Sei sulla pagina 1di 56

23-1

TRANSMISSÃO
AUTOMÁTICA
CONTEÚDO
ESPECIFICAÇÕES DE SERVIÇO ................. 2 Verificação do Componente de Controle da A/T . 41
Teste de Eficiência do Conversor de Torque... 44
LUBRIFICANTES ........................................... 2
Teste da Pressão Hidráulica ........................... 45
SELANTES E ADESIVOS .............................. 2 Circuito Hidráulico ........................................... 46
Verificação do Funcionamento da Alavanca
FERRAMENTAS ESPECIAIS ......................... 3 Seletora ........................................................... 47
Ajuste do Cabo de Controle da Transmissão . 47
SOLUÇÃO DE PROBLEMAS <A/T> ............. 4
CONTROLE DA TRANSMISSÃO* ............... 48
SOLUÇÃO DE PROBLEMAS <MECANISMOS
DE TRAVA DA CHAVE E TRAVA DA MUDAN- CONJUNTO DA TRANSMISSÃO ................ 51
ÇA DA A/T> .................................................. 32
RESFRIADOR DO ÓLEO
SERVIÇO NO VEÍCULO ............................... 34 DA TRANSMISSÃO...................................... 54
Serviço Essencial ............................................ 34
Verificação do Óleo da Transferência ............. 39 ECU DA A/T .................................................. 55
Troca do Óleo da Transferência ...................... 39
UNIDADE DE CONTROLE DO
Localização do Componente de Controle da A/T .. 40 INDICADOR 4WD ......................................... 55

AVISOS REFERENTES A TRABALHOS EM VEÍCULOS EQUIPADOS COM SISTEMA DE SEGURANÇA


SUPLEMENTAR (SRS)
CUIDADO!
(1) Serviço ou manutenção imprópria de qualquer componente do SRS ou componente relaciona-
do ao SRS pode levar a ferimento pessoal ou morte do mecânico (por acionamento inadvertido
do airbag) ou ao motorista e passageiro (por tornar o SRS não operacional).
(2) Serviço ou manutenção de qualquer componente do SRS ou componente relacionado ao SRS
deve ser realizado somente por uma Concessionária Autorizada Mitsubishi.
(3) O pessoal da Concessionária Autorizada Mitsubishi deve rever atenciosamente este manual,
principalmente o Grupo 52B - Sistema de Segurança Suplementar (SRS), antes de iniciar qual-
quer serviço ou manutenção dos componentes do SRS ou componentes relacionado ao SRS.
OBSERVAÇÃO
O SRS inclui os seguintes componentes: ECU do SRS, luz de advertência do SRS, módulo do airbag, mola
espira e fiação e interligação. Outros componentes relacionado ao SRS (que podem ter sido removidos/instala-
dos em conexão com o serviço ou manutenção) são indicados na tabela de conteúdo por um asterisco (*).
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Especificações de Serviço/Lubrificantes/
23-2 Selantes e adesivos

ESPECIFICAÇÕES DE SERVIÇO
Itens Valor padrão
Folga entre o limitador do cabo interno e a superfície final do guarda-pó mm 0,8 – 1,5
Resistência do sensor de velocidade do eixo de entrada (a 20 ºC) Ω 620 ± 60
Resistência do sensor de velocidade do eixo de saída (a 20 ºC) Ω 430 ± 43
Resistência do sensor de temperatura a 25 ºC 1.100
do fluido da A/T Ω
a 120 ºC 57
Resistência da bobina da válvula solenóide nº 1 (a 25 ºC) Ω 13 ± 2
Resistência da bobina da válvula solenóide nº 2 (a 25 ºC) Ω 13 ± 2
Resistência da bobina da válvula solenóide nº 3 (a 25 ºC) Ω 13 ± 2
Rotação do conversor de torque r/min 2.320 –2.620
Pressão da tubulação KPA em marcha lenta D 373 – 422
R 520 – 579
em alta rotação D 765 – 863
R 1.383 – 1.628

LUBRIFICANTES
Itens Lubrificante especificado Quantidade l
Fluido da transmissão Dexron II ou equivalente 7,2
Óleo da transferência Óleo de engrenagem hipóide SAE 75W90, 2,3
75W85W ou 80W, atendendo API GL-4

SELANTES E ADESIVOS
Itens Selante especificado Observação
Junta da alavanca de controle da 3M ATD Peça nº 8660 ou equivalente Selante semi-seco
transferência
Parafuso de instalação do 3M Trava-prisioneiro Peça nº 4170 ou Selante anaeróbico
conjunto da alavanca de controle equivalente
da transferência
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Ferramentas especiais 23-3

FERRAMENTAS ESPECIAIS
Ferramenta Número Nome Uso
MB991502 Subconjunto do MUT-II Verificação do código de
diagnóstico

MD998330 Medidor da pressão do Medição da pressão do


(incluindo MD998331) óleo (2.942 kPa) óleo

MD998920 Adaptador Conexão do medidor da


pressão do óleo
23-4 TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T>

SOLUÇÃO DE PROBLEMAS <A/T>


FLUXO PADRÃO DE SOLUÇÃO DE PROBLEMAS DE DIAGNÓSTICO

Coleta de informação do cliente.


Verificação do fluido da transmis- NG Substitua o fluido da transmissão


são automática. automática.

OK

Verifique os sintomas de problema.

 Comunicação com MUT-II


não é possível
Leia o código de diagnóstico (Grupo Procedimento de inspeção nº 1 na


00 – Como Usar a Solução de Proble- Tabela de Inspeção para Sintomas
mas/Pontos de Serviço da Inspeção.) de Problema (Veja pág. 23-17).
Código de diagnós- Nenhum código de
tico exibido diagnóstico exibido
 
Apague o código de diagnóstico Substitua a ECU da A/T.
(Grupo 00 – Como Usar a Solução
de Problemas/Pontos de Serviço

da Inspeção.)
Verifique os sintomas de problema.
NG
 
Faça o serviço essencial (veja pág.
23-34).


Existe anormalidade (sem código de diagnóstico)
Teste de rodagem (Veja pág. 23-6).


Sem
Existe anormalidade

anormalidade 
(código de diagnóstico
presente) Verifique novamente códigos de
diagnóstico que foram lidos antes
do teste de rodagem.
Código de Nenhum código de
diagnóstico diagnóstico exibido
 
exibido 
Para TABELA DE INSPEÇÃO PARA Para TABELA DE INSPEÇÃO PARA
CÓDIGOS DE DIAGNÓSTICO (Veja SINTOMAS DE PROBLEMA (Veja
pág. 23-10). pág. 23-16)

 
Procure a causa.
Encontrada Não encontrada
 
NG
Conserte. MAU FUNCIONAMENTO INTERMI-


TENTE (GRUPO 00 – Pontos a


Destacar em Mau funcionamento
intermitente.)
OK

NG  OK 


Teste de confirmação (teste de Completado


rodagem)
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T> 23-5

FUNÇÃO DE DIAGNÓSTICO
Luz da marcha N
A luz da marcha N pisca a uma freqüência de aproximadamente
1 Hz se houver uma anormalidade em qualquer um dos itens na
tabela abaixo, que esteja relacionada ao sistema da A/T. Verifi-
que a saída do código de diagnóstico se a luz da marcha N
estiver piscando a uma freqüência de aproximadamente 1 Hz.
Itens da luz da marcha N piscando
BW1009AL
Sensor de velocidade do eixo de entrada
Sensor de velocidade do eixo de saída
Cada válvula solenóide

Cuidado
Se a luz da marcha N estiver piscando a uma freqüência de
aproximadamente 2 Hz (mais rápido que 1 Hz), significa que
a temperatura do fluido da transmissão automática está
muito alta. Pare o veículo num local seguro até que a luz da
marcha N apague.

MÉTODO DE LEITURA DO CÓDIGO DE DIAGNÓSTICO


Use o MUT-II ou a luz da marcha N para fazer a leitura do códi-
go de diagnóstico. (Veja GRUPO 00 – Como Usar a Solução de
Problemas/Pontos de Serviço da Inspeção.)
23-6 TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T>

TESTE DE RODAGEM

Nº Estado Teste e funcionamento Valor de julgamento Item a ser Item de inspeção se


anterior ao verificado houver anormalidade
teste e
funcionamento
1 Ignição: Ignição Lista de dados nº 12 TPS (Voltagem Código nº 12, 13 do
Ligada (1) Ligada (1) Aprox. 5V de fornecimento sistema TPS (Pág. 23-
Motor: (2) Desligada (2) 0V de força) 11)
Desligado
Interruptor da sobremarcha Lista de dados nº 35 Interruptor da Sistema do interruptor
(1) Ligado (1) OD sobremarcha da sobremarcha (Pág.
(2) Desligado (2) OD desligada 23-25)
Posição da alavanca seletora Lista de dados nº 37 Interruptor do Sistema do interruptor
(1) P (1) P, R, D inibidor do inibidor (Pág. 23-25)
(2) R (2) P, R, D
(3) N (3) N
(4) D (4) P, R, D
(5) 2 (5) 2
(6) L (6) L
Pedal do freio Lista de dados nº 28 Interruptor da Sistema do interruptor
(1) Pressionado (1) Ligado luz do freio da luz do freio (Pág.
(2) Liberado (2) Desligado 23-26)
2 Ignição: ST Teste de partida com a A partida deveria ser Partida possível Não se move (Pág. 23-18)
Motor: alavanca seletora em P ou N possível ou impossível
Desligado Mau funcionamento da
trava (Pág. 23-24)
3 Motor: Dirija por 15 minutos ou mais Lista de dados nº 15 Sensor da Sistema do sensor da
Aquecido para que a temperatura do Aumenta temperatura do temperatura do fluido
fluido da transmissão auto- gradualmente para fluido da A/T da A/T (Pág. 23-12)
mática chegue a 70 – 90ºC. 70 – 90ºC
4 Motor: Marcha Pedal do acelerador Lista de dados nº 13 TPS (Ângulo de Código nº 12, 13 do
lenta (1) Liberado (1) 0 – 5% abertura do sistema TPS (Pág. 23-
Posição da (2) Meio pressionado (2) Aumenta gradual- acelerador) 11)
(3) Totalmente pressionado mente de (1)
alavanca
(aprox. 2 seg) (3) 85 – 100%
seletora: N
Posição da alavanca seletora Não deve haver Não se move Não se move para
(1) N  D choques anormais na frente e para trás (Pág.
(2) N  R mudança O lapso de 23-18)
tempo deve ser
Não se move somente
dentro de 2 seg
para frente (Pág. 23-18)
Não se move somente
para trás (Pág. 23-19)
Choques ao Grandes choques (Pág.
mudar 23-22)
5 Motor: Marcha Pedal do acelerador Lista de dados nº 27 Válvula Código nº 41, 42
lenta (Veículo (1) Liberado (1) 1ª marcha solenóide nº 1 Sistema da válvula
parado) solenóide nº 1 (Pág.
Posição da 23-14)
alavanca
Válvula Código nº 43, 44
seletora: D
solenóide nº 2 Sistema da válvula
solenóide nº 2 (Pág.
23-14)
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T> 23-7

Nº Estado anterior ao Teste e Valor de julgamento Item a ser Item de inspeção se


teste e funcio- funcionamento verificado houver anormalidade
namento
6 Posição da alavanca Posição da marcha Lista de dados nº 27 Válvula Código nº 41, 42
seletora: D e velocidade do (1) 1a solenóide nº 1 Sistema da válvula sole-
Interruptor da veículo (2) 1a nóide nº 1 (Pág. 23-14)
sobremarcha: (1) Marcha lenta (3) 3a
Válvula Código nº 43, 44
desligado (Veículo parado) (4) 2a
solenóide nº 2 Sistema da válvula sole-
(2) Dirigindo a 5 nóide nº 2 (Pág. 23-14)
km/h
(3) Dirigindo a Lista de dados nº 31 Sensor de Sistema do sensor de
velocidade (3) 1.800 – 2.000 rpm velocidade do velocidade do eixo de
constante de 50 eixo de entrada (Pág. 23-12)
km/h (20 seg ou admissão
mais) Lista de dados nº 32 Sensor de Sistema do sensor de
(4) Dirigindo a (3) 1.800 – 2.000 rpm velocidade do velocidade do eixo de
velocidade eixo de saída saída (Pág. 23-12)
constante de 40
km/h com Lista de dados nº 41 Válvula Código nº 41, 42
alavanca seleto- (2) Ligado solenóide nº 1 Sistema da válvula sole-
ra na posição 2 (3) Desligado nóide nº 1 (Pág. 23-14)
(4) Ligado
Lista de dados nº 43 Válvula Código nº 43, 44
(2) Desligado solenóide nº 2 Sistema da válvula sole-
(3) Ligado nóide nº 2 (Pág. 23-14)
(4) Ligado
Lista de dados nº 47 Válvula Código nº 47, 48
(1) Desligado solenóide nº 3 Sistema da válvula sole-
(2) Desligado Mau funcio- nóide nº 3 (Pág. 23-14)
(3) Ligado namento nas Anormalidade no ponto
mudanças da mudança (Pág. 23-20)
(4) Acelera suave-
mente e não há Deslizamento (vibração)
choques anormais (Pág. 23-23)
7 Posição da alavanca Posição da marcha Lista de dados nº 27 Válvula Código nº 41, 42
seletora: D e velocidade do (1) 4ª marcha solenóide nº 1 Sistema da válvula sole-
Interruptor da veículo nóide nº 1 (Pág. 23-14)
sobremarcha: (1) Dirigindo a Válvula Código nº 43, 44
desligado velocidade
solenóide nº 2 Sistema da válvula sole-
constante de
50 km/h (20 nóide nº 2 (Pág. 23-14)
seg ou mais) Lista de dados nº 41 Válvula Código nº 41, 42
(1) Desligado solenóide nº 1 Sistema da válvula sole-
nóide nº 1 (Pág. 23-14)
Lista de dados nº 43 Válvula Código nº 43, 44
(1) Desligado solenóide nº 2 Sistema da válvula sole-
nóide nº 2 (Pág. 23-14)
23-8 TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T>

Nº Estado anterior ao Teste e Valor de julgamento Item a ser Item de inspeção se


teste e funcio- funcionamento verificado houver anormalidade
namento
8 Posição da alavanca Lista de dados do Para (1), (2) e (3) a Mau Mudança para cima não
seletora: D monitor nº 13, 27 e leitura deve ser a funcionamento ocorre (Pág. 23-19)
Interruptor da 32 com o MUT-II mesma especificada na mudança
sobremarcha: (1) Acelere em 4ª para a velocidade do Mudança para baixo não
Ligado marcha num eixo de saída ocorre (Pág. 23-20)
ângulo de
(velocidade do
abertura de 30º Anormalidade no ponto
do TPS. veículo) e não ocorrer
da mudança (Pág. 23-
(2) Desacelere nenhum choque
20)
suavemente até anormal.
parar. Para (4), (5) e (6), a
Mudança para cima
(3) Acelere em 4ª mudança para baixo
ocorre espontanea-
marcha num deve ocorrer
mente (Pág. 23-21)
ângulo de imediatamente após
abertura de 50º fazer a mudança. Partida incorreta da
do TPS. posição da engrenagem
(4) Enquanto dirige de acionamento (Pág.
a 50 km/h em 4ª
23-21)
marcha, desli-
gue o interruptor
Mau Grandes choques (Pág.
da sobremarcha.
funcionamento 23-22)
(5) Enquanto dirige a
50 km/h em 3ª ao dirigir o
veículo Deslizamento (vibração)
marcha, mova a
(Pág. 23-23)
alavanca seletora
para 2 posição.
Mau funcionamento da
(6) Enquanto dirige
trava (Pág. 23-24)
a 20 km/h em 2ª
marcha, mova a
Frenagem do motor
alavanca seleto-
ra para L. anormal (Pág. 23-24)
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T> 23-9

PADRÃO DE MUDANÇA
Marcha D (Interruptor da sobremarcha: Ligado)

Abertura do acelerador (%)

Velocidade do eixo
de saída (r/min)

Velocidade do
veículo km/h
23-10 TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T>

TABELA DE INSPEÇÃO PARA CÓDIGOS DE DIAGNÓSTICO


Código Item de diagnóstico Página de
referência
12 Sistema do sensor da posição da borboleta <MPI> Circuito aberto, curto- 23-11
(Voltagem de abastecimento de força do acelerador) circuito
13 Sistema do sensor da posição da borboleta <MPI> Mau funcionamento do 23-11
(Voltagem de abertura do acelerador) sensor, circuito aberto,
curto-circuito
15 Sistema do sensor da temperatura do fluido da A/T Circuito aberto 23-12
16 Sistema do sensor da temperatura do fluido da A/T Curto-circuito 23-12
31 Sistema do sensor de velocidade do eixo de entrada Circuito aberto 23-12
32 Sistema do sensor de velocidade do eixo de saída Circuito aberto 23-12
38 Sistema do sensor de velocidade do veículo Circuito aberto 23-13
41 Sistema da válvula solenóide nº 1 Circuito aberto 23-14
42 Sistema da válvula solenóide nº 1 Curto-circuito 23-14
43 Sistema da válvula solenóide nº 2 Circuito aberto 23-14
44 Sistema da válvula solenóide nº 2 Curto-circuito 23-14
47 Sistema da válvula solenóide nº 3 Circuito aberto 23-14
48 Sistema da válvula solenóide nº 3 Curto-circuito 23-14
55 Comunicação anormal com a ECU do motor Circuito aberto 23-15
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T> 23-11

PROCEDIMENTOS DE INSPEÇÃO PARA CÓDIGOS DE DIAGNÓSTICO

Código nº 12, 13 Sistema do sensor da posição da borboleta Causa provável


(TPS) <MPI>
Se a voltagem de saída do TPS (voltagem de abertura do TPS) é 5,435 V ou mais  Mau funcionamento do sensor de posição da
quando o motor está em marcha lenta, a voltagem de saída é considerada muito alta e o borboleta
código de diagnóstico nº 13 é exibido. Se a voltagem de saída do TPS (voltagem de  Mau funcionamento do chicote ou conector
abertura do TPS) é 0,335 V ou menos quando o motor está em marcha lenta, a voltagem  Mau funcionamento da ECU do motor
de saída é considerada muito baixa e o código de diagnóstico nº 13 é exibido. Se a
voltagem de saída do TPS (voltagem de suprimento de força do TPS) é 3,0 V ou menos
ou se ela é 5,7 V ou mais quando o motor está em marcha lenta, o TPS é considerado
defeituoso e o código de diagnóstico nº 12 é exibido.

NG
Verificação do sensor de posição do Substitua


acelerador (Veja GRUPO 13B, C –
Serviço no Veículo.)
OK

NG
Verifique os seguintes conectores: Conserte


A-06, C-25, D-34, D-04


OK

NG NG
Verifique os sintomas de problema. Verifique o chicote entre o sensor de Conserte



posição do acelerador e a ECU do
motor.
OK

Substitua a ECU do motor.
23-12 TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T>

Código nº 15, 16 Sistema do sensor da temperatura do fluido Causa provável


da A/T
Se a saída do sensor da temperatura do fluido da A/T é 10º ou menos (5,6 kΩ ou mais)  Mau funcionamento do sensor da temperatura
mesmo após funcionar o motor por 15 minutos ou mais, considera-se que há circuito do fluido da A/T
aberto no sensor da temperatura do fluido da A/T e o código de diagnóstico nº 15 é  Mau funcionamento do chicote ou conector
exibido.  Mau funcionamento da ECU do motor
Se a saída do sensor da temperatura do fluido da A/T é 240º ou menos (10 kΩ ou
menos), considera-se que há curto-circuito no sensor da temperatura do fluido da A/T e o
código de diagnóstico nº 16 é exibido.

NG
Verificação do sensor da temperatura Substitua


do fluido da A/T (Veja Pág. 33-43.)
OK

NG
Verifique os seguintes conectores: Conserte


B-03, D-04
OK

NG NG
Verifique os sintomas de problema. Verifique o chicote entre o sensor da


temperatura do fluido da A/T e a ECU Conserte


da A/T.
OK

Substitua a ECU da A/T.

Código nº 31, 32 Sistema do sensor de velocidade do eixo de Causa provável


entrada, Sistema do sensor de velocidade do eixo de saída
Se não for detectado pulso de saída do sensor de velocidade do eixo de entrada por 120  Mau funcionamento do sensor de velocidade
segundos ou mais enquanto dirige em 3ª marcha a uma velocidade de 60 km/h ou mais, do eixo de entrada ou sensor de velocidade
considera-se que há circuito aberto no sensor de velocidade do eixo de entrada e o do eixo de saída
código de diagnóstico nº 31 é exibido.  Mau funcionamento do chicote ou conector
Se não for detectado pulso de saída do sensor de velocidade do eixo de saída por 120  Mau funcionamento do sensor do rotor
segundos ou mais enquanto dirige em 3ª marcha a uma velocidade de 60 km/h ou mais,  Mau funcionamento da ECU da A/T
considera-se que há circuito aberto no sensor de velocidade do eixo de saída e o código  Ruído elétrico
de diagnóstico nº 32 é exibido.

: Veja Manual de Serviço da Transmissão.

NG Substitua o sensor de velocidade do


Verificação do sensor de velocidade


do eixo de entrada e sensor de eixo de entrada e sensor de velocida-


velocidade do eixo de saída (Veja de do eixo de saída.
Pág. 23-41, 42.)

OK
Verifique os sintomas de problema.

NG
Verifique os seguintes conectores: Conserte NG


D-04, B-03

NG
OK Verifique o rotor do sensor. Substitua



OK
Verifique os sintomas de problema.  NG
Verifique os sintomas de problema. Elimine uma fonte de ruído elétrico.


OK

NG
Verifique o chicote entre o sensor de Conserte


velocidade do eixo de entrada,


sensor de velocidade do eixo de
saída e a ECU da A/T.
OK

Substitua a ECU da A/T.
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T> 23-13

Código nº 38 Sistema do sensor de velocidade do veículo Causa provável


Se não for detectado pulso do sensor de velocidade do veículo por 120 segundos ou mais  Mau funcionamento do sensor de velocidade
continuamente enquanto dirige a uma velocidade de 60 km/h ou mais, considera-se que do veículo
há circuito aberto no sensor de velocidade do veículo e o código de diagnóstico nº 38 é  Mau funcionamento do chicote ou conector
exibido.  Mau funcionamento da ECU da A/T

NG
Verificação do sensor de velocidade Substitua


do veículo (Veja GRUPO 54 –
Instrumentos combinados.)
OK

(1) NG NG
Meça o conector - B-08 do sensor de Verifique os seguintes conectores: Conserte


velocidade do veículo. D-02, C-38, C-02, C-76, C-74
 Desconecte o conector e meça OK
no lado do chicote. (2) NG

(1) Voltagem entre 1 e terra
(Ignição: ON) Verifique os sintomas de problema.
OK: Voltagem da bateria (3) NG NG
(2) Voltagem entre 3 e terra 
(Ignição: ON) NG
Verifique o chicote entre a ignição e o Conserte


OK: 4,8 – 5,2 V sensor de velocidade do veículo.
(3) Continuidade entre 2 e terra
OK
OK: Continuidade

OK
Verifique a ignição. (Veja GRUPO 54)

Verifique os seguintes conectores:
B-08, D-02, D-04 NG
Verifique os seguintes conectores:


Conserte


D-02, D-04
OK NG
 OK
Conserte


Verifique os sintomas de problema. Verifique os sintomas de problema.

OK NG
 
NG
Verifique o chicote entre a ECU da A/T Verifique o chicote entre a ECU da A/T Conserte


e o sensor de velocidade do veículo. e o sensor de velocidade do veículo.

OK NG OK
 
Conserte
Substitua a ECU da A/T.

Substitua a ECU da A/T.


Verifique o chicote entre o sensor de


velocidade do veículo e o terra e
conserte, se necessário.
23-14 TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T>

Código nº 41,42 Sistema da válvula solenóide nº 1 Causa provável


Se o valor da resistência para uma válvula solenóide nº 1 é muito grande, considera-se  Mau funcionamento da válvula solenóide nº 1
que há circuito aberto na válvula solenóide nº 1 e o código de diagnóstico nº 41 é exibido.  Mau funcionamento do chicote ou conector
Se o valor da resistência para uma válvula solenóide nº 1 é muito pequeno, considera-se  Mau funcionamento da ECU da A/T
que há curto-circuito na válvula solenóide nº 1 e o código de diagnóstico nº 42 é exibido.

NG
Verifique a válvula solenóide nº 1 (Veja pág. 23-42.) Substitua


OK
 NG
Verifique os seguintes conectores: B-03, D-04 Conserte


OK
 NG
Conserte


Verifique o chicote entre a ECU da A/T e a válvula solenóide nº 1.
OK

Substitua a válvula solenóide nº 1.

 NG


Verifique os sintomas de problema. Substitua a ECU da A/T.

Código nº 43, 44 Sistema da válvula solenóide nº 2 Causa provável


Se o valor da resistência para uma válvula solenóide nº 2 é muito grande, considera-se  Mau funcionamento da válvula solenóide nº 2
que há circuito aberto na válvula solenóide nº 2 e o código de diagnóstico nº 43 é exibido.  Mau funcionamento do chicote ou conector
Se o valor da resistência para uma válvula solenóide nº 2 é muito pequeno, considera-se  Mau funcionamento da ECU da A/T
que há curto-circuito na válvula solenóide nº 2 e o código de diagnóstico nº 44 é exibido.

NG
Verifique a válvula solenóide nº 2 (Veja pág. 23-42.) Substitua


OK
 NG
Verifique os seguintes conectores: B-03, D-04 Conserte


OK
 NG
Conserte


Verifique o chicote entre a ECU da A/T e a válvula solenóide nº 2.


OK

Substitua a válvula solenóide nº 2.

 NG


Verifique os sintomas de problema. Substitua a ECU da A/T.

Código nº 47, 48 Sistema da válvula solenóide nº 3 Causa provável


Se o valor da resistência para uma válvula solenóide nº 3 é muito grande, considera-se  Mau funcionamento da válvula solenóide nº 3
que há circuito aberto na válvula solenóide nº 3 e o código de diagnóstico nº 47 é exibido.  Mau funcionamento do chicote ou conector
Se o valor da resistência para uma válvula solenóide nº 3 é muito pequeno, considera-se  Mau funcionamento da ECU da A/T
que há curto-circuito na válvula solenóide nº 3 e o código de diagnóstico nº 48 é exibido.

NG
Verifique da válvula solenóide nº 3 (Veja pág. 23-42.) Substitua


OK
 NG
Verifique os seguintes conectores: B-03, D-04 Conserte


OK
 NG
Conserte


Verifique o chicote entre a ECU da A/T e a válvula solenóide nº 3.


OK

Substitua a válvula solenóide nº 3.

 NG


Verifique os sintomas do problema. Substitua a ECU da A/T.


TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T> 23-15

Código nº 55 Comunicação anormal com a ECU do motor Causa provável


Se a comunicação normal não é possível por um período contínuo de 1 seg ou mais  Mau funcionamento do chicote ou conector
quando a ignição está ligada e a voltagem da bateria é 10 V ou mais, o código de  Mau funcionamento da ECU do motor
diagnóstico nº 55 é exibido. O código de diagnóstico nº 55 também é exibido se os dados  Mau funcionamento da ECU da A/T
recebidos foram anormais por um período contínuo de 1 seg sob as mesmas condições.

Não
Código de Auto-Diagnóstico do MUT-II Substitua a ECU da A/T.


 O código de diagnóstico nº 61 é exibido?
Sim

NG
Verifique os seguintes conectores: Conserte


C-19, C-17, C-25, D-34, D-04
OK

Verifique os sintomas de problema.
NG
 NG
Verifique o chicote entre a ECU do motor e a ECU da A/T. Conserte


OK

Substitua a ECU da A/T.

 NG
Verifique os sintomas do problema. Substitua a ECU da A/T.

23-16 TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T>

TABELA DE INSPEÇÃO PARA SINTOMAS DE PROBLEMA

Sintomas de problema Procedimento de Página de


inspeção nº referência
A comunicação com o MUT-II não é possível 1 23-17
Não se move Não se move para frente e para trás 2 23-18
Não se move somente para frente 3 23-18
Não se move somente para trás 4 23-19
Mau funcionamento ao A mudança para cima não acontece 5 23-19
mudar a marcha
A mudança para baixo não acontece 6 23-20
Anormalidade no ponto da mudança 7 23-20
A mudança para cima acontece 8 23-21
espontaneamente
Posição da engrenagem de 9 23-21
acionamento incorreta
Grandes choques 10 23-22
Deslizamento (vibração) 11 23-23
Mau funcionamento da trava 12 23-24
Freio do motor anormal 13 23-24
Sistemas do circuito Sistema do interruptor do inibidor 14 23-25
eletrônico
Sistema do interruptor da sobremarcha 15 23-25
Sistema do interruptor da luz do freio 16 23-26
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T> 23-17

PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO PARA SINTOMAS DE PROBLEMAS


PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO 1

Comunicação com o MUT-II não é possível. Causa provável


Se a comunicação com o MUT-II não é possível, a causa pode ser um mau funcionamen-  Mau funcionamento do sistema de autodiag-
to do sistema de autodiagnóstico ou a ECU da A/T não está funcionando. nóstico
 Mau funcionamento do circuito de força da
ECU da A/T
 Mau funcionamento do circuito do terra da
ECU da A/T
 Mau funcionamento da ECU da A/T
 Mau funcionamento do chicote ou conector

Não Verifique e conserte o sistema de


A comunicação com outros sistemas

é possível usando o MUT-II? autodiagnóstico com o MUT-II.

Sim

OK NG
Meça no conector da ECU da A/T D-04 Verifique os seguintes conectores: Conserte




 Desconecte o conector e meça D-04, D-34, C-37, C-70, C-35


no lado do chicote.
OK
 Voltagem entre terminais (9) e
(24) e o terra 

OK: Voltagem do sistema Verifique os sintomas de problema.


 Continuidade entre terminal (25) NG
e o terra

OK: Continuidade
Substitua a ECU da A/T.
NG

NG
Verifique os seguintes conectores: Conserte


D-02, C-24, C-78, C-74, D-34, C-68,


C-72
OK
 NG


Verifique os sintomas de problema.  Verifique e conserte o chicote


entre a a ECU da A/T e o
fornecimento de força.
 Verifique e conserte o chicote
entre a a ECU da A/T e o terra.
23-18 TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T>

PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO 2
Não se move para frente e para trás Causa provável
Quando o motor está em marcha lenta, o veículo não se move para frente e para trás  Mau funcionamento do cabo de controle da
mesmo que a alavanca seletora seja colocada de N para D, 2, L ou R. Nestes casos, a transmissão
causa pode ser uma pressão na tubulação anormal ou um mau funcionamento do cabo  Pressão na tubulação anormal
de controle da transmissão, conversor de torque, bomba de óleo, mecanismo de estacio-  Mau funcionamento do trem de força
namento ou trem de força.  Mau funcionamento da bomba de óleo
 Mau funcionamento do corpo da válvula
 Mau funcionamento do mecanismo de
estacionamento
 Mau funcionamento do conversor de torque

: Veja Manual de Serviço da Transmissão


NG
Verifique o conjunto do cabo de Conserte, substitua
controle da transmissão. 

OK

NG
Verifique o sistema de controle do Conserte, substitua


motor, sistema de combustível,


sistema mecânico do motor.
OK

Sim NG
Há algum ruído anormal na marcha A fonte de ruído anormal é o conver- Substitua o conversor de torque.



D? sor de torque ou a transmissão?
Conversor
Não Transmissão de torque

Verifique o trem de força. 
• Desmonte a transmissão, verifique
a condição da engrenagem plane-
tária e outras peças e conserte ou
substitua, se necessário.

Não
O eixo propulsor pode ser girado com a Mau funcionamento do mecanismo


mão em todas as marchas, exceto em P? de estacionamento 


Sim

NG Conserte ou substitua o corpo da Verifique os sintomas de problema.
Verifique a pressão da tubulação.



(Veja pág. 23-45.) válvula  NG


OK 
 Verifique e conserte ou substitua a
Substitua o conversor de torque.  bomba de óleo. 

PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO 3
Não se move para frente e para trás Causa provável
Quando o motor está em marcha lenta, o veículo não se move para frente e para trás  Mau funcionamento do cabo de controle da
mesmo que a alavanca seletora seja colocada de N para D, 2, L ou R. Nestes casos, a transmissão
causa pode ser uma pressão na tubulação anormal ou um mau funcionamento do cabo  Pressão na tubulação anormal
de controle da transmissão, conversor de torque, bomba de óleo, mecanismo de estacio-  Mau funcionamento do trem de força
namento ou trem de força.  Mau funcionamento da bomba de óleo
 Mau funcionamento do corpo da válvula
 Mau funcionamento do mecanismo de
estacionamento
 Mau funcionamento do conversor de torque

: Veja Manual de Serviço da Transmissão


Não
O veículo se move para a frente em Verifique a embreagem à frente 


D, 2 e L?
Sim

Não Verifique a embreagem de 1 via nº 2. 
O veículo se move para a frente em


D e 2?


Sim
Não
O veículo se move para a frente em 2 marcha? Verifique o freio nº 3. 



Sim

Qual é a engrenagem da marcha em D? Verifique o freio nº 2. 


3ª Verifique o freio nº 1.

Verifique a embreagem direta. 
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T> 23-19

PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO 4

O motor está sem marcha-à-ré. Causa provável


Quando o motor está em marcha lenta, o veículo não engata marcha-à-ré mesmo que a  Mau funcionamento do freio nº 1
alavanca seletora seja colocada de N para R. Nestes casos, a causa pode ser um mau  Mau funcionamento da embreagem direta
funcionamento de uma embreagem, freio ou corpo da válvula.  Mau funcionamento do freio nº 3
 Mau funcionamento do corpo da válvula
 Mau funcionamento da engrenagem planetária

: Veja Manual de Serviço da Transmissão


2ª Verifique o freio nº 1. 
Verifique a engrenagem de acionamen-


to em D.

1ª Verifique a engrenagem planetária. 



Não Mau funcionamento da válvula de
A A/T muda até a 2ª marcha? 
mudança 1-2 
Sim

NG
A 3ª marcha patina em D? Verifique a embreagem direta. 


OK

Verifique o freio nº 3. 

PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO 5

Mudança de marcha para cima não acontece Causa provável


A mudança de marcha para cima não acontece sob condições em que deveria ocorrer.  Mau funcionamento das válvulas solenóides
Verifique a mudança de 1  2, 2  3, 3  4 respectivamente. nº 1, nº 2
 Mau funcionamento da ECU da A/T
 Mau funcionamento das peças internas do
trem de força

: Veja Manual de Serviço da Transmissão


Não Para Tabela de Inspeção para Cada Có-
É uma saída de código de diagnóstico


normal? digo de Diagnóstico (Veja pág. 23-10)


Sim

A A/T não muda de 1  2? Não A A/T muda para 2ª em 2? Não Mau funcionamento da válvula de


mudança 1-2. 
Sim Sim

Mau funcionamento da válvula
solenóide nº 2.
Verifique o sistema de freio nº 2. 
Verifique a embreagem de uma via nº 1.

A A/T não muda de 2  3? Não O veículo engata marcha-à-ré em R? Não Verifique o sistema da embreagem



direta. 
Sim Sim

Mau funcionamento da válvula de
mudança 2-3. 
Mau funcionamento da válvula
solenóide nº 1.

A A/T não muda de 3  4? Não O veículo se move em 1ª marcha em D? Não Mau funcionamento da válvula



solenóide nº 2. 
Sim

NG
Procedimento de inspeção 15 – Conserte


Sistema do Interruptor da Sobremar-


cha (Veja pág. 23-25)
OK

Mau funcionamento da válvula de
mudança 3-4. 
23-20 TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T>

PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO 6

Mudança de marcha para baixo não acontece Causa provável


A mudança de marcha para baixo não acontece sob condições em que deveria ocorrer.  Mau funcionamento das válvulas solenóides
Verifique a mudança de 2  1, 3  2, 4  3 respectivamente. nº 1, nº 2
 Mau funcionamento da ECU da A/T
 Mau funcionamento das peças internas do
trem de força

: Veja Manual de Serviço da Transmissão

Não Para Tabela de Inspeção para Cada Có-


É uma saída de código de diagnóstico


normal? digo de Diagnóstico (Veja pág. 23-10)

Sim (ENGATE 1ª)


 Não
A A/T não muda de 4  3?



Que marcha é engatada quando a A/ Mau funcionamento da válvula
T é mudada de D para 2 (acelerador solenóide nº 2. 
Sim desligado) enquanto está em 3ª?
(ENGATE 2ª, 4ª)

Mau funcionamento da válvula de mu-
dança 3-4. 

(ENGATE 4ª)
Não
A A/T não muda de 3  2?



O veículo se move em 1ª marcha em D? Mau funcionamento da válvula de
mudança 2-3. 
Sim (ENGATE 1ª)

Mau funcionamento da válvula solenói-
de nº 1. 
 Não Não
A A/T não muda de 2  1? A A/T muda de 3  4 em D?




Mau funcionamento da válvula


solenóide nº 2. 
Sim
 Não


O veículo se move para frente em L? Mau funcionamento da válvula de


mudança 1-2. 
Sim
 Não
Verifique o freio nº 1. 


O veículo se move para trás em R?


Sim

Verifique o freio nº 2. 

PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO 7
Anormalidade no ponto de mudança Causa provável
A mudança de marcha ocorre em pontos que são diferentes do padrão de mudança.  Mau funcionamento do sensor de temperatura
Observe que o padrão de mudança varia em diferentes modos e em altas temperaturas do fluido da A/T
do fluido da A/T.  Mau funcionamento da ECU da A/T

Não Para Tabela de Inspeção para Cada Có-


É uma saída de código de diagnóstico


normal? digo de Diagnóstico (Veja pág. 23-10)

Sim

NG Código nº 15, 16 – Sistema do sensor
Dados de Serviço MUT-II


 15 - sensor de temperatura do de temperatura do fluido da A/T (Veja


fluido da A/T pág. 23-12)
OK: 70 – 100 °C depois que o
motor aquecer
OK

Substitua a ECU do A/T.
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T> 23-21

PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO 8

Mudança de marcha para cima acontece espontaneamente Causa provável


A mudança de marcha para cima acontece quando não deveria ocorrer, p.e. mudança  Mau funcionamento do interruptor do inibidor
para 2ª em L, 3ª em 2 ou 4ª em D quando a sobremarcha está desconectada.  Mau funcionamento do interruptor da sobre-
marcha
 Mau funcionamento da ECU da A/T

NG Procedimento de inspeção 14 –
Dados de Serviço MUT-II


 37 - interruptor do inibidor Sistema do interruptor do inibidor
OK: display do MUT-II e modo se- (Veja pág. 23-25)
lecionado deveriam coincidir
OK

NG Procedimento de inspeção 15 –
Dados de Serviço MUT-II


 35 - interruptor da sobremarcha Sistema do interruptor da sobremar-
OK: display do MUT-II e modo se- cha (Veja pág. 23-25)
lecionado deveriam coincidir
OK

Substitua a ECU do A/T.

PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO 9

Posição da engrenagem de acionamento incorreta Causa provável


O veículo morre em 2ª, 3ª ou 4ª quando está em D. Freqüentemente ocorre quando a  Mau funcionamento do interruptor do inibidor
partida não é suave.  Mau funcionamento da embreagem direta
 Mau funcionamento da engrenagem planetária
 Mau funcionamento do corpo da válvula
 Mau funcionamento embreagem à frente
 Mau funcionamento da válvula solenóide nº 1

: Veja Manual de Serviço da Transmissão

NG Procedimento de inspeção 14 –
Dados de Serviço MUT-II


 37 - interruptor do inibidor Sistema do interruptor do inibidor


OK: display do MUT-II e modo se- (Veja pág. 23-25)
lecionado deveriam coincidir
OK

Sim
O veículo se move para frente em 2ª Procedimento de inspeção 6 –


marcha? Mudança de marcha para baixo não


acontece (Veja pág. 23-20)
Não
 Sim
Sim
Verifique a embreagem direta. 


O veículo se move para frente em 3ª O veículo engata marcha-à-ré em R?




marcha? (D)
Não
Não 
Verifique a engrenagem planetária. 

Sim
O veículo se move para frente em 3ª Mau funcionamento da válvula de


marcha? (2, L) mudança 2-3. 


Não Mau funcionamento da válvula
solenóide nº 1.
Sim

Sim


O veículo se move para frente em 4ª O veículo engata marcha-à-ré em R? Mau funcionamento da válvula


marcha? solenóide nº 1. 
Não
Não 
 Mau funcionamento da válvula de
Verifique a embreagem à frente.  mudança 2-3. 
23-22 TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T>

PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO 10

Grandes choques Causa provável


Os choques acompanham a mudança de ND, NR e durante cada mudança para cima  Mau funcionamento da embreagem direta
e para baixo.  Mau funcionamento do freio nº 3
 Mau funcionamento do interruptor da luz do freio
 Mau funcionamento do interruptor do inibidor
 Mau funcionamento embreagem à frente
 Mau funcionamento do corpo da válvula
 Mau funcionamento da ECU da A/T

: Veja Manual de Serviço da Transmissão


Sim NG
Acontece um grande choque ao Verifique o tempo de espera (dentro Verifique a folga da embreagem



mudar de NR? de 2 seg). direta. 
Não OK Verifique a folga do freio nº 3.

Verifique cada acumulador. 


Sim NG
Acontece um grande choque ao Dados de Serviço MUT-II Procedimento de inspeção 16 –



mudar de ND?  28 - interruptor da luz do freio Sistema do interruptor da luz do freio
OK: ON quando o pedal do freio é (Veja pág. 23-26)
Não
pressionado.
OFF quando o pedal do freio
é liberado.

NG OK
Verifique o cabo do kickdown. Conserte


 NG
OK Dados de Serviço MUT-II Procedimento de inspeção 14 –


  37 - interruptor do inibidor Sistema do interruptor do inibidor
Verifique cada válvula do modulador.  OK: display do MUT-II e modo se- (Veja pág. 23-25)
Verifique cada esfera de retenção. lecionado deveriam coincidir
Verifique cada acumulador. OK
 NG
Verifique o tempo de espera (dentro Verifique a folga da embreagem à


de 2 seg). frente. 
OK

Verifique cada acumulador. 
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T> 23-23

PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO 11

Patinando (vibração) Causa provável


Ocorre quando uma embreagem ou freio não engata totalmente devido à baixa pressão  Mau funcionamento do conversor de torque
hidráulica ou um contato gasto. Aparece uma vibração quando o problema está iniciando.  Mau funcionamento da embreagem direta
 Mau funcionamento da embreagem à frente
 Mau funcionamento do freio nº 2
 Mau funcionamento da embreagem de uma via
nº 1
 Mau funcionamento do freio da sobremarcha
 Mau funcionamento do freio nº 3
 Mau funcionamento da embreagem de uma via
nº 2
 Mau funcionamento do freio nº 1
 Mau funcionamento da embreagem de uma
via da sobremarcha

: Veja Manual de Serviço da Transmissão

Sim NG
O veículo patina quando se move Verifique o conversor de torque.  Substitua o conversor de torque.




para frente ou para trás?


Não OK

Verifique o sistema da embreagem da
sobremarcha. 
Verifique o sistema de embreagem de
uma via da sobremarcha. 


Sim NG
O veículo patina em R? Verifique se o veículo patina em 3ª Verifique o sistema de embreagem




marcha em D. direta. 
Não
OK

Verifique o sistema de freio nº 3. 


Sim NG
O veículo patina em 1ª? Verifique se o veículo patina em L. Verifique o sistema de embreagem à



frente. 
Não OK

Verifique o sistema de embreagem de
uma via nº 2. 

 Sim NG
Verifique o sistema de freio nº 2. 


O veículo patina em 2ª? Verifique se o veículo patina em 2ª


marcha em 2.
Não
OK

Verifique o sistema de freio nº 2. 
Verifique a embreagem de uma via nº 1.


Sim
O veículo patina em 3ª? Verifique o sistema de embreagem


direta. 
Não

Verifique o sistema de freio da
sobremarcha. 
23-24 TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T>

PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO 12

Anormalidade na trava Causa provável


Quando a trava não funciona mesmo na trava da marcha e também quando a trava está  Mau funcionamento do conversor de torque
funcionando e o motor está em marcha lenta porém morre.  Mau funcionamento do corpo da válvula

: Veja Manual de Serviço da Transmissão


Não
É uma saída de código de diagnóstico Para Tabela de Inspeção para Código


normal? de Diagnóstico (Veja pág. 23-10)
Sim
 NG
Verifique a válvula solenóide nº 3. 
Substitua a válvula solenóide nº 3. 

OK
 NG
Verifique a válvula de controle da Substitua a válvula de controle da


trava. trava. 
OK

Substitua o conversor de torque. 

PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO 13
Freio motor anormal Causa provável
Eficácia de frenagem do motor é ruim depois de efetuar uma mudança de marcha para  Mau funcionamento da embreagem da
baixo. sobremarcha
 Mau funcionamento do freio nº 3
 Mau funcionamento do freio nº 1
 Mau funcionamento do corpo da válvula

: Veja Manual de Serviço da Transmissão

Sim
Frenagem deficiente em 1ª, 2ª e 3ª Verifique o sistema da embreagem da


marchas. sobremarcha. 
Não
 Sim OK
Frenagem deficiente em 1ª marchas. Verifique se patina em R. Mau funcionamento da válvula do



modulador da baixa. 
Não NG
 
Verifique o sistema de freio nº 1.  Verifique o sistema de freio nº 3. 
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T> 23-25

PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO 14

Sistema do interruptor do inibidor Causa provável


Se o motor não dá a partida em P ou R, a causa pode ser um problema no sistema do  Mau funcionamento do interruptor do inibidor
interruptor do inibidor.  Mau funcionamento do chicote ou conector
 Mau funcionamento da ECU da A/T

OK
Dados de Serviço MUT-II Finalizado


 37 - interruptor do inibidor
OK: display do MUT-II e modo se-
lecionado deveriam coincidir
NG

NG
Verifique o interruptor do inibidor Substitua


(Veja pág. 23-37).

OK

NG Verifique a ignição (Veja GRUPO 54
Meça no conector do interruptor do


inibidor B-04 – Ignição)


 Desconecte o conector e meça
no lado do chicote.
 Voltagem entre terminal 1 e o
terra (Ignição: ON)
OK: Voltagem do sistema
OK

Verifique os seguintes conectores: NG
Conserte


B-04, D-04

OK

NG Verifique o chicote entre o interruptor NG
Verifique os sintomas de problema. Conserte




do inibidor e a ECU da A/T.


OK

Substitua a ECU da A/T.

PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO 15

Sistema do interruptor da sobremarcha Causa provável


Se não acontece a mudança de marcha para baixo quando a sobremarcha está desligada  Mau funcionamento do interruptor da sobremarcha
enquanto dirige em 4ª marcha ou se não é possível engatar a 4ª marcha, a causa pode  Mau funcionamento do chicote ou conector
ser um problema no sistema do interruptor da sobremarcha.  Mau funcionamento da ECU da A/T

OK
Dados de Serviço MUT-II Finalizado


 35 - interruptor da sobremarcha
OK: display do MUT-II e a posição do
interruptor da sobremarcha OD/
OD-OFF deveriam coincidir.
NG

NG
Verifique o interruptor da sobremar- Substitua


cha (Veja pág. 23-52).


OK

OK NG
Meça no conector do interruptor da Verifique os seguintes conectores: Conserte


sobremarcha D-35 D-35, D-34, D-04


• Desconecte o conector e meça
OK
no lado do chicote. 
• Voltagem entre terminal 3 e o Verifique os sintomas de problema.
terra (Ignição: ON)
OK: Voltagem do sistema 
NG NG
Verifique o chicote entre o interruptor Conserte


 da sobremarcha e a ECU da A/T.


Verifique a ignição (Veja Grupo 54 – OK
Ignição) 
Substitua a ECU da A/T.
23-26 TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T>

PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO 16
Sistema do interruptor da luz do freio Causa provável
Se grandes choques acontecem durante o controle de mergulho do veículo, a causa pode  Mau funcionamento do interruptor da luz do freio
ser um problema com o interruptor da luz do freio.  Mau funcionamento do chicote ou conector
 Mau funcionamento da ECU da A/T

OK
Dados de Serviço MUT-II Verifique o interruptor da luz do freio


 28 - interruptor da luz do freio (Veja GRUPO 35 – Pedal do Freio)
OK: ON quando o pedal do freio é
pressionado e OFF quando o
pedal do freio é liberado.
NG

NG
Verifique os seguintes conectores: Conserte


C-04, C-02, C-39, D-02, D-04


OK

Verifique os sintomas de problema.


NG
Verifique o chicote entre o interruptor Conserte


da luz do freio e a ECU da A/T.


OK

Substitua a ECU da A/T.
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T> 23-27

TABELA DE REFERÊNCIA DE DADOS DE SERVIÇO


Item Item de inspeção Condições de inspeção Valor normal

12 Sensor de posição Ignição: ON Ignição: ON Aprox. 5 V
da borboleta Motor: Desligado
<MPI> (voltagem do
fornecimento de Ignição: OFF 0V
força)
13 Sensor de posição Motor: marcha lenta Pedal do acelerador: Totalmente 0 – 5%
da borboleta Posição da alavanca seletora: N liberado
<MPI> (voltagem de Pedal do acelerador: Pressionado Aumenta
abertura da gradualmente
borboleta) do valor acima
Pedal do acelerador: Totalmente 85 – 100%
pressionado (até 2 seg)
15 Sensor de Dirigindo com motor aquecido Dirija 15 minutos ou mais até que a Aumenta
temperatura do temperatura do fluido seja 70 – 90º gradualmente
fluido da A/T para 70 – 90º
27 Sinal de posição da Pedal do acelerador: Totalmente Mudança de N para D 1a 3a 1a
mudança liberado
Motor: Marcha lenta (Veículo
parado)
Posição da alavanca seletora: N
Pedal do freio: Pressionado
Posição da alavanca seletora: L Marcha lenta (Veículo parado) 1a

Posição da alavanca seletora: 2 Marcha lenta (Veículo parado) 1a


Dirigindo a 40 km/h (20 seg ou mais) 2a

Posição da alavanca seletora: D Dirigindo à velocidade constante de 3a


Interruptor da sobremarcha: OFF 50 km/h (20 seg ou mais)
Posição da alavanca seletora: D Dirigindo à velocidade constante de 4a
Interruptor da sobremarcha: OFF 50 km/h (20 seg ou mais)
28 Interruptor da luz do Ignição: ON Pedal do freio: Pressionado ON
freio Motor: Parado
Pedal do freio: Liberado OFF

31 Sensor de Posição da alavanca seletora: D Dirigindo à velocidade constante de 1.800 –


velocidade do eixo Interruptor da sobremarcha: OFF 50 km/h 2.000 r/min
de entrada
32 Sensor da velocida- Posição da alavanca seletora: D Dirigindo à velocidade constante de 1.800 –
de do eixo de saída Interruptor da sobremarcha: OFF 50 km/h 2.000 r/min
35 Interruptor da Ignição: ON Interruptor da sobremarcha: OFF OD-OFF
sobremarcha Motor: Parado
Interruptor da sobremarcha: ON OD
23-28 TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T>

Item Item de inspeção Condições de inspeção Valor normal



37 Interruptor do Ignição: ON Motor: Desligado Posição da alavanca seletora: P P, R, D
inibidor
Posição da alavanca seletora: R P, R, D
Posição da alavanca seletora: N N

Posição da alavanca seletora: D P, R, D

Posição da alavanca seletora: 2 2

Posição da alavanca seletora: L L

38 Sensor de Posição da alavanca seletora: Marcha lenta em 1ª marcha 0 r/min


velocidade do L, D (Veículo parado)
veículo Interruptor da sobremarcha:
Dirigindo à velocidade constante de 450 – 550 r/min
OFF
50 km/h (3ª marcha)
41 Válvula solenóide Posição da alavanca seletora: D Dirigindo à velocidade constante de ON
nº 1 Interruptor da sobremarcha: ON 5 km/h (1ª marcha)
Dirigindo à velocidade constante de OFF
50 km/h (4ª marcha)
43 Válvula solenóide Posição da alavanca seletora: D Dirigindo à velocidade constante de OFF
nº 2 Interruptor da sobremarcha: OFF 5 km/h (1ª marcha)
Dirigindo à velocidade constante de ON
50 km/h (3ª marcha)
47 Válvula solenóide Posição da alavanca seletora: D Dirigindo à velocidade constante de OFF
nº 3 Interruptor da sobremarcha: ON 5 km/h (1ª marcha)
Dirigindo à velocidade constante de ON
50 km/h (4ª marcha)
53 Interruptor da N Ignição: ON Posição da alavanca seletora: N ON
Motor: Desligado
Posição da alavanca seletora: outra OFF
que não seja N
55 Interruptor da 2 Posição da alavanca seletora: 2 ON

Posição da alavanca seletora: outra OFF


que não seja 2
56 Interruptor da L Posição da alavanca seletora: L ON

Posição da alavanca seletora: outra OFF


que não seja L
61 Interruptor do Ignição: ON Posição da alavanca de transfe- 4WD
engate da roda livre Motor: Desligado rência: Outra que não seja 4WD
Posição da alavanca de transfe- 2WD
rência: 4WD
63 Interruptor da dupla Motor: Desligado Interruptor do A/C: ON ON
pressão Posição da alavanca seletora: N
Interruptor do A/C: OFF OFF
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T> 23-29

REFERÊNCIA PARA À PROVA DE FALHA/FUNÇÕES DE SUPORTE


Quando mau funcionamento dos sensores principais ou atuadores é detectado pelo sistema de diagnóstico,
o veículo é controlado por meio do controle lógido pré-estabelecido, para manter seguras as condições de
dirigibilidade.

Item com mau funcionamento Conteúdo do controle durante o mau funcionamento


Sensor da velocidade do eixo de Se há um circuito aberto no sensor da velocidade do eixo de saída, a
saída mudança para 4ª marcha e o controle de trava pára.
Interruptor do inibidor Se há um circuito aberto na linha do sinal N, 2 ou L, é possível dirigir
no caso da 2 e L (o mesmo na D), pois o controle pode ser feito como
se estivesse em D e não é possível dirigir em N. Se aparecer mais de
um sinal de N, 2 ou L, a ordem de prioridade para controle é L 2 N.
Sensor de posição da borboleta Se a saída é 0,335 V ou menos ou 4,8 V ou mais durante a marcha
lenta, o controle de mudança da engrenagem é feito quando o
acelerador está tofalmente fechado.
Válvula solenóide nº 3 Se um problema é detectado, a trava pára sobre todas as marchas e a
solenóide é desligada, para evitar que o motor morra durante a
marcha lenta.
Válvula solenóide nº 1, 2 Se um problema é detectado, cada solenóide pára de funcionar e
desliga. A marcha de mudança lógica quando um problema é
detectado é dada na tabela abaixo.

Posição da Normal Quando a válvula Quando a válvula Quando as válvulas


alavanca solenóide nº 1 solenóide nº 2 solenóides nº 1 e nº 2
seletora quebrou quebrou quebraram
Marcha S1 S2 Marcha S1 S2 Marcha S1 S2 Marcha S1 S2
D 1 x 3 x 1 O/D
2 3 O/D x O/D
3 x 3 O/D x O/D
O/D x x O/D x O/D x O/D
2 1 x 3 x 1 3
2 3 3 x 3
3 x 3 3 x 3
L 1 x 1 x 1 1
2 2 1 1

: Energizado (ON)
x : Não Energizado (OFF)
23-30 TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T>

TABELA DE REFERÊNCIA DA VOLTAGEM DO TERMINAL DA ECU DA A/T

W0181AG

Terminal Item de inspeção Condições de inspeção Valor padrão



1 Válvula solenóide nº 1 Quando em 1a ou 2a marcha Voltagem do sistema

Quando em 3a ou 4a marcha 0V
2 Válvula solenóide nº 2 Quando em 2a ou 3a marcha Voltagem do sistema

Quando em 1a ou 4a marcha 0V

4 Terra do sensor de velocidade do – –


eixo de saída
5 Interruptor da luz do freio Pedal do freio: Pressionado Voltagem do sistema

Pedal do freio: Liberado 0V

6 Interruptor do engate da roda livre Posição da alavanca de transfe- Voltagem do sistema


rência: Outra que não seja 4WD
Posição da alavanca de trans- 0V
ferência: 4WD
8 Interruptor do inibidor (L) Posição da alavanca seletora: L Voltagem do sistema

Posição da alavanca seletora: outra 0 V


que não seja L
9 Fornecimento de força de reserva Ignição: OFF Voltagem do sistema

10 Válvula solenóide nº 3 Quando a embreagem da trava está Voltagem do sistema


funcionando
Quando a embreagem da trava não 0 V
está funcionando
11 Terminal de controle do diagnóstico – –
12 Terra do sensor de temperatura do – –
fluido da A/T
13 Sensor da velocidade do eixo de Veículo: Parado Aprox. 2,5 V
saída
Veículo: Rodando Outra que não seja 2,5 V

14 Interruptor da pressão dupla Interruptor do A/C: OFF 0V

Interruptor do A/C: ON Voltagem do sistema

15 Terra do sensor de velocidade do – –


eixo de entrada
16 Sensor da velocidade do eixo de Ignição: OFF 0V
entrada
Ignição: ON 2,5 V

19 Comunicação com sinais de entrada Motor: Marcha lenta Outra que não seja 0 V
da ECU do motor Posição da alavanca seletora: D
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <A/T> 23-31

Terminal Item de inspeção Condições de inspeção Valor padrão



21 Comunicação com sinais de saída Motor: Marcha lenta Outra que não seja 0 V
para a ECU do motor Posição da alavanca seletora: D
23 Interruptor do inibidor (2) Posição da alavanca seletora: 2 Voltagem do sistema
Posição da alavanca seletora: 0V
outra que não seja 2
24 Fornecimento de força de reserva Ignição: OFF 0V

Ignição: ON Voltagem do sistema

25 Terra Motor: Marcha lenta 0V

27 Sensor da velocidade do veículo Veículo: Movendo-se lentamente Alterna entre 0 — Aprox. 5 V


para a frente
28 Sensor de temperatura do fluido Temperatura do ATF: 120ºC Aprox. 0,3 V
da A/T
Temperatura do ATF: 150ºC Aprox. 0,15 V
29 Interruptor da sobremarcha Interruptor da sobremarcha: ON Voltagem do sistema

Interruptor da sobremarcha: OFF 0V

30 Sensor de posição do acelerador Pedal do acelerador: Liberado Aprox. 1 V

31 Sensor de posição do acelerador Ignição: ON Aprox. 5 V

32 Terminal de saída do diagnóstico – –


33 Luz do N Ignição: ON Voltagem do sistema

Ignição: OFF 0V

34 Interruptor do inibidor (N) Posição da alavanca seletora: N Voltagem do sistema

Posição da alavanca seletora: 0V


outra que não seja N
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <Mecanismos de trava da
23-32 chave e trava da mudança da A/T>

SOLUÇÃO DE PROBLEMAS <MECANISMOS DE TRAVA DA


CHAVE E TRAVA DA MUDANÇA DA A/T>
FUNÇÃO DE DIAGNÓSTICO
Procedimento de inspeção de sinal de entrada
Conecte o MUT-II ou um voltímetro ao conector de diagnóstico para verificar sinal de entrada do interruptor do
inibidor (ré). (Veja GRUPO 00 – Como Usar a Solução de Problemas/Pontos de Serviço da Inspeção.)
OBSERVAÇÃO
Se todos os sinais de entrada não podem ser verificados usando o MUT-II, o circuito de diagnóstico pode
estar defeituoso.

TABELA DE INSPEÇÃO PARA SINTOMAS DE PROBLEMA


Problema Procedimento Página de
de inspeção nº referência
Alavanca seletora não pode ser movida de P para R sem pressionar o pedal 1 23-32
do freio quando a ignição está em outras posições que não sejam LOCK (OFF)
Alavanca seletora não pode ser movida de P para R com o pedal do freio 2 23-32
pressionado quando a ignição está em posições que não sejam LOCK (OFF).
Alavanca seletora pode ser movida de P para R com o pedal do freio 3 23-33
pressionado quando a ignição está na posição LOCK (OFF).
Alavanca seletora não pode ser movida de P para R com suavidade. 4 23-33
Alavanca seletora não pode ser movida de R para P. 5 23-33
Ignição não pode ser colocada em LOCK (OFF) quando a alavanca seletora 6 23-33
está em P.
Ignição não pode ser colocada em LOCK (OFF) quando a alavanca seletora 7 23-33
está em outras posições que não sejam P.
TABELA DE INSPEÇÃO PARA SINTOMAS DE PROBLEMA
PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO 1
Alavanca seletora não pode ser movida de P para R sem pressio- Causa provável
nar o pedal do freio quando a ignição está em posições que não
sejam LOCK (OFF).
O cabo do ressalto de bloqueio ou a trava da mudança pode estar com defeito.  Mau funcionamento do ressalto de bloqueio
 Mau funcionamento do cabo da trava da mudança
Verifique os itens descritos na coluna “Causa provável”.

PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO 2

Alavanca seletora não pode ser movida de P para R com o pe- Causa provável
dal do freio pressionado quando a ignição está em posições
que não sejam LOCK (OFF).
Conjunto da alavanca seletora, cabo da trava da mudança, cabo da trava da chave, cabo  Mau funcionamento do conjunto da alavanca
de controle da transmissão ou ressalto de bloqueio pode estar com defeito. seletora
 Mau funcionamento do cabo da trava da mudança
 Mau funcionamento do cabo da trava da chave
 Mau funcionamento do cabo de controle da
transmissão
 Mau funcionamento do ressalto de bloqueio
Verifique os itens descritos na coluna “Causa provável”.
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Solução de problemas <Mecanismos de trava da
chave e trava da mudança da A/T> 23-33

PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO 3
Alavanca seletora pode ser movida de P para R com o pedal do Causa provável
freio pressionado quando a ignição está na posição LOCK (OFF).
O ressalto de bloqueio ou cabo da trava da chave pode estar com defeito.  Mau funcionamento do ressalto de bloqueio
 Mau funcionamento do cabo da trava da chave

Verifique os itens descritos na coluna “Causa provável”.

PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO 4

Alavanca seletora não pode ser movida de P para R com suavi- Causa provável
dade.
Conjunto da alavanca seletora, cabo da trava da mudança, cabo da trava da chave ou  Mau funcionamento do cabo da trava da chave
ressalto de bloqueio pode estar com defeito.  Mau funcionamento do cabo da trava da mudança
 Mau funcionamento do ressalto de bloqueio
 Mau funcionamento do conjunto da alavanca
seletora

Verifique os itens descritos na coluna “Causa provável”.

PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO 5

Alavanca seletora não pode ser movida de R para P. Causa provável


Conjunto da alavanca seletora ou cabo de controle da transmissão pode estar com  Mau funcionamento do conjunto da alavanca
defeito. seletora
 Mau funcionamento do cabo de controle da
transmissão

Verifique os itens descritos na coluna “Causa provável”.

PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO 6

Ignição não pode ser colocada em LOCK (OFF) quando a ala- Causa provável
vanca seletora está em P.
Ressalto de bloqueio, cabo da trava da chave ou lingüeta do cilindro da chave pode estar  Mau funcionamento do ressalto de bloqueio
com defeito.  Mau funcionamento do cabo da trava da chave
 Mau funcionamento da lingüeta do cilindro da
chave

Verifique os itens descritos na coluna “Causa provável”.

PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO 7
Ignição não pode ser colocada em LOCK (OFF) quando a ala- Causa provável
vanca seletora está em outras posições que não sejam P.
Ressalto de bloqueio, tampa do cilindro da chave ou cabo da trava da chave pode estar  Mau funcionamento do ressalto de bloqueio
com defeito.  Mau funcionamento da tampa do cilindro da
chave
 Mau funcionamento do cabo da trava da chave

Verifique os itens descritos na coluna “Causa provável”.


23-34 TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Serviço no Veículo

SERVIÇO NO VEÍCULO
SERVIÇO ESSENCIAL
VERIFICAÇÃO DO FLUIDO DA TRANSMISSÃO
AUTOMÁTICA
Cuidado
Quando a transmissão for substituída ou revisada ou o ve-
ículo foi dirigido em condições severas, a limpeza da tubu-
lação do arrefecimento do fluido da transmissão automáti-
ca deve ser sempre feita e também o fluido da transmissão
automática deve ser sempre trocado.
1. Dirija o veículo até que a temperatura do fluido da A/T suba
até a temperatura normal (70 – 90 °C).
2. Estacione o veículo numa superfície nivelada.
3. Mova a alavanca seletora através de todas as posições, para
encher o conversor de torque e os circuitos hidráulicos com
fluido da A/T e então mova a alavanca seletora para a posi-
ção N.
4. Depois de limpar toda sujeira ao redor do medidor do nível
do fluido, remova o medidor do nível do fluido e verifique a
condição do fluido da A/T.
OBSERVAÇÃO
Se o fluido da A/T tem cheiro de queimado, significa que o
fluido da A/T foi contaminado por partículas de buchas e
materiais de fricção, uma revisão da transmissão e uma lim-
peza da tubulação do arrefecimento do fluido da A/T podem
ser necessárias.

5. Verifique se o nível do fluido da A/T está na marca HOT no


medidor do nível do fluido. Se o nível do fluido da A/T está
abaixo disso, coloque mais fluido da A/T até que o nível atinja
a marca HOT.
Fluido da transmissão automática:
Dexron II ou equivalente
OBSERVAÇÃO
Se o fluido da A/T está baixo, a bomba de óleo puxa ar junto
com o fluido da A/T, o que causa bolhas dentro do circuito
W0223AG
hidráulico. Isto faz a pressão hidráulica cair, o que resulta
em mudança atrasada e faz as embreagens e freios patinar.
Se há muito fluido da A/T, as engrenagens podem transfor-
má-lo em espuma e causar as mesmas condições que po-
dem ocorrer com níveis baixos de fluido da A/T.
Em ambos os casos, as bolhas de ar podem superaquecer
e oxidar o fluido da A/T, o que pode interferir com o funcio-
namento normal da válvula, embreagem e freio. A espuma
também pode resultar em perda do fluido da A/T pelo orifí-
cio de ventilação da transmissão e neste caso pode ser con-
fundido com um vazamento.
6. Coloque com firmeza o medidor do nível do fluido.
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Serviço no Veículo 23-35

TROCA DO FLUIDO DA TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA


Cuidado
Quando a transmissão foi substituída ou revisada, a limpe-
za da tubulação do arrefecimento do fluido da transmissão
automática deve ser sempre feita antes de instalar a man-
gueira do arrefecimento do fluido da A/T.
Se você tem um trocador do fluido da A/T, use-o para trocar o
fluido da A/T. Se você não tem um trocador do fluido da A/T,
troque o fluido da A/T através do seguinte procedimento.
W0627AL 1. Desconecte a mangueira mostrada na ilustração, que co-
necta a transmissão e o arrefecimento do fluido da A/T (den-
tro do radiador).
2. Dê partida no motor e drene o fluido da A/T.
Condições de funcionamento: N, com o motor em mar-
cha lenta
Cuidado
O motor deve ser desligado dentro de um minuto de-
pois de dar a partida. Se o fluido da A/T foi drenado an-
tes, o motor deve ser desligado nesse ponto.
Volume da descarga: Aprox. 3,4 l

3. Remova o bujão de drenagem do fundo da caixa da trans-


missão para drenar o fluido da A/T.
Volume da descarga: Aprox. 0,8 l
4. Instale o bujão de drenagem com uma nova junta e aperte-
o no torque especificado.
Torque especificado: 20,1 Nm
5. Coloque o novo fluido da A/T através do tubo de abasteci-
mento.
W0626AL
Volume a adicionar: Aprox. 4,2 l
Cuidado
Pare de abastecer se o volume total do fluido da A/T
não puder ser despejado.
6. Repita o procedimento no passo 2.
OBSERVAÇÃO
Drene no mínimo 6,0 l do fluido da A/T da mangueira do
arrefecimento nos passos 2 e 5. Drene então um pouco do
fluido da A/T e verifique se ele está sujo.
Se ele foi contaminado, repita os passos 5 e 6.
7. Coloque um novo fluido da A/T através do tubo de abasteci-
mento.
Volume a adicionar: Aprox. 3,4 l
23-36 TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Serviço no Veículo

8. Reconecte a mangueira que foi desconectada no passo 1 e


coloque com firmeza o medidor de nível.
9. Dê partida no motor e deixe-o em marcha lenta por 1 – 2
minutos.
10. Mova a alavanca seletora através de todas as posições e
então mova-a para a posição N.

11. Verifique se o nível do fluido da A/T está na marca COLD no


medidor do nível do fluido. Se o nível do fluido da A/T está
W0627AL abaixo disso, coloque mais fluido da A/T.
12. Dirija o veículo até que a temperatura do fluido da A/T suba
até a temperatura normal (70 – 80 °C) e então verifique no-
vamente o nível do fluido da A/T.
O nível do fluido da A/T deve estar na marca HOT.
OBSERVAÇÃO
O nível COLD é somente para referência; o nível HOT deve
ser considerado como padrão.
13. Insira com firmeza o medidor de nível no tubo de abasteci-
mento.
W0223AG
LIMPEZA DA TUBULAÇÃO DO ARREFECIMENTO DO
FLUIDO DA A/T
Cuidado
Quando a transmissão foi substituída ou revisada, ou o flui-
do da A/T está contaminado, a limpeza da tubulação do ar-
refecimento do fluido da transmissão automática deve ser
feita novamente.
1. Desconecte a mangueira mostrada na ilustração, que co-
necta a transmissão e o arrefecimento do fluido da A/T (den-
tro do radiador).
W0627AL
2. Dê partida no motor e drene o fluido da A/T.
Condições de funcionamento: N, com o motor em mar-
cha lenta
Cuidado
O motor deve ser desligado dentro de um minuto de-
pois de dar a partida. Se o fluido da A/T foi drenado an-
tes, o motor deve ser desligado nesse ponto.
Volume da descarga: Aprox. 3,4 l
3. Coloque o novo fluido da A/T através do tubo de abasteci-
mento.
Volume a adicionar: Aprox. 3,4 l
Cuidado
Pare de abastecer se o volume total do fluido da A/T
não puder ser despejado.
4. Repita o procedimento no passo 2.
OBSERVAÇÃO
Drene no mínimo 6,0 l do fluido da A/T da mangueira do
arrefecimento no passo 2. Drene então um pouco do fluido
da A/T e verifique se ele está sujo.
Se ele foi contaminado, repita os passos 3 e 4.
5. Siga o procedimento de substituição do fluido da A/T a partir
do passo 3.
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Serviço no Veículo 23-37

Porca de ajuste AJUSTE E VERIFICAÇÃO DO CABO DO KICKDOWN


Guarda-pó 1. Libere o pedal do acelerador.
2. Afrouxe a porca ou parafuso de ajuste. Mova o cabo exter-
no do cabo do kickdown para ajustar a folga (A) entre o
limitador do cabo interno e o terminal do guarda-pó ao valor
padrão e então aperte a porca ou parafuso de ajuste para
prender o cabo do kickdown.
Valor padrão: 0,8 – 1,5 mm
Limitador do
cabo interno Cuidado
Ajuste o conjunto do cabo do acelerador depois do ajus-
te do cabo do kickdown.

VERIFICAÇÃO DA CONTINUIDADE DO
Interruptor do inibidor INTERRUPTOR DO INIBIDOR
Posição Terminal nº
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
P
R

AW0625AL N
D
2
L

W0624AL

AJUSTE DO INTERRUPTOR DO INIBIDOR E CABO DE


Parafuso de
montagem
CONTROLE
Linha de 1. Coloque a alavanca de controle manual na posição N.
referência 2. Afrouxe o parafuso de montagem do interruptor do inibidor.
da posição
N 3. Gire o interruptor do inibidor para alinhar a linha de referên-
cia da posição N no interruptor do inibidor com a linha risca-
da na placa de ajuste da posição N.
Placa de ajuste 4. Aperte o parafuso de montagem no torque especificado.
da posição N
BW0625AL
Torque de aperto: 5,4 Nm
23-38 TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Serviço no Veículo

VERIFICAÇÃO DA CONTINUIDADE DO INTERRUPTOR


DE DETECÇÃO DA TRAVA DO VCU
Verifique a continuidade entre o terminal do conector marrom,
instalado na lateral da caixa de transferência (mostrada na ilus-
tração) e a caixa de transferência.
Posição da alavanca de transferência Continuidade
4H Sem continuidade
4HLc Continuidade
AW0486AL

VERIFICAÇÃO DA CONTINUIDADE DO INTERRUPTOR


DE DETECÇÃO 2WD/4WD
Verifique a continuidade entre o terminal do conector branco,
instalado na lateral da caixa de transferência (mostrada na ilus-
tração) e a caixa de transferência.

Posição da alavanca de transferência Continuidade


2H Continuidade

BW0486AL 4H Sem continuidade

VERIFICAÇÃO DA CONTINUIDADE DO INTERRUPTOR


DE DETECÇÃO DA OPERAÇÃO DA TRAVA DO VCU
Verifique a continuidade entre o terminal do conector marrom,
instalado na parte superior da caixa de transferência (mostrada
na ilustração) e a caixa de transferência.

Posição da alavanca de transferência Continuidade


4H Sem continuidade

CW0486AL 4HLc Continuidade

VERIFICAÇÃO DA CONTINUIDADE DO INTERRUPTOR


DE DETECÇÃO DA OPERAÇÃO 4WD
Verifique a continuidade entre o terminal do conector branco,
instalado na parte superior da caixa de transferência (mostrada
na ilustração) e a caixa de transferência.

Posição da alavanca de transferência Continuidade


2H Sem continuidade

DW0486AL 4H Continuidade

VERIFICAÇÃO DA CONTINUIDADE DO INTERRUPTOR


DE DETECÇÃO HIGH/LOW
Verifique a continuidade entre o terminal do conector preto, ins-
talado na lateral da caixa de transferência (mostrada na ilustra-
ção) e a caixa de transferência.
Posição da alavanca de transferência Continuidade
4HLc Continuidade
Entre 4HLc e 4LLc Sem continuidade
EW0486AL 4LLc Continuidade
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Serviço no Veículo 23-39

Orifício do bujão
VERIFICAÇÃO DO ÓLEO DA TRANSFERÊNCIA
de abastecimento 1. Remova o bujão de abastecimento de óleo.
de óleo
2. Verifique se o nível do óleo está na parte inferior do orifício
do bujão de abastecimento de óleo.
3. Verifique se o óleo não está visivelmente sujo e se ele tem
Nível do uma viscosidade aceitável.
óleo 4. Aperte o bujão de abastecimento de óleo no torque especi-
ficado.
110045 Torque de aperto: 29 – 34 Nm

TROCA DO ÓLEO DA TRANSFERÊNCIA


1. Remova o bujão de drenagem de óleo para drenar o óleo.
Bujão de drena-
Bujão de abaste- gem de óleo 2. Aperte o bujão de drenagem de óleo no torque especificado.
cimento de óleo
Torque de aperto: 29 – 34 Nm
3. Remova o bujão de abastecimento de óleo e complete com
óleo especificado até que o nível atinja a parte inferior do
orifício do bujão de abastecimento de óleo.
Óleo especificado:
AW0552AL Óleo de engrenagem hipóide SAE 75W – 90, 75W –
85W ou 80W, conforme API GL-4
Quantidade: 2,2 l
4. Aperte o bujão de abastecimento de óleo no torque especi-
ficado.
Torque de aperto: 29 – 34 Nm
23-40 TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Serviço no Veículo

LOCALIZAÇÃO DO COMPONENTE DE CONTROLE DA A/T

Nome Símbolo Nome Símbolo


ECU da A/T M Interruptor do inibidor E
Sensor de velocidade do eixo de entrada D Sensor de velocidade do eixo de saída G
Sensor de temperatura do fluido da A/T F Interruptor da sobremarcha L
Conector de diagnóstico K Válvulas solenóides F
Interruptor da pressão dupla B Interruptor da luz do freio J
ECU do motor I Sensor de posição da borboleta (TPS) A
Interruptor do engate da roda livre C Sensor de velocidade do veículo H

W1044AL W0011AL

W1048AL W0019AL
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Serviço no Veículo 23-41

VERIFICAÇÃO DO COMPONENTE DE
CONTROLE DA A/T
VERIFICAÇÃO DO INTERRUPTOR DA SOBREMARCHA

VERIFICAÇÃO DO SENSOR DE POSIÇÃO DA


BORBOLETA (TPS)
Veja Grupo 13B, C - Serviço no Veículo.

VERIFICAÇÃO DO INTERRUPTOR DO INIBIDOR


Veja pág. 23-37

VERIFICAÇÃO DO INTERRUPTOR DA LUZ DO FREIO


Veja Grupo 35 - Serviço no Veículo.

VERIFICAÇÃO DO SENSOR DE VELOCIDADE DO


VEÍCULO
Veja Grupo 54 - Serviço no Veículo.

VERIFICAÇÃO DO INTERRUPTOR DA PRESSÃO DUPLA


Veja Grupo 55 - Serviço no Veículo.

VERIFICAÇÃO DO INTERRUPTOR DO ENGATE DA


RODA LIVRE
Veja Grupo 26 - Serviço no Veículo.

VERIFICAÇÃO DO SENSOR DE VELOCIDADE DO


EIXO DE ENTRADA
1. Desconecte o conector do sensor de velocidade do eixo de
entrada.

Sensor de velocidade do
eixo de entrada
AW0589AL

2. Meça a resistência entre os terminais 9 e 10 do conector do


sensor de velocidade do eixo de entrada.
Valor padrão: 620 ± 60 Ω
3. Se a resistência não estiver dentro do valor padrão, substi-
tua o sensor de velocidade do eixo de entrada.

W0634AL
23-42 TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Serviço no Veículo

VERIFICAÇÃO DO SENSOR DE VELOCIDADE DO


Sensor de velocidade
do eixo de saída
EIXO DE SAÍDA
1. Desconecte o conector do sensor de velocidade do eixo de
saída.

BW0589AL

2. Meça a resistência entre os terminais 3 e 4 do conector do


sensor de velocidade do eixo de saída.
Valor padrão: 430 ± 43 Ω
3. Se a resistência não estiver dentro do valor padrão, substi-
tua o sensor de velocidade do eixo de saída.

W0633AL

VERIFICAÇÃO DA VÁLVULA SOLENÓIDE


1. Desconecte o conector da válvula solenóide.

Válvula solenóide nº 3
Válvulas solenói-
des nº 1 e nº 2

AW0561AL

2. Meça a resistência da válvula solenóide.


Valor padrão:
Item Terminal de Resistência
medição
Válvula solenóide nº 1 Entre terminal 6 e 13 ± 2 Ω
terra (a 25 ºC)
Válvula solenóide nº 2 Entre terminal 7 e
terra
W0635AL
Válvula solenóide nº 3 Entre terminal 8 e
terra
3. Se a resistência não estiver dentro do valor padrão, substi-
tua o conjunto da válvula solenóide.
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Serviço no Veículo 23-43

VERIFICAÇÃO DO SENSOR DE TEMPERATURA DO


FLUIDO DA A/T
1. Desconecte o conector do sensor de temperatura do fluido
da A/T.

Sensor de temperatura do
fluido da A/T

AW0363AL

2. Meça a resistência entre os terminais 1 e 2 do conector do


sensor de temperatura do fluido da A/T.
Valor padrão:
Temperatura (ºC) Resistência
25 1.100 kΩ
120 57 Ω

W0632AL 3. Se a resistência não estiver dentro do valor padrão, substi-


tua o sensor de temperatura do fluido da A/T.
23-44 TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Serviço no Veículo

Embreagem – TESTE DE EFICIÊNCIA DO CONVERSOR DE


acoplamento TORQUE
Neste teste, a rotação máxima do motor quando o conversor de
torque testa com a alavanca seletora em “D” ou “R” é medida
para verificar o funcionamento do conversor de torque, embrea-
gem da partida e embreagem de uma via e verificar o desempe-
nho de retenção da embreagem da transmissão (incluindo freio).
Cuidado
TRA0973
Não permaneça à frente ou atrás do veículo durante este
teste.
1. Verifique o nível do fluido da transmissão. A temperatura do
fluido deve estar no nível depois do funcionamento normal
(70 – 90 °C). A temperatura do líquido de arrefecimento do
motor também deve estar no mesmo nível depois do funcio-
namento normal (80 – 95 °C).
2. Coloque calços nas rodas traseiras (direita e esquerda).
3. Monte um conta-giros do motor.
4. Aplique totalmente os freios de estacionamento e de serviço.
5. Dê partida no motor.
6. Com a alavanca seletora em “D”, pressione totalmente o
pedal do acelerador e leia a rotação máxima do motor.
OBSERVAÇÃO
Ao fazer isto, não mantenha o motor acelerado totalmente
por mais do que 5 segundos. Se forem necessários dois ou
mais testes, coloque a alavanca seletora na posição “N” e
deixe o motor em 1.000 r/min para permitir que o fluido da
transmissão esfrie antes de outro teste de eficiência.
Valor padrão: 2.410 – 2.710 r/min
7. Coloque a alavanca seletora na posição “R” e faça o teste,
como acima.

JULGAMENTO DOS RESULTADOS DO TESTE DE EFICIÊNCIA

Rotações em “D” e “R” são iguais, (1) A saída do motor está baixa.
porém abaixo do valor nominal. (2) Embreagem de uma via de partida está falhando. (Des-
confie do conversor de torque falho se for abaixo do no-
minal em mais de 600 r/min.)
(1) Embreagem da sobremarcha patinando.
Rotação em “D” está acima da nominal. (2) Embreagem de uma via da sobremarcha falhando.
(3) Embreagem à frente patinando.
(4) Embreagem de uma via nº 2 falhando.
(5) Baixa pressão na tubulação.
(1) Embreagem da sobremarcha patinando.
Rotação em “R” está acima da nominal. (2) Embreagem de uma via da sobremarcha falhando.
(3) Embreagem direta patinando.
(4) Freio nº 3 patinando.
(5) Baixa pressão na tubulação.
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Serviço no Veículo 23-45

TESTE DA PRESSÃO HIDRÁULICA


O teste da pressão hidráulica é importante para determinar as
causas das falhas da transmissão. Antes de realizar o teste,
deve-se verificar o nível e condição do fluido, ajuste do cabo do
acelerador etc., quanto a defeitos ou anormalidades. Ao efetuar
o teste, o motor e a transmissão devem estar nas temperaturas
de funcionamento corretas (arrefecimento do motor 80 – 95 °C,
fluido da transmissão 70 – 90 °C).

TRA0794
TESTE DA PRESSÃO DA TUBULAÇÃO
1. Coloque o veículo num dinamômetro de chassi.
2. Remova o bujão da porta de saída da pressão da tubulação.
3. Instale as ferramentas especiais, conforme mostrado na fi-
gura e coloque o medidor dentro do veículo.
4. Aplique o freio de estacionamento.
5. Dê partida no motor.
6. Coloque a alavanca seletora em “D”.
7. Pressional do pedal do freio com firmeza com o pé esquer-
do e acione o acelerador com o pé direito, para medir a
pressão da tubulação em cada r/min do motor. Se a pres-
são medida não é a nominal, verifique o ajuste do cabo do
acelerador e reajuste, se necessário, antes de fazer o teste
novamente.
8. Coloque a alavanca seletora em “R” e teste, como acima.
Valor padrão:
Itens Pressão da tubulação MPa
"D" "R"
Em ponto morto 0,39 – 0,44 0,51 – 0,57
Em r/min máxima 0,81 – 0,91 1,41 – 1,65
23-46 TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Serviço no Veículo

CIRCUITO HIDRÁULICO

AW0179AG

1. Embreagem da sobremarcha 16. Válvula de interrupção


2. Freio da sobremarcha 17. Válvula do acelerador
3. Embreagem à frente 18. Válvula reguladora secundária
4. Embreagem direta 19. Válvula de controle da trava
5. Freio nº 1 20. Válvula reguladora primária
6. Freio nº 2 21. Válvula seqüencial da embreagem da ré
7. Freio nº 3 22. Válvula de mudança 3-4
8. Válvula manual 23. Válvula moduladora intermediária
9. Válvula de mudança 2-3 24. Acumulador C1
10. Válvula solenóide nº 1 25. Acumulador C2
11. Válvula solenóide nº 2 26. Acumulador B2
12. Válvula moduladora de baixa inércia 27. Válvula de passagem do resfriador do óleo
13. Válvula de mudança 1-2 28. Bomba do óleo
14. Válvula de liberação da pressão 29. Filtro do óleo
15. Válvula solenóide nº 3
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Serviço no Veículo 23-47

VERIFICAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DA
ALAVANCA SELETORA
1. Aplique a alavanca do freio de estacionamento.
2. Mova a alavanca seletora de N para D, 2 e L, para verificar
se a alavanca seletora se move suavemente.
3. Verifique se o motor dá a partida quando a alavanca seleto-
ra está nas posições N e P e se o motor não dá a partida em
posições que não sejam N e P.
4. Dê partida no motor e libere o freio de estacionamento. Ve-
rifique se o veículo se move para a frente quando a alavan-
ca seletora é movida de N para D, 2 e L e se se move para
trás quando a alavanca seletora é movida para a posição R.
5. Desligue o motor.
Acione a alavanca seletora sem 6. Coloque a ignição em ON. Verifique se a luz de ré acende e
empurrar o botão de acionamento. se a cigarra soa, quando a alavanca seletora é movida da
Acione a alavanca seletora com o posição P para R.
botão de acionamento empurrado.

AW1199AL

Transmissão
Frente do veículo AJUSTE DO CABO DE CONTROLE DA
TRANSMISSÃO
1. Mova a alavanca seletora para N e coloque a alavanca da
transmissão em N.

Alavanca da transmissão
AW0557AL

2. Afrouxe o parafuso de fixação. Ajuste a posição da alavan-


Alavanca do ajustador ca do ajustador de modo que o cabo de controle da trans-
Cabo de controle missão fique apertado e então aperte o parafuso de fixação.
da transmissão

Parafuso
de fixação
AW0102AL
23-48 TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Controle da Transmissão

CONTROLE DA TRANSMISSÃO
REMOÇÃO E INSTALAÇÃO
Cuidado
Não bata na ECU do SRS ao remover e instalar o cabo de controle da transmissão, cabo da trava da
chave, conjunto da alavanca de mudança e ECU da A/T.

Selante: Selante:
3M Trava porca nº 4170 ou 3M ATD nº 8663 ou equivalente
equivalente

Passos da remoção do conjunto da alavanca Passos da remoção do conjunto da


seletora e conjunto do cabo de controle da alavanca da transferência
transmissão  Conjunto do console do assoalho dianteiro
 Conjunto do console do assoalho traseiro (Veja GRUPO 52A.)
(Veja GRUPO 52A.) 6. Placa retentora


3. Conexão do cabo de controle da transmis-




A 7. Tampa interna da alavanca da transferência


são (lado da alavanca seletora) 8. Conjunto da alavanca de controle da trans-
4. Conjunto da alavanca seletora ferência
5. Conexão do cabo de controle da transmis- 9. Junta
são (lado da transmissão) 10. Placa limitadora
11. Junta
12. Alavanca de controle da transferência
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Controle da Transmissão 23-49

CONJUNTO DA ALAVANCA SELETORA


DESMONTAGEM E MONTAGEM

AW1236AL

Passos da Desmontagem






A 1. Conjunto do soquete indicador da posição A 10. Luva


2. Lâmpada 11. Alavanca do ajustador
3. Botão da mudança 12. Pino
4. Botão de empurrar 13. Mola esférica
5. Limitador 14. Suporte esférico
6. Mola 15. Esfera
7. Interruptor da sobremarcha 16. Coifa
8. Conjunto do painel indicador 17. Conjunto da alavanca seletora
18. Limitador
23-50 TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Controle da Transmissão

PONTOS DE SERVIÇO DA DESMONTAGEM


Terminal



A REMOÇÃO DO CONJUNTO DO SOQUETE
INDICADOR DA POSIÇÃO
Use uma chave de fenda de cabeça achatada etc., para remo-
ver o terminal do botão de mudança lateral do conector do con-
junto do soquete indicador da posição.

Chave de fenda

11Y231

PONTOS DE SERVIÇO DA MONTAGEM


16,0 – 16,7 mm
Luva



A INSTALAÇÃO DA LUVA
Coloque a alavanca seletora na posição N e então gire a luva de
modo que a folga entre a luva e o terminal do conjunto da ala-
vanca esteja dentro da dimensão mostrada na ilustração.

Conjunto da
alavanca
seletora
11W553
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Conjunto da Transmissão 23-51

CONJUNTO DA TRANSMISSÃO
REMOÇÃO E INSTALAÇÃO
Cuidado
Locais de montagem marcados por * devem ser apertados provisioramente e então totalmente aperta-
dos, após colocar o veículo horizontalmente e carregar o peso total da transmissão na carroceria do
veículo.

Operação de pré-remoção Operação de pós-instalação


 Remoção do Conjunto da Alavanca de Con-  Instalação do Conjunto da Alavanca de Contro-
trole da Transferência le da Transferência
 Remoção da Tampa Inferior  Instalação da Tampa Inferior
 Drenagem do Fluido da Transmissão e Óleo  Abastecimento do Fluido da Transmissão e Óleo
da Transferência da Transferência
 Remoção do Eixo Propulsor Dianteiro e Traseiro  Instalação do Eixo Propulsor Dianteiro e Traseiro
 Remoção do Filtro de Ar  Instalação da Tubulação de Escape Dianteira e
 Remoção da Tubulação de Escape Dianteira Catalisador
e Catalisador  Ajuste do Cabo do Kickdown
 Verificação e Ajuste do Conjunto do Cabo do
Acelerador

AW1238AL

Passos da remoção
1. Conexão do cabo do kickdown 9. Conector do interruptor de detecção do fun-
2. Conjunto do medidor do nível do óleo cionamento da trava do VCU
3. Conexão do cabo de controle da transmissão 10. Conector do interruptor de detecção High/
4. Protetor do guarda-pó Low
5. Motor de partida 11. Conector do interruptor de detecção do fun-
6. Conector do sensor de velocidade do veículo cionamento 4WD
7. Conector do interruptor de detecção da tra- 12. Conector do chicote
va do VCU 13. Conector do interruptor do inibidor
8. Conector do interruptor de detecção 2WD/
4WD
23-52 TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Conjunto da Transmissão

A10076AL

14. Mangueira do resfriador do óleo 18. Bucha de montagem da transmissão


 Remoção do filtro de óleo superior (Veja 19. Travessa de montagem da transmissão
GRUPO 11C.) 20. Conjunto do isolador de montagem da trans-



B 15. Parafusos de conexão da placa de aciona- missão


mento 21. Parafusos de acoplamento da parte superi-
 Apóie a transmissão com um macaco de or da transmissão
transmissão 22. Parafusos de acoplamento da parte inferior
16. Arruela da transmissão



17. Espaçador A 23. Conjunto da transmissão





A REMOÇÃO DO MOTOR DE PARTIDA


Remova o motor de partida com o chicote do motor de partida
ainda conectado e prenda-o dentro do compartimento do motor.
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Conjunto da Transmissão 23-53

PONTOS DE SERVIÇO DA REMOÇÃO



A REMOÇÃO DO MOTOR DE PARTIDA
Remova o motor de partida com o chicote ainda conectado e
prenda-o dentro do compartimento do motor.



B REMOÇÃO DOS PARAFUSOS DE CONEXÃO
DA PLACA DE ACIONAMENTO
1. Remova os parafusos de conexão (6 locais) enquanto gira
o virabrequim.
2. Pressione o conversor de torque para o lado da transmis-
são de modo que o conversor de torque não permaneça no
lado do motor.

PONTOS DE SERVIÇO DA INSTALAÇÃO


INSTALAÇÃO DO CONJUNTO DA TRANSMISSÃO
1. Pressione o conversor de torque totalmente para o lado da
A transmissão e então instale o conjunto da transmissão no
motor.

09Z0001

Frente do
INSTALAÇÃO DO LIMITADOR DE MONTAGEM
veículo DA TRANSMISSÃO
1. Instale o limitador de montagem da transmissão de modo
que a seta fique voltada para a direção mostrada.
OBSERVAÇÃO
Conjunto do Desconsidere F e R estampados como peças parciais.
isolador da
montagem da
transmissão
Limitador de montagem
da transmissão
AW0304AL

2. Os tamanhos dos parafusos de montagem são diferentes.


A Certifique-se de não misturá-los.
Diâmetro B
Parafuso Diâmetro x Comprimento mm
A
Comprimento A 10 x 50
C B 10 x 60
Motor de partida B
C 10 x 40

AW0706AL
23-54 TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – Resfriador do Óleo da Transmissão

RESFRIADOR DO ÓLEO DA TRANSMISSÃO


REMOÇÃO E INSTALAÇÃO
Operações de pré-remoção e pós-instalação
 Drenagem e Abastecimento do Fluido da
Transmissão (Veja pág. 23-36)
 Remoção e Instalação da Tampa Inferior

AW0086AL

Passos da remoção
1. Mangueira de retorno  Conjunto da transmissão (Veja pág. 23-57.)
2. Mangueira de alimentação 5. Mangueira de retorno de óleo
3. Conjunto da tubulação do resfriador de óleo 6. Mangueira de alimentação de óleo
4. Conjunto da mangueira
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA – ECU da A/T / Unidade de controle do Indicador 4WD 23-55

ECU DA A/T
REMOÇÃO E INSTALAÇÃO
Cuidado
Não bata no sensor G ao remover e instalar a ECU da A/T.

Operações de pré-remoção e pós-instalação


Remoção e Instalação do Console do Assoalho
Traseiro

AW0700AL

Passos da remoção
1. Suporte do console do assoalho
2. ECU da A/T

UNIDADE DE CONTROLE DO INDICADOR 4WD


REMOÇÃO E INSTALAÇÃO
Veja GRUPO 22.
OBSERVAÇÃO