Sei sulla pagina 1di 3

A civilização grega

A formação da cultura clássica


 Com o declínio da cultura micénica, a c. 1100 a.C., devido a
invasões bárbaras, o território trácio não formou nenhuma
cultura consistente até ao séc. VIII a.C.; não deixou,
portanto, muitos registos. Os povos invasores apenas se
limitaram a usufruir dos recursos que as civilizações até
então tinham desenvolvido, pelo que destruíram grande
parte da herança que havia ficado. No entanto, neste período
houve um amadurecimento cultural devido à assimilação no
território destes novos povos. Estava, portanto, marcado o
caminho para a evolução da civilização grega.

 A civilização grega, nascida dum dos povos invasores — os


helenos —, conheceu, a partir do séc. VII, uma ascensão
económica desmesurada. Desenvolveu-se fortemente a
política e a cultura, e a arte explodiu deuma forma
totalmente nova.

 Relativamente à arte, os gregos exerceram uma influência


muito grande na sua orientação na cultura ocidental.
Desenvolveram cânones, que eram unidades, regras e
valores pré-estabelecidas para a concretização da obra de
arte ideal. O belo só existia caso estes cânones fossem
aplicados, transformando a arte numa produção
exclusivamente racional. A obra de arte grega era muito
realista, pelo que a religião não a influenciou de modo
algum; antes, a obra era produzida em volta de uma ordem
universal. Os gregos introduziram a perspectiva na
representação, uma novidade na arte.

 A arte grega era o reflexo da evolução da civilização. Os


objectivos da arte eram procurar a Beleza e Harmonia
Universal, conceitos suportados pela filosofia (também
A civilização grega
introduzida por este povo). Foi esta concepção que originou
o Classicismo.

Do mito aos logos – formulação da arte clássica


 Entre os sécs. VII e VI a.C., a civilização grega desenvolveu
uma cultura totalmente original: nova concepção do homem
e da sua relação com o mundo, a descoberta da
racionalidade, a lógica, e com isso vieram a mudar
totalmente o modo de ver da vida do homem grego.
 A expansão da civilização grega através de colónias em todo
o mediterrâneo, o contacto com outras culturas e povos, o
sistema político em que assentava a civilização , o sistema
independente que era cada cidade — as polis — e a ausência
de castas sacerdotais e poder religioso deram uma vista
muito mais ampla aos gregos, dando-lhes a oportunidade de
conhecer os fundamentos da sua cultura, das suas crenças
religiosas... .Assim, os gregos desenvolvem um pensamento
autónomo, livre de influências religiosas, o que irá por em
causa a visão mítica do mundo.
 No entanto, a racionalização da mitologia é conseguida
através da distinção das várias classes de indivíduos —
deuses, semi-deuses, homens — e toda a concepção do
cosmos é feita em voltada teoria mitológica, pelo que a
mitologia é aceite e divulgada por toda a civilização e
embutida na sua cultura.

O período arcaico
 A partir do séc. VII a.C., a cultura grega começou a revelar-
se. A data que marca o início da cronologia da civilização
grega começa exactamente neste século, paralelamente aos
primeiros Jogos Olímpicos de sempre, em 776 a.C..
A civilização grega
 O período Arcaico, que se prolonga desde c. 700-500 a.C.
constitui uma época em que os diversos territórios gregos
atingiram um período de grande prosperidade económica,
política e um esplendor no ramo da arte. Este último facto
deve-se à constante multiplicação dos centros de actividade
artística pelas diferentes cidade-estado. Todo este
desenvolvimento desencadeou o aparecimento de diversas
tipologias artísticas.

 Este período pode considerar-se como um renascimento da


arte antiga, uma vez que vai redefinir todo o conceito e
aplicabilidade da arte. A arquitectura e escultura reaparecem
apostando na monumentalidade. A arquitectura apresenta a
coluna como elemento construtivo predominante, e serve de
distinção às duas ordens arquitectónicas diferentes
(linguagens diferentes): a jónica e a dórica. Relativamente à
escultura, esta ainda se apresenta semelhante à escultura
egípcia. Sobriedade, volume maciço, rigidez, são
características que sugeremo primitivismo desta forma de
arte.

 Contudo, a intencionalidade da obra muda completamente


face à anterior egípcia. A representação das estátuas em
tamanho natural e a libertação do apoio dá uma vida interior
à peça. Oolhar deixa de se perder no infinito, começando a
ser objectivo, tendo um alvo, um campo visual.
Aparecetambém em força a cerâmica, difundindo-se na
cultura.

 Ao contrário da civilização minóica da qual a civilização


grega herdou parte da cultura, a representaçãonão incidirá
tanto no real/natural; focar-se-à principalmente na
representação da figura humana, tema que irá perdurar por
cinco séculos.