Sei sulla pagina 1di 10

mais clroseli3@gmail.

com Painel Sair

SOCIOLOGIAinFOCO
domingo, 25 de agosto de 2013 Arquivo do blog
▼ 2013 (8)
▼ Agosto (1)
O livro de sociologia em slide para suporte pedagógico as aulas de sociologia O livro de sociologia em slide para
Acessem e bom estudos a todos suporte pedagó...

Professor: Celso Melo ► Junho (1)

► Abril (1)

► Março (4)

► Fevereiro (1)

http://sociologia-tgdoxa.blogspot.com.br/2013/04/slides-de-sociologia-do-livro-do-nelson.html Quem sou eu


SOCIOLOGIAinFOCO
Postado por SOCIOLOGIAinFOCO às 11:02 Nenhum comentário:
Visualizar meu perfil completo

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Questões para o 3º ano


-->
QUESTÃO 56 (Abril 2006)
Sobre a definição de ação social para Weber, assinale a alternativa correta.
A) Está fundada na coletividade, de forma a estabelecer uma relação social.
B) Implica necessariamente uma relação social, prescindindo de significação.
C) É um conceito de análise típico-ideal, sem nenhuma correspondência com a realidade
histórica.
D) É aquela que se orienta pela ação dos outros, sendo, portanto, reciprocamente referida.

QUESTÃO 59 (Abril 2006)


Acerca das formulações de Weber sobre poder e dominação, assinale a alternativa
INCORRETA.
A) A dominação exercida pelos dominantes somente é legítima quando assume um caráter do
tipo burocrático-legal.
B) O poder está fundamentado na desigualdade de oportunidades que afeta cada indivíduo
em dado contexto social.
C) Faz parte de uma relação de dominação estatal o uso da força física para assegurar a
obediência.
D) Os tipos puros de dominação - tradicional, legal e carismático - constituem uma tipologia
construída por Weber a partir da realidade histórica.

QUESTÃO 53 (Dezembro 2004)


Sobre a teoria weberiana acerca das várias formas de estratificação social, é correto
afirmar que:
A) as classes sociais se organizam segundo seus princípios de consumo de bens nas
diversas formas especificas de vida.
B) as diferenças que correspondem às classes ou aos estamentos geram, na esfera do poder
social e dentro das respectivas ordens sociais, os partidos.
C) os estamentos são grupos de status fechados, cujos privilégios estão desigualmente
definidos por leis, convenções e rituais.
D) as castas se organizam segundo as relações de produção e aquisição de bens.

QUESTÃO 53 (Fevereiro 2003)


Max Weber, em sua obra Economia e Sociedade, propõe uma classificação típico-ideal
da ação social, de acordo com o sentido ou orientação dos atores. Considere os
exemplos de ação social citados abaixo:
I – o consumidor adquire um relógio motivado pela emoção que este lhe causa.
II – o empresário estabelece uma gratificação para os empregados mais produtivos.
III – o católico caminha noventa quilômetros para demonstrar sua fé.
IV – o(a) estudante escolhe o colégio X só porque ali estudaram seus pais e avós.
Marque a alternativa correta.
A) Os exemplos III e IV ilustram, respectivamente, a ação afetiva e a ação racional com
relação a fins.
B) Os exemplos I e III ilustram, respectivamente, a ação racional com relação a fins e a ação
tradicional.
C) Os exemplos II e IV ilustram, respectivamente, a ação afetiva e a ação racional com
relação a valores.
D) Os exemplos II e III ilustram, respectivamente, a ação racional com relação a fins e a ação
racional com relação a valores.

QUESTÃO 56 (Fevereiro 2003)


Sobre os conceitos de poder e dominação, tal como elaborados por Max Weber, é
correto afirmar que:
A) a dominação prescinde do poder, uma vez que os indivíduos que se submetem a uma
ordem de dominação não levam em conta os recursos que possuem aqueles que exercem a
dominação.
B) são equivalentes, pois tanto um quanto outro são relações sociais às quais os indivíduos
atribuem sentido, compartilhando, portanto, motivações.
C) toda relação de poder implica uma relação de dominação, já que a força sem uma base de
legitimação não pode ser exercida.
D) não são equivalentes, pois a dominação supõe a presença do consentimento na relação
entre “X” e “Y”, o que, necessariamente, não se dá com o poder.

QUESTÃO 54 (Fevereiro 2007)


Sobre os tipos de ação social em Max Weber, marque a alternativa correta.
A) Os conceitos de ação burocrática, tradicional e carismática pensados por Weber são
construções históricas, que acontecem sucessivamente em determinadas realidades histórico-
culturais.
B) Weber define as ações sociais burocrática, tradicional e carismática a partir de uma
construção típico-ideal que é estabelecida apenas no plano conceitual.
C) Os tipos de ação burocrática, tradicional e carismática pensadas por Weber constituem
uma construção intelectual pautada na história e visam explicar uma dada realidade histórica.
D) A ação racional implica uma adequação entre meios e fins, a ação tradicional funda-se no
costume ou em um hábito já arraigado, uma vez que a ação carismática ou afetiva se
estabelece, fundamentalmente, em uma crença através dos tempos.

QUESTÃO 57 (Fevereiro 2007)


A respeito das definições de Max Weber para poder e dominação, é INCORRETO afirmar
que:
A) o Estado é uma relação estritamente de poder, que prescinde da dimensão de dominação.
B) o poder é a probabilidade de alguém determinar o comportamento do outro.
C) a dominação implica, em alguma medida, o consentimento da parte do dominado para a
ordem dada pelo dominante.
D) os fundamentos dos poderes econômico, ideológico e político são, respectivamente, a
riqueza, o saber e a força.

QUESTÃO 42 (Janeiro 2000)


De acordo com o pensamento weberiano, é correto afirmar que:
A) os juízos de valor do pesquisador não interferem em nenhuma fase do processo de
investigação científica.
B) a sociologia de Weber é um esforço de explicação da sociedade enquanto totalidade social.
C) o objetivo da sociologia é estabelecer leis gerais explicativas da realidade social.
D) a sociologia compreensiva busca apreender o sentido da ação social e de seus nexos
causais.

QUESTÃO 49 (Janeiro 2001)


Para explicar os fenômenos sociais, Weber propôs um instrumento de análise que
chamou de tipo ideal. Esse instrumento pode ser definido como:
I- uma construção do pensamento que permite identificar na realidade observada as
manifestações dos fenômenos e compará-las.
II- uma construção do pensamento que permite conceituar fenômenos e formações sociais.
III- um modelo perfeito a ser buscado pelas formações sociais históricas e qualquer realidade
observável.
IV- um modelo que tem a ver com as espécies sociais de Durkheim, exemplos de sociedades
observadas em diferentes graus de complexidade.
V- uma construção teórica abstrata a partir de casos particulares analisados.

Assinale a alternativa correta.


A) I, II e V estão corretas.
B) I, II e III estão corretas.
C) II, III e V estão corretas.
D) II, III e IV estão corretas.

QUESTÃO 54 (Janeiro 2004)


Em sua teoria sociológica, Max Weber propõe quatro tipos puros ideais de ação social,
que apresentam sentidos, cuja conexão cabe aos cientistas sociais captar para
compreender a realidade social.
Assinale a alternativa correta sobre a articulação dos tipos de ação social propostas
por Weber.
A) O procedimento econômico corresponde ao modelo típico de ação racional com relação a
fins, pois considera um conjunto de necessidades sob uma quantidade escassa de meios para
chegar ao objetivo pretendido; avalia os meios relativamente aos fins, estes em relação às
conseqüências implicadas e os diferentes fins possíveis.
B) O procedimento científico pode ser considerado um modelo típico ideal de ação tradicional
com relação a valores, na medida em que os cientistas operam pela lógica da crença na
emancipação do homem das mazelas sociais, até mesmo com certa irracionalidade, como se
pode ver na Física e na Química.
C) A ação afetiva típica ideal é a causada pelos sentimentos de ódio, amor, raiva, ciúme,
paixão, como se observa na competição individualista das sociedades capitalistas e, por isso,
guarda bastante racionalidade combinada com a tradição.
D) A articulação de dois ou mais tipos de ação social não oferecem sentidos compreensíveis
aos cientistas sociais. Isso ocorre porque os tipos ideais são conceitos limites, que buscam
captar realidades totalmente autônomas, como Max Weber demonstrou no estudo da conexão
entre a ética protestante e o espírito do capitalismo nos EUA.

QUESTÃO 57 (Janeiro 2004)


Assinale a alternativa correta, quanto à teoria weberiana sobre poder e dominação.
A) A dominação racional-legal é típica da sociedade capitalista, em que a crença na validade
da norma impessoal se estabelece.
B) O poder econômico e o poder ideológico definem-se, respectivamente, pelas posses do
saber e da riqueza.
C) A dominação fundada no carisma do líder nunca pode integrar o padrão de dominação
capitalista.
D) O poder sempre exige o consentimento por parte daquele que se comporta de acordo com
a determinação do outro.

QUESTÃO 44 (Julho 1999)


A respeito do conceito weberiano de ação social, é correto afirmar que:
A) o exercício religioso da fé é uma ação afetiva.
B) a decisão empresarial de inovação tecnológica para enfrentar a concorrência no mercado é
uma ação racional com relação a fins.
C) a ação que se orienta por valores não é uma ação social racional.
D) uma ação que se caracteriza pela livre escolha é tradicional.

QUESTÃO 43 (Julho 2000)


"300 milhões . Como o senhor da foto virou milionário... O mérito de Menin foi ter
vislumbrado uma oportunidade e apostado suas fichas nela. ... Percebendo que ali
podia estar sua galinha-dos-ovos-de-ouro, Menin resolveu projetar um negócio para
atender aquela clientela. Primeiro, construiu pequenas casas em bairros populares de
Belo Horizonte. Depois, passou a vender apartamentos semipadronizados com preços
até 25% mais baixos. Após definir seu nicho de mercado, Menin elaborou uma cartilha
que a empresa segue à risca até hoje."... (VEJA N. 15, 12/04/2000, p. 148)

Max Weber define uma tipologia da ação social que é apresentada nas afirmativas
abaixo. Assinale a alternativa que corresponde ao tipo de ação social descrita no texto.
A) Ação social racional com referência a fins.
B) Ação social afetiva.
C) Ação social tradicional.
D) Ação social racional com relação a valores.

QUESTÃO 47 (Julho 2001)


“Deve-se entender por ‘dominação’, (...) a probabilidade de encontrar obediência dentro
de um grupo determinado para mandatos específicos (ou para toda sorte de mandatos).
Não consiste, portanto, em toda espécie de probabilidade de exercer ‘poder’ ou
‘influência’ sobre outros homens. (...) Nem toda dominação se serve do meio
econômico. E ainda menos tem toda dominação fins econômicos.” WEBER, Max. In: Castro,
Anna Maria; Dias, Edmundo Fernandes. Introdução ao Pensamento Sociológico. Rio de Janeiro: Eldorado Tijuca, 1976.

Com base no texto acima, analise as afirmativas:


I) O poder decorrente de qualquer tipo ideal de dominação tem sempre um conteúdo que lhe
atribui legitimidade, seja esta jurídica, costumeira ou afetiva.
II) O poder decorre da posse básica e exclusiva de meios econômicos, sem a qual não há
poder nas sociedades capitalistas.
III) O poder emerge de mandatos extra-econômicos, que são obtidos com ou sem
legitimidade, apenas por agentes do Estado nas sociedades capitalistas.
IV) Para ser exercido, o poder depende de coerções objetivas, físicas e materiais, embora
dispense coerções morais para operar com legitimidade.

Assinalar a alternativa correta.


A) I e II estão corretas.
B) I e III estão corretas.
C) I e IV estão corretas.
D) Apenas I está correta.
QUESTÃO 51 (Julho 2003)
Na sociologia de Max Weber, o conceito de ação social tem sido fundamental em
inúmeros estudos importantes sobre as sociedades modernas. Considere as
alternativas teóricas abaixo e assinale a alternativa INCORRETA.
A) O conceito de ação social em Max Weber pretende comprovar a coerção, a interioridade, a
particularidade e a generalização dos fatos sociais, a partir da conexão natural de sentidos
entre a ética protestante e as imposições do capitalismo de Estado, como se vê nos EUA.
B) Para Max Weber, a Sociologia é a ciência que pretende interpretar os sentidos prováveis
da ação social, suas causas, seus efeitos e suas regularidades, que se expressam na forma
de usos, costumes e situações de interesse produzidos por diversos sujeitos.
C) Max Weber define ação social como uma conduta dotada de um significado subjetivo dado
por um sujeito que o executa, orientando seu próprio comportamento, tendo em vista a ação
de outros sujeitos conhecidos ou desconhecidos.
D) Para Max Weber, a explicação sociológica busca compreender os sentidos, o
desenvolvimento e os efeitos da conduta de um ou mais indivíduos em relação a outros, ou
seja, seu caráter social, não se propondo a julgar a validez da ação dos sujeitos.

QUESTÃO 56 (Julho 2003)


No dia 30 de junho de 2002 – mesmo dia em que a seleção brasileira de futebol
conquistou o tetra - morria em Uberaba, no Triângulo Mineiro, o famoso médium Chico
Xavier. Seu velório atraiu nada menos que 100 mil pessoas, movidas, a maioria delas,
por suas crenças na reencarnação e na comunicação com os espíritos; por suas
esperanças em curas extraordinárias; por seus valores éticos, como a caridade, e,
naturalmente, por seus laços afetivos com o grande líder religioso. Músicas e roupas
alegres, coloridas, deram ao velório um clima de festa, aparentemente incompatível
com um acontecimento fúnebre. O motivo era simples: para o espiritismo kardecista
não existe luto, sendo a morte vista apenas como mais uma etapa cumprida num longo
processo de aperfeiçoamento do espírito. Por isso, a morte de Chico Xavier não deveria
ser lamentada, apesar de sentida. Texto adaptado da Revista IstoÉ, de 10 de julho de 2002.

Analisando os acontecimentos descritos, de acordo com a teoria de Max Weber e,


considerando tais acontecimentos dotados de sentido, pode-se afirmar que esse
sentido:
A) está mais próximo das ações irracionais, predominando reações surdas a estímulos
habituais, independentemente de fins conscientes.
B) está mais próximo das ações racionais, predominando uma orientação consciente dos
agentes, independentemente dos seus resultados.
C) vincula-se a ações totalmente irracionais, implicando reações desenfreadas a estímulos
não-cotidianos, independentemente de fins conscientes.
D) vincula-se a ações racionais, implicando, sempre e unicamente, uma orientação consciente
dos agentes quanto aos meios e fins.

QUESTÃO 60 (Julho 2003)


Assinale a alternativa que corresponde à formulação de Max Weber acerca dos
chamados tipos puros de dominação legítima.
A) A dominação legal-racional fundamenta-se na crença dos indivíduos acerca da validade de
um dado instrumento normativo.
B) A dominação carismática articula-se à motivação que os indivíduos têm com vistas à
obtenção de determinados fins para suas ações sociais.
C) A dominação tradicional é a mais apropriada à sociedade capitalista e está presente nas
empresas e nos órgãos governamentais.
D) A dominação carismática realiza, em patamar superior, o espírito do capitalismo, uma vez
que assegura aos investimentos privados um ambiente mais propício ao lucro desejado.

QUESTÃO 53 (Julho 2005)


Segundo Weber é correto afirmar que:
A) a ação social é qualquer ação que o grupo social pratica, orientando-se pela própria ação e
estabelecendo relações sociais significativas.
B) a vida social é resultado de um conjunto de ações individuais orientadas a um determinado
fim e reciprocamente referidas, estabelecendo-se, assim, as relações sociais.
C) toda ação social está condicionada por idéias de valores que são fenômenos histórico-
material.
D) a vida social é resultado de um conjunto de ações coletivas, reciprocamente referidas de
forma a estabelecer relações sociais.

QUESTÃO 57 (Julho 2005)


Quanto à definição weberiana de Estado, assinale a alternativa correta.
A) Define-se pelo meio que lhe é próprio, ou seja, o monopólio considerado legítimo do
recurso à força.
B) Corresponde a uma autoridade moral, cuja função é a de preservar a sociedade de crises
em que a coesão esteja ameaçada.
C) É a expressão político-institucional dos antagonismos entre as classes sociais.
D) É o produto de processos sociais coercitivos e externos aos indivíduos, que a estes se
impõe também pela educação.

QUESTÃO 54 (Julho 2006)


Quanto às análises weberianas sobre o desencantamento do mundo e o processo de
secularização, é INCORRETO afirmar que:
A) a secularização diz respeito tanto à expropriação dos bens eclesiásticos quanto ao
desencantamento do mundo.
B) a perspectiva de Max Weber é evolucionista e prevê o fim da religião em uma sociedade
moderna.
C) a decadência do poder hierocrático seria um sentido forte da secularização.
D) o desencantamento do mundo refere-se tanto à desmistificação via religião ética (os
profetas, por exemplo) quanto à ciência e à tecnologia.

QUESTÃO 57 (Julho 2006)


Sobre a ética do trabalho, conforme a sociologia de Max Weber, é correto afirmar que
A) o estilo de vida normativo, com base na ética religiosa católica, possibilitou o
desenvolvimento da mentalidade econômica burguesa no Ocidente.
B) há uma relação impositiva entre a ética protestante e o espírito do capitalismo no sentido
do desenvolvimento da moderna economia burguesa.
C) há uma relação causal entre a ética racional protestante, fundada no trabalho, e o espírito
do capitalismo, que possibilitou o desenvolvimento deste último no Ocidente.
D) há uma relação causal entre o desenvolvimento da ética religiosa protestante, fundada na
contemplação, e o espírito do capitalismo, levando ao desenvolvimento deste último no
Ocidente.

QUESTÃO 54 (Julho 2007)


Considere a citação.
“[...] o racionalismo econômico, embora dependa parcialmente da técnica e do direito
racional, é ao mesmo tempo determinado pela capacidade e disposição dos homens em
adotar certos tipos de conduta racional. [...] Ora, as forças mágicas e religiosas, e os
ideais éticos de dever deles decorrentes, sempre estiveram no passado entre os mais
importantes elementos formativos da conduta.”
WEBER, Max. A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo. São Paulo: Livraria Pioneira Editora,1989, 6 ed., p. 11.

A respeito das relações de causalidade que o sociólogo Max Weber propõe entre as
origens do capitalismo moderno, o processo de racionalização do mundo e as religiões
de salvação, assinale a alternativa correta.
A) Coube às éticas religiosas do confucionismo (China) e hinduísmo (Índia) redefinirem o
padrão das relações econômicas que, a partir do século XVI, culminaria no capitalismo de tipo
moderno.
B) As seitas protestantes que floresceram nas sociedades orientais, a partir do século XVI,
são responsáveis pela prematura posição de destaque do Japão, China e Índia no cenário
econômico internacional que se seguiu à Revolução Industrial.
C) A partir de sua doutrina da predestinação, o calvinismo foi responsável pela introdução de
um padrão ético que, ao estimular a racionalização da conduta cotidiana de seus fiéis,
contribuiu de maneira inédita para o desenvolvimento das relações capitalistas modernas.
D) O processo de encantamento do mundo (irracionalização do conhecimento e das relações
cotidianas) encontra-se na base da ética protestante, cujas prescrições de conduta se
revelaram condição imprescindível para o desenvolvimento e consolidação das relações
capitalistas modernas.

QUESTÃO 57 (Julho 2007)


Sobre o legado do pensamento científico de Max Weber, Carlos B. Martins afirma que:
“A obra de Weber representou uma inegável contribuição à pesquisa sociológica,
abrangendo os mais variados temas, como o direito, a economia, a história, a religião, a
política, a arte, de modo destacado, a música. Seus trabalhos sobre a burocracia
tornaram-no um dos grandes analistas deste fenômeno.”
MARTINS, Carlos B. O Que é Sociologia? São Paulo: Editora Brasiliense, 1991, 28 ed., p. 66.

A respeito das contribuições de Weber acerca dos conceitos de poder e dominação,


assinale a alternativa correta.
A) Ao passo que poder é toda probabilidade de impor a própria vontade numa relação social,
mesmo contra resistências, dominação é a probabilidade de encontrar obediência a uma
ordem de determinado conteúdo, considerada legítima.
B) Há, para Weber, não mais que dois tipos puros de dominação, quais sejam, a carismática
(típica das sociedades tradicionais) e a legal-racional (típica das sociedades modernas).
C) A transição de uma ordem política patrimonial-tradicional para uma ordem burocrática-legal
é acompanhada por uma consolidação do tipo de dominação carismática.
D) A dominação legal-racional dá-se por meio da obediência do quadro administrativo à
pessoa do senhor, em detrimento de estatutos impessoalmente estabelecidos.

QUESTÃO 42 (Março 2002)


Segundo as concepções de indivíduo e de sociedade na sociologia de Max Weber,
assinale a alternativa correta.
A) O indivíduo age socialmente, de acordo com as motivações e escolhas que possui e faz,
podendo estar relacionadas ou a uma tradição, ou a uma devoção afetiva ou, ainda, a uma
racionalidade.
B) A sociedade se opõe aos indivíduos, como força exterior a eles, razão pela qual os
indivíduos refletem as normas sociais vigentes.
C) O gênero humano é, irremediavelmente, um ser social, condição expressa pelo fato dos
homens e mulheres fazerem a história, mas sempre a partir de uma situação dada.
D) O Estado capitalista nada tem a ver com as escolhas que os indivíduos fazem a partir das
motivações que possuem, sendo, na verdade, a expressão das classes sociais em luta.

GABARITO

QUESTÃO 56 (Abril 2006) – D


QUESTÃO 59 (Abril 2006) – A
QUESTÃO 53 (Dezembro 2004) – B
QUESTÃO 53 (Fevereiro 2003) – D
QUESTÃO 56 (Fevereiro 2003) – D
QUESTÃO 54 (Fevereiro 2007) – C
QUESTÃO 57 (Fevereiro 2007) – A
QUESTÃO 42 (Janeiro 2000) – D
QUESTÃO 49 (Janeiro 2001) – A
QUESTÃO 54 (Janeiro 2004) – A
QUESTÃO 57 (Janeiro 2004) -
QUESTÃO 44 (Julho 1999) – B
QUESTÃO 43 (Julho 2000) – A
QUESTÃO 47 (Julho 2001) – D
QUESTÃO 51 (Julho 2003) – A
QUESTÃO 56 (Julho 2003) – B
QUESTÃO 60 (Julho 2003) – A
QUESTÃO 53 (Julho 2005) – B
QUESTÃO 57 (Julho 2005) – A
QUESTÃO 54 (Julho 2006) – B
QUESTÃO 57 (Julho 2006) – C
QUESTÃO 54 (Julho 2007) – C
QUESTÃO 57 (Julho 2007) – A
QUESTÃO 42 (Março 2002) – A

Postado por SOCIOLOGIAinFOCO às 16:59 Nenhum comentário:

terça-feira, 9 de abril de 2013


Para Max Weber, pode ser dividida em quatro ações fundamentais e é função do sociólogo compreendê-las
Na visão de Max Weber, a função do sociólogo é compreender o sentido das chamadas ações
sociais, e fazê-lo é encontrar os nexos causais que as determinam. Entende-se que ações
imitativas, nas quais não se confere um sentido para o agir, não são ditas ações sociais. Mas
o objeto da Sociologia é uma realidade infinita e para analisá-la é preciso construir tipos
ideais, que não existem de fato, mas que norteiam a referida análise.
Os tipos ideais servem como modelos e a partir deles a citada infinidade pode ser resumida
em quatro ações fundamentais, a saber:
1. Ação social racional com relação a fins, na qual a ação é estritamente racional. Toma-se
um fim e este é, então, racionalmente buscado. Há a escolha dos melhores meios para se
realizar um fim;
2. Ação social racional com relação a valores, na qual não é o fim que orienta a ação, mas
o valor, seja este ético, religioso, político ou estético;
3. Ação social afetiva, em que a conduta é movida por sentimentos, tais como orgulho,
vingança, loucura, paixão, inveja, medo, etc., e
4. Ação social tradicional, que tem como fonte motivadora os costumes ou hábitos
arraigados. (Observe que as duas últimas são irracionais).
Para Weber, a ação social é aquela que é orientada ao outro. No entanto, há algumas atitudes
coletivas que não podem ser consideradas sociais. No que se refere ao método sociológico,
Weber difere de Durkheim (que tem como método a observação e a experimentação, sendo
que esta se dá a partir da análise comparativa, isto é, faz-se a análise das diversas
sociedades as quais devem ser comparadas entre si posteriormente). Ao tratar os fatos
sociais como coisas, Durkheim queria mostrar que o cientista precisa romper com qualquer
pré-noção, ou seja, é necessário, desde o começo da pesquisa sobre a sociedade, o
abandono dos juízos de valores que são próprios ao sociólogo (neutralidade), uma total
separação entre o sujeito que estuda e o objeto estudado, que também pretendem as ciências
naturais. No entanto, para Weber, na medida em que a realidade é infinita, e quem a estuda
faz nela apenas um recorte a fim de explicá-la, o recorte feito é prova de uma escolha de
alguém por estudar isto ou aquilo neste ou naquele momento. Nesse sentido, não há, como
queria Durkheim, uma completa objetividade. Os juízos de valor aparecem no momento da
definição do tema de estudo.
Assim foi o seu conviver com a doutrina protestante que influenciou Weber na escrita de “A
ética protestante e o espírito do capitalismo”. Para esse teórico, é apenas após a definição do
tema, quando se vai partir rumo à pesquisa em si, que se faz possível ser objetivo e imparcial.
Compare-se Durkheim e Weber, agora do ponto de vista do objeto de estudo sociológico. O
primeiro dirá que a Sociologia deve estudar os fatos sociais, que precisam ser: gerais,
exteriores e coercitivos, além de objetivos, para esta ser chamada corretamente de “ciência”.
Enquanto o segundo optará pelo estudo da ação social que, como descrita acima, é dividida
em tipologias. Ademais, diferentemente de Durkheim, Weber não se apoia nas ciências
naturais a fim de construir seus métodos de análises e nem mesmo acredita ser possível
encontrar leis gerais que expliquem a totalidade do mundo social. O seu interesse não é,
portanto, descobrir regras universais para fenômenos sociais. Mas quando rejeita as
pesquisas que se resumem a uma mera descrição dos fatos, ele, por seu turno, caminha em
busca de leis causais, as quais são suscetíveis de entendimento a partir da racionalidade
científica.

Por João Francisco P. Cabral

Colaborador Brasil Escola

Graduado em Filosofia pela Universidade Federal de Uberlândia - UFU

Mestrando em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP


Postado por SOCIOLOGIAinFOCO às 17:42 Nenhum comentário:

segunda-feira, 11 de março de 2013

Émile Durkheim

Por Lucas Martins


Émile Durkheim foi um dos responsáveis por tornar a
Foto de Émile Durkheim
sociologia uma matéria acadêmica, sendo aceita como ciência
social. Durante sua vida, publicou centenas de estudos
sociais, sobre educação, crimes, religião, e até suicídio. Um dos focos de Durkheim era em
como as sociedades poderiam manter a sua integridade e coerência na era moderna, quando
as coisas como religião e etnia não poderiam estavam tão dispersas e misturadas. A partir
disto, ele procurou criar uma aproximação científica para os fenômenos sociais. Descobriu a
existência e a qualidade de diferentes partes da sociedade, divididas pelas funções que
exercem, mantendo o meio balanceado. Isto ficou conhecido como a teoria do Funcionalismo.
Também falava que a sociedade é mais do que a soma de suas partes. Ao contrário de Max
Weber, ele não estava focado no que motivava as ações individuais das pessoas
(individualismo), mas no estudo dos “fatos sociais”, termo criado por ele mesmo que descreve
os fenômenos que não são limitados apenas a uma pessoa. Os fatos sociais tem uma
existência indepentende e mais objetiva do que as ações individuais, e podem somente ser
explicados por outros fatos sociais, como a região onde a sociedade está submetida,
governos, etc.
Discutiu o fato de que na sociedade moderna, a divisão do trabalho ser bem maior do que
antes. Várias classes de funcionários foram criadas nas fábricas. Numa linha de produção, um
trabalhador não precisa saber de todo o processo de fabricação do produto, apenas da parte
que lhe foi conferida. Isto gerou uma dependência cada vez maior. Antes, o fazendeiro
trabalhava na sua propriedade auto-suficiente, sem depender de outros grupos de
trabalhadores para alimentar as necessidades. Agora, o trabalhador ganha seu dinheiro, e
tem de confiá-lo a outros grupos para poder se manter (roupas, alimentação, etc).
Livros de Émile Durkheim:
Da divisão do trabalho social, 1893;
Regras do método sociológico, 1895;
O suicídio, 1897;
Sociedade e trabalho, 1907;
As formas elementares de vida religiosa, 1912;
Leia também:
Consciência Coletiva
disponível em http://www.infoescola.com/sociologia/emile-durkheim/

Postado por SOCIOLOGIAinFOCO às 15:29 Nenhum comentário:

Postado por SOCIOLOGIAinFOCO às 15:23 Nenhum comentário:

Emile Durkheim e os Fatos Sociais 3º ANO

Todos nós sabemos que as sociedades são diferentes umas das


outras sob muitos aspecto. Durkheim propôs pensar diferentes a partir
da do conceito de solidariedade, verificando como uma realação entre
os indivíduos e sociedades e a coletividade se apresentava em
diferentes contextos. Nas sociedades simples, onde a coesão social e
de tal modo intensa que o coletivo ("NÓS") prevalece sobreo individuo
("EU". Durkheim identifica o que ele chama de solidariedade
mecânica. Nos contextos ondeo "eu" tem autonomia, oe os individuos
se percebem como diferentes, embora continuem a ser dependented
uns dos outros, o que se tem e a solidariedade orgânica. Esse é o
caso das sociedades muito do ponto de vista do trabalho, da classe
social, das escolhas políticas, das religiões, e até mesmo das
subculturas. por essa razão, os valores coletivos eo respeito às
normas precisam ser internalizadas por eles, para que a sociedade
não perca a sua liga. Quando ocorre situação externa de um indivíduo
( um conjunto deles) não mais reconhecer os valores e as normas
socais, tem-se anomia moral.
A sociedade moderna contribuiu para promover a solidariedade
orgãnica, mas lógica do mercado, segundo Durkheim, atentava contra
suas bases morais ao priorizar o lucro e tratrar com indiferença as
necessidades dos trabalhadores. Foi o próprio mundo do trabalho que
Durkheim buscou uma alternativa parao quadro de anomia. as
corporações funcionavam como verdadeirasescolas de valores e
regras sociais, mantendo a sociedade coesa.
fonte: BOMENY, Helena e FREIRE-MEDEIROS.Tempos Modernos, Tempos de Sociologia . São Paulo, Editora do Brasil,2010

Postado por SOCIOLOGIAinFOCO às 15:21 Nenhum comentário:

segunda-feira, 4 de março de 2013

Postado por SOCIOLOGIAinFOCO às 15:43 Nenhum comentário:

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Surgimento da Sociologia
A Revolução Francesa (França, 1789) e a Revolução Industrial (Inglaterra, 1780 a 1860)
são conhecidas como o cenário para o surgimento da Sociologia. A Europa estava
sofrendo grandes mudanças, transfor
A Revolução Francesa (França, 1789) e a Revolução Industrial (Inglaterra, 1780 a 1860)
são conhecidas como o cenário para o surgimento da Sociologia. A Europa estava
sofrendo grandes mudanças, transformando a vida social da população, dando ênfase no
processo de industrialização e urbanização da sociedade Capitalista que ali se implantava.
Foram desfeitos alguns costumes e tradições, como a família patriarcal, a servidão e o
trabalho manufatureiro, dando início à indústria capitalista.
Com a Revolução Industrial, as localidades devido a um crescimento demográfico
significativo, acabavam por não disponibilizar para seus habitantes uma boa infra-estrutura.
Ao que tange moradias e serviço de saúde, as civilizações deixavam a desejar para aqueles
que saiam do campo e vinham tentar a vida na cidade. Um importante crescimento que houve
na época, sob um ponto de vista, foi na área de técnicas produtivas e na introdução da
máquina a vapor, que proporcionava mais comodidade para os trabalhadores do ramo. Por
outro lado, a substituição da energia humana pela energia motriz, das ferramentas pelas
máquinas, bem como a produção doméstica pelo sistema fabril, trouxe alguns prejuízos para
as famílias que começaram a se encontrar desempregadas.As conseqüências da rápida
industrialização não foram as melhores possíveis, já que aumentos na criminalidade,
alcoolismo, violência, prostituição e surtos de epidemias de tifo e cólera foram
rapidamente constatados. Estas interferências terminaram por exterminar uma fatia
considerável da população.
Já na Revolução Francesa, o objetivo era fazer triunfar os ideais seculares, como liberdade
e igualdade sobre a ordem social tradicional, fazendo com que essas idéias se espalhassem
pelo mundo. A antiga forma de sociedade (Ancien Regime) foi abolida, promovendo muitas
transformações na política, na vida cultural e na economia do país, não havendo mais as
instituições aristocráticas e tradicionais, possibilitando igualdade entre todos os cidadãos
perante a lei. Muitas das explicações baseadas na religião passaram a receber criticas e
serem suplantadas por pensamentos racionais e lógicos, radicalmente mudando do modelo
teocêntrico (Deus) para o antropocêntrico (Homem).
Os primeiros sociólogos procuravam entender o estado de organização da sociedade em
formação, sendo o século XVIII muito importante para o surgimento dessa ciência profunda e
complexa, a qual é estudada e analisada até os dias de hoje. Todas as transformações que
ocorreram na época trouxeram consigo problemas para a vida em comunidade, daí surge a
Sociologia e seus pesquisadores para esclarecerem e organizarem as mudanças ocorridas
no meio social, juntamente com os processos que interligam os indivíduos em grupos,
associações e insituições. O termo Sociologia foi criado por Auguste Comte(foto acima), em
1838, que pretendia unificar a Psicologia, a Economia e a História, levando em consideração
que todos esses assuntos giram em torno do homem e seu comportamento. Mas os
fundamentos sociológicos só foram institucionalizados com Karl Marx, Émile Durkheim e
Max Weber, pensadores renomados que se tornam base para nosso estudo.
mando a vida social da população, dando ênfase no processo de industrialização e
urbanização da sociedade Capitalista que ali se implantava. Foram desfeitos alguns costumes
e tradições, como a família patriarcal, a servidão e o trabalho manufatureiro, dando início à
indústria capitalista.
Com a Revolução Industrial, as localidades devido a um crescimento demográfico
significativo, acabavam por não disponibilizar para seus habitantes uma boa infra-estrutura.
Ao que tange moradias e serviço de saúde, as civilizações deixavam a desejar para aqueles
que saiam do campo e vinham tentar a vida na cidade. Um importante crescimento que houve
na época, sob um ponto de vista, foi na área de técnicas produtivas e na introdução da
máquina a vapor, que proporcionava mais comodidade para os trabalhadores do ramo. Por
outro lado, a substituição da energia humana pela energia motriz, das ferramentas pelas
máquinas, bem como a produção doméstica pelo sistema fabril, trouxe alguns prejuízos para
as famílias que começaram a se encontrar desempregadas.As conseqüências da rápida
industrialização não foram as melhores possíveis, já que aumentos na criminalidade,
alcoolismo, violência, prostituição e

Postado por SOCIOLOGIAinFOCO às 16:28 Nenhum comentário:

Postagens mais recentes Página inicial

Assinar: Postagens (Atom)

Tema Marca d'água. Imagens de tema por Deejpilot. Tecnologia do Blogger.