Sei sulla pagina 1di 32

Universidade de São Paulo Escola Superior De Agricultura “Luiz De Queiroz” Departamento de ciências do solo LSO-526 Adubos e Adubação

Recomendação de correção e adubação para citros

Grupo Turma 5ª feira 16h

Martha Lusthosa Carvalho Natália Oliveira de Araujo

Renata Ockner Hortencio

para citros Grupo – Turma 5ª feira 16h Martha Lusthosa Carvalho Natália Oliveira de Araujo Renata

1. INTRODUÇÃO Aspectos Gerais

Citros Abrange plantas do gênero Citrus. Destaca-se: as laranjas, limões,

mexericas, tangerinas e limas ácidas;

Exigências ambientais UR(%) elevada, Temp. entre 23 e 32 ºC , solos profundos, permeáveis e com boa fertilidade;

Citricultura brasileira predomina: Neossolos, Latossolos e Argissolos;

Área cultivada no Brasil Brasil – cerca de 919,5 mil ha São Paulo - cerca
Área cultivada no Brasil
Brasil – cerca de 919,5 mil ha
São Paulo - cerca de 606,6 mil ha
(Fonte: IBGE, 2011)

Área cultivada no mundo

Mundo cerca de 7,4 milhões de ha

(Fonte: FAO, 2011)

606,6 mil ha (Fonte: IBGE, 2011) Área cultivada no mundo Mundo – cerca de 7,4 milhões

1. INTRODUÇÃO Produção mundial

Tabela 1 Produção de citros e laranja (Citrus sinensis) no mundo

– Produção mundial Tabela 1 – Produção de citros e laranja ( Citrus sinensis ) no

(Fonte: FAO, 2013)

– Produção mundial Tabela 1 – Produção de citros e laranja ( Citrus sinensis ) no

1. INTRODUÇÃO Produção Nacional

1. INTRODUÇÃO – Produção Nacional Figura 1 – Regiões produtoras de citros no Brasil. (Fonte: IBGE

Figura 1 Regiões produtoras de citros no Brasil. (Fonte: IBGE , 2015)

1. INTRODUÇÃO – Produção Nacional Figura 1 – Regiões produtoras de citros no Brasil. (Fonte: IBGE

1. INTRODUÇÃO Exigência Nutricional

Cultura perene A implantação do pomar é a única oportunidade para fazer um bom preparo do solo. (BONINE & ESTRELA, 2014).

Necessidade nutricional depende

& ESTRELA, 2014). Necessidade nutricional depende Fase de desenvolvimento; Combinação copa/ porta-enxerto;

Fase de desenvolvimento;

Combinação copa/ porta-enxerto; Expectativa de produção;

Fertilidade do solo;

Adubação mineral fator de produção de baixo custo e rápida resposta na

produtividade.

ADUBAÇÃO = (Exigência da Planta Fornecimento pelo Solo) X Fator De Correção (F)

Obs: Fator de correção = compensa as perdas de nutrientes (erosão, lixiviação, volatilização e fixação).

(F) Obs: Fator de correção = compensa as perdas de nutrientes (erosão, lixiviação, volatilização e fixação).

1. INTRODUÇÃO Exigência Nutricional

1. INTRODUÇÃO – Exigência Nutricional Figura 2 – Extração de macronutrientes (kg/ha.dia) pela cultura da

Figura 2 Extração de macronutrientes (kg/ha.dia) pela cultura da laranja em suas diferentes fases fenológicas

Figura 2 – Extração de macronutrientes (kg/ha.dia) pela cultura da laranja em suas diferentes fases fenológicas

1. INTRODUÇÃO Exploração das raízes

1. INTRODUÇÃO – Exploração das raízes (Local: Coleção de citros ESALQ/USP) SISTEMA RADICULAR DOS CITROS: 

(Local: Coleção de citros ESALQ/USP)

SISTEMA RADICULAR DOS CITROS:

Grande proporção nos 40-60 cm superiores; São sensíveis à acidez e muito exigentes em magnésio e principalmente cálcio ; Crescem bem em solos de diversos tipo de textura; (Obs: preferência por solos de textura média)

cálcio ;  Crescem bem em solos de diversos tipo de textura; (Obs: preferência por solos

2. RECOMENDAÇÃO Calagem (Boletim 100)

NC (t/ha) = [CTC (V2 V1)]/10 PRNT

Objetivo: Elevar a saturação por bases a 70% e manter o teor de magnésio no mínimo em 9 mmolc/dm³.

Métodos de aplicação:

Pomares não estabelecidos: o calcário deve ser aplicado em toda a extensão da área com antecedência ao plantio e com profunda incorporação. Pomares já estabelecido: calcário aplicado em área total com incorporação

através do uso de grade e no período de abril a junho.

calcário aplicado em área total com incorporação através do uso de grade e no período de

2. RECOMENDAÇÃO Calagem (Boletim MG)

1º Método:

2º Método:

M é t o d o :  2 º M é t o d o

NC = (Ve /100)T SB

NC = Y [Al3+ (mt . t/100)] + [X (Ca2+ + Mg2+)]

NC = Y [Al3+ – (mt . t/100)] + [X – (Ca2+ + Mg2+)] Considera características

Considera características do solo e a exigência da cultura;

Objetivo: Elevar a saturação por bases a 70% e manter o teor de magnésio no mínimo em 9 mmolc/dm³.

Objetivos: Elevar ao teor de Ca e Mg de acordo com a exigência da planta (X = 3) e correção da acidez do solo de acordo com a tolerância máxima a saturação por Al³+(mt = 5%).

Modo de aplicação: 02- 03 meses antes do plantio, de forma uniforme sobre a

superfície do solo e incorporado com arado e grade até à profundidade de 15-20 cm.

2. RECOMENDAÇÃO Calagem (Boletim do Cerrado)

1º Método: Solos com CTC > 4mmolc/dm³, teor de argila > 15% e teor de

Ca +Mg <2mmolc/dm³.

NC (kg/ha) = [(2xAl) + 2 – (Ca + Mg)] x f NC (kg/ha) =
NC (kg/ha) = [(2xAl) + 2 – (Ca + Mg)] x f NC (kg/ha) =

NC (kg/ha) = [(2xAl) + 2 (Ca + Mg)] x f

NC (kg/ha) = (2xAl) x f

Ca +Mg >2mmolc/dm³.

NC (kg/ha) = [(2xAl) + 2 – (Ca + Mg)] x f NC (kg/ha) = (2xAl)
NC (kg/ha) = [(2xAl) + 2 – (Ca + Mg)] x f NC (kg/ha) = (2xAl)

2º Método: Solos com CTC > 4mmolc/dm³, teor de argila > 15% e teor de

Objetivo: Elevar a saturação por bases a 50% e manter o teor de magnésio no mínimo em 5 mmolc/dm³.

Obs: Existem quatro fórmulas para calagem de acordo com a cultura e solo.

2. RECOMENDAÇÃO Gessagem

BOLETIM 100

NG (kg/ha) = 6 x argila (g/kg)

Solos com teores de Ca2+ < 4 mmolc/dm³ e/ou com

m > 40%.

BOLETIM DE MG

NG (kg/ha) = 0,25 x NC

Solos com teores de Ca+2 < 4 mmolc/dm³ e/ ou com m > 30 %;

BOLETIM DO CERRADO

N.G. (kg/ha) = 75 x teor de argila (%)

Solos com teores de Ca2+ < 5 mmolc/dm³ e/ou com m > 20% .

DO CERRADO N.G. (kg/ha) = 75 x teor de argila (%) Solos com teores de Ca2+

2. RECOMENDAÇÃO Adubação de plantio

BOLETIM 100 - Cova

P resina mg/dm³

B (água quente)

Zn (DTPA)

0 a 5

6 a 12

13 a 30

> 30

80

60

P2O5 (*)

40

20

0 a 0,20

1

B (*)

> 0,20

0

0 a 1,2

2

Zn (*)

> 1,2

0

(*) g/m linear de sulco

(Fonte: Boletim 100, 1997)

Observação:

Fertilizantes devem ser aplicados em profundidades entre 25 a 30 cm; A quantidade aplicada depende do resultado da análise de solo e independe

da variedade de copa utilizada;

a 30 cm; • A quantidade aplicada depende do resultado da análise de solo e independe

2. RECOMENDAÇÃO Adubação de plantio

BOLETIM MG Cova

Disponibilidade de P

 

Dose de

Baixa

Média

Boa

Parcelamento

N

Dose P2O5

Plantio:

g/cova

g/cova

OUT

0

120

80

40

Pós-plantio

 

OUT

5

0

0

0

NOV

5

0

0

0

JAN

10

0

0

0

MAR

5

15

10

5

TOTAL

25

135

90

45

(Fonte: Boletim de Minas Gerais, 1999)

Adubação Orgânica

Esterco de curral Esterco de galinha

20

L/ cova

8

Observação:

Aplicação de fósforo: 2/3 na forma solúvel e 1/3 na forma de fosfato natural reativo; A adubação orgânica deve ser realizada 60 dias antes do plantio;

O nitrogênio só será aplicado nos primeiros sinais de brotações das mudas;

realizada 60 dias antes do plantio; • O nitrogênio só será aplicado nos primeiros sinais de

2. RECOMENDAÇÃO Adubação de plantio

BOLETIM DO CERRADO Pré-plantio

Teor de K no solo

Interpretação

Dose de K 2 O

kg/ha

mg/dm³

CTC a pH 7 < 4,0 cmolc/dm³ ou teor de argila < 20%

<

15

Baixo

50

16

40

Médio

25

>

40

Adequado

0

mg/dm³

CTC a pH 7 < 4,0 cmolc/dm³ ou teor de argila > 20%

kg/ha

<

25

Baixo

100

25

80

Médio

50

>

80

Adequado

0

(Fonte: Boletim Cerrado, 2002)

Observação:

Recomenda-se a adição de micronutrientes antes do plantio.

Solos agrícolas: 1,0 g de boro + 0,5 g de cobre + 1,0 g de manganês + 0,05 g de molibdênio + 5,0 g de zinco por cova. Solos virgens: 2,0 kg/ha de boro + 2,0 kg/ha de cobre + 6,0 kg/ha de manganês + 6,0 kg/ha de zinco (aplicado a lanço).

Solos virgens: 2,0 kg/ha de boro + 2,0 kg/ha de cobre + 6,0 kg/ha de manganês

2. RECOMENDAÇÃO Adubação de plantio

BOLETIM DO CERRADO Plantio (cova)

Adubação mineral

Aplicação

N

P2O5

K20

Micronutrientes

g/cova

Cova

Adubo orgânico

700

Adubo orgânico

(*)

Cobertura

20

\

20

\

Adubação Orgânica

Esterco de curral

Esterco de galinha

6,4

L/ cova

1,6

(Fonte: Boletim Cerrado,

)

(*) Aplicação de micronutrientes:

1,0 g de B + 0,5 g de Cu + 1,0 g de

Mn + 0,05 g de Mo + 5,0 g de Zn.

Cerrado, ) (*) Aplicação de micronutrientes: 1,0 g de B + 0,5 g de Cu +

2. RECOMENDAÇÃO Adubação de formação

BOLETIM 100

Idade

Nitrogênio

 

P resina, mg/dm³

 

K+ trocável, mmolc/dm³

 

0,5

6 a 12

13 a 30

> 30

0 a 0,7

0,8 a 1,5

1,5 a 3,0

> 3,0

Anos

g/ planta

0 a 1 1 a 2 2 a 3 3 a 4

80

0

0

0

0

20

0

0

0

160

160

100

50

0

80

60

0

0

200

200

140

70

0

150

100

50

0

300

300

210

100

0

200

140

70

0

4 a 5

400

400

280

140

0

300

210

100

0

(Fonte: Boletim 100, 1997)

Observações:

P - aplicado em uma única dose (JUL AGO); N e K - aplicados em 04 parcelas (SET-MAR);

Observações: • P - aplicado em uma única dose (JUL – AGO); • N e K

2. RECOMENDAÇÃO Adubação de formação

BOLETIM MG

Idade

Nitrogênio

Disponibilidade de P

Disponibilidade de K

Baixa

Média

Boa

Baixa

Média

Boa

Anos

N, g/planta

P 2 O 5 , g/planta

K 2 O, g/planta

0 a 1

70

30

20

10

30

20

10

1 a 2

130

90

60

30

60

40

20

2 a 3

160

90

60

30

90

60

30

3 a 4

240

150

100

50

180

120

60

4 a 5

340

210

140

70

240

160

80

(Fonte: Boletim de Minas Gerais, 1999)

Observações:

P - aplicado em uma única dose (NOV);

N - aplicados em 03 parcelas (SET-JAN);

K aplicado em 02 parcelas (JAN ABR);

uma única dose (NOV); • N - aplicados em 03 parcelas (SET-JAN); • K – aplicado

2. RECOMENDAÇÃO Adubação de formação

BOLETIM DO CERRADO

Nível de P no solo

Nível de K no solo

Idade

Nitrogênio

Baixo

Médio

Adequado

Baixo

Médio

Adequado

Anos

g/planta

P 2 O 5 (g/planta)

K 2 O (kg/ha)

1 40

100

70

35

70

45

20

2 100

175

120

60

110

75

35

3 200

245

160

80

160

105

50

4 340

315

210

105

200

135

70

5 415

350

230

120

225

150

75

(Fonte: Boletim Cerrado, 2002)

Observações:

P - aplicado em uma única dose ou parcelado com N e K; N e K - aplicados em 03 parcelas;

2002) Observações: • P - aplicado em uma única dose ou parcelado com N e K;

2. RECOMENDAÇÃO Adubação de produção

Máximo lucro em função do valor da caixa (atual US$ 3,00)

Produtividade

Esperada

N nas folhas, g/kg

P resina, mg/dm 3

K+ trocável, mmol c /dm 3

 

<23

23-27

28-30

>30

0-5

06/dez

13-30

>30

<0,7

0,7-1,5 1,6-3,0

>3,0

t/ha

 

kg/ha

 
   

<16

90

70

60

40

50

40

20

0

60

40

30

0

17

a 20

100

80

70

50

70

50

30

0

70

50

40

0

21

a 30

140

120

90

60

90

70

40

0

90

70

50

0

31

a 40

190

160

130

90

130

100

50

0

120

100

70

0

41

a 50

240

200

160

110

160

120

60

0

160

120

90

0

>50

260

220

180

130

180

140

70

0

180

140

100

0

(Fonte: Boletim 100, 1997)

Observação:

N e K - aplicados nos dois lados da planta, em faixas de largura igual ao raio da copa (2/3 dentro e 1/3 fora) e em três parcelas: 40% SET-OUT, 30% DEZ-JAN, 30% MAR- ABR.; P - aplicado em uma única dose em SET-OUT;

1/3 fora) e em três parcelas: 40% SET-OUT, 30% DEZ-JAN, 30% MAR- ABR.; • P -

2. RECOMENDAÇÃO Adubação foliar (BOLETIM 100)

Solução nutritiva

– Adubação foliar (BOLETIM 100) Solução nutritiva 3,5 g/L Sulfato de Zn 2,5 g/L Sulfato de

3,5 g/L Sulfato de Zn 2,5 g/L Sulfato de Mn 1,0 g/L Ácido Bórico 5,0 g/L Uréia

Aplicação:

Situação

Modo de aplicação

Pomares < 4 anos Pomares em produção

3 a 4 aplicações anuais Aplicação no período da chuva

Observação: Alta deficiência em boro aplicação no solo de ácido bórico

(2kg/ha) junto aos herbicidas de contato em duas parcelas anuais;

em boro  aplicação no solo de ácido bórico (2kg/ha) junto aos herbicidas de contato em

2. RECOMENDAÇÃO Adubação Verde

Cultivo de plantas que tem características recicladoras, recuperadoras, protetoras, e condicionadoras do solo em rotação/sucessão/consorciação com as culturas comerciais.

Implantação:

1. Aplicar herbicida nas linhas e entrelinhas da cultura;

2. Correção do solo, parcela da adubação da cultura e o controle e pragas;

3. Plantio direto a 50 cm da projeção da copa e espaçadas à 50 cm;

4. Fazer o corte na época do pleno florescimento direcionando o material para as linhas

do pomar;

(Fonte: PIRAI sementes)

4. Fazer o corte na época do pleno florescimento direcionando o material para as linhas do
4. Fazer o corte na época do pleno florescimento direcionando o material para as linhas do

2. RECOMENDAÇÃO Adubação Orgânica

Realizada por meio do adubo orgânico composto por resíduos de origem animal e/ou por resíduos de origem vegetal que se decompõem até se tornarem húmus, decorrente da ação dos microorganismos sobre os resíduos.

Sugestões para adubação orgânica em citros

Fase de desenvolvimento da cultura

Esterco de

Esterco de

Torta de

curral

galinha

mamona

 

Kg/planta

Cova

10 15

2 3

1 1,5

Formação

10 15

4 6

2 3

Produção

25 30

10 - 12

5 6

(Fonte: Fonte: VITTI & CABRITA, 1998)

4 – 6 2 – 3 Produção 25 – 30 10 - 12 5 – 6

3. EXEMPLO PRÁTICO - Informações

3. EXEMPLO PRÁTICO - Informações Colaborador  Produtor CATÃO:  Local - Avaré (SP);  Classe
3. EXEMPLO PRÁTICO - Informações Colaborador  Produtor CATÃO:  Local - Avaré (SP);  Classe

Colaborador Produtor CATÃO:

Local - Avaré (SP);

Classe de solo - Latossolo Vermelho distrófico

típico (Textura: textura média e é álico );

Idade do pomar - segundo ano pós plantio (fase

de formação);

Composição do pomar copa laranjeira Pêra

(Citrus sinensis L. Osbeck) e porta-enxerto

Limão-cravo (Citrus limonia Osbeck) ;

Espaçamento - 7x5 m (286 plantas por ha);

Amostragem - nas camadas de 0-10, 10-20 e 20-40 na linha de cultura;

 Espaçamento - 7x5 m (286 plantas por ha);  Amostragem - nas camadas de 0-10,

3. EXEMPLO PRÁTICO Análise de solo

Camada

pH

CaCl2

0-10cm

5,4

10-20cm

5,3

20-40cm

4,8

M.O.

P (resina)

K

Ca

Mg

(H+Al)

Al

SB

T

V

g.dm-3

mg.dm-3

mmolc.dm-3

%

14

20

1,5

17

9

20

0

27,5

47,5

58

14

6

0,7

17

9

21

0

26,7

47,7

56

12

3

0,4

13

7

28

5

20,4

48,4

42

Boletim que será utilizado BOLETIM 100 (1997)

56 12 3 0,4 13 7 28 5 20,4 48,4 42 Boletim que será utilizado 

3. EXEMPLO PRÁTICO Análise de solo

CALAGEM

V1 = 57 % ; V2 = 70 % ; CTC = 47,6 mmolc/dm³;

Teores mínimos presentes no calcário dolomítico

Teores mínimos presentes no calcário dolomítico CaO MgO PN PRNT RE   % 24 17

CaO

MgO

PN

PRNT

RE

 

%

24

17

85

70

15

NC (t/ha) = [CTC (V2 V1)]/10 PRNT

NC = [ 47,6 (70 57]/ 700

NC = 0,884 t/ha (884,00 kg/ha)

100

kg de calcário ------- 24 kg de CaO

100

kg de calcário ------- 17 kg de MgO

884

kg de calcário ------- x = 212,2 kg de CaO

x

884

kg de calcário -------

y

y = 150,3 kg de MgO

Aplicação: Área total + Incorporação com uso de grade (ABR JUN). Cotação de preço: Calcário dolomítico da empresa Calcário Diamante (km 60 (SP-127) Piracicaba/Tietê, cerca de 2 h de Avaré) - Preço fornecido foi de R$ 65,00 /t (sem incluir o frete).

(km 60 (SP-127) Piracicaba/Tietê, cerca de 2 h de Avaré) - Preço fornecido foi de R$

3. EXEMPLO PRÁTICO Análise de solo

GESSAGEM

1. Teores de Ca2+ da análise de solo > 4 mmolc/dm³;

2. Saturação por alumínio - m% < menor que 40% nas três camadas

analisadas;

por alumínio - m% < menor que 40% nas três camadas analisadas; NÃO É NECESSÁRIO REALIZAR

NÃO É NECESSÁRIO REALIZAR A

GESSAGEM NO POMAR!

por alumínio - m% < menor que 40% nas três camadas analisadas; NÃO É NECESSÁRIO REALIZAR

3. EXEMPLO PRÁTICO Análise de solo

Adubação NPK - Quantidades

Nutrientes

Teores obtidos na análise

mg.dm-3

mmolc.dm-3

N

-

-

P

13

-

K

-

1,1

Quantidades recomendadas

g/planta

160

50

60

Observações:

P - aplicado em uma única dose (JUL AGO); N e K - aplicados em 04 parcelas (SET-MAR);

Aplicação de macronutrientes: localizada ao redor da coroa em um raio de 1,5 m.

K - aplicados em 04 parcelas (SET-MAR); Aplicação de macronutrientes: localizada ao redor da coroa em

3. EXEMPLO PRÁTICO Análise de solo

Adubação NPK Formulações

FÓSFORO

50 g de fósforo/planta são requeridos = 0,05 kg de fósforo/planta

286 plantas/ha

0,05 kg de P ------- 1 planta

fósforo/planta 286 plantas/ha 0,05 kg de P ------- 1 planta X ------- 286 plantas X =

X ------- 286 plantas

X = 14,3 kg de P/ ha

1 planta X ------- 286 plantas X = 14,3 kg de P/ ha SFS (18% de

SFS (18% de P2O5)

100 kg de SFS -------- 18 kg de P2O5

Z -------- 14,3 kg de P2O5

Z = 79,4 kg de SFS/ha

SFT (44% P2O5)

100 kg de SFT -------- 44kg de P2O5

R -------- 14,3 kg de P2O5

R = 32,5 kg de SFT/ha

= 79,4 kg de SFS/ha SFT (44% P2O5) 100 kg de SFT -------- 44kg de P2O5

3. EXEMPLO PRÁTICO Análise de solo

Adubação NPK Formulações

NITROGÊNIO E POTÁSSIO

160 g de N/planta são requeridos = 0,16 kg de N/planta

286 plantas/ha

0,16 kg de N --------- 1 planta

y‘ --------- 286 plantas

y' = 45,76 kg de N/ha

 

N

P

K

Exigência Relação de nutrientes

46

0

17

3

0

1

Fórmula hipotética

36

0

12

Fórmula comercial

36

0

12

Uréia cloretada= RS- 10266/00053-4

60 g de K/planta são requeridos = 0,06 kg de K/ planta

286 plantas/ha

0,06 kg de K -------- 1 planta

w'

-------- 286 plantas

w' = 17,16 kg de k/ha

QF= (exigência)/[(fórmula comercial)/100]

QF=(46+0+17)/[(36+0+12)/100]

QF= 133 kg/ ha

plantas w' = 17,16 kg de k/ha QF= (exigência)/[(fórmula comercial)/100] QF=(46+0+17)/[(36+0+12)/100] QF= 133 kg/ ha

3. EXEMPLO PRÁTICO Análise de solo

Práticas Complementares

1. Adubação foliar:

de solo  Práticas Complementares 1. Adubação foliar: Mistura de formulações (3 a 4 aplicações anuais

Mistura de formulações (3 a 4 aplicações anuais ): sulfato de Zn 3,5g/L, sulfato de Mn 2,5 g/L, ácido bórico 1,0 g/L, ureia 5 g/L;

2. Adubação Verde:

ácido bórico 1,0 g/L, ureia 5 g/L; 2. Adubação Verde: Guandu-forrageiro / Lablab / Feijão-de-porco ;

Guandu-forrageiro / Lablab / Feijão-de-porco ;

Verde: Guandu-forrageiro / Lablab / Feijão-de-porco ; 3. Adubação Orgânica: Esterco de curral / Esterco de

3. Adubação Orgânica:

Esterco de curral / Esterco de galinha / Torta de mamona;

/ Lablab / Feijão-de-porco ; 3. Adubação Orgânica: Esterco de curral / Esterco de galinha /

4. CONCLUSÃO

5. REFERÊNCIAS

AZEVEDO, C.L.L. Sistema de Produção de Citros para o Nordeste. Disponível em:

www.sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br. Acessado em: 03/05/2016. BONINE, D.P; ESTRELA, A.R; Nutrição e adubação dos citros. Disponível em: www.atividaderural.com.br. Acessado em:

01/05/2016.

BUENO, N.; GASPAROTTO, L. Sintomas de deficiências nutricionais em citros. Manaus: Embrapa Amazônia Ocidental, 1999. 19p. (Embrapa Amazônia Ocidental. Circular Técnica, 6). CRISOSTOMO, L.A; NAUMOV, A. Adubando para Alta Produtividade e Qualidade: Fruteiras Tropicais do Brasil. Fortaleza:

Embrapa Agroindústria Tropical, 2009. 238 p. (IIP. Boletim 18). IBGE. Levantamento Sistemático da produção agrícola. Disponível em: www.ibge.gov.br. Acessado em: 03/05/2016. KIEHL, E.J. Fertilizantes orgânicos. Editora Agronômica Ceres Ltda. Piracicaba, São Paulo, p. 492. 1985. MATTOS, D.JR; NEGRI, J.D.; POMPEU, J.JR; GHILARDI, A.A.; AZEVEDO, F.A.; BASTIANEL, M. Citros, principais informações e recomendações de cultivo. Boletim 200, Instituto Agronômico (IAC), Cordeirópolis, p. 140-149. 2014.

RIBEIRO, A.C; GUIMARÃES, P.T.G; ALVAREZ, V.H. Recomendações para o uso de corretivos e fertilizantes em minas gerais.

5ª aproximação. Viçosa: Comissão de Fertilidade do Solo do Estado de Minas Gerais, 1999. 359p. (Boletim de Minas Gerais) SOUSA, D.M.G; LOBATO, E. Cerrado: Correção do solo e adubação. 1ª Edição. Planaltina: EMBRAPA Cerrados, 2002. 416p.

(Boletim do Cerrado) TRANI, P.E.; RAIJ, B. van.; CANTARELLA, H.; QUAGGIO, J.A.; FURLANI, A.M.C. Boletim Técnico 100: Recomendações de Adubação e Calagem para o Estado de São Paulo. 2ª edição ver. ampl. Campinas: Instituto Agronômico & Fundação IAC, 1997. 285p. (Boletim Técnico, 100)

VITTI, G.C.; LUZ, P.H.C.; LEÃO, H.C.; SILVA, M.M. Técnicas de utilização de calcário e gesso na cultura dos citros. in: Seminário

Internacional de Citros, 4., 1996, Bebedouro. Anais.Campinas: Fundação Cargill, 1996. p. 131-160. VITTI, G.C; CABRITA, J.R.M. Nutrição e adubação de citros. Jaboticabal : Funep, 1998. 31p. (Boletim Citrícola, 4)

VITTI, G.C; CABRITA, J.R.M. Nutrição e adubação de citros . Jaboticabal : Funep, 1998. 31p. (Boletim