Sei sulla pagina 1di 22

Políticas Públicas

de Saúde
Material Teórico
Políticas Públicas

Responsável pelo Conteúdo:


Profa. Ms. Jacqueline Mazzoni e Profa. Esp. Isabel Souza Lima

Revisão Textual:
Prof. Ms. Claudio Brites
Políticas Públicas

• Conceito de Políticas Públicas


• História das Políticas Públicas no Brasil
• Ciclo de Políticas Públicas – Policy Ciclo
• Tipos de Políticas Públicas
• Exemplos de Políticas Públicas

OBJETIVO DE APRENDIZADO
· Proporcionar ao aluno um conjunto de conceitos teóricos e práticos
sobre políticas públicas.
· Desenvolver com o aluno a capacidade de análise sobre a importância
das políticas públicas no Brasil.
Orientações de estudo
Para que o conteúdo desta Disciplina seja bem
aproveitado e haja uma maior aplicabilidade na sua
formação acadêmica e atuação profissional, siga
algumas recomendações básicas:
Conserve seu
material e local de
estudos sempre
organizados.
Aproveite as
Procure manter indicações
contato com seus de Material
colegas e tutores Complementar.
para trocar ideias!
Determine um Isso amplia a
horário fixo aprendizagem.
para estudar.

Mantenha o foco!
Evite se distrair com
as redes sociais.

Seja original!
Nunca plagie
trabalhos.

Não se esqueça
de se alimentar
Assim: e se manter
Organize seus estudos de maneira que passem a fazer parte hidratado.
da sua rotina. Por exemplo, você poderá determinar um dia e
horário fixos como o seu “momento do estudo”.

Procure se alimentar e se hidratar quando for estudar, lembre-se de que uma


alimentação saudável pode proporcionar melhor aproveitamento do estudo.

No material de cada Unidade, há leituras indicadas. Entre elas: artigos científicos, livros, vídeos e
sites para aprofundar os conhecimentos adquiridos ao longo da Unidade. Além disso, você também
encontrará sugestões de conteúdo extra no item Material Complementar, que ampliarão sua
interpretação e auxiliarão no pleno entendimento dos temas abordados.

Após o contato com o conteúdo proposto, participe dos debates mediados em fóruns de discussão,
pois irão auxiliar a verificar o quanto você absorveu de conhecimento, além de propiciar o contato
com seus colegas e tutores, o que se apresenta como rico espaço de troca de ideias e aprendizagem.
UNIDADE Políticas Públicas

Contextualização
Iniciaremos esta unidade refletindo sobre o que representam as Políticas Públicas
em nossa sociedade. Será que seria possível a sobrevivência, hoje em dia, sem a
adoção de tais políticas?

“Política é o conjunto de procedimentos formais e informais que expressam


relações de poder e que se destinam à resolução pacifica dos conflitos quanto a
bens públicos” (RUA, 1998, p. 232).

Convidamos você a conhecer essa história.

RUA, Maria das Graças. Análise de políticas públicas: conceitos básicos. In: RUA
M das G.; CARVALHO, M. I. (Org.). O estudo da política: tópicos selecionados.
Brasília: Paralelo 15, 1998.

8
Conceito de Políticas Públicas
Antes da definição de Políticas Públicas, é importante definirmos o conceito de
sociedade e política: “Política é o conjunto de procedimentos formais e informais
que expressam relações de poder e que se destinam à resolução pacifica dos
conflitos quanto a bens públicos” (RUA, 1998, p. 232).

Rua (2009, p.14) ainda define a sociedade como “um conjunto de indivíduos
dotados de interesses e recursos de poderes diferenciados, que interagem
continuamente a fim de satisfazer às suas necessidades”.

Dessa forma, conclui-se que é importante que esse conjunto de pessoas,


que possuem interesses distintos e que precisam interagir entre si, possua um
conjunto de procedimentos para que essa relação seja desenvolvida da melhor
forma possível, a fim de suprir as necessidades de todos e minimizar os conflitos
quanto ao patrimônio público – e é nesse momento que as políticas públicas são
indispensáveis. Elas trabalham em prol da resolução de problemas da sociedade.
Políticas Públicas são diretrizes, princípios norteadores de ação do poder
público; regras e procedimentos para as relações entre poder público e
sociedade, mediações entre atores da sociedade e do Estado. São, nesse
caso, políticas explicitadas ou formuladas em documentos que orientam
ações que normalmente envolvem aplicações de recursos públicos.
(TEIXEIRA, 2002, p. 2)

O conceito de Políticas Públicas é definido como: um grupo de atividades,


programas e ações desenvolvidas entre iniciativas privadas, públicas e pelo Estado
que visa assegurar determinado direito de cidadania de forma difusa ou para
determinado seguimento social, cultural, étnico ou econômico. São direitos que a
constituição assegura ou que, ainda, são reconhecidos pela sociedade e pelos
poderes públicos, focando nos direitos das comunidades, bens materiais ou
imateriais, das pessoas. Na concepção de Secchi (2013, p. 1): “Políticas públicas
tratam do conteúdo concreto e do conteúdo simbólico de decisões políticas, e do
processo de construção e atuação dessas decisões”.

As Políticas Públicas são os direitos garantidos pela Constituição Federal que são
firmados a partir do seu reconhecimento pela sociedade e também pelos poderes
públicos. Elas visam assegurar os direitos das pessoas, comunidades, bens materiais
ou imateriais.

Quando uma Política Pública é promulgada,


no seu próprio texto (na maioria dos casos), Audiências públicas, encontros e
conferências setoriais também são
já é prevista a participação da sociedade instrumentos que servem como for-
tanto na formulação quanto implementação, ma de envolver os diversos segui-
acompanhamento e avaliação – ou seja, essa mentos da sociedade em processos
participação da sociedade já é prevista na de participação e controle social.
própria lei.

9
9
UNIDADE Políticas Públicas

Lei da Transparência (LC nº. 131, de 27 de maio de 2009), quanto à participação


da sociedade, assim determina:
I – Incentivo à participação popular e realização de audiências públicas,
durante os processos de elaboração e discussão dos planos, lei de diretrizes
orçamentárias e orçamentos;

II – Liberação ao pleno conhecimento e acompanhamento da sociedade,


em tempo real de informações pormenorizadas sobre a execução
orçamentária e financeira, em meios eletrônicos de acesso público.

História das Políticas Públicas no Brasil


Inicialmente o conceito de políticas públicas teve surgimento nos Estados Unidos
e foi difundido para outros países.

As políticas públicas surgiram no século XX, a partir da preocupação do Estado


com a promoção do bem-estar social, elas foram criadas para distribuir de forma
igualitária os recursos de caráter individual e social – ou seja, elas garantiriam a
qualidade de vida e dignidade para a sociedade brasileira.

No início do século XX, o país ainda era marcado pela forte produção agrícola,
com uma grande parcela da população vivendo na área rural. Porém, já existia uma
boa parcela que trabalhava em fábricas.

Em 1923, foi criada a Caixa de Aposentadoria e Pensões (CAP) – Lei Eloy Cha-
ves. Essa lei trata basicamente da necessidade de garantir pensão aos trabalhadores
em caso de acidente, afastamento por motivo de doença e aposentadoria. Foi a
primeira lei que abordou questões ligadas aos trabalhadores e à saúde desses.

Na década de 30, o país começou a implementar direitos sociais, como, por


exemplo, a criação do Ministério do Trabalho e, mais tarde, da CLT (Consolidação
das Leis do Trabalho). Nessa mesma década, ainda foram implementados progra-
mas de aposentadoria e pensões para diversos profissionais.

Porém, foi com a vinda da industrialização para o mercado nacional, na déca-


da de 70, que o Estado precisou adotar medidas que serviriam de respostas aos
principais problemas apresentados pela sociedade brasileira por meio de progra-
mas, projetos e ações. Nessa década, foram criados o FGTS (Fundo de Garantia
por Tempo de Serviço) e o INPS (Instituto Nacional de Previdência Social).

10
A Importância do Estudo
de Políticas Públicas
Quando houve o surgimento das políticas públicas no Brasil, seu caráter era
entendido como uma obrigação do setor político brasileiro, ou seja, existiam as
demandas sociais e o sistema político que transformava essas ações em programas/
ações do Estado. Com o passar do tempo, esse conceito foi evoluindo por meio de
novas análises, novos estudos, da importância que complexidade que a formulação
das políticas públicas passou a apresentar para a sociedade.

Existem 3 grandes razões principais para o estudo de políticas púbicas, são elas:
· Razões Científicas: pesquisadores estudam e formulam hipóteses que
tentam explicar os fenômenos que envolvem o campo das políticas públicas.
Esses pesquisadores também atuam na formulação, implementação e
avaliação de políticas públicas;
· Razões Profissionais: utilização dos conhecimentos adquiridos para a
resolução dos problemas práticos. Os principais profissionais desatacados
para esse fim são os gestores públicos e os empresários. Esses profissionais
atuam principalmente desenvolvendo ações e programas sociais para a
sociedade na qual estão inseridos;
· Razões Políticas: são as políticas que, a partir do conhecimento de de-
terminado problema ou setor, conseguem influenciar de maneira bastante
efetiva em determinada política pública.

Ciclo de Políticas Públicas – Policy Ciclo


O ciclo de políticas públicas formulado por Klaus Frey consiste em fases ou ciclos
pelos quais as políticas públicas passam ou transitam antes de se concretizarem
materialmente na sociedade.

O Ciclo é importante para garantir a efetividade da Política Pública. Caso alguma


das fases não sejam devidamente bem formuladas, acarretará em graves problemas
na efetividade da política, gastos de tempo e principalmente de recursos. Além de
que o problema levantado para ser resolvido continuará existindo e a sociedade
continuará tendo que conviver com ele. Todas as etapas devem ser bem estruturadas.

Esse ciclo é composto por cinco fases:

11
11
UNIDADE Políticas Públicas

Figura 1
Fonte: www.politize.com.br

Fase 1 – Agenda
Nesta fase, é feita a percepção e a definição do problema político. É percebido
um problema social, ou seja, determinada a situação que é gerada pela falta de
uma política pública. Analisa-se qual é a demanda gerada, ou seja, a razão e a
necessidade de implementação de uma nova política pública.

A formação da agenda pode ser ou não resultado de uma mudança social ou


tecnológica. Da mesma forma, essa agenda pode ser resultado de uma demanda
recorrente de problemas que já estiveram em pauta e não foram resolvidos ou,
ainda, que foram mal resolvidos e por isso continuam em pauta para tratamento.
Cenário no qual está inserido o problema.

São algumas questões desta fase: o contexto no qual o problema está inserido;
qual é a parcela da população que esta sendo afetada; qual é a provável propagação
do problema; situações que causam esse problema.

Fase 2 – Formulação de Propostas


Nesta etapa, são formadas as alternativas e medidas que podem ser tomadas
para resolver o problema. Depende dos interesses do Governo e também dos
atores não governamentais.

Fase 3 - Elaboração de Programas e Decisões


Nessa etapa é feito o plano de ações. Quais medidas deverão ser tomadas,
qual é a verba e de onde virá a verba que será destinada para tal programa. Por
quanto tempo será feito o programa e qual parcela da população será beneficiada,
havendo então sua definição.

12
Na elaboração de programas e decisões, são estudos e definidos quais serão os
programas a serem implementados e quais são as melhores alternativas levantadas
para o tratamento do problema em questão.

Fase 4 - Implementação das Políticas.


Neste momento, o programa passa a ser implementado seguindo um cronograma.

Fase 5 - Avaliação das Políticas e Correção


A etapa de avaliação é de extrema importância para garantir se o programa está
tendo efetividade, ou seja, se ele realmente está sendo bem implementado, se foi
bem estruturado ou ainda se precisa de correções ou ajustes. Nesta etapa, existe a
mensuração de resultados e a análise e acompanhamento desses.

Agora que já possui mais conhecimento a respeito das Políticas Públicas, pense em como
Explor

seria o Brasil sem uma Política de Segurança Pública, por exemplo.

Atores de políticas públicas


São agentes que atuam diretamente no ciclo das políticas públicas, seja na
formulação dessas, em sua implementação ou avaliação.

Existem 2 tipos de atores, são eles:

Atores públicos: estão ligados diretamente à administração pública. Esses atores


podem ocupar cargos políticos, tanto no poder legislativo quanto no executivo ou
judiciário; tanto na esfera estadual quanto na esfera federal.

Os políticos são aqueles atores cujas posições resultam de mandatos eletivos.


Por isso, sua atuação é condicionada principalmente pelo cálculo eleitoral e
pelo pertencimento a partidos políticos. São os parlamentares, governadores,
prefeitos e membros eleitos do executivo federal.

Atores privados: são aqueles que não estão diretamente ligados à administração
pública. Desse grupo fazem parte as ONGs, a imprensa, sindicatos, empresas,
movimentos sociais, entre outros. A grande maioria dos atores privados são os
empresários e, sem sombra de dúvidas, são os maiores influenciadores nas políticas
públicas, isso porque eles podem afetar a economia do país.

É a integração entre os atores estatais e privados que vão garantir a formulação,


implementação e avaliação de uma determinada política pública.

13
13
UNIDADE Políticas Públicas

Instrumentos que compõem as Políticas Públicas


As políticas públicas são compostas por: 1) Plano; 2) Programas; 3) Ações.
1. Planos: estabelecem diretrizes, prioridades e objetivos gerais a serem alcan-
çados em períodos relativamente longos. Por exemplo, os planos decenais de
educação têm o sentido de estabelecer objetivos e metas estratégicas a serem
alcançados pelos governos e pela sociedade ao longo de dez anos;
2. Programas: estabelecem, por sua vez, objetivos gerais e específicos focados
em determinado tema, público, conjunto institucional ou área geográfica.
O Programa Nacional de Capacitação de Gestores Ambientais (PNC) é um
exemplo temático e de público;
3. Ações: visam ao alcance de determinado objetivo estabelecido pelo
programa; e a atividade, por sua vez, visa a dar concretude à ação.

Tipos de Políticas Públicas


Políticas Públicas Distributivas
Distribuem vantagens para um determinado grupo da sociedade e não acarretam
custos para os outros grupos. Dessa forma, apresentam um baixo grau de conflitos
dos processos políticos.

Ex. Bolsa Família.

Bolsa Família consiste em uma determinada quantia financeira que é dada a


famílias brasileiras em condições de pobreza, ou seja, ele tem como objetivo o
combate à fome e miséria. Esse valor que é repassado é oriundo do Governo que
é entregue a determinada parte da sociedade, porém que não acarreta em perdas
para outra parcela da população. Esse programa federal é destinado a famílias com
renda per capita abaixo de R$ 154,00 mensais.
Explor

Portal do Bolsa Família - Datasus: https://goo.gl/aICLD

Políticas Públicas Redistributivas


Ao contrário das políticas públicas distributivas, são orientadas para o conflito. Isso
porque nas políticas públicas redistributivas uma determinada parte da população
perderá recursos para que outra determinada parte da população os receba.

Ex.: Políticas de reforma agrária

14
A reforma agrária é o conjunto de medidas para promover a melhor distribuição
da terra mediante modificações no regime de posse e uso, a fim de atender aos
princípios de justiça social, desenvolvimento rural sustentável e aumento de
produção (Estatuto da Terra. Lei nº 4504/64).

A Reforma Agrária significa de forma bem simples que determinada parte da


população receberá terras, mas que, para que isso ocorra, uma outra parte da
população sofrerá uma consequência – nesse exemplo, perderá terras, gerando
assim grande conflito para essa política pública.

Políticas Públicas Regulatórias


Nas políticas públicas regulatórias se trabalha com ordens e proibições/ decretos
e portarias, ou seja, de maneira geral, esse tipo de políticas públicas procura regular
algo. Elas podem ainda acarretar benefícios para todos os envolvidos ou ainda
perdas para todos eles.

Ex.: Lei Seca – Lei 11.705/2008

A Lei Seca foi promulgada com o objetivo de reduzir acidentes provocados por
motoristas embriagados no Brasil. Essa política proíbe o consumo de quantidades
de bebida alcoólica superiores a 1 miligrama de álcool por litro de sangue. Caso
o transgressor seja flagrado cometendo esse delito, terá a carteira de habilitação
suspensa, multa e pena de detenção.

Políticas Públicas Constitutivas


As Políticas Públicas Constitutivas ou também conhecidas como Políticas Estru-
turadoras determinam regras e estruturam os processos e conflitos políticos.

Ex.: Reforma do sistema partidário (ou reforma política).

Essa reforma irá atuar nos processos políticos que terão, por sua vez, impactos
em todas as outras políticas públicas. Esse tipo de política pública afeta os outros
três tipos de políticas.

Exemplos de Políticas Públicas


Política Nacional do Meio Ambiente (PNMA) - Lei Nº. 6938/81
É a “lei mãe” do direito ambiental. Ela estabelece a política nacional do meio
ambiente, seus princípios, objetivos e instrumentos.

A lei tem como objetivo geral a preservação, melhoria e recuperação da


qualidade ambiental e propicia a vida visando a assegurar no Brasil condições
para o desenvolvimento econômico e social, atender aos interesses da segurança
nacional e, finalmente, à proteção da dignidade da vida humana.

15
15
UNIDADE Políticas Públicas

Essa política prevê ainda sanções penais e administrativas em caso de ações


lesivas contra o meio ambiente.

Ela garante a proteção da fauna, flora e exige um estudo prévio de impacto


ambiental em ações que possam vir a degradar o meio ambiente.
Explor

Saiba mais sobre a Política Nacional do Meio Ambiente em: https://goo.gl/yqo1QG

Políticas Públicas Educacionais – Lei de Diretrizes e Bases da


Educação Nacional (LDB) – Lei nº 9.394/96
Trata-se da principal fonte de implementação da educação nacional e das políticas
que as definem. Ela define a importância da educação para a sociedade, cria um
vínculo da educação com o trabalho e com a prática social, define os princípios e
fins da educação. A lei garante ainda o direito à educação e o dever de educar.

A LDB tem a missão de organizar a educação nacional. Ela cria os níveis e


modalidades educacionais – desde a educação de nível infantil até o nível superior e
a educação especial. Define os profissionais da educação e trata, ainda, as questões
financeiras destinadas à educação.
Explor

Saiba mais sobre a LDB em: https://goo.gl/qOjvUm

Carta da República
A Carta da República possui várias denominações, ela pode ser conhecida com os
termos: Constituição da República; Constituição Nacional; Lei Fundamental;
Lei Básica; Lei Suprema; Lei das Leis; Lei Maior; Carta Magma; Carta Mãe;
Carta da República; Carta Política; Lei das Leis; Texto Magno  ou  Texto
Constitucional. É um conjunto de normas do Governo que limita e enumera
poderes e funções de uma entidade política. Ela define a política fundamental,
princípios políticos e procedimentos definem a estrutura, os poderes e direitos.

A Constituição da República Federativa do Brasil foi promulgada em 5 de outubro


de 1988, ela é a lei fundamental e suprema do País. Ela é a oitava Constituição
(Considerando a Emenda Constitucional 1).

Na Carta da República estão definidos todos os fundamentos que constituem a


República Federativa do Brasil. Estão listados na Carta todos os direitos e garantias
fundamentais, a Organização do Estado, a Organização dos Poderes, formas
de Tributação e Orçamento, estão regulamentadas as atividades econômicas e
financeiras e a Ordem Social. Nesse último, são tratados temas relacionados ao
bom convívio e desenvolvimento social do cidadão – como deveres do Estado, a

16
saber: Saúde (Seguridade Social e Sistema Único de Saúde), Educação, Cultura e
Desporto, Ciência e Tecnologia, Comunicação Social, Meio Ambiente, Família e
populações indígenas.
Explor

Saiba mais em: https://goo.gl/XTxHCg

Plano Nacional de Segurança Pública


A segurança nacional é uma das questões mais discutidas no Brasil. Existem
várias políticas ligadas à questão da segurança pública. Uma delas é o Plano
Nacional de Segurança Pública.

Nesse plano, os principais problemas de segurança são relacionados, além


dos contextos nos quais são apresentados, e as prioridades são destacadas. São
levantadas hipóteses ligadas aos seguintes temas:
1. pobreza relativa e moradia inadequada;
2. apoio familiar inconsistente;
3. deficiência de aprendizado;
4. exclusão da escola;
5. violência doméstica;
6. poucas oportunidades de emprego e exclusão econômica;
7. cultura da violência;
8. superlotação dos presídios;
9. inexistência de uma adequada política de drogas.

Existem vários planos de ações nessa política pública, tais como: reformas no
Sistema Penitenciário; Violência contra as minorias; Segurança Privada; Proteção a
Testemunhas; Violência no Trânsito; Desarmamento e controle de armas de fogo.
Explor

Saiba mais em: https://goo.gl/cvV030

17
17
UNIDADE Políticas Públicas

Material Complementar
Indicações para saber mais sobre os assuntos abordados nesta Unidade:

 Vídeos
Reforma agrária na Amazônia - #60
Assista ao documentário da série Amazônia S.A. no qual o engenheiro agrônomo
Cássio Pereira fala da importância dos assentamentos da reforma agrária para a
preservação da floresta.
https://youtu.be/HdU-pOrzJCI
Lei Maria da Penha: políticas públicas
Veja o vídeo que fala sobre a Lei Maria da Penha – é uma Política Pública que combate
a violência contra a mulher.
https://youtu.be/sG8uOdo-jkY

 Leitura
Políticas Públicas como Instrumento de Inclusão Social
Políticas Públicas como Instrumento de Inclusão Social. De J. M. C. Silva.
Publicado pela Revista da Faculdade de Direito da UFG.
https://goo.gl/PAZQ1g
Políticas Públicas de Educação
Políticas Públicas de Educação. De Guiomar Namo Mello.
https://goo.gl/Jz8W4V

18
Referências
FARIA, Carlos Aurélio P. Ideias, conhecimentos e políticas públicas: um inventário
sucinto das principais vertentes analíticas recentes. Revista Brasileira de Ciências
Sociais, n. 18, v. 51, p. 21-30. 2003.

FIGUEIREDO, Marcus; FIGUEIREDO, Argelina C. Avaliação Política e Avaliação


de Políticas: um quadro de referência teórica. Revista Fundação João Pinheiro,
p. 108-129. 1986.

FREY, Klaus. Políticas públicas: um debate conceitual e reflexões referentes à prática


da análise de políticas públicas no Brasil. Planejamento e Políticas Públicas, n.
21, p. 212-259. 2000.

RUA, Maria das Graças. Políticas Públicas. Florianópolis: Departamento de


Ciências da Administração/UFSC, 2009.

RUA, Maria das Graças. Análise de políticas públicas: conceitos básicos. In: RUA,
Marida das Graças; CARVALHO Izabel Valladão de (Org.). O estudo da política:
tópicos selecionados. Brasília: Paralelo 15, 1998.

SECCHI, Leonardo. Políticas públicas: conceitos, esquemas de análise, casos


práticos. 2. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2013.

TEIXEIRA, Elenaldo. O papel das políticas no desenvolvimento local e na


transformação da realidade. Montes Claros/MG: 2002.

19
19