Sei sulla pagina 1di 23

CTM – Ciência e Tecnologia dos Materiais

2° ano- Aula 02

Propriedades Mecânicas dos Metais:


Porque estudar?
 O conhecimento das propriedades mecânicas é de extrema
importância para a escolha de um material, para a determinação de
sua aplicação, para o projeto e fabricação do componente;

 As propriedades mecânicas definem o comportamento do


material quando sujeitos a esforços mecânicos, pois estão
relacionadas à capacidade do material de resistir ou transmitir
estes esforços aplicados sem se romper e sem se deformar.

1
CTM – Ciência e Tecnologia dos Materiais
2° ano- Aula 02

Resistência Mecânica:
 Resistência mecânica de uma estrutura é sua capacidade de
suportar as solicitações externas sem a ocorrência de
deformações plásticas (deformações irreversíveis).

Dureza:
 Capacidade de um material resistir à penetração;
 É a resistência à deformação plástica permanente;
 É a resistência ao risco ou capacidade de riscar;
 Dureza é a propriedade característica de um material sólido,
que expressa sua resistência a deformações permanentes e esta
diretamente relacionada coma força de ligação dos átomos.
2
CTM – Ciência e Tecnologia dos Materiais
2° ano- Aula 02

Ponto de fusão:
 Temperatura na qual o
material passa do estado
sólido para o estado líquido.

Plasticidade:
 Propriedade do material de
se deformar de maneira
irreversível, quando submetido
a solicitações extremas.

3
CTM – Ciência e Tecnologia dos Materiais
2° ano- Aula 02

Maleabilidade:
 É uma propriedade que permite a
conformação de uma liga metálica por
deformação. Um material maleável é
facilmente dobrado, laminado, forjado e
conformado.

Ductilidade:
 É a capacidade que o material
tem de se deformar sem se
romper.

4
CTM – Ciência e Tecnologia dos Materiais
2° ano- Aula 02

Tenacidade:
 Capacidade que o material possui de absorver energia
total (elástica e plástica) por unidade de volume até
atingir a ruptura (fratura). O material capaz de absorver
uma quantidade elevada de energia nesse regime é dito
tenaz. É o oposto do material frágil, onde se tem a fratura
com pequena absorção de energia.

Resiliência:
 Capacidade de um material absorver energia
mecânica em regime elástico (ou resistir à energia
mecânica absorvida) por unidade de volume e
readquirir a forma original quando retirada a carga
que provocou a deformação. Quanto mais
resiliente for o metal, menos frágil este será.
Ex: Molas 5
CTM – Ciência e Tecnologia dos Materiais
2° ano- Aula 02

Soldabilidade:
 A boa soldabilidade de um aço é associada pela pouca
transformação de sua estrutura cristalina durante o
processo de soldagem.

6
CTM – Ciência e Tecnologia dos Materiais
2° ano- Aula 02

Como determinar as propriedades


mecânicas de um material?
 São determinadas através de ensaios mecânicos , onde são
utilizados corpos de provas (amostras de material), em dimensões
padronizadas;

 Utiliza-se normas técnicas para procedimento das medidas e


confecção do corpo de prova para garantir que os resultados sejam
comparáveis;

 As normas mais comuns são:


- ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas;
- ASTM (American Society for Testing and Materials).
7
CTM – Ciência e Tecnologia dos Materiais
2° ano- Aula 02

Ensaio de tração:
O ensaio de tração é utilizado para determinação das
propriedades mecânicas:

- Resistência;
- Elasticidade;
- Rigidez;
- Ductilidade;
- Tenacidade;
- Resiliência.
8
CTM – Ciência e Tecnologia dos Materiais
2° ano- Aula 02

Ensaio de tração:

9
CTM – Ciência e Tecnologia dos Materiais
2° ano- Aula 02

Gráfico do ensaio de tração:

Video

10
CTM – Ciência e Tecnologia dos Materiais
2° ano- Aula 02

Ensaio de dobramento:
 O ensaio de dobramento fornece uma indicação qualitativa da ductilidade do
material;

 Não determina nenhum valor numérico;

 Na maioria das vezes a carga não precisa ser medida;

 A severidade do processo depende do diâmetro do cutelo;

 O dobramento sem cutelo é denominado dobramento sobre si mesmo;

 A análise é realizada a olho nu;

 O dobramento pode ser realizada em qualquer ponto ou qualquer direção do


corpo de prova. 11
CTM – Ciência e Tecnologia dos Materiais
2° ano- Aula 02

Ensaio de dobramento:

Video

12
CTM – Ciência e Tecnologia dos Materiais
2° ano- Aula 02

Ensaio de flexão:
 O ensaio de flexão é realizado em materiais frágeis e em materiais
resistentes, como o ferro fundido, alguns aços, estruturas de concreto e outros
materiais que em seu uso são submetidos a situações onde o principal esforço é
o de flexão;
A montagem do corpo de prova para o ensaio de flexão é semelhante à do
ensaio de dobramento. A novidade é que se coloca um extensômetro no centro
e embaixo do corpo de prova para fornecer a medida da deformação que
chamamos de flexa, correspondente à posição de flexão máxima.

Propriedade Avaliada
O ensaio de flexão fornece dados que permitem avaliar diversas propriedades
mecânicas dos materiais. Uma dessas propriedades é a tensão de flexão, que
consiste em deformar o eixo em uma curva, por meio da aplicação de cargas.

13
CTM – Ciência e Tecnologia dos Materiais
2° ano- Aula 02

Dureza:
 É a propriedade de um material (no estado sólido) que
permite a ele resistir à deformação plástica, usualmente
por penetração, e está diretamente relacionada com a
força de ligação dos átomos;

 O termo dureza também pode ser associado à


resistência à flexão, risco, abrasão ou corte.

14
CTM – Ciência e Tecnologia dos Materiais
2° ano- Aula 02

Ensaio de dureza:
 O ensaio é utilizado para controle de especificações de entrada
de matéria prima e durante as etapas de fabricação de
componentes;

 Deve-se observar que os resultados obtidos no ensaio de


dureza podem variar em função de tratamentos sofridos pela
peça (tratamentos térmicos, tratamentos termoquímicos, etc.)

Métodos de medição:
- Risco (escala de dureza MOHS);
- Ressalto (Método Shore);
- Penetração (Brinell, Vickers, Rockwell).
15
CTM – Ciência e Tecnologia dos Materiais
2° ano- Aula 02

Ensaio de dureza Brinell:


 O método de teste de dureza Brinell consiste em endentar o
material com uma esfera de aço endurecido ou metal duro com
10 mm de diâmetro com uma carga de 3000 kgf;

 Para materiais mais moles a carga pode ser reduzida para 1500
kg ou 500 k para reduzir endentação excessiva;

 A carga total é normalmente aplicada por 10 ou 15 segundos no


caso de ferro fundido ou aço , e pelo menos durante 30 segundos
para outros metais. 16
CTM – Ciência e Tecnologia dos Materiais
2° ano- Aula 02

Ensaio de dureza Brinell:

17
CTM – Ciência e Tecnologia dos Materiais
2° ano- Aula 02

Ensaio de dureza Vickers:


 É um método semelhante ao ensaio de dureza
Brinell, já que relaciona carga aplicada com a área
superficial de impressão;

 O penetrador padronizado é uma pirâmide de


diamante de base quadrada e com ângulo de 136°
entre faces opostas;

 Esse ângulo foi escolhido em função da


proximidade com o ângulo formado no ensaio de
dureza Brinell, entre duas linhas tangentes as bordas da
impressão e que partem do fundo dessa impressão.
18
CTM – Ciência e Tecnologia dos Materiais
2° ano- Aula 02

Ensaio de dureza Vickers:


 A carga plena é aplicada
normalmente durante um
tempo de 10 a 15s;

 As duas diagonais de
endentação deixadas na
superfície do material depois da
remoção da carga são medidas
usando uma régua acoplada ao
durômetro eu microscópio.

19
CTM – Ciência e Tecnologia dos Materiais
2° ano- Aula 02

Ensaio de Rockwell:
 É o mais utilizado no mundo devido à
rapidez e à facilidade de execução,
isenção de erros humanos, facilidade em
detectar pequenas diferenças de durezas
e pequeno tamanho de impressão;

 Utiliza-se da profundidade da
impressão causada por um penetrador
sob ação de uma carga, como indicador
da medida de dureza, e não há relação
com a área de impressão, como no caso
da Brinell. 20
CTM – Ciência e Tecnologia dos Materiais
2° ano- Aula 02

Ensaio de Rockwell:
 A dureza Rockwell pode ser classificada como comum ou
superficial, dependendo do penetrador, da pré-cargas e cargas
aplicadas;

 Os mais utilizados são o Rockwell A e C (aços temperados).


21
CTM – Ciência e Tecnologia dos Materiais
2° ano- Aula 02

Durômetro:

22
CTM – Ciência e Tecnologia dos Materiais
2° ano- Aula 02

1- William D. Callister Jr., Introdução à Ciência e Engenharia de


Materiais, Ed. LTC, 2000;

2- Chiaverini V., Tecnologia Mecânica, Vol. I e III Ed. McGraw – Hill


S.P;

3- L. B. Godefroid. “Análise de Falhas”. ABM – Associação Brasileira


de Metalurgia e Materiais, 422 páginas, 2005;

4- Van Vlack L.H., Princípios de Ciência dos Materiais, Ed. Edgard


Blücher, S.P.

23