Sei sulla pagina 1di 1

NOTA DE REPÚDIO

“Pior do que a violência dos maus é o silêncio dos bons.


A ameaça à justiça num lugar é ameaça à justiça em
todos os lugares.”
[Martin Luther King, Jr., pastor batista]

No dia 16 de julho, na Igreja Batista Atitude, no Rio de Janeiro, como parte do Congresso
Despertar da Juventude Batista Brasileira, ligada à Convenção Batista Brasileira (CBB),
ocorreria uma mesa redonda sob o tema “Descolonizando o olhar: O racismo atinge a
igreja?”, com o pastor batista Marco Davi de Oliveira e a pedagoga Fabíola Oliveira. Por
ordem do Conselho da CBB, dias antes, essa mesa foi cancelada sem nenhuma
justificativa plausível, senão a pressão de grupos ultraconservadores e fundamentalistas,
que alinhados ao atual governo, encontram eco nas lideranças do referido Conselho.

Nós, da Aliança de Batistas do Brasil, em consonância com seus princípios 1, vimos por
meio desta nota demonstrar nosso repúdio ao cancelamento do Conselho da CBB que
viola inclusive o reconhecimento histórico, mesmo que tardio, da Convenção Batista do
Sul dos Estados Unidos, da qual a CBB é herdeira, do racismo praticado nas igrejas
daquele país. Da condenação da Aliança Batista Mundial, desde 1935, às práticas de
racismos em todas as suas formas e de inúmeros pronunciamentos e documentos como as
feitas no Congresso de Juventude da Aliança Batista Mundial nos anos 1960 contra o
racismo nos Estados Unidos e na África do Sul. Lembramos também de nossa
Constituição de 1988 e do Estatuto da Igualdade Racial.

Tal gesto, perpetrado pelo Conselho da Convenção Batista Brasileira, representa um


retrocesso histórico, teológico e ético às lutas antirracistas lideradas pelo pastor batista
Dr. Martin Luther King, Jr., militante contra o racismo e pelos direitos civis e a luta por
justiça no seu país e no mundo, tendo por isso recebido o Prêmio Nobel da Paz, como
igualmente levada a cabo por outros irmãos e irmãs de tradição batista em várias partes
do mundo, e também no Brasil, entre os quais o Pr. Marco Davi deve ser contado entre
seus principais protagonistas nas últimas décadas.

Expressamos nossa solidariedade ao Pr. Marco Davi de Oliveira e à Fabíola Oliveira, aos
quais nos somamos indignados e irmanados na luta contra o racismo em todas as suas
formas. Convidamos as igrejas, sua juventude e toda a população brasileira a não tolerar
essas práticas e nos enfileirar contra o racismo.

Aliança de Batistas do Brasil, 22 de julho de 2019.

1
Especialmente os que seguem: III. Celebrar a diversidade da vida e da humanidade em todas as suas
formas, respeitar as diferenças e promover o diálogo; V. Defender a causa dos empobrecidos e proscritos
da sociedade; VI. Lutar pela justiça com e para os oprimidos.