidas, se envolvam na
Igreja, passem a ser testemunhas eficazes, aprendam a dar frutos e a se reproduzirem na vida de
outros.

Jesus não nos mandou fazer convertidos, mas sim “fazer discípulos”, isso inclui muito mais que
apenas evangelizar.

Fazer discípulos é executar no dia a dia as três ações acima citado. Porém temos uma
definição simples do que é discipulado ou fazer discípulo dentro do contexto de uma igreja local.

É um vinculo de relacionamento e amizade entre duas pessoas do mesmo sexo, estabelecida


através de uma disposição espontânea de caminharem juntos, visando o seguinte: Transferência
de vida - Modelar, ser exemplo, demonstrar.

Transferência de conhecimento - Ensinar a guardar os mandamentos e a compreender a


vontade de Jesus para a sua vida.
Prestação de contas e acompanhamento sadio e amoroso das decisões e estilo de vida do
discípulo

Treinamento – mentoriar e treinar a pessoa e desafiá-la a exercer o chamado ministerial e


exercer seu sacerdócio cristão de fazer discípulos e cumprir o propósito profético de Deus para a
sua vida

O QUE NÃO É DISCIPULADO

Discipulado não é controlar a vida das pessoas

Como discipulador você deve entender que não somos chefes e nem donos dos nossos
discípulos, nossa responsabilidade não é manipular, manter as pessoas na rédia, controlar até a
cor do sapato que ele vai comprar, mas somente cuidar e orientar na vida espiritual.

Discipulado não é fazer discípulos de si mesmo

O seu alvo principal não é levar o seu discípulo se tornar parecido com você, por exemplo,
torcer pelo mesmo time, gostar dos mesmos filmes, falar como você fala, orar como você ora, ter as
mesmas experiências que você teve, mas se tornar parecido com Jesus.

Não devemos nos reproduzir na pessoa, mas reproduzir o caráter de Jesus. Jesus não nos
mandou fazer nossos discípulos, mas discípulos Dele e para ele.

Nossos discípulos devem continuar sendo quem são com sua própria personalidade. Por isso
suas preferências, gostos e opiniões devem ser respeitados, quando as mesmas não são
contrarias a Palavra Deus e não são pecaminosas.

OBS: É natural que com a convivência o discípulo comece a se tornar parecido com o seu
discipulador, ate às vezes nos vários aspectos mencionados acima Isso não é necessariamente
errado, quando isso acontece de uma forma muito natural.

Discipulado não é tentar bancar ser Deus na vida dos seus discípulos

Discipulado não tem como objetivo substituir Deus e o Espírito Santo na vida dos discípulos.
Tentar resolver problemas e assumir responsabilidades que só pertencem a Deus é no mínimo
incoerência.

FAZER DISCÍPULOS É O “NEGÓCIO” DA NOSSA IGREJA

Na realidade fazer discípulos é o verdadeiro “negócio” da nossa igreja e todo verdadeiro cristão
deve estar envolvido com essa tarefa, aliás, uma pessoa que não está fazendo discípulos nem é
um cristão normal.

Sem dúvida você deve crescer até ao ponto de ser um discipulador, porque assim como você
está sendo discipulado e estamos investindo tempo na sua vida, você deve fazer o mesmo com
outros. Não tenha medo de encarar esse novo desafio, pois à medida que você vai acompanhando o
novo seguidor de Jesus o próprio Jesus vai te ensinando como você deve fazer.

VOCÊ JÁ PODE COMEÇAR LOGO

Não é preciso você esperar até chegarmos ao fim deste curso, para começar discipular um novo
convertido. Você já pode conversar com o Líder de sua Célula para saber se tem alguém do seu
grupo que você já pode iniciar o discipulado. Se você ainda não é um discipulador, e o seu dirigente
ainda não te contactou, procure-o e pergunte a ele o que você deve fazer para se tornar um
discipulador
ASSUNTOS QUE DEVEM SER ABORDADOS NO DISCIPULADO UM A UM

Você lembra que no mandamento que Jesus deu aos seus discípulos de fazer discípulos de
todas as nações ele frisou três ações distintas que vimos no primeiro capitulo deste estudo: Ir,
batizar e ensinar todas as coisas que ele tinha ordenado? É isso mesmo ensinar todas as coisas
que ele ordenou não é mesmo? Pensando nesta ação do discipulado relacionamos alguns dentre
tantos mandamentos importantes que Jesus ensinou para serem abordados com seu discípulo.
Apesar de que muitas vezes você só abordará um, dois, ou no máximo três assuntos com seu
discípulo em cada reunião pessoal, é importante abordar estes assuntos, e outros, na medida em
que você for dirigido pelo espírito Santo.

 Relacionamento com Deus.


Como está?
Como ele se sente diante de Deus?
Como está o seu tempo sozinho com Deus?
Quanto tempo ele tira com Deus por dia? Quando? Onde? Como?
Como é o seu tempo de oração? Como é o seu tempo na Palavra de Deus? Como cultivar mais
intimidade com Deus?

 Relacionamento com a Família.


Como está? Como ele se sente acerca de sua Família? Sua esposa? Filhos? Irmãos? Pais?
Está ganhando a sua Família para Jesus?
Quanto tempo é tirado por dia com a Família? Quanto tempo é tirado para investir na Família
durante a semana?
Tem culto doméstico? Como é? Ora todo dia com o cônjuge?
Está andando em amor sem grosserias, palavras duras, ou gritos em casa com o cônjuge e os
filhos.
 Relacionamento com suas autoridades espirituais e outras autoridades.
Tem alguma dificuldade de se submeter a alguma liderança? Como você trata o seu pai? E seu
patrão? Lembre-se você não pode liderar se não sabe ser liderado.
Você tem o costume de criticar as ações de sua liderança (em casa com os pais, na igreja, na
escola, no trabalho)?

 Relacionamento com colegas do ministério


 Relacionamento com seus liderados (discípulos e
ovelhas).

 Relacionamento com pessoas do sexo oposto.


Ele se sente tentado?
Tem alguma tentação de praticar qualquer ato sexual ilícito ou qualquer outro tipo de pecado? Está
tendo cuidado com seus pensamentos, palavras, ações, e olhos?

 Relacionamento com dinheiro.


Compromisso de não amar ao dinheiro
Compromisso de dar dízimos e ofertas.
Compromisso de ajudar os pobres e necessitados
Atitude para com quanto recebe.
Integridade total no uso das finanças
Administração geral e o uso de suas
finanças.

 Atitudes do coração
Orgulho. Desânimo. Preguiça.
Tem alguma tentação para roubar, ou mesmo sutilmente pegar ou “emprestar” algo sem
permissão?
Tem mágoa ou ressentimento contra alguém? Está andando em amor, paz, e perdão com
todos?
Tem problemas de mentir, ou até soltar umas “pequenas” inverdades, enganar os outros, ou
quando estiver contando alguma experiência, exagerando um pouco?

 Uso do seu tempo


Está tendo o cuidado em não gastar muito tempo assistindo televisão, lendo revistas, etc.?
Quando assiste televisão ou lê revistas, etc.? Está tendo muito cuidado com seus olhos e
pensamentos?

 Prioridades (na vida, no chamado, na atualidade, no futuro, etc.).


Como economizar tempo Como dizer não “com muito amor” Como aproveitar o tempo Como
organizar a agenda de uma forma eficiente, Como controlar sua agenda e não permitir que ela o
controle, Como organizar as coisas para que não sejam esquecidas.

 Vida ministerial
Como vão os seus discípulos?
Como vão os discípulos da 2ª geração?, 3ª geração?, ... até a 7ª geração Seus discípulos
estão sendo bem cuidados? (inclui todos os princípios de discipulado).

Todos os detalhes na sua vida ministerial.


Sabe fazer visitas? Tem Natanaéis? Faz Fator Barnabé com os novos convertidos?
É importante que você, discipulador, faça visita com o seu discípulo para demonstrar como
fazer boas visitas. Vocês devem visitar pelo menos um Natanael {visita evangelística}, e também
pelo menos um novo convertido juntos.
Como está o seu envolvimento na célula? Sucesso na Visão do M.D.A.? Tem a visão da Igreja
Local? De Células? Do Discipulado? Seu M.D.A. está completo? Como está indo no trilho de
liderança?
Além de sua Família, está ganhando seus parentes para Jesus? Está ganhando seus vizinhos
para Jesus?

Vida profissional
No trabalho/emprego a importância de ser uma pessoa que trabalha de forma exemplar, se for
empregado, que seja um empregado exemplar.
Se sabe ouvir a voz de Deus, especialmente, no que se refere a vontade de Deus em assuntos
tão importantes como: planos para sua vida, seu chamado ministerial, sua família, seu futuro, etc.

O discipulado funciona melhor e sem prejuízos quando ele é homogêneo


Ÿ Solteiros não devem acompanhar casados, somente em último caso isso deve acontecer, os
problemas de casado devem ser tratados por pessoas casadas que tem experiência na esfera
familiar, especialmente na área sexual que são situações mais difíceis para um solteiro
resolver, e também acerca de criação de filhos.
Ÿ Um casal deve ser acompanhado por um outro casal
Ÿ Uma moça nunca deve ser discipulada por um rapaz e vice –versa – Mesmo que um deles
leve ao outro a Cristo o discipulado deve ser feito por pessoas do mesmo sexo o risco de
envolvimento sentimental ou até sexual é grande
Ÿ Um homem casado nunca deve acompanhar uma mulher casada nem tampouco uma moça.
Da mesma feita uma Senhora casada não deve acompanhar um rapaz.
Ÿ Jamais entre em uma casa se uma mulher casada ou solteira estiver sozinha, leve sempre
sua esposa junto com você ou duas outras irmãs ou talvez um casal.
Ÿ O ideal é que não haja muita diferença de idade entre discipulador e discípulo. Porém há
exceções.

O encontro semanal
Ÿ O encontro deve ser semanal, o local de preferência deve ser na casa do discipulador ou um
lugar neutro, em caso de novo convertido o discipulador deve ir as primeiras vezes na casa
dele se você perceber que é preciso por alguma razão.
Ÿ Deve se definir o local e hora com muita nitidez
Ÿ Não deve ser demorado, seco e sem propósito. Ore, prepare, busque uma palavra de Deus
para cada discípulo seu.
Ÿ Evite tomar tempo desnecessariamente, seja cuidadoso para não marcar horários
impróprios, como muito tarde da noite, nem em lugares muito movimentados, onde não seja
possível a privacidade.
Ÿ Não tenha muitos discípulos. É melhor cuidar de poucos bem, do que de muitos sem
qualidade.
Ÿ Seja pontual, não conheço ninguém que goste de esperar, não seja negligente neste
aspecto.
Ÿ Evite também cancelar o encontro em cima da hora a não ser que haja um motivo que
realmente justifique isso. Esse tipo de comportamento pode gerar a impressão de
indisposição, preguiça, má vontade, ou produzir sentimentos de ressentimento, frustração,
rejeição na vida dos seus discípulos.
Ÿ Cuidado com aparência, roupa, higiene pessoal, odores. Se o encontro for na casa do novo
convertido mais criterioso você deve ser com a sua aparência.
Ÿ Sempre ore com seu discípulo antes ou no final, pedindo direção de Deus para o tempo junto e
abençoando a vida dele ou por qualquer necessidade ou situações compartilhadas.

O DISCIPULADO UM A UM GERA MATURIDADE NAS DIVERSAS ÁREAS DA VIDA E PRODUZ


CRESCIMENTO E MATURIDADE ESPIRITUAL
Você já ouviu falar do crente anão? É aquele que envelhece, mas não cresce! Pois bem
infelizmente há muitos deles na igreja de Jesus. Por quê? Por que muitos convertem mas não
recebem o discipulado.
É Incrível a diferença que existe na maturidade entre alguém que foi bem acompanhado no
discipulado de alguém que nunca recebeu esse acompanhamento de forma adequada.
Em Efésios 4:12-15 somos chamados à maturidade.
... “Para o desempenho do serviço, para a edificação do corpo de Cristo, até que todos
cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à
medida da estatura da plenitude de Cristo, para que não mais sejamos como meninos, agitados de
um lado para outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela
astúcia com que induzem ao erro. Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele
que é a cabeça, Cristo”

No livro de Hebreus Cap 5 mostra que Deus tem expectativa que cresçamos em maturidade:
Hebreus 5:12: Pois, com efeito, quando devíeis ser mestres, atendendo ao tempo decorrido,
tendes, novamente, necessidade de alguém que vos ensine, de novo, quais são os princípios
elementares dos oráculos de Deus; assim, vos tornastes como necessitados de leite e não de
alimento sólido.Ora, todo aquele que se alimenta de leite é inexperiente na palavra da justiça,
porque é criança.Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que, pela prática, têm as
suas faculdades exercitadas para discernir não somente o bem, mas também o mal.

O discipulado um a um traz essa maturidade no ministério, no lar, nas finanças, na santidade


nas emoções.
A falta de discipulado explica tanto exemplo de maus testemunhos de pessoas, principalmente
entre os artistas e outros famosos que se convertem á Jesus e não são acompanhados como
deveriam.
No livro de hebreus capitulo cinco mostra que Deus tem expectativa que cresçamos em
maturidade.
Hb 5:12-14
12
Pois, com efeito, quando devíeis ser mestres, atendendo ao tempo decorrido, tendes,
novamente, necessidade de alguém que vos ensine, de novo, quais são os princípios elementares
dos oráculos de Deus; assim, vos tornastes como necessitados de leite e não de alimento sólido.
13
Ora, todo aquele que se alimenta de leite é inexperiente na palavra da justiça, porque é
criança.
14
Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que, pela prática, têm as suas
faculdades exercitadas para discernir não somente o bem, mas também o mal.

O DISCIPULADO UM A UM É A FERRAMENTA MAIS EFICAZ PARA A FORMAÇÃO DE NOVOS


LÍDERES
Precisamos investir na formação de uma nova geração de líderes.
Por causa da importância de reprodução de novos lideres precisamos estar envolvidos nesse
processo.
Cada geração tem o seu tempo para agir e depois passar o bastão para a próxima geração.
• Moisés treinou Josué
• Elias treinou Eliseu
• Noemi > Rute
• Jesus treinou 12
• Barnabé> Paulo >
• Paulo > Timóteo e Tito e muitos outros.

Cada geração tem a responsabilidade de preparar os novos líderes da próxima geração. Se


dependesse de você quem seriam os líderes da igreja do amanhã?
7 – Dízimos e Ofertas
A lição de hoje tem como objetivo estudar um tema muito conhecido e ainda tratado de forma
equivocada por alguns. As distorções provenientes da Teologia da Prosperidade comprometem as
práticas bíblicas de o crente ofertar e dizimar para a Obra do Senhor. Nesta aula, porém, você terá
oportunidade de verificar o assunto à luz das Escrituras Sagradas.

I. DÍZIMOS E OFERTAS NA BÍBLIA

1. O Antigo Testamento. O vocábulo dízimo quer dizer “a décima parte”. No contexto bíblico, refere-
se àquilo que é devolvido ao Senhor, quer em dinheiro, quer em produtos e bens. Já a oferta tem o
sentido de contribuição voluntária. O que deve ficar claro é que a lei mosaica não criou as práticas do
dízimo ou das ofertas, mas apenas deu-lhes conteúdo e forma através das diversas normas ou leis
que as regulamentaram. Tal verdade fica patente ao constatar que o ofertar já era uma prática
observada nos dias de Abel (Gn 4.4), e que o dízimo já era praticado pelos patriarcas (Gn 14.20;
28.22).

No período mosaico, o dízimo aparece como preceito de um princípio já existente no período


patriarcal. Os preceitos mudam e até desaparecem, todavia, os princípios são imutáveis e
permanentes. De acordo com a Lei de Moisés, os dízimos deveriam ser entregues aos sacerdotes
para a manutenção do culto e também para o sustento dos levitas, já que estes não tinham
possessão em Israel (Nm 18.20-32).

2. O Novo Testamento. Os que supõem estar a prática do dízimo restrita ao Antigo Testamento
precisam entender que a natureza e os fundamentos do culto não mudaram. Mudou apenas a forma
e a liturgia, mas não a sua função: a adoração a Deus deve ser em espírito e verdade! O culto
levítico com seus rituais já não existe. Todavia, o princípio da adoração continua o mesmo (1 Pe 2.9;
Ap 1.6). O dízimo levítico pertencia à ordem de Arão, que era transitória. Todavia, o dízimo cristão
pertence à ordem de Melquisedeque que é eterna e, portanto, anterior à Lei de Moisés (Hb 5.10; 7.1-
10; Sl 110.4).

Jesus não veio ab-rogar a lei, mas cumpri-la (Mt 5.17). Ele não apenas reconheceu a observância da
prática do dízimo, mas a recomendou: Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que
dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a
misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas. (Mt 23.23).
Nas epístolas, Paulo faz referência ao dízimo levítico para extrair dele o princípio de que o obreiro é
digno do seu salário:

Porque na lei de Moisés está escrito: Não atarás a boca ao boi que trilha o grão. Porventura
tem Deus cuidado dos bois? Ou não o diz certamente por nós? Certamente que por nós está
escrito; porque o que lavra deve lavrar com esperança e o que debulha deve debulhar com
esperança de ser participante. Se nós vos semeamos as coisas espirituais, será muito que de
vós recolhamos as carnais? Se outros participam deste poder sobre vós, por que não, e mais
justamente, nós? Mas nós não usamos deste direito; antes suportamos tudo, para não
pormos impedimento algum ao evangelho de Cristo. Não sabeis vós que os que administram
o que é sagrado comem do que é do templo? E que os que de contínuo estão junto ao altar,
participam do altar? Assim ordenou também o Senhor aos que anunciam o evangelho, que
vivam do evangelho. (1 Coríntios 9:9-14)

Os presbíteros que governam bem sejam estimados por dignos de duplicada honra,
principalmente os que trabalham na palavra e na doutrina; Porque diz a Escritura: Não ligarás
a boca ao boi que debulha. E: Digno é o obreiro do seu salário. (1 Timóteo 5:17,18)

Se o apóstolo não reconhecesse a legitimidade da prática do dízimo, jamais teria usado esses textos
do Antigo Testamento.

II – SER DIZIMISTA OFERTANTE É SER OBEDIENTE À PALAVRA DE DEUS


Deus, através de sua Palavra ordena:
Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos
dízimos e nas ofertas.(...) Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja
mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim nisto, diz o SENHOR dos Exércitos,
se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não
haja lugar suficiente para a recolherdes.( Malaquias 3:8,10)

a. É preciso trazer "todos os dízimos", e não reter nada,


b. É preciso trazer os dízimos para a "Casa de Deus"
(Êxodo 23:19) - As primícias dos primeiros frutos da tua terra trarás à casa do SENHOR teu
Deus; não cozerás o cabrito no leite de sua mãe.

III – SER DIZIMISTA E OFERTANTE É AMAR A DEUS E SUA OBRA


Um dos maiores riscos que corremos, é colocar nosso amor ao dinheiro acima de nosso amor à obra
de Deus.
Paulo alerta Timóteo sobre isso:
(I Timóteo 6:10) - Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa
cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.

Se amamos nosso dinheiro mais do que a Deus, corremos o risco de abandonarmos a fé


(I Timóteo 6:10) - Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa
cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.

Quando retemos nossas contribuições, não somos abençoados com a promessa do amor de
Deus.
(II Corintios 9:7) - Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou
por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria.

IV – SER DIZIMISTA E OFERTANTE É SER PARTICIPANTE NA OBRA DE DEUS


Deus poderia tocar sua obra utilizando outros recursos, como por exemplo o "ministério dos anjos",
ou o seu "Poder Realizador". Contudo, Ele deseja que nós tenhamos participação nesta obra, com
nosso serviço e com nossa contribuição.

(Malaquias 3:10) - Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha
casa, e depois fazei prova de mim nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas
do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a
recolherdes.

Paulo alerta a Igreja dos Coríntios que todos nós somos cooperadores de Deus
(I Corintios 3:9) - Porque nós somos cooperadores de Deus; vós sois lavoura de Deus e
edifício de Deus.

4 – SER DIZIMISTA E OFERTANTE É SER FAVORECIDO POR DEUS


Ml 4.10, "...se eu não vos abrir a janelas do céu, e não derramar sobre vós uma benção tal, que
dela vos advenha a maior abastança".

Quando semeamos em abundância dentro daquilo que possuímos recebemos promessa de


recompensa de Deus.
(II Corintios 9:6) - E digo isto: Que o que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia
em abundância, em abundância ceifará.

Vale a pena ser um dizimista e ofertante fiel:


Honra ao Senhor com os teus bens, e com a primeira parte de todos os teus ganhos;
E se encherão os teus celeiros, e transbordarão de vinho os teus lagares.
(Pv 3:9,10).