Sei sulla pagina 1di 4

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

CENTRO DE TECNOLOGIA E GEOCIÊNCIAS


DISCIPLINA: FENÔMENOS DOS TRANSPORTES
PROFª: FERNANDHA BATISTA

PRÁTICA 01: ORIFÍCIOS


OBJETIVO:

Observar como o fluido se comporta quando escoa por um orifício, fazendo comparações entre os
resultados teóricos e práticos.

DEFINIÇÃO:

É uma abertura na parede de um recipiente que contenha um líquido (ou gás) que se escoa sob a
ação da energia potencial que possui. A abertura está inteiramente abaixo da superfície livre no
reservatório.

CLASSIFICAÇÃO DOS ORFÍCIOS:

 Quanto à forma geométrica: circulares, retangulares, quadrados, elípticos, etc.

 Quanto à espessura da parede:

Orifício de parede delgada: e < 0,5 d

Orifício de parede espessa: 0,5 d < e < 1,5 d

 Quanto às dimensões:

1
Pequeno: o diâmetro do orifício é menor ou igual a um terço de altura de carga d’água
acima do orifício (d<h/3)

Grande: o diâmetro do orifício é maior que um terço de altura de carga d’água acima do
orifício (d>h/3).

CONTRAÇÃO DO JATO:

O jato emergente chama-se de veia líquida. A trajetória do jato é parabólica pois na horizontal não
está sob ação de nenhuma força (consideramos a resistência do ar desprezível) e na vertical está sujeito à
ação da força gravitacional. Devido a contração das linhas de corrente próximo ao orifício e um pouco
após a saída o jato sofre uma contração. Para o orifício circular a seção de contração máxima está 0,5d a
frente do orifício.

INVERSÃO DO JATO:

É a sucessão de formas geométricas de seções transversais ao longo do desenvolvimento do jato.


As causas seriam a tensão superficial e a distribuição de velocidades no início de sua formação.

2
3
Procedimentos de Cálculos
1. Cálculo da cota, Zna:
ZNA = Zb + L

2. Cálculo da carga do orifício, h:


h = ZNA – ZG

3. Cálculo de alcance, Δx:


Δx = xi - x0

4. Cálculo de Velocidade Teórica, VT:


VT = 2 gh

5. Cálculo de Velocidade Experimental, VExp:


g
VExp = Δx ·
2  ZG

6. Coeficiente de Velocidade, CV : Tabelado.


Determinado em geral por Interpolação Linear.

7. Coeficiente de Velocidade Experimental, CV Exp :


VExp
CV Expe = VT

8. Coeficiente de Contração, Cc: Tabelado.


Determinado em geral por Interpolação Linear

9. Coeficiente de Descarga, Cd
Determinado em geral por Interpolação Linear ou
Cd = Cv.CC

10. Coeficiente de Descarga Experimental, CdExp:


CdExp = CV Exp . CC

11. Vazão Teórica, QT:


QT = A2 . VT

12. Vazão Real, QR :


QR = CV . CC . A2 . VT
QR = Cd . A2 . VT

13. Vazão Experimental, QExp :


QExp = CV Esp . CC . A2 . VT
QExp = CdExp . A2 . VT

14. Cálculo Do Intervalo de Tempo entre um plano e outro, T:

2  D²
T = d ²  CdExp  2 g ·  h ¹/ ²  h ¹/ ² 
i i  1