Sei sulla pagina 1di 66

Legislações Ambientais

Eng. Fabrício Ribeiro

Junho de 2019
Introdução
• Noções Gerais;

• Política Nacional do Meio Ambiente;

• Política Nacional de Recursos Hídricos;

• Outras Leis Federais.


Noções Gerais
Constituição Federal - 1988

Art. 21. Compete a União:



XIX - instituir Sistema Nacional de
Gerenciamento de Recursos Hídricos e definir
critérios de outorga de direitos de seu uso;
...
Constituição Federal - 1988

Art. 23. É competência comum da União, dos


Estados, do Distrito Federal e dos Municípios:

VI - proteger o meio ambiente e combater a
poluição em qualquer de suas formas;
VII - preservar as florestas, a fauna e a flora;
...
Noções Gerais
Legislação Ambiental: No ordenamento
jurídico nacional a legislação federal traça as
normas gerais enquanto as leis Estaduais e
Municipais especificam-nas, cuidando das
particularidades e características regionais.

A legislação ambiental municipal deve ser


aplicada no município onde foi promulgada e
deverá ser necessariamente complementar às
legislações Federais e Estaduais, não
podendo ser nunca, mais condescendente do
que estas.
Constituição Federal - 1988
CAPÍTULO VI - DO MEIO AMBIENTE

Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente


ecologicamente equilibrado, bem de uso
comum do povo e essencial à sadia qualidade
de vida, impondo-se ao Poder Público e à
coletividade o dever de defendê-lo e preservá-
lo para as presentes e futuras gerações.
Introdução
• Noções Gerais;

• Política Nacional do Meio Ambiente;

• Política Nacional de Recursos Hídricos;

• Outras Leis Federais.


Lei 6.938/81 – Dispõe sobre a
Política Nacional do Meio Ambiente

Fundamentada nos incisos VI e VII do art. 23


e no art. 235 da Constituição Federal.
Art. 2 – objetivo: a preservação, melhoria e
recuperação da qualidade ambiental propícia
à vida, visando assegurar, condições ao
desenvolvimento sócioeconômico, atendidos
os seguintes princípios:
Lei 6.938/81 – Dispõe sobre a
Política Nacional do Meio Ambiente
I - ação governamental na manutenção do equilíbrio
ecológico, meio ambiente como um patrimônio
público a ser necessariamente assegurado e
protegido, tendo em vista o uso coletivo;
II - racionalização do uso do solo, do subsolo, da
água e do ar;
III - planejamento e fiscalização do uso dos recursos
ambientais;
IV - proteção dos ecossistemas, com a preservação
de áreas representativas;
Lei 6.938/81 – Dispõe sobre a
Política Nacional do Meio Ambiente
V - controle e zoneamento das atividades potencial
ou efetivamente poluidoras;
VI - incentivos ao estudo e à pesquisa de tecnologias
orientadas para o uso racional e a proteção dos
recursos ambientais;
VII - acompanhamento do estado da qualidade
ambiental;
VIII - recuperação de áreas degradadas;
IX - proteção de áreas ameaçadas de degradação;
X - educação ambiental a todos os níveis do ensino,
objetivando capacitá-la para participação ativa na
defesa do meio ambiente.
Lei 6.938/81 – Dispõe sobre a
Política Nacional do Meio Ambiente
• Art. 6 - Institui o Sistema Nacional do Meio
Ambiente (SISNAMA):
I - Conselho de Governo - órgão superior com a
função de assessorar o Presidente da República;
II - Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA) -
órgão consultivo e deliberativo;
III - Secretaria do Meio Ambiente da Presidência da
República - órgão central com a finalidade de
planejar, coordenar, supervisionar e controlar,
como órgão federal, a política nacional e as
diretrizes governamentais fixadas para o meio
ambiente;
Lei 6.938/81 – Dispõe sobre a
Política Nacional do Meio Ambiente
IV - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e
dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA)
e o Instituto Chico Mendes de Conservação
da Biodiversidade (Instituto Chico Mendes)
- Órgãos Executores;
V - Órgãos ou entidades estaduais
responsáveis pela execução de programas -
Órgãos Seccionais:
VI - órgãos ou entidades municipais - Órgãos
Locais: ... nas suas respectivas jurisdições;
Lei 6.938/81 – Dispõe sobre a
Política Nacional do Meio Ambiente

Artigo 10 - A construção, instalação,


ampliação e funcionamento de
estabelecimentos ..., capazes sob qualquer
forma, de causar degradação ambiental ,
dependerão de prévio licenciamento ..., sem
prejuízo de outras licenças exigíveis.
Lei 6.938/81 – Dispõe sobre a
Política Nacional do Meio Ambiente

Art. 14º - Sem prejuízo das penalidades


definidas pela legislação federal, estadual e
municipal, o não cumprimento das medidas
necessárias à preservação ou correção dos
inconvenientes e danos causados pela
degradação da qualidade ambiental sujeitará
os transgressores:
Lei 6.938/81 – Dispõe sobre a
Política Nacional do Meio Ambiente
Cont...
I - à multa simples ou diária...;
II - à perda ou restrição de incentivos e
benefícios fiscais...;
III - à perda ou suspensão de participação em
linhas de financiamento...;
IV - à suspensão de sua atividade.
Lei 6.938/81 – Dispõe sobre a
Política Nacional do Meio Ambiente
Cont...
§ 1º Sem obstar a aplicação das penalidades
previstas neste artigo, é o poluidor obrigado,
independentemente da existência de culpa, a
indenizar ou reparar os danos causados ao
meio ambiente e a terceiros, afetados por sua
atividade.
Lei 6.938/81 – Dispõe sobre a
Política Nacional do Meio Ambiente
Art. 15° - O poluidor que expuser a perigo a
incolumidade humana, animal ou vegetal, ou
estiver tornando mais grave situação de perigo
existente, fica sujeito à pena de reclusão de 1
(um) a 3 (três) anos e multa de 100 (cem) a
1.000 (mil) MVR.
Lei 6.938/81 – Dispõe sobre a
Política Nacional do Meio Ambiente
Cont...
§ 1º A pena é aumentada até o dobro se:
I - resultar: dano irreversível à fauna, à flora e
ao meio ambiente ou lesão corporal grave;
II - a poluição é decorrente de atividade
industrial ou de transporte;
III - o crime é praticado durante a noite, em
domingo ou em feriado.
§ 2º Incorre no mesmo crime a autoridade
competente que deixar de promover as
medidas tendentes a impedir tais práticas.
Introdução
• Noções Gerais;

• Política Nacional do Meio Ambiente;

• Política Nacional de Recursos Hídricos;

• Outras Leis Federais.


Lei 9.433/97 - Institui a Política
Nacional de Recursos Hídricos
Art. 1º São fundamentos da PNRH:
I - a água é um bem de domínio público;
II - a água é um recurso natural limitado,
dotado de valor econômico;
III - em situações de escassez, o uso
prioritário é o consumo humano e a
dessedentação de animais;...
Lei 9.433/97 - Institui a Política
Nacional de Recursos Hídricos
Cont...
IV - a gestão dos recursos hídricos deve sempre
proporcionar o uso múltiplo das águas;
V - a bacia hidrográfica é a unidade territorial
para implementação da PNRH e atuação do
Sistema Nacional de Gerenciamento de
Recursos Hídricos;
VI - a gestão dos recursos hídricos deve ser
descentralizada e contar com a participação do
Poder Público, dos usuários e comunidades.
Lei 9.433/97 - Institui a Política
Nacional de Recursos Hídricos
Art. 2º São objetivos da PNRH:
• I - assegurar à atual e às futuras gerações a
necessária disponibilidade de água, em
padrões de qualidade adequados aos
respectivos usos;
• II - a utilização racional e integrada dos
recursos hídricos,...;
• III - a prevenção e a defesa contra eventos
hidrológicos críticos...
Lei 9.433/97 - Institui a Política
Nacional de Recursos Hídricos
• Art. 5º São instrumentos da PNRH:
• I - os Planos de Recursos Hídricos;
• II - o enquadramento dos corpos de água em
classes...;
• III - a outorga dos direitos de uso;
• IV - a cobrança pelo uso;
• V - a compensação a municípios;
• VI - o Sistema de Informações sobre
Recursos Hídricos.
Lei 9.433/97 - Institui a Política
Nacional de Recursos Hídricos
• Art. 33. Integram o SNGRH:
I – o Conselho Nacional de Recursos Hídricos;
I-A. – a Agência Nacional de Águas;
II – os Conselhos de Recursos Hídricos dos
Estados e do Distrito Federal;
III – os Comitês de Bacia Hidrográfica;
IV – os órgãos dos poderes públicos federal,
estaduais, do Distrito Federal e municipais;
V – as Agências de Água.
Lei 9.433/97 - Institui a Política
Nacional de Recursos Hídricos
• Art. 49. Constitui infração das normas de
utilização de recursos hídricos superficiais ou
subterrâneos:
I - derivar ou utilizar recursos hídricos para qualquer
finalidade, sem a respectiva outorga de direito de uso;
II - iniciar a implantação ou implantar empreendimento
relacionado com a derivação ou a utilização de
recursos hídricos, superficiais ou subterrâneos, que
implique alterações no regime, quantidade ou
qualidade dos mesmos, sem autorização dos órgãos
ou entidades competentes;
Lei 9.433/97 - Institui a Política
Nacional de Recursos Hídricos
Cont...
VI - fraudar as medições dos volumes de água
utilizados ou declarar valores diferentes dos
medidos;
VII - infringir normas estabelecidas no
regulamento desta Lei e nos regulamentos
administrativos...;
VIII - obstar ou dificultar a ação fiscalizadora
das autoridades competentes no exercício de
suas funções.
Lei 9.433/97 - Institui a Política
Nacional de Recursos Hídricos
• Art. 50. Estabelece as seguintes penalidades:
• I - advertência por escrito, na qual serão
estabelecidos prazos para correção das
irregularidades;
• II - multa, simples ou diária, proporcional à
gravidade da infração, de R$ 100,00 (cem
reais) a R$ 10.000,00 (dez mil reais);
• III - embargo provisório, ...;
• IV - embargo definitivo, com revogação da
outorga...
Introdução
• Noções Gerais;

• Política Nacional do Meio Ambiente;

• Política Nacional de Recursos Hídricos;

• Outras Leis Federais.


Lei 12651/2012 – Dispõe sobre a
Proteção da vegetação nativa
• Art. 1°-A - Esta Lei estabelece normas
gerais sobre a proteção da vegetação, áreas
de Preservação Permanente e as áreas de
Reserva Legal; a exploração florestal, o
suprimento de matéria-prima florestal, o
controle da origem dos produtos florestais e
o controle e prevenção dos incêndios
florestais, e prevê instrumentos econômicos
e financeiros para o alcance de seus
objetivos, atendendo os seguintes princípios:
Lei 12651/2012 – Dispõe sobre a
Proteção da vegetação nativa
I - afirmação do compromisso soberano do
Brasil com a preservação das suas florestas
e demais formas de vegetação nativa,...;
II - reafirmação da importância da função
estratégica da atividade agropecuária e do
papel das florestas e demais formas de
vegetação nativa na sustentabilidade, no
crescimento econômico, na melhoria da
qualidade de vida da população brasileira e
na presença do País nos mercados nacional
e internacional de alimentos e bioenergia;
Lei 12651/2012 – Dispõe sobre a
Proteção da vegetação nativa
III - ...compatibilização e harmonização entre
o uso produtivo da terra e a preservação da
água, do solo e da vegetação;
IV - responsabilidade comum da União,
Estados, Distrito Federal e Municípios, em
colaboração com a sociedade civil,...;
V - fomento à pesquisa científica e tecnológica
na busca da inovação...,
VI - criação e mobilização de incentivos
econômicos...
Lei 12651/2012 – Dispõe sobre a
Proteção da vegetação nativa
• Art. 2o As florestas existentes no território
nacional e as demais formas de vegetação
nativa, reconhecidas de utilidade às terras
que revestem, são bens de interesse comum
a todos os habitantes do País, exercendo-se
os direitos de propriedade com as limitações
que a legislação em geral e especialmente
esta Lei estabelecem.
Lei 12651/2012 – Dispõe sobre a
Proteção da vegetação nativa
• § 1o ... as ações ou omissões contrárias às
disposições desta Lei são consideradas uso
irregular da propriedade, aplicando-se o
procedimento previsto no Código de Processo
Civil, sem prejuízo da responsabilidade civil,
nos termos da PNMA, e das sanções
administrativas, civis e penais.
• § 2o ...têm natureza real e são transmitidas
ao sucessor, de qualquer natureza, no caso
de transferência de domínio ou posse.
Lei 12651/2012 – Dispõe sobre a
Proteção da vegetação nativa
• Art. 3o Para os efeitos desta Lei, entende-se
por:
II - Área de Preservação Permanente - APP:
área protegida, coberta ou não por vegetação
nativa, com a função ambiental de preservar
os recursos hídricos, a paisagem, a
estabilidade geológica e a biodiversidade,
facilitar o fluxo gênico de fauna e flora,
proteger o solo e assegurar o bem-estar das
populações humanas;
Lei 12651/2012 – Dispõe sobre a
Proteção da vegetação nativa
Cont...
VIII - utilidade pública:
b) as obras de infraestrutura destinadas...
saneamento, gestão de resíduos, energia,
telecomunicações,...
IX - interesse social:
e) implantação de instalações necessárias à
captação e condução de água e de efluentes
tratados...
Lei 12651/2012 – Dispõe sobre a
Proteção da vegetação nativa
Cont...
X - atividades eventuais ou de baixo impacto
ambiental:
b) implantação de instalações necessárias à
captação e condução de água e efluentes
tratados, desde que comprovada a outorga
do direito de uso da água, quando couber;
k) outras ações ou atividades similares,
reconhecidas em ato do CONAMA ou dos
Conselhos Estaduais de Meio Ambiente;
Lei 12651/2012 – Dispõe sobre a
Proteção da vegetação nativa
• Art. 4o Considera-se APP, em zonas rurais ou
urbanas, para os efeitos desta Lei:
I - as faixas marginais de qualquer curso
d’água natural perene e intermitente,
excluídos os efêmeros, desde a borda da
calha do leito regular, em largura mínima de:
a) 30m - cursos d’água de menos de 10m de
largura;
b) 50m - de 10m a 50m de largura;...
e) 500m - largura superior a 600m.
Lei 12305/2010 – Institui a Política
Nacional de Resíduos Sólidos

Dispõe sobre princípios, objetivos e


instrumentos, bem como sobre as
diretrizes relativas à gestão integrada e
ao gerenciamento de resíduos sólidos,
incluídos os perigosos, às
responsabilidades dos geradores e do
poder público e aos instrumentos
econômicos aplicáveis.
Lei 12305/2010 – Institui a Política
Nacional de Resíduos Sólidos
• Artº 6 – Princípios:
I - a prevenção e a precaução;
II - o poluidor-pagador e o protetor-recebedor;
....
VIII - o reconhecimento do resíduo sólido
reutilizável e reciclável como um bem
econômico e de valor social, gerador de
trabalho e renda e promotor de cidadania;
....
Lei 12305/2010 – Institui a Política
Nacional de Resíduos Sólidos
• Artº 7 – Objetivos:
I - proteção da saúde pública e da qualidade
ambiental;
II - não geração, redução, reutilização,
reciclagem e tratamento dos resíduos sólidos,
bem como disposição final ambientalmente
adequada dos rejeitos;
III - estímulo à adoção de padrões sustentáveis
de produção e consumo de bens e serviços;
....
Lei 12305/2010 – Institui a Política
Nacional de Resíduos Sólidos
• Artº 8 – Instrumentos:
I - os planos de resíduos sólidos;
II - os inventários e o sistema declaratório
anual de resíduos sólidos; ....
XI - o Sistema Nacional de Informações sobre a
Gestão dos Resíduos Sólidos (Sinir);
XII - o Sistema Nacional de Informações em
Saneamento Básico (Sinisa);....
XVII - os instrumentos da PNMA...
Lei 12305/2010 – Institui a Política
Nacional de Resíduos Sólidos
• Artº 13 – Classificação:
I - quanto à origem:
c) resíduos sólidos urbanos (domiciliares e de
limpeza urbana);
....
e) resíduos dos serviços públicos de
saneamento básico: os gerados nessas
atividades, excetuados os da alínea “c”;
....
Lei 12305/2010 – Institui a Política
Nacional de Resíduos Sólidos
• Artº 13 – Classificação:
II - quanto à periculosidade:
a) resíduos perigosos: aqueles que, em razão de suas
características de inflamabilidade, corrosividade,
reatividade, toxicidade, patogenicidade,
carcinogenicidade, teratogenicidade e
mutagenicidade, apresentam significativo risco à
saúde pública ou à qualidade ambiental, de acordo
com lei, regulamento ou norma técnica;
b) resíduos não perigosos: aqueles não enquadrados
na alínea “a”.
Lei 12305/2010 – Institui a Política
Nacional de Resíduos Sólidos
• Art. 20. Estão sujeitos à elaboração de plano
de gerenciamento de resíduos sólidos:
I - os geradores de resíduos sólidos previstos
nas alíneas “e”, “f”, “g” e “k” do inciso I do
art. 13;
II - os estabelecimentos comerciais e de
prestação de serviços que:
a) gerem resíduos perigosos;...
Lei 12305/2010 – Institui a Política
Nacional de Resíduos Sólidos
• Art. 47. São proibidas as seguintes formas
de destinação ou disposição final de resíduos
sólidos ou rejeitos:
I - lançamento em praias, no mar ou em
quaisquer corpos hídricos;
II - lançamento in natura a céu aberto,
excetuados os resíduos de mineração;
....
Lei 11445/2007 – Política Federal
de Saneamento Básico
• Art. 2º. Princípios fundamentais:
I - universalização do acesso;
....
III - abastecimento de água, esgotamento
sanitário, limpeza urbana e manejo dos
resíduos sólidos realizados de formas
adequadas à saúde pública e à proteção do
meio ambiente;
....
VII - eficiência e sustentabilidade econômica;
Lei 11445/2007 – Política Federal
de Saneamento Básico
• Art. 2º. Princípios fundamentais:
VIII - utilização de tecnologias apropriadas,
considerando a capacidade de pagamento
dos usuários e a adoção de soluções
graduais e progressivas;
....
XII - integração das infra-estruturas e serviços
com a gestão eficiente dos recursos hídricos.
XIII - adoção de medidas de fomento à
moderação do consumo de água.
Lei 11445/2007 – Política Federal
de Saneamento Básico
• Art. 3º. Definições:
....
VI - prestação regionalizada: aquela em que
um único prestador atende a 2 (dois) ou
mais titulares;
VII - subsídios: instrumento econômico de
política social para garantir a universalização
do acesso ao saneamento básico,
especialmente para populações e localidades
de baixa renda;
Lei 11445/2007 – Política Federal
de Saneamento Básico
• Art. 10. A prestação de serviços públicos de
saneamento básico por entidade que não
integre a administração do titular depende
da celebração de contrato, sendo vedada a
sua disciplina mediante convênios, termos de
parceria ou outros instrumentos de natureza
precária.
§ 1o Excetuam-se do disposto no caput deste
artigo:
• II - os convênios e outros atos de delegação
celebrados até o dia 6 de abril de 2005.
Lei 11445/2007 – Política Federal
de Saneamento Básico
• Art. 11. São condições de validade dos
contratos...:
I - a existência de plano de saneamento
básico;....
IV - as condições de sustentabilidade e
equilíbrio econômico-financeiro, incluindo:
a) o sistema de cobrança;
b) a sistemática de reajustes e de revisões de
taxas e tarifas;
c) a política de subsídios;
Lei 11445/2007 – Política Federal
de Saneamento Básico
• Art. 29. Os serviços públicos de saneamento
básico terão a sustentabilidade econômico-
financeira assegurada, sempre que possível,
mediante remuneração pela cobrança dos
serviços.
§ 2o Poderão ser adotados subsídios tarifários
e não tarifários para os usuários e
localidades que não tenham capacidade de
pagamento ou escala econômica suficiente
para cobrir o custo integral dos serviços.
Lei 9.605/98 – Dispõe sobre
as sanções penais e administrativas derivadas de
condutas e atividades lesivas ao Meio Ambiente
Art. 2º Quem concorre para a prática dos
crimes previstos nesta Lei, incide nas penas
a estes cominadas: o diretor, o
administrador, o auditor, o gerente, o
preposto ou mandatário de pessoa jurídica,
que, sabendo da conduta criminosa de
outrem, deixar de impedir a sua prática;
Lei 9.605/98 – Dispõe sobre
as sanções penais e administrativas derivadas de
condutas e atividades lesivas ao Meio Ambiente

Art. 38. Destruir ou danificar floresta


considerada de preservação permanente,
mesmo que em formação, ou utilizá-la com
infringência das normas de proteção:

Pena - detenção, de um a três anos, ou


multa, ou ambas as penas cumulativamente.
Lei 9.605/98 – Dispõe sobre
as sanções penais e administrativas derivadas de
condutas e atividades lesivas ao Meio Ambiente

Fonte: Eng° Epaminondas (SUPOB, 2009)


Lei 9.605/98 – Dispõe sobre
as sanções penais e administrativas derivadas de
condutas e atividades lesivas ao Meio Ambiente

Art. 54. Causar poluição de qualquer natureza


em níveis tais que resultem ou possam resultar
em danos à saúde humana, ou que provoquem
a mortandade de animais ou a destruição
significativa da flora:

Pena - reclusão, de um a quatro anos, e multa.


Lei 9.605/98 – Dispõe sobre
as sanções penais e administrativas derivadas de
condutas e atividades lesivas ao Meio Ambiente
§ 2º Se o crime:
...
V - ocorrer por
lançamento de
resíduos sólidos, ...
Pena - reclusão, de um a cinco anos.
Lei 9.605/98 – Dispõe sobre
as sanções penais e administrativas derivadas de
condutas e atividades lesivas ao Meio Ambiente
Art. 60. Construir, reformar, ampliar, instalar
ou fazer funcionar, em qualquer parte do
território nacional, estabelecimentos, obras
ou serviços potencialmente poluidores, sem
licença ou autorização dos órgãos
ambientais competentes, ou contrariando as
normas legais e regulamentares pertinentes:
Pena - detenção, de um a seis meses, ou
multa, ou ambas as penas cumulativamente.
Lei Complementar 140/2011 – Fixa normas de
cooperação nas ações administrativas entre os
entes da Federação sobre o Meio Ambiente
Art. 3o Constituem objetivos fundamentais:
I - proteger, defender e conservar o meio
ambiente ecologicamente equilibrado,
promovendo gestão descentralizada,
democrática e eficiente;
II - garantir o equilíbrio do desenvolvimento
socioeconômico com a proteção do meio
ambiente, observando a dignidade da
pessoa humana, a erradicação da pobreza e
a redução das desigualdades sociais e
regionais;
Lei Complementar 140/2011 – Fixa normas de
cooperação nas ações administrativas entre os
entes da Federação sobre o Meio Ambiente
Cont...
III - harmonizar as políticas e ações
administrativas para evitar a sobreposição
de atuação entre os entes federativos, de
forma a evitar conflitos de atribuições e
garantir uma atuação administrativa
eficiente;
IV - garantir a uniformidade da política
ambiental para todo o País, respeitadas as
peculiaridades regionais e locais.
Lei Complementar 140/2011 – Fixa normas de
cooperação nas ações administrativas entre os
entes da Federação sobre o Meio Ambiente
Art. 13. Os empreendimentos e atividades são
licenciados ou autorizados, ambientalmente, por
um único ente federativo
§ 1o Os demais entes federativos interessados
podem manifestar-se ao órgão responsável pela
licença ou autorização, de maneira não
vinculante, respeitados os prazos e
procedimentos do licenciamento ambiental.
§ 2o A supressão de vegetação decorrente de
licenciamentos ambientais é autorizada pelo
ente federativo licenciador.
Lei Complementar 140/2011 – Fixa normas de
cooperação nas ações administrativas entre os
entes da Federação sobre o Meio Ambiente
Art. 14. Os órgãos licenciadores devem
observar os prazos estabelecidos para
tramitação dos processos de licenciamento.
§ 4o A renovação de licenças ambientais deve
ser requerida com antecedência mínima de
120 (cento e vinte) dias da expiração de seu
prazo de validade, fixado na respectiva
licença, ficando este automaticamente
prorrogado até a manifestação definitiva do
órgão ambiental competente.
Lei Complementar 140/2011 – Fixa normas de
cooperação nas ações administrativas entre os
entes da Federação sobre o Meio Ambiente
Art. 17. Compete ao órgão responsável pelo
licenciamento ou autorização, conforme o
caso, de um empreendimento ou atividade,
lavrar auto de infração ambiental e instaurar
processo administrativo para a apuração de
infrações à legislação ambiental cometidas
pelo empreendimento ou atividade licenciada
ou autorizada.
§ 1o Qualquer pessoa legalmente identificada,
ao constatar infração ambiental, decorrente
de empreendimento ou atividade...
Lei Complementar 140/2011 – Fixa normas de
cooperação nas ações administrativas entre os
entes da Federação sobre o Meio Ambiente
...pode dirigir representação ao órgão a que se
refere o caput, para efeito do exercício de
seu poder de polícia.
§ 2o Nos casos de iminência ou ocorrência de
degradação da qualidade ambiental, o ente
federativo que tiver conhecimento do fato
deverá determinar medidas para evitá-la,
fazer cessá-la ou mitigá-la, comunicando
imediatamente ao órgão competente para as
providências cabíveis.
Outras Leis
• Lei 5197/1967 - Dispõe sobre a proteção à
fauna e dá outras providências.
• Lei 9795/1999 - Institui a Política Nacional
de Educação Ambiental
• Decreto 99274/1990 – Regulamenta a PNMA
• Decreto 12867/2010 – Rege sobre o Cerrado
• Decreto 6514/2008 - Dispõe sobre as
infrações e sanções administrativas MA
• Decreto 4291/2002 – Regulamenta a PNEA
• Decreto 7404/2010 – Regulamenta a PNRS
OBRIGADO!!!

“A mente que se abre a uma nova


idéia jamais voltará ao seu
tamanho original.”

Albert Einstein