Sei sulla pagina 1di 42

Tema 1

A Enfermagem e o Sistema de Prestação de Cuidados da Saúde

Objetivos de aprendizagem

 Conhecer o desenvolvimento histórico da enfermagem.


 Identificar as responsabilidades inerentes ao papel do enfermeiro.
 Reconhecer as populações vulneráveis que formarão os principais
grupos de clientes do cuidado.

Para início de conversa

Você sabia que a enfermagem é uma arte e uma ciência? E que por ser
ciência baseia-se em conhecimentos que estão mudando constantemente?
Quando você associa arte e ciência nas suas atividades profissionais a
qualidade do cuidado que você presta ao seu cliente atinge um nível de
excelência que traz benéficos não só a estes, como também aos seus
familiares. E você sabia que diversos fatores influenciam a enfermagem? E
que profissão se depara com diversos desafios? Pois é, um dos principais
desafios é preparar enfermeiros que ofereçam cuidado complexo e
multifacetado nos diversos setores de saúde.
E você sabia ainda que, no Brasil o SUS- Sistema Único de Saúde, oferece o
cuidado organizado em diferentes níveis de atendimento de saúde? Estes
diferentes níveis evitam duplicidade de ações, economizam recursos e
possibilitam variedade de serviços, de acordo com o cenário da
comunidade.
Você também sabia que, para prestar um melhor cuidado da saúde é
necessário se avaliar as necessidades do indivíduo e de sua família? Uma
avaliação abrangente da comunidade pode levar a programas e políticas de
saúde que melhoram o acesso ao cuidado. Programas de saúde pública
baseados na população enfocam prevenção de doenças e promoção de
saúde, fornecendo um alicerce para os serviços de saúde pública. Esse é o
assunto a ser abordado neste tema.
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

Por dentro do tema

A enfermagem é uma arte e uma ciência. E quando se associa a arte e a


ciência na prática profissional, a qualidade do atendimento traz benéficos
não só aos clientes, como também aos seus familiares.
O cliente é o centro da prática da enfermagem. Inclui-se ainda nesta
clientela, a família e/ou comunidade. Os clientes apresentam uma ampla
variedade de necessidades, experiências, vulnerabilidades e expectativas. É
isso que torna a enfermagem desafiadora e gratificante.
Ao prestar cuidado é essencial que se forneça um serviço que esteja de
acordo com os padrões estabelecidos e que se siga o código de ética.
A American Nurses Association (ANA) define enfermagem como:
A proteção, promoção e otimização da saúde e das capacidades, pre -
venção da doença e do ferimento, alívio do sofrimento por meio do
diagnóstico e tratamento da resposta humana, e proteção no cuidado
aos indivíduos, familiares, comunidades e populações ( ANA, 2003).
Esta definição certifica a importância que a enfermagem possui ao
promover cuidados de saúde a comunidades em todo mundo.
O conhecimento da história da profissão aumenta a capacidade de se
compreender as origens sociais e intelectuais da disciplina.
Em Notes on Nursing: What it is and What it is not, Florence Nightingale
estabeleceu a primeira filosofia de enfermagem. Nightingale foi a primeira
enfermeira praticante de epidemiologia (COHEN, 1984). Suas análises
estatísticas correlacionaram baixos níveis sanitários aos casos de cólera e
disenteria.
A guerra civil (1860 a 1865) estimulou o crescimento da enfermagem nos
Estados Unidos. Os soldados eram atendidos nos campos de batalha, onde
as enfermeiras da Cruz Vermelha limpavam seus ferimentos, supriam suas
necessidades básicas e lhes dava conforto nas situações de morte.
No final do século XIX a enfermagem passou a se expandir nos hospitais.
Todavia, na comunidade não se expandiu significativamente até 1893,
quando Lillian Wald e Mary Brewster abriram o Estabelecimento da Rua
Henry, que focou as necessidades de saúde dos pobres que moravam nos
arredores da cidade de Nova York.
No século XX surgiu um movimento voltado à definição de uma base de
conhecimento de enfermagem centrado na ciência e na pesquisa. Com o
desenvolvimento da educação em enfermagem, sua prática também se
expandiu.

2
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

No século XXI a prática e a educação em enfermagem continuam a evoluir


para suprir as necessidades da sociedade. Em 1990 a American Nurses
Association estabeleceu o Centro de Ética e Direitos Humanos, que oferece
um fórum para onde podem ser direcionados problemas complexos de ética
e direitos humanos que envolvam a enfermagem ( ANA,2001).
O código de ética consiste nos ideais filosóficos do certo e do errado que
definem os princípios que o enfermeiro usará para prover cuidado a seus
clientes. É de grande importância que estes valores sejam conhecidos e
incorporados na prática profissional (MATHES, 2005).
Diversos fatores influenciam a enfermagem. Entre eles estão as mudanças
demográficas populacionais, os direitos humanos, o número crescente de
pessoas sem assistência à saúde.
As mudanças demográficas que mais repercutiram sobre a saúde nas
últimas décadas incluem: o abandono do campo ou interior em direção aos
centros urbanos; o aumento da expectativa de vida e o aumento da
incidência das doenças crônicas.
O movimento dos direitos humanos mudou a forma como a sociedade via o
direito de todos os seus membros. Muitos grupos possuem necessidades
específicas de cuidado de saúde e a enfermagem responde a isso
respeitando os direitos humanos.
Os níveis crescentes de desemprego, trabalhos mal remunerados e de
desabrigados, associados ao aumento do custo do cuidado de saúde
contribuem para que maior número de pessoas não tenha acesso a ela.
O movimento dos consumidores aumentou a consciência da população
quanto aos valores e custos de produtos e serviços. Os consumidores estão
mais conscientizados quanto à saúde e a doença e cada vez mais
expressam seu desejo por cuidado de alta qualidade.
O enfermeiro deve obter conhecimentos e habilidades específicas para
executar as funções profissionais diversas.
Uma organização profissional lida com problemas relativos à prática da
profissão. Algumas organizações focam as áreas específicas como o cuidado
crítico, a administração de enfermagem, a pesquisa, com o objetivo de
melhorar sua prática.
Atualmente o sistema de cuidado de saúde possui diferentes níveis de
cenários de atendimento, nos quais os prestadores de cuidado oferecem
serviços de prevenção de doenças e de promoção da saúde.

3
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

No Brasil, o Sistema Único de Saúde –SUS, criado pela Constituição Federal


de 1988 para que toda população tivesse acesso aos serviços de saúde,
estes cuidados estão classificados em três níveis de assistência: primária,
secundária e terciária.
Alguns exemplos de cuidados nos diferentes níveis podem ser observados
na tabela 1.1 abaixo.

Tabela 1.1- Exemplos de cuidados de saúde.

Niveis de atenção Cuidados

Cuidados pré-natais
Atenção Básica Puericultura
Planejamento Familiar
Cuidados Primários Aconselhamento Nutricional
Triagem de pressão arterial e glicemia
Imunizações

Cuidados de emergência
Cuidados Secundários Cuidados cirúrgicos agudos
Procedimentos radiológicos

Cuidados intensivos
Cuidados Terciários Reabilitação cardiovascular ou renal
Cuidados psiquiátricos
Sobrevivência assistida
Fonte: Adaptado de Potter;Perry, 2009.

A atenção básica enfoca os serviços de saúde que tem como base educação
em saúde, nutrição adequada, cuidados de saúde materno/infantil,
imunizações e prevenção de doenças. São cuidados focalizados na redução
e controle de fatores de risco para doenças.
Na atenção secundária enfoca-se o diagnóstico e tratamento de doenças de
forma aguda e crônica. Alguns clientes que apresentam agravamento de
sua patologia ou sofrem sequelas da mesma e necessitam de cuidados mais
complexos, classificados como terciários.
A prática da enfermagem é dinâmica e está sempre em mudança devido a
novas informações originadas de estudos de pesquisa, tendências da
prática, desenvolvimento tecnológico e problemas sociais que afetam aos
clientes.
A prática baseada em evidências é uma abordagem de resolução de
problemas para a prática clínica que envolve o uso consciencioso da melhor

4
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

evidência atual, juntamente com a experiência clínica e a preferência e


valores do cliente, para tomar decisões sobre o cuidado do cliente (MELNYK
e FINEOUT-OVERHOLT, 2004). A meta da prática baseada em evidências é
fornecer às enfermeiras dados baseados em evidências que proporcionem
cuidados efetivos para os clientes.
Na sociedade de hoje, muitas forças afetam e remodelam continuamente o
sistema de prestação de cuidado de saúde. No entanto, apesar dos avanços
na tecnologia e na comunicação, as áreas mais pobres do mundo ainda
estão mal servidas (SIMPSON, 2004).
A questão final no projeto de fornecimento de cuidado da saúde é garantir a
saúde e o bem-estar da população. Contudo, o cuidado da saúde no mundo
não é perfeito. Muitos clientes não recebem continuidade de cuidados.
As enfermeiras devem permanecer informadas e ativas sobre os aspectos
do sistema de provisão do cuidado de saúde para fornecer cuidados de
qualidade ao cliente e afetar positivamente a saúde.
O foco da enfermagem em saúde pública requer a compreensão das
necessidades de uma população, ou de uma coleção de indivíduos que
tenham em comum uma ou mais características pessoais ou ambientais
( STANHOPE e LANCASTER, 2006). Uma enfermeira de saúde pública
compreende os fatores que influenciam a promoção e a manutenção da
saúde, as tendências e os padrões que influenciam a incidência das doenças
nas populações, fatores ambientais que contribuem para a saúde e doença,
e os processos usados para a política pública de saúde. A sua meta é
preservar, proteger, promover ou manter a saúde, com a finalidade de
melhorar a qualidade da saúde e da vida dentro daquela comunidade.
Os cuidados de enfermagem atendem clientes de diversas culturas e
formações e com várias condições de saúde. Contudo, alterações no
sistema de prestação de cuidado de saúde transformaram os grupos de alto
risco nos principais clientes.
Populações vulneráveis consistem naqueles clientes que têm maior
probabilidade de desenvolver problemas de saúde como resultado de um
excesso de riscos, que possuem limites no acesso aos serviços de saúde ou
que são dependentes de outras pessoas para os cuidados. Indivíduos que
vivem na pobreza, idosos, imigrantes, usuários abusivos de substâncias e

5
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

pessoas com deficiência mental são exemplos de populações vulneráveis


(MOUA, 2002).
Enfermeiros que atuam em comunidades devem apresentar uma variedade
de habilidades e talentos que satisfaçam as necessidades de cuidado de
saúde de seus clientes. Para o sucesso neste contexto, o enfermeiro atuará
como cuidador, educador, conselheiro, advogado do cliente, agente de
mudanças e epidemiologista (TEELEY et al, 2006).
Em primeiro lugar está o papel de cuidador, onde desenvolve juntamente
com o cliente e sua família, uma parceria de cuidados depois de reconhecer
as necessidades de saúde reais e identificar os recursos comunitários
necessários.
Como gerente, deve apresentar a capacidade de estabelecer um plano
apropriado de cuidados com base na avaliação de clientes e famílias, e de
coordenar os recursos e serviços necessários para o bem-estar do cliente.
A identificação e implementação de novas abordagens mais efetivas aos
problemas caracterizam o papel de agente de mudanças.
A defesa do cliente devido a confusões envolvendo o acesso a serviços de
saúde é um dos papéis onde o enfermeiro atua com advogado do cliente. O
enfermeiro vai representar o ponto de vista do cliente para obter recursos
apropriados.
Um conselheiro ajuda os clientes a esclarecer problemas de saúde e
escolher cursos de ação apropriados para resolver os problemas.
Quando a meta for ajudar seus clientes a assumir responsabilidade por seu
próprio tratamento, o papel de educador assume importância maior.
Clientes e famílias precisam obter habilidades e conhecimentos necessários
para aprender a cuidar de si mesmo.
Os princípios de epidemiologia também deverão ser aplicados pelos
enfermeiros para acompanhamento no ambiente de saúde da comunidade.
A vigilância de fatores de risco e populações vulneráveis protegem o nível
de saúde dos clientes.
Para um bom trabalho no cuidado de saúde comunitária é necessário
aprender a se avaliar a comunidade. A avaliação da comunidade consiste
na coleta sistemática de dados sobre a população, monitoramento do
estado de saúde da população e disponibilização das informações sobre a
saúde da comunidade (STANHOPE e LANCASTER, 2006).
A comunidade tem três componentes a serem avaliados: estrutura ou local,
pessoas e sistemas sociais.

6
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

Quanto a estrutura, é necessário se observar o desenho da comunidade,


dados demográficos e locais de serviços. A avaliação dos clientes se dá
pelas visitas às casas e observação de suas fragilidades. A avaliação social
pode ser medida pelo nível de violência local e condições sociais da
população, tais como renda e escolaridade.
A formatação da imagem da vida do cliente ou da comunidade ajuda a
projetar as intervenções para promover saúde e prevenir doenças dentro de
uma localidade. Os clientes têm maior probabilidade de aceitar uma
mudança se ela for mais vantajosa, compatível, realista e fácil de adotar.

Atividades

Instruções

Prezado “aluno”
Você está convidado agora a refletir, pesquisar, discutir e posicionar-se
sobre os conhecimentos trabalhados neste tema. Cada uma das questões
está relacionada aos objetivos específicos de aprendizagem, e você deverá
respondê-las individualmente ou em grupo, embasado no livro Texto
“Fundamentos de Enfermagem” e na bibliografia complementar.
Aproveite sua leitura e bom estudo.
Abraços, Profa. Margarete.

Ponto de partida

7
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

O Sistema Único de Saúde foi criado pela Constituição de 1988 para


garantir saúde a toda população. Os cuidados de saúde oferecidos pelo SUS
estão classificados em três níveis. Caracterize e exemplifique estes cuidados
em cada nível de atenção:

Nível Primário Nível Secundário Nível Terciário


Caracterização Caracterização Caracterização

Exemplos Exemplos Exemplos

Agora é com você! Responda às questões a seguir para conferir o


que aprendeu!

Questão 1
O código de ética deve nortear as ações do enfermeiro. Este código:
a) Melhora o autocuidado em saúde.
b) Protege o cliente de danos.
c) Garante cuidados iguais a todos os clientes.
d) Define princípios coerentes para oferta de cuidados aos clientes.
e) Todas as respostas estão corretas.

Questão 2
A prática baseada em evidência pode ser definida como:
a) Cuidado de enfermagem de qualidade e eficiente.
b) Prática de fornecer dados baseados em evidências que proporcionem
cuidados efetivos para os clientes.
c) Prática baseada em pesquisa literária sobre enfermagem e biomedicina.
d) b e c estão corretas.

8
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

e) Todas as respostas estão corretas.

Questão 3
Populações de clientes vulneráveis são aquelas que têm maior probabilidade
de adoecer como resultado de:
a) Doenças crônicas, falta de moradia e pobreza.
b) Pobreza e limitação de acesso a serviços de saúde.
c) Falta de transporte, falta de moradia e dependência de outras pessoas.
d) excesso de riscos, limitação do acesso aos serviços de saúde e depen –
dência de outras pessoas .
e) Todas as respostas estão corretas.

Questão 4
Sobre níveis de cuidados no SUS, use V ou F:
( ) Prevenção em saúde pública é a ação antecipada, que tem por objetivo
interceptar ou anular a evolução de uma doença.
( ) A prevenção só pode ser realizada no nível primário de atenção.
( ) Ações de enfermagem para pacientes em uma cirurgia correspondem a
cuidados de nível secundário,
( ) O nível terciário do cuidado se refere a ações em situação aguda de
uma doença.

Questão 5
Correlacione: Níveis de Prevenção
(a) Cuidado primário (
) palestra de cuidados na Alimentação.
(b) Cuidado secundário ( ) entubar um paciente em cirurgia eletiva.
(c) Cuidado terciário ( ) cuidar de um paciente com sequela de AVC.
( ) diálise em paciente renal.

Questão 6
Quais são os três elementos incluídos numa avaliação da comunidade?
Caracterize-os:

Questão 7

9
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

Relacione e caracterize os principais papéis de um enfermeiro junto ao


cliente:

Questão 8
Marque V ou F sobre a prática baseada em evidências:
( ) É baseada apenas em resultados de pesquisas.
( ) Auxilia aos enfermeiros a tomar decisões práticas com segurança.
( ) Requer constante atualização sobre achados clínicos .
( ) Padroniza ações a serem seguidas por enfermeiros.
( ) Cataloga o cuidado por níveis de atenção em saúde.

Questão 9
O estudo em nível pré-patogênico da produção da doença deve considerá-la
como resultante da ação direta de diferentes fatores que se confrontam no
indivíduo suscetível. O estudo destes fatores caracteriza o papel do
enfermeiro como:
a) Sanitarista
b) Conselheiro
c) Advogado
d) Epidemiologista
e) Todas as alternativas

Questão 10
Maria tem uma filha com 6 meses de idade. A criança não está mais em
aleitamento ao seio, usando diferentes leites na sua alimentação. A criança
iniciou um quadro de diarréia intensa. Em qual nível de cuidado você
classificaria este atendimento? Por quê?

Ampliando o Conhecimento

Você quer saber mais sobre esse assunto? Então:

 Acesse o vídeo ”Ilha das Flores”. Trabalho de Jorge Furtado.


Nesse vídeo você verá as desigualdades sociais e de como isso

10
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

define sua superioridade ou inferioridade independente de sua


capacidade mental ou física. É interessante também observar
como nossas atitudes influenciam na vida de outros. Disponível
em: <http://www.portacurtas.com.br/coments.asp?Cod=647#>.
Acesso em: 02 mai. 2012.
 Leia a Resolução do COFEN 272/2002, que dispõe sobre a
Sistematização da Assistência de Enfermagem. Trabalho realizado
pelo Conselho Federal de Enfermagem. Disponível em <
http://site.portalcofen.gov.br/node/4309>. Acesso em 03 mai.
2012.
 Conheça o Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem,
disponível em:<http://site.portalcofen.gov.br/node/4158>.
Acesso em 03 mai. 2012. Registra os princípios fundamentais para
o exercício profissional do enfermeiro.

Finalizando

Nesse tema, você conheceu o histórico das atividades da enfermagem e sua


evolução até os dias de hoje. Você percebeu que a enfermagem é uma ciên-
cia que se baseia em conhecimentos que estão mudando constantemente.
Você estudou os diferentes papéis do enfermeiro frente ao cliente e viu que
as ações de enfermagem em relação aos problemas podem estar baseadas
em situações práticas anteriormente relatadas em pesquisas de
enfermagem, e que para tal o enfermeiro deve estar sempre se atualizando!
Você também aprendeu que o cuidado de enfermagem está disponibilizado
pelo SUS em três níveis, e conheceu suas características em cada nível.
Você pode entender que estes diferentes níveis evitam duplicidade de
ações, economizam recursos e possibilitam variedade de serviços de acordo
com o cenário da comunidade. Você também pode descobrir que diversos
fatores influenciam a enfermagem e que para prestar um melhor cuidado de

11
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

saúde é necessário se avaliar as necessidades do indivíduo e de sua família.


Você pode concluir que uma avaliação abrangente da comunidade pode
levar a programas e políticas de saúde que melhoram o acesso ao cuidado.
Programas de saúde pública baseados na população enfocam prevenção de
doenças e promoção de saúde, fornecendo um alicerce para os serviços de
saúde pública.

GLOSSÁRIO

Epidemiologia - estudo dos fatores que determinam a frequência e


distribuição das doenças nas coletividades humanas (ROUQUAYROL, 1988).
Fatores determinantes - são elementos (ambientais, biológicos,
fisiológicos, sociais, etc.) que interferem no surgimento e evolução de uma
doença (LAST, 1988).
Populações vulneráveis – são clientes que têm maior probabilidade de
desenvolver problemas de saúde como resultado de um excesso de riscos,
com limites no acesso aos serviços de saúde ou que são dependentes de
outras pessoas para os cuidados (MOUA, 2002).

Prevenção - termo que, em Saúde Pública, significa a ação antecipada,


tendo por objetivo interceptar ou anular a evolução de uma doença
(ROUQUAYROL, 1988).
Suscetível- pessoa ou animal que não possui, presumivelmente,
resistência contra determinado agente patogênico e que, por esta razão,
pode contrair a doença (OPAS, 1992).

Referências Bibliográficas

AMERICAN NURSES ASSOCIATION (ANA). Code for of athics for nurses


whith interpretiv estatements. Silver Spring: Md, 2001. American Nurses
Publishing.

12
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

_________. Nursing social policy statement. Silver Sprig: Md, 2003.


American Nurses Publishing.
COHEN, IB. Florence Nightingale, Sci Am 250(128):137, 1984.
CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. Resolução do COFEN 272/2002.
Dispõe sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem. Disponível
em < http://site.portalcofen.gov.br/node/4309>. Acesso em 03 mai. 2012.
_________. Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem. Dispõe sobre
os princípios fundamentais para o exercício profissional do enfermeiro
Disponível em:<http://site.portalcofen.gov.br/node/4158>. Acesso em 03
mai. 2012.
FURTADO, Jorge. Ilha das Flores. Vídeo. Disponível em: <http://www.
portacurtas. com.br/coments.asp?Cod=647#>. Acesso em: 26 nov. 2011.
LAST, JM. A dictionary of a epidemiology. USA: Oxford University Press,
1988. 114p.
MATHES, M. On nursing,moral autonomy, and moral responsibility. Medsurg
Nursing 14(6):395, 2005.
MELNYK, B; FINEOUT-OVERHOLT, E. Evidence –based practice in nursing
and health care:a guide to best practice. Philadelphia, 2004.
MOUA, M et al. Immgrant health: legal tools/legal barriers. J Law Med
Ethics 30(3):189, 2002.
ORGANIZAÇÃO PANAMERICANA DE LA SALUD (OPAS), Washington.
Benenson AS (ed). El control de las enfermedades transmisibles en el
hombre. 15 ed. Washington: OPAS, 1992, 618p., 577-592 ( Publication
científica, 538).
POTTER. PA; PERRY, AG. Fundamentos de Enfermagem. Rio de Janeiro:
Elsevier, 2009: 1480p.
ROUQUAYROL, MZ. et al. Epidemiologia & Saúde. 3 ed. Rio de Janeiro:
MEDSI, 1988: 516p.
SIMPSON, RL. No-borders nursing: how technology heals global ills. Nurs
Adm Q 28(1):55, 2004.
STANHOPE, M; LANCASTER,J. Community and public health nursing. 6ª ed.
St Louis:Mosby, 2006.

13
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

TEELEY, K et al. Incorporing quality improvement concepts and practice into


community health nursing course. J Nurs Educ 45(2);86, 2006.

Comentários

Processo de Cuidar I

Autor
Margarete Alcântara da Fonseca Arioza

Tema 1: A Enfermagem e o Sistema de Prestação de Cuidados da


Saúde
Ponto de partida
Resposta:
Nível Primário Nível Secundário Nível Terciário
Caracterização Caracterização Caracterização
Ações para prevenir o Ações para diagnóstico Ações para recuperação
surgimento da doença e tratamento da doença ou redução de agravos
provocados pela doença
Exemplos Exemplos Exemplos
Cuidados pré-natal Cuidados cirúrgicos Reabilitação
Puericultura agudos cardiovascular
Procedimentos Sobrevivência assistida
radiológicos

Questão 1
Resposta: d
Questão 2
Resposta: b

14
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

Questão 3
Resposta: d
Questão 4
Resposta: V, F, V, F
Questão 5
Resposta: a, b, c, c
Questão 6
Resposta:
A comunidade tem três componentes a serem avaliados: estrutura ou local,
pessoas e sistemas sociais.
Quanto a estrutura, é necessário se observar o desenho da comunidade,
dados demográficos e locais de serviços.
A avaliação dos clientes se dá pelas visitas às casas e observação de suas
fragilidades.
A avaliação social pode ser medida pelo nível de violência local e condições
sociais da população, tais como renda e escolaridade.
Questão 7
Resposta:
Cuidador, onde desenvolve juntamente com o cliente e sua família, uma
parceria de cuidados de acordo com as necessidades de saúde e identificar
os recursos comunitários necessários.
Gerente, onde estabelece um plano apropriado de cuidados com base na
avaliação de clientes e famílias, e de coordenar os recursos e serviços
necessários para o bem-estar do cliente.
Agente de mudanças, identificando e implementando novas abordagens
mais efetivas aos problemas.
Advogado do cliente, promovendo sua defesa frente a confusões que
envolvam acesso a serviços de saúde.
Conselheiro, ajudando aos clientes a esclarecer problemas de saúde e
escolher cursos de ação apropriados para resolver os problemas.
Educador, ajudando seus clientes a assumirem responsabilidade por seu
próprio tratamento.
Epidemiologista, quando aplica princípios de epidemiologia para
acompanhamento do ambiente de saúde da comunidade e vigilância de
fatores de risco e populações vulneráveis.
Questão 8
Resposta: F, V, V, F, F
Questão 9

15
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

Resposta: d
Questão 10
Resposta:
Primário. Porque possivelmente se trata de uma falha na alimentação da
criança, podendo ser corrigida com a correta orientação sobre os cuidados
alimentares para esta idade.

Tema 2
Modelos de Saúde e Doença

Objetivos de aprendizagem

 Conhecer o conceito de saúde e doença.


 Identificar os fatores determinantes das doenças.
 Reconhecer as ações de promoção da saúde nos diferentes níveis
de prevenção
 Relacionar os principais cuidados na prática da enfermagem.

Para início de conversa

Você sabia que as concepções dos indivíduos sobre saúde variam e estão
relacionadas com seus próprios valores? A Organização Mundial de Saúde –
(OMS, 1947) define saúde como um “estado de completo bem-estar físico,
mental e social, não meramente a ausência de doença ou enfermidade”. E
você sabia que, como saúde e doença são conceitos complexos, são usados
modelos conceituais para compreender as relações entre estes dois
conceitos e o comportamento do cliente? Pois é, estes modelos de

16
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

enfermagem permitem que as enfermeiras compreendam como os clientes


se comportarão frente aos esquemas de terapias do cuidado da saúde. E
você imagina quais são os fatores que podem influenciar no surgimento de
doenças? e que eles podem estar relacionados ao indivíduo ou ao ambiente?
Estas variáveis internas e externas afetam positiva ou negativamente o
grau de saúde do cliente. E você também sabia que, o cuidado da saúde
depende de ações básicas de rotina que podem prevenir as doenças? Estes
cuidados de enfermagem orientados para promoção da saúde e prevenção
de doenças estão organizados em diferentes níveis de prevenção. E você
sabia que a presença de alguns fatores de risco podem aumentar a chance
do surgimento de algumas doenças? Por esta razão, os profissionais de
saúde elaboram planos de cuidados de forma a controlar estes fatores. Você
por acaso sabia que, no comportamento da enfermagem relacionado ao
cuidado algumas ações são essenciais a sua abordagem ao cliente? O
encontro presencial, o toque, a escuta e o conhecer ao cliente podem
favorecer ao estabelecimento de uma relação de cuidado que resultará
numa melhor qualidade de assistência ao cliente. Então, este é o assunto
que será abordado neste tema.

Por dentro do tema

Antigamente, a maioria dos indivíduos e sociedades considerava boa saúde


ou bem-estar como o oposto ou ausência de doença. Essa atitude simples
ignora estados de saúde entre doença e boa saúde. Saúde é um conceito
multidimensional que precisa ser visto de uma perspectiva mais ampla.
A Organização Mundial de Saúde (OMS) define saúde como um “estado de
completo bem-estar físico, mental e social, não meramente a ausência de
doença ou enfermidade” (OMS, 1947). No entanto, vários outros aspectos
da saúde precisam ser considerados. Cada indivíduo tem um conceito
pessoal de saúde.
As concepções dos indivíduos sobre saúde variam entre grupos etários,
sexos, raças e culturas diferentes (PENDER, 1996). Para ajudar os clientes a

17
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

identificar e atingir metas de saúde é necessário se descobrir e usar


informações sobre seus conceitos de saúde.
A saúde pode incluir condições previamente consideradas como doença.
Alguns modelos de saúde foram concebidos para oferecer uma perspectiva
para que se compreendam as relações entre os conceitos de saúde.
Um modelo é uma forma teórica de compreender um conceito ou idéia.
Modelos representam diferentes formas de abordagem de questões
complexas. Como saúde e doença são conceitos complexos, utilizam-se
modelos para compreender as relações entre estes conceitos e as atitudes
do cliente relacionadas com saúde e comportamentos de saúde.
As enfermeiras desenvolveram alguns modelos para compreender as
atitudes e os valores do cliente sobre saúde e doença e para proporcionar
cuidado eficaz de saúde.
Modelo de crença sobre saúde (ROSENSTOCH, 1974; BECKER e MAIMAN,
1975)- trata da relação entre as crenças e comportamentos de uma pessoa.
A percepção do cliente sobre a suscetibilidade à doença, bem como sua
percepção sobre a gravidade de uma doença ajuda a determinar a
probabilidade de que venha ou não a adotar comportamentos saudáveis.
Modelo de promoção da saúde (PENDER, 1982) – define saúde como um
estado positivo e dinâmico e não meramente a ausência de doença. O
modelo focaliza três áreas: 1- características e experiências individuais, 2-
conhecimento específico do comportamento e afeto e 3- resultados
comportamentais. O comportamento de promoção da saúde deve resultar
em melhora da saúde, da capacidade funcional ampliada e melhor qualidade
de vida.
Modelo de necessidades humanas básicas (MASLOW, 1970)- as
necessidades humanas básicas são elementos necessários à sobrevivência
humana e a saúde. De acordo com este modelo, determinadas necessidades
humanas são mais básicas do que outras, e para proporcionar a assistência
mais efetiva, é necessário se compreender os fatores que determinam as
prioridades para cada cliente individualmente.
Modelo holístico de saúde (EDELMAN e MANDLE, 2006)- considera o
bem-estar emocional e espiritual. Os clientes são envolvidos em seu
processo de cura. São incorporadas intervenções complementares e
alternativas com função relaxante, tais como musicoterapia, toque

18
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

terapêutico, etc. Acredita-se que estas atividades ajudam aos clientes a


lidar com o seu problema.
Existem muitas variáveis que influenciam as crenças sobre saúde e as
práticas do cliente. Variáveis internas e externas influenciam como uma
pessoa pensa e age.
As variáveis internas incluem o estágio de desenvolvimento da pessoa,
formação intelectual, a percepção sobre o funcionamento e fatores
emocionais e espirituais.
As variáveis externas que influenciam as crenças e práticas de saúde de
uma pessoa incluem práticas familiares, fatores socioeconômicos e
formação cultural.
O cuidado da saúde tem voltado cada vez mais seu foco para a promoção
da saúde, bem-estar e prevenção da doença. Os conceitos de promoção da
saúde, bem-estar e prevenção de doença estão intimamente relacionados.
As atividades de promoção da saúde como exercício rotineiro ajudam os
clientes a manter ou aumentar seus níveis atuais de saúde.
A promoção da saúde, como esboçada no American Journal of Health
Promotion, é a ciência e a arte de ajudar as pessoas a mudar seu estilo de
vida em direção a um estado de saúde ótima. Esta definição sugere que a
saúde e a doença são influenciados por escolhas feitas pelos indivíduos
(RAPHAEL, 2002).
O cuidado de enfermagem orientado para a promoção da saúde, bem-estar
e prevenção de doença pode ser compreendido em termos de atividades de
saúde nos níveis: primário, secundário e terciário.
A prevenção primária precede a doença e se aplica aos clientes
considerados saudáveis. Tem como objetivo apresentar programas de
educação sobre saúde, imunizações, práticas físicas e orientações
alimentares e nutricionais.
A prevenção secundária focaliza indivíduos que estão passando por
problemas de doença, que dependem de diagnóstico e intervenção
imediata, reduzindo a possibilidade de seu agravamento e capacitando o
cliente ao retorno da normalidade.
A prevenção terciária vai acontecer quando um defeito ou incapacidade
decorrente de uma patologia se tornar permanente e irreversível. Está
focalizada na readaptação ou adequação do indivíduo a esta incapacidade
através de ações de reabilitação.

19
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

Fator de risco é qualquer situação, hábito condição social ou ambiental,


condição fisiológica ou psicológica ou outras variáveis que aumenta a
vulnerabilidade de um indivíduo ou grupo a uma doença ou agravo. Os
fatores de risco desempenham um papel importante na forma como a
enfermagem identifica o estado de saúde do cliente. Os fatores de risco
podem ser incluídos nas seguintes categorias inter-relacionadas: fatores
genéticos e fisiológicos, idade, ambiente físico e estilo de vida.
Doença é um estado no qual o funcionamento físico, emocional, intelectual,
social está reduzido ou deteriorado em comparação a uma experiência
anterior.
Doença aguda e doença crônica são duas classificações gerais de doenças
que apresentam características particulares. Na doença aguda os sintomas
surgem geralmente de forma abrupta, são intensos e de curta duração. A
doença crônica em geral persiste por mais de seis meses, com sintomas
menos intensos, porém sua continuidade sem os devidos cuidados pode
levar a um agravamento ou dano funcional irreversível.
Cuidar é um fenômeno universal que influencia as maneiras pelas quais as
pessoas pensam, sentem e se comportam com relação umas às outras. O
cuidar determina o que interessa a uma pessoa; ele descreve um vasto
leque de envolvimento.
Os clientes não são iguais. Cada indivíduo traz para um encontro de cuidado
de saúde uma história exclusiva de experiências valores e perspectivas
culturais.
Os comportamentos de enfermagem relacionados com o cuidado incluem o
conhecer o cliente, proporcionar a presença, um toque carinhoso e o
escutar.
Conhecer o cliente possibilita que a enfermeira evite suposições, concentre-
se no cliente e envolva-se numa relação de cuidado, que poderá revelar
informações e indícios que facilitam o pensamento crítico e os julgamentos
clínicos.
Proporcionar a presença é um encontro interpessoal que envolve
proximidade e um senso de cuidado, especialmente importante quando os
clientes estão enfrentando situações ou eventos estressantes.
O toque é relacional e conduz a uma ligação entre a enfermeira e o cliente.
É uma forma de comunicação não verbal, que influencia de maneira bem-
sucedida o conforto e a segurança do cliente.

20
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

O escutar envolve prestar atenção às palavras e ao tom de voz do cliente e


entrar no seu referencial. É uma forma de conhecer o que é
verdadeiramente importante para ele.
O cuidado facilita a capacidade da enfermeira de conhecer um cliente,
possibilitando reconhecer seus problemas, encontrar e aplicar soluções
individualizadas.

Atividades

Instruções

Prezado “aluno”
Você está convidado agora a refletir, pesquisar, discutir e posicionar-se
sobre os conhecimentos trabalhados neste tema. Cada uma das questões
está relacionada aos objetivos específicos de aprendizagem, e você deverá
respondê-las individualmente ou em grupo, embasado no livro Texto
“Fundamentos de Enfermagem” e na bibliografia complementar.
Seja aplicado. Bom estudo.
Profa. Margarete

Ponto de partida

Definir saúde e doença é muito complexo. Por esta razão, existem modelos
de expressão que facilitam a compreensão da relação entre estes conceitos
e o comportamento dos clientes. Cite os modelos de saúde propostos com
suas características.

Agora é com você! Responda às questões a seguir para conferir o


que aprendeu!

21
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

Questão 1
Num paciente com doença pulmonar obstrutiva crônica, as ações de
reabilitação pulmonar oferecidas pelo hospital caracterizam cuidado de qual
nível de prevenção?
a) Primária.
b) Secundária.
c) Terciária.
d) Quaternária.
e) c e d estão corretas.

Questão 2
Correlacione:
a) Modelo de crença sobre saúde. ( )focaliza experiências individuais e
comportamentais.
b) Modelo de promoção da saúde. ( )hierarquia das necessidades do
cliente.
c) Modelo holístico de saúde. ( )uso de práticas alternativas
d) Modelo de necessidades humanas básicas. ( ) percepção do cliente
sobre sua suscetibilidade a doença.
Questão 3
Marque V ou F:
( ) As variáveis internas influenciam as crenças dos clientes .
( ) Fatores socioeconômicos são considerados variáveis externas.
( ) As crenças sobre saúde não são influenciadas, pois estão incorporadas
ao estilo de vida do cliente.
( ) O desenvolvimento emocional também pode influenciar crenças pessoais
sobre questões de saúde.

Questão 4

Sobre os níveis de cuidado preventivo, marque a alternativa correta:


a) Prevenção primária focaliza o diagnóstico da doença.
b) Prevenção secundária representa ações que precedem a doença.
c) Prevenção terciária oferece intervenções de reabilitação.

22
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

d) Prevenção de doença pode compreender atividades de saúde nos níveis


primário, secundário e terciário.
e) c e d estão corretas.

Questão 5
Diferencie a função dos níveis de cuidados preventivos.

Questão 6
São fatores de risco:
a) Variáveis externas e internas.
b) Situação conjugal e estilo de vida.
c) Fatores genéticos e ambientais.
d) Sexo e idade.
e) a e d estão corretas.

Questão 7
Acalmar uma mulher que vai ser mãe pela primeira vez com relação a
experiência do parto demonstra qual dos comportamentos de cuidado?
a) Conhecer o cliente.
b) Tocar o cliente.
c) Fazer para.
d) Escutar o cliente.
e) Manter a presença.

Questão 8
A presença envolve um encontro interpessoal que:
a) Capacita aos clientes a cuidar de si próprios.
b) Fornece cuidado pessoal ao cliente.
c) Transmite proximidade e uma sensação de cuidado.
d) Descreve o estar em contato estreito com um cliente.
e) NDA.

23
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

Questão 9
Relacione os comportamentos de cuidado da enfermagem com suas
características básicas.

Questão 10
Diferencie os conceitos de doença aguda e doença crônica.

Ampliando o Conhecimento

Você quer saber mais sobre esse assunto? Então:

 Leia o texto ”Promoção da saúde e qualidade de vida“.


Trabalho de Paulo Buss (2000).
 Acesse às informações sobre o Consenso Mundial para a promoção
da saúde. Trata sobre as funções objetivos, metas e indicadores
planejados por 191 países para erradicar a fome e a pobreza.
Disponível em: < http://www.pnud.org.br> Acesso em 04 jun.
2012.
Acesse ao site da revista eletrônica “Nursing” para se inteirar sobre o papel
do enfermeiro na atenção básica e outras notícias. Disponível em:<
http://www.nursing.com.br/article.php?a=48>. Acesso em 04 jun. 2012.

Finalizando

Nesse tema, você viu que saúde e doença são conceitos multidimensionais
que precisam ser vistos de uma perspectiva mais ampla. E que por esta
razão, são usados modelos conceituais para se compreender suas relações e
o comportamento do cliente. Você também aprendeu que o cuidado da
saúde tem voltado cada vez mais seu foco para a promoção da saúde, bem-
estar e prevenção da doença e que as atividades de promoção da saúde

24
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

como exercício rotineiro ajudam os clientes a manter ou aumentar seus


níveis atuais de saúde. Viu também que cuidado de enfermagem orientado
para a promoção da saúde, bem-estar e prevenção de doença pode ser
compreendido em termos de atividades de saúde nos níveis: primário,
secundário e terciário. Você pode aprender que doença é um estado no qual
o funcionamento físico, emocional, intelectual, social está reduzido ou
deteriorado e que pode estar classificada em doença aguda e doença
crônica, apresentando características particulares. Você também descobriu
que cuidar é um fenômeno universal que influencia as maneiras pelas quais
as pessoas pensam, sentem, comportam-se com relação umas às outras. E
você pode concluir que o cuidado facilita a capacidade da enfermeira de
conhecer um cliente, possibilitando reconhecer seus problemas e encontrar
e aplicar soluções individualizadas.

GLOSSÁRIO

Doença – é um estado no qual o funcionamento físico, emocional,


intelectual, social está reduzido ou deteriorado em comparação a uma
experiência anterior (POTTER; PERRY, 2009).
Saúde – estado de completo bem-estar físico, mental e social, não
meramente a ausência de doença ou enfermidade (OMS, 1947).
Fator de Risco – é qualquer situação, hábito condição social ou ambiental,
condição fisiológica ou psicológica ou outras variáveis que aumenta a
vulnerabilidade de um indivíduo ou grupo a uma doença ou agravo
(POTTER; PERRY, 2009).
Promoção da Saúde – é a ciência e a arte de ajudar as pessoas a mudar
seu estilo de vida em direção a um estado de saúde ótima (RAPHAEL,
2002).

25
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

Referências Bibliográficas
BUSS, PM. Promoção da Saúde e qualidade de vida. Ciência e Saúde
Coletiva. 2000; 5(1):163-77.
EDELMAN, CL; MANDLE, CL. Health promotion throughout the life span. Ed
6. St. Louis: Mosby, 2006.
MASLOW, HA. Motivation and personality. Upper Saddle River, NJ:Presentice
Hall, 1970.
NURSING. Revista eletrônica. Editorial Bolina Brasil Ltda. Disponível em:<
http://www.nursing.com.br/article.php?a=48>. Acesso em 04 jun. 2012.
ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (OMS). Conceito de Saúde , 1947.
In: ROUQUAYROL, MZ. ET al. Epidemiologia & Saúde. Ed 3. Rio de Janeiro:
MEDSI, 1988: 516p.
PENDER,NJ. Health promotion and nursing practice. Ed 3, Stanford:
Appleton & Lange, 1996.
PNUD, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Consenso
Mundial para a promoção da saúde. Disponível em: <
http://www.pnud.org.br> Acesso em 04 jun. 2012.
POTTER. PA; PERRY, AG. Fundamentos de Enfermagem. Rio de Janeiro:
Elsevier, 2009: 1480p.
RAPHAEL, D. Models of illness, models of health, models of society. Health
Promotion Global Perspective. 5(1):2, 2002.
ROSENSTOCH, I . Historican origin of the health belief model. Health Educ
Monogr.ed:334, 1974.

Comentários

Processo de Cuidar I

Autor
Margarete Alcântara da Fonseca Arioza

26
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

Tema 2: Modelos de Saúde e Doença

Ponto de partida
Resposta:
Modelo da crença sobre saúde: Se baseia na percepção do cliente sobre
a suscetibilidade e gravidade da ajudando para que venha ou não a adotar
comportamentos saudáveis.
Modelo da promoção da saúde: O comportamento de promoção da
saúde deve resultar em melhora da saúde, da capacidade funcional
ampliada e melhor qualidade de vida.
Modelo das necessidades humanas básicas: Determinadas
necessidades humanas são mais básicas do que outras, e para proporcionar
a assistência mais efetiva, é necessário se compreender os fatores que
determinam as prioridades para cada cliente individualmente.
Modelo holístico de saúde: Considera o bem-estar emocional e espiritual.
São incorporadas intervenções complementares e alternativas com função
relaxante.

Questão 1
Resposta: c
Questão 2
Resposta: b, d, c, a
Questão 3
Resposta: F, V, F, V
Questão 4
Resposta: e
Questão 5
Resposta:
A prevenção primária precede a doença e se aplica aos clientes
considerados saudáveis. Tem como objetivo apresentar programas de
educação sobre saúde, imunizações, práticas físicas e orientações
alimentares e nutricionais.
A prevenção secundária focaliza o diagnóstico e intervenção imediata,
reduzindo a possibilidade do agravamento da doença.

27
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

A prevenção terciária Está focalizada na readaptação ou adequação do


indivíduo a uma incapacidade gerada por uma doença, através de ações de
reabilitação.
Questão 6
Resposta: c
Questão 7
Resposta: e
Questão 8
Resposta: c
Questão 9
Resposta:
Conhecer o cliente proporciona uma relação de cuidado que revela
informações e um indício que facilitam o pensamento crítico e os
julgamentos clínicos.
Proporcionar a presença é um encontro interpessoal que envolve
proximidade e um senso de cuidado, especialmente importante quando os
clientes estão enfrentando situações ou eventos estressantes.
O toque é relacional e conduz a uma ligação entre a enfermeira e o cliente,
que influencia de maneira bem- sucedida o conforto e a segurança do
cliente.
O escutar envolve prestar atenção às palavras e ao tom de voz do cliente e
entrar no seu referencial, e conhecer o que é verdadeiramente importante
para ele.
Questão 10
Resposta: Doença aguda e doença crônica são duas classificações gerais
de doenças que apresentam características particulares. Na doença aguda
os sintomas surgem geralmente de forma abrupta, são intensos e de curta
duração. A doença crônica em geral persiste por mais de 6 meses, com
sintomas menos intensos, porém sua continuidade sem os devidos cuidados
pode levar a um agravamento ou dano funcional irreversível.

Tema 3
Cuidado Familiar e nas Diferentes Fases da Vida

Objetivos de aprendizagem

28
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

 Compreender o significado do conceito de “Família” e os seus


novos formatos.
 Conhecer os processos de enfermagem para a família.
 Identificar características específicas dos diferentes períodos de
desenvolvimento por faixa etária da concepção à adolescência.
 Relacionar os aspectos característicos da vida adulta e do idoso.

Para início de conversa

Você sabia que, a família é a instituição central da sociedade? E você sabe


qual é o conceito de família? Então, a família é definida biologicamente,
legalmente ou como uma rede social construída de pessoas com laços e
ideologias. E você já ouviu falar que a famílias podem tomar diferentes
formatos? Pois é, o modelo tradicional de dois pais biológicos e os seus
filhos não é mais uma norma! É importante você saber que hoje as famílias
podem tomar diferentes formas. Você sabia também que, alguns fatores e
doenças afetam a estrutura de uma família e que a enfermagem deve
oferecer cuidados para o suporte a estas família ?
E você sabia ainda que o crescimento e o desenvolvimento humano estão
divididos em estágios? E que alguns fatores devem ser observados como
risco durante os cuidados de enfermagem em cada uma destas etapas?
Uma série de fatores diversos durante os períodos críticos do
desenvolvimento podem facilitar ou impedir o desenvolvimento físico,
cognitivo e psicossocial ideal.
Você sabia também que os adultos podem ser classificados como adultos
jovens e adultos de meia-idade? E que ainda existem alterações físicas
entre estas duas fases? O desenvolvimento do adulto envolve mudanças
regulares e sequenciais nas características e atitudes que experimentam ao
longo do tempo. E também, você sabia que a idade para considerar
oficialmente o indivíduo como idoso é acima de 65 anos? E que essa
identificação vem da época da reforma social na Alemanha, no século XIX?
E você já ouviu falar dos papéis da Geriatria e da Gerontologia? São duas
ciências com funções distintas que se dedicam aos estudos de assuntos

29
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

relacionados aos idosos. E você sabia ainda que existem diferentes teorias
sobre o envelhecimento? E que existem recomendações de promoção de
saúde específicas para os idosos com o objetivo de reduzir quedas, reações
adversas a medicamentos e melhorar sua qualidade de vida? Pois então,
você estudará todo este assunto neste tema.

Por dentro do tema

A família é a instituição central da sociedade. Contudo, o conceito, a


estrutura e o funcionamento da unidade familiar continuam a mudar
durante o passar dos anos. As famílias estão diante de muitos desafios,
incluindo os efeitos da saúde e da doença, da gravidez e da criação dos
filhos, de mudanças na estrutura familiar e da assistência aos familiares
mais velhos. As características ou atributos familiares como durabilidade,
resiliência e diversidade, ajudam as famílias a se adaptarem a estes
desafios (HANSON et al, 2005).
Como o cuidado que é oferecido ao cliente deve considerar também a
família, é necessário entender a dinâmica familiar para então construir as
forças e recursos necessários à família. O objetivo dos cuidados de
enfermagem centrados na família é de promover, suportar e fornecer bem-
estar e saúde ao cliente e aos indivíduos membros da família (ASTEDT-
KURKI, 2005).
Definir família não é uma tarefa simples, pois várias definições resultam de
debates entre cientistas sociais e legisladores. A família é definida
biologicamente, legalmente ou como uma rede social construída por
pessoas com laços e ideologias. Para alguns clientes a família inclui apenas
as pessoas relacionadas pelo casamento, e para outras, podem estar
incluídos parentescos familiares, amigos e algumas vezes até animais.
Formatos de família são padrões de pessoas consideradas pelos membros
da família como pertencentes da mesma. Apesar da instituição da família
continuar forte, a família em si mesma está mudando. A típica família
composta por dois pais biológicos e filhos não é mais uma norma. Casais
separados e que formam novas famílias, com filhos de casamento

30
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

anteriores, mulheres ou maridos vivendo só com filhos são alguns dos


exemplos destes novos formatos de família.
Existem quatro tendências que os cientistas sociais identificam como
ameaças ou preocupações para as famílias; 1- mudança do cenário
econômico (redução da renda familiar); 2- falta de local para residir, 3-
violência familiar; e 4- presença de doenças agudas ou crônicas.
A enfermagem familiar é baseada no pressuposto de que todas as pessoas,
sem distinção de idade, são membros de algum tipo de forma familiar. Esta
forma pode ser a família nuclear tradicional, famílias de pais solteiros,
famílias ampliadas ou famílias alternativas. O objetivo dos cuidados de
enfermagem familiares é auxiliar a família e seus membros a atingir e
manter a máxima saúde além e durante a experiência da doença.
Existem três níveis de abordagem para a prática de cuidados familiares: 1-
a família como contexto, quando o foco principal é a saúde de um membro
familiar; 2- a família como cliente, quando o foco do cuidado for o processo
familiar ou relacionamentos (idosos e crianças); e 3- a família como
sistema, quando se utiliza elementos de ambas as perspectivas.
O Crescimento e desenvolvimento humano são processos contínuos e
complexos, tipicamente divididos em estágios organizados por faixas
etárias. Muito embora tal divisão cronológica seja arbitrária, ela se baseia
no ritmo e na sequência das tarefas do desenvolvimento que a pessoa deve
conquistar para progredir ao estágio posterior.
Uma perspectiva orientada para o desenvolvimento ajuda a enfermagem a
entender as variações e desvios em cada estágio e o impacto que têm na
saúde do cliente.
A tabela 3.1 abaixo apresenta as principais características dos períodos de
desenvolvimento por faixa etária.

Tabela 3.1 – Características dos Períodos de Desenvolvimento

Características por Faixa Etária

31
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

Da concepção ao nascimento: ritmo rápido de crescimento e total


dependência. A saúde materna pode determinar prejuízos ao recém-
nascido, o que determina a importância dos cuidados pré-natais para
garantir a saúde do bebê.
Lactância (12 a 18 meses): rápido desenvolvimento motor, cognitivo e
social. Através da relação mútua com os cuidadores o bebê estabelece suas
relações interpessoais futuras.
1ª Infância (1 a 6 anos): desenvolvimento físico e personalidade
significativos. Desenvolvimento motor gradativo. Desenvolvimento da
consciência e independência e formação do autoconceito.
Infância Intermediária (11 a 12 anos): conhecida como idade escolar,
marca o início do afastamento do grupo familiar em contrapartida aos
novos grupos de contato. Avanço no desenvolvimento físico mental e social.
Aquisição de competências e habilidades de desenvolvimento. Fase crítica
para o autoconceito.
Infância Tardia (11 a 19 anos): rápida maturação e mudanças físicas
que vai da puberdade a idade adulta. O amadurecimento biológico e da
personalidade é marcado por turbulências físicas e emocionais.

Fonte: Adaptado de HOCKENBERRY (2007).


Durante os períodos críticos do desenvolvimento, uma série de fatores
diversos facilita ou impede o desenvolvimento físico, cognitivo e psicossocial
ideal.
O desenvolvimento fisiológico, cognitivo e psicossocial é contínuo da
concepção até a adolescência, portanto, é importante estar familiarizado
com os parâmetros normais para poder determinar problemas em potencial
e promover o desenvolvimento normal.
As teorias do desenvolvimento oferecem à enfermagem uma base para
entender os eventos da vida e as tarefas do desenvolvimento da vida
adulta, que pode estar classificada em duas fases: adulto jovem e adulto de
meia-idade.
A fase de adulto jovem é o período entre o final da adolescência e da
metade dos 30 anos (EDELMAN e MANDLE, 2002). Nessa fase as pessoas
costumam se afastar de suas famílias de origem, estabelecem metas
profissionais e decidem casar ou permanecer solteiras e começar ou não
uma família.
A meia-idade compreende a segunda metade ao final dos 30 anos até os
meados dos 60 anos. A transição para a meia-idade ocorre quando o jovem

32
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

torna-se consciente das mudanças nas capacidades reprodutivas e físicas


que significam o início de outro estágio na vida.
As questões a serem observadas no cuidado à saúde de adultos jovens
estão relacionadas aos padrões de estilo de vida e na história familiar.
Hábitos inadequados aumentam os riscos de doenças. O tabagismo e
alcoolismo são documentados na literatura médica como grande
causadores de patologias pulmonares e cardiovasculares. A violência e as
lesões acidentais são as principais causas de morbimortalidade nesta fase
da vida. Muitas das vezes estes incidentes são causados pelo consumo
excessivo de álcool e/ou drogas, fatores que também apresentam elevados
índices como causa de mortalidade entre os adultos jovens. A gravidez não
planejada representa fonte de estresse que pode resultar em desfechos de
saúde adversos para a mãe, o bebê e a família. As doenças sexualmente
transmissíveis são também bastante relevantes, com efeitos imediatos e
representam quase a metade de todas as infecções que ocorrem em
homens e mulheres com menos de 24 anos.
Na meia-idade, o adulto contribui de forma duradoura através de seu
envolvimento com os outros. No entanto, homens e mulheres precisam
ajustar-se às mudanças biológicas inevitáveis.
As questões de saúde de adultos de meia-idade comumente envolvem
doenças relacionadas com o estresse, avaliação da saúde e adoção de
hábitos de saúde positivos.
A identificação da idade de 65 anos como início da vida adulta idosa vem da
época da reforma social na Alemanha no século XIX. A idade de 65 anos
continua sendo o limite inferior para identificar o idoso nas políticas
demográficas e sociais.
Os cuidados de enfermagem para o idoso representam desafios especiais
devido à grande variação em sua saúde fisiológica, cognitiva e psicossocial.
Vários termos intercambiáveis podem ser enumerados em atenção ao
adulto idoso. A Geriatria é um ramo da medicina que lida com o diagnóstico
e tratamento de doenças e problemas que afetam o idoso. A Gerontologia é
o estudo de todos os aspectos do processo de envelhecimento e suas
consequências.
Vários teóricos tentaram descrever o complexo processo de
envelhecimento. Embora existam várias teorias, não existe uma única

33
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

universalmente aceita que possa prever e explicar as complexidades do


processo de envelhecer.
As teorias biológicas do envelhecimento são: 1- teorias estocásticas, que
vêm o envelhecimento como resultado de uma lesão celular aleatória que
ocorre ao longo do tempo; e 2- teorias não-estocásticas, que apontam
mecanismos fisiológicos geneticamente programados no organismo como
controladores do processo de envelhecimento.
As teorias psicossociais são: 1- teoria do desengajamento, afirma que os
indivíduos em envelhecimento se afastam dos papéis habituais e se
envolvem em atividades mais introspectivas e autocentradas; 2- teoria da
atividade, considera a continuação de atividades realizadas durante a meia-
idade como necessária para um envelhecimento bem- sucedido; e 3- teoria
da continuidade, afirma que a personalidade permanece a mesma e o
comportamento torna-se mais previsível conforme a pessoa envelhece.
Embora algumas pessoas façam generalizações sobre envelhecimento,
biológica e psicossocialmente, cada indivíduo envelhece de um modo único.
As principais causas de adoecimento e morte na população idosa são as
doenças cardíacas, câncer, AVC, doença pulmonar, acidentes e quedas,
diabetes, doença renal e hepática. As recomendações de promoção de
saúde para esta população incluem boa alimentação, exercício regular,
evitar o fumo, e cuidados para evitar as quedas e efeitos adversos de
medicação.

Atividades

Instruções

Prezado “aluno”
Você está convidado agora a refletir, pesquisar, discutir e posicionar-se
sobre os conhecimentos trabalhados neste tema. Cada uma das questões
está relacionada aos objetivos específicos de aprendizagem, e você deverá
respondê-las individualmente ou em grupo, embasado no livro texto
“Fundamentos de Enfermagem” e na bibliografia complementar.
Aproveite sua leitura e bom estudo.

34
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

Abraços, Profa. Margarete.

Ponto de partida

Considerando sua compreensão sobre a importância do estudo deste tema,


relacione os principais fatores que perturbam as famílias?

Agora é com você! Responda às questões a seguir para conferir o


que aprendeu!

Questão 1
Quando uma família demonstra que consegue se adaptar às situações que
parecem adversas estamos nos deparando com uma situação de:
a) Resiliência.
b) Extensão.
c) Diversidade.
d) Durabilidade.
e) Configuração.

Questão 2
Correlacione: variáveis circunstanciais
(a) Família como contexto ( ) foco do cuidado é o processo familiar
(b) Família como cliente ( ) se utiliza elementos de ambas as pers
pectivas.
(c) Família como sistema ( ) foco principal é a saúde de um mem
bro familiar.

Questão 3
Uma família composta pelo pai, com duas filhas do primeiro casamento, a
mãe, com uma filha deste pai e uma de outro casamento é um exemplo de
família:
a) Nuclear.

35
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

b) Ampliada.
c) Alternativa.
d) Mista.
e) b e d estão corretas.

Questão 4
Correlacione as características de desenvolvimento de cada fase:
(a)Da concepção ao nascimento. ( ) rápido desenvolvimento motor,
cognitivo e social.
(b)Lactância (12 a 18 meses). ( ) desenvolvimento físico e persona
lidade significativos.
(c)1ª Infância (1 a 6 anos). ( ) rápida maturação e mudanças mar
cado por turbulências físicas e
emocionais.
(d)Infância Intermediária (11 a 12 anos). ( ) ritmo rápido de crescimento
e total dependência.
(e)Infância Tardia (11 a 19 anos). ( ) Aquisição de competências e habi
lidades de desenvolvimento. Fase
crítica para o autoconceito.

Questão 5
Caracterize o adulto jovem e adulto de meia-idade.
Questão 6
Sobre a Geriatria:
a) Estuda os aspectos do processo de envelhecimento.
b) Determina as consequências de uma doença ao idoso.
c) Ramo da medicina que lida com o diagnóstico de doenças do idoso.
d)Ciência que estuda os fatores de risco ao idoso.
e)Todas as alternativas estão corretas.

Questão 7
Marque V ou F nas proposições sobre a saúde do adulto jovem:
( ) As questões a serem observadas no cuidado à saúde de adultos jovens
estão relacionadas aos padrões de estilo de vida e na história familiar.
( ) Hábitos inadequados aumentam os riscos de doenças. As DSTs e as
drogas são documentadas na literatura médica como grandes causadores de
patologias pulmonares e cardiovasculares.

36
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

( ) A violência e as lesões acidentais são as principais causas de


morbimortalidade nesta fase da vida.
( ) A gravidez planejada representa fonte de estresse que pode resultar em
desfechos de saúde adversos para a mãe, o bebê e a família.

Questão 8
Assinale a alternativa verdadeira sobre as teorias do envelhecimento:
a) As alterações genéticas são as únicas responsáveis.
b) O ambiente do cliente é o principal fator.
c) Não existe uma teria universal para explicar o envelhecimento.
d) A presença da doença é determinante do envelhecimento.
e) a e d estão corretas.

Questão 9
Relacione as principais teorias do envelhecimento.

Questão 10
São apontadas como principais causas de adoecimento e morte em idosos:
a)Doenças cardíacas, câncer, AVC.
b)Quedas e doenças pulmonares.
c)Diabetes e infecções.
d)Doença renal e doenças respiratórias.
e) Todas as alternativas estão corretas.

Ampliando o Conhecimento

Você quer saber mais sobre esse assunto? Então:

 Acesse o portal da RIPSA-IDB BRASIL para saber mais sobre os


indicadores epidemiológicos que informam estatísticas de
mortalidade proporcional por idade e por localização. Disponível
em:

37
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

< http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/idb2000/fqa07.htm >. Acesso


em: 09 jun. 2012.
 Entre na home page da Revista de Enfermagem ”Escola Anna
Nery“ para saber mais sobre as atualidades nos cuidados de
enfermagem. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?
script=sci_serial&pid=1414-8145&lng=en&nrm=iso>.
 Assista a videoaula sobre ”Teorias do Envelhecimento“. Obra
realizada pelo Dr. Renato Gorga Bandeira de Melo. Disponível em:
< http://www.youtube.com/watch?v=TI2GNMYUKZU>. Acesso
em: 09 jun. 2012.
 Leia o Guia da Vigilância Epidemiológica do Ministério da Saúde
para conhecer o direcionamento das ações epidemiológicas no
controle das doenças. MS/FUNASA/CENEPI. Vol. I, Brasília (2002)

Finalizando

Nesse tema, você estudou que a família é a instituição central da sociedade


e é definida biologicamente, legalmente ou como uma rede social construída
de pessoas com laços e ideologias. Você também aprendeu que o objetivo
dos cuidados de enfermagem centrados na família é de promover, suportar
e fornecer bem-estar e saúde ao cliente e aos indivíduos membros da
família, e que existem diferentes níveis de abordagem para a prática de
cuidados familiares. Você pode entender que o crescimento e
desenvolvimento humano são processos contínuos e complexos,
tipicamente divididos em estágios organizados por faixas etárias e que uma
perspectiva orientada para o desenvolvimento ajuda a enfermagem a
entender as variações e desvios em cada estágio e o impacto que têm na
saúde do cliente. Você viu também que O desenvolvimento fisiológico,
cognitivo e psicossocial é contínuo da concepção até a adolescência,

38
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

portanto, é importante estar familiarizado com os parâmetros normais para


poder determinar problemas em potencial e promover o desenvolvimento
normal. Você pode aprender que as teorias do desenvolvimento oferecem à
enfermagem uma base para entender os eventos da vida e as tarefas do
desenvolvimento da vida adulta, que pode estar classificada em duas fases:
adulto jovem e adulto de meia-idade. E também viu que os cuidados de
enfermagem para o idoso representam desafios especiais devido à grande
variação em sua saúde fisiológica, cognitiva e psicossocial. E que, embora
existam várias teorias, não existe uma única universalmente aceita que
possa prever e explicar as complexidades do processo de envelhecer. E
você pode concluir que as recomendações de promoção de saúde para a
população incluem boa alimentação, exercício regular e cuidados específicos
em cada período da vida.

GLOSSÁRIO
Família – rede social construída por pessoas com laços e ideologias
(POTTER; PERRY, 2009).
Geriatria – ramo da medicina que lida com o diagnóstico e tratamento de
doenças e problemas que afetam o idoso (POTTER; PERRY, 2009).
Gerontologia – estudo de todos os aspectos do processo de
envelhecimento e suas consequências (POTTER; PERRY, 2009).
Meia-idade – período compreendido entre a segunda metade ao final dos
30 anos até os meados dos 60 anos (POTTER; PERRY, 2009).

Referências Bibliográficas
ASTEDT-KURKI, P et al. Methodological issues in interviewing families in
family nursing research. J Adv Nours 35(2):288, 2001.
EDELMAN, CL; MANDLE, CL. Health promotion throughout the life span. Ed
5. St. Louis: Mosby, 2002.
HANSON, SM et al. Family health care nursing, theory, practice and
researche. Ed 3. Philadelphia: FA Davis, 2005.
HOCKENBERRY, MJ; WILSON, D. Wong’s nursing care of infants and
children. Ed 8. St. Louis: Mosby, 2007.

39
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

MINISTÉRIO DA SAÚDE/ FUNASA/CENEPI. Guia de Vigilância


Epidemiológica. Vol. I (A-H), 5ª edição, Brasília. 2002, p.49.
POTTER. PA; PERRY, AG. Fundamentos de Enfermagem. Rio de Janeiro:
Elsevier, 2009: 1480p.
RIPSA – Rede Interagencial de Informações para a Saúde. Indicadores
demográficos. Disponível em : < http://tabnet.datasus.gov.br/ cgi/idb2000/
fqa07.htm >. Acesso em: 09 jun. 2012.
ESCOLA ANNA NERY. Revista de Enfermagem. <Disponível em: <
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_serial&pid=1414-8145&lng=em
&nrm=iso>.
MELO, Renato Gorga Bandeira. Teorias do Envelhecimento. Videoaula.
Disponível em: < http://www.youtube.com/watch?v=TI2GNMYUKZU>.
Acesso em: 09 jun. 2012.

Comentários
Processo de Cuidar I

Autor
Margarete Alcântara da Fonseca Arioza

Tema 3: Cuidado Familiar e nas Diferentes Fases da Vida

Ponto de partida
Resposta:
Existem quatro tendências que os cientistas sociais identificam como
ameaças ou preocupações para as famílias; 1- mudança do cenário
econômico (redução da renda familiar); 2- falta de local para residir, 3-
violência familiar; e 4- presença de doenças agudas ou crônicas.
Questão 1
Resposta: a
Questão 2
Resposta: b, c, a

40
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

Questão 3
Resposta: b
Questão 4
Resposta: b, c, e, a, d
Questão 5
Resposta:
A fase de adulto jovem é o período entre o final da adolescência e da
metade dos 30 anos. Nessa fase as pessoas costumam se afastar de suas
famílias de origem, estabelecem metas profissionais e decidem casar ou
permanecer solteiras e começar ou não uma família.
A meia-idade compreende a segunda metade ao final dos 30 anos até os
meados dos 60 anos. A transição para a meia-idade ocorre quando o jovem
torna-se consciente das mudanças nas capacidades reprodutivas e físicas
que significam o início de outro estágio na vida.

Questão 6
Resposta: c
Questão 7
Resposta: V, F, V, F
Questão 8
Resposta: c
Questão 9
Teorias biológicas:
1-teorias estocásticas, que vêm o envelhecimento como resultado de uma
lesão celular aleatória que ocorre ao longo do tempo;
2-teorias não-estocásticas, que apontam mecanismos fisiológicos
geneticamente programados no organismo como controladores do processo
de envelhecimento.
Teorias psicossociais:
1- teoria do desengajamento, afirma que os indivíduos em envelhecimento
se afastam dos papéis habituais e se envolvem em atividades mais
introspectivas e autocentradas;

41
Manual do Autor – Caderno de Atividades
Universidade Anhanguera – Uniderp
Centro de Educação a Distância

2- teoria da atividade, considera a continuação de atividades realizadas


durante a meia-idade como necessária para um envelhecimento bem-
sucedido;
3- teoria da continuidade, afirma que a personalidade permanece a
mesma e o comportamento torna-se mais previsível conforme a pessoa
envelhece.
Questão 10
Resposta: a

42
Manual do Autor – Caderno de Atividades