Sei sulla pagina 1di 24

Victor Barboza - CEO da GFC

AS

TRÊS

LEIS DA

EDUCAÇÃO

FINANCEIRA

Victor Barboza - CEO da GFC AS TRÊS LEIS DA EDUCAÇÃO FINANCEIRA
A ORIGEM DO DINHEIRO

A ORIGEM DO DINHEIRO

O dinheiro como conhecemos hoje não existia nas primeiras civilizações, porém, desde cedo, percebeu-se que a troca entre objetos e serviços era necessária. Uma vez que alguns detinham mais de certas coisas do que os outros, esses que não detinham precisavam oferecer algo em troca para conseguir o que desejavam.

Dessa forma, as pessoas se distribuíam em atividades diferentes, sendo que alguns pescavam, outros plantavam e ainda havia os que caçavam. E isso acabou gerando o primeiro esquema de trocas, que ficou conhecido como escambo.

Inicialmente, as próprias mercadorias eram utilizadas para escambo. Por exemplo, se houvesse uma pessoa que tivesse peixes de sobra e quisesse milho, ele entregava certa quantidade de peixes para a pessoa e recebia milhos.

Porém, a partir de certo momento, com o aumento dos escambos, algumas mercadorias, pela sua utilidade, passaram a ser mais procuradas do que outras, e, acabaram virando as referências das trocas. Exemplos disso foram o gado e o sal.

Com o passar do tempo, surgiu um novo modelo. Várias dessas mercadorias que se tornaram bens de troca eram inconvenientes para transações comerciais, devido ao seu valor, por não serem fracionáveis, ou ainda por serem facilmente perecíveis – o que não permitia seu acúmulo como riqueza.

Foi a partir da descoberta dos metais que esse cenário mudou. As características dos metais, como possibilidade de entesouramento, divisibilidade, raridade, facilidade de transporte e sua beleza, acabaram elegendo-o como um padrão de valor.

As trocas, inicialmente, eram feitas em seu estado natural, porém, logo passaram a ser sob forma de barras ou objetos.

O próximo passo foi a definição de uma forma e um peso determinado para determinada marca de valor. Foi então, por volta do século VII a.C que as primeiras moedas surgiram.

As primeiras moedas eram feitas à mão, de ouro ou prata. O cobre acabou sendo inserido também, para valores menores. Foi no final do século 19 que o cuproníquel, inicialmente, e outras ligas metálicas começaram a ser usadas, apresentando maior durabilidade.

Na Idade Média, os negociadores de ouro e prata tinham o costume de guardar valores para as pessoas, e, em troca, entregavam um recibo.

valores para as pessoas, e, em troca, entregavam um recibo. Com o tempo, esses recibos foram
valores para as pessoas, e, em troca, entregavam um recibo. Com o tempo, esses recibos foram

Com o tempo, esses recibos foram utilizados para realizar pagamentos, dando origem ao papel moeda. Essa prática deu brecha para os Governos passarem a realizar o processo de produção de papel moeda.

O avanço acarretou o surgimento do cheque,os depósitos bancários,

os cartões e até novas tecnologias que chegam todos os dias, como

aplicativos de ce lular e pulseiras para pagamentos, e a atual febre,

as Criptomoedas.

Mas uma coisa não mudou! O dinheiro continua sendo resultado de um esforço de trabalho ou de um bem possuído, e ele permite e compra de outros produtos e serviços.

Logo, ele permite a sobrevivência e o bem-estar das pessoas, e, desde sempre, precisa ser bem gerenciado para que não venha a faltar. Portanto, podemos dizer que a Educação Financeira existe desde o surgimento do dinheiro.

EDUCAÇÃO FINANCEIRA

EDUCAÇÃO

FINANCEIRA

Podemos definir Educação Financeira como o processo pelo qual os indivíduos e as sociedades melhoram sua compreensão dos conceitos e produtos financeiros. A partir de informações, formação e orientações claras, as pessoas adquirem os valores e as competências necessários para se tornarem conscientes das oportunidades e dos riscos a elas associados. Passam então a fazer escolhas bem embasadas, aprendem onde procurar ajuda e adotam outras ações que melhorem o seu bem-estar.

Resumindo,a Educação Financeiro é um processo que contribui para a formação de indivíduos e sociedades responsáveis,comprometidos com o futuro – individual e coletivo.

Apesar do dinheiro já existir há muito tempo na história da sociedade, a Educação Financeira, em especial no Brasil, é tema bem recente. Até 1994, o grande problema vivenciado pelos brasileiros era a elevada e descontrolada inflação, que impossibilitava o planejamento a longo prazo. Com o Plano Real, a moeda foi se estabilizando, e a sociedade começou a entender melhor o valor do dinheiro,tornando mais fácil as atividades de comparação de preços, financiamento de produtos e planejamentos para conquistas de longo prazo.

Ainda assim, até o final dos anos 1990 o assunto educação financeira resumia-se basicamente a dicas de investimentos que especialistas do mercado financeiro forneciam para as pessoas multiplicarem seus patrimônios.

Porém, essas informações não eram úteis para toda a população. Na verdade, a grande parcela da população precisava de dicas, informações e conselhos sobre o outro lado da moeda, não sobre

o aumento do patrimônio, mas sim como trabalhar para não acabar o seu. Os produtos se desenvolviam e ganhavam grandes variedades, os serviços de especializavam, o crédito passava a ficar mais acessível, porém, uma boa base educativa para saber lidar com tudo isso estava em falta.

Foi a partir daí que começaram a chegar no Brasil alguns livros de autores internacionais, em paralelo com alguns nomes que começavam a criar esse movimento por aqui, como era o caso do Gustavo Cerbasi e do Marcos Silvestre. Com o passar dos anos, muitos outros integraram a esse movimento, das mais diferentes formas: livros, cursos, blogs, canais no Youtube.

Em 2010, a partir do Decreto Federal 7.397, a Estratégia Nacional de Educação Financeira – ENEF, foi criada, como uma política de Estado, para ser uma mobilização multisetorial em torno da promoção de ações de educação financeira no Brasil. A estratégia foi criada através da articulação de sete órgãos e entidades governamentais e quatro organizações da sociedade civil, que juntos integram o Comitê Nacional de Educação Financeira – CONEF.

O grande objetivo da ENEF é contribuir para o fortalecimento da cidadania ao fornecer e apoiar ações que ajudem a população a tomar decisões financeiras mais autônomas e conscientes.

Os objetivos que norteiam a ENEF são:

Promover a educação financeira previdenciária previdenciária

Aumentar a capacidade do cidadão para realizar escolhas conscientes sobre a administração dos seus recursos;ENEF são: Promover a educação financeira previdenciária Contribuir para a eficiência e a solidez dos mercados

Contribuir para a eficiência e a solidez dos mercados financeiros, de capitais, de seguros, de previdência e de capitalização. de seguros, de previdência e de capitalização.

para a eficiência e a solidez dos mercados financeiros, de capitais, de seguros, de previdência e
FINANÇAS, PSICOLOGIA E COMPORTAMENTO

FINANÇAS, PSICOLOGIA E COMPORTAMENTO

Quando tratamos de Finanças,basta aplicar conceitos de matemática financeira para chegar-se ao resultado esperado. Mas, quando temos a vida em paralelo a isso, tudo fica mais complexo. O que antes eram “apenas” números e operações matemáticas, passa agora a ter mais fatores por trás, dentre eles crenças, comportamentos, atitudes e hábitos. E todos estes, ao contrário das finanças por si só, deixam de ser algo das ciências exatas e entram em outras áreas, como Psicologia e Antropologia.

É muito interessante ver que da própria Economia, viu-se a necessidade de avaliar os fatores humanos nos experimentos, análises e teses. Foi daí que surgiu a Psicologia Econômica.

e teses. Foi daí que surgiu a Psicologia Econômica. A Economia é a grande responsável pelo

A Economia é a grande responsável pelo estudo da alocação dos

bens escassos, que envolveria conflitos, e também de fenômenos relacionados com a obtenção e utilização dos recursos materiais necessários ao bem-estar. Neste caso, o grande personagem deste estudo é o Homo oeconomicus, um agente fortemente racional. Nesse caso, há uma otimização da utilidade do indivíduo, sendo ele capaz de fazer as melhores escolhas possíveis.

Porém, ninguém é 100% racional e consegue fazer as melhores escolhas em todos os momentos. O nosso cérebro apresenta

um lado fortemente influenciado pelas emoções também. E foi justamente isso que a Psicologia Econômica se propôs a estudar:

o comportamento econômico dos indivíduos, grupos, governos, populações, no sentido de compreender como a economia

influencia no indivíduo e como este pode influenciar na economia, tendo como variáveis pensamentos, sentimentos, crenças, atitudes e expectativas.

Podemos dizer então, que um dos grandes alicerces da Educação Financeira está ligado justamente a estes estudos da Psicologia Econômica. O ato de educar os indivíduos a utilizarem seu dinheiro da melhor forma possível tem um lado muito forte no psicológico. Na educação, é fundamental haver um paralelo entre a teoria e a prática, caso contrário, é muito mais difícil que os ensinamentos passem a fazer parte do cotidiano das pessoas.

Assim,naEducaçãoFinanceira,alémdosensinamentossobrenúmeros, contas e investimentos, precisa-se trabalhar os comportamentos e hábitos de cada um frente ao dinheiro.

os comportamentos e hábitos de cada um frente ao dinheiro. No livro “O Poder do Hábito”,

No livro “O Poder do Hábito”, o repórter do New York Times Charles Duhigg mostra os resultados de suas pesquisas sobre como os hábitos funcionam e como podem ser transformados. Pode-se dizer que os hábitos existem como uma forma do nosso cérebro poupar esforços, por conta de toda a nossa evolução, sendo um padrão natural que a própria Psicologia Econômica também estuda.

A grande dificuldade é justamente na mudança de hábitos, pois isto exige muita disciplina e dedicação. Para que isso seja feita, é preciso ter em mente qual é a deixa para o novo hábito, para que este seja uma repetição de padrões comportamentais, com uma recompensa claramente definida. Essa transição entre deixa, rotina e recompensa formam o chamado “Loop do Hábito”, ilustrado acima.

Pensando em hábitos ligados às finanças, maus hábitos são aqueles que podem nos levar ao endividamento, que acabará trazendo não só problemas ao nosso bolso, como também possibilidades de problemas familiares e doenças. Hábitos como o consumo compulsivo, a falta de criação de reservas financeiras, entre outros, devem ser substituídos por hábitos que visam nosso bem-estar, presente e futuro também.

Portanto, para uma vida financeiramente equilibrada e que caminhe em direção à prosperidade, é preciso ter um grande equilíbrio entre o lado racional das finanças (cálculos, registros e controles), como também um lado mais emocional (hábitos de economizar, poupar e investir).

(cálculos, registros e controles), como também um lado mais emocional (hábitos de economizar, poupar e investir).
AS LEIS DA EDUCAÇÃO FINANCEIRA

AS LEIS DA EDUCAÇÃO FINANCEIRA

Como vimos, falar apenas de dinheiro não é suficiente para que uma pessoa possa ter uma vida melhor. Não adianta nada fazer uma elaborada carteira com os mais seletos investimentos se a pessoa não se comprometer, mensalmente, a ter uma vida financeiramente equilibrada.

Nas ciências exatas,utiliza-se muitos as Leis,que costumam ser princípios,teoremas e fórmulas,determinadas a partir de experimentos e teorias, mostrando quais são os padrões e comportamentos de estruturas, moléculas, entre outros.

Podemos fazer um paralelo com as finanças, buscando “leis” que sirvam para contribuir, através da definição de princípios básicos, na saúde financeira de qualquer indivíduo.

Vamos enuncia-las então!

1. LEI DO EQUILÍBRIO

Na Ciência: Equilíbrio, segundo o dicionário, é o estado de harmonia, afastamento de qualquer exces- so, igualdade de quantidade. Dizemos que um corpo está em equilíbrio quando as forças que agem sobre este se anulam entre si.Assim, o corpo mantém está- vel, sem se inclinar para nenhum dos lados.

mantém está- vel, sem se inclinar para nenhum dos lados. Nas Finanças: O Equilíbrio Financeiro é

Nas Finanças: O Equilíbrio Financeiro é justamente o estado onde as contas se equilibram, ou seja, não pendem nem para o negativo nem para o positivo (popularmente é o estado do “zero a zero”). Este é o primeiro passo para ter-se uma boa saúde financeira, afinal nenhuma dívida será gerada. Portanto, para que haja equilíbrio financeiro, não se deve, de maneira alguma, gastar mais do que se arrecada. Caso essa lei não seja respeitada, pode ocorrr o cenário do endi- vidamento, situação na qual o sujeito precisa tomar dinheiro emprestado de terceiros e arcará com juros (ou aluguel) em cima deste valor, o que caracterizará a saída do estado de equilíbrio.

Para chegar neste “Estado de Equilíbrio”, algumas ações são fundamentais.A primeira delas é saber qual o seu patrimônio (quanto de dinheiro você já tem), quais e quanto são as receitas e quanto e quais são as despesas.

Se o patrimônio estiver negativo, ou seja, você estiver devendo dinheiro, para alcançar o equilíbrio, é preciso encontrar formas de sobrar dinheiro todo mês. Podemos listar algumas:

Busque fontes de renda extra, como por exemplo trabalhos Freelancer (existem plataformas online que mostram

Busque fontes de renda extra, como por exemplo trabalhos Freelancer (existem plataformas online que mostram quais os serviços desejados, como o Workana e o 99Freelas), fazer artesanatos ou alimentos para vender.

Faça orçamentos, para ter limites claramente definidos para cada categoria. Compara preços em diferentes lugares

Faça orçamentos, para ter limites claramente definidos para cada categoria. Compara preços em diferentes lugares físicos e virtuais. No meio virtual, a comparação pode ser facilitada pelos Buscadores e Comparadores de Preço (Buscapé, Zoom, Google Shopping, Bondfaro).

Controle seus gastos. No cenário devedor,é fundamental controlar ao máximo os gastos, cortando ou buscando

Controle seus gastos.No cenário devedor,é fundamental controlar ao máximo os gastos, cortando ou buscando reduzir todos aqueles que não apresentam extrema necessidade.

A seguir, alguns exemplos realistas e consistentes de cortes de gastos que podem ser feitos no cotidiano:

• Mudar a TV por assinatura por pacotes mais baratos ou por

serviços de streaming;

• Cortar as tarifas bancárias e de cartão de crédito (buscar

contas digitais, conta de serviços essenciais e cartões sem anuidade) e para quem tiver empréstimos, buscar as que possuírem menoses taxas de juros. Para os serviços financeiros, utilizar comparadores como o Compara Bem e o Konkero ajuda nas melhores escolhas, considerando, inclusive, as fintechs;

• Comprar somente o necessário nas compras de supermercado,

levando uma lista de compras (evite ir com fome no supermercado!);

• Evitar comer fora de casa ou optar por lugares mais em conta;

• Buscar as melhores opções de transporte (transporte

público, aplicativos, caronas e, para quem tem carro, verificar qual

tipo de combustível é mais econômico). O aplicativo Vah permite a comparação das tarifas cobradas pelos aplicativos e existem

calculadoras online que permitem estimar quanto custa manter um veículo.

• Na hora das compras, comparar preços, buscar promoções e

cupons de descontos. Sites de descontos e promoções (Cuponeria, Promobit, Méliuz, Cuponomia, Saveme, Groupon, Peixe Urbano) podem ser consultados. Além disso, algumas lojas e restaurantes possuem aplicativos ou programas próprios para descontos especiais (verificar se estes programas não possuem custos). Para todas essas pesquisas, não deve-se deixar de lado o Orçamento e ficar tentado pelas promoções, tomando cuidado para não cair em armadilhas ou comprar o que não é necessário.

2. LEI DA ENTROPIA FINANCEIRA

Na Ciência: Entropia é definida como uma grandeza que mensura o grau irreversibilidade de um sistema, mostrando que o estado natural das coisas é a desordem.

mostrando que o estado natural das coisas é a desordem. Nas Finanças: uma vez que nosso

Nas Finanças: uma vez que nosso dinheiro não for organizado e controlado, seu estado natural é a desordem. Cada pessoa possui sua forma de organização, mas o que é fundamental é saber quanto dinheiro tem, saber quanto dinheiro deve e , utilizar uma forma para manter esse controle. Isto pode ser feito via caderno, planilhas ou aplicativos. Não há uma forma certa ou errada, deve ser escolhida uma que funcione.

Uma situação muito típica é a que acontece com empreendedores e quem tem pequenos negócios, que acabam não separando seu dinheiro pessoal do dinheiro da empresa, formando uma grande bagunça. Para ter esse controle, é preciso evitar a chamada “Contabilidade Mental”, ou seja, fazer tudo de cabeça e ir no “piloto automático”. O registro dos gastos e receitas é fundamental.

Não há uma forma certa ou errada para esses registros.Tem gente que prefere o tradicional caderninho, tem gente que prefere planilhas e já existem uma grande quantidade de aplicativos.A escolha deve ser feita de forma que esse registro se torne um hábito para a pessoa, pois, caso contrário, com o passar dos dias esse registro vai acabar sendo deixado de lado.

Para os que gostam de aplicativos, seguem algumas opções disponíveis:

O

O

O

Mobills é um sistema de controle financeiro pessoal

Mobills é um sistema de controle financeiro pessoal

Mobills é um sistema de controle financeiro pessoal

online criado em 2013, e, já possui mais de 3 milhão de

online criado em 2013, e, já possui mais de 3 milhão de

online criado em 2013, e, já possui mais de 3 milhão de

downloads. Como recursos, o sistema possui cadastro

downloads. Como recursos, o sistema possui cadastro

downloads. Como recursos, o sistema possui cadastro

inteligente, controle de cartões de crédito, gráficos e

inteligente, controle de cartões de crédito, gráficos e

inteligente, controle de cartões de crédito, gráficos e

relatórios personalizados, metas e orçamentos, sonhos e

relatórios personalizados, metas e orçamentos, sonhos e

relatórios personalizados, metas e orçamentos, sonhos e

sincronização de dados.

sincronização de dados.

sincronização de dados.

O

O

O

Grana é uma plataforma de finanças pessoais que

Grana é uma plataforma de finanças pessoais que

Grana é uma plataforma de finanças pessoais que

facilita a vida financeira do usuário e no controle das boas

facilita a vida financeira do usuário e no controle das boas

facilita a vida financeira do usuário e no controle das boas

decisões. Ele possibilita sincronização bancária com alguns

decisões. Ele possibilita sincronização bancária com alguns

decisões. Ele possibilita sincronização bancária com alguns

bancos e uma categorização inteligente, simplificando as

bancos e uma categorização inteligente, simplificando as

bancos e uma categorização inteligente, simplificando as

ações do dia-dia do controle das finanças pessoais

ações do dia-dia do controle das finanças pessoais

ações do dia-dia do controle das finanças pessoais

O

O

O

Organizze é uma ferramenta online que facilita a vida

Organizze é uma ferramenta online que facilita a vida

Organizze é uma ferramenta online que facilita a vida

financeira de seus usuários. Todos os lançamentos são

financeira de seus usuários. Todos os lançamentos são

financeira de seus usuários. Todos os lançamentos são

categorizados e geram gráficos que permite ao usuário

categorizados e geram gráficos que permite ao usuário

categorizados e geram gráficos que permite ao usuário

saber de onde vem e para onde vai o seu dinheiro.

saber de onde vem e para onde vai o seu dinheiro.

saber de onde vem e para onde vai o seu dinheiro.

dinheiro. saber de onde vem e para onde vai o seu dinheiro. Outros: Guia Bolso, Ghaio,

Outros: Guia Bolso, Ghaio, Brain4Finance, Contas

Outros: Guia Bolso, Ghaio, Brain4Finance, Contas

Outros: Guia Bolso, Ghaio, Brain4Finance, Contas

Online, Meu Dinheiro, Planejei, Poupa Certo,

Online, Meu Dinheiro, Planejei, Poupa Certo,

Online, Meu Dinheiro, Planejei, Poupa Certo,

Quanto Gastei,Vai Sobrar.

Quanto Gastei,Vai Sobrar.

Quanto Gastei,Vai Sobrar.

Esse controle deve ser feito para as finanças pessoais e também para as finanças do negócio, para aqueles que Esse controle deve ser feito para as finanças pessoais e também para as finanças do negócio, para aqueles que tiverem um. Da mesma forma que existem aplicativos e planilhas para a parte pessoal, para os Negócios também existem soluções bem interessantes.m

nota fiscal, estoque, vendas, frente de caixa, integração e-commerce, serviços, finanças, cadastros, integração Correios e boleto com registro. Correios e boleto com registro.

micro e pequena empresa,com as seguintes funcionalidades:

O

Bling é um software de gestão empresarial, ERP para a

para controle de estoque, financeiro, gestão de clientes, vendas, compras, emissão fiscal, de carnês, recibos e muito mais. Apresenta planos para 5 categorias de empresas: mais. Apresenta planos para 5 categorias de empresas:

Micro Empreendedor Individual (MEI), Iniciante, Micro, Pequeno e Médio.

O

Quanto Sobra é um software de Gestão Empresarial

O Quanto Sobra é um software de Gestão Empresarial Outros: Conta Azul, Granatum, Controlle, Market Up,

Outros: Conta Azul, Granatum, Controlle, Market Up, Nibo, Omie, Superlógica, Quickbooks Zero Paper.

3. LEI DA TRANSFORMAÇÃO

Na Ciência: Lavoisier criou o princípio da conservação de massas, na qual mostrou que na natureza nada se cria, tudo se transforma.

mostrou que na natureza nada se cria, tudo se transforma. Nas Finanças: para se ter investimentos

Nas Finanças: para se ter investimentos com bons retornos, é preciso estratégia e muitas vezes aumentar o grau de risco.A relação Risco x Retorno determina o quanto pode-se ter de retorno variando o grau de risco. Ou seja, investimentos com baixos graus de risco resultam em retornos baixos,enquanto investimentos com possibilidades de maiores retornos exigem um grau de risco elevado.

Muitas vezes são apresentados investimentos “sem risco algum” e com “alto retorno”, porém isso é algo que devemos suspeitar, pois podem ser fraudes ou esquemas de pirâmides financeiras, que podem nos levar de uma promessa de retorno garantido a uma perda total do nosso dinheiro.

Como vimos no começo do texto, o dinheiro se originou a partir de atividades como pesca, agricultura e caça. Com o desenvolvimento da sociedade, os trabalhos foram surgindo e o dinheiro era a forma de remuneração disso. Portanto, mesmo quem tem muito dinheiro tem esse valor proveniente de algum esforço, ou próprio ou de outra pessoa, que o remunerou em relação a alguma coisa, podendo ser um trabalho ou um grau de risco que foi tomado.

Na maioria dos casos, precisamos ter o nosso dinheiro trabalhado com o tempo, em conjunto com as nossas atividades, para ele ser “transformado” em um montante maior.

A variedade de investimentos e plataformas para realizarem esses é cada vez maior. Existem os tradicionais investimentos bancários, corretoras de investimentos, robôs investidores, entre outros. Para encontrar os melhores para você, é importante fazer uma pesquisa sobre a qualidade e segurança de cada um destes (realizar pesquisas no Google, Facebook, Procon e Reclame Aqui, por exemplo). Buscar opinião de especialistas também ajuda bastante nesta escolha.

Seguem algumas dicas de plataformas que podem ajudar na hora de investir:

Esse controle deve ser feito para as finanças pessoais e também para as finanças do negócio, para aqueles que Esse controle deve ser feito para as finanças pessoais e também para as finanças do negócio, para aqueles que tiverem um. Da mesma forma que existem aplicativos e planilhas para a parte pessoal, para os Negócios também existem soluções bem interessantes.m

Warren: uma plataforma bem interessante que ajuda a conciliar investimentos com a concretização de hábitos é Warren: o Warren. Trata-se de uma fintech de investimentos que simplifica a arte de investir com o Warren. Trata-se de uma fintech de investimentos que simplifica a arte de investir com a ajuda de um robô, através do qual é possível criar objetivos (as recompensas do loop do hábito), para que o hábito (investir) seja concretizado.

A Monetus é uma gestora de investimentos digital. Os investimentos são feitos após a criação de um plano de investimento para cada um dos objetivos do usuário.A Monetus

Renda Fixa:É uma plataforma para pesquisa e comparação dos melhores investimentos de Renda Fixa disponíveis no mercado. São reunidos todos os detalhes de investimentos Renda Fixa: oferecidos por dezenas de instituições financeiras, sem a necessidade da abertura de conta nestas oferecidos por dezenas de instituições financeiras, sem a necessidade da abertura de conta nestas para conhecer os títulos disponíveis.

Yubb: É um buscador de investimentos que auxilia na aplicação dos investimentos.Yubb:

Conclusão

Apesar das analogias feitas com a Engenharia, podemos dizer que há uma grande diferença desta com nossas finanças. A primeira consiste basicamente numa ciência exata. Ou seja, a partir de fórmulas e cálculos, você chega no resultado final. Já em Finanças, apesar de ser totalmente relacionada com números e sustentada pela matemática financeira, há uma grande influência de comportamentos e hábitos para que ela seja positiva.

pela matemática financeira, há uma grande influência de comportamentos e hábitos para que ela seja positiva.
APOIO
APOIO
APOIO
APOIO
APOIO

APOIO

APOIO
APOIO
APOIO
APOIO
APOIO