Sei sulla pagina 1di 2

PUC Minas - Campus Poços de Caldas

Aluna: Maria Laura Vieira de Melo


10º Período
Professora: Nara Pratta
Disciplina: Estratégias de Atuação do Psicólogo na Saúde

Resenha Crítica

O estágio realizado na disciplina de Estagio Profissionalizante II: Promoção na


Saúde foi de atendimentos para Orientação Profissional, foi voltada para um adolescente
do ensino médio, para auxiliá-lo na sua escolha profissional,
A Orientação Profissional é uma prática social que visa, basicamente, a
inserção do jovem na PEA (população economicamente ativa), de uma forma
consciente e fonte de uma escolha, visando à elaboração de um plano
profissional com uma trajetória ocupacional (RIBEIRO, 2001 apud
RIBEIRO, 2003, p. 141).
É importante salientar que sua aplicação é bastante ampla, não se restringe a
uma fase específica da vida da pessoa, como é pensado por muitos, acha-se que é
apenas para o jovem que está indeciso sobre qual profissão escolher, mas ela serve
igualmente para quem está indeciso, para quem está insatisfeito, para quem quer lutar
por uma reinserção no mercado de trabalho, para quem está satisfeito e quer se destacar
e, até mesmo, para quem está prestes a aposentar e não se vê preparado para uma
mudança tão intensa na rotina.
Comumente, durante o processo de orientação profissional, todos os testes e
recursos utilizados servem para promover o autoconhecimento, não apenas o que se
refere a gostos e intolerâncias, mas também sobre potencialidades e debilidades. O
psicólogo então irá identificar aspectos que, até então, estavam escondidos para o
sujeito, mas que são parte importante da sua personalidade e do seu comportamento.
Nota-se, que ao procurar uma orientação profissional muita gente acha que
receberá uma resposta fechada e decisiva, o que não é verdade, a função desse tipo de
acompanhamento é facilitar a tomada de decisões, mas jamais decidir pela pessoa. Vale
ressaltar que a experiência do psicólogo é fundamental para a qualidade dos resultados,
já que o processo de orientação profissional demanda uma análise detalhada de
motivações, potencialidades, valores e interesses, não apenas a aplicação de um teste.
De acordo com o estágio realizado, é possível relacionar com o artigo:
“Sensibilização para a escolha profissional na adolescência”, o qual trata sobre os
diferentes fatores implicados nessa escolha, nesse momento da vida, e a busca de
aprimorar o conhecimento dos adolescentes sobre o mundo do trabalho, favorecendo
assim uma escolha profissional mais adequada.
Os autores ressaltam que uma das principais tarefas subjetivas com as quais os
adolescentes passam a ter que lidar, é sem duvida o encaminhamento da vida
profissional, e ainda nesse processo muitas vezes está em jogo os interesses e
oportunidades, as influencias familiares e sociais, condições socioeconômicas, o acesso
a informações, entre tantas outras.
Diante disso então, fica evidente que a adolescência é um momento decisivo
para a estruturação da identidade e de modos de subjetividade. Assim, deve-se pensar
nas questões que mobilizam o adolescente a fazer suas escolhas, ou escolher uma
profissão, o que é um desafio, seria necessário, portanto, a ajuda da escola e dos
familiares para essa sensibilidade. Para que assim, o indivíduo consiga estar de certa
forma mais preparado para conseguir fazer essa tão difícil escolha.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

DRUGG, Angela Maria Schneider; COLOMBO, Silvia Cristina Segatti; FENGLER,


Sonia Aparecida da Costa. Sensibilização para a escolha profissional na adolescência.
Revista de Extensão da universidade de Cruz Alta. Cataventos, ano 8, n.1, 2016.

RIBEIRO, Marcelo Afonso. Demandas em Orientação Profissional: Um Estudo


Exploratório em Escolas Públicas. Revista Brasielira de Orientação Profissional, 4
(1/2), pp. 141-151, 2003. Disponível em: < > Acesso em: 2410/2017.