Sei sulla pagina 1di 81
Lima BARRETO ‘A CRONICA MILITANTE (SELEGAO) igi sto cUAPOS DE cline Arad Caps ral aul alec aie epee G9 Za Camps Res eeDicso EXPRESSAO FOPULAR, sho PAULO 206 NOTA EDITORIAL 1 Esta edigio fornece um Plenco que elucida refertacias apessonags histricas, mitolgices, feclonas 0 do e- ‘fvio de Lirma Barretoya lugares nem sempre connecidos ds leitores titulo ea asseciagseshojeinexistentes, Fm oben alfabética eno fim do volume, © objetivo do Elenco é suprir ‘umiainformacio minima eimediata paca obom entendimen to-do texto, Uilizou-se (qx) como sinal de remissio auto ‘yerbetedo mesmo Elenco, As notas de rodapé restriagetn se a esclarecimentos de veeabuliio, °. Alguns desvios, sla por e770 tipogeificn, seja por distoredo da fonte, seja ainda por engano do autor, ex igiram modificagbes minimas do texto de Lima Harseto. ‘Fais modificagies estdo devidamente assinsladasem nota de rodape. ', Aortografia fo! atvalizada conforme o Acondo Ort sgtdfico da Lingua Portuguesa de 1990, em vigor 80 Bras desde 2009, 4. Afora o preficio de Zenir Campos Reis, escrito espe- cialmente para estaediggo,carmplementao velume um ensaio {de Astroilo Peters haste critico lterSrio marxista, Ase respeite aerescentamios abaixo uma breve noticia, Astrid Pereira (1890-1965) foi um intelctual militate, 4s mais importantes histéri do Bras. Inicio a hata om opersriosanargusts, tendo por isso partsipada do It Congress Operirio Brasileiro (1913) de algumas greves, rario pela qualsofreuaprimeirdentce vias prstes co hong dla vid. stim, logo apéso golpe de 1964, quando jidosoe dloenteapressri sa morte, Osmilitaresgolpsiasinvadicar sua resdéncia, vandalizaramabibliotecaeaquivos destrin- «loo que podion dlspersandeo restante, que seria vendo 208 hos, onde livros com seu catimbo seiam encontrados nai tarde, Meo século depois a Fundago Asti Pereira se enceregaria de reat o meméria do grande militate Aps a tarimbs anarquista, Astojldo Peeracecebeis« ‘Impacto da Revolugio Russa de 1917 ¢acabutia por Funda @ Pact Cornust Basilio 1822) de quefoisecetiro-goal pormmitosanos Logo craria ojorual A Classe Ope ro oicil do PCB. Partcipou do V Congreso a lnternaciona) Comunista em Moscou efi eleito para @ Comité Executiva (1924). Bm 1927 vai Bolivia para alii Lute Carlos Fests, cntioexilado, econvencé Loa entrar para. PCB, Sug atividade central era organizaéria, mas desde cedo a ‘scita também ocuparia sons atengdes, Escrita mibtante, ow $sjadejomalisme:porisso seusliveseosturaam reunion sgosantes pbliadosavulsmente Fo 20 fongo david direlor ccnlhoradarde muitos pertodivos narqustas ecoraunists Seus princpais livros entre os igados teat, so Iserprtagdes (944), Machado de Ass (1958) Crit pra (1968. ‘Censalo aqulineluido fi esrtoparaa 2edigio de Baga {elu (Braslense, 1956), com itulode"Preficlo” Maistarde seria reclhido em Cra mpura Ciilizago Brose, 1963), ‘qrmo titulo de “Posies poltcas de Liss Barreto” LER - COMPARTILHAR Cxavpia oF Ruauna Campos posi, oslo ~ la uma image aan icles vososlbs psa ot senate ens seman Ms (em e gu eno enor da etre mkt oes ‘attra pins, dearer fila repile, ‘Meaveinraercaloqe mapa sz St souen cj teseng at eae percebenos usps Toate do asa Go dflog constant nt 9 eed extn an expen do lr expeséncis de sauna Sec conersfilbn berpoxaempacha Tass Ondessiosinedtrente test acbo gue arent er com ageism 08 teropomoxo Gu Fee Shoe Svar desta fc esa, 1reehnumceaponte ene a noraan nova cag spe ag ie shun, cnit sieeve 9 Rnvnewagudosquenes tera determina ee angnmann bea por agora reel: aguém ss rae unkanu tdoagosseo rsp esate dos teens on doponanaerndnconteto cat Ass weiss cao um peda lhosem gh ecvonnu ape omc pat dentro doo Muitas wer 6 desejo de comentar com alguéns. Como a peda jogada na digua, os clrculos se expandem, ondas de vozes, levando e tuazende novas letras, 2s, leitura feta, nossa vor se externe: temas Promover leitura passa por ajudar a perceberessis vores « coloci-Ias em ago, Para isso pode aver bons exercicios, ‘mas nada que supece nem dispensea dinica técnica” impres cinulvel ~ o compartilhar. F esse compartbamento pode se dar de-virias formas, do comentario e sugestio de leturas atéo ler com, ler junto, ¢ mesme o let para alguém se, por algum motivo, essa pessoa nfo pode decffrar a letra ou as votes do texto, Ler com. Algomas imagens de leita, que nfo ado Shin aida de compartments fovea, ins de alors urea meen se prop cemplaren nos parce tse deumertoenalet, sj de um eto que tequste peg, un cul de esau ols evs ids tem qe fare ela rls, Eborapretsa um ompo 1 alguma coisa a nossugerir.O eneantemento do im ceetassituacbes, estirvalar er, xplica-se:a hisdvia nartada,o prema deciamado, a discurso proferido, a sul, todas essas molidades baseadas na conmanicaao oa «lo a apropriagao de formas, siimagaest souvitpo permite que se vi processan co reconleclmento de assuntes ¢ géneros rara qneo leitor (on futuro litor) vi ad smu terzeno que no é To. porta east denheid- Detar ofa deqie ate ' yuele sais dificil, O som das palavzas nes Corna familiar aq) Chaucer ue scmpan tr demand tempo & Icitor, assim como cada texto, tem un ritmo préprio. Pro wer leitura entendendo-s come un compartifhaniento o pelos ritmos ea aceitagio dos varios pressupbe 0 zespeito rovinientos que ocorvem nessa pratica, fais como divagar ‘volta ao texto peeguatar see tesolvers vltaratris © xslers interroraper e continua. LIMA BARRETO MILITANTE Zonta Campos Rete cxbniea Na acepgio rigorosa do termo, “erdnica” ndo pertence ‘um genet litera, Desse moda, buscar enquadramento preciso entre os génetos tradicionais parece improdutive, Os esctitos atualmente conhecidos como erénicas podem apresentar-se como narrativas curtas, como fragmentos, ddramticos,dialogades, como comentarios gerados a pactir de um fato qualquer sugeride pelo notietérie do momento, PPodem fingir em carta, ou expressarse de mancira subje tiva, lirica, iainha do poema, ei prosa ou verso ‘Naadverténciaescita pasa coletanea Hagatelasdatada 4e13 deagosto de 1918, Lima Barreto ebserva que olivroera “Composto deartigos de varias nature7as.e que poder we recee varia classficagées,inclusivea de ndo cassficéves, “Cronica” €oapeide mais genérico para nomear oes to-in que 0 “tempo” (Chronos em gropo) fornece a matéria brite, Entre os (ermosafins enconirasnos os dios, anal, comentirios,istos, memérias, elagdes, anedatas,biografins A sugestio consta do stile esquecido Disiondiri ts sinéni- ‘nos da linge portuguesa (Lisboa: Allaud e Bertrand, sd, “Introdugio” de janeiro de 1848) Bm "Mos dadas", CarlosDremmond de Andradedeclara: “otempoéaminha matéria, 0 tempo presente, oshamens pr sentes [a ida presente’ ineronizado como seu momento, conilituoso, tens0,exigente do empenho de cada cidadio re ponsivel. © poetase nutre da mesma materia brutado-eronista, para elevéla ao patamar da palavra aristica, © tempo, sa definigto de Albin (name literévio de Hi lésofo e educador francés Emile Chartier (1868-1951), é4 “forma universal da mudanga’. Enquanto se desenrola, 56 pode ser capturado de forma proviséria, O cronista captura ‘momentos, elabora, ea “cronies” tanta pode ser apreciada ‘nessa forma limitada como pode constitu base oa materia -prima para futusas sinteses, posibilitadas pels hisiria de mais onga duracdo, que explicita o destobramento atéentio apenas possivel ~ um possivel entre mutes, Olivro das Crinicas,no Antigo Testamento, titulo ebrai- co, chama-se,natradugio greys ena Vulgala,Paralipdmenes, literelmente *(ftos) deixados de lado, omitidos”, episdcios ddesgarrados da histéria do povo jude, Se essas narrativas foram “deixadas de Indo” & porque Ihes fo atrsbuida impor Quando, em 1951, desejou organizar as reflexes poltieas de Alain, extraidas dos canjuntos das seus “propos” (come Alain os denorsinava, isto &palaveas’, "falas”}, Michel Ale xcandre saientous “uma politica nie em neakra gran uma cronica’, As cronicas (ou 0s “propos” “visayam sobretude os homens do dia ou (.) seguiar de perto acontecimentas ‘quecidos ou ultrapassados", Certamentecontinuavam valiasos ‘para muitas modalidades de interesse, histricos, berérios¢ 7 Nene dhvacnds tem pt itn gsi bat pomtams 4 ‘otros, No enfasto, para 2 crgnizagao de wma antologia te- tien politica, deveria ser descartado grande nimnorodelas Uhverbnica expressa uim pontade wista sobre matéria co singentee mobilizaconhecimente¢ vivéncia do observadon- ceseritor, Os nexos que consegue perceber ou construit ddependem fundamentalmente da amplitude dessa bagagers inobilizada na aperagio, O grau decomprometimento nessa trodalidade de esrita se explicitacomnitdez,e isto contribui forteniente para explictar posturas poltcas valores qusy na fiegdo, onde as mediagdes exigem mais distanciamento, ficarn apenas sugecidos [A imprensa industrial “Q que seria da Perna em confronto coma Printing- Howse Square?", perguntava Marx em 1859. Refeia-se& casa im- pressora do joraal The Times, eno 0 mais poderoso e veloe Ineo de comnicaglo, presente de maneira quasesimulténes, ‘eubiqua nos mats diferentes pontos do anno, A mitologica figura gregas propagadara de notciss, eduvia-se a pouco mais que sma comadre fofoquetsa (0 jornal, industrialmente produzido, acampanbava & documeatava os fatos cotidianos. A maioria das noticias ‘era rogistrada anonimmamente, sem insicagae autoral, Mas Cenllu-sea necessidade en conveniéacia de inelnie na publi cago resums, “revistas” ou revisdes periuieas assinadas. “Ainds que abrangendo periods de tempo de curta duragio, tornavacse possivel a visio ein perspectiva,acompanhando.o desdobramento temporal de ura acontecimtento, Um esboge de perspectivase nsinua, abtindo caminko para watribuigso dstaio wicca o sou de An, ope, Pars Prose Unie tae de rae, séesentido, germe dasistria cle mais longa duragio. Data do século XIX aimplantacte e desenvolvimento dessa atividade de produsao industrial da informaga ‘No Brasil, acondigéo colonial impediuo deservelvimento independente do poder imperial daativdade joralistia,Enere ‘9s mais antigos jornais brasieiros figura o Dir de Perna bbuco,ctiado em 1825 eaindsem cirenlagio, completande 190) anos em 2015, A prensa perisica proparcionouaos escritoresa opor- tanidade de eacontto mais ripido com seus leitores, além, de tum gonho financeiso imediato. Romances em retalbos ‘ox capitulos,cantos, peemase “erdmicas” foram publicados nos jonas. Encontramos depoimentos a vespeita da leiturs dessa producto senda em sessdes pablica, camo veorria nos paises em que essa indsteia se expandin primeito, Balzac e Manne] Antonio de Almeida, José de Alencar e Bugenio Sve venderam a retalho sua produce, Machado de Assis, akém de consancista econtista, oiassiduo colaborador da imprensa «eexerceu longamenteaatividade jornalistica como cronista Estudiosos de sua obra tdm ampliade seus horizontes inter pretatives pelo exame dessas paginas, talvez mais modestas, ‘mas superiormente pensadas e redigidas, Lima Barceto ea grande immprensada épacacaminharam, emdiregSesapostas.O Correioda muah fundado em 1901, langou-s inieialmente como jornal de oposig, Publicow um folhetim desse escritor em 1905, Os sublerraneos do More sto Castelo, mas foi-seinclinando para uma posigio de apoio a governo. Lima Barreto ni s6 se desligou do rma, mas tomox como cenario do seu romance d clef, Reeorag5es do escrvtoisaias Caminha, primeiramente flhetim na revista Floreal, depois lvto editado en) Portugal edistribwida no Rode Janciro,em 1909. oposigao desdabrou-seem guerra 6 \declarada, eos donos do jornal se vingaram, bloqueanclo dali por diante qualquer roferénci ao inclectual rebelde Lima Barreto passou por outeas experiencia jormalisticas cechegoua publicarcrénicasdifrias ou noturnas!) na Corea dda note, irbnica lusio a0 jornal rival. Outzas publicagoes acolheram a produgao militante do eserito, entre elas are vista ABC, importante vecnlo de tendncia anarquisia, que reecheu contripuigio Lima em 1916. Mesmo essa afinidade ideokigics ndoimpedia a rapturado inquieto escrtor quando essa revista acolheue divalgeu um artigo de carter racist, “Quem, como, logo ao nascer est exposto critica till de toda agente, entra logo na vida, se quer viver,disposto a nao se incomodae com ela.” A declaragio, de 1916, aponte pata tum problema vital iremovive, inserito na pele colorida de ‘mazrom, primeico para ncrianga,em seguida pura homem ‘que precisou criar resisténcias para enfrentaro racismo. & Iutaseestenden pela vida iteira, mals le uin sécule depois, nos nossos dias, a mesma lata ainda tem de ser sustentada ‘pel consciéncia democratica atual, imma Bazecto soube encenirarem sociélogosearopeus de orientagio progressista, do final do sécule XIX e inicio do XX, apoio para suas rellexdcs sobre a fata de fundamento dosdauneinasda superiaridade racial dobranco europe, ie prodw7iriae nazisme, de nefanda meméria. Assim, Jew bras Ge Jean Fart (1858-1922) e Calestin Bougle (1870-1940) - 0 ‘mesmo Bouglé participaria, em 1934, ainda que modesta- mente, da organizagio da equipe de professoresfranceses da naseente Faculdade de Flosoia, Clencias Letras da capital paulista, Esse apoio tedico foi fandamental para acon: «ago da forte conscléncia amirraista em Lima Barreto. No volume da Corresponncie de Lima Barreto, wna carta relia em francs, diigdaa Bgl, falandodeintelectanis v brsiliros de origem aficana, eventual acréscimo a docu: mentagao desse ator em seu io La démocrai evar fo science (901). Ignorase sea carta fol enviada (Outrafontedecisiva para suaformagao intelectual der ‘ou daeiara da obra de Piet Kropétkine (1812-921), so- bretuda live Ajuda mia (902), que const da bibliteca particular do escrito caviocae sustenta sua argumentagio cm nauitos momentos de diseussbes sobre cooperscia solidariedade. A tese central do liveo do pensador russo ‘em ne conteamo da "lua pela vida” eda “Sobrevivencia dos mais aptos, de inspiracio darwiatana, mas elaborada por Herbert Spencer; deste derivariaadoutrina do “darvi- nism socal, apoland o principio capitalist liberal da concorténcia€ do entiquecimento das "mais capazes”. Ao contrario, Kropétkine valosiza, com base erm documenta ‘go colhida no mundo animal de Sibria, a impertineia da lttarmdslarssee ppolape cgi Diets geen. ema ° Cameia o ficou a obrigacdo de enciquecer, Era 0 que estava fazendo quando a policia (oi perturbi-lo, Sinto mito; e so meus descjos que ele sejaabsolvide do delita que comieteu, volte sue gloriosa Espanha, compre uma case decampo, que ena ‘um pomar com oliveirases vinha generosa: se algun di, no esmaecer" do dia sauulade The vier deste Rio de Janeiro, dleste Bras imenso e feo, agaere em uma movda de cobse nacional lea ensinamento que o governo da Repiiica di 10s outros, através dos seus vimléns! "A econontia &a base da prosperidae”, Gazeta de Tarde, 26/05/1911 naccer ds bola perdera cor "+ Vim woes cabr eons a NO AJUSTE DE CONTAS Atrssinctes anc governamental sé conhece dels remédias para equilibrar os orgamentos:aumentar 08 manuionses'e serventes. Fora vio tern mais beberagem de fit coiro para curara crdnica maléstia do aii Quanto ao cortar gas, 6engragado © que se passa no satadministragio, Cada rinistr0,€ guase anialmente, ares d es dois paliativos 1 uma autorizagio pata ceformar 6 seu ministério, De passe dela, um, por eremplo, ds Guetta, realiza a sta postentosat obra ¢ vem ci para fora blasonar® que fee wrx eorion senta.enove contas, enquanio odo Exterior, jporexemplo, com a sua aumentou as despesas de sua pasta cem mats de cem contos rage Cada secretiri do presidente conexe qe govern & 36 ‘unieamente a seu respectvo ministro, cada qual puxa albrasa para a sua sarin. Cabia o presidente coordenar estes movimentos desco exo. aust os, conjagé-lossmascle nada fa, no intern ras ceformas edeixa corer 0 marfim, para no perder 0 )precaso tempo que tem de empregar e satistaze 0 hip crits mangos cables di feadalhad ebsoleta ew em pensar nas coisas de sua politguinha dealdela" Enquantoas reformas com ashipotéieas” ceutomias sk «em geralabra dos ministos, 6 aumento do imposto parte 1m geral, dos nossos financeizos parlamentares, Bungueses que so, on seus prepostos" sadom, melhor que 0 Impe- tador Vespasiano, que odimheiro mio tem chiro, Partem desse postulac que hes remove mio obsticulee mules dlfialdades e chegamatéasltrnas, como asonteseu 0 ano pasado, ssa pesnla massa deimpostos, getalinentesobre gears de primeira necessidade, devendo ser demacraticsmente igual para todos, sem vendaeicamente ear sobne os pobts, isto sobrea quase totalidade da populagio brasileira, qe €denecessitadose pobrissoms, ce forma gue as taxa dos Colbertsda nosso representacio palamenatconsepuetn esta * Deondeemondeaitrl Haein emote ‘atuats habitantes,ceriauos todo 0 drei de desenterrat os seus ossos, para cultivar os campos, criargndo,trar da terra, ‘ewfira, a nossa subsisténcia’, Cito de memérin; mas julgo no ter detuspado 0 pensae mento do grande conde dé Mirabeav,o gual vem esclarcect © meus, quando néo quero aveitar uma eazga iajusta dos ‘08805 pais lembro que essa obrigaci herdada por nés de Pagar prémios ce apélices de empréstimas de queas geragties passadasabusaram deve cessarintelramente, poisé tl vera ‘orcamentiria que nos esmaga eimpostose far anossaatial vids dificilima, mais ainda do que as estancos" de Linas. Peteiras, Bezorias caters No proprio ponto de vista dos usurdrios" ¢truculentos sapitalistas a apslice &um mal, € um capital imobilizado ‘que nio concorre parao desenvolvimento do pais pais quem tein poncas, goarda-as para receber juros como achegos ¢ quem tem muita, guarda-as também, para nao fazce nada e-viver do rendimento, Comtaram-me que hi wma senora que é possuidora de Renu: alin soci fran Fane Rene (123.2882) Novior: two pales ‘monastic quando ofmterese dari estavaem fait ‘b tiguemsieieai edhe nds ton 2 pretend ompreglo para nossa desu. ‘nos diré 0 que for verdade. Oren ‘Um govecno enegico eorndo do lo do povo que surgi tem ‘dever de conten ees bens de laa a suas ens fazed dea vet ses gansta eae ccimentospblicse vender assim coos tetas dvds, as pio de alugud que ests ordens posuere hasta” abl A contiscagio deses bets obiga para sera medida com: pletaogovernoasuprimitinvienmentetdososclégosde teligiosos de ambos os sexos, sobretudo os destinados a mocas: vies, por intermedi dos qua oceto acaba dominando os seuss marino sates ate gu So, em geal petoas poderosis em altos carga gente “ cargos. a gente dlesotains pretend, desse malo, infu decsvamente nos atos dos podetesplitios do pase ober nossa completa regress aos reas tempos das fogueiras edo beatiio™ hipéctita. Ha mais. " festase do baa ‘Uma das mats utgetes medias do nosso tempo fazer cesar en me de nriguvcer arctic da Burguesi: aue,akém de todas as inimias que, pra tl, emprega, or compe. pelo exempo, ttilidade da nag, Pars amontoar rile a burguesit nao vé dices moras, sentinentais nem mesmo las. Toca para adiante, passa por cima de o- divers, ropegs em morbundos, deruba aljdos, engana © Masini ms © Sonat erie de ster © esos demsndo ele » Orc ha a mentecaptos" e descullpaese de todas essas baisezas, com a seguranga da vida Futura dos filhos. Nao encontraria mais ‘motivo paca proceder dessa maneira, mais infame do que 6 dos antigossilteadores dos grandes caminhos, se riscisse nos do Codigo Civil o direto de estar, ¢ a8 fortunas, por torte dos sus detentores, voltassem para o Bstado;¢ nist, {mitariamos os seus matores, os busgueses da Revolugior Francesa, que golpearam profundamente a nobreza,estabe- lecendo a igualdade de heranga entce os filos. O feudo”, © castlo desapareceratn, pois fortuna deizou de pasar intac: te, ou quase intacta, do marques para ose filho mais velho. “Todasestas medidas tem carter financeizo, sem deixar de ser socials mas, que me parece, mais argente,@ oma refoerss radical do casamento, medica puramente social, ‘En sou por lodas as formas dle casamiento; 0 me reps: naadmitir a poligamia ow a poliandrias mas ransigiria® se fosse governo, Gantinuaria a monogamiaa sera forma Jogal do matrinénio, mas supritizia toda essa palhagada de pretoria‘ou juizado de paz, O Estado s6Interviria pata pro- {essare condenar © bigamat tudo o mas corretia por ont {das familias dos mubentes", Os pais que se encarregatiees do process, hoje chamado ~ “paps de casamento” = das cerimbnias que fossem do sou gosto realizar; € 0 Fstado 36 F Newae cos 2 sande nena em teste % Feo: tert sob de enor sah ligament com ri pes 5 olen ta aller cm rin marlos Temi eee © Soogaa aan eumacspes 1 pcan tt ep prs nonce aclonde ie Sean eeee ts fhe. 1 es cd com nse {Raber seco NOs sberin do “caso”, como atualimente, como nasclment, por ‘vomunicagdo escrita das partes, para o campetente registro. ‘io baveria nunca comunhdo de bens; a mulher poderia soberanamente dlspor dos seus, © divércio seria completo e podia ser requeride por um dos cénjuges e sempre decretad, mesmo que a motivo ale- sgdo fosse o amor de ui deles por terceito ou terctica A muitos eitores parecerdo absurias essas ideias; nae pretendendo convencer deve jd todos, espero que o tempo 0 raciocinioirio despertar nes simpatia por elas ea con: viegto da sua uilidade soctal. Apelo para todas aqueles que nioéma superstigao dale, dos cédigos, dos praxistas” dos acérdics”, dos arestas”, do Pigas, do Lobia, das Ordena 65 outros alfutrabios” caducos*; equanto aes doutores do Direito que esto envenenados, intoxicades até medula com tudo 0 que devorre do sinisio ¢ cruel dizeto romano, codlifcado, em grande parte, por um tirana das margens do Propdntide™ e pela prostituta sua mulher como diz Com: rts ia fre lio ae on tig ‘teas ein prance pres “Areaosouarreses) tera judo rate a see to Sat Onna: rect in Orda lps igo Fn 809, bed Dit poche terar igh es a ein Cag Cem 6 lary velit © Calas qe peeram gle % Tan dat margensdsPeopondite eons Consatina 272-8741), eit’ rnc sto de ost [sans caTgu-exptl da perio rzsodo Ove imino opine eo moe ge ds at de tsar gus ligt om geo mar op Prosi a male: lecina Fat, end Consntn. Conte ‘ued franco mesa, isp oCaneinina porseonn sy Soertedeambor 8 dorcet nas suas Réflestons su Teselavge des ndgrs: quan a tals chacalsehienas”aservigo dos burgueses, eu tomo a liberdade de diver-hes que, tarde ou ceo, sem eles ou com sles ha de se fer urna reforma social eontra“o Ditcio” de que io sacedoves, pois seu deus} esté motto no corayio. da massa humana e66 falta enterr-o, com o seu cortejo «de apostlas e sehentas% de consolidscBes € manwais”, aio levand tl entero sendo as grinaldas ds arguedlogos. an tiqustios, gestogose paleandlogos" “Reqtiescat in pace!” ‘Muitas auttas medidas radicais me acortem, como se jam: uma revisio draconiana” nas pensées gracosas® a reform cotacismitica” no ensino piblico, suprimindo 0 “doutor” ou tirando destea feigio de brimane” co Codigo cde Manu, cheio de privilégios e senses: a confiscagao de cerasfortunas ete Tnemos, potém, devagare por partesie logo acabadaesta guerra que omaigrcrime da humanidade,quandocsilhos {eas uts pareaes das pobies aba que esto mortendo ascentenas de milhares,ouse estropiando" tnerem de gus- tar contas com esta burguesa cruel, em ciridade, peade «ecavalhirismo, que enriquecea eesti se enrigaecenco de apodeecer, com esse horroroso crime, n6s, 0 basileios, Ghai c histamine ues ncn de cami % potas euebeiascaleuesde oa ‘Coaodacsesenamuacrpeados denoted Paleo esl Kee Rogues pat Descenssem pe Draconis era goo Graco gsi iene ‘Estate sera um xeon wn ransorngbo dk prance poperies, Didmo semboda cast sypetion wa dia isi de Man anoint dig dele a Eropande: mula devemos inickar a nossa Revolugio Social com essas quatro ‘medidas que expus, Seri na primeira parte;as outtas. depois. ‘Terminando este artigo que java ficando Jango, cankesso que foi a revolugdo russa que me inepirou tudo iss. Se Kant, conforine a legenda, no mesma dia em que a Bastilha, em Paris, fo tomada; se Kant, nesse di, com estu- porado" assombro de toda a cidade de Koenigsberg, nude oitinerario da excussio que, ha muitos anos, fnaia todas as -manhas, sempre ¢ religiosamente pelo mesmo caminho ~ 9 ‘como social maximalisa® t-lo-a hoje peovocad a fazer ‘© mesmo desvio inprevisto ¢ surpreendente;e também a Goethe dizer, como quando, em Vali vit os soldados da Revoluio, mal gjambrados"*¢armades, de tamancos mits, deseagos alguns, destragarem os brilhantes regiments pras- sianos ~ dizer, diante disto, como disse:“A face do mundo rudou’ Ave Rissa ABC, OSADIS Bitporade patito. espantado © Maeimalstat radical. gis i fe once ° sya: raradey setoe so SOBRE O MAXIMALISMO rm 11 de maio do ano possada, na revista ABC. desta ck: Ala, naqual durante muito tempo colabon. tive ocasiao sie pubicar um Tongo artigo ~*No ajuste de contas” ~ que as Ihandlosas pessoas que o leram tacharam-no logo de mani ‘isto maximalista. Oartigo ndo tinka esse pompaso intuito, ‘mas, senda tomado por tl, eu deisel que ele assim corresse ‘mundo e fui desde loge clasifcado e apontado como maxi- salista, Quand hour o motiim de 18 de novembre, esava 10 Hospital Central do Rxécito, havia perto de quinze dias, pias, assim mesmo, espantel-me que o trepovismo! da Rua dda Relaciv nfo quisesse ouvie-me a respit Desde esse artigo, muilo de longe tenho tocado nessa, questio de maxioalismo; mas, lendo na excelente Revisia do Brasil, de Sao Paulo, 6 resumo de uma conteréncia do eminentesocidlogo argentino, senhordoutor José tngenieres, lembrou-me voltara carg, tanto maisqueas nossos sabichées| ‘no tem nema uma espécie de argumento para contrapor aos apresentados pelos que tém meditado sobre as questoes “Tepotan sate a Teepr ast inna, sora sociais © veem na revolugdo russe uma das mats originals ofindas que se tem werfieado nas seciedades humanas, Os dloutores da burguesialimitamsse a acoinar® Lenin, Trotski « seus compuneiros de vendides aas alemvies fa por ai uns burguesinhos muito talas¢ superficias, pparény, que quetem iralém disto; mas, cujaciéncia historia, filosdfica ¢ cuja soefologia 86 Ihes fornecem come bomias| exterminadorasdosideais russosa grande questi de tomar Dbanbo ea de usar ealarinho limpo. Estes meninotes, a instar‘ Ega de Queleds,repisamnessas bobagens com ares petronescos* de romanas da deeadén- sia que jantam no Nove Democrats, faltando-Ihes até an bbocadinho de energia viil paca arranjar um emiprego nos Comeios. Osricagozinhos que hes xepetemt as sandices*exquecern- se que, quando 0s pais andavam nos funds dos armazéns ‘edos trapiches’, a trabalhar come mouras' para cimseguir as fortunas que eles agora nem as gozar sabem, mal tinhara eles tempo pata lavar 0 rost, pela mank, e, 3 noite, as pés, para deitarenrse, Foi, 8 custa desse esforgo ¢ dessa abnega- ‘dos pais, que esses petroniozinhos agora obtiveram écio para bordar vagabundamente almotadinhas’ em Petrdpalis, "acioae apr. lat + Adit) orethang, ana > Reroneie tins Pet 2-88) sro rmace ntti dt sortedeRern stor Satban, Fiske jeans le aise [sien eletinagta Tpke sues er do mat Tabla com ours taba im ees am dee Slash amon sna ai ameonesotete (Deripals 1ts gue pemtaws rapa gee melhor onde ou tate sms Fn, ra swlado de meninas dliguescentes. Heculescarcato aos 1s de Cf! cloréticasehobinhas. ‘argumentagao dessa especie de insetosdpteos", cujos wostames ¢inteligtneta est8o espera de um Fabre para serum estudados,eonvenentemente, bem 2 medida da smentalidade dls. ‘Os que s40rcos, de fato,e agueles que se querem fazer sis, dcusta de um proxenetismo™ familiar qualquer sentine cio-scameagados peo maximalismo, «tendo poralversivios thomensilustradas lias, capazes de discuss, devia, se {osessem um pingo de massa cinzenta no cérebeo, procerar foi porque representou num salfozinho, muito a contragosto sos seus parentes milionrios que devia querer ver 2 sua ‘bra gitada,beeraca num palen de duzentos mettos de boca com a assisténeia de um illo de espectadores, pagos fort, para trem muito entusiasino ‘Cur gj wen te esr is lke rv do odin somente lon ‘heme dena ie, des apni de Pao ina st Far anger te care, superior itr tobre eo pink! Puendt Kit con Baas Se psa sal deposi ec oo |A.crenga no todo podetio do dinheiro, que entre nds se apossox primeiramente de Sio Paulo, o que fo! notado por Alberto Torres, no sei em que gars val avassalando todo @ Brasil, matando as nossas boas qualidadesde desprendimen: ta, de dagura e generosidade, de modéstia nos gostos e nos praveres, emprestanda-os, em troca, uma durezs com os hhumileles, com os inferiores, com os desgeagados, cor talas ce infirndadas superstigies de raga de classe etc, nesta epoca de grandes ejustas eeivindicagoes, ameaga-nos de morte, ou se nto de grandes lutas sangrentas. Vou ler 0 Laboulaye ~ Brudes morales ef politiques ~ tendo, porém, f que as lutas, antes dequi estalarem,terioreduzido acacos oantedihiviano rmegatério do Mississipi. Renan (cit de segunda mo) dizka que quetia viver muito para vee como acabava Guilherme 5, da Alemanba, Fu pega Deus que alonguea minha vida até wer aquele neurisina mericano arrebentar em sangue, 20s borbotbes.. (Quand isso se der, pedirei um pedaco le mésmore da banhelra de Mme, Mackay, a Maria Antonieta dos telégra- fas, para servir de peso de papéis na minha modesta meso Ue escrtor pobre e aio me esquecetei de todo de Teéiflo, de seu drama flositico, Quem viver veri Revista Contempordnea, 22081919 A MISSAO DOS UTOPISTAS ragasa Deus, depots nao sei de quantas peripéctas de varias ordens,frzendo trabalhar o telégrafoe as gaze- 15, durante mais de seis meses, a pa fol assinada entre es boeligerantes® que levaram cinco anes a bombardear-se cm ‘amente, para afinal, nada resolverem ou, antes resobverem tum ttatado de paz, cujas condigdes e cliusulas trazem no Dojo outras guerres fatoras. ‘Os sengretos confltos entre tropas francests eamerica has que hove hd dias, nas ruas de Bees, se nie comprovam de todo este asserto’, dao a entender que as relagées entre fs trésaliados, se foram, durante a guerra, nia sio mais perfeitamente cordinis Convém lembrar que a contenda se originou no fata de ter um oficial da matinba americana eaxovalhado' publica mente @ bandeira francesa, O inicio da desordem, postatto, vio foi una eusga entre marinbeizos embriagodos; ea rome ‘nascimento mais alto ~0 que fz pensar, Tgeaesga fem gota Asstt: swan crs" — acon. tal Eneoalbdos saad, F de sentir isto para os temperamentas metafisicas', ‘humanitiios, romnticas on sentimentais ~ como quise- rem - entre 0s quais me alist, porqaanto, desde 0 comeco, sonlaram eles queesta seria a illima guertaentreos grandes pavos da Humanidade Porque o fim da Civilizagdo nao & guerra. a paz, ea concdtdia ent oshomens de diferentes ragase de diferentes partes do planeta: é0 aproveitamento das aptidoes de cada raga oude cada povo para ofim éltima dobem-esta detados ‘oshomens. Ao contro, nto tera sentido algum, ‘6 guerta tem sido até agora, ou foi, rm dos processes, ‘como dizem os filésofos, da evolugao civilizadora e um esti- ‘malo para a atividade hmana no nosso globe: mas nio €o destino da espécie, © sea destino, repito, 6a pa Alired Fouillée, ha anos, na Revnte des Deux Mondes, tratandla desse nietzschismo® hombsistico que anda por af abafido disse e disse muito bet, “O hino dos naturalistasc, principalmente, o ino de certos moralistas lata e guerra € tio cientiien como 0 Dine do maguinista aos arise as pancadas internas desua :miquina. Que bonita lata de rodas! Convo classe prendem, como se agarram com estrépito’, ese contraciam reciproce- monte! E a obra-prima da ciénca.” Nietzsche, continua Fouille, tem tne bom senso como ‘ste maguinista, Nao ha divids alguma, ‘Uma das grandes questies ou problemas que os enge- nheitos econsteutores ce miguinas tém sempre posto deles Tivaico que vo a da mataaidae das ccs Process sanion ‘Niehaus tard falar Nitache praise pata cles, desde muito, &clininagto desses atetos, dessas resistncias pasivas Assim (em sido também na Humanidade, Em getal,oss0- tnhadores.os geandes postas, os grandes fifo esis, todos esses malucs, como so chamados por essa gente prudente ue thesaproveits os estudas, as descobertas, as nvencaes reguladamente, sem o saber ~ todos esses malucis dei ea, lem procutado acabar com esse atrto dosatrtos ~ guerra ~ ue retard a evohugda humana porao seu destino final que é \mitaoe perfeito entendimento de todos 0s homens Podieria citar grandes utopistas, de Plato a Leibni, ndo -ssquecendo Thomas Morus, que fi decapitad, nem Canpa- nea, que passou vine sete anos na prisfo: masseriatrazer para aqui evisa de dicionario biogefico de que os kitores slevemangla cheios, [Ni querende, porém, realizar tao fil obra, convém clizer que mesmo a guerra, 8s vere, tem com fim pz, a haumonis.a mais perfeta entre os homens, As vezes,€asua cxplicagio intima e primeira As gerrasreligiosas sejam elas entre cists e maotne- lomos, entre caélicose protestant, tim por primero méve? -anvencero adversiria de que deve adorar Deus a forma & neira que outro juga sever as usta, verdadeitase certas, fim de que osnimigo sea slvoe goze, na Teer aeiciéade yatorgada! pela divindade, A "Guerra Santa, ea ita em nomede gue ered for, uma guerra para a utopie, ma guerra sentimental ent Fegan com tae Mot ome meee Deoraae once re pein coed or venga ign Cred cee etove ‘que 0s contendoresvisam a flicidade da nossa triste epobs ‘huranidade na pessoa do antaganistea converter, por meio dla farga, Convém observar que essas puerras so as mais cxuéise inumanas, Nada de quastel" £0 lema delas. ‘A luis af nia £0 fim, maso melo, como sempre 0 & {uaxe todas as guerra, Fouillée, no artigo que cit, afima muito bem gue Juta pela vida nfo € 0 mais poderoso ftor da evolugo. Ft ima analise esse fator &0 consenso da vida. A associagio ‘tanto lei nas soctedades animals como nas soctedades hu ananas: decorre das proprias leis da vida. Bogue Kropétkin, no seu excepcionallivro Mentraides ‘com uma abundancia de argumentos, de “exemplos” & “observagies”tirados da histra eda natureza, demonstra ‘com uma forea igual i empregada por Darwin, na Origen alas espécies, para elucidan a tese da uta ‘Tomarparz exame ou para obterconclusées socilbgicas ‘6 aspecto ou a face da lta na natureza € um erro de Higa fem que um sibio ov um estudioso qualquer de boa-fé nao dove eair. Parece a que, com a marcha da evolugbo aquele aspecto,¢fota, se vai apagandlo para deixar 0 campo livre a solidariedade, ‘So ainda do autor citado as palavras que se seguems"As partes componentes de um ser vive ajudamse urns is OU- tras, Assim em todas as relagbes dos entesanimados, alata pelo existéncia tende a tornar-se a lata pela coexistencia" -Avitdria do homem na Testa sobre as grandes feras nto fi dovida a sua forga mnscular, ao seu isolamenta, 8 sua capacidade de luier corpo « corpo com elas. Foi devido a sua inteigéncia, ea intligéneia provém da capacidade do ‘Gaara rm Swoon para a sociabilidade com os seus semelhantes, Ela \wmentard tanto mais, em extensio, quanto mais perfeita for essa sociabibidade, A carabina é, no final de contas, vniolgeneta, Precedendo essas consideragies todas, 0 meu fito era ilizce que julgo perfettamente engracado que homens ‘snimentes, homens de eoragio e de iteligénci, apis essa monstruosa guerra de 1914, em ver de propugnarem pela, remogao das causas capazes de determinor outras futuras, colejam a acoaselhar contsiio, “Todos nds vimos com Iéstima os noventa e tantos ‘atlectuais alemes, entre os quais havia sibios de valor universal ¢ escritores, como Hauptmann, superiormente populares no mundo inteiro, procurae justificarnio ja a {puerra em si, masa conduts criminosa, baixamente er rosa, dos exéritosalemaes, F quea Alernanha tinha conseguido instiac!® em todos ‘os espititos um supermisticismo patridtico, “super” por- que 6 mais simples patriotism € mistico,e 0 das alemaes excedia a toda e qualquer medics ¢ esse sapermisticisino, se assim posse quelifican fer que todas as atividades ger- ‘manicas, de qualquer orem, tendessem para a guerra, se absozvessem na guerra levando esse delivioa tal ponto que indo havia alemio que nao se fizesse, no momento oportuno, Lun espa serviga do seu dementado" patriotism, fosse slequem fosse,tivesseo carter que tivesse Agora, vercida a Alemanha, ou coisa parecida, por toda parte aparecem arautos” dos mais vatiados valores, rcp arom © ements cence Arson que pla pregando, ber ou mal, com este ou aguele disfaree, as ‘deias patriticas e pollticas que izeram os alemaes delirar até ao paroxismo',¢ atrair sobre lesa célera ea maliligga «do mond inter. Ede fazer pensarisso, tanto mals ques histira nos ensing que, muitas vezes, 0s vencidas aos campos de batalhas sie vencedores nos cérebros daqueles diante dos quais bateram, as sas armas, Querem avantaar-se aos alemes em ruta Ticades, os vencedores “Essa pregago das exceléncias do sport, “esporte”, “des- porto’, ou quer que seja, € uma manilestagao desse singulae estado deespirito, Partindo de uma meia-verdade, isto €, de que para os esportistas britinieos, franceses, americanos lec. que Venceram os alemacs, também esportivos, os 9 ‘moniios* desses jogos chamaclos atléticos néo deisam de pedir fayores ao Estado para eles, pretextando preparacio para guerra ‘Oobservador imparcial sabe perfeilamente que Alema- nha s6 foi vencida pela fome ¢,talvez, pela falta de algunas smatérias-peitnass¢ quem lhe eausou essa derrota foi o blo= atio, foi a esquadia ingles. Fora dai, tido 0 mais mio tem consisténcia e ni se coae sana com a verdade dos fatos, Poderia ir além e apanhar © meu Spencer que est ali, na estante, e mostrar, nos seus Fatas ¢ comentdrios, coma essa ccaltura sem media e monomaniaca” des jogosfisicas eons: litui um das fatores do regresso a barbaria, come se inital ‘ensaio, esta guerra, sob muitusaspectos, 6 falentretanto, 2 Aonamanic: com ma anata a se pudere tiver tempo, hei de tatar mais tarde do €as0, com scleyagde que o assunto exige, mais largamente Ants de termina, porem, lene a dizer que, quando. Sponcer dz que esta questio de sade fisica & uma questi ‘le moralidade (deve ser em A aducagd), ele quer dizer que llevemos ser saudaveis, robustos, dispor da forga muscular nnecessitia as exighncias da nossa vida e da massa propria «individual E certamente ist s6-0 que ele quer dizer; 1 880, sno nie escreveriao gue escreven no primeiro dos seus livros aqui eitades, que éo tltime por ele publicade, porque Spencer, tendo uma longa obra e tendo vivido, ceio cerca ou maisdeoltenta anos, ninguém, ao quemecanste, vn acuson cle conteadigao, Nao abstante, posse estarem erro, ‘Ouso, contudo, afirnar, apesar de to ter tide a sua A satueagao, que aquilo que o autor dos Primeiras principios pretend dizer foi seguinte: que nés ndo podiamos ter mais ideal retigioso de ascetisme®, de jeuns, de fagelagdes, de imaceragies, nem tampoueo o da tuberculose poética dos epigonos" do comantismo: mas, dat, abragar o de recifrio ‘ou mitmidgo” a distancia &bem grande, e Herbert Spencer no teria aconselhado semelhante retrocesso. [Nos dias que cortem, todos os homens de boa vontade, slesprerando epiteios* falsamente deprimentes que possa meracerdlos panvigianos, sé podem ter como divisa aquelas ppalavras que o mais puro, talvez,o maior eo mais pereito dlos reis que a terra fem visto ~ Sao Luis de Pranga ~ disse Asst dain queens aceon pate ples Inaapeniven aa euro dees da eae do ade = Paignton cae acres mutica do corp cttsde pniaces eee Eplguno. que pertencem 3 ear guint porters maces ec ou rio paladre > pate uae cops nse ‘40 morrer ao seu herein e ithe: “Has tous maucx ot qu'il sient 1s doce flo". Devem ser nao $6 divisa, mas ta Ihém consubstanciar® a miss prética dos utopistas, Ts tons mano ls sem 5 dou A "homing aa sak crdequte ies st gueinim 6h 2 Divs © Covance remie 0 Pais, 06071919 AAS LIGOES DA GRANDE GUERRA. uit conhecde sociloge bela, creo eu ~ Augustin anon tema ivr com ese titulo Teno igo mae tw poucn dessa literatura de guerra, Acho-a mito aportuna Reena tron plies > Ligation que proed do pric para ga € acon {ude gids, qe roel Sorel prs partir sangtenia que acaba?) deabalaro mundo inten preciso is equecer que o livre fe escrito dais anos ¢ pouce depots de decarada a guerra “Transceevotextualmenteasua concluse, depois de idee con’ as porcentagens de perdas de um lado otros "Parsee, pois quea guetra no poe duraralémdedezerabro de 198" efato, nae darou, pois oarmistci incial foi em noversbra, Uma prego destas merece ques tenhafénoivro eno autor. Ea tive em ambose espero que os eitores tenbam tomb, para me acompanhar apidemente por af alors © senhor Hammon, além de chegar a outrasconclusies rigerosaseintevessantes, ce que agora tados nds estamos verilcando a justeza conto prima final deste gigantesco batalhas informa-nos de detalhes preciosos que, nip sendo propriamenteligdes da guerra mundial, merecer registos pars o nosso ensina nos tempos de pa. “Antes, prt, deitmos atais deta, convén jusificar pr que digo *primeiea fina’. ssa Contenénela da Paz, em Verses, e paz que del sai no resolver cosa alguma, porque li nada éeito de bo2-f€e mam senrido largo chuma~ 1, deacorda comasgrandesaspiragies do nosso tempo, que io quee mais revolver 0 mont do passado ea podridio dlafianco, seo, pr sso, uma paz pecs, acabundo pore dlaraquilo queo grande histlogista*espanhol Ramin y Cal, cltado por Gustave Le Bon, disse:"Os vencidos teeta apenas com fit imitar es métodos dos vencedores. experinenta? veacet por s2utucino, Quando os defios de hoje stingicem a maloridade a terivelchacina ecomecard™ Talvez ates, digo eu; questin de dczanos Matai dei * Hogatagu ost eirutre cellar une compen dota ejamosagor osdetalnesde Hamon. Un, poresemplo, uit interessante ext: “ALE julho de 1938, as dividas de guetta dos beligrantesatingitio perto de stecentosevinte bilhes de rancos, dz vezes mais que to 6 oso cent Jado no mune”, Nao se sesso se verficous mas, Avista de tal, pego aos financeiros que rflitam, mais uma vee, nesse negcio de last metaica®e quejandos ‘Temos mais um pequeno ¢ otivel pormenor questi vai comas palavrasdo autor "A politica da Aleranhaapresenta ‘muita afinidade com a Companhia de Jesus. A sa divisa & 4tmesna; fins justificam os meio: a mesma é a sua bas: ‘bedincia passiva, perinde ae cadaver”. Muitos acantecl mentos o im provado ao decurso desta guerra mundi. A avaliar pea atitudo dos esuitas em Fspanba ¢ nos Estacos Unidos, paresia que a [nernacional Negra & Companhia de Tesus, eraem toda a parte um sélid esteiot do prd-germa- nismo, Nos Estados Unis, um esritorcbservou ess to, a todos os repeitos curso: o bares cla Companhia Geral “Transtlantia foram os inices que escaparam aos atagues de submnarinos, €a maior parte das gies dessa compari. pertence a Companhia de Jesus. Comoé sabi, 2 Componbia Geral Teansatlntiené uma grande empresa ianeesa de navegago que ei, temo teve uma linha de paquets” para aqui:e 8 Companhia de esus, com as suis agBes, chino pare ela como Companhia de Tato mer dopo amour queag come gaauindacmbsto J odtaveds (ougendes cass ns senshancs 1 ans earner): memo md er caseenia de | nktodeongiecsamee bse eae ota © Pagano meen ex {esos dos Segoros MaritimosContraosSubmarinas Alemies. O titulo é longo, mas adequade, Nioédehoje,enteetant, que as jesuita si dacosa.essas coisas pecaminosas ce comeércia, de banco, de empress de Juesoe ganho, de especulagées monetitias de toda a ordem. Antes sta primeiraextingo, ainda no howe segunda eu sei~ os seas contemporineos. no dizer de um histo~ riador, admiravamse de ver com que habiidade os santos padres esutos manobravam as operagdes de banca eusura", [io € preciso por mais na carta: todos conhecem 0 caso do Padre Lavalette, em Franga, nos meados do século XVII € tém noticia das ros hebraicos que cobravam os santos padres aos negociantzs, na China, aos quais emprestavam "Tra pneraguem ae le ene" Dav opr anaes qua serps > immer adquleso Depancu epentnancte 2 Iori eave pared deni doa > “bur us “hora estrangets com quem havi pouco teavarareagbes ‘presente he um oxgamento de vinte contos,imaginando ‘ye ele achuria demasiado” © estofador enganou-se.O parvemi nfo achou a coisa «ca: Achou, pelo conten, muito barata. Quediabo! Queria yostar com a "madama’, Estava no seu dreito. Esteéoburguéslegitimo, arivsta®, eo tentadar: éo mais tipi iors deles todos. Nao precisammosir alm. Decididamente femos que expropra-losa todos, Pera que essa gente quer tanto dinhesr ~ os senhores nio me dio? ‘Enis uma lgfo da guerra mundial Hoje, 0807199 © Pare spr que igi riezsou poston niente sem gino compriietos aque rng pean oe desis Wn] quer eso O ESTRELA [orients ce atop aquele que mais me impcessionow fo sem divide 0 Toque eptede mb goss 190 locanvento, funds sulcos que fam reeeber as manivastelos spins ea rama da batata-doce. Avista era dai soberba ~ toda a parte antevior da Guana bara, e Corcovado, as fortalezas,ozimb rio" da Candelaria, «barra, o mar sem fim, cidade inteira entie verdura © douada pelo sol da poente. "Estrela", porém, no via paca daquilo, Sob o aguilhan” do condos cavavatesignadamente, docemente,tristemiente, os suleos no barre duro, para fazer render mais as sementes ques terra a receber. Quando wiqueo iam matar, no me despedi deninguém, (Corr para casa, sem olhar para tris 0 Fstrela — Almanague dA Noite, 2081916 oniisnnde demandes Zit pre spe qe roms apa dour grandee Brrscsoalads be Aguile ee (Omen colege Bulhdo, o grande escrito que fcava entre | oceacio ¢ Milton, ao me ver tio interessado corm 0 vohime, valtou 10s seus oficios; eeu, em breve, cansei-me efechei 0 repositésio” de cartas dele, alvards, decrotos, ecavtas régias de 1810-1815, 1918 Repair: repertera, colegio MEMORIAS DA GUERRA ois jormas dirios desta cidade estio publican me- ria, ceminisctncasrecordaGesou que cutre ome teaam de genera lems, que tomaram parte ativa nessa srandee estipida guercattima E peta que os seus colegas franceses nao se hsjam l= brad de fazer © mesmo, tambimosingleses osialianos, os sérvios, os 148808, sabretudo, 0 rues’ americanos Seria bom ge al edesse para comparar nao 60 0s, nnrrados porns eouitos, masasmentalidades também dos ‘ocutores dese intl massacre de 191, que tale tenia acsbado ou ests em vias disso. Niko tenko seguido com a seligiosidade de etar de0- nance folhotim’, cin alia, nem aeitura das Reminiscécias ie Ludendorff, o Correia da Mavha, nem as Memérias de indenbusg, 110 Pais. Limito-me a -s,quer unas, quer coutras, confrme © acaso mas? faz chegar a0 aleance dos ols Tuas vans mare len pends en pais cpt astsonesdo propanioal ommne'e a As Mendriascle Hinelenburgsto de ona ingen, uma canduta prdpeias de erianga, mas gue ficam berm velho cabecudo, esteito,limitedo, mais chefe de hordat ‘que general, que se jolge imortalizado na histria como wi «dos “grandes capitaes’ da Hurnanidade. Ele nia percebe bem que as stas vitorias ou cols poecidas nada tém dele da sua centelha pessoal, da su inteligéncia, do seu descortino’, das combinacées orig ‘de sua immaginag So topogedica’, So vibrias de “secretara’ de estado- maior, quase demonstraghes de aula, vtéras “manobras” com assisténcia das alla atria do pols ‘dos adidos militaves das nagbes amigas. ‘A guerraatual, ta alem, porimposigio dos ftos, ve ‘mostra a sua alta capacidade de selecionar medioctidack ‘A meticulosidade dos regulamentos, a pretensio tude prover e prevor (vide Von Kulek,vtéria do Marne), ‘esforgo decalcular de antemdo todos os pros e contra, ut ‘outra porcio de receitinhas que tinhamn de ser levadas para ‘ocampo debaralha, cercearam’ 0 poder eo aleance daima ‘ginacio guerteira, dando‘ primeira plana aos sabichoes dos -egulamentos e outros dispositivos semhantes,calocando em lugares secuncrins os homens de iniciativa e agueles cua inteectualidads nao se pode suetar 3 iraniazina dos egilamentos, as mais das veres insite eirapalhées. “Toda gente que lidou com qualquer espécie de adminis- tragio, se mio nos alos pasts, mas simplesmente-em hagares convenientes de sltassitoagies, sabe bem que pendor extra- roy © escort pesca © pga entiondsor9 perme ronda de um tecen hock Onions ond par essasabenga deregulamentos tn os homens inedocres eas mulheres. primeira cos que faz umn amenutense’ de vocagio € aprender tots as hapoigbes do regulamento des scte- loi das dematsrepariges, nao sos regolamentos mas sambim os avisos expletives eontrs atosreftentes. ‘Asa intcigéacia, sentido se por si mesma frac, ni aguerser de surpresecolhida no estda on informnagi0 dem caso que, de antemio, no tena para resol rs iiahazinhas impress, pronmlgadas, publicadas, adotidas pels aatoriades competent ‘Nios faa sua inteigencia ea mesma: quer ospoio de conteas qu, ven tanto menos qe adele ti entstanto « prestiie sobre humana do Estado, dessa natureza intelectual qu me parece ser 0 Famono seal Lodendorf. E ler-Ine um trecho ao acaso de sus Reminisoéncies, pata se sentir logo o buroerata guerra exat, metic, saben ber todos os rulamentes ode ligne, ode ret guarda, ode vanguard, a0 esquecendo sequer nenhuma das abeeviatrasconsegradaseestabelecdas, Vjer 6 ste peeacinho, como denuncia bem ess singular metaidade de guertiro moderne, metadeamanuense, metade chee de horda barbara do século V da nossa era, Bi-lo: “A orem de batalha era a segue: XIC. fs lmedlata- montoae nordeste de Crscbias Corpo de Reserva ds Garda, XE XVILCE, 38 DR, entre Kaptowitze Kare e 8 Cay D, Li, Conde von Brady entce Kempen Kalish.” “Amannsepgicn functor e cinta > Rinse wtoconia © engragado € que, com toda essa meticulosidade bu ryctatiea, procurande tado prover e prever, empregands siatomével, aeroplano,telefonee tlégrafo, as suas batelhas, se ndo comegam por uma grande confusio, um entrevero™, como dizem os n0ss0s vizinhos, acabam nisso.. ‘Atal famosa vitor dos lagos masurianos', no dizer dele ‘mesmo, erminow numa barallada de todos os diabos. Mago~ 1, hatalhes de russos misturadascom batalhSese magotes. dle alemaes, Se houvesse mesmo ddio entre uns eoutros, sea gucrranio fosse uma coisa poitico-captalista,acoisatinba dlesandado ext um tumulto de ua, em rma bagarre'*a que seviam atender, para restabelecer a ordem, simples agentes de policia e guardas-civis armados de Sto Benedito. Est af em que da famosa preparagao para a guerra «que 08 doutotes militares tanto preconizam' nis estamos fivzendo com os indispensiveis diseursas.e chas dancantes. Enda de Ludendovtfa infoemacao de que, quando 0 exércioalemio perseguia 0 russo, de Rennckamp, em reti- rada de Passa Orienial arias sees daquee se fualaram smutuamente Friretanto, Lodendorif nse cessa de elogiar a perfeicao ‘da maquina de guerra alema. Bssas memes quando no sho ingenuas de ftuidade't, como as de Hindenburg, sio simples relatéros de manobras [Nada os seus auiotes alcangam, sé da guetta que Thes rece 1m fate politico e social, isolado dos demaisfatos politicos e sociis. les ndotém uma visio geral das acon 7 Bavaro doen como ® Mantanorelvord Masi si da ain 5 owed us suse © Preconiam: ant "Faded: reuse, vleade 26 teclmentos,sentimento qualquer de tempo e do drama de «ue so grandes e principas atores. A maior preocapasao lle € mostrar que seguiram bem eperfetamenteaslgbes ds infnitas escolas militares por que passaramg gue nao satram fora das regas escolésticas” e sempre obedeceram 20s regulamentos do estado-maior prussiano, No fund, ratando milldes de homens estrapiand outros milhoes ‘que estes velhos sargentas procuravam aleancar com a err era passa com distingo no exome, ‘Ano sero mgcrdbi® Hindenburg, que tal demonstra aquieal, nem mesmo a gléria os move, nem a gli nert ‘ sague, como os seus parinhos ramanos ¢biebacos les squerem demonstrat que apeenderam alice dascatedriticos detites, de estratégi et. ot. das sus rand escola ili- ‘utes, Lament, no comesadestaslinas alta de menscias equivalents de generas de otras nacional, Queia ver seclastamén denoncivam esse singular espnt guerrero die nossa época que fabricado com escolas exams, brevts", egulamentes etc, toma uma feicio barocritct por tet s0 mesmo tempo que comandar grandes masses, se mesela de um certo aspecto de chefia barbara que fica muito bem nos slemaes Fm toda o caso, o exempla de Tore € elcidativo de ue, taal cé conto 1,0 que imperou fio acas6,a servigo dle mediocridedes: a vitira cole s fongas obscures ds so- ciedade da natareea que, éesencadeadas, nenbaar homem soubecoptar em seu préprio praveito ov dos homens desta ¢ das furs geragdes. Todos tateiam aastevas apalpam os cegulamentos com med de se perderem nels. Tclniae pat els 1 Saustin de ice ange Bed dpioni conklnaonqueterminam cosa deaagan oouve um nico ques langou ousadamente peo" “Teebroso” em frase est fot nine. Beste grande ho {otempo,que preside com toda a adic, uma gran ra formacio social da época, enquant Joffe, oémulo de. andre, César e Napoleio, vai presi portidas de te Wf PALAVRAS DE UM. SNOB! ANARQUISTA pe da passagem do 1° de Mata, os grandes jocaais desta cidade, bem ou mal, tiverain que tratar da questo. Social, Algtns, com aguele jello furta-cor’ tho interessante pare am zoologist, enguanto na primeira ou segunda pir igina defendiam unsa futura oligarguia atacando outra, na jquarta ou quina faziam panegiricos' dos opericios ee, etes foultos, com mais Sranqucra, ao dia Seguin, atacavam os snarquistas ¢exclamavarn: “Que haja anarquistas na Europa, naqueles velhos paises de civilizagao bridhante exteriormente, mas intemnamente carunchosa, jétrabaliada pelos séculos ¢ sofrerdo 0 incu- vel reumatisnio gotoso® que caracteriza a gente de idade avangada gae passon a vida em ceias e devassiddes, v4 It, compreendo-se A situasdo dooperariada europeu de fat, precicia, em virios pontes, Na Furopa hi miséria porque ja “Srublingemobespsecaconenes, qe seach mer qi as as atc oreo tor saa conn sae que rahe ND ee lenmscunopindovensconbone wsicantincny Jaacpces cago eager discus dear nage * Garanchon qeetomearecos bids 2 Geant goa nega) Iu fata ce teabalho ¢ jh falta de teabalho, porque a sus inmensa civlzagHo eat faa.” 114 at um bem inveterade”engano. A civiiagio que nos lomina, a forma de organizacao socal sob que viveruos, & at mesma que a Europa eto antiga quanto a dela. Nao h& neahuma diferenga de tempo, nao hé nenuma difecenga Ge feitor a mesma, ‘0 que earacteriza ura civiieago so as suas ideas, 08 ‘sous preceitos a suas nstituigdes eos sous seatimentos; poracesoasias ox pects asinsiuigSes que goverram 4 Butope sio diversos dos que nos governam? Absoluramente ik, Quando, oo século XVUasprimelrasnaus portuguesa trowseram para o Brasil concuistadores, gutseieos, padres e aventureiro,trouxeram também com eles a suas ideas de propriedade, de honra, de cast, de patri, de rei e de Deus; e nunca mais os que ficacam deixaram de receber de I ess ius on as modificages que elas foram sofrendo, Nio houve, portant, uma diferenciago de civilizagio, nas ‘suas bass primordias Os antigos eelonizadores gregos, quando partiam a fundar uma colénia na o:la do Meditertineo, levavam nas suas triremest uma parte do fogo sageado que erdia no altar da cidade ou das fais espectivas. Isto gueria bem dizer que cles iam continua em outa parte a vida social = religios, nnilitare civil - que tinham até entio evado nas suas respectiva pitas, No avi idea de mudanga, mas le continuagio, Se no foi io total aideia dos colonizadores da > Pritam dete Theses eyes tips pore end re 8 -enascerya, contudo, conta sua vontade,« cisa se opero dia mesma forma (0 caso do farnoso Caramurt cf ber uma frisante”Klla decom as concepedes anteriores dominavan os powoadores ‘nas novas tetras que deseabriram e como 80 se pertath- ‘aim elas, mesmo nas ocasies mais favordveis a urna total blteragto® [Na Historia general y natural de ls Indias, de Oviedo lempcestamos& cited do douto Capistrano de Abreu), & descrit situagi da aventareito pertugués er 1535, em reo dos tapinambis “Ali fern Todos os Santos) acharsin {os ndufragos companhelaos de Simao de Akazaba)eviram Diogo Alvares, portugués que es disse que hava vintee cinco aos que estava naqucla terra sé e que se achava mu ‘bem com os indios, ea tinham por sew eapitio e The ere tm obedientes eos inha ta sujets"e The guardevam tanto acatamento! como se nascera senor ieles tna consigo ‘sua mulher, que va india da gua ind toe ilkose das fils cassdas, con dons expanits que al esta.” Agora vejam este trecho do velho Fre! Vicente do Salva~ lor, quan tata na sua Historia do Braids casarentos ¢ ctiagio dos filhos entre o gentio do Brasil: "Nao ¢ ficil imaginas roalormenteentze os principals” qu mm multas snulheres. gual sja.a verdadcira elegtima, porque nenhum ‘contrato expriniem,¢facilmente delxam umas ¢ toma cottas, mas ee, Fninesprsia oat ios. despises, ingz0 Tokson Sani Base Tdaver ens (88) > Sian oebhee * Assam: el Geia Nornete pings Ponta cee [No meio de selvagens que tinham sobre «familia idea « concepgdes diferentes das suas, o aventureita portugué tem da mesma eriacao social as nagdes de am homer cul ‘mentalidacle foi sujeita a dlsciptina da igrja catdics ed seus institutos;ecomo tal se eomporta durante vinte cinco) ‘nos nim meio intrinsecamente desfavorivel, ‘Se essa prova que se trad historia no basta para mostra que psique*das povoadores de Brasil se mantevea mesma podemosobt-l nos dacumentas palitios do tempo = eartat ‘régias, alvaris",sesmnarias le. todos eles estabelecendo ‘6 regime da propriedade privada, base ultima do regime bargués-capitalist, 4 Datem diante, esse regime eontinuow e evolu da mesme forma que na Entopa, com as mesmas vicissitudes” que I, «se a fortuna deixou de ser li, com o advento da burguesia, cessencialmente baseada na propriedade tvritorial ese trans formou no ateoz onenarismo® buargués das ttalos ¢apéli= ces, 4 também tem deixado de o ser na mesma prapargae, ‘Teimam também os jorrais em encontrar nessa questio, dla reforsma social uma simples questio de salirio, E uma ‘cima que thes fica ber, mas, é preciso que se Ihes diga no | <éddas mais dignas nem das mats brilhantes Hé,em tal questao, mais uma questio de dignidade humane, de direito que tem todos a enconteas sa terra fli= ida esatisfagdo, de que mesmo desejo de um maior 0 ‘menor ganko. Pagacmcte apo Arnos docu ge a suoriagho Semone tea gues pagename Vides varies Unrate apetapencpeclagia nasa "Apes ager de nmseampanhisonysidade tai oe © que nao. justo éque muito poucos possamn encontrar na vida mais que 0 supértiue e alguns mais, unicumente © nnecessiri. "Nessa questo, os jornaise osjornalistas sto de umacve. réncia a toda a prova. Eles gabam osaltisslinos saliios que bos apetarios tn nesta tr78, mas nenhum deles quer ser 0 Lopetitio que os vence, Por qué? Porque &stuago deoperitio Utigada uma dimsinwgao de personalidad, de considera- 4 sua importineia necessiria e puramente humana. Deresto,o trabalho ¢ duo, além dedndao é feito durante muitas boras segaidas, ¢ 0 cansago tira ¢ embota 2 alegria das restantes horas de repouso. init insist sobre esse ponto por demais debatido © cesclatecdese, se Taine mostra como peguenas casas morals ‘odesprevo da nobreza pela burguesla, exemplo aguela, co- tadapor Mme, Roland, que, tendo ido visitacunsmarqueses, estes Ihe fizeram fantar no copa, orjginaram 0 99%, & bem lever que essas mesmas causas dever atuar no énimo dos pperivios para desejarem tim reginte em que 0 se esforgo seja dignifieado e honrado, {© jntuilo deste pequeno aztigo no er falar missos era uunicamente mostrar que a cvilizagao de Brasil nf 6 essen clalmente diferente da da Europa ¢, ainda mais - © que ndo foi dito ~ gue &selagio entre a populagdo € 0 texto. em rnada favorece a tese do jomalista. ‘Os publicistas dos jornais frzem um cotejo simples centre a nossa populagta ea nosso tecritério ed concluem: “Essa gente nao tem que fazer porgue no quer. Ha por al vata terra.” ee 5, ano gs aeons cen teed e080 frase » Cath compara ‘Adiitindo mesmo que nds nos pudéssenios fave, assim do pé paras mo", Robinsons Crusoes, cir viver poral sola- ddosem cabanas, trando dos arredores tudo de que previsis- setmos, havia ainda a consideracZo das terras imediatamente aproveitaves e das que no 0 sio, por estérels, pantanosas & baios* dos mais elementares recursos de vida. Senésretirarmos da superficie Imensa do Brasilas partes que sio de alagadigos, asem que ha secas, as cobras de lo- estas, as estreis, ela learia reduzca em mito, Se titarmos aquelas que precisam cle trabalhos de yeragbes, para serem aproveitadas, ainda fcaria mais reduzida. Hagrandes regives do Brasil em que faltam, por condigées que nio-vém a pelo™ citar, bases para uma vida estivel, Uma grande parte do ‘Amazonas tem: uma popnlagao de apanhadoves de borracha ‘cuja moradia verdacleira Gem Manaus ex allures”, Por isso ot por aquilo, vdo buscar os elementos mais simples de sua vida fora da regido em que operam e un tal tersitorio nao pode ser adjudicado* a superficie de Brasil eficiente para a sua civilizagio, Ha na Franga, para nfo citar otro pats, departamentos inteitos que vivem de pesca no mar lo Notte, eno queremos ter que 6s publicistas do Brasil somem a superficie desse ioe ao testo francis Ascondighes, portanto, da eivilizagao do Brasil. quer as econdiicas, quer as morais, quer as de teritiio,justificam, que haja quem desiateressadamente, brasileiro oi no, soja amarquista, Sea de li esté caronchosa, a de agui também; Beppu mcd repente » aude io vim apes niowema pape ‘hoster tee ee * adie tr tuna € tio antiga quanto a outre¢ conv embra tan, {que init nesta questi Indagae ses ou no de tal pais, ‘quando os ornalitasno se dagam dees mesinosse oot nto brasleitos, pata se fazerenspineiestas on casts" ‘Ovanarquistasflam da humnidade pare abun, do género humano para o genero humane, ¢ no em nome {Ee pequeras competencas de personaidades potas ese hi muitos que o sio por ignoranci ou esnoblsm” con soante”0 dizer da joralista conservador, mesmo asim. merece simpatias dos dosineressas, poreye nao wsam, daquelasignorncins nem caguees“esnobisnes” que 30 ondas sinecuras na police esocesos sentimentais nos sales bargueses. Semtimos que o oclista se aja cmperrado no regime capitalist, mas estamos certos deg, por mas empernade sue sea hi de aver ocasitesem que pergonte despa ost que oexorgo de tans séculos, qe ntlgencs de Tens geragies, go © sang de tanto homens de raga cco soffimento de tanfosFgas que tudo, cai vena “tnoplesmene erminar nessa msi, nesse oprobrio” que aria poc a? Estat A Vos do Thubalhador, 15/5/1913 (Publicada sob o pseudonime de Tsuias Caminha) = Piitnou ds Jatt crat oe apenes don eis, lm eebasaray spt Pel Macha Se ap ‘ross pb Repeat «Conus confor ‘Scrss soporte fon ben op esem ripe °c: deve erg O TREM DE SUBURBIOS Nizinizsseamanit mci die cot oa ‘umalbsim de desenhosde Dauner, que me encheram ‘leu past! artistic perdavel atéhoje, Confesto que, na. ela pov esto vai para mais de 15 anos, eu nao conbocia Semelhantedesenhsta, Dos do seu tempo, 36 tinhs noticias dle Gavarn ato niesmo por citacbes de jornatsa respeto de ngelo Agostns Fl uma descoberta: e sempre tive ten, ta gual ainda nfo me desprendinteiramente, de mandar buscar esse bum; ma. Dos desentos,aguele que mais me feria ¢ impressonow foo que representa umm carte de segunda classe, ou daqueles «qu, em Franga eqivalem a nos sepunds. ‘uel cas triste, tangas’ pela mist, oprimidas pelo exaustive trabalho ditlos aquee cachimbar* de me- clas mers com os ales &cabega,e magras Criangas ao colo ~ tudo aguilo me ficou; mas nfo foram s6 os detallaes que a deo, e cua exatidio ndo garanto inte chou edie 1 amente, que me calarom fundamente alma. 0 que me Impressionou mais foi a ambiéncia' que cavalve todas a Figurasea estampo’ rogistra, ambigncia do fesignagi pera 4 nulséci, 0 sofrimento ea opressio que o trabalho dda) ppouco rermanerador traz ds almas, A segunda classe das nossos wages de tren ce subi no €assin 2o bomegénea, Fals-nos, pa sentir aamarguy ‘dodestino, profundera de sentimentas. Um soldado de ‘que nea viaiandose sente diminuido nasua vids aocontri julge-se grande coisa, por ser polieia; um guarda civil é umn "Tarde" nas suas Leis de imitagde, diz que todo 0 pro- tiles.” eo que fea no canto acode pelo nome de Nunes e sg7esso social se deve em parted invengo au ainveagoes de dhaprefinrs. Os dois no se conhecern. Guedeslt A Noiit, ‘um grupo, propagadas por toda. soeiedadecircundante, por «eNunes,00 Combate Innitagdo, Cito de men Tid cachicha com Nenésriem-se ambas ¢ atbas olan E pena que a imitagio desses rapares futeis dessas ara dts cavalhsros, Nenu se 8 por achado, Con- _mocas levianas se eneaminhe para coisas tho de nonada’ Jean as mogas no seu jogo, Nunes ¢ Guedes resister ‘Bem podia eles ¢ elas digi So fecundo ftor de aperfe- de fazer? Bassin. *C tard, aga do tem moda; Emais copes pone se tur buesatas tres, ‘al moans" meninas si Nonmal eda Misia, tudo de cambulhada”, Hand 2 ‘eigeomta do trem muito confusa, de forma gue € diel ‘iar um rag seguro des ‘Decaroe st toinados de asta. anda em vines. sem eed cag cheios. Fenfio que hs ceriagnia de dar 0 heroicarente “endo as meninas que os cavalhierosnBo se rendets a0 aan a seus sotiss de roi tendenciosa', nvadasn de tata: aia Stempel dpetor peated ce toma nate de pia «dia + fate dln ie “ . irs aney Deas, Em pes ato Méler! Que infer ine ace Nene secunda * Almas rpsssuohom ets eerie eoapees coma Roden eames ___ Tare none Te Gabid ‘econ: mia eres «Tense al erat ~ Ainda& fla, porque va até ao Mier Fen gue vou ale Quinta © sensivel Guedes nio resiste mais, Dobra 9 jornale oferece 0 se agar 3s mocas. ‘Naresemora amundo" em vista do procelimento da compacheir, és abrigado a fazer © meso. Li vo laid Ne bem sentadinas, enquanto Guedes ¢ Nunes sofiem ateozesdores nos cals _E serie qa, no carro, hé preg, em diversas partes, anincios de calistase de remédis para eas. Benriclos. $6 tem calos quer quer. Gazeta de Nottelas, 2NQ921 NAO HA REMEDIO... Vinoimaaues jesultas foram o elemento — _V inorat tos primratos de nossa civilizagao, Ples se opusetam aos desrogramentos dos colons, combateram a eseravidio dos indios.. ~ Fu poseria muito respigar a esse expeito, masmn40 que ro; tude que posia dizer auio para mais tarde, Lembrarei porém, a voce, que julgando necessirie a caldeamento” de sagas, entre nds, nfo olgo sociologicamente nenhur peced noconevbinate entre indigenas ecolonos, Creio que tambént assim pensa uma porgao de gratis nossos,atéeclesisticos, pois se julgam honradas com a sua ascendéncia enbocly naturalmente provinda de um casal a que eles ministraram sacramento do matzientnio uns trezentos e poueos anos depois, quando orgoniraram a sa genealogia perfeitamente herildica!, Quanto & eseravatura ce indi, wés podemos bem imaginar por que os padres da Companhia foram tio Beppe rmole (Calarge devas sans “Ganecbint unl ede «eos msi ats tenazes* em combaté-In Quem conhece o caso do jesuita Lavalett sabe bem que a milicia de Jesus nfo era de toda ‘siranha aos beneficios que trazem os eas deste mundos€ sno podiam eles, portato, yer com bons olhoso desfalque de cateesimenos que tio evangelcamente empregivam nas suas misses rendasas em procitos ropes, realizado ples colonos que os queriasneperasizat! “No digo que nto houvesse pases piedoses, até sano, ‘comooshouve entre osfilantropos ingleses que, na primeira retace do sécalo passado, tanto se bateram pela extingio dt esravatura negro edo tric de escravos, mas quando ‘0s homens pritieos~ politicos, deputalos, negociantes, armadores etc. — se aposssram das ideias des filatropos, 0 ‘que, de fo, les vsavam, era evitare despovoamente das coins inglesasda Aftcae te, portanloscbesseou aquele Aisfare ies! para trabalhorem as fitorasefomentac®, sonsequentemente comérci,« inddstei et “A rcem de Jesus como vocé beta sabe, tinhano seuseio ado; deus, santos, sibios, pelos, deputsdos,nogoiantes, armadores",arguitetos, pedrenos, pintores et. Vac sabe ‘ist, Mas no querenda. ~ Quga voc? uma causa: os missandiios — Bspere que eu, ~ Doixosame voce, flar von instante ~Consinto. Flare depois. Diga lil “Tena porsiranieinsitees wr age ues natu nose egu pa eee 0 Fkatopne pease uc se daca obrade said ota fou taro toe + beter eoepentercomerclat Fonsi: pooner prope eierto Aanaors posnastsempreaegaexpeanebcsGecomes — Os missionérios de hoje nae podem sor suspeitalos clessesinteresses pelas coisas tertenas: ede resto osse por que fose, os antigo jsultas prestaram servigas = Acredilo, mas pergunto a voct: éadmissivel que, pelo {ato dos guerreiros romanos, dos poetas escultocese sabios ‘greg0s,dos médicose ge6grafosdrabes trem prestado gran- desservigos somanicade, que voltemos.0susos costumes, outings legishagio, poesia, eigncia, medicina ¢ geografia dos romanos, dos gregos dos drabes? F adimissivel? “= Nao, Masniio So mesmo caso quesediicomosjesuitas. ~ Como! = 0 que eles progam é slo, ¢ em nada atenta contra as 26 ideas atuai, = Muito obrigedo. Em policia” eles sio completamente ‘conten intromissio da massa das homens na gesto dos seus lostinos, Quetem, paca ditt a maior parte da sociedade, uma casts, baseada nistoou naguilo,a que lesprestam toda «a forea de que dispiem sobre o pave, embrutecendo-0 com ‘umaeducasdo defeituosa, que séomna amembria,epregando 4 mais total obedincia avs dges!, out 20s eis, as caciques ‘04 que auiros nomes eoham os tiranos e parasitos. "Na familia, obstam, com todos os seus refinados argu -mentos ipécrtas,ainstituicdo do divorio: eativam entre 08 ‘Onjuges que se odeiam a matuafalsidade de gestose palavra, ‘patanio cansentir no esiabolecimento do divireio comipletos, reforcam a estbpida concepeo de honra conjugal uma brutal ideia do medievo" queleva as nossos pabrestomens de hoje Police: conjunta de ke dispanigies cu obesve €asegurar a order, a Ibotaldalrnsegonen ices psi doams secede aero yoann ug ence Ohara did © odie: eid adi le Min a pratcarsevagensossssnatos que ls nit seriam capaies de fazer eno fora esa cultura puleoitis* de ideas, sen- times aogées de que se ncumbem os padres em ger. “Tém da propiedade a concepgto mais atrozente bor sguesa guese pode imaginarcelesprestiglim osespertalhese mais agiotas etal moi qu, ni polen apres tudo quepossiem, deizam, etretont, mutes homens, mheres ¢ eriangasmorer 4 ming, Els prestgiam esa gente es prestigidas por ci ‘\ecitica mais ger, mats superficial em tera comm todas assuas eas politica sciss portnte, com aquelas que neressam mais de pero hemanidade, pls obemiem 48 pote vverem sociedad A revisio dels jf feta por maitos extaordinariamente mais competents do que eu € no seri rt ura simples palesta que eu pderia rapes. Contudo. = Vict poe ter mists rar mas io me convene. Tenhograndedesgoto que ta cousased.. Eno: "cdo io atsuntan’® = niet ~ alex Fini disci Para gente como voces aac ditt Despedimo-nos muito snigvelmene, 207s 5 Paes pre bite © "Cea gen and jer prquetabundn Osetia deapesio atin eode gar euros ili, OS ENTERROS DE INHAUMA Citimase iden iar mie oe contr no comme, municipal de Inatimaaquee acde -ecolhimento, de resignadatristea de ingponderivel poesia do ‘sl que enconto nos outros. Acho- of, sem company com at mom de repartgio piblica sas 0 cemiério ‘me parece assim noe interess,esenteros que wo ter todos eles, agucam seapre a minha aengio quando os vj passat pares op, pé ov em coce-atorséne. A pobreza da matoris dos habitantesdssubrbios ainda snantém nels esse cost ral ce evar ape, carrogados 2 bracos, es morias quetids. Tem sgerficto que rdunda? num peohor de amizade, cm ama homenagem das mais sincerase piedosas que wm vivo pode prestar a um moro. ‘eio-os passa ecleulo que es condutoses daquele via Sane para io Tonginguas paragensjardaram alguns qui- inpng aos (Cocieastomive cata [ke tsar Peo cla Pargene gree lometrase to carrogar oamigo morto, ainda, durante de urna liga. Ean geval assisio a passage desses cor fiinebtes na Rus José Bonificio, canto da Estrada Real ‘manhi gosto de ler os josnais nam botequim que hi p YYejo-08 Orgaes’, quando as manhis esta limipidas, t com asa Cinta especial de um profundo ssul-fervete+ uma yelha casa de fazenda que se ergue bem proxi alto de viona mca Laranja, passam catros de bois, trop ‘tla com sacas de carva0 nas cangalhas',carros de nas, pequenas manadas de bats, cujo campeiro® cavalga sompre com 0 pé dizlto embaralhado em penos [Em certos instantes, suspendo mais demoradamc Jeitura do jornaleespreguige ¢ alhar por sobre omaciot verdedo capinzalimtéemino® que sestende na minha Sonhos de ida roceira me vémt suposigdes do ques hhavia sido, ponbo-me a fazer, Indios, canaviais, esc1 toncos, res, rainbas, imperadores ~ tuda Tsso me ac ‘vista daqualas coisas mudas que em nada falam do pas De repente,tlinta um elérico", buzina sim anor chega um eaminhao, carreyado de cabxasde garcafas¢ ‘velo; enti, toda o bucolismo” do local se destaz, a er las priseas eras” em que os caches de Dom Joo Vt tavar por ali esvai-see ponho-me a ouvir o retin é¢ ‘malhaclo, uma Fabrica que se eonstrét bem pert ‘Yew poréms a enterto de uma crane volte so © Gigi rnc serasdos Orgies “Sree to mtn ear de azul quae neo Chalom de rei ou fs gcse ag ‘Campenni po amg Iara: Hark bende “bulma srplad campesie * Pace rn tempor sao. lometzoseva0caregar amigo mort ainda, durante cerca de uma liga Fin geal asst «passagem desses comes funebtes Rea Jose Bonifito canto da Fira Real. la ‘mana gosto de ler os jrnais tam boteguim. qu hé por Is ‘ojos Ongios’, quando as mans esse limpidas, Hintos coma suatintaexpecsl dem profundozulferretee veo uma vena case de fazenda gue se exgue bem proximo, no flo de una mca laranj, passam caros de o's, Iopas de rnufas com sicas de corvo nas cangalhs earos de baa nas peqeras manadas de bos, cao cape caalgnaiis sempre com op diretoorabaralf em panos im certs instaes,suapendo mais deroradamentea Jeturado jomaleespreguigoootharporsobreo maciotapete ‘ere Go capinralinérmine!"queseesene na minh frente. Sonos devia roeira me vis supsicdesdo queaquil havia sido, ponho-me a fer. Inios, canaviais,esrav0s, sroncos, ris, ainhas, amperadores tudo iso me aco vista aguas coas muds que em nada iin do pasa DDe repent tilinta wim ekirio", buna um automéve, cla um carina. cartegado de eaixas de garraisde cer ‘ea ene, todo obucolsmo! do foca se desta aemosio das priscis eras em que os coches de Dom Joao VI trans tavam poral ewai-see poho-mea cuir retinie de erro alhado, sma ibece gue se consti bet pet ‘Vem parma enterto de um erianga; volta sonhar, Cari ei Seal tateton patos deal ie 90 © Cangas stmaiode ales ogo we se aia + Compete ajc gurtrta dogs nscanns © tne sein © Tce home tate snd asst hcaec gosamig oo ‘S40 mogas que cartegamo caixio mindscloymas, assim snestna, pesa.Percebo-0 bem, no esforgo que fave ‘Vester sede branco e eaam sapatos de salto alto, So sano’ oesquife® pisande 0 mau calgamento da ras € Com dlifieuldade qe curmpeem asus pedo misao. eu me Jembro que ainda tém de andar tanto! Contudo, elas eo fcur Fvees de um suplieio; 0 do calgzmento da Ra da Sensdor José Bonifici. & que vio entrar na Estrada Reale nequele ‘echo, a profeituras6 tem feito amomtoat pedeegulhos, mas tem deixado a xetusta® via piblica no estado de nude vit sgainal em que nasceu, Isto ha anos que se verifies. ‘Logo que as portadoras do defunto pisam obarro unido do velho trilho,adivinko que elas sentern wn grande alivio ddospésdcabega. As fisonomias demunciam. Acris segue ‘outras mocasqueasauxillaro bem depress, na sua tocante sigsio de levarum mortal sua iltima morada neste mundo, «logo apis, graves cavalhelros de pret, com o-chapéu na tno, carregando palmas de flores raturats,algumas com aspect silvestre, e baratasc humildes coroas artificial fe ‘cham o corto este calgamentoda Rua Senador José Bonficio, que deve ddatar de uns 50 anos, ¢ feito de pedacinbos de seixos mal ajustadose est cho de depresses eclevacbesimprevists € mau para os defuntos; até fee um vessuscitr. ‘Conto-thes, O entero era feito em coche pusado por ‘nates Vinha das bandas do Engenlio Novo, ¢tudo carr bem, © carro mortuirioia na frente, aotrote igual dasbestas, Fapeend amino peo Thule calsode dao «erst an, relia Nga at Acompanhavam-no seis ou ote calegas',ou melascaleyas ‘vom 0 amigos do defuunto, Na altura da estacao de Todos os Santos, a cortejo debs a Rua Arquias Candeiso ¢ toma perpendicularmente, 3 diceita, a de José Bonificio. Coche = calegas poem-se logo a jogar como aavios em alto-mar tempestuoso, Tuco danga dentro deles. © cocheiro do carro fiincbre mal se equilibea na boleia® alta, Oscila da esquerda paraadireita eda dizeta para esquerda, que nem um masta de galeradebuiso de tempestade braba, Subitamente, antes de chegar aos "Dois Irmaes”, o coche cai num caldelrao", pende violentamente para um lado; o cocheiro & cuspide 20 solo, as correias que prendemt 0 cajxio ao cart pattems, ‘eseartegande a jltoe vindo espatifar-se de encontro.as pe- dlras;e—0b! tervivel surpresal ~ do interior do esquile, surge dle pé pido, vivo, vivinho, « defonte que ia sendo levado a cemiigrio a enterrar, Quando ele atinou e coordenow os ‘ats ndo pode conter asa indignasao esoltou uma maldicto “"Desgragada muieipalicacle de minha terra que delxas este calgaumenio em tdo mau estado! Ew que ia final cescansar devido ao teu relaxamento volto aq mandy, para ouvir as queixas da rminha mulher por causa da carestia da vida, de |que nao tenho culpa alguma;e sofier as impertineneias do meu chele Siro, por causa das suas hemorroidas, pelasquats _nao me cabe responsabilidade qualquer! Ah! Prefeitura de Juma fga, se ivesss uma sé cabega havias de ver as forcas das ‘Gjscarrnjende quo rose dtsasotes pxaduspeeumspurha ocmston + Beas caeascarangenscrenoresqe eaegn ea geod bara Lista ‘minhas munhecas! En teesganavas malMdita, que me tazes dleavo 3 vida” _Acsteftoeu no asi nemo menos morava naquelas paragens, quando aconteceu: mas pessoas dignas de toda 4 confianga me garantem a auentildade dee, Porn, v0 ‘ou mult interessanteaconteceu com um enterro quando eu iiamorava por els, dle tive noticisfrscas logo apis sucedido, por pessoas que nl tomaram pate “Thoha morrido Felsberto Catarino,operitio,Tusteador ‘eempalhador num oficina de moves de Cascada Ele smoravano Eagenho de Dentro, em casa propria com un a+ aoivel quintal,onde hava, além de algunspésdelaranjeirs, tuna umibrosa* mangueie,dbaiso da qual, aos domingos, reula colegas amigas para bebericarejogar a bisca™, CCatarino gozava de muita estima, tanto na oficina como na vsinhanga Gono era de esperar, seu enter fi muito concortida ¢ feito a pé com um denso acompanbamento. De onde ele ‘iorava, a cemitério de inkaima, era um bom pedago; sas os seus amigos a nade quisram ater. Resolveram levé-lo mesmo pé. Lora, ¢n0 trajeto, por tudo que era boteguin ctaveona por que passavam, bebiam, «se ago. Quand o caminho se tornoa mais desert ae ‘ conduores do esquife dixavam-no na borda da estrada ‘iam a taverna “éesalterat™, Noma das tims etapas do ‘tinerdro, os que earepavam seslveram de matuo acordo deixar o pesado ard paraos outroseencaminaram-se su -repiciamente™poraa pora do comiéri, Tanto estes como Gandara Bsc ojo dba © "Gosia pss see Sb jeanne orterameate ‘demas ~ ede teas a consenigacia dizer | estvam bem transtornados pelo sleoel. Outro grupo concordou fazer 0 mesmo que tinhant feta os careepadores dos despojos mor taisde Catarinos um outro, ier, assim, todo @ acornpa- nhamento dividide em geupes, tomouo rumede portio do campo santo, deixanda 0 caixao finebre com ceiver de Catarino deat abandopado margeen da estrada, [Na porta do cemitério, cada um esperava ver chega © esquife pelas mos de outros que no as deles; mas nada de chegar. Um, mais audaz, apésalgum tempo de espera, dlirigindo-s a todos os companheiros, disse bem alo ~ Queten ver que peidemtos o defunto? ~ Como# perguntaram os outres, a uma vor ~ Ele nio aparece ¢ estamos todos aqui, refleti 0 da iniciaiva. ~ B verdad, fer outeo Alguém entio aventou = Vamos procuri-lo. Nio seria melhor? todas voltaram sobre os seus passes, par procurar squelaaguiha em palhelzo. ‘Tristes enters de Tnhaima! Nie fossem essa tintas pinturescas™ pitorescas™ deque vos revestis de quando.em quando de quanta reflexo acabrunkadora” nao haviels de sugeriraos que vos vem passa e como ndo convencereis tambéaa des que « maior dor desta vida nao & moreer. Careta, Rio, 2618/1922 inlets petra de pits phere arnt, dilerris “ Actnastsloc deprinete a6 POSEACIO. PREEACIO A SEGUNDA EDIGAO DE BAGATELAS Asraoytepo PrRsitA 3 advertenca seria para justificar a publicagto do ‘lure Hagarslas, Tima Barreto avist as letores que (0s artigos ai enfelxadas haviam aparecido primtivamente “ern revistes eornais modestos”! Ha um pouco de exagero ro aviso, visto que boa parte de tis artigos saicam antes em revislas ett em jornaisnio de todo muito “modesto com era oaso, por exemple, do ABCedo Fj, semansrios cariocas que desrutaram, em ceria epoca, de considerivel ‘otoriedade pobtica cliterdria, Mas fito& que Sima Barreto so gostava da grande imprensa ~eas Recondavdes do Dicr- vite sais Caminka constuer justamentea mais express demonstragio dese, digamos desomor, pera nip empregit palavra mais éspera. Os peqenos periédicos, de vida diffe Ceftmena ~ "pequetas revista ejrnals obscures aos quals ninguém da importanea”~ € que mereciam as suas prefe- renclas, ea eles, alm de dar muitas vez sua colaborog0 desinteressada, sempre sereferia com verdaein teria. Tareas tes aptly espa. ads ho olvrtnreat deception feafenelncstareedktnqiemenprnselsra rept marca open pie a So Frequentes, mesmo na sta obra de Begio, as ceferén- ciascordiais em favor da pequena imprensa. No Gonzaga de Sil sobretudo, ha duas pessegens desst natureza mit sigak ficativas, Gonzaga, homer de cultura geral, ia regularment numerosas revistas esteangeiras a comegar pela venesanda ‘Revue des Dewy Mondes, queera"a que mais queria. citava”, ‘Masri apreciavaas nossa, dizi, porquelhe pareclam ent cinigues demais ~ alusio a certo tipo de revistasilustradas ‘mais mundanas do quelbiteratias, ainda hoje predaminantes| centre nds. “Abriaentretanto exceci” ~acrescentava Gonzaga "para as obscuras para os joraisilustradas metesicos™* Explicando os motivos desse gosto e dessas preferéncias, & claro que o romancista atripuia ao seu pessonagem opini’es {gue eram na realdade as suss préprias. “Gosto dos jornais| dobscuras, dos jornais dos que iniciam” ~ repetia Gonzaga, ‘mais tarde, ao seu arnigo Machado, E acentuava © seu ponto «de vistas", posto dos comegas, da obscura lula entre a inte ligencia ea palavra, das singuleridades, das extravagincias da livre ou buscada invengdo dos principiantes”? estas palavras nos mestram que havia, na preferéneia cordial de Lima Barreto pela pequena imprensa, algo mais «que simples simpatia ou inclinagao de momento, He ber sabia e compreendia o que tais publicacbes, fruto de ente- siasmo e do sicifico de jovens cheios de confianga na vida, representam como potencial de Intelighncin renovadora e criadora, le se sentn plenamente slidario com elas, como cestava sempre salidario com todos aqueles que se bation, Fosse onde fosse, por alguma coisa sinceramente colocada, acinna de mesquinhos inieresses pessoas. © Vie ore de Govinge de Bra Mer, 1949 p83 emp abe ngui recordar que Lima Barreto pagow tambérs 1 tebato juvenil de entusiasmo e sacrificio, editanda tama pequena revista, chamada loreal, ai pelosfins de 1907, Pode se alidsaflemar que esta revistinha, pobre e efémera, pertence ao nimero daguelas que do ravo faze verdadeira Thera, abrindy caminho aos movimentos de renovas io literdvia ¢ artistica. © fato deter 0 seu nome ligado a0 de Lima Barreto basta, com efeto, para assegurar a inclasdo die Fioveal na historia de literatura brasileira, Tanto wvais {quanto se sabe que fo nas sts piginas modestissimas que atparecerar, pela primaira ver as Recordagoes do Bscrivio Tsaias Gavainha, Lerabrarei ainda que fi Jost Verissioo, 8 sua Revista hiterdria publicada semenalmente no fornal do ‘Comiércio, quem descobriv lima Bacteto rgistrondo 0 apa recimento de Hlareal como uma excegao no meio de ontras publicagdes insifniicantes, Dizi 0 eriico: _Abrounajosa ace, quenio dsj igueeorm pece ent, para ta magre hoshnrazns que com onome SspotanosodeFomal yo ukimanent yc, comb {tom antigeSpenceranne Anargua do Senbor H.R beinede Aleit, eoomego deumannvela Rvs th Perv fias Cama, peo Senor Lime Bartto, sto qua etal decubriaigors coisa, Baserlos com thn ipa eaobriedade, jt gus sentiento ‘eestl que onroboram es impress? Sag aor Vn Marton "Breve ot com qe steve. eee Recon io fsrhs bal Caminh, Rio Sexi, Pte alone eramo,ifom opulido P ieconduiaSeSuedvembra de 907 Preseason cee vnc spad da ei Peal events pb pepES Tine enna recto esc a nse de cra atl oct acne eborfoxe Versi fhe ve aru mn tondee- Fe ua srpest pares na erase pris cao Bourse on ugue dove ‘A malor parte dos aztigos de jornal eseritos por Lime Barreto foi publieada durante os anos 1918 ¢ 1922. Neste volume, que ele mesmo organizou’ seb o titulo de Bagatelas, ceditado ji depois da sua morte, hi alguns datades ce bem antes, mas a maioria, sent excluir os que aparecerm sem dala, Ede 19182 1920, importante fixar estas datas, para melhor compreensio do tom, do sentido e do aleance que possuem 9s principais artigos aqui recothidos. Sao artigos eseritos «durante os times meses da Primeira Guerea Mundial © nos anos que se seguiram, quer dizer, escritos num tempo |queassinalouo advento da maior e mais profunda revolugio social de todaa historia da hurmanidade~2 Grande Revolugio Socialista de Outubro, Nelesexpésoautor “algumasteflexties sobre fats, coisas cchomens da nossa tera" ~sio palavras suas na advert, ‘Da nossa torrae de outras toras, conviria acrescentar, pois em mais de uma pagina se encontram aqui opinides acerca dle acontecimentos internacionais, e mesmo quando 0 ar- ticulista trata de homens, coisas e fatos nacionais, stu eles inelutavelmente examinados Juz dos aconteclmentos que eral anolvameate nt prior asa dasa cratograe que tlemocsjecnesedsinguilacoma cso ness Ea dae ‘ove, Senor [st Vea efx dv acm tens apr ot As su plia de sipatia inlet de quem 2 de, tom pata ‘osu lr xn” (Pare comen ein, dt de 3 kerb de 97 > aetna qe em Lm ance praia wlan, fst ditad ce 1 W1913 Ovolome conn sn ent mato ati + ‘oe parte mene pbs proms dla poser qu lon ‘persir um cgine ou eto ie ostor os aie acne aceon ‘Mpotedeereias advert Inlinana ate pla pretence, se dettesarnos uma tear querer caeoneotsen Seam 6 shalavam osunde, Nem podiadesardeserasin,trmana a presso histrico de ais aconteimentos, Osasigo de Lima Beret so esrtos maguela maneira cortentia familar por vezes propesitadamete desided, que caracterizao seu estilo, que era nee também ums firma de inconforinismo 2 protest contra a bias onmnatismo ‘ratio, que predominavano “est” do tempo. Mas, descon- tals cits exageros (ou que nos parecem iis io muitas sexes efras de revisbo~ na maior parte devidos a wma eta confessadamente ruin’ ~ de que se acham ingedos 0s seus tigos ivos), a sua prosa largada possi excelentes quali- dades decxpresi, esto se eve segundo suponto,& prepa naurera de seu contetdo, que revela com simplicidade€ sinceridade os mais peofnndos pensamentos e sentiments doescritor, Lima Barreto nao ea tio pouco umvariicalistade tizo estitamente jormalistico mas um escrtan, seguro de st eda sua obra, que se servi das piginas de jomais eevistas pars opin, critica; peotestar ea per disso, frequentemente, registrars suas reminiscéncias,memiirlaseconfssbes pes sos Sem ser mt paniltie profissonal,imprimin a masts cos seus artigos figao prdpria de Aspera critica politica socal ¢ fain da sia de costumes ema arma pecmatente dle combate. So as reesmas coraterstcas que se eneontram na sia brace igo eque nosseusartigos aprecem,naturalmente ddemodo mas dietoc desnud. Eeuacrdito que io se pode ‘Vraialeat wm iletedelori Anvzesl me dia, outs eee tiomecence ates ata ieee Bo dear expo u0s Ineosteores poses abarlahs repaid, tan saad cs de ‘Pera capa, Ni halt gu wena eat extn fi Sneeze me peal coms gaat, peme etd om esac rtm de os sea a” a Mj Ens Mv sp Ange ee provanenm 91, aprolundar o conhecimento ea compreensio da sua obra de cede sem se conhece ecompreenderaselexdes€ memiias «gue nos deixou sob a forma de artigos erdnicas de jornl E huje opinio undnime da critic, entte nis, considera Lima Berreto um dos nossos maiores romancstas. Poems avangar, sem susta de erro, que ele fgura por igual entce os ‘nossos melhores auiores de crimicas eartigns de jarnal. Os volumes deste ginero que se publicatam depoisda ua morte, Inclusive Ragetetas, confrmam plenamente asserezo, Ditsi ‘mais: nenhum dos esritore da sua geragio, colaboradores dla grande imprensa, pose sercomparada acl tambéra neste particular? Nenhum dos outros scube como ele penctrar a sentido rofunde desacontecimentos que se deseneelavam aos olhos dle todos. Nenhum dos outros oi capaz de pecceber impor tinciahistica da Revohugio Russs de 1917, nentauns deles pode rvalizar com Lima Barreto no que se refere a instinto seguro da sua visio relativamente as problemas politicos & scias do apds-guce Os outros era fil eitaros nomes enti mas fama sos: tim Antonio Torres, um Azevedo Amaral, um jackson de Figueiredo, um Gilherto Amado, este dtimo ainda viva = eram atticulistas identiticados com os interesses a ideo- Igin das classes dominantes, ao passo que Lima Barteio permanecia iotransigente na sua posig3o de escltar que jamais se desligaria do povo c em tudo que escreviavisava sempre combater @ opressio e a exploragéo que pesavam sobre o povo softedor. Texan csrovne devin an.commair ne Deming ior titunbnsackp eeyrii De isi ile Sram morose at sto reser stern hs rtp ms Lima Barreto ni era win marxsta, Jonge disso, nem se pode visiumbrar nos seus escrtos nenhum pend para trabalhose studs tedricas que o levassern a uma adesio pena is concepgies ilosfias do marzo. Des overt se afizera a0 rato dos vos, mas sua formagio sofia do ral rruito comarn do eletisma, uma eerta mistura de mater Fismo positivist de iberalisme spenceriana, deanarquisino Kcopetkiniano e de outrosingredintessemelhantes. Nascido, no entan, de familia pobre, viendo sempre na pobreza ¢ : meiode gente pobre, fer-seesritor por eocagia—esrloe hhonestoeconsciente da sa condigio. Como tal encarava 4 realidade et a frte, com um agudo poder deobservagio, cchontadament exprnwa 0 que pensava esembin acerca dos problemas queatetavana vida do nosso povo.Poisso,crlo fe, que Lima Barreto, ni obstanteas nsuficienciascda sua rmagie cultural, pode esoube ver a cosas smto melhor que os escrtorese acticulstas que pontificavam na grande imprense do sea tempo. esta posigio de escritor pobre honrado, fez Lima Ra reto uma trincheira de que jamais desertara,eservindo-se dos eos que he erm proprio partsipou do bom combate ea favor do pove brusilexo e da humankdade progress Seu emprego na Secretaria da Guerra ~ cargo alés bern ‘modesto ~ refreava he os impetoss masisso mesmo até ceri pontoapenas,conforme veioa declarer, depois deaposen- tado,em artigo de 198: "Durante as quite ou dezeseisanos «que guardeias convenigacias da minha stuagaoburocritica, omprimi multe custo a mina indlgnacio ehouvemesine ‘momentos en que el, desta ou daquel forma, arrebento,” ‘Un desses momentos oimarcado pol Palicarpo Quaresma, os sitira politica sem igual no romance brasleio ~e stirs era «que o romancista 2urzia precisamente os homens, 0s cost ‘mes ¢ 06 vielos da meio no qual exercia asus funcdo buro~ critica, retratando ao mesmo tenspe, com mio vingadora, todo am periodo conturbaca da nasa historia. Vencida por fim a harreira burnexalica, pode Lima Bar- retoenregar-se mais ertamente& sua taefi de articulista Fatava em plena macuridde, a que chegara depois de muitos anos de vida ebscura e dificil, Lm artigo datado de margo de 1922, algons meses antes de finar-se, completava o que jdhavia dito em 1918, referindo-se ao “esforgosilencioso © sificarmns que de, por aguda intugioe por experiacia pr pia sabia quase sempre nortearo seu pense pek bom catsinho, iso precisamente ¢ gue confere aos seus artigos © ‘omentiios de oznal uma substincia duradoaraye conttiint ‘xmboa medida para uma compreensio mals profurda dasua ‘obra feclonisa ‘Quando ele toma da pena enfermo e pres um eto de hospital ~ pt defender, conta tudo e conta todos, os previs tas perseguidos e caluniados, nao hi nessa tide wn simples movimento de comisragAoonpiedae peas vita da ego, rmasantesaexpescocireustancal de uma attudepermanente de combate das 2s formas de opresio politic socal Entre os seus artigos recolhidas neste volun, figura sob o titulo “Sao Paulo eos estrangeiros’, datado de 1917, todo eleconsagrado i defesa dos eperaris paulistas, que avian Gesencadentoa grande greve daguele ano. Defendendo 0s ‘peraris grevistas conta as asbitrariedades ebrutalidades da reacio polcial 0 articulistadefendia consequenternente asliberdades demioertica,esperinhadas no entanto por ‘um gover abertamentea servico dos potoesveseinsirgia contra oagodamento com que 0 Conggesso Nacional wotva ay eis de excegoexighlas pela grande burguesia pauls, ‘muito embora contafeiasao espisite da Constiuiga Federal ‘Rem enendido,e quemaiso preocupava,na it entio em dbefsa das angulasconstituclonais, nora propriamentes Constnuig, nas sim a stuagie dos gevistas. Havia neem seguro instito, senzo uma conscéncia clare, que kevavas —Fiiodo Te Veloto oem qu Frm. Pree uo plano ido Peloshle cep re Pin, bora Nero, 958 012), aproximar-se cada vex.mais da classe eperitia' se hem que ‘tinda sem uma compreensio precisa do pupel histovico da classe operdria como tal, ao denvniciaraagio liberticida dasctasses dominantes ‘plutocraras” como dizi ~ Lima Barretoacentuavaa sua ‘opinito: “Reliro-me aco dos plutocratas, da sua inlugncla seguida, constante, diuina ¢ noturna, sobre as eis € sobre fs governantes, em prol do seu insacivel enriquecimento". Emboraincidindo em certas confuses, que no dificil apontar nos seusesertas, ofate€ que o tor de Bagatelasndo se iludi sobre ocariter de classe do poder, quo preve geral de 1917 em Sio Paulo se encarregava de por a descoberto, 0 trecho acima teanscrite 6 bastante clara a este respoito, Ha orem uma passager, no artigo “Vera Zasslicich”, em que ‘oseu pensamento apatece formulado em termosainda mais ‘elaros, ao escrever que ~ bE xadostualéodinheroe odiahera da burguesia que scasbars, que fomestagueras, gue devavencimentos, pats aumenlar 0 impiatseofempestions de med drones pera sezast ent forte tndo oar etadoo sage do pas em farm de reco jurasde apace. Po “plurocratas” questa designar, 20 que parece, nfo sb cs grandes capitalistas, mas também os grandes fazendeiros ce senhores de terra, pais combatia indiseriminadamente a unsea outros, Combatiao latifiindlo e reclamava a refosma agritla como condigio indispensivel ao livre desenvolvimente da Torah decane seen nig tess do cans ‘cnomit nacional, rato disso mais de una ye, sobretudo no artigormanifesto aque dew tito de “Noajastede con- tas.” e no artigo que escreveu sobre a iro Plena Vital Ge Monteto Lobato, Vital pasa este timo, rao problema Ga side. Para Lima Barreto, o problema da sate eava Iigado-e dependia mesmo do problema da terra este, st, ‘un problema val, Fundamental Era preciso, antes de mais ‘ada, liquidar olattindio “divdirapropriadade agricola, dara propriedade da terra 20 que efetvamente cava a terra ¢ plantaenio ao ost vagebundo eparasit, que vive m Casi Geande ot no Rio ou em Sio Pau” ‘Mas no s6 em artigos de jornal-recolhidos neste enon ‘ros lumes de pablleao pdstuma~abordou Lima Barret 6 problema da terra, Era um escritor da cidade, nascidoe cadono ito de Janeiro, de onde munca se afastou sendoem sara ebrevesestadase alum pequena cidade do interior: [uvetanto, por suas preocupapSes de erdem patteae soca, ra natoralmentelevado interessar-se pelos problemas nacionais em conjunto eda o seu interesse pela questao grits cujaimportinciafundamentalnio lhe escapava, num pais como 0 Brasil yvendo ainda em condiéessemifeudais de exploragao ds terra, Conbeeia a questaoe dela cogitou sso spenas através de comentéros na imprensa,em ocsibes diferentes, mas de maneia ainda mais aprofundada, através da sua obra de esto, e muite om particular nos romances Policarpo Quaresma e Nuraa ea Mf Em. Nuns ea Ninf,rornankista po am, precisa, ale gunsaspectesquermdhorcaracteriram asta da agricul Uyasiea.eoromance,queéuma stra doscostames poiicos da épocs, tem como cento principal da sa azo o Minis do Forenio Nacional no de bureratase charted ior spice, O quadro groteco éaitragado com mio de mestre, sw squivalea uma ctcaextremmente sverada maneira pela qual ‘ogoveeno delatfunddrios uscaperturbar eengodara opiniso dots acerca do fomento da agecultura nacional No Peiicarpo Quaresma,o romaneista trata diretamente da sacdo de miséria em que vivem os trabalhadores agti- colas,eaponta olatfiindie coma a causa daseausas de todas as calammidades que atormentam as populagies do interior dopais, ‘Asilusdes primeiro e depois asdesilusdies do Major Polt- carpe Quaresnna estayam intimament ligadas as condigdes da-vida roral brasileira. Em contato pessoal com a dura realidad existente na raga a sua alia quixotesca softia e sangeavar s.stuags gel que o cerca, equcl mise ma pope Ingle campesie que nunca sspears, agucle abaatone deterred inprodutvidade,encamiahayamsuaainade patcotameditivoa preocupagieeangantions” “Também a sua afilhada Olga, em visita a0 sitio Sossego, ao qualo padrinko depasitava tio grandes esperancas de trabalho ¢ de agéo social, nfo tardou a perceber que havia ali algo de ertado e monsteuose. (ge mii impresonn no passa mist geal afta decutivoya pobreza daseass.o mite abuido da gene pobre: Educada ma cidud al ta dos rceios sia de gue eram fies saudivese alegcs, Havendo tanto bao, antigua, por qu as casas mio eam de t+ jplose oo inka els ra sennpee aque sae sinisto ‘ agelespapa que denaea vera ame das ats, como ‘csqueles dem foemte Porque ao rer oss casas ‘ao havin cuturas uma hora, um pomar? Nav sein ho Gl raalhode horas Endo hava gad, nem grande Tine Findon Ganon, Gri fsbo rans I, a8 sm pequon, Er ao una cbt, un cue, Porgui® Mesa nas stds, oexpeticula noe mais anima. Todassotuemus bai, quate vers opooaralemtee ahora scaler, A no ar cae um eral agul eal ela io pode ver ote aura uta inti ape, N odie ser reget on 3 inden. Paras gst, yo ‘opp honkrtensempreenergia para taba” ‘Olga indagava desi mesina ~ por que tudo aqui seria da terra? que seria? todas caus quests desaivim au curioidade, sev dejo de saber, «também asia podade estnpl por ageles pirias, matrpithos, mal alos, alee com fone, sorumitco..» Peasouem set homens Se ‘fos passria ale cmoutaslocalidades mess 210, Jagr, obvervasiaecomcertezahavia deencontar 0 notice renin Aguilera sugandecampants “dada Medi ecomogo da mss ea fs alia 4 La eure que inh eee humane anil.” ‘Ao dia seguint,o traballhador Felizardo, com quem ela conversa, fez-Ihe vislunibrara realidade, em algumas res postass suas perguntas: Sted i pensandouaa eisieacosa Cour. Tera ring ns Goveno nde gost des. As respostas tedpegas mas concrelas do socetrofizeroim rnascer no seu espirito novas indagectes Ea terra nin era del? Mas de quem era eno, tants tert aandonada qe sencontcava por ai Uo ira faaenaa fechas, conta casaserrunas.Por que esse acaparatents ets atone npeodutiost™ om p BESS. lem pss hem pS ‘O major Policarpos6 veioa compreender averdade muito depois dese estabelecer em Sossego, a cabo de wen sem fina de caaseiras catribulagies, delongae mesqainha luta contra saesmagidora pressie de um meio atrasado ~a rating, aleia autoridade, 0 fisco, 0 mandanismo, # cortupgao.. Bis como fo romanelstadescteve a regio produzida na mente do sea hers por aquele desabar de ardentesilusbes: ‘Nlursethefernoporsamenio. Aquela dedi depos: tres. de chilis de reves mas nos dese regs, deta caiguts, se tansfrmaes es pote, em pole Insrusen despises paratorturarosinimigs.opinit ss populgbes, revtardhesaincitiva ea indepen, lass. desmealaande-as, Pabsseus les pas Sram mam nstaregil ces mnareados echupades “guescenentesan nes porass veasprequionamete, ‘tame eguelaseaangasmaltrapfise us de ahs ‘ios, acmaardiyadanentepassesradaevinaqies tera abandons prodaes entrees iservs I sets daninbes;vinsindan denser de liao, omen Tao abla, em dni depatar um griode lho em eas ebebend todo inte ques pasa alas mins eto qualo pssou Ihe plsolosenm apt ‘tits den relimpses. ‘Masa lie do relimpago serviu também para laminar inelhor # sew entendimento « fazer The perceber em pro- fundidade que o grande problema no podta ser reselvide ‘parcialmente, com pequenas medidas de boa vontade indisi- ‘dual, mas exigia, plo contrério, grandes e tadicaissolugdes de natuveza coletiva rapestivo tables more mn profondes torre ecessrioetavet sant Faglnasa um gover rrr, espitdo, nlgents removend ides esex dim ps ae ices estes ena, Sally Henrique I, xpalhande “ib leapt levotand ocular. Ft sin! ‘Geceno surgiia es pan estar el Sully ¢ Henrique FY ertram ai, um poueo anacronica mente, & conta da exaltagdo guixotesca do Major Policarpor thas © peasamento da reforma agrétia, como deve ela ser resolvida em nossos dias, sobretuda depois da Revolucho Russa, esti hea claramente subentendido nas palavras do indefeso e aspera patriota, que no caso exprimia © proprio pensamento do romancista Lima Barreto chegow também acompreender 0 que hava dlefundomental vo cariteriperalistada guest de 19141918 Em numerosaspassaprs deste volume sencontram comer Airiosdedicados Primera Guerra Muruiahao seu carter © ‘suns cousequinctas 'No final desse mesmo artigo de 1917, escrito propésite a grove gral de Si Paul, rfere-se autor 20 “esto dow tspeculaores” que firram da guerra motvos de pingues negocios, Na*Carta aberta”a Rodrigues Alves, aque j 0s reporiames alaigualmentedosespeculadores que entre ns tmvigueceram “coma guerra, par todos os mia ito ei titoshonestos,eimorats, de mios dadas com as atoridoes prblicas eos representantes do pore". Em “Homer ox boi tle cange’, que vem j no fan do volume, sera data, eserevin Sobre a entrada do Broil na gues cama gu fume meno de parte pte Vimos, agora, depois(-} que velo tone nasa dos San haves} cuno ¢ porque nds entranos na guetta: come sstdvamos ameagats de morte a milares ne none {hs Franga,unicamete path qe alone espeladores tambassem, em suma, dis ou mas hers de cont. ise gta, ts etn, ‘Xo artigo “Sto capazes de do.” datad de janeiro de 1919, Lima Borreto procede a um balango das suasatitudes, ainda vacilantes no comese da gucrr de 1914-1918, Logoque reioa pereeber a que havia de lato per tis da propaganda de un lado edo outro, manifestou abertamente asta total condenacio atm confito que pznasrefetiaas contadiches de interssesentreas grandes poténcas imperialists. Cousequentemente, denunciou a farsa rontada er Ver- sales pelos veneedores para citar “un trataco de paz ctjas contigs lausulasrazem no boo outrasguerrasfuturas” {artigo “A missia dos wtepisias”). Jem artigo publicado alguns dias antes, "As ligbes da Grande Guerta,profigara a Conferénea de Vrsalhes, nos seguites temas: sts Confirms da assem Veralhese 2 parquedéla ssirnag rssh ii sama, porque nad ie de {oa enum eatho lngo bane, de acodcom as rates ppiragds dons epe, qe ado que mais fesoler omen do psd epi naan, ‘vs, ors unaprpreiea” Net pont gut ava nonhara sao “Ainge de consceea pers zor ques pacha de Verses sa preparer ‘pir ou ap ad Dstezaols nes Jas Weta guar, ma gues ese gu ‘Conteaasinsta farsa que es imperalistasrepresentavam «em Versales,preparandoo jogo para futurasgoertas, proves tava o eseritor brasileira em nome de uina paz vendadeia, gue atendesse aos reas interesses da hummauidade progressista. ppazera parade, cima detudo, uma necessdadehistériea que foaulmita duns interpretagiesyea sua defess, por conscqué cia, uma questio de principio que ndo admitia transigicias: orga’ fds ctisasfo fe daguersa 6a par, cone _chndisenteoshonens diferentes raga de dherenies paces do planet sprowetamente dasapides decads fagiou.de cada pow para oi altimo do bem estar de fodoso omens. Ao conte, ad ea set algun, 4 0s escrtos de Lima Barreto frequents referéneias ‘livros que len sobre coisas americanas, ¢ nao é descabido suupor que a sua curiosidade em conhecera vida americana teve coma ponto de partida « questo do teatamento dado 40s negros, nos Kstados Unidos, ainda depots de liquidada 4 escravidio, Muito teria aproveltado, neste sentide, com a Teitura do iamoso pan‘lete de Eduardo Prado, lusao Ame: ricima, onde ha mesmo uma pagina em que autor denuncia © papel zepresentado por navios negreiras americanos 10 teitico de eseravos para. Brasil.” Taam avn ge contitaiom a ftedos Uno par a duasto ddesnvtnrav ial pn fre ano do sous aati por {erie on tnidos ceca dene loge da probere do Bes Fea rata gid da Amiri do Norte Noo devemos porn teste sector contami pare o Maco fresno rs Prsete Fyn mene apm fee desembn e149, fan bo poe nea us ne ee poems consrules not "salos Unidos perencoeraaerctnes teplaosecaeiaes por -ipicrnm Fin deve eats alr aco do gue ws ‘rn unas peedeilde 156 us evel queso Sfcancemcntie nt Estados Unis mts deo sats Dente ss as provandagenade prt ut or terconae do Bess Ent ntl descsemon depots orsmerade do C05 ‘W-E dinlsonamecans, dole presaco na gag ae {So de aso nn ade jab de ise captan Arneson lo 36 Provavelmente, Lima Barreto teria também estudado ‘problema das ragas em obras de alguns propugnadores ‘de “teorias” racists, tao em moda no século XIX, gue no séoulo presente se extremaram no hitlerismo e ainda hoje inspiram 0 comportamento dos super-honens fangues em telagao aos negros, 20s indios eds demas raga “ineviores” lentes no mundo, O resultado de tas estudos pode ser avaliado pelo tom desdeahoso com que ser refer a seme- Ihantes "tedricos” ~ “os tais Ammon, Lapouge, Gobinean & ‘outros trapalhesantropélogose einograficos”"O autor de Bagatzlasnao viveu bastante para comhecer os" sbios” do I Reich; mas no sew tempo acompanhava de pert a pratica americana da diseriminagao racial, com o segregamento €0 linchamento de negros ploslourose puritans, descendentes de trafieanes, piratas eaventureias anglo-saniis, ‘Mas o preconceito racial, sc era, como & de ft, mais agudo ¢ mais brutal nos Estados Unidos, ele sentia aqui também na tera brasileira, eo sentia bem a sua volta, pode- se dizer que na soa propria pele de mula, A sua revolta€ 6 seu protesto contra as consequéncias deta preconceita se -manifestam, direta ou indiretamente, em mais de um passa da sua obra inclusive na sua abra de fcgdo principalmente no 8, eo sonesimen de sa Cpa aera gue cance depose ct napa er lp dacomprae te eon hoamericter pata lt Referred Andean sous ae ‘ean, Franck Sth, gue ab or mela © mls rcs 0 ed desc, renee ee depoinest, guia Seamed Clapp ede Sth como grander erent quedo mint, Jeon abu ds Tod: Unis O cpa de ners rovdotoncvarindstenet anorda Re mcs een croton oss rans sre” (Coad Prades aa Arar, move ir Hsp. 2722 Mant. a Isis Cantina ona Clava dos Anjos, esta eaquele eriaturas decor, da mesma cor do romaneista que as criou. ‘Com relagio, prem, aos Estados Unidos, otros motivos havi de ordem histéricae socialégica, que alimentavam os ‘sentimentos anti-ianques da nosso grande escritor negro. Nao negava “as qualidades do individuo americano’: 0 q a tolerava, o que Ihe causava arrepios a sensibiidade € tazao era o chamado “estilo de vida” que a burguesia norte americana pretende apresentar ao amindo como palrig ‘deal da sociedade capitalista, o suprassumo da ordem e da prosperidade, Dai os seus repetidos remoques 4 hipocrisia ‘norte-americana”2, ans "hipderitas estadunidenses"', ao “brutal e odioso Estados Unidos” Divia que “o fundo do espitito americano éa brutalidade, 0 monstruoso, 0 arqut sigantesco”,e por isso denunciava com sareasmo aqueles| «que entre nds se embasbacavam dante do colosso: "Nos 86 ‘vemos dos Fstados Unidos o verso, no vemos 0 revers0 ot) ‘oavessose este é repugnante, vile horroreso".” ‘Alem do problema do negro, o que mas Ihe interessava ‘era histiria das relagdes dos Estados Unidos com outros palses: “Fui estudar alguma coisa da historia das relagbes| Jangues com outros Pstados estrangeiros; édeplorivel & bei de felonias”” Essas eituras robustecerama sa conviccio de .queos proceso polities des Estados Unidossdoosmais ‘gnbispoetee;qualestim potodosnisumdesprezo ‘anes ehorihante quequand fale iberais, lien pe Teer pS ler, p ‘Arg none ua em Baga sie po os pe ozs cisasbonitas