Sei sulla pagina 1di 28
Profa. Meg Gomes
Profa. Meg Gomes

Profa. Meg Gomes

Psicologia Comportamental

Foco: processos de aprendizagem

Método: condicionamento = aprendizagem

Filosofia: behaviorista

Prática psicológica: Análise do comportamento

Metodologia: Análise experimental do comportamento

Behaviorismo

Pressupostos:

Comportamento é multideterminado

Comportamento é aprendido

Análise do comportamento e não de suas causas subjacentes

2 Fases:

Behaviorismo Metodológico Behaviorismo Radical

Behaviorismo Metodológico  John B. WATSON  1912: funda o behaviorismo
Behaviorismo
Metodológico
 John B. WATSON
 1912: funda o behaviorismo

Manifesto: “A Psicologia como o behaviorista a vê”

Negava a existência da mente como causa de comportamentos Hereditariedade e Ambientalismo → Interacionismo

Estudo da psicologia de maneira objetiva:

comportamentos observáveis - O fato observável

deveria explicar outro fato observável, e não dar

origem a um conceito

Descrição, explicação, predição e controle

Behaviorismo Metodológico

Dê-me uma dúzia de bebês saudáveis e bem-formados e

um mundo especificado por mim para criá-los, que garanto escolher qualquer um ao acaso e treiná-lo para tornar-se qualquer tipo de especialista que eu escolher médico,

advogado, artista, comerciante e, sim, até mesmo mendigo

e ladrão, independentemente de seus talentos, inclinações, tendências, habilidades, vocações e da raça de seus ancestrais”.

John B. Watson

O

Reflexo

Reflexo

Reflexo = preparação mínima que os organismos têm para começar a interagir com seu ambiente para ter chances de sobreviver.

É uma relação entre estímulo resposta

sobreviver.  É uma relação entre estímulo resposta S – R  ESTÍMULO: parte ou mudança

S R

ESTÍMULO: parte ou mudança em parte do ambiente

RESPOSTA: parte ou mudança em parte no organismo

 RESPOSTA: parte ou mudança em parte no organismo Ex: sucção no recém-nascido, reflexo de preensão,

Ex: sucção no recém-nascido, reflexo de preensão, reflexo patelar

Reflexo, Estímulo e Resposta

Uma mudança no ambiente (estímulo S) produz determinada mudança no organismo (resposta R).

O estímulo elicia a resposta

ambiente (estímulo – S) produz determinada mudança no organismo (resposta – R). O estímulo elicia a
HABITUAÇÃO : quando um mesmo estímulo é apresentado várias vezes em curtos intervalos de tempo,

HABITUAÇÃO: quando um mesmo estímulo é apresentado várias vezes em curtos intervalos de tempo, na mesma

intensidade, há um decréscimo na magnitude da resposta.

Ex: cortar cebolas para uma refeição para um número grande de pessoas.

POTENCIAÇÃO: aumento da sensibilização ao reflexo.

Ex: professor que fala muito “ok”.

Reflexo pode ser aprendido

Capacidade de aprender novos reflexos

Reagir de formas diferentes a novos estímulos

Ex: alguns animais já “nascem sabendo” que não podem comer uma fruta de cor amarela, a qual é venenosa (História Filogenética). A toxina, inatamente, produz vômitos e náusea. Ao comer a fruta amarela, o animal terá essas respostas eliciadas por esse estímulo (toxina). Após tal evento, o animal poderá passar a sentir náuseas ao ver a fruta anarela e não mais a comerá, diminuindo as chances de morrer envenenado.

A resposta de náusea diante do estímulo fruta amarela é um

reflexo aprendido.

Condicionamento

Pavloviano,

Condicionamento Pavloviano, Respondente ou Clássico  Ivan PAVLOV e o estudo das leis do reflexo 

Respondente ou Clássico

Ivan PAVLOV e o estudo das leis do reflexo salivação em cães 1ª abordagem científica no estudo da aprendizagem

e o estudo das leis do reflexo  salivação em cães  1ª abordagem científica no
e o estudo das leis do reflexo  salivação em cães  1ª abordagem científica no

Condicionamento Pavloviano

Condicionamento Pavloviano

Do Reflexo condicionado para o

Condicionamento respondente

Um reflexo é condicionado a partir de outro existente. Componentes do condicionamento:

SI - Estímulo incondicionado (comida)

RI - Resposta incondicionada - involuntária (salivação)

SC - Estímulo condicionado - antes era neutro SN (som)

RC - Resposta condicionada - aprendida (salivação na presença do som relação S-R)

Fatores que influenciam o condicionamento respondente

Frequência dos emparelhamentos

SI com SN frequente RC forte

Obs.: se o evento for muito traumático bastará um.

Intensidade do SI

S forte condicionamento rápido

Ex: jato de água

O Reflexo e as emoções

Nascemos para ter algumas respostas emocionais valor de sobrevivência

Diz respeito à FISIOLOGIA.

Elas ocorrem em função de determinadas situações, mesmo que esta não seja aparente. Estímulos podem ser um pensamento, uma lembrança, uma música, uma palavra

Ex: medo (glândulas supra-renais secretam adrenalina, os vasos

sanguíneos periféricos contraem-se e o sangue concentra-se

nos músculos. Pessoa fica “branca” de medo. )

O condicionamento respondente e as emoções

A aprendizagem das Emoções

Se os organismos podem aprender novos reflexos, podem também aprender a sentir emoções (respostas emocionais) que não estão presentes em seu repertório

comportamental quando nascem.

“Na hora não consegui controlar (a emoção)”

É difícil controlar emoções, pois elas são respostas reflexas (respondentes)

Outros exemplos condicionamento respondente

a) ao dirigir quando está chovendo, sofre um acidente -

medo de dirigir quando estiver chovendo.

b) ter passado por situação de constrangimento em público - medo de falar em público

c) passou por dor quando a enfermeira não achou a veia no

momento de aplicar a injeção medo de injeção

d) ter caído de algum lugar relativamente alto

(mesa, cadeira, etc) perspectiva/visão da altura - medo de altura

e) situações prazerosas/pessoas/objetos em uma

propaganda (SI) emparelhadas com o produto que se quer

vender (SN)

altura e) situações prazerosas/pessoas/objetos em uma propaganda (SI) emparelhadas com o produto que se quer vender

Vídeo: O pequeno Albert e medo condicionado

Vídeo: O pequeno Albert e medo condicionado

As palavras também podem

condicionar

É comum que palavras como “feio”, “errado”, “burro”, “estúpido” sejam ouvidas em situações de punição (Ex: surra)

Quando apanhamos, sentimos dor, choramos e, em muitas vezes, ficamos com medo do agressor.

Emparelhamento: surra xingamentos

Generalização Respondente

Generalização: resposta semelhante a estímulos diferentes

Estímulos que se assemelham fisicamente ao estímulo condicionado podem passar a eliciar a resposta condicionada.

Quanto mais parecido com o estímulo condicionado

presente no momento do condicionamento um outro

estímulo for, maior será a magnitude da resposta eliciada.

Existe um gradiente de generalização.

Ex: situação aversiva com uma galinha passar a ter medo de galinha passar a ter medo de galinhas da mesma raça e de outras aves.

Gradiente de generalização

Gradiente de generalização

Extinção respondente

Para que o reflexo condicionado enfraqueça, o estímulo condicionado deve ser apresentado sem novos emparelhamentos com o estímulo incondicionado

Ex: medo após acidente automobilístico decairá quando a pessoa se expuser ao estímulo condicionado (carro) sem a presença dos estímulos incondicionados que estavam presentes no

momento do acidente.

Emoções aversivas podem nos acompanhar pelo resto

da vida porque não queremos entrar em contato com o

estímulo condicionado.

Todavia, se a pessoa necessitar entrar em contato, o estímulo condicionado pode deixar de eliciar as

Recuperação espontânea

Às vezes, depois da extinção respondente, a força do reflexo pode voltar espontaneamente

Ex: uso de drogas

Contracondicionamento

Algumas pessoas têm uma emoção tão intensa, que a exposição direta ao estímulo condicionado pode agravar mais ainda a situação.

É uma técnica para produzir a extinção de um reflexo

- Ex: se um S elicia uma resposta de ansiedade, contracondicionar com um S que elicie relaxamento.

- Ex: xarope de Ipeca para usuários de cigarro/álcool/drogas

Dessensibilização sistemática

Divide a extinção em passos, uma escala crescente da intensidade do S

Hierarquia de ansiedade

Ex: medo de cães escala: pensar em cães, ver fotos de

cães, tocar em cães de pelúcia, observar de longe cães

diferentes daquele que lhe atacou, observar de perto cães, tocá-los.

Um exemplo do condicionamento respondente

na Educação

"(

matemática, ciências, ortografia ou qualquer outra disciplina escolar. As resposta autônomas como o suor, ritmo cardíaco acelerado ou sentimentos difusos de ansiedade, podem ser condicionados por certos indícios, que acabam por ficar

associados a vários aspectos do contexto escolar. As crianças que

foram condicionadas a ponto de ficarem literalmente paralisadas de medo ao verem um problema de matemática, provavelmente não irão conseguir aprender matemática. Podem tentar aprender a disciplina, mas devido a um desconforto perturbador não o

conseguirão. Não significa que os professores criem

deliberadamente estes medos, mas podem, sem querer, preparar o

cenário para o condicionamento."

)

o aluno pode também ser condicionado a ter medo da

Ainda voltando ao exem lo da matemática o

ue

or vezes

ode